Anda di halaman 1dari 8

c

c
c

c

cc
cR 
  
 
  

R     cc 
c
cc
cc
c

 
c
c !"ccc c
c  
c#c c  
cc$%&''c
c '(')*c c c  
c c + c ,c c c c c c
c  
c
 "cc 
c
c c  
cc # "c
c ccc
-c

%c c #c  c c  


c c +  c 
c .
c c
( /c c 
c 
c /c
c # 
c c 
 c 
c  
c c c

 

c012c
c
!,ccc c

cccc 
c
3 -c

c
c c 
 c  c c  
c c 4 
c c
5
c  6 
c c 

7c c

c  
c 8c 
!,c c c 
c

 
-c  
c c % c c 

c c  
c c 

c

c c  
c c  c
c 
c c c 5
c 9 c c 
c c


5 c
cc
/cc c  -c

'c 5
!,c 
c !"c c 

c /c 
:

c  c ; 5,c c
  c  #
c c   c 
c c -c 'c
!"c c   
c c
 !cccc #  
c :
c c

c5c

cc#
: c
c
3 c
 <#
c
c !"cc

cc #
cc5
c# c c
c
c
c#
:
!"cc c9  -cc

c c
c c 
c !"c c 

c c  
c c

 c  cc( /c,c  ccc
c

cc 

c8c

c c
c
5 
c #
-c'c
3 c
c !"cc

cc
 
cc+ c
c/c
#
c  
cc  = 
cc c
  c
c

 :
c
c

c# cc c #
cc 
c c
c
#!"c>
7 ?c
c 
ccc c
 c  
cc cc
 
c

c
c
3 c 
c 
9c c 


 c c c
c 5
c
 
c  c
c
 #,-c 

7c 
c 
3c c c <c
c 

c c
c  
!,c

c 
c #
 c   ;5 c
/c 
c
7
5c c  
c c
c  
!,c
c c
c c c 
c  #,c
c

 :
!,c c 3 c c c c c
# cc,c
 
c

cc c
cc5
cc

-c

ccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccc ccc-@-c

c
c

c

c
c

Analisar o trabalho dos Motoristas de Ônibus do Transporte Coletivo


de Belém e descrever as situações de insegurança no trabalho e propor
medidas de melhorias, baseadas em cima dados pesquisados principalmente,
na Segurança do Trabalho.

Chamar a atenção para a importância não só do debate , mas


também, para os estudos acerca do tema, no que tange às condições de
trabalho; descrever essas condições e identificar as situações Psicodinâmicas
e de Ergonomia , além de todos os Riscos Ambientais inseridos no contexto de
Segurança do Trabalho do pressuposto de que as más condições de trabalho
contribuem para que os motorist as exerçam suas atividades sob condições
anormais e precárias.

Contribuir para o reconhecimento dessa Categoria Profissional, e


também, para as condições de trabalho que caracterizam o setor e que ações
em termos da Segurança e Saúde destes profissionais possam ser
implementadas pelas empresas, e que certamente contribuirá pela qualidade
do serviço prestado a população beneficiando as principais partes
interessadas, empregado e empregador . fim

c
c

QUESTOES NORTEADORAS

1_ As condições de trabalho vivenciadas pelos motoristas r efletem-se em sua


saúde física e mental e no seu relacionamento µdentro e fora do trabalho¶?

2_ quais os principais problemas ocasionados pelo ruído do motor do ônibus?

3_ A temperatura excessiva a qual o motorista encontra -se exposto na sua


jornada de trabalho tem efeitos a sua saúde?

4_quais fatores são atribuídos á saúde do motorista pela oscilação de


iluminação que fazem em suas rotas de viagem?

5_Quais os principais problemas ergonômicos sofrido pelos motoristas de


ônibus por questões motoras e mecânicas?

6_De que forma o transito contribui para o cansaço físico e mental do


motorista?

7_quais os fatores que levam os motoristas de ônibus coletivo ao


absenteísmo?

