Anda di halaman 1dari 2

Quarta Instrução Ap∴ M∴ Ir∴ Ricardo Lopes Tortorela de Andrade

GRANDE LOJA MAÇÔNICA DO ESTADO DE MATO GROSSO


A∴ R∴ L∴ S∴ 7 DE SETEMBRO No 66 – OR∴ DE SINOP

“M∴ I∴ C∴ T∴ M∴ R∴ ”

Trabalho da Quarta Instrução


Grau Ap∴ M∴
R∴ E∴ A∴ A∴

Ir∴ Ricardo Lopes Tortorela de Andrade

Sinop - MT
03/2010
Quarta Instrução Ap∴ M∴ Ir∴ Ricardo Lopes Tortorela de Andrade

M∴ I∴ C∴ T∴ M∴ R∴

Durante a Abertura dos Trabalhos de nossas Sessões, ouvimos a pergunta


ritualística do Ven∴ Mestre ao Ir∴ 1° Vig∴ ; Sois Maçom? A resposta, também
ritualística, M∴ I∴ C∴ T∴ M∴ R∴ , possui um sentido oculto que nos conduz a uma
reflexão sobre a nossa conduta na vida profana e sobre os aspectos éticos das relações
humanas.
A resposta, que poderia simplesmente ser “SIM”, é dita de uma maneira que nos
lembra que devemos ser humildes e nos leva a reconhecer que um Iniciado na Maçonaria
não é necessariamente um maçom. Um verdadeiro maçom jamais poderá afirmar-se
como tal em seu próprio nome, na primeira pessoa.
“Ser Maçom” não é um título a ser ostentado, mas sim, a responsabilidade de ter
seus atos na vida profana associados à Maçonaria, é sentir a necessidade de trabalhar
pelo desenvolvimento coletivo, às vezes, em detrimento às próprias necessidades
pessoais, é não responder “Sim, sou maçom” e deixar que nossos IIr∴ nos reconheçam
como tal, por nossas atitudes, por nossa conduta. Ser maçom não é um status social, é
um “status moral”, adquirido com esforço diário e atitudes.
Para “ser reconhecido como tal”, o Iniciado deve tratar amavelmente a todos os
seus semelhantes, maçons ou profanos, até mesmo durante uma divergência ou
advertência, pois este é o tratamento que um ser humano deve dispensar ao outro.
Para executar as tarefas de Obreiro Social, muitas qualidades são esperadas do
Maçom, entre elas, a lealdade, a disponibilidade afetiva, a honradez, a confiabilidade, a
franqueza, a coragem, a solidariedade, entre outras. Delas, destaca-se a humildade, o
que já fica patenteado, quando se indaga de alguém, na forma de praxe, se ele é Maçom.
O iniciado deve ser humilde, avaliando corretamente suas realidades,
reconhecendo seus valores, sem fazer disso motivo para se colocar acima dos demais.
Na construção de seu Templo Interior um Maçom não utiliza máscaras ou artificialismos,
age com simplicidade e transparência. Não tenta "parecer", apenas é, sem demagogia. O
Maçom convida seus semelhantes a estar à vontade e a compartilhar suas emoções,
permitindo, também, que se discorde dela, sem se ofender ou rebaixar quem o faça.
Desprovido, de arrogância, quem tem humildade aceita seus aspectos negativos
como parte das limitações naturais do ser humano. Dá o melhor de si para superar-se,
minimizando suas insuficiências e corrigindo suas falhas. Aprende mais com seus erros
do que com os sucessos.
Todo iniciado, independente de seu grau, deve utilizar suas ferramentas de
trabalho diariamente, livrando-se da vaidade, que provoca desavenças, deve afastar-se
das conspirações em busca de benefício próprio e manter a necessidade de possuir
integridade moral acima das necessidades financeiras.
Para “Ser Reconhecido Como Tal” é preciso construir o “Seu Templo”, agindo
diariamente como maçom, o que será percebido pelos IIr∴ e pela sociedade, sem possuir
a necessidade de se auto-intitular maçom.

Referências Bibliográficas

- Ritual Grau Aprendiz-Maçom, R∴ E∴ A∴ A∴ , Grande Loja Maçônica do Estado de


Mato Grosso.
- P∴ A∴ - SER MAÇOM OU APENAS INICIADO NA MAÇONARIA, Ir∴ André Luiz Silva
Gomes, disponível em http://www.guiadomacom.com.br/index.cfm?
page=trabalhosver1&t=1373970125
- A HUMANIDADE I, Ir∴ José Cássio Simões Vieira, disponível em
http://www.solbrilhando.com.br/Sociedade/Maconaria/Artigos/A_Humildade_I.htm