Anda di halaman 1dari 23

1

1 UCS Universidade de Caxias do Sul Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia

UCS

Universidade de Caxias do Sul

Centro de Ciências Exatas e Tecnologia

Departamento de Engenharia Mecânica

Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica Programação CNC Utilizando o Comando Mitsubishi Meldas-M3

Programação CNC Utilizando o Comando Mitsubishi Meldas-M3

Programação CNC Utilizando o Comando Mitsubishi Meldas-M3 Gerson Luiz Nicola Eng. Mec. Prof. Carlos Alberto Costa

Gerson Luiz Nicola

Eng. Mec.

Prof. Carlos Alberto Costa

Agosto de 2000

2

Programação:

Nome do programa: O O nome do programa deve levar a letra "O", seguida do número de identificação do programa, com até 4 algarismos. Transmissão: Para realizar a transmissão através de cabo do computador para a máquina CNC deve-se adicionar uma linha no início e no final do programa com uma porcentagem %.

Ex.:

%

O1234

G90 G40 G80 G21

:

:

M05

M30

%

Comandos de Referência:

G90 - Sistema de coordenadas absolutas (modal) Quando se usa coordenadas absolutas, todos os movimentos são realizados com relação ao ponto de referência programado (zero-peça).

G91 - Sistema de coordenadas incremental (modal) Usando-se coordenadas incrementais, todos os movimentos são realizados com relação ao último ponto programado (posição relativa). Portanto o comando especifica a distância a ser percorrida.

Exemplo:

o comando especifica a distância a ser percorrida. Exemplo: Coord. Absolutas N1 G90 G00 X0 Y0;

Coord. Absolutas

N1 G90 G00 X0 Y0; N2 G01 X200. Y50. F100; N3 X100. Y100.;

Coord. Incrementais

N1 G90 G00 X0 Y0; N2 G91 G01 X200. Y50. F100.; N3 X-100. Y50.;

Obs.: Chama-se modal aquele comando que passa a atuar em todos os blocos subsequentes até que algum outro comando o desabilite.

Sistema de Medidas:

G20 - Sistema em polegadas (modal) Este comando especifica a entrada de dados em polegadas. G21 - Sistema em milímetros (modal)

3

Este comando especifica a entrada de dados em milímetros (sistema métrico). Obs.: Deve-se utilizar sempre o ponto decimal para os valores de coordenadas, mesmo para números inteiros.

Ex.: Para deslocarmos a ferramenta 4 mm no eixo X:

G01 X4.; ou G01 X4000; (o comando interpreta este número como 4.000 mm)

Comandos de Posicionamento:

G00- Interpolação linear em avanço rápido (modal) Quando este comando é utilizado, a ferramenta é posicionada no ponto programado nas coordenadas X, Y, e Z com avanço rápido (máximo avanço da máquina).

G00 X_ Y_ Z_;

Exemplo:

G90 G00 X150. Y0 Z100.;

da máquina). G00 X_ Y_ Z_; Exemplo: G90 G00 X150. Y0 Z100.; G01 - Interpolação linear

G01- Interpolação linear em avanço programado (modal) O avanço programado é comandado pelo código F, definindo o avanço de corte desejado. Obs.: O avanço F é modal

G01 X_ Y_ Z_ F_;

Exemplo:

G90 G00 X20. Y20.; G01 X40. Y50. F200;

X70.;

X50. Y20.;

X20.;

X_ Y_ Z_ F_; Exemplo: G90 G00 X20. Y20.; G01 X40. Y50. F200; X70.; X50. Y20.;

Comandos de Interpolação Circular:

4

G02- Utilizado para movimentar a ferramenta em trajetória circular no sentido horário (modal).

G03- Utilizado para movimentar a ferramenta em trajetória circular no sentido anti-horário (modal).

a) G02 X_ Y_ R_ F_;

ou

G03 X_ Y_ R_ F_;

Onde: X, Y = ponto de chegada

R

= raio do arco

F

= avanço

Obs.: Se R for positivo, a ferramenta percorrerá o menor caminho e se R for negativo, a ferramenta percorrerá o maior caminho.

Exemplo:

arco 1:

G02 X100. Y50. R75. F100; arco 2:

G02 X100. Y50. R-75. F100;

G02 X100. Y50. R75. F100; arco 2: G02 X100. Y50. R-75. F100; b) G02 X_ Y_

b) G02 X_ Y_ I_ J_ F_; ou G03 X_ Y_ I_ J_ F_;

Onde: X, Y = coordenadas do ponto de chegada

I, J = coordenadas do centro do arco relativo ao início.

