Anda di halaman 1dari 39

Ano 4 | N° 18

19 | Janeiro
Dezembro2011
2010

TDF
A Campus
e LibreOffice
Party éna
uma
Campus
vitrineParty
para 2011:
os jovens talentos
Situações
da área deetecnologia
antecedentes
exporem
que levaram
suas ideias
à criação
e projetos.
da Inclusão
The Document
Confira também Foundation
a participação
e o do
impacto
BrOffice
causado
no evento.
na Digital:
comunidade BrOffice Telecentros do Estado
da Bahia, visa garantir
acesso às tecnologias
da informação e
Artigos | Dicas | Tutoriais | e muito comunicação
mais...
| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 1 Janeiro | 2011
Revista BrOffice
BrOffice.org
| www.broffice.org/revista
| www.broffice.org/revista Diagramado
Diagramado
no BrOffice.org
no BrOffice Draw
Draw
índice
carta do leitor

Carta do leitor 04

colaboradores

Conheça os colaboradores 05

artigo

Economia solidária e internet 06

entrevista

Rotoplastyc 10
Joseph Powers 12

novas tecnologias

Novas funcionalidades BrOffice 3.3 14

reportagem

TDF e LibreOffice na Campus Party 24

Centro Digital Cidadania - Ouriçangas 28

dica rápida

Dica rápida 31

cultura

Redblade - Episódio 08 - Fire 32

Dica de filme - Minority report (A nova lei) 34

dica

O modo pincel para aplicação de estilos 35

espaço aberto

Introdução ao PostgreSQL 37

resumo

resumo do mês 39
editorial
Colaboradores desta edição
Redação:
Jano, o deus das portas André Bordignon
Cárlisson Galdino
Gustavo Pacheco
Leonardo Cézar

O
Luiz Oliveira
nome para o mês de Janeiro é uma homenagem a Jano, Natan Reis Santos
Ricardo Pontes
um deus da mitologia grega que tinha duas faces, uma
Dicas:
olhando para o passado e outra olhando para o futuro. Klaibson Ribeiro
Luiz Oliveira
Rubens Queiroz
É com esse sentimento que iniciamos os trabalhos da Revista BrOffice Tradução e adaptação:
Clóvis Tristão
em 2011. De olho em tudo o que aconteceu em 2010, mas também de Rogerio Luz
olho no futuro. O leitor vai perceber que a Revista ganhou um novo Diagramação:
Cida Coltro
visual alinhado com a mudança para a TDF e LibreOffice. Entre elas, a Hélio S. Ferreira
Helmar Fernandes
substituição das gaivotas pela marca da TDF, mudança de cores das Duilio Dias
Eliane Domingos
seções e alterações nos cabeçalhos. Esperamos, com isso, agradar Revisão:
Cida Coltro
aos leitores, usuários, colaboradores e parceiros. Clóvis Tristão
Luiz Oliveira
E por falar no projeto Internacional, um pouco dessa história foi Fátima Conti
Renata Marques
contada na Campus Party, em São Paulo, em palestra ministrada por Vera Cavalcante
Capa:
Eliane Domingos. Ainda sobre a Campus Party 2011, a visão de um Duilio Neto
campuseiro é contada por Ricardo Pontes, membro da comunidade Edição:
Luiz Oliveira
BrOffice e Ubuntu, além de colaborador da Revista BrOffice. luizoliveira@revistabroffice.org
Revisora responsável:
Vera Lúcia Cavalcante Pereira
Na segunda entrevista da série com desenvolvedores do LibreOffice, veracape@revistabroffice.org
Joseph Powers nos faz saber os atrativos de ser colaborador no Jornalista responsável:
Luiz Oliveira – Mtb.31064
projeto. Sua principal contribuição foi na limpeza do código base, Coordenador Geral BrOffice.org:
Cláudio Ferreira Filho | filhocf@broffice.org
melhorando a eficiência dos temas de ícones e deixando o LibreOffice
Coordenadora Revista BrOffice:
mais bonito. Em outra entrevista ficamos sabendo de mais um case Eliane Domingos de Sousa
elianedomingos@revistabroffice.org
bem sucedido para BrOffice da empresa Rotoplastyc, que fica em The Document Foundation Brasil:
Olivier Hallot
Carazinho-RS. olivier.hallot@documentfoundation.org
Escreva para a Revista BrOffice:
Em Novas Tecnologias, um relatório profundo das principais novidades contato@revistabroffice.org
do LibreOffice/BrOffice 3.3. Um trabalho realizado por Gustavo Edições anteriores: www.broffice.org/revista
O conteúdo assinado e as imagens que o integram são de inteira
Buzzatti Pacheco, com o apoio do Tribunal de Contas do Estado de responsabilidade de seus respectivos autores, não representando
necessariamente a opinião da revista BrOffice e de seus
Mato Grosso, Cuiabá/MT, e do Tribunal Regional do Trabalho da 4.ª responsáveis. Todos os direitos sobre as imagens são reservados a
seus respectivos proprietários
Região, Porto Alegre/RS. O que é o BrOffice
É o produto, ferramenta de escritório multiplataforma, livre, em bom
E para finalizar vamos conhecer o Centro Digital Ouriçangas, um português, desenvolvido sob os termos da licença LGPL, composto
por editor de texto, planilha de cálculo, apresentação, matemático e
projeto de Inclusão Sociodigital do Estado da Bahia. banco de dados, mantido pela comunidade e OSCIP, que trabalha
para a difusão do SL/CA no País.
Claro que não é só isso. Temos ainda as dicas, o novo episódio de Desenvolvimento
Esta revista foi elaborada no BrOffice, editor de texto, planilha
Redblade, e uma nova seção que vai trazer as principais novidades eletrônica, apresentação e, diagramação. A reprodução do material
contido nesta revista é permitida desde que se incluam os créditos
das comunidades de Software Livre, começando com um artigo sobre aos autores e a frase: “Reproduzido da Revista BrOffice –
www.broffice.org/revista em local visível.
o PostgreSQL. A Revista BrOffice declara não ter interesse de propriedade nas
imagens. Os direitos sobre as mesmas pertencem a seus
respectivos autores/proprietários.
O conteúdo da Revista Broffice está protegido sob a licença
Boa leitura!! Creative Commons BY-NC-SA, disponível no
www.creativecommons.org.br. Esta licença não se aplica a
nenhuma imagem exibida na revista, e para utilização delas
obtenha autorização junto ao respectivo autor.

