Anda di halaman 1dari 2

A MORTE DE JESUS NA CRUZ E A AGORNIA DA CRIAÇÃO

Indicações para a oração


Na contemplação da morte de Jesus considero esse
Amor Absoluto que não resistiu penetrar na beleza da matéria finita e que agora
morre na Cruz.
Diante da Árvore da Cruz, sinto-me aniquilado pela agonia que a Trindade
suporta silenciosamente enquanto destruímos bosques e poluímos rios e mares
junto com a imensa quantidade de comunidades de criaturas que há neles.
1. Oferecimento de mim mesmo
Rogo às Três Pessoas Divinas a graça para que durante esta oração, todas as
minhas intenções, ações, operações e sentimentos se dirijam unicamente a seu
serviço e louvor.
2. Preâmbulo ao mistério
A morte de Jesus na Cruz.
Estamos destruindo cerca de 100 espécies de plantas e animais por dia e
calcula-se que nos próximos 15 anos cerca de 700 mil espécies ficarão
extintas. Milhões de anos de história da evolução estão sendo apagados da
face da terra, ao mesmo tempo que as áreas desérticas do mundo crescem
rapidamente.
3. Disposição de todo o meu ser para o mistério
Leio Mc. 15,33-41
Com a imaginação, permaneço junto à Cruz, cheio de aflição e amor por tudo
aquilo que Ele está suportando por mim e por todas as criaturas. Vejo como
esta Vida pura, inocente, está se desfazendo na Cruz, diante de mim. Esta
Vida que assumiu a matéria para poder estar entre suas amadas criaturas.
Estou sobressaltado diante deste mistério: Ele escolhe livremente dar sua vida
por mim hoje.
4. O desejo de meu coração
Peço alcançar a graça de sentir profundamente o sofrimento do Corpo de
Cristo, que continua nas comunidades de vida marginalizadas e exploradas,
que gemem de sofrimento.
Peço sentir tristeza e aflição, dor interior e lágrimas com Cristo enquanto Ele
experimenta o mal trato imposto à sua amada Terra, e como eu ainda ignoro
sua preocupação pessoal e sua vinculação física com a comunidade universal
de vida.
5. Pontos de reflexão e consideração
Primeiro ponto: Experimento a escuridão do Gólgota, que começa ao meio dia e continua durante três horas
Segundo ponto: Ouço o que dizem.
Terceiro ponto: Olho o que fazem.
Quarto ponto: Considero o que Jesus sofre em sua humanidade.
Quinto ponto: Penso como a divindade de Jesus se esconde em lugar de vencer seus inimigos.
Sexto ponto: Penso em que Jesus faz tudo isto por meus pecados e os pecados de minha comunidade.
Na oração: Estou assombrado diante da revelação das Três Pessoas Divinas no Gólgota, humilhando-se pa-
ra dar à luz um cosmos de espaço, tempo e matéria.
Penso com espanto na Trindade humilhando-se ao dar completa liberdade ao seu amado
cosmos, em vez de impor um controle total.
Maravilho-me diante de Seu amor, demonstrado em sua própria doação e expresso através de
toda a evolução ao fazer com que as criaturas fossem adquirindo cada vez maior liberdade,
culminando na liberdade humana, capaz de dirigir toda mudança futura.
Ao pé da Cruz, comovo-me no mais profundo de meu ser diante do poder de Deus, muito mais
efetivo através da doação que através do uso da força.
Dou graças a Jesus na Cruz por ter-me revelado agora que todas as lutas do cosmos durante
todas as eras foram experimentadas pela Trindade bondosa. Reflito com espanto que a
verdadeira história da vida de Deus inclui toda a agonia da evolução: extinções em massa de
espécies, a necessidade cruel da cadeia de alimentação, parasitas, epidemias, bosques arrasados,
guerras, crianças famintas, o horror da avareza e a indiferença da humanidade...
6. Colóquio
Falo com Jesus, meu amigo e irmão, e permaneço presente com Ele, junto à
sua Cruz.
Termino com a oração que Jesus nos ensinou.