Exemplo:

Fig. 1- arco de círculo

G01 X10. Y15.; G17 G02 X20. Y25. I10. J0;

I=X': distância até o centro (eixo X) J=Y': distância até o centro (eixo Y)

centro (eixo X) J=Y': distância até o centro (eixo Y) Fig. 2- círculo completo G01 X30.

Fig. 2- círculo completo

G01 X30. Y10.; G17 G02 X30. Y10. I0 J15.;

distância até o centro (eixo Y) Fig. 2- círculo completo G01 X30. Y10.; G17 G02 X30.

Interpolaç

5

ão Helicoidal:

G02 X_ Y_ Z_ I_ J_ P_; ou G03 X_ Y_ Z_ I_ J_ P_;

Onde:

X, Y, Z = ponto de chegada I, J = coordenadas do centro do arco relativo ao início. P= número de passos da hélice (voltas). Para um passo incompleto, usa-se P0 ou ignora-se.

Exemplo:

G01 X30. Y20. Z30.; G03 X30. Y20. Z0 I-5. J0 P4;

Exemplo: G01 X30. Y20. Z30.; G03 X30. Y20. Z0 I-5. J0 P4; Sistema de Coordenadas: (modal)

Sistema de Coordenadas: (modal)

Este comando estabelece o ponto zero da peça.

G54 até G59

Desabilitado por G52, G53 ou outro G5

Obs.: Quando não especificado, o comando assume como default o G54. Quando utiliza-se um G5_ diferente do G54, deve-se, a cada troca de ferramenta com parada de máquina, inserir novamente o G5_ no bloco inicial.

Exemplo:

máquina, inserir novamente o G5_ no bloco inicial. Exemplo: Planos de Trabalho : Este comando especifica

Planos de Trabalho:

Este comando especifica o plano em que a ferramenta executa a interpolação circular e a compensação de corte.

G17 - plano XY G18 - plano XZ G19 - plano YZ

6

6 Exemplo: Modos de checagem de Parada Exata : (modais) G61 - Controla os eixos para

Exemplo:

6 Exemplo: Modos de checagem de Parada Exata : (modais) G61 - Controla os eixos para

Modos de checagem de Parada Exata: (modais)

6 Exemplo: Modos de checagem de Parada Exata : (modais) G61 - Controla os eixos para

G61- Controla os eixos para que a máquina pare exatamente no ponto desejado. É desabilitado por G62, G63, G64.

Exemplo:

ponto desejado. É desabilitado por G62, G63, G64. Exemplo: G61.1 -Modo de controle de alta precisão.

G61.1 -Modo de controle de alta precisão. Controla a aceleração e a desaceleração dos eixos para que o posicionamento seja preciso e não haja parada nos eixos. Indicado em usinagem de superfícies com passes muito finos. Desabilitado por G62, G63, G64.

Exemplo:

passes muito finos. Desabilitado por G62, G63, G64. Exemplo: Modo de Controle de Cantos : (modal)

Modo de Controle de Cantos: (modal)

G62 - Controla a precisão do ângulo entre duas linhas ou arcos e melhora o canto "vivo". Desabilitado por G61, G61.1, G63, G64.

7

Exemplo:

7 Exemplo: Modo de Rosqueamento : (modais) G63 - Cria o ambiente para se executar o

Modo de Rosqueamento: (modais)

G63 - Cria o ambiente para se executar o rosqueamento. Desativa os controles de cantos, o comando bloco a bloco e o feed-hold. Desabilitado por G61, G61.1, G62, G64.

G64 - Desabilita G61, G61.1, G62 e G63.

Tempo de espera: (não modal)

Quando este comando é ativado, a execusão do bloco seguinte é atrasada por um determinado período de tempo.

G04 P_;

ou

G04 X_;

Obs.:

Deve ser usado juntamente com o comando G94. G94 = avanço na escala mm/min G95 = avanço na escala rot/min

Exemplo: G94 G04 P_;

X

: 0.001 - 99999.999 (seg.)

P

: 1 - 99999999 (x 0.001 seg.)

Compensação do comprimento da Ferramenta: (modal)

Este comando é utilizado para realizar a compensação no comprimento da ferramenta.

