Anda di halaman 1dari 24

TELECOM LAZER

Mais 18,5% oje.sapo.cv Refúgio


nos telemóveis na serra
P9 P12
RTA
Número 81 • Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011 O JORNAL ECONÓMICO Preço:
OFE100$00 • Director: Luís Pimenta

PUB

LEGISLATIVAS 2011

Lucro Santander
cai 16,9%
Pág. 3

Novabase com
lucro recorde
Pág. 3

UBS apura
993,8 milhões
Pág. 4

Xstrata dispara
86% em 2010
Pág. 5

Um mandato de desafios
ANÁLISE mista e investigador Vitor Reis. “Esta é sempre uma bandeira muito vai ser sempre o contraponto no cresci-
Toyota revê
ano em alta
Pág. 5

O PAICV renovou a maioria absoluta no


“Creio que, do ponto de vista da prá-
tica, eles serão muito cautelosos na in-
populista, de momento eleitoral”, lem-
brou o autor do livro "Desenvolvimento
mento de Cabo Verde, que é crescer sem
aumentar a dívida externa.
Swatch ganha
Parlamento, ao eleger 37 dos 72 depu-
tados em jogo nas eleições legislativas
trodução” dessas medidas, defendeu Ví-
tor Reis, numa primeira análise, feita
em Cabo Verde: As opções estratégicas e
o investimento directo estrangeiro”.
Quanto a outras promessas, como
melhorar o acesso à Internet nas escolas
mais 42%
de domingo passado. Segue-se agora em declarações à Agência Lusa, do signi- José Maria Neves, com estes resulta- e investir mais no ensino superior, “vêm Pág. 5
um mandato repleto de grandes desa- ficado dos resultados das eleições. dos eleitorais, parte para um terceiro na sequência do que tem vindo a ser fei-
fios, quer na consolidação do trabalho “Apesar das promessas, não sei até mandato que “vai ser exigente dada a to” e “não será muito difícil”, advoga o
executado ao nível governativo, quer que ponto José Maria Neves será capaz conjuntura internacional”, considera o economista, lembrando as condições de
pela conjuntura internacional delicada. de cumprir essa promessa de introdução economista. influência do Estado sobre a Cabo Verde MERCADOS
COTAÇÃO VARIAÇÃO
Os desafios mais complexos surgem, do 13.º mês, que vai ter implicações no Mas tem, do lado positivo, “a seguran- Telecom e que a universidade tem vindo
quase todos, no plano social e económi- Orçamento do Estado”, considera. ça de algum prestígio internacional, que a ser uma prioridade crescente. PSI 20 8.046,91 +0,99%
co. E partem de uma base sólida: a Sobre a introdução de um salário mí- lhe garante por parte dos europeus e Também Carlos Sangreman, investi- FTSE 100 6.091,33 +0,67%
credibilidade internacional do país. nimo, Vitor Reis sustenta que “uma das americanos fluxos de financiamento gador da Universidade de Aveiro e do DAX 7.323,24 +0,54%
O vencedor das eleições em Cabo Ver- condições que tem facilitado o investi- que se vão mantendo”, além da experiê- centro de investigação do Instituto Su- €/$ 1,361 +0,32%
de terá dificuldade em cumprir algu- mento directo estrangeiro (IDE) são os ncia, porque “já passou por algumas di- perior de Economia e Gestão, considera €/£ 0,8491 +0,90%
mas promessas feitas durante a cam- baixos salários” e questiona se será pos- ficuldades no primeiro mandato, quan- que “não houve transição política, mas Brent 99,54 +0,45%
panha, como o 13.º mês para todos os sível a fixação de um ordenado mínimo do teve de fazer um equilíbrio das con- se houvesse não mudaria a estratégia e
funcionários públicos e a introdução do em sectores chave como o turismo ou tas públicas”. as relações externas do país, nem opções Cotações em tempo real em:
salário mínimo, considera o econo- até a indústria. Vitor Reis sublinha uma questão que de fundo económicas e sociais”.VER PÁG. 6 www.oje.pt
QUINTA-FEIRA oje.sapo.cv
2 10 de Fevereiro de 2011

Login
www.oje.pt
TOP 10: As mais lidas SONDAGEM ONLINE
• Corticeira Amorim reforça na China e Rússia
• Recibos verdes obrigados a refazer contas Concorda com a harmonização de políticas
• Santander dá 4,2 mil milhões pelo Zachodni
• Exportações de frutas e legumes atingem 770 milhões de euros
económicas, sociais e salariais na Zona Euro,
e superam as do vinho como sugerem a Alemanha e a França?
• Sonangol na rota da ENI para a Galp
ESTA é a pergunta colocada Estabilização Financeira do
• Portucel aposta no hemisfério Sul aos leitores do OJE online. Euro, e será detalhado nu-
• Encomendas à indústria sobem 24,7% A Alemanha e a França ma cimeira em Março.
• Combustíveis fósseis podem ser relíquias do passado em 2050 propuseram aos parceiros A Alemanha, secundada
•Apoio do Governo permite diversificar as exportações, diz a AIP europeus um “pacto de pela França, defende a har-
• Primeiro voo internacional a partir de Beja deverá ser em Abril, competitividade e de con- monização da idade da re- Saiba mais em www.oje.pt
para Cabo Verde vergência” no sentido de re- forma em todos os países –
forçar a disciplina e a coor- nos 67 anos de idade, e in- QUINTA-FEIRA, 10 FEVEREIRO
Título do dia: Brisa denação no seio da Zona siste na necessidade de ins-
Euro, evitando assim novas crever juridicamente em INE (Portugal)
A Brisa caiu 1,80%, para crises da dívida. cada Estado um limite ao Índice de preços no consumidor em
5,249 euros, após o banco es- O processo, liderado por endividamento público. Janeiro. Índices de volume de negó-
5.27
panhol Caixanova Galicia ter Berlim, foi encarado em vá- Polémica é ainda a pro- cios, emprego, remunerações e horas
5.249
vendido mais de 2% do capi- rios sectores como uma posta do fim da indexação trabalhadas nos serviços, na constru-
tal da concessionária, por “condição” para a aprova- dos aumentos salariais à ta- ção e obras públicas, em Dezembro.
68,4 milhões de euros. ção do reforço do Fundo de xa de inflação.
29/Dez 8/Fev
BCE (Frankfurt, Alemanha)
Informação financeira ao minuto em www.oje.pt Participe em www.oje.pt Taxa de rendibilidade das
obrigações de dívida pública
e taxas de juro a três meses.

MADRID: Poluição em níveis recorde devido a anticiclone COMISSÃO EUROPEIA (Bruxelas)


Indicadores-chave da Zona Euro.

SEGUNDA-FEIRA, 14 FEVEREIRO

NOTA INE (Portugal)


Dados do 4.º trimestre de 2010.
RESPIRAR FUNDO CONGRESSO MUNDIAL MÓVEL 2011
HÁ dias em que, apesar de tudo, (Barcelona, Espanha)
se respira um pouco mais fundo. Sob o tema “Liderando a
Esta edição é sintomática disso Transformação” (até dia 17).
mesmo: apesar de nem todos os
resultados do ano registarem su-
EUROGRUPO (Bruxelas, Bélgica)
Reunião dos ministros das Finanças.
bidas, a verdade é que a tendên-
cia, pelo menos a nível interna- EUROSTAT (Luxemburgo)
cional, é de sensível recuperação Produção industrial em Dezembro.
nas empresas. O patamar de com-
paração é baixo, claro que sim, TERÇA-FEIRA, 15 FEVEREIRO
mas o ambiente começa, apesar
de tudo, a desanuviar. Aplicando INE (Portugal)
o chavão, temos, portanto, uma Índice de custo do trabalho,
economia a duas velocidades: a dados do 4.º trimestre de 2010.
das empresas e a dos Estados.
Que ainda não descolaram. [LP] ECOFIN (Bruxelas, Bélgica)
CONDIÇÕES climatéricas muito especiais, potenciadas por um sistema de altas pressões que se encontra estacionário sobre a região, Reunião dos ministros das Finanças.
estão a deixar a cidade de Madrid à beira de um ataque de nervos devido à concentração de elevados níveis de poluição. As autori-
dades estão a incitar a população a deixar o carro em casa. Sem resultado, como se vê. Foto EPA/Juan Carlos Hidalgo EUROSTAT (Luxemburgo)
TENHO DITO PIB na Zona Euro e nos 27
no 4.º trimestre de 2010.

“Vamos perder OS SITES ÀS 20H00 DE ONTEM QUARTA-FEIRA, 16 FEVEREIRO


soberania, mas curso proferido na passada segunda- resultado líquido, excluindo itens INE (Portugal)
pusemo-nos a www.cincodias.com feira perante a Câmara do Comércio como as operações descontinuadas, Estatísticas do emprego,
jeito para perder dos EUA, defendendo que as políti- recuou para 107 milhões de dólares dados do 4.º trimestre de 2010.
Eurodisney factura mais 8,5% cas da sua administração estabelece- (78,8 milhões de euros), ou 24 centa-
essa soberania” A Eurodisney facturou 316,8 mi- ram as bases para o sucesso empre- vos por acção, no trimestre termina- LEILÃO (Portugal)
lhões de euros entre Outubro e De- sarial. do a 1 de Janeiro. Os analistas apon- O IGCP - Instituto de Gestão da Tesou-
José Poças Esteves, director da Saer - Sociedade raria e do Crédito Público realiza ao
de Avaliação Estratégica e Risco, sobre Portugal zembro passados, desempenho que tavam para ganhos de 25 centavos.
longo de 2011 leilões todas as primei-
perder soberania com o novo modelo europeu, traduz um aumento de 8,5% em Avon falha estimativas trimestrais
in Lusa ras e terceiras quartas-feiras do mês.
comparação com o mesmo período A Avon Products, maior retalhista
www.europapress.es Até ao fim do ano são lançadas dez
do ano anterior, que representa o de cosméticos porta-a-porta a nível novas linhas de Bilhetes do Tesouro,
primeiro trimestre do exercício para mundial, apresentou vendas e lucro com maturidades em todos os meses
O NÚMERO a empresa que explora o complexo do quarto trimestre que ficaram EUA investem forte na Alta Velocidade do próximo ano, com excepção de Ju-
turístico localizado nos arredores de aquém das projecções dos analistas. O vice-presidente norte-americano, nho e Dezembro. O montante indica-

15,8%
Paris. O aumento da receita dos par- Deste modo, excluindo certos itens, Joe Biden, anunciou um investimen- tivo situa-se no intervalo de 750 mi-
ques temáticos cifrou-se em 2,9%, o resultado líquido da Avon recuou to de 53 mil milhões de dólares lhões e 1.250 mil milhões de euros.
para 169,4 milhões de euros, com a para 59 centavos de dólar por acção, (38.864 milhões de euros) ao longo
evolução positiva do volume de ne- em baixa face aos 66 centavos de mé- dos próximos seis anos para pros- QUINTA-FEIRA, 17 FEVEREIRO
gócios a resultar em grande medida dia das estimativas dos analistas. Por seguir com a construção de uma re-
dos hotéis do complexo Disney Villa- seu lado, as vendas cresceram 1,3% de ferroviária nacional de Alta Velo- INE (Portugal)
ge, com um incremento de 13,6% para a fasquia dos 3,18 mil milhões cidade. Biden defendeu que esta pro- Síntese Económica de Conjuntura,
para 127,6 milhões de euros. de dólares (2,34 mil milhões de eu- posta vai revitalizar a indústria fer- previsões agrícolas, índices de pre-
ros), também abaixo das projecções. roviária dos EUA. ços na produção industrial (Janeiro).
www.bloomberg.com 2.º FÓRUM MUNDIAL (Davos, Suíça)
www.businessweek.com www.folha.com Mais de 20 países participam na apre-
Obama apela ao investimento nos EUA sentação de case studies das principais
O presidente norte-americano, Bara- Lucro da Sara Lee quebra 64% Argentina autoriza Banco do Brasil companhias líderes mundiais, no
ck Obama, juntou o patriotismo à A companhia alimentar Sara Lee, O Banco do Brasil informou que as Communication on Top.
As exportações portuguesas de bens economia, instando os líderes em- que planeia uma divisão para o pró- autoridades argentinas deram luz
aumentaram 15,8% no último trimestre presariais dos EUA a “entrarem em ximo ano, apresentou uma quebra verde à aquisição do Banco Patago- BCE (Frankfurt, Alemanha)
de 2010, com as importações a subir jogo” em apoio ao seu país através de 64% do seu lucro do segundo tri- nia. O Patagonia possui cerca de 775 Balança de pagamentos.
10,3%, face ao mesmo período de 2009, de um aumento do investimento. mestre, falhando as previsões dos mil clientes e activos avaliados em
segundo dados divulgados pelo INE - “Agora é o momento para investir na analistas devido à subida dos custos 2,56 mil milhões de dólares (1,88 mil EUROSTAT (Luxemburgo)
Instituto Nacional de Estatística. América”, declarou Obama num dis- das matérias-primas. Desta forma, o milhões de euros). Produção na construção.
QUINTA-FEIRA
oje.sapo.cv NEGÓCIOS 10 de Fevereiro de 2011 3

Novabase atinge EGÍPTO: Manifestantes permanecem em Tahir Santander Totta


com resultado
a cair 16,9%
lucro recorde


BANCA

O RESULTADO líquido do Santander

em 2010
Totta caiu 16,9% no exercício de
2010, para os 437,7 milhões de euros.
O estreitamente das margens, com
menos 9,8%, apenas compensado pe-
lo crescimento de 2,8% das comis-
sões, resultou numa margem comer-
TECNOLOGIA tar o investimento nos seus maiores cial a cair 5,8%. O produto bancário
mercados externos: Angola e Espa- caiu 7,6% para os 1168,3 milhões de
A NOVABASE quer crescer 4% este nha. A tecnológica quer aumentar o euros.
ano com uma aposta no mercado in- peso do mercado externo nas vendas Ontem, durante a apresentação de
ternacional e vai estipular, a partir totais de 15% para 18% em 2011, resultados, o CEO da instituição fi-
de 2012, uma política de distribuição afirmou Luís Paulo Salvado. nanceira, Nuno Amado, realçou a in-
regular de dividendos entre 30% a No ano passado, a Novabase regis- tenção de reduzir o rácio de transfor-
40% dos lucros de cada exercício, dis- tou o melhor ano de sempre em ter- mação em 10 pontos percentuais,
se ontem o presidente executivo da mos financeiros. O lucro acelerou passando para os 115% durante o
tecnológica portuguesa. 1,3% até 13 milhões de euros e o corrente exercício.
Durante a apresentação dos resul- EBITDA atingiu 22,2 milhões de eu- Ainda relativamente ao exercício
tados de 2010, Luís Paulo Salvado re- ros (mais 2%). O volume de negócios de 2010, um dado relevante no Totta
feriu que 2011 vai ser um “ano difí- recuou ligeiramente 2,1% para 236,3 foi a manutenção de um ROE de
cil”, sobretudo no mercado nacional milhões de euros e as vendas no exte- 15,3% e de um rácio de eficiência de
onde a empresa faz 85% do seu negó- rior aumentaram 20%. O dividendo 45,7%, o melhor do sector entre os
cio. Para atingir as metas de 2011, proposto para este ano relativo a grandes bancos nacionais.
que incluem um volume de negócios 2010 é de 0,13 euros por acção (cerca A nível de solidez financeira, o
de 245 milhões de euros e um EBIT- de 4 milhões de euros). banco apresenta um core capital de
DA (resultado antes de juros, impos- Luís Paulo Salvado anunciou ainda 10.3% e um tier I de 11,2%.
tos, depreciações e apreciações) entre que, a partir de 2012, a Novabase irá
20 e 22 milhões de euros, a empresa pagar um dividendo anual de forma SANTANDER TOTTA 2010
quer reforçar a sua presença no exte- regular que ficará compreendido en-
rior e manter a quota em Portugal, tre 30% a 40% dos lucros de cada Dez/10 Dez/09 Var.%
adiantou o responsável. exercício. A medida pretende com- Marg comercial 1107,8 1175,6 (5,8)
Fora de portas serão intensificadas pensar os accionistas pela falta de li- Prod. bancário 1168,3 1264,9 (7,6)
as ofertas da divisão de TV Digital na quidez do título e atrair novos inves- R. Exploração 634,3 713,5 (11,1)
R. Líquido 434,7 523,3 (16,9)
Índia, China, Rússia e Brasil, nas tele- tidores que prefiram remunerações MULHERES muçulmanas, com bandeiras egípcias, conversam após um protesto anti-go-
Unidade: milhões de euros Fonte: banco
comunicações as apostas são França, periódicas, adiantou o presidente vernamental em praça de Tahrir, no Cairo. Os manifestantes permaneceram pelo 14.º dia
Dubai e Quénia e, por fim, incremen- executivo. consecutivo na principal praça da capital egípcia. Foto EPA/Filipe Trueba

GDF Suez quer crescer Eni não está a negociar BREVES


Novacaixagalicia vende Brisa
1,5%/ano em Portugal venda da Galp Energia A Novacaixagalicia vendeu ontem a
participação de 2,2% que detinha na
concessionária portuguesa Brisa, reve-
laram fontes financeiras à Europa
Press. Este é um dos vários desinvesti-
ENERGIAS RENOVÁVEIS po Suez, em Portugal, tem uma quo- PETROLÍFERA A Folha de São Paulo noticiou on- mentos que a entidade espanhola
ta de 6,1% da produção de energias tem que a Sonangol estará em nego- espera realizar no futuro.
O PRESIDENTE executivo da GDF Su- renováveis. Portugal “é forte” nas re- O PRESIDENTE da italiana Eni afir- ciações com a Eni para comprar a sua
ez Energia Portugal, filial do grupo nováveis, salientou, notando que o mou ontem que já não está a negoci- posição na petrolífera nacional, de- Sundor liga Lisboa e Tel Aviv
francês GDF Suez, prevê crescer em país está em 9.º lugar a nível mundi- ar com ninguém a venda da sua par- pois do falhanço das negociações A linha aérea israelita Sundor, sub-
Portugal “1,5% por ano” até 2020, al na produção destas energias, com ticipação na Galp Energia, depois das com a petrolífera estatal brasileira, sidiária da companhia de bandeira El
através da Eurowind e da participa- uma quota de 2,2%. negociações com a brasileira Petro- anunciado oficialmente na passada Al, vai iniciar voos directos regulares
ção de 42,5% na Generg. A Eurowind Daniel Poulaillon falava no semi- bras terem abortado, noticia a agên- segunda-feira. entre Lisboa e Tel Aviv, que até agora
tem quatro parques eólicos em Por- nário “O sector das energias renová- cia de informação financeira Bloom- A angolana Sonangol já detém não existiam, disse à Lusa fonte da
tugal e a Generg é responsável por veis em Portugal e França: Oportuni- berg. uma posição indirecta de 33% na empresa. A ligação aérea entre os dois
2,3% da produção de energia do país, dades e parcerias”, organizado pela Paolo Scaroni, que falava aos jor- Galp, através da participação de 45% países é feita actualmente com escalas
nos segmentos das mini-hídricas, eó- Câmara de Comércio e Indústria Lu- nalistas em Roma, afirmou que “há na Amorim Energia. noutros aeroportos e de forma directa
lica e solar. so-Francesa, em parceria com a Alma interesse” em continuar na empresa A Eni detém uma participação de apenas em voos charter.
Daniel Poulaillon disse que o gru- Consulting Group. portuguesa. 33,34% na petrolífera portuguesa.
VW lança três novos modelos
A Volkswagen, representada em
Critical Software Semapa ganha mais 60,7% em Portugal pela SIVA, espera atenuar a
queda geral das vendas de automóveis
em Portugal com o lançamento de três
fornece Força novos modelos no primeiro trimestre

