Anda di halaman 1dari 3

As Crises de Jeremias

O serviço do Senhor é bastante duro; não é um papel indicado para qualquer pessoa. Pelo
relato bíblico, parece que as pessoas que são mais usadas por Deus como instrumentos
na obra dele passam por grandes aflições. Não é de admirar então que Paulo exortasse Timót
o para que se fortalecesse a fim de passar por tribulações: "Portanto, não se envergon
he de testemunhar do Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro dele, mas suporte c
omigo os meus sofrimentos pelo evangelho, segundo o poder de Deus ... Suporte co
migo os meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo ... suporte os sofrimentos
..." (2 Timóteo 1:8; 2:3; 4:5). A palavra de Deus desmente as doutrinas de ''parar
de sofrer'' que são promulgadas por determinadas igrejas de nossa época. A realidad
e das duras provações na vida cristã assusta vários discípulos que ficam abalados ao ponto
de deixar de trabalhar para o Senhor. Será que nós também engolimos o mito de que a v
ida cristã deve ser livre de angústia?
A vida de Jeremias nos dá bastante auxílio para encarar bem os sofrimentos do servo
do Senhor. Note as seguintes etapas da carreira dele:
O chamamento
Quando Deus chamou Jeremias para ser profeta (1:5), ele não queria aceitar: "Ah, S
oberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem" (1:6). O Senhor resp
ondeu que ele lhe daria as palavras e que ele determinaria a programação (1:7). Também
ele se comprometeu a estar com Jeremias: "Não tenha medo deles, pois eu estou com
você para protegê-lo" (1:8). O Senhor também concedeu a Jeremias os recursos dos quai
s ele precisaria para resistir aos ataques dos inimigos: "E hoje eu faço de você uma
cidade fortificada, uma coluna de ferro e um muro de bronze, contra toda a terr
a: contra os reis de Judá, seus oficiais, seus sacerdotes e o povo da terra. Eles
lutarão contra você, mas não o vencerão, pois eu estou com você e o protegerei" (1:18-19).
Deus já deixou Jeremias prevenido dos esforços dos oponentes, mas lhe deu plena cer
teza da presença dele para capacitá-lo a encarar todas as dificuldades.
A mensagem
Jeremias pregou ousadamente a mensagem que o Senhor lhe deu: "O meu povo cometeu
dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas
próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água" (2:13). Ele expôs a infidelidad
e e a insensatez do povo de Judá por ter abandonado a única fonte do bem e por ter c
orrido atrás dos ídolos vazios.
A primeira crise
A pregação corajosa da palavra do Senhor por Jeremias irritou muita gente que não quer
ia que seus pecados fossem expostos e condenados. A pregação da palavra de Deus rara
mente conduz à popularidade. O tom de autoridade é desgostoso para o homem rebelde.
As pessoas que ficam ressentidas com a mensagem perturbadora geralmente recorrem
a medidas ou para calar o mensageiro ou para acabar com ele. Não era diferente co
m Jeremias. O Senhor revelou para Jeremias que os homens estavam tramando para m
atá-lo. Estes homens incluíram o pessoal da própria cidade dele, Anatote (veja 11:18-2
3).
Jeremias não entendeu a razão pela qual o Senhor deixou o caminho dos ímpios prosperar
. Ele queria saber até quando a terra iria sofrer por causa da perversidade deles
que Deus estava aparentemente tolerando. Era especialmente difícil para os santos
no velho testamento porque não tinham nítida visão da vida eterna. Foi Cristo que "tro
uxe à luz a vida e a imortalidade por meio do evangelho" (2 Timóteo 1:10). Antes de
Cristo, os fiéis esperavam bênção ou castigo nesta vida. Então quando o Senhor deixava os í
pios permanecerem impunes era bastante difícil para irmãos como Jeremias entender.
A resposta do Senhor à angústia de Jeremias era bem chocante. Ao invés de simpatizar e
confortar, o Senhor repreendeu e desafiou. Respondeu de três formas: "Se você correu
com homens e eles o cansaram, como poderá competir com cavalos? Se você tropeça em te
rreno seguro, o que fará nos matagais junto ao Jordão?" (12:5). Deus estava repreend
endo Jeremias por ter ficado tão preocupado com pouca provocação. Se ele nem conseguis
se caminhar um quilômetro, vamos dizer, como é que ele iria agüentar a maratona? Nós dev
emos ter cautela para não sentir muita pena de nós mesmos, porque é bem provável que a s
ituação piore e aí faremos o quê? Deus revelou que a situação já era pior do que ele imagi
"Até mesmo os seus irmãos e a sua própria família traíram você e o perseguem aos gritos. N
confie neles, mesmo quando lhe dizem coisas boas" (12:6). Não eram apenas os compa
triotas da cidade nativa que estavam tramando contra ele, eram os próprios familia
res! Ele já passou por trechos angustiantes, mas a realidade ficou mais horrível ain
da. Será que para nós também os atuais sofrimentos têm a finalidade de nos fortalecer a
fim de suportarmos as verdadeiras angústias vindouras? Deus mostrou que os sofrime
ntos de Jeremias eram bem mais leves do que os dele mesmo: "Abandonei a minha fa
mília, deixei a minha propriedade e entreguei aquela a quem amo nas mãos dos seus in
imigos. O povo de minha propriedade tornou-se para mim como um leão na floresta ..