Luiz Oliveira
Editor

Patrocinadora:

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 3 Janeiro | 2011


carta do leitor

Introdução ao PostgreSQL
Esta é a sua seção! Na “Carta do Leitor”, você pode tirar dúvidas sobre o BrOffice, seja produto,
comunidade ou desenvolvimento, enviar críticas ou sugestões que possam enriquecer ainda mais a
nossa revista. Envie um email para cartadoleitor@revistabroffice.org.
Participe!

Estou utilizando o BrOffice recentemente e gostando Ilmo. Srs.


muito. Dou parabéns a todos os envolvidos nesse projeto. Sabemos que planilhas, processadores de texto,
Gostaria de contribuir com uma pequena participação: programas de apresentação e outros, fazem parte de
como utilizava muito Excel, estou utilizando o Calc e nosso cotidiano, seja no lazer, na vida profissional enfim,
percebi que a função Procv não funciona quando a matriz como dizem, é parte de nossa "vida".
utiliza fórmulas ou funções.
Orgulho do século passado, a informática resplandece no
André Rebello século 21, e sem dúvida alguma, revoluciona o modo de
Olá André, obrigado pelo contato e pela contribuição. ser. O pacote BrOffice, LIVRE , cresce dia a dia. Aquilo
Enviamos o teu arquivo para a lista que só era observado nos meios universitários, chega até
usuarios@pt-br.libreoffice.org para que a comunidade o grande público, de maneira versátil. Eis um pacote
possa avaliar o seu caso e se possível encontrar uma revolucionário, onde inúmeros colaboradores , somam
solução. esforços, para , assim dizer, realizar uma grande
transformação em termos de informática.
(...)Recebo esta bela noticia vinda como um presente de (...)Li, todos os números da revista disponíveis para
natal pela revista BrOffice.org edição n° 18, onde se lê download: excelentes!
que a comunidade se desvencilhou do grilhão da Oracle.
Preciso de uma pequena ajuda "operacional": Como
Isso é muito importante e um marco na historia das
importar textos, através de um scanner, direto para o
GPL's, GNU's e qualquer forma de lei que englobara e
BrOffice? Existe a possibilidade ?
garantira aos usuários de todo mundo as quatro
liberdades do software livre: a liberdade de utilizá-lo para Grato,
qualquer fim, comercial ou não, acesso aos códigos e seu Continuem 2011, com muito SUCESSO !
estudo, as melhorias que podem ser feitas nos códigos e João Paulo Vargas
a sua redistribuição sem dever nada a ninguém.(...)
Wanderson B. Paula
Taguatinga – DF Olá João,
Olá Wanderson, Ficamos felizes que tenha gostado da Revista e fica o
Interessante sua “declaração de amor” ao BrOffice e ao convite para fazer parte da produção colaborativa. Para
Linux. Como sua mensagem ficou um pouco grande e isso é só entrar em contato conosco através do e-mail
atendendo ao seu pedido, resolvemos publicar o seu texto contato(a)revistabroffice.org. Em relação à sua dúvida,
na íntegra no portal BrOffice.org, ok? existe sim a possibilidade. Uma vez que o scanner esteja
corretamente instalado em sua máquina, basta abrir o
Arquivo pessoal

Desejo à todos vocês um Feliz Natal e que o Ano Novo só BrOffice Writter, acessar o menu Inserir > Figura >
reserve Boas Novas e Grandes Desenvolvimentos! Digitalizar, em seguida selecionar a origem, ou seja, o seu
scanner.
Wiliam A. Pereira 
São Carlos - São Paulo - Brasil

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 4 Janeiro | 2011


colaboradores

Conhecendo os
colaboradores
Arquivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 5 Janeiro | 2011


artigo

Economia
solidária e
internet

Google
Por André Bordignon

A Internet é uma grande e democrática ferramenta de da ditadura, como agora fica claro”. E continua “Quem
comunicação. Ela nos abre inúmeras possibilidades para tem medo da internet, tem medo da democracia, tem
colaboração e cooperação. A certeza dessa afirmação medo da cidadania, tem medo do povo”. A Internet,
pode ser constatada pelo forte ataque que as grandes apesar de ter sido originalmente concebida em um
corporações capitalistas, aliadas com os governos ambiente militar, também incorporou os valores de
liberais, vem fazendo à liberdade da rede. O tratado do liberdade e colaboração da década de 60 que estava
ACTA¹ é um bom exemplo disso. O ACTA é um tratado passando por uma transformação social profunda.
que reúne os grandes países para definir e regular a Por outro lado, temos um movimento que vem ganhando
questão dos direitos autorais. As corporações capitalistas força nos últimos anos no Brasil que é o movimento da
estão fazendo de tudo para limitar a liberdade da Internet. Economia Solidária. Esse modelo de economia se
Quem tem medo da Internet? apresenta como alternativa ao modelo colocado
Em seu artigo Quem tem Medo da Internet, o sociólogo atualmente.
Emir Sader aponta que, os poucos poderosos do setor de A Economia Solidária tem quatro características muito
comunicação, que sempre dominaram a cena nacional marcantes que são: Cooperação, Autogestão,
com a veiculação de notícias homogêneas de uma visão Atividade Econômica e Solidariedade. Com esse
única quase sempre questionáveis, são os mais modelo, se espera uma sociedade organizada
relutantes em aceitar essa liberdade propiciada pela economicamente de maneira mais justa e solidária de
Internet, agora que ela vai se tornando mais popular. Emir
Arquivo pessoal

forma que cada trabalhador e cada trabalhadora tenha o


Sader cita “Tenhamos claro que os que têm medo da suficiente para viver de maneira digna. No Brasil já existe
internet são os que usufruem monopólios, os que se uma secretaria - Secretaria Nacional de Economia
submetem aos patrões que lhes pagam salários e lhes Solidária - para cuidar dos assuntos relativos à Economia
garantem espaços de que eles acreditavam que Solidária.
dependeríamos para conhecer o Brasil e o mundo. São os
Será que a Internet pode ser utilizada para alavancar os
que acusam governos, partidos, movimentos sociais de
empreendimentos de economia solidária?
não serem democráticos, mas estão a favor da censura e

