Anda di halaman 1dari 3

Passando um final de semana em Vila Velha

No final de semana passado fui a um lugar muito especial, um lugar que tinha
prometido conhecer a fundo desde muito tempo atrás quando vim aqui morar.
Na minha adolescência eram as praias de Vila Velha que eu freqüentava, e
sempre prometia que aqui iria morar, mas por essas razões que
desconhecemos, acabamos olhando toda essa beleza com “cara de paisagem“
e não com um olhar de turista, que por tudo se encanta e admira, mas esse fim
de semana foi especial, foi delicioso conhecer um pouco mais da História,
cultura e lazer de Vila Velha.
São esses os ingredientes que se misturam no cenário e na paisagem da maior
e mais antiga cidade do Espírito Santo: Vila Velha. E quem deseja passar um
final de semana com muitos passeios tem opção de sobra. O município que foi
fundado pelo português Vasco Fernandes Coutinho, em 1535, oferece uma
lista de pontos turísticos que encantam qualquer visitante com suas belezas
naturais.
Comecei pelo Convento da Penha que é um dos mais famosos cartões
postais do Estado e do seu alto é possível avistar Vila Velha, Vitória e alguns
municípios vizinhos. O local fica a 154m de altitude e reúne fiéis de todos os
lugares, principalmente no mês de abril, quando se comemora a Festa da
Penha.
Um dos santuários mais antigos do Brasil, fundado em 1558, pelo Frei
Pedro Palácios, o Convento também guarda preciosidades em seu interior. O
Museu de Nossa Senhora da Penha coloca em exposição peças sacras, de
vestimentas, de liturgia, dentre outras. O local também abriga a pintura feita a
óleo Nossa Senhora das Alegrias considerada a mais antiga das Américas.
Para chegar ao patrimônio histórico e religioso, existe um percurso que pode
ser feito a pé ou de carro para quem preferir.
Do convento ao Farol de Santa Luzia, localizado na Praia da
Costa, foi construído em 1870 na Escócia pelo Barão de Cotegipe e
inaugurado em 1871 por Dom Pedro II. O farol que mede 12 metros de altura e
sua luz atinge 15 milhas marítimas funciona até hoje para auxiliar a navegação
aos Portos de Vitória, Capuaba, Vila Velha e Tubarão. Devido a sua
localização, o local exibe uma bela vista que através de um convênio entre a
Capitania dos Portos e da Secretaria de Desenvolvimento, tornou-se aberto
para visitação com orientação de funcionários.
Vamos agora pegar um trem. Para guardar a história da cidade a
antiga sede da estação ferroviária Pedro Nolasco foi transformada em museu.
A ferrovia construída em 1927 seguiu o estilo neoclássico e art nouveau. No
acervo localizado no bairro de Argolas, é possível encontrar recordações que
montaram um passado: materiais, objetos e muitas fotografias. Uma das
grandes atrações é a maquete de 34 metros quadrados que simula a estrada
de ferro. Nela, um trenzinho circula sobre o caminho que seria de Minas Gerais
até o porto de Vitória, em um percurso de 101 metros de trilhos, essa maquete
encanta crianças e principalmente os adultos.
Para quem gosta de praticar esportes, ou mesmo uma caminhada mais
radical, o Morro do Moreno é o local ideal para saltos de parapente, asadelta e
escalada. Com uma altitude de 184 metros é possível ter uma visão de 360º da
cidade de Vila Velha, Vitória e do mar azul. O morro que possui 473.600,00
metros quadrados serviu no século passado como sinalização para a entrada
de navios na Baía de Vitória.
Um passeio ambiental diferente é o Parque da Mantegueira criado em
1993, localizado no bairro da Glória. Com três trilhas ecológicas sinalizadas, o
parque de 140 hectares abrange ecossistemas de manguezal e Mata Atlântica.
Uma das trilhas leva até a Pedra do Urubu, que fica a 80 metros de altitude