Aérea dos EUA 2010 impulsionada por Portucel de 2011, disse à Lusa o director-geral
da marca alemã no país. José Duarte
afirmou esperar que com o lançamento
do novo Passat, do novo Jetta e ainda
do novo Eos, que a Volkswagen “consi-
SOFTWARE HOLDING antes de juros, impostos, deprecia- de evolução da actividade de papel ga contrariar, ou pelo menos atenuar, a
ções e amortizações (EBITDA) cres- para os próximos meses têm que se previsível queda nas vendas para 2011”.
A CRITICAL Software é a única em- O RESULTADO líquido da Semapa su- ceu 54,8% para 452,7 milhões de eu- manter prudentes”, referiu a Sema-
presa não norte-americana a integrar biu 60,7% para 126,7 milhões de eu- ros, ajudado pelo controlo de custos. pa em comunicado enviado ao regu- Lanidor reforça em Espanha
um consórcio para fornecer serviços ros, em 2010, face ao ano anterior, A Semapa lembrou que a compara- lador do Mercado. A cadeia portuguesa de vestuário
de tecnologia de informação (TI) para com o bom desempenho do negócio ção dos resultados em 2010 com os Lanidor prevê aumentar a facturação
a Força Aérea dos EUA (USAAF), disse da pasta e papel que compensou a do ano anterior é afectada pela entra- SEMAPA 2010 de 81,35 milhões para 90,6 milhões de
fonte da empresa de Coimbra à agên- quebra das receitas da actividade ci- da em funcionamento da nova fábri- euros em 2011 e vai privilegiar, até
2010 2009 Var.
cia Lusa. A Força Aérea dos EUA vai menteira, saindo ligeiramente abai- ca de Papel de Setúbal, no terceiro 2013, a internacionalização para
Vendas 1.688,2 1.416,4 19,2
adquirir, no âmbito deste acordo, xo do previsto, anunciou a empresa. trimestre de 2009, alterando o pró- Espanha, onde pretende crescer via
EBITDA 452,7 292,4 54,8
“uma vasta gama de serviços e solu- A holding, que controla a papelei- prio perfil da área de negócios de Pa- aquisições. Gustavo Filipe Amaro, da
Res. Líquido 126,7 78,8 60,7
ções de TI cobrindo um espectro alar- ra Portucel e detém a cimenteira não pel e Pasta, aumentando o seu peso Lanidor, apontou Espanha como “um
Dív. Líquida 1.050,2 1.143 -8,1
gado de operações e missões”, acres- cotada Secil, adiantou que as vendas relativo no grupo. Unidade: milhões de euros Fonte: empresa
mercado natural de expansão”, onde a
centou Gonçalo Quadros, presidente aumentaram 19,2% para 1.688,2 mi- “Tendo em conta o enquadramen- empresa quer “replicar o modelo que já
executivo da Critical Software. lhões de euros, enquanto o resultado to macroeconómico, as expectativas sabe que funciona em Portugal”.
QUINTA-FEIRA
4 10 de Fevereiro de 2011 NEGÓCIOS oje.sapo.cv

BREVES SEVILHA: Primeiro A400M será entregue em Dezembro de 2012 Oneworld ganha
Gamesa quer Reino Unido
A eléctrica espanhola Gamesa quer
500 milhões com
tornar o Reino Unido o seu centro glo-
bal de energia eólica, disse ontem o
presidente executivo, Jorge Calvet. Em
BA/American
entrevista ao diário britânico The
Times, o responsável revelou que pre- AVIAÇÃO
tende construir uma fábrica de tur-
binas eólicas junto ao rio Tyne, no No- A BRITISH Airways disse ontem que
roeste de Inglaterra ou em Humber o acordo comercial feito com a Ame-
(Costa Este) e abrir um centro de I&D rican Airlines para as ligações entre a
em Glasgow, na Escócia. Europa e a América do Norte vai ge-
rar 500 milhões de dólares (366 mi-
Gas Natural oferece central lhões de euros) extra em receitas este
A Gas Natural ofereceu uma central de ano e reforçar a quota de mercado da
ciclo combinado em Espanha à argelina aliança Oneworld para 25% nos voos
Sonatrach como pagamento da sen- de longo curso do Atlântico Norte
tença de 1,5 mil milhões de euros acor- O AIRBUS A400M, de transporte militar, está a ser produzido em Sevilha, de onde a primeira unidade deverá sair no próximo ano, para Numa entrevista à Bloomberg, o
dada em Agosto passado. Esta resulta a Força Aérea Francesa. A ministra espanhola da Defesa, Carme Chacon (na foto) esteve presente no anúncio oficial da primeira entre- vice-presidente para o mercado norte
da diferença de preços do gás entregue ga (prevista para 11 de Dezembro de 2012). 170 aeronaves, para sete países, estão já em pipeline. Foto EPA/José Manuel Vidal e sul-americano da British Airways,
pela energética argelina à Gas Natural Simon Talling-Smith, adiantou que
entre 2007 e 2009 e que resultou espera adicionar “uns pontos extra”

Lucro trimestral da UBS cresce 7%


numa correcção de preços de 30%. à quota de mercado na rota de longo
curso mais lucrativa em todo o
Macquarie revê lucro em baixa mundo.
O Macquarie, maior banco de investi- O acordo de code-share feito entre

para 993,8 milhões de euros


mento australiano, reviu em baixa as a British Airways, Iberia e American
estimativas para o lucro do segundo Airlines foi aprovado pelas autorida-
trimestre fiscal (terminado a 31 de des europeias e norte-americanas em
Março) devido às menores receitas do Julho passado e permite o controlo
trading. O lucro dos seis meses deverá de metade dos voos entre o aeropor-
descer 5% face ao período homólogo BANCA nicado citado pela agência de infor- ano. to londrino de Heathrow e os EUA.
de 2010. mação financeira Bloomberg. Por No entanto, o lucro antes de im- Talling-Smith afirmou que cada pon-
A UBS obteve um aumento de 7% do outro lado, os clientes contribuíram postos no banco de investimento to extra na quota de mercado nos vo-
Microsoft renova gestão seu lucro do quarto trimestre e com 6,1 mil milhões de francos (4,6 quebrou 75% para o patamar dos 75 os para a América do Norte represen-
O presidente executivo da Microsoft, atraiu novos fundos de clientes pre- mil milhões de euros) líquidos para milhões de francos (57,7 milhões de ta uma subida de 250 milhões de
Steve Ballmer, pretende fazer uma mium pelo segundo trimestre conse- as divisões dedicadas à gestão de for- euros), em termos homólogos, pena- dólares (183 milhões de euros) em
série de promoções de empregados que cutivo. tunas da UBS. lizado pela subida dos custos e por vendas. Em Outubro, as três compa-
tenham uma formação em engenharia Deste modo, o resultado líquido do Neste sentido, o CEO Oswald Grue- uma menos-valia de 509 milhões de nhias anunciaram quatro novas ro-
e experiência no desenvolvimento maior banco helvético avançou para bel, que promoveu a contratação de francos relacionada com a dívida do tas entre os dois continentes e afir-
prático de produtos. A medida tem 1,29 mil milhões de francos suíços novos gestores e de mais de 1.700 in- próprio banco. Assim, Gruebel de- maram estar prontas para optimizar
como objectivo ajudar a Microsoft a (993,8 milhões de euros), em compa- vestment bankers desde que assu- fende que a UBS tem que assumir horários e preços para tirar o máxi-
encurtar a distância face aos seus ri- ração com os ganhos de 1,21 mil mi- miu o cargo, em 2009, declarou estar mais riscos, à semelhança dos seus mo benefício da aliança. A Oneworld
vais Apple e Google nas áreas da inter- lhões de francos contabilizados um confiante de que as entradas de capi- concorrentes, como forma de gerar tem como rivais nestas ligações as
net, smartphones e tablets. ano antes, informou a UBS em comu- tal se “reforcem visivelmente” este mais lucros. alianças Star Alliance e SkyTeam.
PUB
QUINTA-FEIRA
oje.sapo.cv NEGÓCIOS 10 de Fevereiro de 2011 5

Resultado líquido
da Xstrata
dispara 86%
BERLIM: Fruta fresca
Toyota sobe
MINERAÇÃO

A XSTRATA, maior exportadora


previsão de
lucro em 40%
mundial de carvão utilizado na pro-
dução de energia, indicou que o seu
lucro anual disparou 86%, com a su-
bida da procura nos mercados emer-
gentes a impulsionar os preços, pre-
vendo ainda um crescimento mais
baixo na Ásia para este ano.
Neste sentido, o resultado líquido, INDÚSTRIA AUTOMÓVEL crise financeira. O crescimento das
antes de itens extraordinários, avan- vendas no mercado asiático está a
çou para 5,15 mil milhões de dólares A TOYOTA subiu a sua estimativa de ajudar a Toyota a compensar a valo-
(3,7 mil milhões de euros), em com- lucro para o final do exercício em rização do iene para máximos de 15
paração com os 2,77 mil milhões de 40%, com as vendas na Ásia e em ou- anos, bem como o impacto das reco-
dólares obtidos um ano antes, infor- tros mercados emergentes a supera- lhas de veículos recorde devido a fa-
mou a companhia helvética em co- rem as projecções da empresa japo- lhas relacionadas com aceleração in-
municado citado pela Bloomberg. nesa. voluntária.
Acresce que este valor bateu os 5,02 Desta forma, o resultado líquido No terceiro trimestre fiscal, o re-
mil milhões de dólares de estimativa da maior construtora automóvel sultado líquido deslizou 39% para
média do conjunto de nove analistas mundial deve mais do que duplicar 93,6 mil milhões de ienes (837,7 mi-
inquiridos pela agência de informa- para a fasquia dos 490 mil milhões lhões de euros), em comparação com
ção financeira. de ienes (4,3 mil milhões de euros) o período homólogo, superando os
Sublinhe-se que os resultados da nos 12 meses que terminam no pró- 91 mil milhões de ienes da estimati-
Xstrata aumentaram no mesmo sen- ximo dia 31 de Março, em compara- va média dos quatro analistas con-
tido dos preços das commodities. ção com os 209 mil milhões de ienes tactados pela Bloomberg. Refira-se
Neste quadro, o preço médio do car- apurados há um ano, informou a que o lucro quebrou depois de Tó-
vão para centrais energéticas no por- Toyota em comunicado citado pela quio ter colocado em Setembro um
to australiano de Newcastle, uma re- agência de informação financeira ponto final no programa de incenti-
ferência para o mercado da Ásia, su- Bloomberg. Recorde-se que a fabri- vos que impulsionou as vendas dos
biu para 99 dólares por tonelada mé- cante nipónica tinha previsto em No- veículos mais eficientes e após o iene
trica em 2010, contra 72 dólares no vembro um lucro líquido de apenas ter atingindo o seu nível mais eleva-
ano anterior, de acordo com os dados 350 mil milhões de ienes (3,1 mil mi- do desde 1995 em Novembro.
do McCloskey Group. Por seu lado, o lhões de euros). A Toyota sublinhou que as suas
cobre, o outro produto principal do A Toyota segue-se à rival Honda no vendas na Ásia, excluindo o mercado
portefólio da Xstrata, atingiu um A MAIOR feira mundial de fruta e vegetais frescos, a Fruit Logistica 2011, abriu portas incremento das previsões de resulta- japonês, subiram 21% para um total
preço médio de 7,558 dólares, um in- em Berlim, reunindo este ano um número recorde de 2300 expositores. A mostra decorre dos, numa altura em que a indústria de 335 mil unidades no trimestre en-
cremento de 45%. até dia 11. Foto EPA/Tim Brakemeier automóvel global está a recuperar da cerrado a 31 de Dezembro.

Swatch ganha mais ArcelorMittal espera um BREVES


VW faz acordo com sindicatos

42% em 2010 “ano forte” em 2011


A Volkswagen fez ontem um acordo
com os sindicatos alemães para um
aumento de 3,2% nos salários de 100
mil funcionários a fim de evitar futuras
greves, à medida que a produção e a
INDÚSTRIA RELOJOEIRA tentora de marcas como a Omega, METALÚRGICA lhões de dólares, cerca de 1,23 mil procura atingem níveis recorde. O acor-
Breguet, Blancpain ou Longines deve milhões de euros). do é válido por 16 meses, entre
O RESULTADO líquido do Swatch investir entre 250 milhões e 300 mi- A ARCELORMITTAL, maior produto- Os produtores de aço têm sofrido Fevereiro deste ano e 31 de Maio de
Group avançou para 1,07 mil mi- lhões de francos suíços para aumen- ra mundial de aço, espera “um ano com a subida do custo das matérias- 2012. O maior fabricante automóvel
lhões de francos suíços (824,3 mi- tar a capacidade, bem como 150 mi- forte” em 2011, apesar dos prejuízos primas e a queda do preço do aço nos germânico emprega cerca de 170 mil
lhões de euros) em 2010, em compa- lhões no sector da distribuição, con- apurados no quarto trimestre do ano mercados internacionais à medida funcionários na Alemanha e o aumento
ração com os 759 milhões de francos cretizou o responsável, em entrevista passado devido à queda dos preços que a procura vai enfraquecendo. poderá incentivar outros sindicatos a
contabilizados no ano anterior, de- concedida à Bloomberg. do aço e subida dos custos com as Entre o primeiro e o quarto trimes- pedir novas subidas salariais devido à
sempenho que traduz um incremen- Acresce que a empresa helvética matérias-primas. tre do ano passado, o preço do miné- retoma da economia.
to homólogo de 42%. A projecção consegue financiar este investimen- Em comunicado, a empresa infor- rio de ferro – um dos componentes
média dos 11 analistas auscultados to “facilmente” com recurso ao seu ma que registou um prejuízo de 780 usados na produção do aço – mais do Continental vai despedir 500
pela agência Bloomberg apontava pa- próprio cash flow, ainda de acordo milhões de dólares (571 milhões de que duplicou, enquanto o carvão pa- A companhia aérea United Continental
ra um lucro de apenas 1,05 mil mi- com Nick Hayek. As reservas de capi- euros) no último trimestre de 2010, ra aquecimento encareceu 38%, se- anunciou ontem que vai despedir cerca
lhões de francos (809 milhões de eu- tal do Swatch Group aumentaram que compara com um lucro de 1,1 gundo dados da divisão de research de 500 trabalhadores na sede de
ros). 66% para o patamar dos 1,83 mil mi- mil milhões de dólares (805 milhões do HSBC. Houston da Continental. As duas
Por outro lado, a maior fabricante lhões de francos (1,4 mil milhões de de euros) inscritos no período homó- “2010 manteve-se como um ano empresas fizeram uma fusão no ano
mundial de relógios está a estudar a euros) no final de 2010, o que pode logo do ano anterior. de muito desafios”, afirmou no co- passado para criar a maior transporta-
aquisição de produtoras de compo- ajudar a financiar aquisições ou in- O EBITDA (resultado antes de ju- municado, o presidente executivo da dora aérea mundial, uma operação que
nentes, com o objectivo de alcançar vestimentos nas áreas de componen- ros, impostos, depreciações e apreci- ArcelorMittal, Lakshmi Mittal. “A re- ficou avaliada em 3,170 mil milhões de
vendas anuais de 10 mil milhões de tes e distribuição. A administração ações) atingiu 1,85 mil milhões de toma da procura continua e espera- dólares (2,32 mil milhões de euros).
francos (7,7 mil milhões de euros) no da Swatch vai ainda discutir a possi- dólares (1,35 mil milhões de euros), mos que 2011 seja um ano mais forte Fonte oficial explicou que os cortes
prazo de quatro anos, revelou o seu bilidade de uma recompra de acções superando a média avançada por 17 que 2010”, acrescentou o responsá- foram feitos em cargos que passarão a
CEO, Nick Hayek. Neste quadro, a de- próprias. analistas à Bloomberg (1,68 mil mi- vel. ser exercidos na sede da United.
PUB
QUINTA-FEIRA
6 10 de Fevereiro de 2011 LEGISLATIVAS oje.sapo.cv

LEGISLATIVAS 2011

O CICLO QUE
AFINAL NÃO FOI
INTERROMPIDO
Mais do que uma vitória, as responsa-
bilidades do futuro executivo de José
Maria Neves são ainda maiores, num
país sem recursos naturais, dependente
da ajuda externa e que terá de conti-
nuar a provar perante os parceiros
internacionais que a boa governação
e a transparência são uma imagem
da marca de Cabo Verde.
Por José Sousa Dias (OJE/Lusa)

A
vitória do PAICV não sur- Os 37 deputados eleitos pelo PAICV dos e União Europeia (UE) na linha da No PAICV, a situação parece ainda secutiva (já assumiu que não se candi-
preendeu. As obras e o tra- dão nova maioria absoluta – a terceira frente. mais complicada, uma vez que se con- data às presidenciais), destaque para a
balho apresentado pelos consecutiva –, mas as responsabilida- frontam duas tendências – uma lide- promessa de institucionalização do
dois executivos de José Ma- des, sobretudo económicas, tornaram- O FACTOR “PRESIDENCIAIS” rada por Pedro Pires, que terminará o 13.º mês, para a privatização da Elec-
ria Neves (2001/06 e 2006/11) “enche- se agora fulcrais para o atingir das me- Mas, se a questão económica domina segundo mandato, impossibilitando-o tra (empresa nacional de água e ener-
ram suficientemente o olho” dos elei- tas traçadas por José Maria Neves, no- actualmente as atenções, Cabo Verde constitucionalmente de se apresentar gia eléctrica) e os Transportes Aéreos
tores indecisos, que optaram pela “se- meadamente a redução da pobreza, a terá, ainda este ano, na parte política, à votação, e outra por José Maria Ne- de Cabo Verde (TACV, companhia
gurança da obra feita”, tal como suce- resolução definitiva do défice ener- outro acontecimento relevante e que ves. O primeiro apoia tacitamente aérea de bandeira), a par da conclusão
deu na década de 90 em Portugal com gético e habitacional, do desemprego, irá pesar, não na relação inter-par- Aristides Lima, presidente do agora de novas infra-estruturas, sobretudo
o “cavaquismo”. maioritário entre os jovens e fazer tidária, mas sim na intra-partidária: as extinto Parlamento. O segundo, igual-
Estradas, portos e aeroportos, crescer uma economia que, dizem os eleições presidenciais, a realizar den- mente de forma tácita, Manuel Ino-
aposta na energia, convencional e re-
novável, escolas, novas tecnologias
especialistas, não aguenta com mais
uma crise internacional, pois está pra-
tro de seis meses. A bipolarização rei-
nante – a União Cabo-Verdiana Inde-
cêncio de Sousa, o “todo poderoso”
ministro das Infra-estruturas que tem
José Maria Neves nada
da informação, habitação e saúde
(hospitais) foram obras visíveis ou es-
ticamente no limite do endividamen-
to.
pendente e Democrática (UCID) man-
teve os dois deputados da anterior le-
dado imagem às obras do regime. Por
fora corre David Hopffer Almada, de-
adiantou sobre a futura
tão a ser visíveis ao comum dos cida- Os 33 deputados do MpD – mais gislatura e continua fora do cenário putado e constitucionalista, aparente- composição do Governo
dãos. quatro, todos ganhos ao PAICV, do que político dominante – leva a que os mente sem o apoio dos dois mais im-
O que surpreendeu foi a derrota na anterior legislatura – terão pela dois principais partidos – PAICV e portantes dirigentes do antigo partido
do MpD, que não conseguiu vencer o frente uma tarefa “hercúlea”, ao se- MpD – se debatam com “divergências único (1975/90). no domínio dos portos, do aumento
desgaste de 10 anos de governação internas”. Dentro da esfera política do do ritmo do crescimento económico e
de José Maria Neves, mesmo utilizan- PAICV perfilam-se três candidaturas, PARA QUANDO E QUE TIPO DE GOVERNO da oferta de emprego e ainda do com-
do a argumentação, forte e que cai O desejo de mudança, tantas quantas as do MpD. Carlos Politicamente, as preocupações do fu- bate ao desemprego e à exclusão so-
nos ombros do cidadão, do desem-
prego, falta de energia e ainda com a lema de campanha do Veiga, derrotado por Pedro Pires nas
presidenciais de 2001 e 2006, já re-
turo governo no Parlamento serão
menores do que as questões internas
cial, entre outras.
No seu discurso de vitória das legis-
incumprida meta do crescimento
económico a dois dígitos.
MpD, também não foi petiu que não se candidata à votação,
garantindo que será líder da oposição
partidárias. Com nova maioria absolu-
ta, a grande fatia dos investimentos
lativas de domingo, José Maria Neves
nada adiantou sobre a futura com-
Por outro lado, o desejo de mudan-
ça, lema de campanha do MpD, tam-
suficiente para a vitória no Parlamento, mas nem todos acredi-
tam nisso, vendo no líder “ventoinha”
está praticamente em curso ou por
aprovar, a revisão constitucional está
posição do Governo. Analistas locais
defendem a criação de um novo gover-
bém não foi suficiente para a vitória do regressado líder “ven- a única personalidade do partido com concretizada e nada se perspectiva, no no e não uma mera remodelação mi-
do regressado líder “ventoinha”, Car- o carisma que Jorge Carlos Fonseca e curto prazo, de alterações que, na nisterial, uma vez que, alegam, será o
los Veiga (primeiro-ministro de 1991 toinha”, Carlos Veiga Amílcar Spencer Lopes não têm. Além Assembleia Nacional, necessitem da “desbaratar” da confiança que lhe foi
a 2000), que apelou nesse sentido pa- disso, defendem analistas locais, Car- aprovação por uma maioria de dois renovada pelo eleitorado, que optou,
ra tentar manter o mito dos ciclos rem confrontados com uma política los Veiga ainda não terá digerido bem terços. Em relação às medidas para o ao mesmo tempo, por reforçar a capa-
políticos de dez anos desde que se de investimentos que os parceiros in- as derrotas frente a Pedro Pires e, mui- imediato prometidas por José Maria cidade de fiscalização da oposição,
instaurou o pluralismo político no ternacionais têm generosamente to menos agora, frente a José Maria Neves, que assumirá a pasta de pri- que, afinal de contas, acabou por
arquipélago, em 1990. apoiado, com Portugal, Estados Uni- Neves. meiro-ministro pela terceira vez con- “roubar” quatro deputados ao PAICV.