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 6 Janeiro | 2011


artigo
Economia solidária e internet

Arquivo pessoal
Por André Bordignon

Do ponto de vista de valores, percebemos que a Internet Outro aspecto importante dos empreendimentos da
e Economia Solidária se conectam. Se percebemos Economia Solidária é a gestão coletiva. Esse tipo de
valores na Internet que podem estar em sintonia com a gestão requer disponibilização das informações relativas
Economia Solidária porque então ela não pode ser um ao empreendimento para as tomadas de decisões nas
instrumento de alavancagem para esse modelo de assembleias e reuniões. A Internet propicia a facilidade da
economia? disponibilização de todas essas informações online. Com
as informações de fácil acesso, as decisões podem ser
O que vemos hoje de utilização da Internet pela Economia
Solidária são simples sites de empreendimentos tomadas de maneira autônoma, minimizando a influência

solidários, com os produtos desenvolvidos e um sistema direta da diretoria dos empreendimentos, tornando a
gestão altamente participativa.
de busca desses produtos. Isso não é suficiente para uma
alavancagem mais forte dessa economia. É necessário Outra iniciativa que pode ser alavancada com o uso da
um estudo mais profundo dessa ferramenta com o foco na Internet é a troca de saberes entre os empreendimentos.
Economia Solidária para desvendar suas inúmeras e reais Sabemos que a maioria dos empreendimentos de
possibilidades. Economia Solidária são formados sem grande captação

O Atlas da Economia Solidária de 2005 mostra que de recursos e, muitas vezes, até nenhuma captação. A

poucos empreendimentos utilizam a Internet no seu Internet pode ser um canal de troca de informação para
melhoria dos empreendimentos com um custo muito
processo produtivo e de gestão.
baixo.
Segundo o mesmo atlas, somente 7% dos
O principal desafio, a nosso ver, é que normalmente os
empreendimentos de Economia Solidária comercializam
empreendimentos de Economia Solidária são de baixo
seus produtos no território nacional e somente 2% com
custo, constituídos por pessoas pobres, que não tem
outros países, mostrando que a grande maioria dos
produtos é comercializado localmente. Evidentemente, aí acesso à tecnologia da informação. Além disso, temos

percebemos que temos um grande potencial para ampliar uma concentração de empreendimentos de Economia
Solidária nas regiões norte e nordeste. Pelo SIES –
a abrangência da comercialização. E a Internet, como
Sistema de Informação em Economia Solidária – 55%
forma de divulgação e comercialização a um custo baixo,
desses tipos de empreendimentos estão nessas regiões.
poderia ser a potencializadora através do comércio
eletrônico. E aí temos um grande problema, pois é justamente
nessas regiões que o acesso a Internet é mais precário.
Segundo uma pesquisa do IBOPE de Agosto de 2009 nas
Google

regiões Norte e Nordeste menos de 8% da população têm


acesso domiciliar a Internet. Isso faz com que a Internet
não seja aproveitada para a potencialização desse
modelo econômico.
Arquivo pessoal

Para resolver essa questão, temos que universalizar o


acesso à rede e dar formação. O Governo Federal vem
trabalhando em um grande plano de banda larga para
universalizar o acesso à rede no Brasil. O acesso a essa
tecnologia, com certeza, irá propiciar a inovação desses
empreendimentos desde que haja formação.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 7 Janeiro | 2011


artigo
Economia solidária e internet

Arquivo pessoal
Por André Bordignon

Várias ferramentas de tecnologia, que podemos chamar ¹ O Acordo Comercial Anticontrafação (ACTA, em inglês Anti-

de tecnologia social, só puderam ser criadas e Counterfeiting Trade Agreement) é um tratado comercial

operacionalizadas com o advento da Internet como os internacional que está sendo negociado com o objetivo de

sites knowmore.org, crossbooking.org e globavoices.org. estabelecer padrões internacionais para o cumprimento da

O que a Economia Solidária pode criar com a Internet? legislação de propriedade intelectual entre os países

Como podemos utilizar essa ferramenta para mudar as participantes. De acordo com seus proponentes, como resposta

relações comerciais? O site Solidarius "ao aumento da circulação global de bens falsificados e da

(http://www.solidarius.com.br/) nos mostra um bom pirataria de obras protegidas por direitos autorais"
exemplo com a possibilidade de comercialização pela http://pt.wikipedia.org/wiki/ACTA consultado em 14 de Janeiro
Internet através de sua moeda social. O Portal Solidarius de 2011.
é mantido por uma iniciativa autogestionada de economia ² O SIES – Sistema de Informação em Economia Solidária é um
solidária, não tendo fins lucrativos. A missão dessa sistema que contem informações sobre os empreendimentos de
iniciativa é colaborar na difusão e consolidação da Economia Solidária no Brasil. Ele é mantido pela Secretaria
economia solidária em qualquer país, fomentando a
Nacional de Economia Solidária.
organização de redes colaborativas, atendendo a
³ MONSERRAT, J. (2008) “Economia da Exclusão vs. Economia
pessoas, empreendimentos, redes, comunidades e
da Inclusão” Artigo publicado no V Encontro de Pesquisadores
governos, com serviços de educação, consultoria,
Latino-Americanos de Cooperativismo.
pesquisa e desenvolvimento, inovação metodológica e
provimento de tecnologia da informação.
Para que a Internet seja um instrumento de uma
transformação mais profunda precisamos ter discussões
políticas dentro das cooperativas que promovam a
Economia Solidária. Sem esse acúmulo de análise política
do que significa essa transformação dificilmente iremos
alcançar uma mudança de patamar do que existe hoje.
De uma análise simples dos empreendimentos de
Economia Solidária, através do SIES², podemos constatar
que a Internet é pouco utilizada pelo movimento da
Economia Solidária. Esperamos que, com a
universalização do acesso, isso possa mudar e utilizemos
essa ferramenta para alavancar um modelo econômico Trazendo dicas e informação,
Arquivo pessoal

mais justo e inclusivo.


todos os dias e na dose certa
Conforme cita o professor Monserrat, um estudioso da
Internet e Economia Solidária, em seu trabalho www.dicas-l.com.br
(Monserrat, 2008)³ “uma porta está aberta com a Internet
para a Economia Solidária e uma grande transformação
pode ser feita com ela”.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 8 Janeiro | 2011
http://hacknrio.org/br
entrevista

Empresa reestrutura área de

Google
TI e adota BrOffice
Por Luiz Oliveira

A seguir vamos conhecer mais um caso de sucesso de migração para BrOffice. O entrevistado é Daciano Pozzer, gestor
de Tecnologia da Informação da empresa Rotoplastyc que fica em Carazinho-RS.

Como conheceu o BrOffice?