G43 - Correção positiva no comprimento da ferramenta (Z+) G44 - Correção negativa no comprimento da ferramenta (Z-) G49 - Desabilita G43 e G44

Exemplo:

T02 M06; G54 G90; G43 G00 X0 Y0 Z5. H02 M03 S1000;

8

Obs.: O valor de H02 é obtido através do "preset" da ferramenta sobre a mesa ou bloco e inserido no comando na tela "Tool Offset". O número do corretor deve preferencialmente corresponder ao número da ferramenta (ex.: T03, corretor H03).

ao número da ferramenta (ex.: T03, corretor H03). Compensação do raio da Ferramenta : Utiliza-se este

Compensação do raio da Ferramenta:

Utiliza-se este comando para realizar a compensação do raio da ferramenta em relação a trajetória programada.

G41 - Esquerda (a ferramenta se desloca à esquerda do caminho programado) G42 - Direita (a ferramenta se desloca à direita do caminho programado) G40 - Desabilita os comandos de compensação G41 e G42

Exemplo: para ferramenta T01 e plano de trabalho G17.

G41 G01 X_ Y_ D1;

ou

G42 G01 X_ Y_ D1;

onde: D1= valor do raio da ferramenta inserido pelo operador na tabela de corretores de ferramentas

"Tool Offset", referente a ferramenta número 1.

Observações importantes:

Para iniciar uma usinagem com compensação, deve-se sempre executar um movimento de

aproximação da ferramenta fora da peça, de modo que a ferramenta chegue ao ponto inicial da usinagem já

com a compensação. Para finalizar a usinagem com compensação, deve-se adicionar um comando que

afaste a ferramenta da peça e só depois desabilitar a compensação.

Para utilizar compensação nos planos XZ (G18) e YZ (G19), usa-se uma ferramenta com ponta

esférica, de modo que na interpolação circular a ferramenta faz uma trajetória tangente ao caminho

programado. Neste caso o comprimento da ferramenta (H_), deve ser considerado em relação ao centro do

raio da ponta, ou seja, o valor do raio deve ser descontado do comprimento total da ferramenta.

relação ao centro do raio da ponta, ou seja, o valor do raio deve ser descontado

9

G41 Y G17 G42 X G42 Z G18 G41 X G41 Z G19 G42 Y
G41
Y
G17
G42
X
G42
Z
G18
G41
X
G41
Z
G19
G42
Y

Compensação de Movimento: (não modal)

Utilizando-se estes comandos, a distância de movimento nos eixos especificados no mesmo bloco

previamente programado na tela de corretores de

podem ser extendidos ou reduzidos de um valor D ferramentas "offset". G45 - extende o movimento G46 - reduz o movimento

,

Exemplo:

D01= 10.00 mm (valor do raio da ferramenta)

N100 G91 G46 G00 X40. Y40. D01; N101 G45 G01 X100. F200; N102 G45 G03 X10. Y10. J10.; N103 G45 G01 Y40.;

da ferramenta) N100 G91 G46 G00 X40. Y40. D01; N101 G45 G01 X100. F200; N102 G45

10

G47 e G48 - Semelhante a G45 e G46, somente com a diferença que realizam o dobro da compensação.

G47 - Extende o movimento 2 X G48 - Reduz o movimento 2 X

Exemplo:

D01= 10.00 mm

N100 G46 G02 X-20. Y20. J20.; N101 G45 G01 Y0; N102 G47 X-30.; N103 Y-30.; N104 G48 X-30.; N105 Y30.; N106 G45 X-30.;

N103 Y-30.; N104 G48 X-30.; N105 Y30.; N106 G45 X-30.; Funções “M” (Miscelâneas): M00 - Parada

Funções “M” (Miscelâneas):

M00 - Parada programada

M01 - Parada opcional

M02 - Fim de programa

M03 - Fuso horário

M04 - Fuso anti-horário

M05 - Parada do fuso

M06 - Troca automática de ferramenta

M08 - Liga refrigerante

M09 - Desliga refrigerante

M19 - Posiciona fuso para troca

M30 - Fim de programa e posiciona novamente no início

M98 - Chamada de sub-programa (sub-rotina)

M99 - Retorno ao programa principal

11

Velocidade do Fuso: (RPM)

Ex.: G01 X100. Y80. S1000 M03;

Troca de Ferramenta:

Indica o número da ferramenta. Para a troca automática, o número da ferramenta seguido de M06.

