Anda di halaman 1dari 79

Instrumentação & Observação

Sismômetro?
Prof. George Sand
Olli’n: Simbolo de terremoto Asteca
Escala de Intensidade
 Escala de Rossi-Forel:
 1883. Rossi & Forel (10 escalas)
 Escala Melcalli Modificada:
 ????. Mercalli (10 escala)
 1902. Modificada por Cancani (12 escalas)
 1931. Modificada por Wood & Neuman
 1956. Modificada por Richter
 Escala MSK: 1964. Medvedev, Sponheuer & Karnik
 Escala JMA:
 1884. Sekiya (4 escala)
 1898. JMA (7 escala)
 1936. Modificada
 1949. Modificada baseada na Equação de Fukui (8 escalas)
 1996. Modificada para determinação automática
Equipamentos
Detection Record

Seismoscope

Seismograph
Sismocópio do astrônomo
Chang Heng, 132 AC., China

ビジュアル博物館 火山、同朋舎出版
O primeiro Sismocópio da história

 Tangshan, província de Hebei Hall Memorial do terremoto


 “sismógrafo” Zhang Heng
Sismoscópio de Ascanio Filomarino (1795)
Ele foi morto pela máfia que considerava seu
experimento uma blasfémia contra Deus.

ビジュアル博物館 火山、同朋舎出版
Sismômetro usado por Luigi Palmieri (1807-1896)

ビジュアル博物館 火山、同朋舎出版
Sismógrafo Moderno
 O primeiro sismógrafo moderno foi idealizado por
Ewing, Gray e Milne, Pesquisadores Britânicos
convidados pelo governo Japonês.
 Eles iniciaram a observação de terremotos em 1872.
 O sismógrafo consiste num sensor que detecta e
amplifica os movimentos do solo que por sua vez se
chama sismômetro, e num registrador que produz
um registro visível do movimento, chamado
sismograma.
 Na exploração – sismômetro = Geofone
Museu Nacional de Ciência - Japão
Sismometro construído em 1892 por John Milne (Foto 1894)
Pêndulo Horizontal
Tipo Ewing
o controle da agulha
arranhando o disco de vidro
esfumaçado.
Substituído por um tambor.
Este método de gravação
em disco do tipo 1880 foram
utilizados durante os 20
anos.
Museu Nacional de Ciência - Japão
http://www.kahaku.go.jp/exhibitions/vm/past_parmanent/rikou/index4.html
Sismômetro Wiechert (1904)

 Aumentou a
precisão com
implementação do
amplificador e
amortecimento.

Museu Nacional de Ciência - Japão


Sismômetro de Galitzin (1907) - Eletromagnético

Museu Nacional de Ciência - Japão


Sismômetro de Wood – Anderson (1923)

Museu Nacional de Ciência - Japão


http://neic.usgs.gov/neis/seismology/history_seis.html
Todo sismógrafo tem um sistema de tempo e
registro de dados (gravação).

Registrador

Sismograma
Relógio

Sismômetro
Princípio de funcionamento do
sismômetro
 Os sismômetros são desenhados para reagir ao
movimento do solo numa dada direção. Dependendo
do formato, eles podem responder a movimentos
verticais ou horizontais.
 A maioria das concepções foram baseadas em
aplicação das variações de pêndulos simples.
 Sismômetros modernos são construídos para
registra simultaneamente três componentes
ortogonais.
Sismômetro movimento vertical
➔ Sismômetros mecânicos de movimento vertical
 Os sismômetros eletromagnéticos
 respondem ao movimento relativo entre um
ímã, que está alinhada com o solo, e uma
bobina de fio condutor enrolada em torno de
uma massa inercial suspensa por uma
pequena mola.
 Uma bobina fixa para massa inercial é suspensa
entre os polos de um forte ímã, que por sua vez
é fixada ao solo por caixa rígida.
 O movimento da bobina no interior do campo
magnético que induz uma ddp na bobina
proporcional à taxa de variação do fluxo
magnético. Durante a passagem da onda
sísmica, a vibração do solo relativamente à
bobina é transformada num sinal elétrico que
posteriormente é amplificado e registrado.
Sismômetro de movimento horizontal

➔ Sismômetro mecânico de movimento horizontal.


