Anda di halaman 1dari 2

A armadura de Deus

Em Efésios 6.14-17, vemos que a armadura espiritual do cristão era composta de seis peças: o
cinturão da verdade, a couraça da justiça, as sandálias da preparação do evangelho da paz, o
escudo da fé, o capacete da salvação e a espada do espírito.
Mas o que representam essas peças?
Quando Paulo escreveu a carta aos irmãos em Éfeso, em torno de 60 a 63 d.C, estava preso.
Refletindo acerca das batalhas espirituais pelas quais passava, inspirou-se no texto profético em
Isaías 59.16-17 e viu a armadura usada pelos soldados romanos uma ótima ilustração para a
proteção do crente espiritualmente ligado a Cristo. Paulo usou cada peça da armadura espiritual
para representar em atributo do caráter de Jesus, que deve ser achado em cada cristão para a
vitória contra o mal.
1-) O cinturão da verdade O cinturão era uma faixa larga de couro, colocada em torno da cintura,
para firmar as outras peças da armadura no corpo do soldado e para sustentar a espada. Sem
conhecer e praticar a verdade, o cristão fica desprotegido e torna-se um alvo fácil para o diabo, o
pai da mentira.
2-) A couraça da justiça A couraça é constituída de duas peças: uma frontal, que cobrirá o tórax,
outra posterior, que cobrirá as costas. Esta peça protegia os órgãos vitais do corpo. Para vencer,
o crente não pode confiar na sua própria justiça, e sim na justiça que vem de Deus pelo sacrifício
de Jesus. Essa é a couraça que blinda o coração do cristão contra o pecado e as acusações do
inimigo.
3-) As sandálias do evangelho da paz As sandálias dos soldados romanos eram feitas de couro
com cravos nas solas, para dar maior apoio aos pés na hora da batalha. Essa peça tinha a
finalidade de proteger os pés dos soldados, onde quer que ele fosse (hoje usamos botas). O
evangelho, que funciona como uma proteção para o crente ao longo de toda sua caminhada cristã
e ajuda-o a avançar em sua missão de anunciar as boas novas de salvação em Cristo. Somos
embaixadores de Cristo e ministros do evangelho, devemos anunciar e promover a paz.
4-) O escudo da fé O escudo usado pelo exército romano tinha cerca de um metro e vinte de
altura e sessenta centímetros de largura, era feito de madeira e revestido de couro molhado para
apagar as flechas incandescentes disparadas pelos inimigos. As bordas do escudo permitiam que
os soldados encaixassem um no outro, e marchassem em linha de ataque contra os adversários.
Essa peça de defesa e de ataque representa a fé em Deus, que domina, controla e dirige todos os
aspectos da vida do crente. A fé tem capacidade de proteger o crente contra todos os "dardos
inflamados" (mentiras, blasfêmias, acusações, desejos pecaminosos, dúvidas) lançados pelo
inimigo para atingir-nos.
5) O capacete da salvação O capacete romano era uma peça de couro grosso ou de metal, usada
para proteger a cabeça do soldado dos golpes de espada e das flechas disparadas contra sua
cabeça. A salvação, uma expressão da graça divina, que só pode ser recebida mediante a fé em
Deus e em seu Cristo, atua sobre a mente do cristão como um capacete que o protege das
mentiras e das artimanhas do Diabo.
6) A espada do Espírito A espada é uma arma de defesa e de ataque. Os soldados romanos
usavam duas espadas: uma longa e outra curta, usada em combates corpo a corpo. A Palavra de
Deus é a espada do Espírito, que "é viva e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de
dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para
discernir os pensamentos e intenções do coração" (Hb 4.12). A pregação da verdade, a Palavra de
Deus, é uma arma eficaz contra o inimigo, ela produz fé para a salvação e vida, liberta, cura,
transforma. Usemos, pois, a Palavra de Deus e todas as demais armas espirituais que Deus nos
disponibilizou para resistir o inimigo e vencer as batalhas.