Anda di halaman 1dari 3

A coisa mais extraordinária do mundo

As Mil e uma Noites - Mansour Chalitta – adaptada e reescrita por Rosângela Alves.

A tradição conta,mas só Allah sabe a história toda, mas a tradução conta que existiu
,certa vez, na antiguidade dos tempos, um rei valoroso a quem Allah havia agraciado
com três filhos varões, chamados Ali, Hassan e Hussein. Estes três príncipes foram
criados no palácio paterno juntamente com uma prima órfã, a princesa Nuranahar,
cujo nome significa Luz do Dia. Nuranahar era tão linda que as rosas murchavam em
sua presença. Ela era tão encantadora que, se quisesse, poderia dizer para a lua: Com
licença, que eu vou ficar no seu lugar! Além de bonita, ela era inteligente e corajosa..
O rei pensava em casá-la com o filho de algum sultão.
Mas assim que ela atingiu a puberdade, o rei se deu conta de que seus três filhos
estavam apaixonados por ela e fariam de tudo para conquistá-la e possuí-la. Ele ficou
perplexo, sem saber o que fazer. Pensava: se eu der Nuranahar a um dos meus filhos,
os outros dois vão ficar magoados até a eternidade.. Se eu escolher para ela um
príncipe estranho, os três vão morrer de tristeza.
Após refletir longamente, o rei chamou seus três filhos e disse:
- Vocês são iguais aos meus olhos e não posso escolher qual dos três deve se casar
com Nuranahar. Então, só vejo uma solução: cada um de vocês deve partir para
uma terra distante e trazer-me a coisa mais extraordinária que existe. Eu vou
casar a princesa com aquele que me trouxer a raridade mais maravilhosa.
Os três então partiram disfarçados de mercadores. Cavalgaram juntos até uma
encruzilhada próxima à cidade, de onde partiam três caminhos diversos. E
combinaram de se reencontrar naquele mesmo local um ano depois, nem mais um dia,
nem menos um dia.
E partiram, cada um tomando um dos três caminhos.
Após três meses, o príncipe Ali chegou ao reino de Bichangarch , nas costas da Índia. E
foi logo dar um passeio no mercado. Ficou muito encantado com tantos objetos finos e
riquíssimos. Até que, passando pela rua dos tapetes, reparou num vendedor que
carregava debaixo do braço um pequeno tapete, anunciando:
- Aproveitem a oportunidade! Apenas 30 000 dinares! Quem comprar vai sair
ganhando!
Ali achou o preço absurdo e pediu ao vendedor que lhe mostrasse o tapete.
Examinou-o e disse:
- Não estou vendo nada de extraordinário nesse tapete. Por que você está pedindo
um preço tão absurdo?
- É que este não é um tapete comum. Quem se sentar neste tapete será
transportado para onde desejar ir e com a velocidade de um raio.
- Nenhum obstáculo detém o vôo deste tapete. As tempestades, as montanhas,
muralhas e outros obstáculos se afastam para deixá-lo passar.
Ali ficou encantado e lhe disse que pagaria os 30 000 dinares se o vendedor pudesse
provar os poderes do tapete. O vendedor fez com que Ali se sentasse com ele no
tapete e os dois voaram em menos de um segundo até a hospedaria onde se achava a
bolsa de Alí. Ele pagou os 30 000 dinares e mais 1 000 de gratificação, de tão eufórico
que estava, considerando que nenhum de seus irmãos iria conseguir maravilha igual e
que a princesa já era sua.
O segundo irmão, Hassan , chegou até á Pérsia, e dirigiu-se á cidade de Chiraz. Assim
que chegou, foi imediatamente conhecer o mercado, que lá é chamado de bazistan.
Ficou maravilhado com os tapetes, os brocados, os mosaicos. Mas o que chamou
mesmo a sua atenção, foi um vendedor que caminhava lentamente, sem gritar como
os outros, segurando nas mãos um tubo de marfim, como se fosse um cetro de rei.
Hassan ficou curioso e se aproximou, perguntando quanto custava aquele tubo
estranho. O vendedor disse que não o vendia por menos de 30 000 dinares. Hassan
achou o preço exorbitante e quis saber porque o tubo era tão caro. O vendedor disse:
- Honrado estrangeiro, este não é um tubo qualquer. Repare que um lado está
fechado com cristal. Quem olhar através dele vai poder ver qualquer coisa,
qualquer pessoa que desejar, mesmo que elas estejam do outro lado do mundo.
Você não acha que esse milagre vale realmente os 30 000 dinares?
- Claro que sim, disse Hassan. Se o que você está dizendo for verdade...
- Verifique por você mesmo, disse o vendedor.
Hassan segurou o tubo e desejou ver a princesa Nuranahar, de quem tinha uma