Ex.: T02 M06;

Ciclos de Furação:

Tabela com endereços e significado

deve vir

Endereço

Significado

G

seleciona o ciclo de seqüência

X

fixa a posição do fuso no eixo X

Y

fixa a posição do fuso no eixo Y

Z

fixa a profundidade do furo

P

fixa o tempo de parada no final do furo (fundo)

Q

fixa o passo de aprofundamento (G73 ou G83)

R

fixa a posição R (altura de segurança)

F

fixa o avanço de usinagem

L

fixa o número de repetições de determinado ciclo

Furação Simples:

G81 X_ Y_ Z_ R_ F_;

Obs.: O comando G81 deve ser usado conjuntamente com G98 ou G99. G98 -após executado o furo, a ferramenta retorna à posição inicial. G99 -após executado o furo, a ferramenta retorna à posição do ponto R.

Exemplo:

Operações:

1- posiciona em avanço rápido 2- avança até o ponto R em avanço rápido 3- executa a furação 4- retorna (*) (*) G98 ou G99

G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1; G01 Zz1 Ff1; G98 G00 Z-(z1+r1)ou G99 G00 Z-z1;

3- executa a furação 4- retorna (*) (*) G98 ou G99 G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1;

12

Furação com Faceamento:

Neste ciclo de furação a ferramenta após executar o furo, permanece um determinado tempo na posição final do mesmo antes de retornar à posição inicial.

G82 X_ Y_ Z_ R_ F_ P_;

Exemplo:

Operações:

1- posiciona em avanço rápido

2- avança até o ponto R em avanço rápido 3- executa a furação 4- tempo de espera

5- retorna a posição inicial

G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1; G01 Zz1 Ff1; G04 Pp1;

G98G00Z-(z1+r1);ou G99 G00 Z-z1;

Zr1; G01 Zz1 Ff1; G04 Pp1; G98G00Z-(z1+r1);ou G99 G00 Z-z1; Furação Profunda : G83 X_ Y_

Furação Profunda:

G83 X_ Y_ Z_ R_ Q_ F_;

Sem quebra de cavaco

G73 X_ Y_ Z_ R_ Q_ F_ P_; Com quebra de cavaco

Exemplo:

Operações:

1- posiciona em avanço rápido 2- avança até o ponto R em avanço rápido 3- executa a furação até a prof. q 4- retorna até a altura R 5- avança até o ponto q-m em avanço rápido 6- executa a furação até a prof. 2.q 7- retorna até a altura R 8- avança até o ponto 2.q-m em avanço rápido 9- executa a furação até a prof. 3.q 10- retorna a posição inicial

G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1; G01 Zq Ff; G00 Z-q; G00 Z(q-m); G01 Z(q+m); G00 Z-2.q; G00 Z(2.q-m); G01 Z(q+m) Ff; G98 G00 Z-(z1+r1);

G01 Zq Ff; G00 Z-q; G00 Z(q-m); G01 Z(q+m); G00 Z-2.q; G00 Z(2.q-m); G01 Z(q+m) Ff;

Rosqueamento

com

13

Macho:

G84 X_ Y_ Z_ R_ F_ P_;

Rosca direita

G74 X_ Y_ Z_ R_ F_ P_;

Rosca esquerda

Onde:

P= tempo de espera F= passo da rosca

Exemplo:

Operações:

1- posiciona 2- avança até o ponto R 3- executa o rosqueamento 4- tempo de espera 5- reverte a rotação 6- retorna a posição R 7- retorna a posição inicial

executa o rosqueamento 4- tempo de espera 5- reverte a rotação 6- retorna a posição R
executa o rosqueamento 4- tempo de espera 5- reverte a rotação 6- retorna a posição R

G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1; G01 Zz1 Ff1; G04 Pp1;

M4;

G01 Z-z1 Ff1; G98 G00 Z-r1;

Zz1 Ff1; G04 Pp1; M4; G01 Z-z1 Ff1; G98 G00 Z-r1; Mandrilamento : G85 X_ Y_

Mandrilamento:

G85 X_ Y_ Z_ R_ F_;

Exemplo:

Operações:

1- posiciona 2- avança até o ponto R 3- executa o mandrilamento

4- retorna a posição R em mandrilamento

5- retorna a posição inicial

G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1; G01 Zz1 Ff1; G01 Z-z1 Ff1;