." (12:7-8). O que o Senhor estava passando era bem pior do que os sofrimentos d
e Jeremias, pois ele tinha que abandonar o que ele criou e tanto amou. Dificilme
nte refletimos no lado das decepções que o Senhor experimenta.
A segunda crise
Jeremias chegou ao ponto de sentir-se muito solitário por causa da rejeição quase univ
ersal que passou. "Todos me amaldiçoam", Jeremias reclamou, e afirmou que não tinha
feito nada para merecer tal horror (15:10-11). "Jamais me sentei na companhia do
s que se divertem, nunca festejei com eles. Sentei-me sozinho, porque a tua mão es
tava sobre mim e me encheste de indignação" (15:17). Foi bem duro para Jeremias ser
excluído de tudo por causa da tarefa severa que ele possuía de anunciar a palavra do
castigo. Ninguém queria se associar com ele. Por isso, Jeremias voltou-se contra
o Senhor: "Por que é permanente a minha dor, e a minha ferida é grave e incurável? Por
que te tornaste para mim como um riacho seco, cujos mananciais falham?" (15:18)
. Antes, Jeremias havia pregado que Deus era "fonte de água viva" (2:13), mas agor
a o chamou de riacho seco. Até mesmo grandes homens de Deus caem.
A resposta do Senhor à reclamação de Jeremias me surpreende. De novo, ao invés de simpat
izar com Jeremias, o Todo-poderoso o desafiou: "Se você se arrepender, eu o restau
rarei para que possa me servir; se você disser palavras de valor, e não indignas, se
rá o meu porta-voz. Deixe este povo voltar-se para você, mas não se volte para eles" (
15:19). O profeta havia fracassado e a solução era que ele se arrependesse da sua au
to-compaixão rebelde e voltasse ao Senhor. Só assim ele seria o porta-voz do Senhor.
Desde que ele já era o porta-voz do Senhor, esta promessa que ao se arrepender el
e se tornaria o porta-voz significa que estas queixas contra o Senhor já havia tir
ado dele esta função. Deus estava lhe dando uma segunda chance, mas ele não deu ouvido
s às reclamações. Ele não achou a situação insuportável para Jeremias, não. E depois ele re
as palavras do chamamento (15:20-21; veja 1:18-19), assim mostrando que as inst
ruções de que Jeremias necessitava para vencer o desafio estavam já em suas mãos.
Auto-compaixão não faz com que o Senhor dê o braço a torcer. Jeremias estava tão triste po
r causa do seu isolamento, porém no próximo capítulo (16) Deus ordenou que ele não se ca
sasse e que não fosse nem para velórios nem para festas. Estes mandamentos certament
e teriam aumentado este sentimento de solidão que Jeremias passava, mas Deus decre
tou-os mesmo assim.
Aplicação
Temos que suportar sofrimentos. O cristianismo não é para pessoas moles. Somente pes
soas com coragem e determinação resoluta terão a força necessária para prosseguir neste ca
minho. Cristo cria bons soldados não mimando-os, mas deixando-os passar por grande
s dificuldades. A preparação militar, ou até mesmo o treino esportivo, é duro. Nenhum ge
neral orienta suas tropas dando-lhes o máximo de conforto e descanso. Nenhum técnico
fortalece seus atletas sem dor e suor. Do mesmo jeito podemos nos preparar para
passar por momentos duros na vida cristã, porque o Senhor quer que fiquemos forte
s e firmes. Talvez nós já imaginamos que a vida é bem difícil, mas estas dificuldades po
dem ser designadas meramente como entrada às verdadeiras provações do futuro. Se já nos
rendermos, como é que superaremos os desafios maiores?
O projeto do Senhor não é que paremos de sofrer nesta terra, mas que as angústias fort
aleçam nossa fé ao ponto que fica "muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesm
o que refinado pelo fogo" e que resulta "em louvor, glória e honra, quando Jesus C
risto for revelado" (1 Pedro 1:7). Não importa a dureza dos momentos aqui, são leves
e momentâneos em comparação com a "glória eterna que pesa mais do que todos eles" (2 Co
ríntios 4:17). Que aprendamos com Jeremias a suportar sofrimentos sem queixa e sem
auto-compaixão!
Nota: As citações bíblicas neste artigo são da Nova Versão Internacional (NVI).
-por Gary Fisher
D110