Director Arte Distribuição Tiragem


Luís Pimenta Carlos Hipólito João Baptista 7.500
lpimenta@oje.pt Marta Simões jbaptista@oje.publ.cv
Editora Executiva Fotografia Conselho de Administração Nenhuma parte desta publicação incluindo textos,
Publicado semanalmente à quarta-feira Helena Rua Victor Machado Guilherme Borba gborba@oje.publ.cv, fotografias e ilustrações pode ser reproduzida,
hrua@oje.pt Marcos Rodrigues mrodrigues@oje.publ.cv por quaisquer meios sem prévia autorização do editor.
Propriedade Contactos Área Editorial
O Jornal Económico, Lda Redacção noticias@oje.publ.cv Impressão
Registo Legal: 04/2009 Ana Santos Gomes (colaboradora), Armanda Sogapal – Soc. Gráfica da Paiã, SA
Alexandre, Almerinda Romeira, Catarina Departamento Comercial
Sede Costa (revisão), Isabel Cabral, Luís João Pereira
Rua da Liberdade e Democracia, PARA RECEBER O OJE NA SUA EMPRESA
Gonçalves, Mafalda Simões Monteiro, Pedro jpereira@oje.publ.cv
nº12 – 3º andar Assis Conceição, Pedro Castro, Sandra ENVIE UM MAIL PARA
Achada de Santo António – Praia Martins Pereira (colaboradora) opires@oje.publ.cv
República de Cabo Verde e Vítor Norinha
QUINTA-FEIRA
oje.sapo.cv PUBLICIDADE 10 de Fevereiro de 2011 7
QUINTA-FEIRA
8 10 de Fevereiro de 2011 NACIONAL E INTERNACIONAL oje.sapo.cv

PME vão ter ÍNDIA: Feira de aviação demonstra poder do mercado

apoios de
275 milhões
CRÉDITO mentaram 24,3% em comparação
com Dezembro de 2009, a segunda
O GOVERNO vai criar novos seguros maior subida mensal homóloga do
de crédito “dirigidos às empresas que ano, só ultrapassada pelo 25,8% de
têm ciclos longos de produção”, bem Março.
como manter linhas de crédito co- No último trimestre de 2010, as ex-
mercial e simplificar processos para portações de bens aumentaram
reduzir custos administrativos das 15,8%, com as importações a subir
empresas, no valor de 275 milhões 10,3%, face ao mesmo período de
de euros. 2009. Esta variação teve como conse-
O valor de apoio às empresas ron- quência um agravamento do défice
da os 275 milhões de euros, sendo da balança comercial em 79,2 mi-
que 200 milhões são para os seguros lhões de euros, refere o INE que, do
e 75 milhões de euros para o financi- lado das categorias económicas, des-
amento, referiu o primeiro-ministro, taca o aumento das exportações de
José Sócrates, durante o Congresso bens nas categorias de fornecimen-
das Exportações, que decorreu on- tos industriais e de material de trans-
tem em Santa Maria da feira. porte e acessórios e a subida nas im-
No total de 2010, os dados prelimi- portações de combustíveis e lubrifi-
nares do Instituto Nacional de Esta- cantes e de fornecimentos industri-
tística (INE) apontam um crescimen- ais.
to das exportações de 15,7%, para O comércio extracomunitário, no
36.769 milhões de euros, com as im- último trimestre, viu as exportações
portações a aumentarem 10,5%, pa- aumentarem 17,8% e as importações TAMBÉM na aviação a Índia está a assumir protagonismo enquanto mercado: sintomático disso mesmo é o evento Aero India, que
ra os 56.783 milhões de euros. 16%, em comparação com o mesmo abriu portas na base aérea de Yelhanka, na cidade de Bangalore. Os números rivalizam com os “shows” europeus: mais de 600 exposi-
Em Dezembro, as exportações au- período do ano anterior. tores, provenientes de 63 países. Foto EPA/Jagadeesh Nv

BREVES Hotéis portugueses recebem mais Inflação no Brasil


Eurogrupo reúne-se em Março com maior taxa
Os líderes dos 17 países da Zona Euro
vão reunir-se em cimeira extraordinária
a 13 de Março, para debater um plano
de acção que visa evitar novas crises
5% de hóspedes em 2010 desde 2005
da dívida, avançou fonte diplomática à
agência noticiosa francesa AFP. "Ainda TURISMO milhões em 2010 (mais 2,9% do que das (9,3%), seguido do Alentejo JANEIRO
não foi confirmado oficialmente, mas no ano anterior). (6,7%), Centro (4,8%), Norte (4,2%), A-
será a 13 de Março. Trata-se de uma A ACTIVIDADE turística recuperou Em 2010, os proveitos totais atingi- çores (3%) e Algarve (2,6%). As dormi- A INFLAÇÃO brasileira em Janeiro
cimeira informal dos 17 chefes de em 2010, com os hotéis a acolherem ram 1.821 milhões de euros (mais das só caíram na Madeira (-8,9%), o foi de 0,83%, a maior taxa mensal
Estado e de Governo do Eurogrupo", 13,6 milhões de hóspedes, mais 5% 3,2%), enquanto os proveitos de apo- que estará relacionado com os pro- desde Abril de 2005, quando a varia-
concretizou a mesma fonte. do que no ano anterior, e Lisboa a re- sento subiram para 1.234 milhões de blemas climatéricos que atingiram a ção foi de 0,87%, informou o Institu-
gistar um crescimento de 9,3% nas euros (mais 3,7%). ilha. to Brasileiro de Geografia e Estatísti-
Produção cai 1,5% na Alemanha dormidas. Os turistas nacionais foram res- O mercado italiano foi o que mais ca (IBGE). Contribuiu para o resulta-
A produção industrial da Alemanha, Os dados preliminares ontem di- ponsáveis por 13,8 milhões de dor- progrediu, com uma variação homó- do o aumento dos preços de géneros
maior economia europeia, quebrou vulgados pelo Instituto Nacional de midas e os estrangeiros por 23,7 mi- loga de 8,6% nas dormidas, seguido alimentícios, bebidas e transportes,
inesperadamente pelo segundo mês Estatística (INE) mostram uma ten- lhões, registando-se variações homó- do espanhol (3,1%), do holandês salientou o IBGE.
consecutivo em Dezembro, com as dência de recuperação do turismo, logas positivas em ambos os casos (4 (2,8%) e do francês (1,7%). Os merca- No acumulado dos últimos 12 me-
baixas temperaturas a provocarem face aos efeitos desfavoráveis da crise e 2,2% respectivamente). dos irlandês, britânico e alemão ses, o IPCA atingiu os 5,99%, acima
uma queda no sector da construção. económica em 2009, com o número Em termos regionais, Lisboa foi o mantiveram a variação negativa (4,6, dos 12 meses imediatamente anteri-
Desta forma, a produção diminuiu 1,5% de dormidas a aumentar para os 37,5 destino que mais cresceu em dormi- 1,8 e 1,7%, respectivamente). ores (5,91%).
em comparação com Novembro, quan-
do tinha deslizado 0,6%, informou o
Ministério da Economia germânico.

China sobe taxas de juro


PARVOS QUE SOMOS?
O banco central da China subiu as suas continuar a tratar tão mal as gera- dos, estou sempre a adiar e ainda me dos os “direitos adquiridos”, outros,
taxas de juro na terça-feira, o segundo
aumento promovido em pouco mais de
CAUSA JUSTA ções mais jovens. Desemprego, pre-
cariedade, baixos salários. Este fenó-
falta o carro pagar. Que parva que eu
sou!
os mais jovens, tem muito pouco. Há
300 mil portugueses entre os 15 e os
um mês, intensificando o combate con- meno, que a letra da música de Ana E fico a pensar, que mundo tão 34 anos à procura de emprego. Se
tra os altos níveis de inflação. Neste Bacalhau tão bem retrata, nasce do parvo onde para ser escravo é preciso lhes somarmos todos os que tem em-
sentido, a taxa directora subiu 25 pon- nulo crescimento da economia. E estudar. Sou da geração vou queixar- prego precário, são muitos mais.
tos base para 3%, indicou o Banco existe, em boa parte, para sustentar me pra quê? Há alguém bem pior do Um destes dias, vamos ter que fa-
Popular da China. os “direitos adquiridos” de outros, que eu na TV. Que parva que eu sou! zer as tão adiadas reformas: flexibili-
que se acham com direito a tudo Sou da geração eu já não posso mais zar a lei laboral para criar bons em-
Moody´s corta outlook jordano deixando quase nada para os que que esta situação dura há tempo de- pregos; aceitar que estes impostos
A agência de notação financeira vêem a seguir. A letra da música não mais: E parva não sou! E fico a pen- inibem a inovação, o investimento, o
Moody´s anunciou a redução de deixa dúvidas: sar, que mundo tão parvo onde para crescimento económico e a criação
“estável” para “negativo” do outlook da “Sou da geração sem remuneração ser escravo é preciso estudar.” de emprego; vamos ter que perceber
dívida soberana da Jordânia em moeda e não me incomoda esta condição. Esta é uma triste falta de esperan- que tanta garantia criou uma socie-
estrangeira, devido à crise política no João Caiado Guerreiro* Que parva que eu sou! Porque isto es- ça, que leva a uma fuga para o es- dade com demasiadas desigualdades.
Egipto, com possíveis repercussões no tá mal e vai continuar, já é uma sorte trangeiro dos jovens mais prepara- Até lá, bem podemos cantar a músi-
mundo árabe. A Moody´s anunciou eu poder estagiar. Que parva que eu dos de sempre. Sem perspectivas de ca dos Deolinda, pensando os parvos
ainda o corte do rating da dívida jor- UMA música, “Parva que sou” dos sou! E fico a pensar, que mundo tão carreira, os nossos jovens, que tanto que somos em deixar perder a nossa
dana em moeda local de Baa3 para Deolinda, apanhou o zeitgeist da ju- parvo onde para ser escravo é preciso custaram a preparar, emigram pro- juventude!
Ba2, com uma perspectiva (outlook) ventude portuguesa. E acordou Por- estudar. curando no estrangeiro as oportuni-
negativa. A Jordânia enfrenta proble- tugal para uma questão que venho Sou da geração casinha dos pais, se dades que Portugal não lhes oferece.
mas económicos e sociais estruturais há muito trazendo à atenção dos já tenho tudo, pra quê querer mais? É o preço de um mercado de traba- *Advogado
semelhantes aos da Tunísia e do Egipto. amáveis leitores: Portugal não pode Que parva que eu sou. Filhos, mari- lho a duas velocidades: uns têm to- jguerreiro@fcguerreiro.com
espaços negócios
SUPLEMENTO COMERCIAL
de
ESCRITÓRIOS

ESTRUTURA Com o edifício Entreposto I total-


mente ocupado, o promotor vai
avançar com as obras no
Entreposto II
Pág. V

MULTIUSOS ENTREVISTA
A consultora imobiliária Worx é a
primeira empresa do sector a ser
regulada pelo RICS, afirma Pedro

NASCE EM TRÓIA
Rutkowski
Págs. VI e VII
Pág. II

INSTRUÇÃO
A CB Richard Ellis intermediou a
venda da componente residencial do
Edifício Leonel, localizado no Chiado,
em Lisboa, à Norfin
Pág. VIII

ESCRITÓRIOS
O índice imobiliário LPI convidou a
consultora B. Prime a integrar o
conjunto de operadores que actu-
am nesta indústria
Pág. VIII
PUB
QUINTA-FEIRA
II 10 de Fevereiro de 2011 ESPAÇOS DE NEGÓCIOS

BREVES
Escritórios cresceram
em Dezembro
CENTROS DE EVENTOS AQUALUZ
TRÓIA ARRANCA EM MAIO
Em Dezembro de 2010, o mercado de
escritórios de Lisboa registou uma absorção
de 19.602 m2, o que evidencia um cresci-
mento de 164% face ao mês de Novembro,
mas uma variação homóloga negativa de
9%, revela o Office Flashpoint da Jones
Lang laSalle. Com este volume, a perform- Uma nova infra-estrutura multifuncional vai nascer na Península de Tróia, aproveitando a
ance anual do mercado totaliza os 105.781
m2 de ABL ocupada, o que se constitui oferta de alojamento e lazer da região
como um mínimo histórico desde que o exis-
tem dados agregados (1998). A zona do

O
Parque das Nações (zona 5) foi a mais Centro de Eventos Aqualuz
dinâmica em Dezembro, com uma ocupação Tróia, com inauguração
de 6.512 m2, tendo sido nesta área que se prevista para o próximo
registou a maior operação do período, mês de Maio, surge como
nomeadamente, o arrendamento de 6.229 complemento da oferta de aloja-
m2 no Edificio Sony, pela AXA Seguros. A mento e de lazer das unidades
zona 6 (Corredor Oeste) foi a segunda de Aqualuz, disponibilizando serviços
maior actividade, com o arrendamento de direccionados para os encontros
5.185 m2 em Dezembro. A zona 2 registou empresariais e eventos na Penínsu-
também uma dinâmica destacada, com la de Tróia.
4.210 m2 tomados. Em termos de áreas de Em pleno coração do troiaresort,
actividade, a nota de maior dinamismo vai a menos de uma hora de Lisboa e
para o sector de Serviços Financeiros, com num cenário natural de excepção,
o arrendamento de 6.229 m2, seguindo-se nasce agora uma infra-estrutura
as empresas de TMT’s & Utilities, cuja multiusos que responde eficazmen-
actividade ocupacional resultou no arrenda- te às mais diversas necessidades.
mento de 4.111 m2 em Dezembro. Um edifício moderno e funcional,
especialmente projectado para uma
Obrecol/FDO-Construções renovam integração harmoniosa com a natu-
escola reza envolvente, proporciona todo o
conforto e tranquilidade a empre-
sas e particulares que pretendam
utilizar o espaço para qualquer
acontecimento.
Com uma área total de 681 m2 e
capacidade até 630 lugares senta-
dos, o centro de eventos possibilita cessários à realização de qualquer tégia de complementaridade prota- capazes de dar resposta a uma mul-
uma divisão até três espaços distin- evento, podendo ainda ser comple- gonizada pela Sonae Turismo Ho- tiplicidade de solicitações empre-
tos – uma sala polivalente, um au- mentado pelas seis salas de reu- téis. A nova infra-estrutura multi- sariais ou particulares, fortalecendo
ditório e um foyer de 183 m2 – ben- niões do hotel. funcional é o reflexo da preocupa- a Península de Tróia não só como
No âmbito do Programa de Modernização eficiando de luz natural e de todos A criação do Centro de Eventos ção existente com o alargamento de uma opção de lazer, mas também
do Parque Escolar, o consórcio os meios técnicos e audiovisuais ne- Aqualuz Tróia inscreve-se na estra- uma oferta de serviços associados, como destino de eventos.
Obrecol/FDO-Construções acaba de concluir
a obra Escola Secundária Joaquim Gomes
Ferreira Alves, situada em Valadares, Vila
Nova de Gaia. Trata-se de um edifício esco- EDIFÍCIO D. PEDRO V, NO PORTO, CB RICHARD ELLIS INSTALA
lar constituído por seis blocos articulados
entre si por passagens cobertas e que inte-
gra ainda um pavilhão desportivo com bal-
VENDIDO À LOGICOMER TELEPIZZA NO VIVACI DAS CALDAS
neários, campos de jogos e recreios exteri-
ores. A intervenção – orçada em 11,8 mil-
hões de euros e com a duração de 18 meses
A Telepizza saiu de uma artéria da cidade
– incidiu na remodelação e beneficiação das
instalações existentes, ao nível do reordena-
das Caldas da Rainha e instalou-se no espaço
mento interior, alteração dos revestimentos
interiores e exteriores, manutenção das
comercial Vivaci
condições estruturais, remodelação integral
das infra-estruturas eléctricas, telecomuni- A CB RICHARD Ellis (CBRE) concluiu mos a proporcionar a qualidade e o
cações, águas e esgotos. A empreitada a implantação da nova loja Telepizza serviço a que temos habituado os
incidiu também ao nível da construção nova, no centro comercial Vivaci Caldas da nossos Clientes.”
nomeadamente edifícios destinados a labo- Rainha. Esta abertura marca a pas- Ana Jaca, Consultora do Depar-
ratórios, áreas oficinais e artes e ginásios. sagem da loja, até aqui situada numa tamento de Agência de Retail da CB
das artérias da cidade, para o interior Richard Ellis confirmou “os centros
do centro comercial, com o objectivo Vivaci reúnem no mesmo espaço
Efapel com vendas a crescer de potenciar as suas vendas, estar uma oferta de comércio e serviços
ligeiramente ainda mais próxima dos clientes e com distinta variedade e qualidade,
A maior empresa nacional de fabrico de melhorar a sua experiência com a que favorece uma maior movimen-
material eléctrico de baixa tensão em marca. tação de clientes e potencia as ven-
Portugal, a Efapel, registou um ligeiro A LOGICOMER adquiriu o edifício D. equipado com elevador e WC priva- O Vivaci Caldas da Rainha, pro- das – consideramos uma mudança
crescimento das suas vendas líquidas no Pedro V, no Porto, para a instalação do em todas as fracções, dispõe de priedade do grupo FDO, encontra-se estratégica e concluímos mais um
último ano, as quais atingiram os 23 mil- da nova sede. O edifício é composto piso de parqueamento equipado aberto desde 2008 e tem um ABL su- bom negócio para ambas as partes”.
hões de euros. Este crescimento homólogo por cinco fracções autónomas. com portão automático. O seu pé di- perior a 14 mil m2. Com uma local- A Telepizza surgiu em Espanha
de 4% ficou aquém dos objectivos definidos Susana Ferreira, do departamento reito permite a construção de mez- ização central apresenta como princi- em 1987 e é actualmente líder de
para o ano que terminou, tendo sido afecta- de escritórios da Abacus Savills no zanines, originando assim um pais lojas o Pão de Açúcar do grupo mercado no serviço de entregas ao
do pela conjuntura económica actual de Porto afirma em nota: “Este imóvel maior aproveitamento da área bruta Auchan, a Sportzone do grupo Sonae, domicílio de comida pronta-a-comer.
diversos mercados europeus. Relativamente reúne as principais características de construção. A sua localização pri- a Rádio Popular, a Stradivarius, a Pull Conta com mais de 1.000 lojas espa-
à actividade em 2010, destaca-se o aumen- idealizadas pelo cliente de hoje: loca- vilegiada, num ponto estratégico da &Bear, Bershka, entre outras, para lhadas por todo o mundo, distribuí-
to da sua quota de mercado e da sua apos- lização junto às principais entradas e cidade, oferece rápido e fácil acesso além de 5 salas de cinema na área de das por Espanha, Portugal, Chile,
ta no processo de internacionalização. Os saídas da cidade, flexibilidade de lay- à A1 (Lisboa) e à A3 (Braga), através lazer e entretenimento Vivacine. Polónia, Guatemala, El Salvador, Co-
mercados emergentes foram determinantes out, possibilidade de acabamentos da Rua do Campo Alegre e VCI. Com Na área do food court, onde está lômbia, Emirados Árabes Unidos e
para garantir o nível da actividade que a em função das necessidades e esta- a Praça da Galiza, a Rotunda da Boa- agora localizada a nova loja da Te- mais recentemente, iniciou a sua ex-
empresa portuguesa tem vindo a alcançar, cionamento privativo. A arquitectu- vista a escassos metros, nesta zona lepizza, estão ainda as lojas Burguer pansão na China, através de um
dado que foram menos afectados pela crise ra das linhas de construção, a auto- encontra-se as instalações mais im- Ranch, Balcão da Portugália e Pateo. acordo, sob a forma de “joint-ven-
mundial. A empresa de Serpins (Coimbra) nomia oferecida e o privilégio na portantes de Instituições como o Segundo Gonzalez Barrajón, direc- ture” (50% de participação para am-
exporta já os seus produtos para 45 países proximidade ao emblemático rio Millennium e Fidelidade, entre ou- tor geral da Telepizza Portugal, “a bas as companhias), com Christine, o
distribuídos pelos quatro continentes, repre- Douro, foram o culminar da respos- tros. entrada no Centro Comercial Vivaci líder local no sector da panificação e
sentando os mercados externos cerca de ta aos requisitos e necessidades apre- A Logicomer foi fundada em 1989 é decisiva para uma marca que pre- pastelaria. Actualmente, Christine
um terço da sua facturação global. A sentados pela Logicomer”. e tem cerca de 150 colaboradores. tende estar junto dos seus clientes. oferece os produtos Telepizza em
Ucrânia e o Suriname foram os dois novos O complexo está dotado de todas Desenvolve serviços inerentes à ges- Acreditamos que se trata de um in- vários dos seus pontos de venda. Em
mercados para onde a empresa começou a as infra-estruturas necessárias à ins- tão e recuperação de créditos, essen- vestimento que será bem sucedido e Portugal, a cadeia conta com 116
exportar em 2010. talação de uma grande empresa, cialmente a instituições de crédito. estamos preparados para continuar- lojas (55 próprias e 61 franchisadas).
QUINTA-FEIRA
PUBLICIDADE 10 de Fevereiro de 2011 III
QUINTA-FEIRA
IV 10 de Fevereiro de 2011 ESPAÇOS DE NEGÓCIOS

BREVES
Arquiled no museu do Benfica
A Arquiled, PME – Projectos de Iluminação e o
Sport Lisboa e Benfica iniciaram um projecto
ESCRITÓRIOS EUROPEUS
COM CRESCIMENTO
para a iluminação LED do futuro museu do
clube. Com poupanças da ordem dos 60% nos
gastos em luz, o projecto da empresa de Mora
é já visível na exposição dedicada aos 50 anos
de Eusébio. O ponto alto da parceria será a ilu-
minação total dos 2 mil m2 do novo museu do

MODESTO DE RENDAS,
Benfica.