G98 G00 Z-r1;

retorna a posição inicial G00 Xx1 Yy1; G00 Zr1; G01 Zz1 Ff1; G01 Z-z1 Ff1; G98

Mandrilamento com Faceamento:

14

G86 X_ Y_ Z_ R_ F_ P_;

Mandrilamento de dentro para fora:

G87 X_ Y_ Z_ R_ I_ J_ F_;

G76 X_ Y_ Z_ R_ I_ J_ F_;

Passes de acabamento

Onde: I, J = valor a recuar para entrar no furo

Mandrilamento saindo com o fuso parado:

G88 X_ Y_ Z_ R_ F_ P_;

Mandrilamento saindo com avanço programado:

G89 X_ Y_ Z_ R_ F_ P_;

Cancelamento de Ciclos:

G80 - Desabilita todos os ciclos

Ciclos de Posicionamento:

G81 até G89,

sendo necessária a presença da função "L0", que determina que o ciclo não seja executado de imediato e aguarde a instrução do bloco seguinte.

Todos os ciclos de posicionamento devem ser precedidos por um ciclo de furação

Furação de Flange:

G34 - Furação em círculo (não modal)

G34 X_ Y_ I_ J_ K_;

Onde:

X,Y = centro da furação I = raio da furação

J = ângulo do primeiro furo em relação ao centro

K = número de furos

Exemplo:

Número de furos= 6

G81 Z-10. R5. L0 F200. G99; G34 X100. Y100. I80. J20. K6;

Obs.: Quando L0 é atribuído no comando G81, os dados para a execução do furo são armazenados e utilizados no bloco seguinte.

O ângulo inicial sempre será com relação ao eixo "X" no sentido anti-horário

com relação ao eixo "X" no sentido anti-horário G35 - Furação em linha com determinado ângulo

G35 - Furação em linha com determinado ângulo (não modal)

15

G35 X_ Y_ I_ J_ K_;

Onde:

X,Y = localização do primeiro furo

I = distância entre os furos (linear)

J = ângulo da linha

K = número de furos

Exemplo: Número de furos= 5

G81 Z-10. R5. L0 F200; G35 X200. Y100. I100. J30. K5;

5 G81 Z-10. R5. L0 F200; G35 X200. Y100. I100. J30. K5; G36 - Furação em

G36 - Furação em Arco (não modal)

G36 X_ Y_ I_ J_ P_ K_;

Onde:

X,Y = centro da furação

I

= raio do arco

J

= ângulo do primeiro furo relativo ao centro (anti-horário )

P

= distância angular entre os furos

K

= número de furos

angular entre os furos K = número de furos Exemplo: Número de furos= 5 G81 Z-10.

Exemplo:

Número de furos= 5

G81 Z-10. R5. L0 F200; G36 X300. Y100. I300. J10. P15. K5; G37.1 - Malha de Furos (não modal)

16

G37.1 X_ Y_ I_ P_ J_ K_;

Onde:

X,Y = posição inicial da malha I = intervalo no eixo X (distância entre furos)

P

= número de furos no eixo X

J

= intervalo no eixo Y (distância entre furos)

K

= número de furos no eixo Y

Exemplo:

G81 Z-10. R5. L0 F100; G37.1 X300. Y-100. I150. P4 J100. K5;

G81 Z-10. R5. L0 F100; G37.1 X300. Y-100. I150. P4 J100. K5; Sub-programas : (Sub-rotinas) Usa-se

Sub-programas: (Sub-rotinas)

Usa-se sub-programas para executar operações repetitivas, com determinadas variáveis. Pode-se utilizar até 8 níveis de sub-programas.

M98 P_ H_ L_;

Chama o sub-programa

Onde:

P = número do sub-programa a ser executado

H

= número da linha do sub-programa. Se for omitido,inicia pela primeira linha.

L

= número de repetições do sub-programa

M99 P_;

Para retornar ao programa principal

Onde: P = número da linha que se deseja retornar. Se for omitido, retornará ao bloco seguinte.

Exemplo:

Programa

10

retornar. Se for omitido, retornará ao bloco seguinte. Exemplo: Programa 10 G90 G17 G21 G40 G80;

G90 G17 G21 G40 G80;

T04 M06;

(principal):

17

G54 G43 G00 X0 Y0 Z3. S1500; M03 H04; G91 G01 X-8. Y-18. F100;

Z-7.;

M98 P12 L8; G00 Z3.;

X-64.;

G01 Z-7.; M98 P12 L8; G00 Z11.;

X-64.;

Programa 12 (sub-programa):

G01 Y36. F200;

X4.;

Y-36.;

X4.;

M99;

Sub-programas com variáveis: (Macro)

X4.; Y-36.; X4.; M99; Sub-programas com variáveis : (Macro) G65- Comando de chamada de sub-programas (não

G65- Comando de chamada de sub-programas (não modal) Permite a atribuição de valores a certos endereços que serão associados (dentro do sub-programa) a variáveis pré-determinadas.