 A massa inercial é montada numa barra horizontal,
mas o seu apoio está quase na vertical, de tal modo
que a massa está confina a mover-se apenas num
plano quase horizontal.
 A posição de equilíbrio nestas condições encontra-se
onde o centro de massa estiver no ponto mais baixo.
Para qualquer movimento da porta, a força
gravitacional tenta fazê-la voltar à posição de
equilíbrio.
Sismômetro de deformação (strain)
 Milne também fez experiências para sismômetros que
media a distância entre dois pontos durante a
passagem da onda Sísmica. Sem muito ganho.
 Em 1935, H. Benioff inventou um sensível sismômetro
que virou base para todas visões modernas.
 Dois hastes colineares horizontais feitas de quartzo
são anexados a bases de cerca de 20m de distância,
fixo ao solo, perto de suas extremidades são
separados por uma pequena diferença. As variações
na separação das duas bases fixas resulta em
mudanças na largura do espaço, que são detectadas.
 Nos instrumentos modernos, a variação na largura de
abertura pode ser observado visualmente, utilizando-
se a interferência entre os feixes de laser, refletida por
espelhos presos aos lados opostos da abertura. O
instrumento de deformação é capaz de identificar
deformações da da ordem de 10-8-10-10.

Matsushiro strain seismometer


Foto:George Sand (2005)
Equação do Sismômetro
 Seja um deslocamento vertical ou horizontal, dependente do tipo do
sismômetro, deve ser u e a força igual -Ku, e o deslocamento
correspondendo do solo q. O deslocamento da massa inercial M é
então (u+q), e a equação de movimento é

 Seja k/M = ² - equação do movimento harmônico


simples.
Equação do Sismômetro
  0 é a frequência natural do instrumento. Para um movimento do solo com essa frequência,
o sismômetro iria executar vibrações descontrolada e o sinal sísmico não poderia ser
registradas com precisão.
 Para contornar esse problema, o movimento é amortecido, fornece uma força dependente da
velocidade que se opõe ao movimento. Um termo de amortecimento entra na equação do
movimento:


 é o fator de amortecimento do instrumento e tem um papel importante para resposta do
sismômetro à passagem da onda sísmica.
 O sinal sísmico é normalmente composto de várias vibrações harmônicas com diferentes
frequências. Podemos determinar como o sismômetro com frequência natural 0 responde ao sinal
sísmico com uma frequência  para solução da equação do slide anterior com q=Acost.
 Aqui, A é amplitude “aumentada” do movimento do solo, igual ao movimento do solo multiplicado por
fator amplificador que depende da sensibilidade do instrumento. Seja o deslocamento u registrado
pelo sismômetro

u = Ucos(t-)

onde U é a amplitude do sinal registrado e  é a diferença de fase entre o registro e a movimento do
solo.
Equação do Sismômetro
  é é dada por

 A solução da equação de movimento do deslocamento de


u em registro sísmico é
Efeito do amortecimento

 O movimento do solo causada por uma onda sísmica


contém um amplo espectro de frequências (faixa).
 A equação da resposta do sismômetro para sinalizar
diferentes frequências é fortemente dependente do valor
do fator de amortecimento .
 Não amortecimento =0, e para pequenos valores de 
do resposta do sismômetro é dito ser subamortecido.
 O sismômetro amplifica os sinais perto da frequência
natural – não há condição de registro.
Efeito do amortecimento


O valor  = 1 corresponde ao amortecimento crítico, assim
chamado porque mostra dois tipos diferentes de resposta
sismômetro na ausência de uma força de vibração.
 Se  < 1, o amortecimento, sismômetro livre responde a uma
perturbação balançando periodicamente com a diminuição da
amplitude sobre a sua posição de repouso.

Se , a pertubação do sismômetro comporta
aperiodicamente, movendo-se suavemente para à sua
posição de repouso.
 Se , o instrumento é superamortecidos e todas as
frequências da movimentação do solo são suprimidos.
Efeito do amortecimento

 O comportamento ideal de um sismômetro exige que o


instrumento deve responder a uma ampla faixa de frequências
no movimento do solo, sem amplificação preferencial ou
supressão excessiva de frequências.
 Isto requer que o fator de amortecimento deve ser próxima ao
valor crítico. Geralmente é escolhido para estar no intervalo
70% a 100% do amortecimento crítico (ou seja, 1/√2  < 1).
 No amortecimento crítico a resposta do sismômetro é um
pertubação periódica com frequência e dada por
Sismômetro de Período Longo
 O sismômetro de período longo é um instrumento em
que a frequência de ressonância (natural) 0 é muito
baixa. (0 << 

