Anda di halaman 1dari 2

CADA CHÃO, UMA EMOÇÃO

“Se não houver frutos, valeu a beleza das flores...


Se não houver flores, valeu a sombra das folhas...
Se não houver folhas, valeu a intenção da semente...” (Henfil)

“Plantarei o meu povo na terra que lhes dei” (Amós 9,15).

Cada planta procura seu chão. Não dá em todo lugar. É exigente. Arroz é
diferente de milho.
É bom que existam tais diferenças! Exigem nossa atenção: temos que conhecer o
chão que plantamos.
Temos de observá-lo. Cuidá-lo.
Cada chão tem uma palavra a nos dizer, uma palavra sobre a planta que melhor
dá.
E, além disso, diferenças complementam. Se tudo fosse por igual, seria monótono
alimentar-se. Seria incompleto. A variedade é que deixa gostoso o prato de
comida.
Novos frutos são exigidos. A hora nos convoca a novos produtos. Um salto é
preciso, com coragem.
Na Bíblia, tem-se alegria no novo fruto.
Mc. 4,3-9: grande parte do trabalho do lavrador se perdeu – caiu à beira do caminho, entre as pe-
dras, entre os espinhos. Mas o que vingou, deu fruto abundante: “trinta, sessenta e
cem por um”. Foi um impacto. Foi um salto quando se chegou a este “cem por um”.
Não podemos deixar por menos! A mudança terá de ser “cem por um”.
Há forças contrárias que abafam o poder de vida da semente (pássaros, terreno pedrego-
so, espinhos), mas Jesus é como o experiente lavrador: sabe que, ao semear, um pouco
se perde. Mas isso não conta diante do sucesso da colheita.
A semente do Reino vai vingar, apesar das dificuldades.
A semente, por ser a Palavra de Deus, é sempre fecunda, plena; possui em si todos os
germens de vida.
A terra, por ser o nosso coração, apresenta-se dividida, misturada, às vezes não prepa-
rada para acolher a semente.
As sementes são lançadas em todas as direções, em diferentes terrenos.
Deus não distingue as pessoas. O dom de Deus é dado gratuitamente.
Deus dá a semente do dom em qualquer circunstância de tempo, espaço...
Is. 11,1-5: “um rebento, saído das raízes, dará fruto”.
O novo vem das raízes. Vem de baixo, da base, das raízes.
Mas, “este rebento” quer dar fruto, grande, forte. É preciso acelerar a colheita deste fru-
to, deste produto.

Na semente acha-se presente uma grande força de crescimento...


A força da vida, contida na semente, envelhecerá e se extinguirá se não houver
quem confie nela, e arrisque a sua terra, seu tempo e seu trabalho.
Quando a semente é enterrada na terra, ela já conhece o seu caminho; ela
avança passo a passo, seja durante as horas em que as circunstâncias lhe são
mais favoráveis, porque é de dia e existe luz e calor em abundância, seja porque
é de noite, e o ambiente para seu crescimento já não é tão propício.
Escondida ali, debaixo da terra, envolvida pelo absoluto silêncio, a semente germina e vai crescendo.
Mesmo à margem de todo e qualquer esforço que possa ser feito pelo agricultor, “a terra por si
mesma produz fruto”, ultrapassando etapas precisas e bem definidas, que de modo algum podem ser
modificadas, apressadas ou suprimidas.
O talo, a espiga e os frutos conduzem toda a vitalidade da minúscula semente até a plenitude da colheita
A planta, quanto mais alta, mais profunda deve ser sua raiz.
Algumas plantas tem ciclo curto (duram uma estação); outras duram muitos anos e dão muito frutos.
O importante é dar frutos. Muitas vivem pouco tempo, mas o suficiente para produzir frutos.
Vivem intensamente o tempo que lhes cabe.
Na oração: - Você se parece com uma semente guardada no depósito, que não se relaciona?
- Você se parece com uma terra ácida e estéril que não permite que nada germine?
“Trabalha na linha do teu talento; tu terás possibilidades, então de trabalhar na linha de
Deus”.