G65 P_ L_ (endereços);

Onde:

P = número do sub-programa L = número de repetições

endereços = A_ B_ C

X_ Y_ Z_, designados conforme a tabela seguinte:

Endereços e número da variável correspondente

Endereços

possíveis

Endereços

Variável em Macro

A

#1

0

B

#2

0

C

#3

0

D

#7

0

E

#8

0

F

#9

0

G

#10

X

H

#11

0

I

#4

0

J

#5

0

K

#6

0

L

#12

X

M

#13

0

N

#14

X

O

#15

X

P

#16

X

Q

#17

0

R

#18

0

S

#19

0

T

#20

0

U

#21

0

V

#22

0

W

#23

0

X

#24

0

Y

#25

0

Z

#26

0

18

Legenda:

0 - pode ser usada X - não pode ser usada

Expressões condicionais:

Igualdade (=) Diferença (π) Maior ou igual () Maior (>) Menor ou igual ( ) Menor (<)

[#_ EQ #_ ] [#_ NE #_ ] [#_ GE #_ ] [#_ GT #_ ] [#_ LE #_ ] [#_ LT #_ ]

Exemplo:

Programa 10:

O0010

G90 G21 G17 G40 G80; T04 M06; G43 G54 G00 X0 Y0 Z1. H04 M03 S1500; G91 G65 P11 A4. B4. C-5. D-72. E5. I72. J72. K-72. F0; G00 X-40. Y-40.;

M30;

Sub-programa 11:

O0011

N10 G01 X#1 Y#2 F500;

(compens. do raio da ferramenta)

N20 Z#3;

(ferram. avança até a prof. de usinagem)

N30 IF[#4 EQ #9] GO TO 110;(compara as duas variáveis e decide se o programa prossegue ou finaliza)

N40 G01 X#4;

(percorre o valor da var. #4 no eixo X)

N50 Y#5;

(percorre o valor da var. #5 no eixo Y)

N60 X#6;

(percorre o valor da var. #6 no eixo X)

N70 Y#7;

(percorre o valor da var. #7 no eixo Y)

N80 #4=[#4-8] #5=[#5-8] #6=[#6+8] #7=[#7+8]; (altera o valor das variáveis para o ciclo seguinte)

N90 G01 X#1 Y#2;

N100 GO TO 30;

(retorna para a linha 30)

N110 G00 Z#8;

(ferram. recua no eixo Z)

N120 M99;

(retorna ao programa principal)

19

19 Rotação de Conjuntos : Este comando realiza a repetição de um determinado sub-programa, rotacionando o

Rotação de Conjuntos:

Este comando realiza a repetição de um determinado sub-programa, rotacionando o mesmo em torno de um centro de rotação pré-determinado.

M98 P_ H_ I_ J_ K_ L_;

Para o plano

G17: I, J

" G18: K, I

" G19: J, K

Onde:

M98 = chamada de sub-programa

P

= número do sub-programa

H

= número da linha do sub-programa

I,

J, K = valores incrementais de coordenada para o centro de rotação

L

= número de repetições do sub-programa

Exemplo:

Programa 5:

O0005;

G92 X0 Y0; G90 G00 X50.000;

M98 P7 L36 I-50.000 J0; G00 X0 Y0;

M02;

Sub-programa 7:

O0007;

G03 X54.358 Y0.190 J50.000 F100; X54.134 Y4.927 I-54.354 J-0.190; X49.810 Y4.358 I4.353 J-49.810;

X49.240 Y8.682 I-49.810 J-4.358;

M99;

20

20 Rotação de Coordenadas Programadas : (modal) Este comando permite a rotação de coordenadas de trabalho,

Rotação de Coordenadas Programadas: (modal)

Este comando permite a rotação de coordenadas de trabalho, através da definição de um centro e um ângulo de rotação desejados.