saudade dolorosa. Imediatamente, viu-a através do tubo, passeando feliz, no jardim
do palácio. Ficou tão comovido que quase deixou cair o tubo no chão.
Convencido de que não poderia existir uma maravilha mais maravilhosa do que aquela,
pagou os 30 000 dinares e mais mil de gratificação. Já se sentia de posse da mão de
sua amada.
Enquanto isso, o irmão mais novo, Hussein, viajou até a cidade de Samarkanda, e logo
ao chegar, foi visitar o mercado, que lá é chamado de bazar. Enquanto observava a
multidão, reparou num vendedor levando nas mãos uma maçã. Era uma maçã grande,
do tamanho de um melão, vermelha de um lado e dourada do outro. Hussein ficou
fascinado por sua beleza e quis saber o preço. O vendedor disse:
- Não vendo esta maçã por menos de 40 000 dinares.
- Acho que você está brincando, disse Hussein. Esta é a maçã mais esplêndida que
já vi, mas 40 000 dinares é muito dinheiro...
- De maneira alguma, retrucou o vendedor. Pois a beleza desta maçã nada
representa em comparação com seus benefícios. Esta é uma maçã curativa, e o
seu cheiro afasta qualquer doença, seja peste, escarlatina, cólera, erisipela, lepra
ou espinhela caída... Só não cura quem já morreu.
Para provar a Hussein o poder da maçã, o vendedor a colocou sob o nariz de um
paralítico que estava assentado ali perto e, imediatamente, o homem se pôs de pé e
começou a andar, feito um jovem.
Hussein pagou os 40 000 e mais 2 000 dinares de gratificação, convencido de que
seus irmãos jamais poderiam vencê-lo.
E assim, na data combinada, os três irmãos se encontraram na encruzilhada e
exibiram as maravilhas que haviam trazido. Quando Ali e Hussein ficaram conhecendo
o tubo de marfim, eles imediatamente pediram para ver a princesa Nuranahar, porque
estavam roxos de saudades.
Mas, ao olharem através do tubo, o que foi que eles viram? A princesa Nuranahar
estava gravemente enferma, e já agonizando na cama, com todas as pessoas
tristíssimas ao seu redor.
Imediatamente, Hussein disse:
- Não se preocupem meus irmãos, a minha maçã vai curar a princesa, mesmo que
ela esteja à beira do túmulo.
E Ali disse:
- E o meu tapete voador vai nos levar ao palácio com a rapidez de um raio.
Os três, então, se assentaram no tapete e foram imediatamente transportados até aos
aposentos de Nuranahar, que estava, de fato, gravemente enferma. Hussein segurou a
maçã sob o seu nariz e aos poucos a cor foi voltando ao seu rosto, ela deu sinais de
vida, sentou-se na cama e sorriu.
A princesa Nuranahar estava curada. Todos ficaram exultantes. Menos o rei. Se antes
ele tinha um problema, agora ele tinha um problema e meio. Ele disse:
- Meus filhos, vocês me trouxeram um problema delicado. Na minha concepção de
justiça estas três maravilhas são iguais. São todas extraordinárias. O marfim
mágico revelou a doença de Nuranahar, o tape mágico voou com vocês até aqui e
a maçã mágica a curou. Minha escolha agora está mais difícil do que antes!
E não tendo mais idéia nenhuma quanto a outras provas para submeter os
pretendentes, ele resolveu fazer uma coisa inédita para a época. Decidiu perguntar a
Nuranahar com qual deles ela preferia se casar.
Nuranahar disse:
- Meu senhor, eu vou ficar eternamente grata aos seus três filhos que me salvaram
a vida. Eles são muito inteligentes, bonitos e corajosos. Mas se o assunto é
casamento, o senhor me perdoe. Eu queria mesmo era me casar com o jardineiro
do palácio.
O Rei esbugalhou os olhos:
- O jardineiro do palácio!. Você quer se casar com o jardineiro do palácio! Mas por
que?
- Bem, senhor, é porque eu o amo.
- Você o ama? Mas é inacreditável! Você tem aqui três príncipes jovens, de sangue
real, belos, inteligentes e corajosos, mas quer se casar com um reles jardineiro?
Houve um silêncio na corte.
Todos ficaram apreensivos,esperando o que é que iria acontecer.
O rei estava vermelho e parecia que ia estourar, mas de repente, ele suspirou, seu
semblante se desanuviou e ele disse:
- Sabem de uma coisa? Eu acho que meu problema está resolvido. Eu disse que o
vencedor seria aquele que trouxesse a coisa mais extraordinária do mundo. E
agora,eu estou diante desta coisa.. Nuranhar, eu lhe dou a permissão para se
casar com o jardineiro. A coisa mais extraordinária que existe não é o tubo de
marfim, nem o tapete mágico e nem a maçã curativa.
A coisa mais extraordinária que existe é o Amor.