CIN reforça posição


A CIN, um dos líderes ibéricos de tintas e
vernizes, ocupa agora o 37º lugar do Coating
World, um ranking mundial das empresas pro-

DIZ A JONES LANG LASALLE


dutoras de tintas, depois de uma subida de
quatro posições em apenas um ano. A CIN,
que em 2009 ocupava o 41º lugar, é a única
empresa portuguesa a marcar presença neste
ranking. Para este resultado contribuiu a fac-

O crescimento das rendas no mercado de escritórios europeus é reduzido,


refere a Jones Lang LaSalle no European Office Clock do 4.º trimestre
2010
turação da empresa, que em 2009 foi de 217
milhões de euros. Na liderança do Coating

O
World está a holandesa Akzo Nobel, seguindo- Office Rental Index da Jo- deverá persistir até que o crescimen-
se a norte-americana PPG e a germânica nes Lang LaSalle a crescer to económico ganhe ritmo.
Henkel. A CIN opera exclusivamente no merca- 0,8% no trimestre e 5,4% Em Lisboa, o comportamento das
do de tintas e vernizes. A empresa é respon- em termos homólogos, o rendas foi marcado pela estabilida-
sável pelo fabrico e distribuição de produtos que é interpretado como um cresci- de, com uma variação nula, quer em
para decoração, construção civil, protecção mento modesto de rendas no merca- termos trimestrais quer em termos
anticorrosiva e Indústria (metal e madeira). do europeu de escritórios. homólogos, cifrando-se os valores
Com 1.400 empregados e sete unidades fabris O European Office Clock da Jones prime em 228 euros/mês/ano. Esta é
em países como Portugal, Espanha, França, Lang LaSalle destaca ainda um cres- a segunda renda mais baixa de entre
Angola e Moçambique, a CIN distribui os seus cimento no mercado ocupacional ao os países analisados, sendo apenas
produtos na Península Ibérica através duma longo do trimestre, com a absorção a superado por Estugarda, que regista
rede de lojas próprias, para além de franchisa- crescer 20% quer na Europa Central uma renda de 210 euros/mês/ano.
dos, concessionados e revendedores autoriza- e de Leste (ECL) quer na Europa Oci- Os volumes de absorção na Euro-
dos. Exporta também para vários mercados da dental. Contudo, o research apresen- pa dispararam neste último trimes-
Europa Central e da América Latina. ta também uma perspectiva modera- tre do ano, com cerca de 3 milhões
da para 2011, pois os riscos “macro” de m2 transaccionados, num cresci-
ThyssenKrupp com nova loja continuam a existir. Adicionalmente, mento de 20% face ao trimestre an-
A ThyssenKrupp Elevadores inaugurou em a compressão dos yields e o cresci- terior e num nível trimestral inédito
Leiria a sua segunda loja da rede de atendi- mento modesto das rendas contin- desde 2007. A absorção foi impul-
mento directo ao público, trazendo para a uaram a influenciar positivamente o sionada pelas melhorias quer na
cidade do Liz um conceito inovador na abor- valor dos imóveis, à medida que quer Europa Ocidental quer na ECL, que
dagem do mercado da elevação em Portugal. a actividade do mercado quer a con- observaram crescimentos trimes-
Estrategicamente localizada na Praça Nova fiança registaram melhorias. trais de 20% cada. O take up anual
(Nova Leiria) - no novo centro empresarial de A recuperação económica em toda na Europa ascendeu a 10,7 milhões
a região durante o 4º trimestre man- de m2 em 2010, um terço mais do
teve o mesmo ritmo verificado no que em 2009, com 17 dos 24 merca-
trimestre anterior, contudo esta re- dos monitorizados pela Jones Lang
toma continua a duas velocidades, LaSalle neste índice a apresentarem
com a Alemanha e os Países Nórdi- actividade acima dos níveis de 2009.
cos a apresentarem o crescimento Este volume pan-europeu foi ainda
mais forte, em contraste com a Ir- 4% acima da média dos últimos 10
landa, Grécia, Portugal e Espanha, anos, um resultado que muito pou- ao longo dos seis meses anteriores. cimento dos fundamentais do mer-
que sentem crescentes dificuldades. cos esperariam no inicio do ano. Mas Na Europa Ocidental, este indicador cado, a confiança dos investidores
As rendas “prime” em toda a Eu- apesar dos volumes de arrendamen- caiu ligeiramente dos 10%, valor melhorou na última metade de
Leiria, situado bem perto do coração da cidade ropa continuaram o seu ritmo mo- to estarem a melhorar, os ocupantes atingido no 3.º trimestre, para um 2010. O investimento directo em
- esta nova loja vai ao encontro das exigências derado de crescimento, com o Euro- mantêm a sua postura de cautela dígito (9,8%), mas na ECL, manteve- imobiliário terciário na região EMEA
do mercado em termos de soluções de assis- pean Office Index da Jones Lang com muitas operações a continua- se estável nos 14,4%. em 2010 totalizou os 102 mil mi-
tência técnica, reparação e conservação de LaSalle a crescer 0,8% no trimestre, rem a ser marcadas por estratégias A conclusão de nova oferta man- lhões de euros, num crescimento de
todo o tipo elevadores, independentemente da o que compara com o crescimento de consolidação e acções de arrenda- teve-se estável ao longo do trimestre, 45% face a 2009. No total, 15 dos
sua marca de origem. A Loja de Leiria é o trimestral de 0,7% registado no 3.º mento. Esta postura deverá manter- com cerca de 1,2 milhões de m2 de mercados registaram um crescimen-
segundo estabelecimento do novo conceito trimestre. Em termos homólogos, as -se à medida que persistirem os ris- novo stock a surgir no mercado, o to no valor dos imóveis ao longo do
que valoriza fundamentalmente a proximidade rendas de escritórios estão agora cos relacionados com a recuperação que eleva para próximo dos 5 mi- trimestre, liderados por Milão, onde
ao mercado e ao cliente, “através da sua local- 5,4% acima de igual período do ano económica. A austeridade fiscal pro- lhões de m2 o stock concluído em a valorização foi de 7,2%, impulsio-
ização privilegiada e abrangência geográfica”, passado, depois de quatro trimestres mete minar a confiança quer de con- 2010. Este volume anual representa nada pela combinação de rendas em
refere Carlos Pinto sub-director-geral da consecutivos de crescimento. As ren- sumidores quer de empresários e um decréscimo de 32% face a 2009 e crescimento e nova compressão de
ThyssenKrupp Elevadores. A 28 de Janeiro das permaneceram estáveis em mais tem o potencial de moderar a procu- as perspectivas para 2011 são de que yields. Contudo, quatro mercados
último, a ThyssenKrupp Elevadores lançou, em de metade dos mercados contempla- ra de espaços de escritórios ao longo se registe ainda uma maior redução. exibiram uma descida no valor dos
Aveiro, a primeira loja da sua rede de atendi- dos no Índex da Jones Lang LaSalle, de 2011. O “pipeline” de promoção permane- imóveis: em Budapeste e Dublin essa
mento directo ao público. contudo verificaram-se algumas ex- A absorção líquida foi positiva ce baixo e para os que procuram desvalorização deveu-se à mudança
cepções notáveis. As rendas caíram pelo 6.º trimestre consecutivo, com o espaços de elevada qualidade, a pos- nas yields, enquanto que em Barce-
Throttleman Factory Store no Vivaci Maia em Barcelona (menos 26%), Madrid stock ocupado na região EMEA a sibilidade de escolha está a ficar lona e Edimburgo se baseou inte-
A loja Throttleman – espaço dedicado à co- (menos 1,6%) e Edimburgo (menos crescer cerca de 1,2 milhões de m2 limitada na maioria dos mercados. A gralmente na performance negativa
mercialização de artigos de moda para ho- 1,7%), tendo subido em sete outros ao longo do trimestre, principalmen- oferta de espaços usados permanece das rendas. Com a esperada estabili-
mem, mulher e criança – abriu as portas no mercados. As subidas mais expressi- te devido às boas performances de elevada em muitos mercados e está dade de yields em maior número de
centro comercial Vivaci Maia. Trata-se de uma vas ocorreram em Lyon (5,2%), Mi- Berlim, Londres, Paris e Moscovo. As agora disponível a preços mais redu- mercados, a valorização dos imóveis
“factory store” com 220 m2 que disponibiliza lão (4,0%) e Estocolmo (2,6%), bem únicas quedas no stock ocupado zidos. A decrescente disponibilidade a curto-prazo deverá ser motivada
produtos originais da marca, a preços reduzi- como nos mercados alemães de Ber- ocorreram em Frankfurt e Haia, ten- de espaço prime continuará a impul- pelo comportamento das rendas e as
dos. Presente há duas décadas no mercado lim, Dusseldorf e Munique. Em mui- do ambos os mercados registado um sionar a estabilidade e crescimento melhores performances deverão
português, a marca de moda está em plena tos mercados, a forte diferença de aumento nas taxas de disponibilida- de rendas na maioria dos mercados. ocorrer onde as perspectivas para os
fase de crescimento. A aposta recai sobretudo performance entre a procura de es- de. A taxa de disponibilidade euro- Impulsionada pela alargada recu- mercados ocupacionais são mais po-
na internacionalização. No entanto, o mercado paços prime e de qualidade superior peia registou um ligeiro decréscimo peração económica na Alemanha e sitivas. Provavelmente nunca antes
nacional não está à margem da expansão que e espaços secundários deverá man- de 10 pontos base para os 10,2% no em alguns mercados Nórdicos (par- de 2014 veremos os picos registados
a Throttleman protagoniza. ter-se, sendo esta uma tendência que trimestre, depois de ter estabilizado ticularmente a Suécia) e pelo fortale- em 2007.
QUINTA-FEIRA
ESPAÇOS DE NEGÓCIOS 10 de Fevereiro de 2011 V

BROADWAY MALYAN CONCEBE CENTRO CTT DA MAIA BREVES


Grupo Invictus factura 90 milhões
O grupo de arquitectura Broadway Malyan desenhou o centro opera- O grupo Invictus, que actua como revende-
dor no mercado imobiliário, atingiu em
cional dos CTT, na Maia. Eficiência é a palavra de ordem 2010 uma facturação de 90 milhões de
euros, o que representa um crescimento de
80% relativamente ao ano anterior. A
O NOVO Centro Operacional de Cor- cluído pela Broadway Malyan em tamento de correspondência mas, tos que o compõem, visando a má- procura directa por parte do cliente final
reio do Norte, na Maia — o mais re- Portugal —, é considerado um mo- também, um exemplo de sustentabi- xima eficiência operacional no tem aumentado significativamente, tendo
cente projecto arquitectónico con- delo de eficiência operacional no tra- lidade energética e ambiental. É o tratamento da correspondência. Ca- em conta o conceito inovador aplicado pelo
maior investimento já realizado pe- racteriza-se por uma imagem con- grupo. O posicionamento recai na compra
los CTT em infra-estruturas, com temporânea e uma linguagem ac- de um número considerável de fracções em
um valor superior a 10 milhões de tual, adaptadas à imagem e identi- empreendimentos novos, prontos a habitar.
euros. dade dos CTT. O desconto de quantidade reverte também
Segundo a arquitecta Margarida A cobertura da nave operacional em prol do cliente final, podendo atingir os
Caldeira, responsável pelo escritó- do edifício está estudada e calcula- 20%. Actualmente, o grupo efectua cerca
rio da Broadway Malyan em Portu- da para poder vir a integrar mantas de 90% dos negócios com a banca e apenas
gal e pelo desenvolvimento de pro- fotovoltaicas, que poderão ocupar 10% resultam de parcerias com promotores
jectos na América Latina, “na con- uma área de cerca de 12 mil m2 da imobiliários. A tendência tem vindo a acen-
cepção do edifício partiu-se de uma cobertura, capaz de fornecer uma tuar-se desde 2008, ano em que o peso da
lógica de sustentabilidade, tendo parte significativa da energia eléc- banca representava pouco mais de 10% dos
sido debatidas e implementadas di- trica que o edifício consome. O es- negócios do grupo. “Em 2011, o grupo
versas medidas e soluções técnicas paço envolvente foi também alvo de Invictus pretende aumentar a quantidade
que contribuem para a redução dos projecto de arquitectura paisagista de activos para revenda, pelo que estamos
consumos e para a minimização do da Broadway Malyan, ocupado por continuamente a avançar com novos investi-
impacto ambiental da própria cons- zonas ajardinadas que preservaram mentos. Está ainda prevista a entrada em
trução”. parte da mata e orla associadas ao novos segmentos do mercado imobiliário.
Com uma vocação maioritaria- coberto arbóreo existente, tendo Acreditamos que o nosso modelo de negó-
mente industrial, o edifício foi pen- como princípio a criação de espaços cio pode ser aplicado a outras áreas dentro
sado com base num organigrama exteriores de distinção onde se do sector”, revela, em nota, Pedro Paredes,
funcional complexo que relaciona e cumpram objectivos de ordem esté- CEO da empresa.
localiza os diferentes departamen- tica, funcional e ecológica.
Estudio de Comunicación no México
O Estudio de Comunicación, grupo multina-

ENTREPOSTO I ATINGE OCUPAÇÃO MÁXIMA cional de comunicação empresarial e insti-


tucional que opera em Portugal desde

Com o edifício Entreposto I totalmente ocupado, o promotor vai avançar


com as obras no Entreposto II
O EDIFÍCIO Entreposto I atingiu a do de “call centers” devido ao bom
taxa máxima de ocupação, com cerca pé direito e poucos pilares do edifí-
de 23 inquilinos de diversos sectores cio.
de actividade, bem como concessões Ao longo de 2011 terão início as
e marcas de automóveis a ocuparem obras do Edifício Entreposto II, que
o maior centro de escritórios da zona será contíguo ao actual na zona
oriental de Lisboa, no qual traba- norte, mais concretamente na
lham cerca de duas mil pessoas nu- Avenida Dr. Francisco Luís Gomes.
ma área total de 60 mil m2. Com cerca de 4.800 m2, este edifício
A construção única e de qualidade terá uma capacidade de estaciona-
do edifício, bem como a sua central- mento para 350 veículos, uma gale-
idade, com acessos privilegiados às ria comercial e segurança por 24
principais vias rodoviárias de Lisboa horas.
e à futura estação de metro, fazem De destacar que o Edifício da Pra- poucos pilares por piso). Com a com- 2002. Actualmente é um dos 2004, chegou a acordo com a AB Com -
do edifício Entreposto um espaço ça José Queirós – Entreposto I foi ad- pra pelo Grupo Entreposto, e com a maiores centros de escritórios da empresa de referência no mercado mexi-
dotado de características únicas, ca- quirido pelo Grupo Entreposto em realização da EXPO 98 e a profunda cidade e um dos factores que dotou cano da comunicação empresarial e
pazes de responder às mais variadas 1992. O edifício fora construído en- reabilitação urbana que lhe estaria o Grupo Entreposto, nomeadamente relações públicas - para a constituição de
exigências empresariais. tre os anos de 1965 e 1968 para uma associada na zona oriental de Lisboa, a Entreposto Gestão Imobiliária uma nova empresa, que passará a denomi-
Entre os vários sectores de activi- central de camionagem (daí o facto o edifício Entreposto foi alvo de uma (EGI) de um apreciável Know-how na nar-se AB Estudio de Comunicación.
dades, destaca-se o miolo de merca- de haver uma rampa central e extensa intervenção entre 2001 e área dos escritórios.
JLL apresentou livro
O livro “O Novo Paradigma do Investimento
Imobilirio”, da autoria de Carlos Moedas e
de Amaro Laia, foi apresentado pela Jones

RETALHO Lang LaSalle, patrocinadora da obra, aos


seus clientes e colaboradores. A obra, que
tem prefácio de João Duque, presidente do
ISEG, faz uma análise do novo paradigma
vigente no sector imobiliário, de acordo com

Edifícios concluídos T4 2010 o qual esta indústria passou do simples


“tijolo e argamassa” para um activo finan-
ceiro gerido de forma semelhante a uma
acção ou obrigação.

Vivafit abriu em Lepe, Huelva


A SUPERFÍCIE ocupada em Portugal por conjuntos comerciais é actualmente A Vivafit, uma das maiores redes de giná-
de 3,46 milhões de m2, incluindo os espaços em centros comerciais, retail sios em Portugal, abriu um espaço na locali-
parks e outros formatos como outlets, centros de lazer e hipermercados com dade de Lepe, junto a Huelva, o terceiro com
galeria comercial. a insígnia portuguesa no país vizinho.
Nos últimos 5 anos foram inaugurados em média 270 mil m2 por ano de Depois de Madrid e Badajoz, ambas
área bruta locável (ABL) de conjuntos comerciais, sendo que em 2010 foram unidades próprias, o ginásio de Lepe é o
inaugurados apenas 54 mil m2. Este volume representa uma descida de primeiro franchisado da Vivafit em Espanha,
mais de 80% comparativamente com 2009. país onde a PME nacional espera abrir mais
A área inaugurada em 2010 corresponde a dois únicos conjuntos comer- pontos em 2011. A Vivafit prossegue a sua
ciais: o Leiria Shopping, que resultou da expansão da galeria comercial do internacionalização prevendo abrir na Índia
hipermercado Continente, com uma área adicional de 19.500 m2; e o no proximo dia 14 de Fevereiro e Singapura
Barreiro Retail Planet, com 35.000 m2 de ABL inaugurado em Novembro e em Abril, “espreitando” a possibilidade de
que aposta na agregação de um centro comercial e de um retail park no entrar no Brasil. Com mais de 100 ginásios
mesmo complexo. em Portugal, a VivaFit abriu só em 2010
Refira-se ainda que as expectativas para 2011 apontam para um aumento dez insígnias correspondendo a mais de
da área nova em conjuntos comerciais, com a abertura prevista de um total 3.000 sócias, quando no total a empresa já
de 183.000 m2 de ABL, ainda assim abaixo dos valores dos últimos 10 anos. Fonte: CB Richard Ellis. ABL: Área Bruta Locável ultrapassou as mais de 40.000 clientes.
QUINTA-FEIRA
VI 10 de Fevereiro de 2011 ESPAÇO DE NEGÓCIOS

A WORX É A PRIMEIRA
EMPRESA DO SECTOR
A SER REGULADA PELO RICS
A consultora Worx, liderada por Pedro Rutkowski, é a primeira consultora nacional a ser regulada
pelo RICS, o que constitui um “selo de garantia” a nível dos melhores standards internacionais.
Também a Invescon, uma empresa integrada na consultora e especializada na reabilitação, é a
primeira companhia de “project management” com “selo” RICS. A consultora está a crescer exter-
namente e, depois de Angola, está a estudar a entrada em outros mercados internacionais.