Sou usuário do BrOffice há bastante tempo. Leio todas as
edições da Revista BrOffice e fiquei bastante feliz quando
encontrei algumas pessoas que colaboram na Revista, no Em 2011, vamos
Fórum Internacional de Software Livre. Comentei sobre o
caso da empresa onde trabalho e me foi dada a sugestão criar treinamentos
de enviar o caso para publicação na Revista.
do BrOffice Calc.
Qual a estrutura da empresa?
A Rotoplastyc foi fundada em 1999, está situada em
Carazinho-RS. Tem como clientes empresas como o grupo
AGCO, Stara, Kuhn, Tramontina, entre outras.
Com cerca de 110 funcionários, possui 40 computadores,
todos utilizando o BrOffice.
Arquivo pessoal

Quando o BrOffice foi implantado na empresa?


O Broffice foi implantado em agosto de 2009. A mudança,
na verdade, foi parte de uma reestruturação total no
departamento de TI da empresa para atender novas
exigências do mercado, mas também para facilitar os
procedimentos administrativos.
À esquerda Daciano Pozzer e Francis Wechker

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 10 Janeiro | 2011


entrevista
Rotoplastyc reestrutura departamento
de TI e adota BrOffice
Por Luiz Oliveira

Para isso, um levantamento geral foi feito com o objetivo de de um componente do Microsoft Office. Era necessário ter
listar os seguintes itens: computadores e configurações, o pacote instalado. Após solicitação ao nosso fornecedor
software utilizados, licenças e impressoras. A partir daí de software, eles criaram uma alternativa para gerar os
constatamos que todos os computadores utilizavam Microsoft arquivos para .xls com um componente da Microsoft, sem
Office 2003 e 2007, mas estavam sem licença. Optamos, necessidade de adquirir licença do pacote Office.
então pelo BrOffice, em vez de gastar mais de 20 mil reais Conseguimos abrir perfeitamente com o BrOffice os
para comprar todas as licenças necessárias. Um cronograma relatórios gerados pelo sistema. Mas a principal dificuldade,
de substituição foi montado e, em quatro meses, a migração foi a resistência dos colaboradores, pois todos estavam
foi concluída. vindo de uma plataforma proprietária e a grande maioria
não conhecia outra suíte de escritório além do MS Office.
Iniciamos a migração por setores e confesso que houve
bastante resistência de algumas pessoas, mas com o tempo Muitos alegavam que se sentiam perdidos no BrOffice. A
foi possível mostrar as vantagens que o BrOffice possui solução foi dar todo apoio e suporte mostrando que a
comparado com o pacote da Microsoft, além do fato de ser ferramenta tem os mesmo recursos que a outra suíte.
uma suíte para escritórios livre. A equipe de TI esteve Havia muitos chamados para dúvidas simples. Por
bastante atenta nessa fase para ajudar nas dúvidas dos exemplo, não encontrar determinada função no BrOffice.
usuários. Mais uma vez, o suporte intensivo foi capaz de mostrar
que, com um pouco de atenção, era possível notar que o
Quais são, na sua opinião, essas vantagens?
BrOffice oferece os mesmos recursos, de forma muito
São várias, mas posso citar, por exemplo a opção de exportar
semelhante e com a grande vantagem de possuir mais
direto para o formato PDF (Portable Document Format). Essa
informações na ajuda(F1). Com a ajuda do BrOffice é fácil
opção ajuda muito, não é mais necessário ter que ficar
e simples fazer pesquisas, tirar dúvidas, descobrir fórmulas
instalando emulador e é muito mais simples exportar um
no Calc. Assim conseguimos nos adaptar à ferramenta e
arquivo para PDF. Outras vantagens são os recursos 3D
tirar grande proveito dela.
avançados de edição gráfica, a interface simples e eficiente, a
Nossos planos para inicio de 2011 é criar treinamentos de
facilidade na instalação, além de disponibilizar todos os
recursos avançados do BrOffice Calc.
recursos de outras suítes de escritórios.
E mais outra grande vantagem é a facilidade de encontrar
materiais e ajuda na internet, sem contar que a ajuda interna Sobre a empresa:
(F1) auxilia muito nas dúvidas do dia a dia.
A Rotoplastyc é uma empresa que industrializa mais de
600 itens, que variam de 300gr a 600kg sendo pioneira
Quais as principais dificuldades na hora da migração?
na industrialização de reservatórios em polietileno com
Nos documentos criados com Microsoft Power Point, houve capacidade de armazenamento de até 24.000 lts. Está
vários casos que tivemos que refazer o arquivo, pois era
localizada na cidade de Carazinho, no norte do Rio
utilizado a função WordArt, e no Impress a apresentação com
Grande do Sul.
ele ficava extremamente lenta para passar os slides;
Houve um problema com nosso sistema ERP, desenvolvido Referências:

em Genexus, que gerava relatórios somente com a utilização http://www.rotoplastyc.com.br/web/


| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 11 Janeiro | 2011
entrevista

Joseph
Powers
Genrecookshop

Tradução e adaptação: Rogério Luz

Agradecemos ao entrevistado, na foto abaixo com sua esposa, que tanto contribui na limpeza do código base, melhorando a

eficiência dos temas de ícones e deixando o LibreOffice mais bonito. Tais melhorias, são realizadas sem grandes

“estardalhaços”:

Qual foi seu primeiro programa ?

Programação é voltada às pessoas: Por favor, fale um Comecei a programar no colégio, em um Apple IIe. Como
pouco sobre si mesmo: sou fanático por matemática, meus programas eram
relacionados a equações matemáticas. Quando ganhei um
Sou Joseph Powers, JoeP no IRC, moro na Costa Oeste
PC-XT dos meus pais, mudei rapidamente do BASIC para
Americana, na cidade de Las Vegas, estou no começo dos
o PASCAL.
meus quarenta anos, cassado com uma bela mulher: Abelita
– uma bela dama Filipina. Servi por quatro anos no exército O que faz, quando não está 'hackeando' o LibreOffice ?
dos Estados Unidos, trabalhando na manutenção de Atualmente, sou contratado por um grupo de Hotel/Casino
computadores. Atualmente trabalho na indústria do fora de Las Vegas, em Nevada. No trabalho, eu
Entretenimento, vivendo em Las Vegas, infelizmente, não sou personalizo e mantenho as interfaces para o nosso
parte da famosa família irlandesa dos Powers. Info/Infinium fornecendo Recursos Humanos, Contabilidade
Geral, Folha de Pagamento, Contas a Pagar, Ativo Fixo,
Software de Gerenciamento de Projetos, todos
funcionando em um sistema i da IBM. O ambiente atual é
RPGLE, DB2, Linguagem de Programação em JSP (HTML,
Java and CSS).
Quando, eventualmente, você gasta mais tempo no
projeto ?
Normalmente, eu levanto cedo, duas horas antes da
esposa acordar, entre 05:00 – 07:00, aproveito para
trabalhar no projeto. Depois do trabalho (18:00), gasto uma
ou duas horas. Aos domingos, me dedico algumas horas
ao projeto.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 12 Janeiro | 2011


