Anda di halaman 1dari 5

c

cc 
 c c
c c cc
c

 c c
cc c

ccccccccccccccc cc 
 c c 
 c  cc c  cc


c c
c  cc cc

c
c cc c 
c  c c cc
c  c  c
cc  cccc c
c
! c cc"
c
 c # c   c c c  c 
$ c   c c c %c  
c c  c  c
  & c c& cc  c c c c
ccc

ccccccccccccc c   c    c c  '


c  c 
c  c ( c c  c c
  c  c  c c  c & c c   c  c  )c c    )c c

 cc c
 cc c c 
 *+c c( cc c c   c
 c  c    c c 

c  c   c 
 *c c   
 c (  c
 c  c c  c 
c  c c  c  c c ,-.c c  c  c  
 c c  c
 cc

cccccccccc c
 c c c c  cc c c c  c 
cc  cc
)

c c c c #
c /c '
c  c  c   c c c  c c   c c
 c c


cc  c c   
c c 
c  
c c
 c c
c
c c
c c cc cc 
cc


c c c c
c
 c  c

ccc  c c  c cc

 
 c c !   c  c   "c   c #
 "c $
 % "c &   c  c
'( "c   '"c# % c  "c# % c#') *c

+c+c ,
 "c  "c cc c

c -
c .c   /c Ao longo do desenvolvimento da doença ocorrem perdas significativas na
vida do indivíduo afetado, tais como saúde, aparência física e família. Impõe-se a necessidade
de hábitos em decorrência da doença, ingerir medicamentos, conviver com a ameaça do
aparecimentoc de doenças oportunistas e da morte em vida. Essas alterações no cotidiano
suscitam, na família e no paciente, reações de adaptação às demandas e mudam o
relacionamento com a sociedade.c

c c
'  
c cc
c cdireitos humanos  c  c
c 
c

cc

c c

c

c
c 
 cc  c c
c 
c 

c c


c   c 
c 

c  
c  c 

c

c
c 
c
c 
 c  c
 c c  c 
 c  
c 
c  c
c c c c 
c  c c

cc
c 
c c 
c
 c c 
c 
c 
c
cc c!c

c 
 c
c c

c c 
 
c c    c  cc
 c

 
 
 c c "c   c c 

c
c
#c c 

c c   c
   
c c c
c

c $c 
% c c 
 c 
 c  
c  c
&

c 
 c   c c 
 c  c 
c c   

c c  c
& cc    c
c
c

c c
 c'
c (c cc
 c c

c c
 c c

c c  c c 
c  c c   c    c 
c  c
  c  
c 

(
c
c c 
c c 

c
c &  c
c

c
 c 
c 
 c    cc 
c  &
c c c c
 c

c  
c   c  ) c c  
c c  
c
c &  c c
c
 # c
c 
c * c c c   c  
# c 
c &

c c 
c
& c c 
c 

cc  c
c  c c c   c & c 
cc

cc c
c 

c c 
cc    c
c
&   c  c '( c )c c  
c c c
c  
 c
c  c  
c 
c
c
 
 c
c
c c c c  c
 c # c 
c c
(
c
c


c c 
c
c
c+
c  c c c  
c  &

c ,cc   c 
c

c  
c 

c 
c c 

c
c c
c
c  
 c -
c

c
  cc   c 
c  c  c c
 c$c
% c
c
c c
c

c c
 
 c 
cc c
c

c
c
 c
c

 cc

 c
c 
c

c

   '0c c-


c1 /c2c c  c

cc0 cc
 c c
1cc cc


c

2 mc c 3 c


4   
 c
 c
5 6 c  c
7   c
8 c c  c 1c9c ) c  cc:/; < c
=  c 
3c & c9c  cc 3 c
> ?
 c  c c  c )c  1 c c 
c   c c


c
 cc  
c
@ ?
 c   cc


c)c  c c
 c c9c c 
cc
 
 c

A AIDS é uma doença que pode assumir diversos cursos, pois seu desenvolvimento
depende da carga viral (número de cópias virais no organismo) e da velocidade/gravidade
com que o vírus afeta o sistema imunológico do hospedeiro. Exige idas constantes ao
médico, submissão a variados exames e tratamentos prolongados, mudanças no cotidiano
familiar, dificuldades em lidar com a doença e com a rotina do tratamento, a
cc

 c  
c 
c c c 

c S÷ ÷ 
  é fundamental para
que se prossiga na luta contra a doença.
Os tratamentos são complexos e o paciente ingere muitas medicações diferentes
durante a agudização da doença e de aparecimento de doenças oportunistas, quando o
familiar pode enfrentar  
 ÷÷
    ÷÷     
 e
esperar o tempo necessário para o tratamento apresentar resultados.
# % c  c c
c  
cc
 ccc
cc  
c c
  c
c  c 
& c c 
c c   c  c  c    c 
c c mc

c  c 
c   $ c cc 
c c c
 
c A
medicação pode alterar a distribuição da gordura corporal, que passa a se acumular na região
abdominal (associada ao maior risco de síndrome metabólica e doenças cardiovasculares)
enquanto há perdas nas regiões periféricas do corpo, como braços e pernas ± u
 ÷