C
om uma presença muito forte mais recentemente fizemo-lo tam-
nos escritórios, investimento, bém para as Regiões Autónomas dos
montagem de parcerias e em Açores e da Madeira. Aqui fizemos a
áreas como as avaliações e o avaliação do património em consór-
research, a consultora Worx, associa- cio com o BES e com a Vieira de Al-
da da multinacional Knight Frank, meida, num total de 7.500 activos,
fechou 2010 cimentando a sua posi- desde hospitais e edifícios ministe-
ção como uma das principais consul- riais até os portos. Ainda a nível de
toras do mercado. Nos escritórios co- avaliações, somos lideres nos fundos
locou 25% dos espaços do ano, au- de pensões, para além de termos de-
mentou a quota e Pedro Rutkowski, o senvolvido muitas avaliações para
director geral da empresa, espera múltiplas entidades internacionais.
manter o ritmo para este ano. Somos a primeira empresa a ser
O gestor confirma que, apesar da regulada pelo RICS, o que é um “selo
actual situação, Portugal não sofreu de garantia” pelos melhores stan-
uma bolha imobiliária como Espanha dards internacionais. Este estatuto foi
e, como em qualquer crise, apresenta conferido em Dezembro. Também
oportunidades muitos interessantes uma sociedade que é participada pela
para os “players”. Defende os fundos Worx e que actua na reabilitação, a
de investimento nacionais e diz que
estes têm capacidade para valoriza-
rem os activos, colocando-os no mer- Na parte de avaliações
cado no momento adequado.
estamos entre as consul-
Quais os valores de imobiliário, nos
vários segmentos, que colocaram em
toras mais activas. Este
2010? departamento avaliou
Em escritórios a Worx tem mais de
25% do mercado, tendo em conta que cerca de quatro milhões de
o take-up de 2010 atingiu os 105 mil
m2.
m2, o que significou val-
ores da ordem dos 5,8 mil
O que os diferencia da concorrência?
Essencialmente o nosso “aproach”, milhões de euros
que é muito pró-activo. Esta é, e con-
tinuará a ser, a nossa filosofia. Por ou- Invescon, também passou a ser regu-
tro lado, a nossa estrutura, que prima lada pelo RICS, o que significa que se
pela qualidade e não pela quantidade, trata da primeira sociedade RICS em
é relativamente reduzida, mas, repi- “project management”. Este “selo”
to, permite-nos ser muito mais pró- reflecte as capacidades que temos
activos. dentro do nosso escritório. pois fomos a primeira empresa em estudo, um facto que constitui uma cionamos com duas áreas completa-
Portugal a ter um departamento de mais-valia relevante e que vai muito mente diferentes: consultoria e ava-
E em outras áreas? E outras áreas não transaccionáveis? research no escritório, inicialmente para além da nossa opinião, a qual liações e a área de mediação. Tivemos
Na parte de avaliações estamos entre Em arquitectura estamos igualmente como Knight Frank e depois como tem, obviamente, de trabalhar sobre um crescimento fortíssimo na área de
as consultoras mais activas. Este de- muito fortes, e reforçámos recente- Worx. Devo frisar que nesta área o os números que existem no mercado. consultoria e avaliações, para além de
partamento avaliou cerca de quatro mente a equipa. Temos vindo a desen- mercado estava a desenvolver estudos uma quota relevante na área de co-
milhões de m2, o que significou va- volver muitos projectos e com bons muito idênticos e considerámos que Ainda em 2010, o que correu melhor mercial, retalho e agência.
lores da ordem dos 5,8 mil milhões de resultados. poderíamos dar um outro enquadra- no vosso negócio, as áreas transac-
euros. Também o departamento de re- mento/contributo. Nesse sentido, con- cionáveis ou as não transaccionáveis? Entretanto em 2011, o que é expectá-
A título de exemplo concretizámos search é uma área onde apostamos vidámos algumas personalidades O ano passado manteve-se forte nas vel acontecer nos escritórios?
a avaliação do Edifício sede da CGD e forte. Fomos inovadores e criativos, para pertencerem ao nosso painel de transaccionáveis. Devo frisar que fun- Teremos um ano peculiar. Já consegui
QUINTA-FEIRA
ESPAÇO DE NEGÓCIOS 10 de Fevereiro de 2011 VII

surpreender-me relativamente a ternos, contrariamente àquilo que se da num período que pode ir aos sete siderámos ser uma mais-valia para os Ainda não queremos dar pormenores,
2010, pois nunca pensei que fosse um faz constar entre as pessoas. Estas ou oito anos. nossos clientes ter o departamento in- porque estamos ainda na fase de estu-
ano tão positivo para nós, pois au- companhias estão a descobrir novas terno. O objectivo era ter um único dos. Posso dizer que a área da reabili-
mentámos a nossa quota. Para este oportunidades e bons negócios. Não É verdade, ou não, que boa parte dos interlocutor na Worx. Considero que tação residencial é um mercado com
ano a expectativa é manter esta posi- posso falar muito da parte de investi- FI I portugueses têm parte dos activos esta mais-valia resultou muito bem e grande potencial e que gera oportuni-
ção no mercado. Independentemente mento/compras de activos, mas posso no mercado, com receio de necessita- um dos exemplos foi a sede da Gene- dades para promotores, construtores
desse objectivo, acredito que seja um falar de posicionamento no mercado rem e liquidez imediata para even- ralli, onde fizemos a reabilitação glo- e consultores. Iremos juntar entida-
ano difícil pelo facto de as empresas português. Falo de novos clientes que tuais resgates? bal do edifício, ou ainda o caso dos es- des porque acreditamos que deve ha-
estarem em transição mas, friso, con- estão à procura de oportunidades. Não tenho notado isso. Os fundos têm critórios da KPMG. O ponto forte des- ver uma participação activa de em-
tinua a haver espaço para algum cres- os seus activos, que vendem e com- te trabalho passa por descobrir as ten- presas e entidades públicas.
cimento, quer seja com escritórios E a nível de investimento? pram embora, claro, o mercado esteja dências arquitectónicas, ou os novos
novos ou com escritórios com maior É uma situação diferente. Temos de actualmente mais vendedor. Há uma métodos de utilização de espaço, ou Voltando a Angola, estão focados ape-
capacidade versus custos. ser mais competitivos. Actualmente, situação relevante nesta conjuntura: como rentabilizar o espaço possível. nas em Luanda?
Portugal não é um destino interna- os fundos portugueses não estão a Friso que não pretendemos fazer Não. Estamos posicionados com sede
Dentro dos escritórios, o que é que cional de investimento. E temos obri- vender a qualquer preço. Claro que se obras, mas temos as empresas que em Luanda mas trabalhamos em todo
será relevante em 2011 para os ocu- gatoriamente de contrariar esta ten- houver uma oportunidade poderão nos dão confiança para os trabalhos
pantes? Os custos e/ou a localização? dência. vender mas não irão assumir menos- nesta área. A Invescon tem um papel
Essencialmente serão os custos, em-
bora se possa englobar também a lo- Na prática, o que é que isso significa
-valias nas transacções. Considero,
aliás, que os FII têm perfeita capaci-
fundamental nesta vertente. Fiquei supreendido relati-
calização. O importante é ser um em termos de “yield” para escritórios dade para aguentar os activos e valo- Com está a funcionar a Invescon? vamente a 2010, pois
apoio para as empresas. Temos de “prime”? rizá-los, colocando-os no mercado no A empresa está no universo da Worx.
tentar saber os que as companhias O “yield” não tem a ver apenas com o momento adequado. A ideia inicial foi ir buscar uma enti- nunca pensei que fosse um
precisam, tentar colocarmo-nos no
lugar dos gestores e gerir de forma a
factor risco, mas tem muito a ver com
o factor arrendamento e as qualida- Que antecipação faz do desenvolvi-
dade que nos complementasse num
serviço que não tínhamos, ligado à
ano tão positivo para nós,
beneficiar ao máximo as empresas des do activo e do arrendatário. Aqui- mento para este ano da área indus- construção e engenharia. Através da já que aumentámos a
que estão a mudar de escritório. Terá lo que posso dizer é que, nas condi- trial e logística? Invescon expandimos para Angola. A
de ser uma atitude que faz sentido e ções actuais, um “yield” de 7% (para É uma área em reajustamento. Foi o Worx Angola tem no país, oito cola- nossa quota. Para este ano,
que vai significar uma poupança, a
par de uma melhoria de condições.
os escritórios “prime”) é considerado
pouco competitivo. E isso porque ha-
primeiro sector a ressentir-se da crise
e, neste momento, é um mercado
boradores e está a fazer muito traba-
lho em termos de avaliações, “project
a expectativa é manter
Que tipo de clientes tem a Worx em
verá outros investimento em outras
capitais europeias com maior capaci-
pouco dinâmico, mas que tem vindo a
reajustar-se.
management”, investimento e arren-
damentos comerciais.
esta posição no mercado
termos de origem e que perspectivas dade de valorização, o que faz com o país. Aliás, já fizemos avaliações em
tem de movimentos destes clientes que os fundos estrangeiro desta in- Que zonas estão a preferir os estran- Como tem funcionado a reabilitação várias cidades do país, com destaque
para o corrente ano? dústria estejam a investir mais em Es- geiros? urbana em Lisboa? para Lobito e Benguela.
Em termos nacionais e externos e no panha do que cá. O pensamento deles Os pedidos que temos é para as zonas Considero que começa a haver condi-
negócio deste ano, a nossa expectati- é que a retoma em Espanha será mui- de logística existentes, caso da Azam- ções para se desenvolver a verdadeira E fora de Angola, que outras países
va é que as mudanças deverão correr to mais acelerada do que a nossa. buja, Alverca, Montijo ou Alcochete. reabilitação e dentro deste conceito estão vosso radar?
com os clientes estrangeiros com temos de saber o que é reabilitar um Estamos a aprofundar o potencial de
maiores áreas. Os ocupantes nacio- Neste cenário, qual o comportamento Uma área em crescimento está ligada edifício e o que é reabilitar uma zona. outros países, incluindo África, onde,
nais que procurem novos espaços de- dos fundos de investimento portu- às obras. Qual a importância da área Temos uma área no escritório dedica- aliás, já fizemos trabalho. Sem adian-
verão envolver áreas relativamente gueses? de “fit-out”? da ao urbanismo e estamos a organi- tar muito posso dizer que já temos
pequenas. Estão receptivos, independentemente A nossa estratégia passa por acompa- zar um projecto para arrancar no iní- uma estrutura num outro mercado e
de alguns deles estarem a sofrer algu- nhar o cliente desde o início. Começá- cio de 2011. que será divulgado brevemente. No
Há empresas estrangeiras novas a en- ma desvalorização. Acrescento que a mos por ter arquitectura com entida- futuro imediato queremos ter outra
trar em Portugal? rendibilidade de um FI não pode ser des do exterior, até que pelo posicio- Está a falar de um projecto Worx liga- dimensão e apostar mais profunda-
Efectivamente há novos clientes ex- vista anualmente, tem de ser analisa- namento que queríamos assumir con- do a reabilitação? mente neste e noutros países.
PUB
QUINTA-FEIRA
VIII 10 de Fevereiro de 2011 ESPAÇOS DE NEGÓCIOS

Coluna CB RICHARD ELLIS VENDE


Legal EDIFÍCIO LEONEL NA R. DO CARMO
MIGUEL MARQUES A gestora Norfin é a nova proprietária do emblemático edifício
DOS SANTOS Leonel, na Baixa de Lisboa
ADVOGADO - SÓCIO DA GARRIGUES
RESPONSÁVEL PELO DEPARTAMENTO DE

A
CB Richard Ellis intermediou a vel particularmente indicado para uma fundos de investimento imobiliário, à ges-
IMOBILIÁRIO E URBANISMO DA venda da totalidade da compo- operação de Short-stay Apartments de alto tão dos activos nas suas vertentes técnica,
GARRIGUES PORTUGAL nente residencial do Edifício nível e uma operação de investimento comercial e financeira, e à gestão dos pró-
Leonel à Norfin – Sociedade Ges- com grande potencial”. prios imóveis. Como investidores nos seus
tora de Fundos de Investimento Imobiliá-
rio.
Trata-se de um edifício histórico situado

Quereremos na Rua do Carmo, uma das mais impor-


tantes ruas comerciais da baixa lisboeta,
integralmente recuperado pela Imopólis
após o incêndio do Chiado, outra socie-

perpetuar os dade gestora de fundos imobiliários, e cujo


projecto é da autoria do conceituado ar-
quitecto Álvaro Siza Vieira. A CB Richard

arrendamentos
Ellis actuou em nome da Imopólis nesta
transacção, que foi concluída no final de
Dezembro.
O Edifício Leonel apresenta excepcio-

antigos? nais acabamentos, um rigoroso traço e ele-


vados padrões estéticos, características
afirmadas de Siza Vieira. Tem uma ABC
total de cerca de 1.500 m2, distribuída por
cinco andares e 10 fracções habitacionais
do tipo T1 e T2, com áreas que variam
entre os 95 e os 133 m2.

É
hoje claro que o Novo Regime do Arrendamento Urbano Ricardo Valente, da Imopólis, realça a
(“NRAU”), de 2006, não cumpriu o seu desígnio reformador, importância deste edifício “que suporta o
nem foi capaz de reanimar o mercado do arrendamento. passadiço de acesso entre o Largo do Car-
Como já aqui dissemos por mais do que uma vez, o NRAU, ape- mo e o elevador de Santa Justa e é a segun-
sar de conter um regime equilibrado e eficiente relativamente da grande intervenção da Imopólis na A Imopólis - Sociedade Gestora de Fun- fundos, a Norfin conta com as principais
aos “contratos novos”, foi um flop relativamente aos “contratos reabilitação da zona do Chiado, na sequên- dos de Investimento Imobiliário, é uma sociedades gestoras de fundos de pensões
antigos” (contratos habitacionais celebrados antes de 1990 e cia da promoção dos ‘Terraços de Bragan- empresa com 14 anos de experiência que da Península Ibérica, as prncipais segu-
contratos não habitacionais celebrados antes de 1995), os quais ça’ entre as ruas do Alecrim e António Ma- se dedica à administração, gestão e repre- radoras, fundações de relevo, institutos
representam mais de metade dos contratos de arrendamento ria Cardoso, também da autoria do arqui- sentação de Fundos de Investimento Imo- públicos e investidores particulares quali-
urbano actualmente em vigor. tecto Siza Vieira“. biliário, com actuação exclusiva no mer- ficados “family offices”. A empresa dedi-
Sendo várias as causas geralmente apontadas para o fracasso Acessível através da Rua do Carmo e do cado português. Foi constituída em ca-se agora na forte aposta no investimen-
do NRAU (relativamente aos “contratos antigos”), parece hoje largo do convento com o mesmo nome, a Outubro de 1983 e entra no mercado to imobiliário no mercado espanhol, enfo-
evidente que a decisão de não intervir no regime de transmissão traça, localização e integração do Edifício imobiliário com a chancela do Grupo cando a sua actividade nas principais
por morte dos contratos de arrendamento foi certamente uma Leonel, frente ao Elevador de Santa Justa, Mello. Desde essa altura que vai acumu- cidades da Península Ibérica. O seu Fundo
delas. tornam-no numa peça chave para a carac- lando know how e envolvendo-se com os de Investimento Imobiliário Fechado to-
Existe um consenso generalizado de que a dinamização do terização de uma das ruas mais típicas do principais players do mercado imobiliá- talmente dedicado ao segmento escritó-
mercado de arrendamento (e, consequentemente, da reabilita- Chiado. rio, tanto a nível nacional como interna- rios – Vision Escritórios, foi classificado
ção urbana) passa, muito decisivamente, pelo fim dos “contrato Francisco Sottomayor, director do de- cional. Recentemente, a sociedade foi pelo International Property Databank com
antigos”, sendo certo que, a par de outras soluções, a restrição partamento de Promoção da CB Richard adquirida por um Fundo Imobiliário a segunda maior rentabilidade nos últi-
dos casos de transmissão por morte dos contratos de arrenda- Ellis, refere que “a localização privilegiada Europeu, gerido pela JP Morgan, e desde mos três anos e premiada em 2007 com o
mento poderia contribuir decisivamente para esse objectivo – do edifício, os excepcionais acabamentos e essa data que é a porta de entrada deste Europroperties Investments Awards, co-
esta medida, embora não tivesse efeitos imediatos, seria sem a assinatura de um dos mais importantes grupo no mercado português. mo melhor Fundo de Investimento Espe-
dúvida uma forma de, a prazo, com um reduzidíssimo custo arquitectos portugueses tornam este imó- A Norfin dedica-se à administração de cializado.
social, ir pondo termo aos “contratos antigos”. Refira-se que
este caminho foi seguido, com sucesso, noutros ordenamentos
jurídicos (como o espanhol).
Infelizmente, o anterior Governo Sócrates (legislador do
NRAU), seja por preconceito ideológico, seja por pensar que o
B. PRIME PARTICIPA NO LISBON PRIME INDEX
imperativo constitucional do direito à habitação deve ser garan-
tido pelos senhorios e não pelo Estado, seja por temer o impacto
público deste tipo de decisões, optou por desperdiçar esta opor-
O índice imobiliário LPI convidou a consultora B. Prime a inte-
tunidade, mantendo (e até piorando) um regime de transmissão
por morte dos contratos de arrendamento que, para além de
grar o conjunto de operadores que actuam nesta indústria
datado e obsoleto, está em contraciclo com o que se faz nos nos-
sos vizinhos europeus. Mais uma vez, questões de natureza DEVIDO À relevância que a actividade da cluindo as transacções de arrendamento portfólios prime, em diferentes zonas da
ideológica ou de táctica politica contribuíram decisivamente B. Prime assumiu durante o ano de 2010, e compra. Todos os negócios reportados cidade de Lisboa. Na Zona 2 destaca-se o 5
para perpetuar o ciclo negativo dos mercados do arrendamento esta empresa foi convidada a ingressar pelas consultoras associadas têm por base de Outubro, 202 e na Zona 4 destacam-se
e da reabilitação urbana. neste índice imobiliário que conta com a uma única definição de zonas de serviços os Terraços de Bragança, o Chiado 12 e o
Mas o actual Governo, a propósito das suas 50 mediáticas me- participação das principais consultoras de Lisboa. Esta ferramenta de informação Serpa Pinto. Na zona 5 tem em portfólio
didas para a competitividade e o emprego (onde incluiu princí- imobiliárias que operam no mercado na- é por isso uma fonte fidedigna que con- o Espace & Explorer que ganhou recente-
pios genéricos sobre a promoção dos mercados do arrendamen- cional. fere uma maior transparência ao merca- mente o prémio SIL para melhor projecto
to e da reabilitação urbana), tem agora uma boa oportunidade O LPI é o único Índice imobiliário que do e que apoia os inúmeros estudos de de escritórios do ano, e a Torre Zen. Na
para arrepiar caminho. Serão necessárias medidas concretas, apresenta mensalmente os valores de ar- research desenvolvidos pelas consultoras. Zona 6, a B. Prime comercializa dois dos
em lugar de posições de princípio, e sabemos que o Governo rendamento (m2/mês) reais do mercado António Gil Machado, gestor do LPI edifícios da Quinta da Fonte e o Duo Mi-
foge das primeiras como o diabo da cruz. Mas o tempo que vive- de escritórios de Lisboa, cujo rigor é ga- considera que “o rigor do Lisbon Prime raflores Premium, este último promovi-
mos não está para filosofias, estando mais para acções concre- rantido pelos próprios agentes envolvi- Index é garantido pelos próprios agentes do pela Geril.
tas, e a força das circunstâncias certamente levará o Governo a dos. O LPI tem como objectivo registar as que cumprem critérios muito rigorosos O Lisbon Prime Index é o sistema de
ter consciência disso. transacções de arrendamento ou compra, que lhes são impostos e que tornaram informação de referência para o mercado
A restrição do regime da transmissão por morte do contrato que representem uma mudança ou novo este índice uma fonte de informação fun- de escritórios de Lisboa, participando na
de arrendamento (a par das necessárias medidas relativas ao ocupante do espaço de escritórios na ci- damental para o sector”. O mesmo res- qualidade de membros os consultores
regime da prorrogação forçada, ao regime da actualização das dade de Lisboa e periferia, nomeadamen- ponsável considera que “a reputação pro- imobiliários Abacus, Aguirre Newman, B.
rendas e ao regime do despejo) não poderá deixar de ser equa- te do Concelho de Oeiras, Cascais e Sin- fissional dos sócios da B. Prime justifica o Prime, CB Richard Ellis, Colliers P&I,
cionada no âmbito das 50 medidas em causa. O seu impacto será tra. convite feito a esta jovem consultora para Cushman & Wakefield, GVA Consultimo,
lento, mas determinante para o sucesso, a prazo, da revitaliza- O LPI faculta ainda outros valores, no- fazer parte do LPI”. Jones LangLaSalle, Silfiducia e Worx.
ção dos mercados do arrendamento e da reabilitação urbana. E meadamente a prime rent (renda mais A B. Prime que actualmente comercia- Contribuem ainda para o LPI diversos
a cereja em cima do bolo é que nem sequer é uma medida cujos elevada passível de ser obtida no merca- liza cerca de 30 mil m2 de escritórios tem proprietários de referência do mercado
impactos sociais negativos sejam significativos. A ver vamos. do) e volumes de absorção por zonas, in- apostado em transaccionar imóveis ou imobiliário de Lisboa.
QUINTA-FEIRA
oje.sapo.cv Editado por: Mafalda Simões Monteiro mmonteiro@oje.pt NEGÓCIOS 10 de Fevereiro de 2011 9

Telecom
Mercado mundial Dados em tablets
aumenta 205
de telemóveis cresce vezes até 2015
18,5% em 2010 TRÁFEGO MÓVEL

O TRÁFEGO de dados móveis vai au-


mentar 26 vezes entre 2010 e 2015,
ANÁLISE king mundial de vendas de telemó- atingindo neste ano os 6,3 exabytes
veis, no entanto o volume global de por mês, ou 75 exabytes por ano - o e-
NO ÚLTIMO trimestre de 2010, ven- vendas recuou 2,4% no último tri- quivalente a 19 mil milhões de DVD
deram-se 401,4 milhões de telemó- mestre de 2010, em relação ao tri- -, prevê a Cisco. A propagação de dis-
veis, mais 17,9% do que os 340,5 mi- mestre homólogo. As vendas de positivos móveis com acesso à Inter-
lhões no trimestre homólogo, revela smartphones da marca subiram 38% net, como os tablet PC ou os smart-
a IDC. Na totalidade do ano os fabri- no mesmo período. phones, e dos conteúdos móveis
cantes venderam 1,39 mil milhões A Samsung, o segundo maior fa- compatíveis, em particular vídeos,
de unidades, mais 18,5% do que no bricante, vendeu 80,7 milhões de serão os principais responsáveis pelo
ano anterior (1,17 mil milhões). De unidades do trimestre, devido ao aumento do mercado.
assinalar que em 2009, o mercado aumento das vendas da gama Galaxy A maior taxa de crescimento do
mundial de telemóveis se tinha re- S, smartphones com o sistema opera- tráfego móvel registar-se-á nos tablet
traído 1,6%. “Uma economia mais tivo Android. PC, como o iPad, que aumentará 205
forte e uma maior gama de smart- vezes, refere o estudo Cisco Visual
phones a preços acessíveis, contri- VENDAS MUNDIAIS telemóveis Networking Index.
buiu para o mercado a apresentar a Globalmente, durante o período
maior taxa de crescimento desde Fabricante 2010 2009 Var. % em análise, o tráfego apresenta uma
Nokia 453,0 431,8 4,9%
2006, quando cresceu 22,6%, explica taxa de crescimento composta anual
Samsung 280,2 227,2 23,3%
um comunicado da IDC. de 92%, avança a Cisco. O vídeo mó-
LG Electronics 116,7 117,9 -1,0%
Segundo os analistas, os smartpho- vel representará 66% de todo o trá-
ZTE 51,8 26,7 94,0%
nes vão contribuir para o crescimen- fego móvel de dados em 2015, um
Research In Motion 48,8 34,5 41,4%
to do mercado global de telemóveis Outros 437,7 333,5 31,2%
crescimento de 35 vezes no período.
até 2014. Este ano, o segmento de Total 1388,2 1171,6 18,5%
O estudo da Cisco prevê ainda que
smartphones vai crescer 43,7%, pre- Unidade: milhões de unidades Fonte: IDC
em 2015, mais de 5,6 mil milhões de
vê Kevin Restivo, analista da IDC. equipamentos pessoais estejam
A Nokia continua a liderar o ran- A Nokia continua a liderar as vendas, apesar da perda de quota no trimestre Foto DR conectados a redes móveis.