entrevista
Joseph Powers Tradução e adaptação: Rogério Luz

Qual seu editor de texto preferido ? Porque ? Como foi sua experiência inicial na contribuição para o
Atualmente, utilizo o Text Wrangler (Mac OS X). Ele é free e LibreOffice ?
trabalha bem com interface em linha de comando para a A equipe atual de programadores foi muito receptiva, eles
edição. O ambiente Xcode, tem se mostrado mais versátil e aceitaram as minhas sugestões e correções sem queixas e às
capaz para trabalhar com projetos, eu deverei utilizá-lo no aplicou ao sistema principal.
futuro. Qual foi sua mais importante contribuição para o LibreOffice ?
Como você ficou conhecendo o LibreOffice ?
Meu grande projeto, até o momento, foi o de remover o código
Nos últimos anos, tenho utilizado o OpenOffice.org. Eu não gosto que implementava o high-contrast aos ícones em cada tema.
do MS-Office, desde a versão para Mac, que é sempre Com a inclusão dos ícones aos temas, havia uma segundo
incompatível com a versão do MS-Windows. Eu acompanho o site conjunto de ícones high-contrast para cada tema, que era um
OSNews, e li um artigo falando sobre a criação do exagero. Eu passei algumas semanas identificando e
DocumentFoundation. removendo o código.
Porque você se envolveu com o projeto ? Como isso irá melhorar as coisas para os usuários ?
Estava ficando cansado de apenas trabalhar no código RPGLE, e Primeiro, eliminar as exigências do segundo conjunto de ícones
queria voltar a programar em C/C++. Estive olhando diversos high-contrast dos temas, reduzindo o tamanho da instalação.
projetos, porém alguns deles eram mantidos por equipes tão Como a maioria do código estava carregando as referências
pequenas, que a adesão ao projeto significaria ter que aprender o para ambos os conjuntos de ícones, determinando qual deveria
código fonte e dar apoio a outros aspectos do projeto. Outros por ser apresentado, minhas alterações reduziram a sobrecarga na
sua vez, eram grandes demais, como o kernel do linux, onde memória e processamento, levando a um sistema mais rápido.
mudanças ocorrem muito rapidamente. No passado, eu já havia
Qual sua visão de futuro e/ou o que você gostaria que fosse
analisado o código fonte do OOo, era uma bagunça, e a Sun queria
melhorado ?
atribuições de direitos autorais sobre o código, então eu desisti.
Atualmente, estou tentando retornar para o C/C++, portanto
Com o anuncio do projeto LibreOffice, voltei a olhar para o código
estou focado na limpeza do código. A base de código atual,
fonte. É um pouco mais claro e limpo, fácil de compreender, e eu
necessita de muito trabalho, tais como, modelos de macros que
poderia contribuir. O grupo de desenvolvimento é grande o
são meu alvo. Eu gosto da ideia, de que alguém tenha a
suficiente, onde eu poderia entrar e não precisaria assumir o projeto
capacidade de criar modelos que foram adicionados através da
inteiro (minha intenção é ajudar e não executá-lo). Bom, um projeto
linguagem padrão C++. Entretanto, hoje essas macros somente
que respeita os direitos autorais, um grupo amigável de
trazem confusão ao código base. O meu objetivo é limpar o
desenvolvedores, um código fonte compilável, eu acabei decidindo
código, que foi por anos negligenciado.
que este seria o projeto ideal para trabalhar.
No futuro, eu gostaria de olhar a conversão da API Carbon para a
Qual foi sua primeira contribuição para o LibreOffice ?
nova API Cocoa. Isso me permitiria mudar do OS X 10.4 para o
Eu comecei submetendo correções (patches) e/ou sugestões para o 10.5 e construir aplicações em 64bit. Eu notei que iniciamos a
código fonte do LibreOffice (LibO) para o Mac OS X. Quando o mudança para o código do Cocoa, assim a maioria das
projeto começou, havia muito pouca documentação sobre as mudanças modificaria a construção do sistema.
dependências necessárias para a compilação do LibO no Mac OS
Conte-nos algo interessante que faz, quando não está
X.
'hackeando' ?
Qual foi sua primeira contribuição para o LibreOffice ?
Naturalmente, gosto de viajar pelo mundo. Descobri um bug, e
Eu comecei submetendo correções (patches) e/ou sugestões para fui enviado para a Itália por dois anos (aproveitei a boa comida
o código fonte do LibreOffice (LibO) para o Mac OS X. Quando o chinesa por lá). Também, gostei de visitar alguns lugares na
projeto começou, havia muito pouca documentação sobre as Alemanha, Filipinas, Hong Kong e pelo Canadá. Divertida essa
dependências necessárias para a compilação do LibO no Mac OS experiência de conhecer a diversidade entre as culturas.
X. 
| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 13 Janeiro | 2011
novas tecnologias

O
chegou Por Luiz Oliveira

A chegada do BrOffice, lançado nesse mês pela The Document Foundation - TDF, foi celebrada e ovacionada
pelos quatro cantos da terra. Como dito no comunicado à imprensa, foram poucos meses entre a formação da
nova fundação e o lançamento do seu produto principal. Isso só foi possível porque a TDF ofereceu algo
totalmente novo e atrativo, ou seja, o respeito a todo colaborador, seja ele desenvolvedor, divulgador,
testador ou ativista, além da possibilidade de ouvir os usuários e o compromisso de incluir funcionalidades e
correções nas próximas versões sem burocracias ou dificuldades. Enfim, uma suíte livre e verdadeiramente
de código aberto. A TDF se inspira no modelo de softwares livres nas relações institucionais posicionando-se
de forma transparente, meritocrática, pronta para ouvir críticas e sugestões, aberta ao diálogo com todos.