÷  c

# % c#') c c2c c  c

c
c

c3cc c c
  c c4  c cc

 
 c c !   c  c 
 "c   c #
 "c $
 % "c &   c  c
'( "c    '"c # % c   "c # % c #') "c '  c  c
4  *c

c-
c.c
 /c ccc

5
c c  c
  /c c-
c.c6/c cc   c'  ('0c

'  
c cc
c cdireitos humanos  c  c
c 
c

cc

c c

c

c
c 
 cc  c c
c 
c 

c c


c   c 
c 

c  
c  c 

c

c
c 
c
c 
 c  c
 c c  c 
 c  
c 
c  c
c c c c 
c  c c

cc
c 
c c 
c
 c c 
c 
c 
c
cc c!c

c 
 c
c c

c c 
 
c c    c  cc
 c

 
 
 c c "c   c c 

c
c
#c c 

c c   c
   
c c c
c

c $c 
% c c 
 c 
 c  
c  c
&

c 
 c   c c 
 c  c 
c c   

c c  c
& cc    c
c
c

c c
 c'
c (c cc
 c c

c c
 c c

c c  c c 
c  c c   c    c 
c  c
  c  
c 

(
c
c c 
c c 

c
c &  c
c

c
 c 
c 
 c    cc 
c  &
c c c c
 c

c  
c   c  ) c c  
c c  
c
c &  c c
c
 # c
c 
c * c c c   c  
# c 
c &

c c 
c
& c c 
c 

cc  c
c  c c c   c & c 
cc

cc c
c 

c c 
cc    c
c
&   c  c '( c )c c  
c c c
c  
 c
c  c  
c 
c
c
 
 c
c
c c c c  c
 c # c 
c c
(
c
c


c c 
c
c
c+
c  c c c  
c  &

c ,cc   c 
c

c 
c 

c 
c c 

c
c c
c
c  
 c -
c

c
  cc   c 
c  c  c c
 c$c
% c
c
c c
c

c c
 
 c 
cc c
c

c
c
 c
c

 cc

 c
c 
c

c
   'c c-
c1 /c2c c  cc

cc?
 c c
1cc cc


c

A mc c 3 c


2B   
 c
 c
22 6 c  c
24   c
25 c c  c 1c9c ) c  cc:/; < c
27  c 
3c & c9c  cc 3 c
28 ?
 c  c c  c )c  1 c c 
c   c c


c
 cc  
c c 
c  c
2= ?
 c   cc


c)c  c c
 c c9c c 
cc
 
 c

cccccccccccccc A AIDS é uma doença que pode assumir diversos cursos, pois seu desenvolvimento
depende da carga viral (número de cópias virais no organismo) e da velocidade/gravidade com
que o vírus afeta o sistema imunológico do hospedeiro. Exige idas constantes ao médico,
submissão a variados exames e tratamentos prolongados, mudanças no cotidiano familiar,
dificuldades em lidar com a doença e com a rotina do tratamento, a
cc
 c
 
c 
c c c 

c S÷ ÷
 é fundamental para que se prossiga
na luta contra a doença. u   ÷    
 ÷÷  ÷÷  ÷÷
÷   ÷ 
Os tratamentos são complexos e o paciente ingere muitas medicações diferentes durante
a agudização da doença e de aparecimento de doenças oportunistas, quando o familiar pode
enfrentar  
 ÷÷
    ÷÷     
 e esperar o tempo
necessário para o tratamento apresentar resultados.
c

# % c  c c


c  
cc
 ccc
cc  
c c
  c
c  c 
& c c 
c c   c  c  c    c 
c :
 c
   $ c c c  
c  c  c 
 
c A medicação pode alterar a
distribuição da gordura corporal, que passa a se acumular na região abdominalc (associada ao
maior risco de síndrome metabólica e doenças cardiovasculares) enquanto há perdas nas
regiõescperiféricas do corpo, como braços e pernas. c

# % c#') c c2c c  c

÷  ÷  ÷ ÷  Além de barreiras como a doença e o tratamento, o familiar


ainda pode enfrentar a ÷  ÷ ÷ ÷em relação ao cuidador. Durante a fase de
raiva, o paciente pode apresentar hetero e auto-agressão física e verbal. Esse sentimento de
raiva pode ser reforçado pelas perdas significativas que vão ocorrendo ao longo do
desenvolvimento da doença, comprometendo o relacionamento com a pessoa envolvida no
cuidado.


  !÷  

u  ÷"÷

1. Em que deve ser melhorado o evento?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
__________________________________________________________________

2. O que você mais gostou do evento?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
__________________________________________________________________

3. O que foi discutido tem relação com a realidade? Como assim?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
__________________________________________________________________

4. Sugestões/Críticas
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
__________________________________________________________________