sendo possível observar a Baía de Vitória, o morro Mestre Álvaro e até a Barra
do Jucu.
O Viveiro Municipal no parque produz 150 mil mudas por ano e distribui
para os visitantes interessados. O objetivo é desenvolver a arborização pública
com mudas que podem ser plantadas com facilidade já que não desenvolvem
raízes muito grandes, passeio muito bacana pra quem precisa recarregar as
baterias após uma semana de muito trabalho.
O Sítio Histórico da Prainha é um dos locais do município de Vila
Velha que reúne pontos de histórias da região. No lugar pode ser encontrado o
Museu Homero Massena – que guarda obras do capixaba que foi o fundador,
professor e o primeiro diretor do Centro de Artes da UFES, o Forte Piratininga e
a Igreja Nossa Senhora do Rosário – a mais antiga do Estado e a quarta mais
antiga do país construída, em 1551. Além disso, no local também pode ser
visitada a Praça da Bandeira, a Escola de Aprendizes Marinheiros, o 38º
Batalhão de Infantaria e o Museu Etnográfico – mais conhecido como Casa da
Memória e que conserva documentos sobre a colonização do município, é
quase impossível ir na Prainha e não perceber o seu clima bucólico, uma
agradável sensação de estarmos respirando ar puro no meio de uma grande
cidade.
Um fantástico passeio é a fábrica de chocolates Garoto,
principalmente agora com a nova pintura da fabrica, num tom de amarelo
original das antigas caixas de bombons. Os interessados poderão ver como os
chocolates são produzidos e embalados, além da degustação ser liberada. Nas
visitas que são agendadas possui regras como, por exemplo, usar calça
comprida e sapatos fechados (sem salto). Também não são permitidas fotos e
filmagens por questão de segurança.
Quem preferir as compras, o Pólo da Glória, que tem 800 lojas é
uma opção. No espaço dividido por ruas e galerias é possível encontrar
roupas, malhas, bijouterias, acessórios e tudo o que estiver na moda, muita
coisa legal com um excelente custo/ beneficio.
Agora vamos dar uma passadinha “pra ouvir tambor de congo lá
na Barra de Jucu”. A antiga vila de pescadores oferece reservas ecológicas,
rios, montanhas, lagoa e um mar tão azul que se mistura com o céu. O local
famoso pelas praias com a da Barrinha, da Concha, do Coral do Meio, do
Barrão e D’Ulé, também são muito visitadas pelos surfistas e fica localizado a
15 quilômetros do centro da cidade. No balneário é possível visitar a Reserva
Ecológica de Jacarenema uma área de preservação da Mata Atlântica.
Para chegar à reserva, os visitantes atravessam a Ponte da Madalena e
tem o seu nome em homenagem as tradicionais bandas da região: Banda de
Congo. As bandas do município fazem as marcações rítmicas com os tambores
e reco reco – tradição dos negros e índios –, além de serem fundamentais nas
festas de comemorações em homenagem a São Benedito. Apesar da
tranquilidade, no local acontecem campeonatos locais e nacionais de surf,
canoagem, dentre outros.
A cidade de Vila Velha também possui uma grande variedade de praias.
Com um litoral de 32 quilômetros, no município pode ser visitada a Praia da
Costa, Praia de Itapoã, Praia de Itaparica, Praia da Ponta da Fruta, dentre
outras. Nos locais é possível encontrar, bares, restaurantes, calçadão e
ciclovia.
Quem quer conhecer novos lugares encontra opções para todos os
gostos. Seja para conhecer a história, curtir um passeio com a família, praticar
esportes radicais ou descansar, é possível visitar vários destinos e pontos
turísticos que a cidade oferece, curtindo um final de semana perfeito em Vila
Velha, assim como foi o meu final de semana, que prometo repetir outras
vezes.

Márcio Gomes
Conselho de Turismo da ASEVILA - Associação do Empresários de Vila Velha
30/07/2009
www.marciogomes.com.br

Minat Terkait