Anda di halaman 1dari 4

As Categorias Do Texto Narrativo

No texto narrativo, o narrador conta uma história, a acção, na qual intervêm


personagens que se movimentam num espaço e num tempo.

O Narrador

 Pode estar presente ou ausente da acção narrada, ou seja, poder ser


um narrador participante ou não participante;

 Pode ser objectivo/imparcial, isto é, um narrador que não expressa a


sua opinião nem faz comentários pessoais sobre o que conta, ou pode
ser subjectivo/parcial, isto é, um narrador que dá a sua opinião, que
faz comentários pessoais sobre o que conta;

 Pode revelar um conhecimento sem limites (narrador omnisciente)


acerca do que conta, dando todas as informações que entender
necessárias para o conhecimento pormenorizado da história, ou pode
revelar um conhecimento limitado (narrador não omnisciente) acerca
do que conta, sendo assim menor a quantidade de informações que dá
sobre a história.

As Personagens

 Podem ser definidas pelo relevo que têm na história, sendo que a
personagem principal ou protagonista é a que desempenha o papel
mais importante, as personagens secundárias são as que tem um
papel menos destacado e os figurantes não desempenham um papel
específico, contribuindo apenas para a criação de ambientes e para um
melhor entendimento da história contada.

 Podem ser caracterizadas fisicamente, pelo seu aspecto exterior, ou


psicologicamente, pelos seus sentimentos e comportamentos (a
caracterização física e a caracterização psicológica são, pois, dois tipos
de caracterização de personagem que permitem fazer o seu retrato);

 Podem ser caracterizadas directamente, quando elas próprias, o


narrador ou as outras personagens referem as suas características, ou
indirectamente, quando e o leitor que deduz as suas características a
partir dos comportamentos evidenciados (a caracterização directa e a
caracterização indirecta são, pois, dois tipos de caracterização de
personagem que permitem fazer o seu retrato).

A Acção

 Contém momentos determinantes, como a situação inicial, as


peripécias, o ponto culminante e o desfecho ou desenlace, sendo
possível distinguir os acontecimentos principais dos acontecimentos
secundários.
 Inclui acontecimentos que podem ser ordenados de acordo com a sua
sucessão da história – ordem real – ou de acordo com a ordem pela
qual o narrador decide contá-los – ordem textual –, servindo-se estes
dos verbos de movimento, que traduzem acção, conjugados sobretudo
no pretérito perfeito, embora também, em alguns casos, no presente
do indicativo, para dar maior vivacidade a tais acontecimentos.

 Pode ser uma acção aberta, se permite ao leitor imaginar a continuação


da história, ou uma acção fechada, se dá uma conclusão definitiva à
história, impedindo a sua continuação.

Espaço

 Permite saber onde se passa a acção;

 Pode ser escrito com maior ou menor detalhe, servindo-se o narrador de


adjectivos ou expressões equivalentes, para caracterizar os seus
diversos aspectos, de substantivos, para os enumerar, do pretérito
imperfeito e dos articuladores de lugar, expressões que guiam o leitor
através do espaço descrito, localizando tais aspectos.

Tempo

 Permite saber quando se passa a acção e a ordem dos


acontecimentos que fazem parte dessa acção, servindo-se o narrador
dos articuladores de tempo, expressões que permitem ao leitor
aperceber-se da sucessão desses mesmos acontecimentos.

 Pode ser identificado como tempo cronológico, quando são dadas ao


leitor as marcas da sua passagem (hora, dia, mês, anos, entre outros),
ou como tempo histórico, quando as suas marcas permitem saber qual
a época histórica em que se passa a acção.

No texto narrativo, encontram-se geralmente três modos de representação do


discurso:

 Narração – apresentação das acções e dos acontecimentos, avançando


a história contada mais rapidamente;

 Descrição – apresentação das personagens, dos objectos, dos


espaços, avançando a história contando mais lentamente;

 Diálogo – conversa entre as personagens, ganhando a história contada


com mais vivacidade.
Figuras De Estilo

 Aliteração
 Consiste na repetição intencionalmente dos mesmos sons
consonânticos (sons de consoantes).
 «Desenlacemos as mãos, porque não vale a pena
cansarmo-nos.
Quer gozemos, quer não gozemos, passamos como
um rio.
Mais vale saber passar silenciosamente.
E sem desassossegos grandes.»

 Antítese
 Consiste em aproximar ideias contrárias, criando contraste.
 «O esforço é grande e o homem pequeno.»
 «Este mundo não é pátria nossa, é desterro; não é
morada, é estalagem; não é porto é mar por onde
navegamos.»

 Comparação
 É o confronto entre duas realidades semelhantes, que é
estabelecida através de uma palavra ou expressão
comparativa (como, como se, tal como, assim como) ou de
verbos equivalentes (parecer, assemelhar-se, lembrar,
sugerir).
 «Mas o avô, apesar de velho, também era alto e
tinha aqueles olhos fixos e fundos e o rosto tão
marcado de dureza como se fosse de pedra.»
 «O cipreste e o cedro envelheciam juntos como
dois amigos num ermo (…) um raio de sol
morria… como um resto de esperança…»

 Enumeração
 Consiste na apresentação sucessiva de vários elementos
da mesma natureza.
 «Já pelo espesso ar os estridentes
Farpões, setas e vários tiros voaram;»

 Hipérbole
 Exagera as realidades para as encarecer ou atenuar. Esta
figura é muito usada na linguagem popular, como, por
exemplo, nas expressões: gordo que nem uma baleia;
magro como um serrote; alto como uma torre.
 «Depois, mergulhando furiosamente as mãos no
ouro, estalaram a rir, num riso de tão larga rajada
que as folhas tenras dos olmos, em roda,
tremiam…»
 Ironia
 Consiste em transmitir uma ideia dizendo exactamente o
contrário e com uma entoação reveladora da verdadeira
intenção. É pelo que se percebe o sentido contrário que se
atribui às palavras.
 Fizeste-la boa! – Dizemos nós a alguém que fez
um disparate.
 Minha mãe, que Deus lhe fale na alma (que já
morreu)
O senhor Marquês estava incomodado (bêbedo).
O administrador era ao tempo muito falado porque
praticava uns desvios (uns roubos).

 Metáfora
 Consiste em dar a uma coisa o nome de outra em virtude
da razão de semelhança. A metáfora é a comparação
abreviada.
 Aquela mulher é uma baleia.
 Este homem é cruel como um tigre. (comparação)
 Este homem é um tigre. (metáfora)

 Personificação
 Consiste na atribuição de características humanas e
animai, coisas ou ideias.
 « – Isso mesmo – disse a raposa. – Para mim tu não
passas ainda de um rapazinho semelhante a cem mil
outros rapazinhos.»