8_ Como os motoristas se relacionam com as suas atividades laborais?

9_ as empresas dão treinamentos com palestras educativas sobre a saúde do


trabalhador Conforme as exigidas na NR 09 e NR 05?

c
c

OBJETIVO

ã  Fazer um estudos acerca do tema, no que tange às condições de


trabalho vivenciada pelos Motoristas de Ônibus do Transporte Coletivo de
Belém e identificar no contexto de Segurança do Trabalho os principais fatores
que colocam suas atividades sob condições anormais e precárias.

 
Contribuir para o reconhecimento dessa Categoria Profissional,
e também, para a conscientização de ações de Segurança e Saúde destes
profissionais, para que se possa conciliar produtividade e bem -estar no
trabalho.

c
c

SUPORTE TEORICO

o motorista deve manter a atenção constante, precisão na realização


das ações, autocontrole, direção defensiva, análise e interpretação das
informações fornecidas pelos equipamentos do veículo. Os sistemas auditivo e,
visual, a percepção, a coordenação de movimentos e o raciocínio rápido para
manipular os mecanismos e equipamentos do veículo, como estacionar,
avançar e desviar, são solicitações que devem ser percebidas, analisadas e
respondidas em fração de segundos. O trânsito destaca -se como grave
dificuldade apresentada pelos motoristas quanto às condições de trabalho.
Com o desenvolvimento urbano e aumento da frota de veículos, constata -se
um aumento significativo na ocorrência de acidentes e na mortalidade
decorrente destes. Calcula-se que ao ano ocorrem cerca de 700.000 mortes
em conseqüência dos acidentes de trânsito e mais de quinze milhões de
feridos em todo o mundo (HOFFMANN,1996).

Os impactos oriundos das condições de trabalho refletem -se nos


operadores, na empresa e na sociedade. Ressalta -se que não podemos
estabelecer uma relação de causalidade direta entre estas condições e o
aparecimento de distúrbios, pois uma serie de componentes sociopsico -
biológicos interferem neste process(Ramos 1991).

Entre os principais impactos organizacionais das condições de


trabalho penosas, destacam-se o aumento do absenteísmo, da rotatividade e
dos conflitos. Segundo Dejours (1988), pode acontecer que um trabalhador,
isoladamente, não consiga manter os ritmos de trabalho ou manter seu
equilíbrio mental.

A atividade mental, que para a Ergonomia tem significado especial,


engloba alguns aspectos que devem ser atendidos pelo motorista ou qualquer
outro profissional que, em sua situação laboral, exija uma demanda ment al
considerável. GRANDJEAN(1998) descreve, como características que definem
a atividade mental a recepção de informações, a memória e a vigilância.

c
c

Os problemas relatados, relacionados à dor nos últimos 12 meses,


foram 7,95 no pescoço, 8% nos ombros, 1,6% nos cotovelos, 1,6% nas costas
na parte superior, 4,8% nas costas na parte inferior, 34,9% na coluna, 1,6 nos
quadris/coxas e 4,8 nos joelho, enquanto aqueles que impediram a realização
normal do trabalho, nos últimos 12 meses, foram -1,6% no pescoço e 9,5% na
coluna, tendo como queixa de dor ao final da jornada, 60% no pescoço, 60%
nos ombros, 100% nas costas, 72,7% coluna e 66,7% nos joelhos. Segundo os
motoristas, as dores relatadas podem ser devido às dimensões e aos esforços
realizados.

A presença de fontes de tensão no posto de trabalho, como excesso


de temperatura, ruído e vibração representa condição desfavorável de trabalho.
Estes fatores causam desconforto, aumentam o risco de acidentes e podem
provocar danos consideráveis à saúde (IIDA,1990).

Os efeitos do calor e do frio são complexos de serem avaliados, em


virtude da multiplicidade de fatores ambientais e individuais, que influem na
sensação térmica, pois, além da temperatura do ar a que está exposto o
trabalhador, outras variáveis intervêm no ganho e na perda de calor pelo
organismo, a saber, umidade do ar, velocidade do ar, calor radiante e tipo de
atividade exercida pelo indivíduo( VIEIRA e PEREIRA JÚNIOR, 1997).