A fase entre o sismômetro e o movimento do solo
torna-se zero, e a amplitude de deslocamento do
sismômetro torna-se igual à amplificação do
deslocamento solo q:
 u = Acost = q
 O sismômetro de longo período às vezes é chamado um
medidor de deslocamento. É normalmente concebido
para registrar sinais sísmicos com freqüências de 0,01-
0,1 Hz (ou seja, períodos na faixa de 1-10 s).
Sismômetro de Período Longo
Sismômetro de Período Curto
 O sismômetro de Período curto é construído para ter um
período de natural baixo e uma frequência natural 0 que é
maior do que a maioria das frequências da onda sísmica. Sob
estas condições, temos 0 << e a diferença de fase ∆ é
novamente pequenas e Eq. Torna-se

 Essa equação mostra que o deslocamento do sismômetro de


período de curto é proporcional à aceleração da terra.
 Responder às frequências de 1-10 Hz (períodos na faixa de
0,1 - 1 s). Um acelerômetro é particularmente adequada para
registro de grandes terremotos.
Sismômetro de Período Curto
Sismômetro de Banda Larga (Broadband)
 O ruído decorre de uma sucessão quase
contínua de pequenos movimentos no solo
denominados de microsismos
 Microsismos - é de origem local,
relacionados a efeitos tais como tráfego de
veículos, chuva, ação do vento nas
árvores, etc,
 Uma fonte importante de ruído é as ondas
do mar em tempestades oceânicas, que é
detectável nos registros sísmicos. Os
ruídos sísmicos tem uma baixa amplitude
em um sismograma, mas pode ser tão forte
como um sinal fraco de um terremoto
distante, que não pode ser seletivamente
amplificados também sem o aumento do
ruído.
 O problema é agravado pela faixa dinâmica
limitada dos sismômetros de longo e curto
período.
Sismômetro de Banda Larga (Broadband)
 A faixa entre os sinais fortes e fracos que podem ser registrado sem distorção por
um determinado instrumento,e é chamada de faixa dinâmica.
 A faixa dinâmica é medida pelo potência (ou densidade de energia) de um sinal, e
é expressa em unidades de decibéis (dB). Um decibel é definido como 10
log10(potência do sinal). Porque o potência é proporcional ao quadrado da
amplitude, um decibel é equivalente a 20 log10(amplitude).
 Uma faixa 20 dB em potência corresponde a um fator de variação fator na
aceleração, e uma faixa dinâmica de 100 dB corresponde a uma variação de
105 em amplitude.
 Sismômetro de período curto e longo têm estreitas faixas dinâmicas porque eles
são projetados para dar um ótimo desempenho em faixas de frequência limitada,
acima ou abaixo da faixa de ruído de fundo. Esta deficiência foi superada pela
concepção de sismômetro de banda larga que possuem alta sensibilidade em uma
faixa dinâmica muito ampla.
Sismômetro de Banda Larga (Broadband)
 O sismômetro de banda larga tem basicamente um projeto de pêndulo inercial,
com capacidade melhorada devido a um sistema de “regeneração” de força. Isto
funciona através da aplicação de uma força proporcional ao deslocamento da
massa inercial para impedir que se deslocam de forma significativa.
 A quantidade de força aplicada é determinada usando um transdutor elétrico para
converter o movimento da massa em um sinal elétrico. A força necessária para
manter a massa estacionária corresponde à aceleração do solo. O sinal é
digitalizado com 16 e 24 bits de resolução, de forma sincronizada com os sinais do
tempo exato, e gravados em fita magnética, disco rígido ou memória. A eletrônica
de feedback são fundamentais para o sucesso deste instrumento.
 O desenvolvimentos de Banda Larga resultou em sismômetros com grande faixa
de frequência e resposta linear. Não é mais necessário para evitar a registros na
banda 1-10 sde ruído de fundo evitado por sismômetros de período curto e longo.
O registro de um terremoto por um sismômetro de banda larga contém
informações mais utilizável que pode ser obtido a partir do período curto ou longo
período de gravações, individualmente ou em combinação.
Sismômetro de Banda Larga (Broadband)
 Sismômetros de banda larga
pode ser usado para registrar
uma grande faixa de de sinais.
 A faixa dinâmica de ruído de
fundo se estende até a grande
aceleração que resultaria de um
terremoto com magnitude 9,5, e
os períodos que podem ser
registrados variam de ondas de
corpo de alta freqüência para as
oscilações de período muito
longo do solo associado com o
efeito maré.
 O instrumento é empregado em
todo o mundo em redes de
sísmica moderna e
padronizada, substituindo a de
curto prazo e de longo período
sismógrafos.
O sismograma
 O sismograma representa a conversão do sinal do sismômetro para um
registro temporal do evento sísmico.
 Nos primeiros tempos da sismologia moderna, o modo mais comum de obter
diretamente um registro visível usava um tambor que rodava a velocidade
constante de modo a providenciar uma escala temporal no registro. A
invenção dos sismômetros electromagnéticos permitiu a conversão do sinal
sísmico em sinal eléctrico que é então registrado.
 Os sismômetros modernos porém, convertem o sinal elétrico para uma
forma digital, através de circuitos eletrônicos de conversão analógico para
digital, que são depois registados em suporte magnético.
 O sismograma de um sismo distante contêm chegadas de numerosas ondas
sísmicas que viajaram por vários percursos diferentes através da Terra
desde a fonte até ao receptor. Devido a este fato o aspecto do sismograma
costuma ser bastante complexo e a sua interpretação requer uma
considerável experiência.
Fases em um sismograma
 A análise das ondas que sofreram reflexões e refrações múltiplas será tratada mais adiante.
Cada evento que é registrado no sismograma é designado pelo termo de fase.
 Ondas P – primeira fase corresponde à chegada deste tipo de ondas.
 Ondas S – chega em seguida, que normalmente têm amplitude superior à das onda P.
 De seguida chegam as perturbações associadas com as ondas superficiais (ondas com
comprimento de onda muito superior), que se caracterizam também por possuírem uma
amplitude mais elevada que a das ondas de corpo. As ondas de Love deslocam-se com
quase a mesma velocidade das onda S à superfície ( VLQ ≈ β ) e por isso chegam mais
rapidamente que as ondas Rayleigh (VLR ≈ 0.92 β).
Fases em um sismograma
 As fases detectadas nos sismogramas dependem do tipo de sensor utilizado e da
orientação relativa deste com respeito à direção de chegada das ondas sísmicas.
 Por exemplo,
 um sismômetro de componente vertical pode detectar ondas P, SV e Rayleigh
mas não as ondas SH e de Love,
 um sismômetro de componente horizontal se podem detectar as fases P, SH
Rayleigh e Love.
Dois termos técnicos importante para
os Sismográfos