THE DAILY: O primeiro jornal para o iPad já foi lançado


Start Up Cardmobili é NOTÍCIAS
Zon recicla mil toneladas
finalista em Barcelona A Zon TVcabo recebeu o certificado
100R da Sociedade Ponto Verde para o
conjunto dos seus edifícios e lojas. A
marca 100R atesta que a Zon cumpre
o encaminhamento para reciclagem
INOVAÇÃO da empresa, “esta aplicação poderá dos resídos de embalagens, equipamen-
acabar com a emissão de cartões de tos e outros resíduos e adopta boas
A START UP portuguesa Cardmobili, plástico ou em papel”. práticas ambientais nos seus edifícios.
criadora do serviço móvel com o O serviço foi seleccionado no âm- A certificação surge na sequência do
mesmo nome, integra a lista dos fi- bito do Mobile Europe 2.0 para inte- projecto de sustentabilidade EcoZon.
nalistas dos Mobile Premier Awards, grar a lista dos 20 finalistas dos Mo-
uma competição internacional de re- bile Premier Awards. Os resultados Clix integra My Smile Factory
ferência para a inovação e criativi- serão conhecidos no dia 14 de Feve- O portal Clix.pt integrou nos seus con-
dade no âmbito das aplicações mó- reiro num evento paralelo ao World téudos a loja online My Smile Factory.
veis, anunciou a empresa. Mobile Congress que se realiza de 14 A permuta permitirá à My Smile Facto-
O serviço Cardmobili permite reu- a 17 de Fevereiro em Barcelona. ry disponibilizar as mais recentes novi-
nir e fazer a gestão, num smartpho- O Cardmobili já está disponível em dades no recém renovado portal Clix,
ne ou no PC online, da informação Portugal, EUA, Canadá e em vários que, por seu lado, passará a oferecer u-
de mais de 1500 cartões de fidelidade países europeus, para as plataformas ma oferta diversificada de leilões on-
O The Daily é o primeiro jornal criado de raíz para o iPad, da Apple. Rupert Murdoch, e de pontos disponíveis, evitando an- Windows Mobile, Windows Phone 7, line. Uma das modalidades mais popu-
chairman e CEO da News Corporation, apresentou a publicação que integra texto, vídeo dar com a carteira cheia de cartões. Android, iPhone, Blackberry, Sym- lares deste site é o sistema leilão inver-
ou interactividade. O jornal custa 0.99 dólares por semana ou 39,99 por ano. Foto DR A prazo, esperam os responsáveis bian, Java e Vodafone 360. tido.

Vila Galé com app móvel

Uzo tem novo tarifário Google mostra arte em O grupo hoteleiro Vila Galé criou uma
aplicação móvel que permite a marca-
ção de estadias e a consulta de infor-
mações sobre os hotéis do grupo em

e telemóvel dual sim detalhe com Art Project Portugal e no Brasil. A aplicação foi de-
senvolvida pela M-Insight e está dispo-
nível nas versões para iPhones, da Ap-
ple, dispositivos com o sistema operati-

LOW COST clientes podem não recarregar o car- MUSEUS nal Gallery de Londres, o MoMA de
tão e falar a 17 cêntimos/minuto. Nova Iorque, o Hermitage de São Pe-
A UZO, operador low cost da Portu- Associado ao tarifário, a Uzo O GOOGLE firmou uma parceria tersburgo ou o Museu Van Gogh em
gal Telecom (PT), anunciou novos lançou um novo telemóvel dual SIM, com 17 dos museus de arte mais im- Amesterdão. Entre as obras dispo-
preços. “É um tarifário económico o AEG X70, com entrada para dois portantes do mundo que permite a níveis, encontra-se a Noite Estrelada
desde o primeiro minuto”, explicou cartões, um deles não bloqueado. O qualquer um observar, em alta reso- de Vicent van Gogh (MoMa), ou o Re-
ao OJE fonte da PT. Permite falar a oi- telemóvel permite o acesso à In- lução, mais de 1000 obras de quase gresso do filho pródigo de Rem-
to cêntimos por minuto para todas ternet, tem rádio FM e leitor de MP3. 500 artistas e ver o mais ínfimo deta- brandt (Hermitage), São Petersburgo. vo Android e equipamentos preparados
as redes fixas e móveis nacionais Não é o primeiro tarifário econó- lhe de 17 obras digitalizadas com su- Os utilizadores podem visitar vir- para correr aplicações Java. O down-
sem carregamentos obrigatórios, a mico a surgir este ano. Em Janeiro, a per-resolução. Ao longo de ano e tualmente as galerias dos museus - e load da aplicação Java poder ser feito
qualquer hora do dia. O carregamen- TMN lançou o tarifário a preços re- meio o Google trabalhou com aque- até vê-los por fora -, através do recur- no site da Vila Galé. As versões para
to de, no mínimo, 15 euros é válido duzidos “e” e a Optimus o Tarifário les museus, distribuídos por 11 cida- so à tecnologia 360º do Street View iPhone e Android estão disponíveis nas
durante 30 dias consecutivos. Os Livre com chamadas a 9 cêntimos. des e nove países, incluindo o Natio- em http://googleartproject.com. respectivas lojas de aplicações.
QUINTA-FEIRA
10 10 de Fevereiro de 2011 MERCADOS Toda a informação financeira em www.oje.pt
ÍNDICES: PSI 20 E EUROSTOXX 50 Dados fornecidos por MNF Gestão de Activos
DEFENSIVAS DE CONSUMO

Mercados Consumer Staples Preço€

DANONE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .44,95 . . . . . . . . . . . . . . .-0,6


JERÓNIMO MARTINS . . . . . . . . . .11,62 . . . . . . . . . . . . . . . .4,9
L'ORÉAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .88,95 . . . . . . . . . . . . . . .-0,2
UNILEVER NV-CVA . . . . . . . . . . . . .21,88 . . . . . . . . . . . . . . .-0,2

Health Care Preço€


Variação%

Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,4
CARREFOUR SA . . . . . . . . . . . . . . . .35,24 . . . . . . . . . . . . . . .-0,8

Variação%
Cotação
Variação anual% Max 52 sem.€ Min 52 semanas€
Dividendo
Dividend Yield% Dívida/Capitais Proprios%
Leverage
Dívida/EBITDA P/E
Valorização
EV/EBITDA

. . . . . . . . . . . . . .1,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .81 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . .18,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,8


. . . . . . . . . . . . .14,2 . . . . . . . . . . . . . .41,28 . . . . . . . . . . . . . . . . .30,85 . . . . . . . . . . . . . . .3,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .112 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . .16,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,6
. . . . . . . . . . . . .-4,4 . . . . . . . . . . . . . .48,50 . . . . . . . . . . . . . . . . .39,35 . . . . . . . . . . . . . . .2,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .58 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . .16,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12,1
. . . . . . . . . . . . . .1,9 . . . . . . . . . . . . . .12,67 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,17 . . . . . . . . . . . . . . . .0,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .83 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . .26,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,2
. . . . . . . . . . . . . .7,1 . . . . . . . . . . . . . . .90,00 . . . . . . . . . . . . . . . . .70,90 . . . . . . . . . . . . . . . .1,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . .22,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,4
. . . . . . . . . . . . .-6,1 . . . . . . . . . . . . . . .24,11 . . . . . . . . . . . . . . . . . .20,68 . . . . . . . . . . . . . . .3,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .63 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,7

Variação anual% Max 52 sem.€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Proprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA
Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,2 . . . . . . . . . . . . . .3,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .43 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,3
BAYER AG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55,48 . . . . . . . . . . . . . . . .1,7 . . . . . . . . . . . . . .0,3 . . . . . . . . . . . . . .59,17 . . . . . . . . . . . . . . . . . .43,10 . . . . . . . . . . . . . . . .2,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .68 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,2
SANOFI-AVENTIS . . . . . . . . . . . . . .51,14 . . . . . . . . . . . . . . . .0,7 . . . . . . . . . . . . . .6,9 . . . . . . . . . . . . . . .57,45 . . . . . . . . . . . . . . . . . .44,01 . . . . . . . . . . . . . . . .4,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,5

Cíclicas de Consumo
Defensivas de Consumo 145
115 135
110 125
105 115
100 105

95 95
85
90
85

MSCI EURO TELECOM SERVICE CONSUMER DISCRETIONARY

MSCI EURO CONSUMER STAPLE HEALTH CARE

CÍCLICAS DE CONSUMO
Cotação Dividendo Leverage Valorização
Consumer Discretionary Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA

Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,3 . . . . . . . . . . . . . .5,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .204 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . .17,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,0


DAIMLER AG . . . . . . . . . . . . . . . . . .55,14 . . . . . . . . . . . . . . . .2,7 . . . . . . . . . . . . . .8,7 . . . . . . . . . . . . . .59,09 . . . . . . . . . . . . . . . . .29,93 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .214 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .21,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . .12,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,0
LVMH MOËT HENNES . . . . . . . . . .119,60 . . . . . . . . . . . . . . . .2,7 . . . . . . . . . . . . .-2,8 . . . . . . . . . . . . .129,05 . . . . . . . . . . . . . . . . . .74,95 . . . . . . . . . . . . . . . .1,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .39 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . .19,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,4
ZON MULTIMEDIA S . . . . . . . . . . . .3,80 . . . . . . . . . . . . . . . .2,1 . . . . . . . . . . . . .12,1 . . . . . . . . . . . . . . . .4,12 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,77 . . . . . . . . . . . . . . . .4,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .511 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . .29,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,8

Telecommunication Services Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA
Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,1 . . . . . . . . . . . . . .5,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .165 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . .12,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,1
Powered by DEUTSCHE TELEKOM . . . . . . . . . . .10,02 . . . . . . . . . . . . . . .-0,3 . . . . . . . . . . . . . .3,8 . . . . . . . . . . . . . . .10,64 . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,51 . . . . . . . . . . . . . . . .7,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .122 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,6
FRANCE TÉLÉCOM . . . . . . . . . . . . .16,45 . . . . . . . . . . . . . . .-0,5 . . . . . . . . . . . . . .5,5 . . . . . . . . . . . . . . .17,92 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,01 . . . . . . . . . . . . . . .8,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .136 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,8
PORTUGAL TEL-REG . . . . . . . . . . . . .8,71 . . . . . . . . . . . . . . . .0,6 . . . . . . . . . . . . . .3,9 . . . . . . . . . . . . . .10,12 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,96 . . . . . . . . . . . . . . .7,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .295 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . .20,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,5
SONAECOM SGPS SA . . . . . . . . . . . .1,38 . . . . . . . . . . . . . . . .0,4 . . . . . . . . . . . . . .2,2 . . . . . . . . . . . . . . . .1,79 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,13 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .41 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . .17,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,2
TELEFÓNI CA . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18,66 . . . . . . . . . . . . . . . .0,4 . . . . . . . . . . . . .10,0 . . . . . . . . . . . . . . .19,69 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,67 . . . . . . . . . . . . . . . .7,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .234 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,6
CÍCLICAS INDUSTRIAIS
Cotação Dividendo Leverage Valorização
Energy Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA

Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,1 . . . . . . . . . . . . .10,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .69 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . .17,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,2