Gn G68 a_ ß_ R_;

Onde:

n = código do plano selecionado: 17, 18 ou 19

a, ß = coordenadas do centro de rotação, corres-

pondentes ao plano selecionado entre X, Y e Z

R = ângulo de rotação (graus)

(+) sentido anti-horário

G69 - Desabilita o comando de rotação de coordenadas

Exemplo:

N1 G69 G92 X0 Y0 Z0; N2 G90 G17 G68 X30. Y10. R45.; N3 G00 G20; N4 G01 X40. F1000; N5 G02 Y20. R15.; N6 G01 X20.; N7 G03 Y0 R15.; N8 G69 G00 X0 Y0 M02;

Escala: (modal)

X20.; N7 G03 Y0 R15.; N8 G69 G00 X0 Y0 M02; Escala : (modal) A forma

A forma a ser usinada atribuída pelo programa pode ser expandida ou reduzida. O limite de expansão ou de redução vai de 0.000001 a 99.999999. G51 X_ Y_ Z_ P_;

21

Onde:

X,Y,Z = determina o centro da escala P = valor da escala

O comando é desabilitado por G50.

Exemplo:

G92 X0 Y0 Z0; G90 G51 X-100. Y-100. P0.5; G00 G43 Z-200. H02; G41 X-50. Y-50.D01; G01 Z-250. F300; Y-150. F150;

X-150.;

G02 Y-50. J50.; G01 X-50.; G00 G49 Z0; G40 G50 X0 Y0;

M02;

Espelhamento: (modal)

G00 G49 Z0; G40 G50 X0 Y0; M02; Espelhamento : (modal) Este comando pode ser usado

Este comando pode ser usado quando se tem formas simétricas para usinar.

G51.1 Xx1; ou G51.1 Yy1; ou G51.1 Zz1;

Obs.: A coordenada X, Y ou Z determina a posição no respectivo eixo para a criação de um plano de espelhamento perpendicular ao eixo escolhido.

Exemplo:

G90 G17 G21 G40 G80; T01 M06; G54 G00 X0 Y0 Z1. G43 H01 M03; G51.1 X100.; M98 P100;

M30;

G54 G00 X0 Y0 Z1. G43 H01 M03; G51.1 X100.; M98 P100; M30; Sub-programa: O100; G00

Sub-programa:

O100;

G00 X0 Y20.; G01 Z-1.;

Y80.;

X75. Y50.;

X0 Y20.;

Z1.;

M99;

M30; Sub-programa: O100; G00 X0 Y20.; G01 Z-1.; Y80.; X75. Y50.; X0 Y20.; Z1.; M99; Arredondamento

Arredondamento de Cantos ou Chanfros:

22

G01 X_ Y_ , C_;

ou

G01 X_ Y_ , R_;

Onde:

C = comprimento do chanfro R = raio de concordância

Exemplo:

G91 G01 X40., C10.; X20. Y20.;

de concordância Exemplo: G91 G01 X40., C10.; X20. Y20.; Coordenadas Angulares : G01 A_ X_; ou

Coordenadas Angulares:

G01 A_ X_;

ou

G01 A_ Y_;

Obs.: selecionando-se o plano G17

Onde:

Exemplo:

G17;

A = ângulo relativo ao eixo X X,Y = coordenada do ponto final

= ângulo relativo ao eixo X X,Y = coordenada do ponto final N1 G01 Aa1 Xx1

N1 G01 Aa1 Xx1 (Yy1); N2 G01 A-a2 Xx2 (Yy2);

ou

N2 G01 Aa3 Xx2 (Yy2);

Retorno à posição Zero:

G28 -Zero da máquina (Home position)

G29 -Zero do programa

Obs.: Deve ser utilizado junto com um comando de movimentação (G00 ou G01).

Utilização do quarto eixo da máquina:

23

Em um centro de usinagem que possui um quarto eixo rotativo, ortogonal ao eixo da ferramenta, é possível, por exemplo, usinar um canal em hélice sobre um cilindro. Para movimento do quarto eixo em avanço rápido:

G00 U_ ;

Para movimento em avanço programado:

Onde:

G01 U_ F_ ;

U = ângulo de rotação (gráus) + sentido horário - sentido anti-horário F = avanço

Obs.: Para a movimentação do quarto eixo deve-se utilizar preferencialmente o sistema de coordenadas incrementais (G91). Este cuidado deve ser tomado pois trabalhando-se com (G90), o movimento de giro ocorre percorrendo sempre o menor caminho, no sentido horário ou anti-horário.