Faixa dinâmica
Frequências características
Limite superior do
Faixa Dinâmica (Dynamica Range) Sismômetro
Amplificado
Conversor A/D

Clipping Nível máximo de recuperação do sinal

Dentro dessa faixa


o sinal registrado pode ser
gravado (recuperado)

Nível mínimo do sinal


Tempo
Nível mínimo do Sinal
Sistema de ruído
ambiente de ruído
Resolução do conversor A/D

Nível máximo de recuperação do sinal


Faixa Dinâmica (Dynamica Range)

Definição
Nível máximo de recuperação do sinal

Nível mínimo do Sinal

Geralmente descrito por [db]

20log10( razão ) [db]


+6 db ~ 2 vezes
120 db ~ 1,000,000 vezes
 Sismógrafo (alta amplificação ou sensibilidade)
 Instrumento que registram
. pequenos movimentos
do solo tais como um telessismo ou microtremor.
 Sismógrafo “Strong Motion” - Acelerômetro
 Instrumentos que pode registrar grandes
movimentos do solo que são destrutivo sem
passar o limite do clipping.
 Extensa Faixa Dinâmica
 Sistema de observação ou observatórios que
podem registra pequenas vibrações do
movimento do solo simultaneamente.
Frequência Características

Qual é o “verdadeiro movimento do solo”?


Sismômetro é o núcleo do Sismógrafo
 Maioria dos sismômetros é composta de um
pêndulo com pequenas diferênças
 Sismômetro de bobina “móvel” conectado a
amplificador elétrico tem sido usado em sua
maioria devido a simplicidade na operação.
 O principal objetivo é entender esse tipo de
sismômetro em 4 passos
 * Dinâmica do Pêndulo
 * A mecânica de Sismógrafo
 * Bobina móvel tipo de sismômetro Electromagnético
 * Desempenho do Sismômetro (Feed Back)
Dinâmica de Pêndulo

Pêndulo Simples - Sistema massa-mola

Situação estável

Equação de equiíbrio
Mg=k(LM-L0)

A constate da Mola é dada por


k= Mg/(LM-L0) Exerted force
ponto de
equilíbrio
Gravity
Dinâmica de Pêndulo

Pêndulo Simples - Sistema massa-mola

Pequeno deslocamento de massa.