Voltando ao lançamento do BrOffice, um relatório acurado de novas funcionalidades, contendo as principais


novidades, baseado nos registros de desenvolvimento do BrOffice 3.3 e do OpenOffice.org 3.3 foi
desenvolvido e disponibilizado para toda a comunidade por Gustavo Pacheco. Esse projeto teve o apoio das
equipes do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, em Cuiabá/MT e do Tribunal Regional do Trabalho
da 4.ª Região, em Porto Alegre/RS, que auxiliaram nos testes e no financiamento do trabalho.

Novas funcionalidades BrOffice 3.3 | Por Gustavo Pacheco

Opções de tratamento de objetos já marcadas

As opções de tratamento de objetos passarão a ser marcadas


por padrão a partir da versão 3.3.0. Essas opções permitem
um tratamento mais adequado de objetos OLE incorporados à
documentos nos formatos do Microsoft Office quando
editados com o BrOffice.
Arquivo pessoal

Com as opções marcadas, tanto a abertura quanto o


salvamento de documentos com objetos OLE incorporados
permitem que o objeto seja editado posteriormente sem
problemas relacionados à associação de aplicativos.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 14 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Novos tipos de propriedades personalizadas

As propriedades do arquivo passam a incorporar os novos


tipos Data e hora e Duração.

Proteção de modificação com senha em


documentos ODT e ODS

A partir de agora, os documentos ODT e ODS,


respectivamente do Writer e do Calc, podem apresentar
dois níveis de segurança com senha. Como nas versões
anteriores, é possível atribuir uma senha de abertura do
arquivo, que permite proteger o conteúdo do arquivo de
Novo diálogo de impressão leituras não autorizadas. Adicionalmente, a versão atual
implementa a possibilidade de atribuição de uma senha
O novo diálogo de impressão apresenta como novas
de edição, ou seja, só é possível modificá-lo com a senha
funcionalidades:
correta.
a apresentação da prévia da impressão, com possibilidade
Essa nova funcionalidade permite atribuir a função de
de navegação entre as páginas;
edição a um determinado grupo de pessoas e a função de
a lista de impressoras disponíveis;
apenas leitura para os demais usuários, por exemplo.
distribuição de opções em guias;
uma guia de propriedades de impressão referente a cada
uma das aplicações;
a guia Layout de página, onde, por exemplo, pode ser
configurada uma impressão de diversas páginas por folha ou
uma impressão do tipo Brochura (livro);
a guia Opções, reunindo as opções gerais de impressão.
Arquivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 15 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Nova barra de pesquisa Nova denominação de botão em Arquivo >


A nova versão apresenta como novidade a barra Pesquisar. Assinaturas digitais...
Além do campo de pesquisa, a barra conta com os botões
Para maior clareza, o botão Adicionar do menu Arquivo
Localizar o anterior e Localizar próximo. Como as demais
> Assinaturas digitais foi alterado para Assinar
barras do BrOffice, a barra pode ser personalizada com a
documento.
inclusão de mais botões.
Ao clicar no botão, é apresentada a lista de assinaturas
disponíveis no computador. Essa lista é baseada nas
configurações do sistema operacional. Consulte a
documentação do seu sistema para mais detalhes sobre o
armazenamento de certificados digitais.
Nova guia Segurança no menu "Arquivo >
Propriedades"
O salvamento de um arquivo com senhas de criptografia de
arquivo ou de compartilhamento de arquivo pode ser feito
através da nova guia Segurança das propriedades do
arquivo. Para utilizá-la, abra o menu Arquivo >
Propriedades.

Incorporação de 14 fontes na exportação


para PDF
A exportação para PDF passa a permitir a incorporação
de fontes padrões no arquivo PDF gerado.
Arquivo pessoal

Novo formato para os arquivos de dicionário


do usuário
O formato de arquivo dos dicionários criados pelos usuário
passa a ser o de um arquivo texto UTF-8. Com isso, o
conteúdo dos arquivos pode ser visualizado em editores de
textos comuns. Entretanto, o usuário deve manter a atenção
ao editar o arquivo. Para mais informações, veja o issue
106032.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 16 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Permissão de nomes de campos duplicados na 1 milhão de linhas nas planilhas do Calc


exportação para PDF
O BrOffice agora possui 1.048.576 linhas disponíveis.
A exportação para PDF permite, na nova versão, a geração
do arquivo PDF (com formulários) contendo campos com
nomes duplicados. Esse procedimento facilita a criação de
arquivos de formulários com baixa complexidade, utilizados
apenas para impressão.

O número de colunas continua o mesmo da versão


anterior: 1024 colunas, sendo a última coluna identificada
com a combinação de letras AMJ.

Guias de planilha coloridas


O usuário poderá identificar suas guias de planilhas com
cores. A nova funcionalidade é ativada pelo botão direito
do mouse sobre o nome da guia da planilha ou, ainda,
pelo menu Formatar > Planilha > Cor da guia. O recurso
é sugerido para destacar ou classificar visualmente uma
ou mais planilhas.
Arquivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 17 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Eventos de planilha Botão Nova Planilha


A partir de agora, é possível definir eventos de planilha. A Após a última planilha à direita, a nova versão apresenta
função está localizada no menu de contexto do botão direito uma pequena guia identificada por um sinal de adição
do mouse em Eventos de planilha. verde. Ao clicar sobre o sinal, uma nova planilha é
adicionada ao arquivo.

Correção de "Notas" para "Anotações" em


diálogos do Calc
A partir da versão 3.3.0, a tela Excluir conteúdo terá sua
opção Notas renomeada para Anotações. A mudança
reflete a incorporação do recurso de anotações no
Ao selecionar a opção, será aberto o diálogo Atribuir ação,
Impress e a adequação da nomenclatura da função em
com a lista de eventos disponíveis para a planilha:
todos os demais aplicativos.
Arquivo pessoal

Uma das possibilidades úteis dessa funcionalidade é a de


validar conteúdos de célula através de macros com o evento
Conteúdo alterado. Ao atribuir uma macro a este evento de Associação da tecla DEL à exclusão direta
planilha, cada digitação de conteúdo nas células executa a A partir da versão 3.3 a tecla DEL passa a ser associada
macro, que pode referenciar, no seu código, células por padrão à exclusão direta. Ou seja, ao teclar DEL, o
específicas, validando-as conforme a necessidade do usuário. usuário eliminará o conteúdo da célula ou do intervalo de
células sem a abertura da tela Excluir conteúdo. A
formatação, neste caso, será mantida.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 18 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

A tecla BACKSPACE passa ser associada à exclusão


seletiva. Quando utilizada, o Calc apresentará o diálogo de
exclusão seletiva (Excluir conteúdo).
O comportamento da versão 3.3 é exatamente o inverso das
versões anteriores e pode ser configurado de acordo com a
necessidade do usuário através da nova guia
Compatibilidade (item).

