Anda di halaman 1dari 26

Cinderela

Branca de Neve e os Sete Anões


Clique para editar os estilos
Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Clique para editar os estilos
Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
A Cigarra e a Formiga
O Gato
das
Botas
Conto
Popular
ou
Tradicional
O conto popular e o conto literário têm muitos traços em comum: são narrativas breves, com
número reduzido de personagens, uma só acção, espaço e tempo reduzidos.
Relativamente ao conto popular convém demarcar algumas características distintivas:
v é de tradição oral; por isso muitos têm marcas de oralidade, nomeadamente do registo
popular (ex: vai nisto..., lá vinha ele..., botou a fugir...);
v caracteriza uma certa arte da memória;
v é património de todos (universal e intemporal)
v revela o imaginário em contraposição com a realidade da vida (o que contribui para o
conhecimento humano, exprimindo sonhos, anseios, necessidades, emoções e sentimentos);
v o tempo e o espaço estão fora do tempo e espaço reais.
O interesse dos intelectuais pelo conto popular surgiu no
século XVII, quando, em 1697, Charles Perraut publicou a
primeira recolha de contos populares franceses, que incluía
histórias tão conhecidas como "A Gata Borralheira", "O
Capuchinho Vermelho" e "O Gato das Botas". Esse interesse
pela literatura popular acentuou-se no século XIX, com os
trabalhos dos irmãos Grimm, na Alemanha, e Hans Christian
Andersen, na Dinamarca. Em Portugal destacaram-se nessa
tarefa investigadores como Teófilo Braga, Adolfo Coelho,
Leite Vasconcelos e Consiglieri Pedroso.
FUNÇÕES DO CONTO POPULAR
são memória de um grupo;
Em maior ou menor grau, o conto popular
apresentam modelos exemplares em situações
tinha
dicotómicas (ex: as seguintes funções:
bom/mau...)
veiculam valores (património universal e
intemporal);
preenchem espaços de lazer (função lúdica).
propor aos ouvintes modelos de comportamento.
ESTRUTURA DO CONTO POPULAR

Fruto da sua origem oral, estes contos têm quase sempre uma
estrutura muito simples e fixa. A própria fórmula inicial ("Era uma
vez...") e final ("...e foram felizes para sempre.") revelam isso.
Essa estrutura pode ser traduzida da seguinte forma:
 
Ordem existente - situação inicial;
Ordem perturbada - a situação de equilíbrio inicial é destruída, o
que dá origem a uma série de peripécias que só se interrompem
com o aparecimento de uma força rectificadora;
Ordem restabelecida.
Personagens:

Ø vítima (objecto da perturbação);


Ø vilão (sujeito da perturbação);
Ø herói (sujeito do restabelecimento da ordem);
Ø adjuvantes (personagens secundárias que ajudam o
herói);
Ø oponentes (personagens secundárias que ajudam o
vilão ou fazem oposição ao herói)
TIPOLOGIA DO CONTO POPULAR

Há vários tipos de textos que integram as características do conto


popular:
v Conto: recorre a personagens anónimas, num tempo e espaço
indeterminados;
v Lenda: assenta num facto real, modificado pelo imaginário
colectivo, pode utilizar personagens com nome próprio, num
tempo e espaço mais ou menos identificáveis;
v Fábula: recorre a animais para dar lições ao Homem;
v Histórias míticas: aproximam-se das lendas, embora os seus
heróis sejam sempre seres superiores ao ser humano.
TEMÁTICA
Os temas abordados são vários. No entanto, por ser frequente, vou
referir-me à presença do maravilhoso ou fantástico na literatura
tradicional.
O Maravilhoso está presente no conto popular uma vez que desta forma
se tenta, através da imaginação, conjugar a realidade e a fantasia.
O Maravilhoso é a presença do irreal, do imaginário, dum mundo mágico
ou sobrenatural através de personagens fantásticas como as bruxas,
fadas, gnomos, duendes, vampiros e outros seres.
O Maravilhoso contribui para aumentar o prazer, o interesse e para
desenvolver a imaginação.
Simbologia

Os contos tradicionais estão carregados de simbologia: dizem mais do que parecem


dizer.
A manifestação mais evidente é a referência sistemática ao número três, símbolo da
perfeição desde tempos imemoriais. Mas há mais...
A rosa aparece como símbolo do amor puro e total.
O beijo desperta e faz renascer.
A heroína é frequentemente a mais nova (e por isso a mais pura e inocente) e afirma-
se por oposição às irmãs mais velhas e mesmo aos pais.
O herói quase sempre tem que enfrentar uma série de provas antes de alcançar o
objecto - símbolo do amadurecimento que fará dele um homem. Outras vezes sai da
casa paterna em busca da autonomia.
Conclusão
A tradição do conto popular, em Portugal, tem origem na fundação da
Pátria, visto que já nos livros de linhagem se podem ler histórias
imbuídas de um carácter fantástico e maravilhoso.
Como a própria denominação indica, o conto popular possui as suas
raízes no povo, numa camada mais rural do que urbana. Trata-se, pois,
de uma literatura tradicional de transmissão oral, da qual também
fazem parte provérbios, adivinhas, canções, lengalengas,
jogos de palavras...
A transmissão destes contos está
associada a momentos de lazer e diversão.
Proposta
de
trabalho
Escolhe um conto tradicional e aplica-lhe as seguintes
perguntas-tipo:

1. Identifica as personagens intervenientes na acção.


1.1. Caracteriza-as física e psicologicamente.

1.2. Qual das personagens intervenientes te parece ser a mais


típica deste tipo de texto? Justifica.
2. Delimita no conto:
a introdução (situação inicial de equilíbrio);
o desenvolvimento (situação perturbada);
a conclusão (situação restabelecida).
O PROCESSO

3. Prova que o tempo e o espaço são indeterminados.

4. Identifica no texto marcas do discurso oral.


4.1. Justifica a presença destas marcas nos contos tradicionais.
5. Detecta a presença de simbologias (número 3, água, rei...).
6. Indica um provérbio que se aplique à história narrada.
7. Detecta a intenção didáctica que está na base do conto.
1 - Devem formar uma equipa de trabalho com um
máximo de 4 elementos.

2 - Todos os grupos deverão eleger um porta-voz, que


deverá informar a professora sobre o andamento dos
trabalhos e sobre as dúvidas que forem surgindo.

3 - O trabalho deverá ser apresentado perante a turma.


4 - Da apresentação do trabalho devem constar:
a leitura expressiva e/ou dramatizada do conto escolhido;
as respostas às perguntas-tipo;
a justificação sobre a escolha do conto.
algumas conclusões sobre os contos populares:

v
temáticas recorrentes

v
tipo de personagens

v
tempo e espaço

v
registos de língua presentes

v
simbologias
Bom
Trabalho!!!