Força Exercida
{ k  L M −L 0  +kx }
Equação de Movimento
2
d x
M 2 =Mg− { k  L M − L0  +kx } ,
dt
Usando a relação para k
Eq. (1) 2 2 Força Exercida
d x d x k
M 2
=-kx --> 2
=- x.
dt dt M Gravidade
Para resolve a ED de segunda ordem
2
d x k
2
=- x
dt M
supor que a dependência do tempo de x é sinusoidal com uma x0 constante e
frequência angular ω0,.
iw0 t
x=x 0 e
Então,
2 k
−w 0 x =- x
M
Necessário

E
w0 =±

k
M
Frequência Angular Natural de Pêndulo

2p
T 0 = =2p
w0
M
k  Período Natural do Pêndulo
Dinâmica de Pêndulo

Pêndulo simples: Massa-Fio


Quando o pêndulo é deslocado para
um pequeno ângulo θ ,a força da gravidade
mgsinθ com fio de comprimento L exer exerce
a moment about O equal to-( mg Lsinθ).
As the inertial moment of the mass is
mL2 , the equation of motion is
2
d q
2
mL 2
=- mgL sin q .
dt
For values of θ small enough that θ
is negligible compared to, then
3 5
q q
sin q=q−  L»q .
6 120 mgsinθ
The equation of motion
d q
2
d q g
2 mgcosθ
mL 2
=- mgLq or =- q . mg
2 2 L
dt dt
The natural period of this pendulum is T 0 =2p  L/ g
 Microtremor: Ruído de fundo do movimento do solo

Espectro do ruído

Typhoon
city

Country side

Frequency
0.1-0.5Hz 2-3Hz
Peterson’s Noise Model

U.S. DEPARTMENT OF INTERIOR GEOLOGICAL SURVEY

OBSERVATIONS AND MODELING OF SEISMIC BACKGROUND NOISE


Jon Peterson
Open-File Report 93-322
NLNM & NHNM
Sismômetros listados no IASPEI
NMSOP Volume II
 CMG-3T (Guralp System Ltd.) http://www.guralp.net/products/weak/#3T
 Episensor ES-T (Kinemetrics/OYO)
 http://www.kinemetrics.com/product_Content.asp?newsid=111
 Le-3d (Lennartz Electronic)http://www.lennartz-
electronic.de/Pages/Seismology/Seismometers/Seismometers.html
/
 PMD http://www.eentec.com
 S-13 (Geotech Instruments LLC) http://www.geoinstr.com/s-13.htm
 Trillium (Nanometrics Inc.)
http://www.nanometrics.ca/products/trillium/trillium_1_new.htm
 L4-3D (Mark Products) http://www.geoinstruments.com.au/main.htm
 STS-1 VBB & STS-2 (Streckeisen AG)
CMG-3T (Guralp System Ltd.)
CMG-3T
(Guralp System Ltd.)
Episensor ES-T
(Kinemetrics/OYO)
Episensor ES-T
(Kinemetrics/OYO)
Episensor ES-T
(Kinemetrics/OYO)
Le-3d (Lennartz Electronic)
Le-3d (Lennartz Electronic)
S-13 (Geotech Instruments LLC)
S-13 (Geotech Instruments LLC)
Trillium (Nanometrics Inc.)
Trillium (Nanometrics Inc.)
Trillium (Nanometrics Inc.)
L4-3D (Mark Products)
L4-3D (Mark Products)

Rs
L4-3D (Mark Products)

1/To

M
Ro
G
hm
he

Ro

hm he
STS-1 VBB
(Streckeisen AG)
STS-1 VBB
(Streckeisen AG)

Vertical Component Horizontal Component


(Leaf Spring)
STS-1 VBB
(Streckeisen AG)
STS-1 VBB
(Streckeisen AG)
STS-1 VBB
(Streckeisen AG)
STS-2
(Streckeisen AG)
STS-2
(Streckeisen AG)
STS-2
(Streckeisen AG)
STS-2
(Streckeisen AG)