O ruído está presente em qualquer ambiente; algumas vezes em


níveis agradáveis ao ouvido humano. Entretanto, em níveis elevados, o ruído
pode causar desconforto, irritabilidade e, em alguns casos, sérios danos ao
aparelho auditivo, podendo levar à perda de audição. O ruído ocasiona
distúrbios emocionais, tais como irritação e dificuldades de concentração, dores
de cabeça, aumento de pressão arterial, problemas digestivos e
cardiovasculares, decorrentes do stress e, até mesmo, a perda auditiva.

Para uma jornada de trabalho de 8 horas diárias, a exposição


máxima permitida é de 85 dB (A), conforme a Norma Regulamentadora do
Ministério do Trabalho e Emprego NR -15 anexo 1 ( SEGURANÇA E MEDICINA
DO TRABALHO ± Manuais de Legislação Atlas, 1998).

A exposição aos níveis de ruído superiores a 85 dB (A), de acordo


com o item 1 do anexo 1 da NR-15, não é permitida sem proteção auricular

c
c

adequada; entretanto, o código nacional de transito não permite o uso desta


proteção. Neste caso, o motorista exposto a este nível de ruído durante, 8
horas, teria que ter a exposição a níveis abaixo de 85 dB (A).

No relatório dos exames áudio métricos, encontrou-se 19% dos


motoristas com perda auditiva não ocupacional, mas nenhum caso de perda
auditiva ocupacional.

No relatório médico dos motoristas, foram relacionados 19%


obesos, 36% com sobrepeso, 10% hipertensos, e 3% diabéticos.

O tempo de habilitação dos motoristas variou de 6 a 30 anos, sendo


que 90% são motoristas há mais de 10 anos. Já o tempo na empresa variou de
2 a 21 anos, sendo que 17% estão na empresa há mais de 10 anos.

Os exerceram outra atividade na empresa são 6,3% e os que


trabalham na função, em outra empresa, função são 98,4%.

A faixa etária dos motoristas variou de 25 a 52 anos, sendo que 40%


estão na faixa etária de 30 a 40 anos, 9% abaixo de 30 anos, e 51% acima de
40 anos.

Entre os entrevistados, 57,1% afirmaram fazer uso de bebidas


alcoólicas, enquanto 20,6% são fumantes.

Para CARVALHO (1984), a ergonomia propõe preservar o homem


da fadiga, do desgaste físico e mental, colocando -o apto ao trabalho produtivo.

c
c

METODOLOGIA

Foi feito um estudo durante período compreendido entre 16/01/2011


a 20/01/2011, sendo compostos de um grupo de 16 Motoristas pertencentes a
uma empresas de Tranporte de passageiro da cidade de Belem/Pa, sendo
necessário Ônibus da marca Mercedes Bens, modelo 1418. E, com o ano de
fabricação variando de 2005 a 2010 onde foi desenvolvido uma processo de
pesquisa , onde incluiu -se analise documental, observações e entrevistas semi-
estruturadas com os participantes e, após a transcr ição, através da análise de
conteúdo, procedeu-se a sistematização do corpus.

Utilizou-se como referencial teórico -metodológico a Psicodin âmica


do trabalho e a Ergonomia, a fim de identificar os principais fatores de Riscos
Ambiental da função de Motoristas de Ônibus do Transporte Coletivo de
Belém, bem como, da condições e do apoio da empresa para as atividades
desenvolvidas pelos profissionais.

A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista individual,


avaliando se as condições de trabalho, saúde, treinamento, higiene e
segurança no trabalho.

Todos os dados técnicos da função dos profissionais foram obtidas


por intermédio de questionamentos realizados durante o levantamento do perfil
dos motoristas e de informações junto a um profissional do sindicato dos
mesmos.