Anda di halaman 1dari 6

Análise nodal

A análise nodal é a análise feita a partir dos nós do circuito em questão:

Ex.: Determine Va e Vb do circuito abaixo utilizando a análise nodal:


V = 12V, R1 = 200 , R2 = 400 , R3 = 600 e R4 = 1K :

A Lei de Kirchhoff nos dá que a soma das correntes que entram e que saem de um nó é
zero.
Vamos estipular que as correntes que saem são positivas e as que entram são positivas.
Poderíamos estipular o contrário: as que saem seriam negativas e as que entram são
positivas.

A equação do nó 1 é (Va - 12) / 200 + (Va - Vb)/ 600 + Va / 400 = 0


A equação do nó 2 é (Vb - Va) / 600 + Vb / 1000 = 0

Eliminando os denominadores: Multiplico a primeira equação por 1200 e a segunda


equação por 3000.
Então temos:

Equação do nó 1:
6(Va - 12) + 2(Va - Vb) + 3Va = 0 --> 6Va - 72 + 2Va - 2Vb + 3Va = 0 --> 11Va - 2Vb = 72

Equação no nó 2:
5(Vb - Va) + 3Vb = 0 --> - 5Va + 8Vb = 0

44Va - 288 = 8Vb. Substituíndo a expressão de 8Vb na equação do nó 1, temos:

-5Va + 44Va - 288 = 0 --> 39Va = 288, Va = 288 / 39 = 7,3846 V

Substituíndo o valor de Va na segunda equação, temos:

-5 (288 / 39) + 8Vb = 0 --> Vb = -5(288 / 39)/(-8) = 4,6154 V


Análise das malhas
A análise das malhas vem da lei de Kirchhoff das malhas, que diz que a soma das
tensões numa malha é igual a zero.

Ex.: Determine ie e id do circuito abaixo utilizando a análise nodal:


V = 12V, R1 = 200 , R2 = 400 , R3 = 600 e R4 = 1K :

A Lei de Kirchhoff das malhas nos diz que a soma das tensões numa malha é zero.

Vamos nomear a corrente da malha esquerda (ie) e a corrente da malha da direita de (id).
Resolvendo o circuito pela lei de Kirchhoff das malhas, temos:

Equação da malha esquerda:

V - R1 ie - R2 ie + R2 id = 0 --> V = (R1 + R2) ie - R2 id --> 12 = 600ie - 400id

Equação da malha direita:

R2id + R3id + R4id - R2ie = 0 --> (R2 + R3 + R4)id - R2ie = 0 -->

2000id - 400ie = 0 --> 2000id = 400ie --> id/ie = 2000/400 --> id=5ie

Substituíndo a equação da malha direita id=5ie na malha esquerda, 12 = 600ie - 400id


temos:

12 = 600ie - 400id --> id=5ie --> 12 = 600ie - 400(5ie) -->12 = 600ie - 2000ie --> 12 =
-2600ie

ie = 12/(-2600) A = -0,004615 A = -4,615 mA (O que significa que devemos mudar o


sentido da corrente arbitrada)

Para descobrir id, basta substituir na equação id = 5ie = 5(4,615) = 23,075 mA


Equivalente de Thévenin
O equivalente de Thévenin consiste em você descobrir a tensão e a resistência
equivalente em dois nós quaisquer num circuito.

Dado o circuito qualquer abaixo:

Podemos descobrir um circuito como o mostrado abaixo, com uma fonte de tensão Vth e
uma resistência Rth que é o equivalente de Thévenin do circuito acima.

Para achar o Rth, abrimos as fontes de corrente, que no nosso caso não há, e curto-
circuitamos as fontes de tensão, como mostrado abaixo. E, então, achamos o Req da
associação de resistores, que chamaremos Rth.

Rth = (R1 // R3 + R4 ) // R5

E para achar o Vth, calculamos normalmente a tensão entre a e b no circuito original da


questão, a qual, chamaremos de tensão de Thévenin (Vth)
Equivalente de Norton
O equivalente de Norton consiste em você descobrir a corrente e a resistência
equivalente em dois nós quaisquer num circuito.

Dado o circuito qualquer abaixo:

Podemos descobrir um circuito como o mostrado abaixo, com uma fonte de corrente IN
e uma resistência RN, que é o equivalente de Norton do circuito acima.

Para achar o RN, abrimos as fontes de corrente, que no nosso caso não há, e curto-
circuitamos as fontes de tensão, como mostrado abaixo. E, então, achamos a resistência
entre os terminais a e b, que é a Req da associação de resistores, que chamaremos RN,
que é igual a Rth.

RN = Rth = (R1 // R3 + R4 ) // R5
E para achar o IN , calculamos normalmente a corrente entre os terminais a e b no
circuito original da questão, a qual, chamaremos de Corrente de Norton (IN)

Teorema de Millman
A tensão num nó é a razão entre a soma das correntes que entram no nó e a soma das
condutâncias a ele ligada.

Dado o circuito abaixo:

Podemos descobrir a tensão entre os terminais a e b, aplicando a fórmula:

Vab = ( V1 / R1 + V2 / R2 + V3 / R3 ) / ( 1 / R1 + 1 / R2 = 1 / R3 )

Correntes fictícias de
Maxwell
Consiste em percorrermos cada malha de um circuito de n malhas, seguindo a lei de
Kirchhoff das tensões, (A soma das tensões numa malha é nula).

Dado o circuito abaixo:


Vamos descobrir a tensão em R4. Para descobrir a tensão em R4, vamos calcular a
corrente I2, para depois descobrir a tensão em R4. Temos R1 = R2 = R3 = R4 = 1k e V1
= 12V

Teremos duas malhas para percorrer:

V1 - R1I1 - R2I1 + R2I2 = 0


0 = R2I2 + R3I2 + R4I2 - R2I1

Rearrumando os termos, caímos num sistema de equações

V1 = ( R1 + R2) I1 - R2I2
0 = (R2+R3+R4) I2 - R2I1

Substituíndo os valores de V, R1, R2, R3 e R4, temos:

12 = 2 I1 - I2
0 = 3 I2 - I1

Donde tiramos que I1 = 7,2mA, e I2 = 2,4mA.

E, finalmente, temos a tensão em R4, que é (2,4mA)x(1k ) = 2,4V.