Nova guia Compatibilidade


O novo BrOffice possui modificações específicas de
associação de teclas de atalho. Caso o usuário queira utilizar Opções de filtro e classificação no
a configuração das versões anteriores, basta ir até o menu Assistente de dados do Calc
Ferramentas > Opções > guia BrOffice Calc >
Compatibilidade e definir a opção de associação como Tabelas dinâmicas geradas com o Assistente de dados do
Legado do OpenOffice.org. Calc passam a ter disponível as opções de filtro e
classificação diretamente pelo botão na célula de
referência (célula cinza).

Adaptação do Autofiltro às colunas com dados

As funções de filtro (Autofiltro, Filtro padrão e Filtro


avançado) passarão a ser aplicadas somente às colunas
com dados quando forem ativadas a partir da seleção de Identificação do intervalo copiado
uma linha inteira da planilha.
Arquivo pessoal

A partir da versão 3.3, o intervalo de células copiado é


Nas versões anteriores, a aplicação do autofiltro, por identificado pela seleção com uma linha pontilhada.
exemplo, resultava num efeito desconfortável de aplicação Inicialmente, selecione o intervalo e clique em Copiar no
do filtro em colunas sem informações. botão direito do mouse (ou em Editar > Copiar ou em
Ctrl+C).

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 19 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Seção Fórmula nas opções do Calc


Depois, ao posicionar em outra célula para colar o conteúdo,
A nova seção Fórmula, permite ao usuário escolher
a seleção do intervalo original de células poderá ser vista com
opções de sintaxe da fórmula, nomes de funções em
a linha pontilhada.
inglês e separadores.

Destaca-se a possibilidade de utilizar a sintaxe de fórmula


com o tipo Excel R1C1. Nessa notação, as referências de
linha e coluna são identificadas por números e o endereço
de uma célula é referenciado pela distância calculada a
Bordas de célula pontilhadas partir da célula atual. No exemplo abaixo, é feita a
referência de célula à primeira célula da planilha:
O novo Calc incorpora, na versão 3.3, a possibilidade de
usar bordas de célula pontilhadas.
Arquivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 20 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Gráficos com rótulos hierárquicos de eixos


Os gráficos passam a ter, na nova versão, a possibilidade de
trabalhar com rótulos hierárquicos. Ou seja, é possível
categorizar os dados a partir da própria estrutura da tabela
que dá origem ao gráfico.

Novo diálogo para o dicionário de sinônimos


O dicionário de sinônimos agora possui um diálogo
Objetos de desenho em gráficos próprio. Caso exista um dicionário de sinônimos
disponível na instalação (os dicionários de sinônimos são
Os gráficos no Calc poderão ficar ainda melhores na versão distribuídos como extensões), basta selecionar a palavra
3.3.0. A partir de agora, é possível incluir, dentro dos gráficos, desejada e clicar com o botão direito do mouse em
objetos da barra de desenho. Com essa nova funcionalidade, Sinônimos.
informações complementares poderão ser incluídas nos
gráficos, seja na forma de textos, diagramas ou objetos de
desenho.

Mais OPÇÕES no menu Formatar > Alternar


caixa do Writer

Foram adicionadas novas entradas no menu Formatar >


Alternar caixa: Caixa de sentença, Primeira letra das
palavras em caixa alta e Alternar caixa.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 21 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Função Redefinir para o idioma padrão Inserção de arquivos SVG


A função Redefinir para o idioma padrão aplica o idioma O Writer passa a suportar a inserção de arquivos SVG
padrão para o item escolhido no menu Idioma (Para a pelo menu Inserir > Figura > De um arquivo.
seleção, Para o parágrafo, Para o texto todo).

Navegação com níveis


A partir da versão 3.3, o Navegador do Writer permitirá o
agrupamento dos títulos em níveis, facilitando a busca e
organização das informações do usuário.

Adicionando drives de bancos de dados


através de extensões
A partir da versão 3.3 o BrOffice permitirá a adição de
drives de banco de dados na forma de extensões. Mais
informações podem ser obtidas no OpenOffice.org
Developer Guide (a funcionalidade também foi
implementada no OpenOffice.org).

Modificação do título da tela "Elementos de


fórmula"
O título do diálogo Elementos de fórmula foi modificado
para Elementos.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 22 Janeiro | 2011


novas tecnologias
Por Gustavo Pacheco

Novas funcionalidades BrOffice 3.3

Inserção de objetos através do controle central do slide


O Impress passa a incorporar modificações visuais na inserção de objetos. Ao escolher determinados layouts de slide, é
possível escolher, através do controle central, entre a inserção de tabela, gráfico, filme ou imagem.

Íntegra do relatório pode ser acessada em: http://pt-br.libreoffice.org/suporte/documentacao


Comunidade BrOffice ganha novo portal e listas de discussão

Portal: http://pt-br.libreoffice.org Listas: http://pt-br.libreoffice.org/suporte/listas-de-


discussao/

Redes Sociais:

@libreofficebr @libreofficebr libreofficebr


Arquivo pessoal

@revistabroo @revistabroo

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 23 Janeiro | 2011


reportagem
Com a palestra “The Document Foundation e
BrOffice.org”, no palco Software Livre, realizada no
terceiro dia do evento, Eliane Domingos, da Associação
BrOffice.org, explicou sobre as situações que levaram a
criação da The Document Foundation (TDF) e seu
impacto no software BrOffice e na comunidade.
Os pressupostos históricos foram apresentados para o
melhor entendimento da situação atual, desde o início
quando a empresa Sun Microsystem abriu o código do
StarOffice possibilitando o surgimento da comunidade
OpenOffice.org. O que ninguém esperava, era que
essa comunidade se tornasse tão grande e forte, a
ponto de acelerar o desenvolvimento do código por
voluntários ao redor do mundo.
Aqui no Brasil, o OpenOffice.org foi lançado em 2003,
mas por problemas de marca a comunidade acabou
conhecida como BrOffice.org. Embora os
desenvolvedores voluntários estivessem animados uma
preocupação sempre rondava: a política de atribuição
de direitos autorais. Ou seja, toda e qualquer
colaboração teria que ser autorizada pela Sun. Mesmo
assim o projeto continuou a crescer.
A partir do momento em que a Sun foi adquirida pela
Oracle e esta passou a tomar atitudes hostis contra
projetos de código aberto, acabando com o projeto
OpenSolaris, por exemplo, e dificultando muito o
diálogo com a comunidade, estabeleceu-se o caos e a
confusão generalizada. “A comunidade ficou com medo
e os sinais em torno do que aconteceria com o
OpenOffice.org eram confusos. Quando a Oracle
lançou o ‘Oracle Open Office’, as pessoas ficaram com
medo do programa passar a ser vendido, mudando as