ENI SPA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18,20 . . . . . . . . . . . . . . . .0,2 . . . . . . . . . . . . .11,4 . . . . . . . . . . . . . .18,37 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,30 . . . . . . . . . . . . . . .5,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,3
GALP ENERGIA-B . . . . . . . . . . . . . .15,21 . . . . . . . . . . . . . . . .0,6 . . . . . . . . . . . . . .6,0 . . . . . . . . . . . . . .15,29 . . . . . . . . . . . . . . . . .10,51 . . . . . . . . . . . . . . . .1,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .91 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . .36,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,4
REP SOL YPF SA . . . . . . . . . . . . . . . .23,55 . . . . . . . . . . . . . . .-0,4 . . . . . . . . . . . . .12,9 . . . . . . . . . . . . . .23,88 . . . . . . . . . . . . . . . . . .15,31 . . . . . . . . . . . . . . . .4,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .88 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,4
TOTAL SA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .43,63 . . . . . . . . . . . . . . . .0,1 . . . . . . . . . . . . .10,0 . . . . . . . . . . . . . .44,63 . . . . . . . . . . . . . . . . .35,66 . . . . . . . . . . . . . . .5,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,7
GLOSSÁRIO Industrials Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA
Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,3 . . . . . . . . . . . . . .7,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .179 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,8
BRISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,25 . . . . . . . . . . . . . . . .-1,8 . . . . . . . . . . . . . .0,6 . . . . . . . . . . . . . . .6,62 . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,51 . . . . . . . . . . . . . . . .5,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .245 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . .22,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,3
EV PHILIPS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23,23 . . . . . . . . . . . . . . . .0,9 . . . . . . . . . . . . . .1,4 . . . . . . . . . . . . . .27,01 . . . . . . . . . . . . . . . . . .20,58 . . . . . . . . . . . . . . .3,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .31 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . .12,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,9
Enterprise Value é uma medida MOTA-ENGIL SGPS . . . . . . . . . . . . . .2,03 . . . . . . . . . . . . . . . .0,4 . . . . . . . . . . . . .16,5 . . . . . . . . . . . . . . . .3,50 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,65 . . . . . . . . . . . . . . .5,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .674 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . .11,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,4
de valorização de dada empresa usada S AINT GOBAIN . . . . . . . . . . . . . . . .43,42 . . . . . . . . . . . . . . .-0,7 . . . . . . . . . . . . .12,8 . . . . . . . . . . . . . .43,87 . . . . . . . . . . . . . . . . . .27,81 . . . . . . . . . . . . . . . .2,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .72 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,9
como alternativa à capitalização SCHNEIDER ELECTR . . . . . . . . . . .112,80 . . . . . . . . . . . . . . . .1,4 . . . . . . . . . . . . . .0,7 . . . . . . . . . . . . .120,00 . . . . . . . . . . . . . . . . .72,00 . . . . . . . . . . . . . . .1,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .53 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . .16,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,2
de mercado. Trata-se da soma desta SIEMENS AG-REG . . . . . . . . . . . . . .93,91 . . . . . . . . . . . . . . . .0,0 . . . . . . . . . . . . . .1,3 . . . . . . . . . . . . . .96,00 . . . . . . . . . . . . . . . . .61,56 . . . . . . . . . . . . . . .2,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .68 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,7
última com a dívida, os interesses SONAE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,83 . . . . . . . . . . . . . . . .1,0 . . . . . . . . . . . . . .6,4 . . . . . . . . . . . . . . .0,92 . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,68 . . . . . . . . . . . . . . .3,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .204 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,2
minoritários e as acções preferenciais VINCI SA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .43,78 . . . . . . . . . . . . . . . . .1,5 . . . . . . . . . . . . . .7,6 . . . . . . . . . . . . . .44,98 . . . . . . . . . . . . . . . . .33,01 . . . . . . . . . . . . . . . .3,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .198 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,6
menos as disponibilidades. É o valor
Information Technology Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA
justo teórico da aquisição de uma
empresa, já que aquele que compra Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .-0,5 . . . . . . . . . . . . .10,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .40 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . .15,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,1
paga as responsabilidades da dívida NOKIA OYJ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,28 . . . . . . . . . . . . . . .-0,9 . . . . . . . . . . . . . .6,9 . . . . . . . . . . . . . . .11,82 . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,59 . . . . . . . . . . . . . . .4,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .33 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,4
e recebe o cash da empresa adquirida. SAP AG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .43,45 . . . . . . . . . . . . . . .-0,2 . . . . . . . . . . . . .14,0 . . . . . . . . . . . . . .43,68 . . . . . . . . . . . . . . . . .30,91 . . . . . . . . . . . . . . . .1,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .47 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . .16,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11,8
Materials Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA
Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,5 . . . . . . . . . . . . . .2,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .154 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,1
EV/EBITDA ALTRI SGPS SA . . . . . . . . . . . . . . . . .3,40 . . . . . . . . . . . . . . . .0,4 . . . . . . . . . . . . . .0,1 . . . . . . . . . . . . . . . .5,27 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,08 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .529 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,8
Compara o valor do negócio contra ARCELORMITTAL . . . . . . . . . . . . . .28,02 . . . . . . . . . . . . . . . .2,8 . . . . . . . . . . . . . .4,0 . . . . . . . . . . . . . .33,64 . . . . . . . . . . . . . . . . .20,24 . . . . . . . . . . . . . . .2,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .39 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,5
os resultados antes do pagamento BASF SE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .57,60 . . . . . . . . . . . . . . . .-1,2 . . . . . . . . . . . . .-3,5 . . . . . . . . . . . . . . .61,88 . . . . . . . . . . . . . . . . .39,40 . . . . . . . . . . . . . . .3,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .80 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . .11,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,8
de juros, amortizações e impostos. CIMPOR-CIMENTOS . . . . . . . . . . . . .4,91 . . . . . . . . . . . . . . . . .1,1 . . . . . . . . . . . . .-3,2 . . . . . . . . . . . . . . .6,03 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,91 . . . . . . . . . . . . . . . .4,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .109 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . .13,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,8
Se uma empresa tem dívida, o seu CRH PLC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .16,59 . . . . . . . . . . . . . . .-0,1 . . . . . . . . . . . . . .7,0 . . . . . . . . . . . . . .22,00 . . . . . . . . . . . . . . . . . .11,51 . . . . . . . . . . . . . . . .3,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . .24,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,3
comprador tem de tê-la em conta. INAPA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,38 . . . . . . . . . . . . . . .-0,5 . . . . . . . . . . . . . .1,6 . . . . . . . . . . . . . . .0,67 . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,36 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .282 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . .15,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15,7
Com a ajuda deste rácio percebe-se PORTUCEL EMPRESA . . . . . . . . . . .2,54 . . . . . . . . . . . . . . . .0,8 . . . . . . . . . . . . .11,4 . . . . . . . . . . . . . . .2,54 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,62 . . . . . . . . . . . . . . .3,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .59 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,8
quantos anos o negócio demora a SEMAPA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,20 . . . . . . . . . . . . . . . .1,7 . . . . . . . . . . . . .11,1 . . . . . . . . . . . . . . . .9,20 . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,85 . . . . . . . . . . . . . . .2,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .113 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,3
pagar o esforço de aquisição. A grande SONAE INDÚSTRIA . . . . . . . . . . . . . .1,88 . . . . . . . . . . . . . . . .0,9 . . . . . . . . . . . . .-1,6 . . . . . . . . . . . . . . .2,71 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,60 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .197 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,9 . . . . . . . . . . . . . . . . .N.D. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,6
vantagem deste rácio (sobre o P/E,
p.ex.) é não ser afectado pela estrutura
de capital de uma empresa, que Cíclicas Industriais BREVES
distorce a análise do negócio.
125
120 Euribor a 3 meses em queda para 600 milhões de euros face a 2,0 mi-
115 O mercado monetário português fechou lhões na véspera, tendo absorvido 137 065
TIER 1 110 com a taxa spot overnight em alta e com a milhões de euros vs. 71 446 milhões antes.
É a principal medida de solidez 105
100 do tom/next a descer, enquanto as das res-
financeira de uma instituição finan- tantes maturidades ficaram inalteradas. A Ordens sobem 41,6% em 2010
95
ceira do ponto de vista do regulador. 90 taxa Euribor a três meses, medida-base pa- Em 2010, o valor das ordens de compra e
Inclui todo o capital atribuído aos 85 ra avaliar o estado dos empréstimos e um venda sobre instrumentos financeiros rece-
accionistas e as reservas do banco, 80
75 misto das expectativas com as taxas de juro, bidas pelos intermediários financeiros re-
portanto, fundos que só o banco
pode influenciar. É a métrica utilizada bem como o apetite dos bancos por risco, gistados na CMVM subiu 41,6%, para
para a capacidade de um banco caiu pela 2.ª sessão consecutiva, após um 144,4 mil milhões de euros. Em Dezembro
de fazer face a perdas futuras. mês de subidas, para 1,079% (de 1,084%). O último, o montante transaccionado totali-
MSCI EURO ENERGY INDUSTRIAL INFO TECHNOLOGY MATERIALS montante cedido pelo BCE nas operações de zou 9,08 mil milhões de euros, menos
facilidade permanente em overnight subiu 36,7% que no mês anterior.
QUINTA-FEIRA
Editado por: Armanda Alexandre aalexandre@oje.pt MERCADOS 10 de Fevereiro de 2011 11
SENSIVEIS À TAXA DE JURO
Cotação Dividendo Valorização
Financials Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% ROE% Tier 1 P/E Price/Book ANÁLISE MERCADOS
Em colaboração com:
Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,8 . . . . . . . . . . . . .17,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,5% . . . . . . . . . . . . . . . .10,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,8
BPI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,45 . . . . . . . . . . . . . . . .0,8 . . . . . . . . . . . . . .5,0 . . . . . . . . . . . . . . .2,10 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,25 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,1% . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,9
BCP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,63 . . . . . . . . . . . . . . . .1,0 . . . . . . . . . . . . . .8,2 . . . . . . . . . . . . . . .0,86 . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,51 . . . . . . . . . . . . . . . .3,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,7% . . . . . . . . . . . . . . . .10,3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,5
BES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,09 . . . . . . . . . . . . . . . .1,6 . . . . . . . . . . . . . .7,3 . . . . . . . . . . . . . . . .4,26 . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,48 . . . . . . . . . . . . . . .4,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,9% . . . . . . . . . . . . . . . . .7,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,6
B ANCO SANTANDER . . . . . . . . . . . .9,01 . . . . . . . . . . . . . . . .0,7 . . . . . . . . . . . . .13,7 . . . . . . . . . . . . . . .10,88 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,11 . . . . . . . . . . . . . . . .5,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,0% . . . . . . . . . . . . . . . . .8,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,0 O MERCADO accionista europeu en-
BBVA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,05 . . . . . . . . . . . . . . . .0,2 . . . . . . . . . . . . .19,7 . . . . . . . . . . . . . . .10,95 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,87 . . . . . . . . . . . . . . .4,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,5% . . . . . . . . . . . . . . . . .8,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,1 cerrou com ganhos nos principais
BNP PARIBAS . . . . . . . . . . . . . . . . .56,81 . . . . . . . . . . . . . . . .0,9 . . . . . . . . . . . . .19,3 . . . . . . . . . . . . . .59,34 . . . . . . . . . . . . . . . . .40,81 . . . . . . . . . . . . . . . .2,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .N.D. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,1% . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,9 índices, ainda que abaixo dos máxi-
CRÉDIT AGRICOLE . . . . . . . . . . . . .11,82 . . . . . . . . . . . . . . . .3,3 . . . . . . . . . . . . .24,4 . . . . . . . . . . . . . . .13,78 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,87 . . . . . . . . . . . . . . . .3,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,5% . . . . . . . . . . . . . . . .12,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,6 mos a que negociaram devido a no-
DEUTSCHE BANK-RG . . . . . . . . . . .46,98 . . . . . . . . . . . . . . . .0,2 . . . . . . . . . . . .20,2 . . . . . . . . . . . . . .55,25 . . . . . . . . . . . . . . . . .35,93 . . . . . . . . . . . . . . . .1,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12,3% . . . . . . . . . . . . . . . . .8,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,8 tícias vindas da China, que mais
ING GROEP NV-CVA . . . . . . . . . . . . .9,20 . . . . . . . . . . . . . . . .2,3 . . . . . . . . . . . . .26,3 . . . . . . . . . . . . . . . .9,20 . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,34 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,2% . . . . . . . . . . . . . . . . .9,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,7 uma vez subiu as taxas de juro para
INTESA SANPAOLO . . . . . . . . . . . . . .2,49 . . . . . . . . . . . . . . . .-1,1 . . . . . . . . . . . . .22,7 . . . . . . . . . . . . . . . .2,99 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,88 . . . . . . . . . . . . . . .3,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,4% . . . . . . . . . . . . . . . .13,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,6 tentar arrefecer a economia.
SOC GÉNÉRALE . . . . . . . . . . . . . . . .48,16 . . . . . . . . . . . . . . . . .1,2 . . . . . . . . . . . . .19,7 . . . . . . . . . . . . . .49,43 . . . . . . . . . . . . . . . . .29,71 . . . . . . . . . . . . . . . .0,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,7% . . . . . . . . . . . . . . . . .9,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,8 Numa sessão escassa em indica-
UNICREDIT SPA . . . . . . . . . . . . . . . . .1,87 . . . . . . . . . . . . . . . .-1,8 . . . . . . . . . . . .20,9 . . . . . . . . . . . . . . . .2,30 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,46 . . . . . . . . . . . . . . .1,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,6% . . . . . . . . . . . . . . . .20,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,6 dores económicos, a produção in-
Cotação Dividendo Leverage Valorização dustrial na Alemanha foi o único
Utilities Preço€ Variação% Variação anual% Max 52 semanas€ Min 52 semanas€ Dividend Yield% Dívida/Capitais Próprios% Dívida/EBITDA P/E EV/EBITDA indicador relevante. Um relatório
Média . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .-0,1 . . . . . . . . . . . . . .7,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .125 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,7
do Governo alemão revelou que a
E.ON AG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .24,50 . . . . . . . . . . . . . . .-0,7 . . . . . . . . . . . . . .6,8 . . . . . . . . . . . . . .29,00 . . . . . . . . . . . . . . . . .20,86 . . . . . . . . . . . . . . .6,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .86 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,3 produção industrial na maior econo-
EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,85 . . . . . . . . . . . . . . .-0,4 . . . . . . . . . . . . .14,4 . . . . . . . . . . . . . . . .3,05 . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,38 . . . . . . . . . . . . . . .5,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .163 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,3 mia da Zona Euro caiu pelo segundo
EDP RENOVÁVEIS S . . . . . . . . . . . . .4,43 . . . . . . . . . . . . . . . .1,6 . . . . . . . . . . . . . .2,0 . . . . . . . . . . . . . . .6,14 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,65 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . .43,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,3 mês consecutivo, -1,5% e -0,6% res-
ENEL SP A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,28 . . . . . . . . . . . . . . . .0,4 . . . . . . . . . . . . .14,4 . . . . . . . . . . . . . . . .4,28 . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,42 . . . . . . . . . . . . . . . .5,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .156 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,0 pectivamente, devido a problemas
GDF SUEZ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .29,26 . . . . . . . . . . . . . . .-0,8 . . . . . . . . . . . . . .9,0 . . . . . . . . . . . . . .30,05 . . . . . . . . . . . . . . . . .22,64 . . . . . . . . . . . . . . .5,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .66 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3,2 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14,9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6,9 associados com o tempo muito rigo-
IBERDROLA SA . . . . . . . . . . . . . . . . .6,38 . . . . . . . . . . . . . . . .0,0 . . . . . . . . . . . . .10,5 . . . . . . . . . . . . . . . .6,58 . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,50 . . . . . . . . . . . . . . .3,0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .106 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . .12,4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,0 roso sentido no último mês. O sec-
REN-REDE ENERGÉT . . . . . . . . . . . . .2,57 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .-0,4 . . . . . . . . . . . . . . . .3,16 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,44 . . . . . . . . . . . . . . .6,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .222 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5,5 . . . . . . . . . . . . . . . . . .11,8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9,1 tor da construção foi o que mais pe-
R WE AG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .53,22 . . . . . . . . . . . . . . .-0,6 . . . . . . . . . . . . . .6,7 . . . . . . . . . . . . . .68,50 . . . . . . . . . . . . . . . . .47,65 . . . . . . . . . . . . . . . .6,6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .147 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4,2 sou no índice, e foi fortemente afec-
PUB tado na sua actividade pelas condi-
ções meteorológicas.
O dólar também tem vindo a
Sensíveis à Taxa de Juro sentir dificuldades em cimentar os
ganhos dos últimos dias, apesar de
110
ser cada vez mais evidente que a
105 recuperação económica nos EUA
100 está mais sustentada. O mercado
tem tido dificuldades em ver estes
95
desenvolvimentos como positivos
90 para o dólar, isto apesar de as
85
yields estarem a subir. A recupera-
ção económica nos EUA integra-se
80 numa recuperação económica glo-
bal e o mercado continua a ver isto
como uma boa razão para conti-
nuar a investir em moedas associa-
MSCI EURO FINANCIALS UTILITIES das a países com taxas de juro mais
elevadas, incluindo as chamadas
moedas-commodity, como o dólar
australiano e o dólar canadiano, e
BOLSA DE CABO VERDE ACÇÕES também asiáticas.

Variação face Últimas


Resultado Dividendo por acção Price Book Por Duarte Caldas, analista
Acção Última Cotação Data cotação 52 semanas Dividend Yield(*) Payout Ratio PER
Liquido por acção 2009 2009 Value
anterior Máx. Mín
SCT 4.890,00 03-02-2011 0,00% 6.000,00 4.885,00 655,34 625,00 12,78% 0,95 2,25 7,46
BCA 3.100,00 03-02-2011 3,33% 3.400,00 3.000,00 449,73 89,95 2,90% 0,20 1,41 6,89
CECV 2.800,00 03-02-2011 8,32% 2.800,00 2.070,00 221,02 198,00 7,07% 0,90 1,21 12,67 Agenda do dia
ENACOL 4.399,00 03-02-2011 0,00% 4.400,00 4.000,00 78,86 227,31 5,17% 0,60 1,48 11,61
Resultados Air France, Coca-Cola,
Ralph Lauren.

BOLSA DE CABO VERDE OBRIGAÇÕES


Reuters

Obrigação Cotação (1) Data Maturidade


Últimas 52 semanas
Taxa de juro
próximo cupão
Data pagamento
próximo cupão
Data
de Amortização
Yield to
Maturity (2)
CÂMBIOS COTAÇÕES DE DIVISAS
Máximo Mínimo
EUA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,3668 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Dólar
OBRIGAÇÃO BI 6% 2013 100,00 03-02-2011 9 100,00 100,00 6,00% 01-07-2011 08-07-2018 6,00% Brasil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2,2791 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Real
Electra A 6,65% 2017 101,96 03-02-2011 5 101,96 100,00 6,65% 14-06-2011 12-06-2012 5,14% Cabo Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .106,935 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Escudo
Electra B 6,121% 100,00 03-02-2011 10 100,00 100,00 6,12% 15-06-2011 14-06-2017 6,12% Canadá . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,3542 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Dólar
China . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8,9572 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Yuan Renmimbi
Electra C TBA+2% 100,00 03-02-2011 20 100,00 100,00 5,85% 16-06-2011 14-06-2027 5,85%
Hong Kong . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10,6382 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Dólar
IFHA - Euribor +1,3% Japão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .111,99 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Iene
/TBA+2,1% 2014 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 5,95% 06-07-2011 05-01-2014 5,95% Reino Unido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .0,8496 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Libra
IFHB: TBA + 2,9%, Suíça . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1,3093 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Franco
Angola . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .127,09 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Kwuanza
Floor de 6,5% 2015 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 6,75% 14-03-2011 14-09-2015 6,75%
Coreia do Sul . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1504,82 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Won
Tecnicil Imob 7,5% 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 7,50% 16-03-2011 16-03-2015 7,50%
Dinamarca . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7,4549 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Coroa
Sogei - Euribor+2,75%
(Floor 6,4%; Cap 7,4%) 100,00 03-02-2011 5 100,00 99,99 6,40% 18-02-2011 18-02-2014 6,40%
Reuters
Tecnicil Industria - 7,5% 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 7,50% 23-04-2011 23-10-2010 7,50% MERCADORIAS E MATÉRIAS-PRIMAS
Cabo Verde Fast Ferry, SA - 9% 105,00 03-02-2011 5 105,00 100,00 9,00% 31-07-2011 31-07-2015 7,67%
Petróleo Fecho Unidade % YTD
Asa - Obrigação - Euribor
WTI (N. Iorque) 87,7 dólar USD/barril -2,38
/TBA + 2,25% 112,90 03-02-2011 5 112,90 100,00 5,75% 10-02-2011 10-08-2012 -2,51%
Brent (Londres) 100,08 dólar USD/barril 7,51
Tecnicil A - Euribor +2,216% 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 3,37% 06-02-2011 06-08-2012 3,37% Mercadorias
Tecnicil B - Euribor +2,216% 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 3,37% 06-02-2011 06-08-2012 3,37% Cacau 32,46 dólares/ton 8,20
Tecnicil C - Euribor +2,216% 100,00 03-02-2011 5 100,00 100,00 3,37% 06-02-2011 06-08-2012 3,37% Café 247,65 Cênt. de dól./libra 4,80
OBRIGAÇÃO MSAL: Milho 673 Cênt. de dól/bushel 9,25
TBA + 3,35% (Floor 6,9%) 100,00 03-02-2011 15 100,00 100,00 7,20% 15-07-2011 15-07-2025 7,20%
Trigo 876,75 Cênt. de dól./bushel 11,72
Algodão 175,2 Cênt. de dól./libra 22,65
OBRIG. MPRAIA:
Metais
TBA + 3,30% (Floor 6,9%) 100,00 03-02-2011 20 100,00 100,00 7,15% 23-07-2011 23-07-2030 7,15%
Platina 1852,5 dólares USD/onça 6,19
OBRIG. BAI 5,9% 100,00 03-02-2011 6 100,00 100,00 5,90% 17-06-2011 17-12-2016 5,90% Ouro 1364,4 dólares USD/onça -2,82
OBRIG. BCA Taxa crescente Prata 30,11 dólares USD/onça -1,05
(5,75% a 6,25%) 100,00 03-02-2011 7 100,00 100,00 5,75% 17-06-2011 20-12-2016 5,75% Cobre N.D. dólares/ton N.D.
Lifestyle
12 QUINTA-FEIRA
10 de Fevereiro de 2011

CASA DAS PENHAS DOURADAS DESIGN HOTEL & SPA


RELÓGIOS
Calvin Klein apresenta
ENTRE A SERRA E O CÉU
colecção ck Graceful
Fica a 1.500 metros de altitude, em pleno Parque Natural da
Serra da Estrela. Pertinho do céu, é assim que nos sentimos
no Spa deste Design Hotel. Por Sandra Martins Pereira

finalmente, uma sala de relaxamen- Uma das mais valias destes rituais
Bem-estar

to, onde a bétula (árvore local) é parte de assinatura é precisamente a utili-


dominante da decoração. No chão, zação de ervas da Serra da Estrela
um pavimento que nos faz lembrar o misturados com os produtos da Ter-
solo rochoso e caracaterístico daque- raké.

E
sta semana voltámos à Serra la região. Um projecto que esteve a Nesta categoria pode ainda experi-
A Calvin Klein acaba de apresentar a sua mais da Estrela, mais propriamen- cargo do arquitecto Pedro Brígida. mentar a massagem para casal, onde
nova colecção ck Graceful, um relógio para se- te a Manteigas. À nossa fren- Brisa da montanha, Águas primor- é utilizado o óleo de urze. A esfolia-
nhoras, de tema circular e com uma construção te dispõe-se um rendilhado diais e Docura de água são os trata- ção Flor da Penha é a terceira opção.
que reflecte o espírito do design dos anos 70. de curvas e arvoredo e começamos a mentos Terraké, da Thalgo, dedica- Vinte minutos de esfoliação com flor
A caixa é em aço polido e enquadra um nossa subida. São 1.500 metros de al- dos ao rosto. Todos de 60 minutos, de sal, mel e zimbro.
mostrador preto ou prateado, ponteiros de titude e uma paisagem de cortar a desintoxicam, hidratam e dão lumi- Destaque ainda para os rituais de
níquel polidos e protegido por vidro mineral, respiração. O ar é puro e gelado, mas nosidade à pele. massagem, com drenagem linfática,
suavemente integrada num distintivo elo central incapaz de nos congelar a alma, até Para o corpo, o destaque vai para a geotermal, vichy e vichy com massa-
oval, ajustável e seguro por um fecho. porque lá no alto da montanha espe- Frescura da neve, Águas primordiais gem.
Submergível a 30 metros. ra-nos uma Casa, na verdadeira acep- e Força mineral, esta última indicada Mas atenção que o Spa pode sair do
ção da palavra, a Casa das Penhas para os homens. Estes são tratamen- Spa. Sim, leu bem. É que a Casa das
Douradas, um Design Hotel inaugu- tos de 120 minutos. Penhas Douradas proporciona a
rado em 2006 e que recentemente Para este Spa, a Terraké desenhou Quick massage, feita numa cadeira. E
EM DESTAQUE ampliou este espaço, criando tam- massagens como a Coração de mas- nem os mais pequenos foram esque-
bém um Spa. sagem com pincéis; Coração de mas- cidos com a Thai Children (grátis
Lá dentro, as rústicas salas de estar sagem gota de água; Velas Perron com marcação).
sucedem-se, convidando a uns mo- Rigot e Terraké para Homem. Todas Depois do Spa, dirija-se à sala de
mentos de descanso, acompanhados de 60 minutos. relaxamento e beba um chá. Depois?
por um dos muitos livros colocados Quisemos experimentar os rituais Bem, depois é consigo, mas ainda po-
nas estantes e pelo calor das lareiras. de assinatura da Casa, mais propria- de fazer hidromassagem e sauna ou
A viagem foi longa, o cansaço é al-
gum e a paisagem e o silêncio pedem
mente a massagem com paus de
bétula. Foram 60 minutos de puro re-
simplesmente dar umas braçadas na
piscinia interior aquecida com vista
DETALHES
uma boa massagem. Está na hora de laxamento, em que os paus de bétula panorâmica. Casa da Penhas Douradas
experimentar o Spa. substituíram as experientes mãos da Quanto a nós, a opção foi mesmo Penhas Douradas, Apartado 9,
CRÍTICA RESTAURANTE Quatro são as salas disponíveis pa- terapeuta e deslizaram no óleo tam- um banho revigorante e uma flute de 6260-200 Manteigas
Tel: (+351) 275 981 045
O SABOR DE CABANAS ra tratamentos: uma para o duche Vi- bém de bétula, alecrim e zimbro. Dos champanhe ao calor da lareira. www.casadaspenhasdouradas.pt
chy e duas outras para massagens, de pés à cabeça, o efeito relaxante fez-se Afinal o céu existe e estava mesmo mail@casadaspenhasdouradas.pt
pág. 14 casal e de tratamentos corporais. E sentir de imediato. ali. Vá e mime-se!
Editado por Sandra Martins Pereira spereira@oje.pt

ORIENTE-SE NA NATUREZA
Não é muito divulgado em Portugal, mas os participantes
são cada vez mais. Portugueses ou estrangeiros, juntam-se
para durante alguns dias se orientarem, ou não, por terrenos
em paisagens únicas.
e, durante quatro dias, vão andar no prova mais concorrida, o O-Ringen,
Lazer

mato em busca de um prisma branco que se realiza todos os anos em Julho


e laranja com 30 cm de altura. É a for- na Suécia, já teve edições com mais de
ça da orientação e do Portugal “O” Me- 20 mil participantes.
eting (POM) que, entre 5 e 8 de Março, Em Portugal o recorde está nas

C
entenas de estrangeiros che- estará por Alter do Chão e Portalegre. 3.500 inscrições e verificou-se em
gam, dentro de um mês, a Aquele “O” é a abreviatura de “Ori- 2008 no Mundial de Veteranos. Mas
Portugal para um estranho enteering”, o termo inglês que desi- esse foi um evento directamente su- Atendendo ao clima e à variedade de renos onde vão ser montados os per-
programa: desembarcam no gna este desporto nascido há mais de pervisionado pela federação interna- terrenos cartografados, Portugal é o cursos. E por isso convida toda a gen-
aeroporto, alugam um carro, dirigem- 100 anos na Escandinávia, onde con- cional da modalidade, a IOF. Em ter- palco ideal para as grandes selecções te a acompanhar o evento em
se a um hotel entre Évora e Portalegre tinua a ter grande popularidade. A mos estritamente nacionais, a prova treinarem e competirem neste início http://www.gd4caminhos.com/even-
rainha é o POM que, desde 2000, se de temporada. O POM 2010 foi, justa- tos/pom2011/pt/noticias/1.
disputa anualmente entre sábado e mente, a prova que obteve maior pon- A maioria dos participantes no
terça-feira de Carnaval, com 4 etapas, tuação no WRE, dada a presença ma- POM estende por mais uns dias a sua
uma das quais a contar para o World ciça de campeões. presença em Portugal, competindo,
Ranking Event (WRE). Nos últimos 5 anos, o POM teve lu- no fim-de-semana seguinte, no 2º
O POM ganhou de há muito um lu- gar em Abrantes, S. Pedro do Sul, Al- Meeting Internacional de Arraiolos,
gar de honra no calendário interna- garve, Mora e Figueira da Foz. Desta que também inclui uma prova a pon-
cional, sendo permanentemente vez, os atletas vão correr em mapas tuar para o WRE.
anunciado na página do “World of O”. de três concelhos do Norte Alenteja- Tão importante como a compe-
Daí que atraia tantos estrangeiros, so- no: Alter do Chão, Crato e Portalegre. tição é, no entanto, a vertente recrea-
bretudo do Norte e Centro da Europa, Fernando Costa, presidente do Grupo tiva desta modalidade. Qualquer pes-
onde a neve dificulta a prática da ori- Desportivo 4 Caminhos e director da soa, independentemente da idade e
entação nesta época do ano. E é curio- prova, espera ultrapassar as 1.820 ins- condição física, pode fazer um per-
so verificar que a prova portuguesa crições oficialmente registadas na curso de iniciação, em cenários natu-
tanto atrai veteranos (o escalão mais edição de 2010. Não hesita em afir- rais quase sempre de enorme beleza.
numeroso costuma ser o dos 60 anos) mar que os visitantes recordarão por E cenários assim não faltam em ter-
como atletas de topo mundial. muito tempo a excelência dos ter- ritório português.
PUB

Jornal OJE Cabo Verde - Edição 10/02


QUINTA-FEIRA
14 10 de Fevereiro de 2011 LIFESTYLE oje.sapo.cv

Crítica restaurante Por Vicente Themudo de Castro

O SABOR DE CABANAS
E
ram 14 horas da passada sex- e os restaurantes estarem todos va- nem pediu, foram directamente para
ta-feira e andava eu a condu- zios, mas lembrando-me das horas é a mesa – eram certamente locais.
zir pela Av. Ria Formosa, em perfeitamente aceitável. Curioso foi, A sala é decorada sem grandes pre-
Cabanas, à procura de um ao chegar à porta de Noélia, poucas ceitos ou algo que se destaque, al-
restaurante muito recomendado. mesas livres se viam e o serviço não guns quadros com fotografias do
O nome escapava-me, a morada tinha direito ao descanso dos vizi- Ruy de Carvalho, um painel de azu-
muito mais e decido ligar para uma nhos. lejos... enfim, a minha primeira im-
pessoa que trata esta região por tu! Eram quase 14h30 e mesmo assim pressão é que tinha entrado mais nu-
Coordenadas registadas e atraves- apressaram-se a responder positiva- ma cafetaria/pastelaria do que num
so a renovada marginal que em mui- mente ao pedido de mesa. Aliás, restaurante.
to embelezou esta pequena vila. meia hora após a minha chegada ain- Sentado na esplanada a apanhar
Estranho o facto de estar muito sol da chegou um grupo de três, que sol, dou uma vista de olhos na carta:
PUB

sugestões do dia eram cinco salgados sua carne suculenta e firme.


e seis doces. Na carta principal havia Havia ainda umas cataplanas e ar-
11 entradas, três sopas, quatro ma- rozes que pretendia provar, como o
riscos, cinco omeletas, três massas, de lingueirão com batata doce - 2 pax
14 saladas, 10 peixes, cinco carnes, e (€25). O polvo trapalhão com batata
ainda 18 especialidades! Para termi- doce - 2 pax (€20) - também está bem
nar ainda apresentam 20 sobremesas referenciado, mas fica para uma
próxima visita.
Nas sobremesas, apesar da vastíssi-
ma oferta, optei por um Dom Rodri-
go (€3), mas havia opções como o mi-
mo de amêndoa (€3), morgado de fi-
go (€3), tarte de alfarroba (€3), entre
outros.
A carta de vinhos não é nada de es-
pecial, mesmo assim tem cinco ver-
des, 18 brancos, dois rosés e 21 tin-
tos, a preços muito apelativos – falta
alguns vinhos com mais corpo, ex-
pressão e os rosés são escassos para
e cinco opções de fruta. um restaurante à beira “ria”.
Rendo-me às especialidades e para Muito tinha ouvido falar no servi-
primeiro prato vêm umas tostas de ço, e nem a simpatia, nem a eficiên-
tomate com biqueirão e regadas a cia foram objecto de reparos, troco
azeite(€7), que para começar estava
óptimo.
Seguiu-se a canja de amêijoas – 2
pax (€10) - muito bem executada,
cheia de sabor, apesar das amêijoas
de viveiro, o arroz ainda um pouco al
dente e os coentros a dar um equilí-
brio muito interessante ao bivalve,
lembrando muito o bulhão pato.
Fiquei com vontade de provar a
muxama de atum com azeite e alho
(€5) e a salada de atum (€8), mas fi-
quei-me por uma tosta com abacate, mesmo por elogios, nunca faltou co-
salsa, rúcula, camarão e tomate que mida no meu prato, bebida no meu
não me fascinou, pareceu-me até um copo e o retirar do prato era sempre
pouco desequilibrada, precisando de acompanhado da pergunta: “Está tu-
um pouco mais de acidez. do do seu agrado?”.
Terminei os salgados com a raia Em conversa apercebi-me que den-
alhada (€12) - percebi de imediato a tro de um ano mudam de casa e tro-
alta recomendação para este prato, cam a imagem de cafetaria pela de
boa conjugação de todos os sabores e restaurante, mantendo sempre a
o peixe denunciava fresquidão com a qualidade gastronómica. Ainda não
estão lá mas já digo: “Bem hajam”.
Noélia há seis anos trocou as formas
da pastelaria pelos tachos de cozinha
e que bom para nós, pois temos mais
um restaurante e mais uma cozi-
nheira que merece referência.

DETALHES
Restaurante Noélia e Jerónimo
Avenida Ria Formosa - Edifício Cabanas-Mar
Cabanas de Tavira
8800-591 - Tavira
W 7º 35' 54'' N 37º 8' 8''
+351 281 370 649 / +351 968 534 971
Encerra Quarta-feira todo o dia
Horário: 12h00 às 15h00 e das 19h30 às 22h00
Preço médio: €20
Tipo de Cozinha: Tradicional portuguesa
Cartões: Visa e MB
QUINTA-FEIRA
oje.sapo.cv LIFESTYLE 10 de Fevereiro de 2011 15

GASTRONOMIA Aonde ir
Alandroal recebe II Edição TEATRO LISBOA
O Teatro Nacional
D. Maria II recebe,

da “Mostra do Peixe do Rio”


a partir de amanhã,
a peça “Azul Longe
nas Colinas”, uma
adaptação para
teatro do texto
telã da Ribeira”, “O Tarro”, o “Pateo de Rio” com a presença do enólogo Paulo original de Denis

Foto Pedro Macedo


Cascalhais”, “A Maria”, a “Casa Mateus”, Laureano. Potter – “Blue
o “Monte Agrícola”, a “Adega os Rama- Se desejar pernoitar, são também ade- Remembered
lhos”, o “Central”, o “Quartel”, a “Herda- rentes a esta iniciativa unidades hotelei- Hills”, que estreou
de dos Barros”, “A Lanterna”, o “Zé do Al- ras como o Monte do Peral, o Hotel Rural na BBC em 1979, e
to” ou “A Chaminé”. Os visitantes vão po- Nave Terra, a Casa de Terena, o Monte que aqui conta com a encenação de Beatriz Batarda. Al bano
der também participar em actividades dos Vicentes, a Herdade D. Pedro, a Her- Jerónimo, Bruno Nogueira, Dinarte Branco, Elsa Oliveira,
várias, como o Percurso Pedestre “Em dade do Monte Outeiro, a Quinta Dias em Leonor Salgueiro, Luísa Cruz e Nuno Nunes dão vida a sete
Busca do Poejo”, um Atelier de Cozinha Sonho, a Casa da São, a Herdade dos Bar- amigos que têm por hábito brincar num bosque, perto da vila
com um conceituado Chef nacional, ros, o Monte das Galhanas, a Hospedaria onde vivem, durante as férias de Verão. Através da brincadeira
Workshops de Gastronomia e de Food Pêro Rodrigues e a Landroal Residencial, vão descobrir a violência do mundo que os rodeia e procuram
Experience sobre temáticas diversas co- com descontos de 20% sobre o preço do compreendê-lo imitando a realidade dos adultos. Para ver até
mo por exemplo, “O Vinho e o Peixe do balcão. 20 de Março, de quarta-feira a sábado às 21h45 e domingos às
16h15.
10 de Fevereiro, Sala Estúdio, TNDMII, Lisboa

EXPOSIÇÃO CASINO LISBOA


O Casino Lisboa inaugura. no dia
14 de Fevereiro, “Dia dos
Namorados”, a exposição “Sorte
ao Jogo – Sorte ao Amor”, da
autoria do artista plástico Nélio
Saltão. Integrada por 30 quadros,
pintados predominantemente a
encarnado, a exposição retrata a
viagem de uma obra de arte per-
dida, à procura do seu autor e
O MUNICÍPIO de Alandroal recebe, entre amigo. Depois de percorrer
18 de 27 de Fevereiro, a II Edição da “Mos- Cascais,
tra do Peixe do Rio de Alandroal”, que a peça inicia uma viagem pela
pretende dar a conhecer, ao público em cidade de Lisboa, descobrindo o
geral, um dos pontos fortes da gastrono- charme e o amor que a metró-
mia típica deste concelho alentejano. pole tem para oferecer.
Durante o período da mostra, iguarias Patente até 28 de Fevereiro na
únicas desta região como “A Caldeta de Galeria de Arte, localizada na área circundante ao Arena Lounge,
Peixe do Rio”, o “Lúcio Grelhado” ou a todos os dias das 15h às 3h da madrugada, excepto às sextas-
“Carpa Frita” poderão ser apreciadas nos feiras e sábados, cujo horário será das 16h às 4h da madrugada.
restaurantes do concelho aderentes a es- 14 a 28 de Fevereiro, Galeria de Arte, Casino de Lisboa
ta iniciativa, como por exemplo o “Hor-
MÚSICA GRÂNDOLA
O Auditório Municipal do Cine-
Teatro Granadeiro, em Grândola
MÚSICA recebe no dia 11 de Fevereiro,
a partir das 21h30, o espectáculo
“Corvos Visitam U2”, dos Corvos.

Carlos do Carmo homenageia Este é o novo espectáculo da


banda, que interrompe a tournée
de promoção ao novo álbum
“Medo”, para homenagear o
grupo irlandês. “With or Without

músicos no Teatro São Luiz You”, “Sunday Bloody Sunday”


ou “Pride” são alguns dos temas
recriados por Pedro Teixeira e
Tiago Flores nos violinos, Cláudio
Nunes no violoncelo, Luís Santos
ração afirmada de guitarristas como Ri- na viola d’arco e Pita na bateria.
cardo Rocha, José Manuel Neto, Carlos Da imagem de marca da banda,
Manuel Proença, José Maria Nóbrega e aliada a uma abordagem inovadora que explora a fusão da esco-
Fernando Araújo, assim como músicos de la clássica e do rock, resulta um espectáculo de inesgotável ener-
outros géneros como o contrabaixista gia. Os bilhetes para este concerto custam 4€ (adultos) e 3€ (cri-
Carlos Bica, o espanhol António Serrano anças, seniores e Cartão Jovem).
na harmónica e o maestro, músico e com- 11 de Fevereiro, Cine-Teatro Granadeiro, Grândola
positor António Victorino d’Almeida, ao
piano. TERTÚLIA CULTURAL SERRA DA ESTRELA
A Orquestra Sinfonietta de Lisboa, diri- O Museu do Pão, em Seia, apresenta no dia 12 de Fevereiro pelas
gida pelo maestro Vasco Pearce de Aze- 22 horas, a Tertúlia Cultural
vedo, acompanhará o artista lisboeta com Museu do Pão, com Vitorino.
arranjos de Bernardo Sassetti, Pedro Mo- O músico irá abordar temas
reira, Vasco Pearce de Azevedo e António relacionados com o seu percur-
Victorino d’Almeida. Os bilhetes têm o so artístico e cultural, assim
preço de 12€ a 25€. como as suas opiniões relativa-
mente ao Portugal actual no
Fotos Joana Lima Rocha

que respeita à música, literatu-


ra, teatro/cinema, comunicação
e produção cultural. Com
entrada livre, as Tertúlias do
Museu do Pão convidam todos
os que gostam de aprender,
trocar experiências e sobretudo
CARLOS DO CARMO sobe ao palco da Sala mental para a construção da sua sólida conversar de forma espontânea
Principal do São Luiz Teatro Municipal, carreira. numa atmosfera intimista e
em Lisboa, nos dias 11 e 12 de Fevereiro, Aos 71 anos de idade e 48 de carreira, informal, enquanto tomam um
às 21 horas, para um concerto de home- Carlos do Carmo fará uma viagem musi- quente e reconfortante chá.
nagem aos músicos que, no passado co- cal pelos temas da sua vida, no qual o 12 de Fevereiro, Bar-Biblioteca,
mo no presente, têm sido a base funda- fadista estará acompanhado por uma ge- Museu do Pão, Seia
QUINTA-FEIRA
16 10 de Fevereiro de 2011

Desporto
Duelo particular com atracção extra em Genebra

PORTUGAL X ARGENTINA das no ranking FIFA em oitavo e Argentina (4-1), que se vão defrontar lia, Holanda e Inglaterra. A selecção bos os lados. Entre estes, registe-se a
quinto lugares, respectivamente, há pela sétima vez, depois de seis parti- portuguesa caiu nos oitavos-de-final ausência de Pepe do lado português e
AS SELECÇÕES de Portugal e da Ar- alguns aspectos comuns no seu tra- culares, o último dos quais em 1972, aos pés da Espanha, enquanto os ar- de Carlos Tevez e Kun Aguero do la-
gentina defrontam-se hoje na cidade jecto recente, o primeiro dos quais o no Rio de Janeiro, que terminou com gentinos se ficaram pelos quartos- do argentino, e a curiosidade de Sér-
suíça de Genebra em jogo particular facto de terem sido as últimas selec- a única vitória lusa, contra quatro de-final perante a Alemanha. gio Batista ter chamado dois jogado-
que oporá algumas das maiores figu- ções a derrotarem a actual campeã dos sul-americanos. O facto do jogo ser particular e res que actuam em Portugal, o cen-
ras do futebol mundial, sobretudo da Europa e do Mundo, a Espanha. Outro ponto comum entre ambas não estarem pontos em jogo pode tral Otamendi, do FC Porto, e o médi-
entre aqueles que são considerados Mais do que derrotar os espanhóis, resulta da modesta participação no contribuir para proporcionar um o esquerdo Nico Gaitán, do Benfica.
os dois melhores jogadores da actua- actualmente proeza ao alcance de Mundial da África do Sul, para o qual grande espectáculo, se os aspectos A partida a realizar no Stade de
lidade, Cristiano Ronaldo e Lionel muito poucas equipas, o que surpre- partiram como potenciais candida- tácticos não forem sobrevalorizados Genéve, com início às 20 horas
Messi. endeu verdadeiramente foram os nú- tos a discutirem o título juntamente a ponto de condicionarem a iniciati- (RTP1), será dirigida pelo árbitro suí-
Entre Portugal e Argentina, cota- meros das vitórias de Portugal (4-0) e com Espanha, Brasil, Alemanha, Itá- va e a criatividade dos artistas de am- ço Massimo Busacca.

Armindo OPEN DE FRANÇA: Cibulkova avança em Paris ÚLTIMA HORA

WWW.ABOLA.PT

visa êxito a
A selecção nacional de futebol sub-
20, orientada por Ilídio Vale, empa-
tou 1-1 frente à formação sub-21 da
Noruega, num jogo realizado no Es-
tádio Municipal de Rio Maior que
concluiu o estágio de dois dias reali-
zado naquela cidade. A selecção sub-
20 termina assim o estágio de prepa-

médio prazo ração em Rio Maior, sendo que todos


os jogadores regressaram ainda on-
tem aos seus clubes.

WWW.OJOGO.PT

MUNDIAL DE RALIS são, dependendo do projecto em que O novo técnico do Wolfsburgo deci-
venha a ser inserido. diu suspender o médio brasileiro
O PILOTO português Armindo Araú- “(Queremos) uma equipa que nos Diego por um jogo, na sequência de
jo, bicampeão mundial de Produção dê um projecto a médio/longo prazo este ter marcado um penalty sem
(PWRC), disse ontem que caso venha e que nos insira nos programas de ser o jogador escolhido para o fazer.
a competir no WRC terá um projecto desenvolvimento e testes. A minha Diego falhou mesmo a conversão do
a três anos e que espera de um “gran- decisão tem a ver com a minha posi- castigo máximo. “Decidi suspendê-
de resultado” a médio/longo prazo. ção futura dentro da equipa e não lo por um jogo pelo que fez na últi-
Armindo Araújo reafirmou que tanto com o ano de 2011”, acrescen- ma partida. Depois, tudo será esque-
apenas lhe falta a resposta de um pa- tou. Com a possibilidade do WRC no cido e ele terá a oportunidade de
trocinador e que só com esse apoio é horizonte, o piloto de Santo Tirso nos mostrar que pode ajudar a equi-
que poderá entrar no campeonato não fará o calendário completo, já pa”, explicou Pierre Littbarski.
mundial de ralis. “Mais uma semana, que uma época inteira custa entre os
menos uma semana, tem que haver 3,0 e os 3,5 milhões de euros.
uma decisão. Tudo está do lado do “Será um programa seleccionado
patrocinador”, referiu o piloto. de corridas e estamos a fazer um in- WWW.MAISFUTEBOL.IOL.PT
Certo é o interesse de duas equipas vestimento mais ou menos como fi- Guardiola vai continuar no FC Bar-
nos serviços do português, a Ford e a zemos na produção, em que apresen- A TENISTA eslovaca Dominika Cibulkova responde à adversária croata Ana Vrljic na 1.ª celona até Junho de 2012. O treina-
Mini, mas Armindo Araújo explicou támos um projecto a três anos”, disse eliminatória do Open de França que decorre em Paris. Cibulkova, 8.ª favorita, venceu dor chegou a acordo com o clube ca-
ainda não ter sido tomada uma deci- o piloto de 33 anos. Vrljic pelos parciais de 6/0 e 6/2. Foto Ian Langsdon/EPA talão para prolongar o vínculo por
mais um ano, anunciou o site oficial
do Barcelona num comunicado.

Hélder Rodrigues aponta às Dias Ferreira prepara Neste momento, as partes chegaram
a um princípio de entendimento e
“nos próximos dias”, adianta a nota

vitórias no Mundial e Dakar candidatura à presidência oficial, o acordo vai ser passado ao
papel, com a assinatura do contrato
que formalizará a renovação.

TODO-O-TERRENO Hélder Rodrigues considera que o ELEIÇÕES NO SPORTING CP anunciarem a resignação para 14 de TEMPO PARA OJE
Dakar é a grande meta, mas que du- Fevereiro. “Dias Ferreira entende a
O MOTARD português Hélder Rodri- rante o ano o campeonato do Mundo JOSÉ DIAS Ferreira, actual presiden- delicadeza do momento do Sporting
gues, terceiro classificado no Dakar de todo-o-terreno é o objectivo, nu- te da mesa da Assembleia-Geral, está e a urgência de encontrar soluções
Porto
2011, aponta já as suas baterias ao ma época que considera muito lon- a preparar a candidatura à presidên- desportivas e financeiras dignas de MIN. 11 MÁX. 16
Mundial, no qual espera fazer o seu ga, dura e com muitas corridas - en- cia do Sporting Clube de Portugal, um candidato ao título e de uma po-
melhor resultado de sempre e chegar tre 25 a 30 em todas as competições. mas só tomará uma posição oficial tência europeia. Mas só tomará posi-
ao título. O Dakar é a meta, com o piloto lis- após 14 de Fevereiro, revelou ontem ção oficial depois do dia 14”, acres- Lisboa
“Foi um ano muito bom. Fui ter- boeta a dizer que é o objectivo de to- à Lusa uma fonte da candidatura. centou a fonte.
ceiro no Mundial e no Dakar, pelo dos os corredores. “Este ano fui ter- Segundo a mesma fonte, “um con- Se confirmar a candidatura às elei-
MIN. 10 MÁX. 16
que espero fazer o melhor de sempre ceiro e acho que a dificuldade de fa- junto de pessoas ligadas ao Sporting ções marcadas para 26 de Março, Di-
no campeonato do Mundo, em que já zer segundo ou primeiro é a mesma. entende que a situação é muito com- as Ferreira deverá deixar a presidên- Faro
fui segundo. Agora, gostava de ven- (...) estamos a trabalhar para que já plicada”, na sequência da demissão cia da mesa da Assembleia-Geral
cer e vou trabalhar para isso”, disse o no próximo ano possa ser um candi- do presidente José Eduardo Betten- imediatamente após a demissão dos MIN. 11 MÁX. 17
piloto. dato a vencer”, finalizou. court, que levou os órgãos sociais a órgãos sociais.