TDF e LibreOffice regras do jogo”, contou Eliane.

na Campus Party

Por Luiz Oliveira


| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 24 Janeiro | 2011
A reação foi o surgimento da The Document reportagem
Foundation, um resgate do projeto inicial nascido na
Sun Microsystem, mas que agora pretendia levar a TDF e LibreOffice na Campus Party | Por Luiz Oliveira

sério os objetivos e metas desrespeitados pelas


empresas que tinham a prerrogativa e o poder de
decisão únicos. Tudo aconteceu muito rápido. Em 30
dias criou-se a TDF. A Oracle foi oficialmente convidada
a fazer parte do novo projeto, mas discretamente
rejeitou a oferta. A TDF passou a administrar o
desenvolvimento do novo software batizado de
LibreOffice. O Brasil tem cadeira cativa no Comitê
Gestor, através de Olivier Hallot, consultor de TI e
diretor financeiro voluntário da BrOffice.org.
A nova postura da TDF fez com que desenvolvedores
do OpenOffice.org optassem pelo LibreOffice. Vários
países, empresas e organizações se juntaram em torno Eliane Domingos

do desenvolvimento do LibreOffice. “Tivemos liberdade


de codificar, testar e atuar no LibreOffice, que será a
nova base do BrOffice no Brasil”, explicou Eliane.
No final da apresentação várias perguntas e propostas
foram debatidas acerca da marca no Brasil, sobre
extensões e dependências de software proprietário,
como é o caso do Sun Java.
Após a palestra, uma entrevista foi concedida a Radio
Software Livre, oportunidade para aclarar ainda mais
os temas abordados na palestra. Participaram da
entrevista, Fátima Conti, Eliane Domingos e Luiz
Oliveira. Fatima aproveitou para fazer um convite aos À esquerda, Eliane Domingos, Fátima Conti e Luiz Oliveira
desenvolvedores para que participem do
desenvolvimento do BrOffice, sobretudo, criando
extensões que facilitem o dia a dia dos usuários.

Contato TDF no Brasil:

Olivier Hallot:

olivier.hallot(a)documentfoundation.org

À esquerda, Fátima Conti, Eliane Domingos, Arthur,


Ricardo Pontes e Vera Cavalcante.
| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 25 Janeiro | 2011
reportagem

A Campus Party é um dos maiores eventos onde se


fala de tecnologias, inovações, culturas e 'nerdices' e
também é sinônimo de internet de alta velocidade
(10GB).
No Brasil essa foi a quarta edição e a maior de todas,
contabilizando 6800 campuseiros de todos os lugares
do Brasil e alguns do exterior.
Esse ano foi minha primeira vez no evento e logo de
cara todos são recebidos com uma enorme fila que só

A primeira ia aumentando com o passar do tempo. E põe tempo


nisso.

Campus Party No evento estavam presentes representantes de várias


comunidades como Mozilla Foundation, Gnome,

a gente nunca BrOffice.org, Ubuntu-Br-SP etc.


No primeiro dia oficial de palestras, no dia 18/01, quem

esquece.
chamou a atenção foi o ex-vice-presidente dos Estados
Unidos, Al Gore.
Junto a ele estava Tim Bernes-Lee, criador do padrão

A visão de um “www” e Ben Hammersley falando sobre política,


desenvolvimento e liberdade no mundo virtual.

campuseiro Al Gore disse que governos e corporações não devem


controlar a internet e que nós devemos impedir isso.
No dia 19/01, logo pela manhã, aconteceu a palestra da
Por Ricardo Pontes
Eliane Domingos falando sobre a The Document
Foundation e BrOffice.org. Nessa palestra Eliane falou
sobre a história do OpenOffice até o surgimento da
TDF. Na plateia estavam alguns colaboradores do
projeto Revista BrOffice como o Luiz Oliveira, Fátima
Conti e Vera Cavalcante.
Muitas perguntas foram feitas ao final da palestra e isso
mostrou o quanto o pessoal estava interessado no
assunto.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 26 Janeiro | 2011


reportagem
Ainda nesse dia teve a palestra de Jon “Maddog” Hall A primeira Campus Party a gente nunca esquece.
sobre o Projeto Cauã. Esse projeto visa ajudar pessoas A visão de um campuseiro | Ricardo Pontes.
a viverem como administradores de sistemas utilizando
apenas ferramentas livres.

Metamedia
Dia 20/01 começou com uma palestra do João Bueno
falando sobre os Plugins do GIMP onde ele mostrou os
conceitos de edição de imagens com software livre.
Maddog voltou a palestrar nesse dia, dessa vez falando
sobre os 20 anos do Linux e mostrando todo um
histórico do mundo do software livre.
Para encerrar, uma oficina sobre Jetpack que foi
ministrada pelo Armando Neto. Ferramenta para
desenvolvimento de addons para Firefox.
Falando em oficina, a área destinada às oficinas foi
muito mal pensada. Estavam colocadas ao lado das
caixas de som dos palcos de desenvolvimento e
software livre e também não tinham projetores para
ministrar a oficina. Os palestrantes tinham que falar alto

Metamedia
para conseguir passar algo para aqueles que estavam
interessados no assunto.
Dia 21 e 22 foram mais corridos e só consegui estar
presente na palestra do Rodrigo Padula sobre o
Gnome-Shell, oficina de Drupal 7 ministrada por Rafael
Silva e na palestra do Jono, da Mozilla, falando sobre
Firefox 4 e Internet Gaming Freedom.
Durante todos os dias da Campus Party também
ocorreu “Install Fests” organizado pelo time do Ubuntu-
Br-SP que não instalavam apenas Ubuntu em todos os
PC's, notebooks e netbooks, mas o interessado tinha a
liberdade para escolher a distribuição GNU/Linux que
quisesse.
Não fiquei até o último dia pois tinha outros
Metamedia

compromissos e posso afirmar, assim como todos que


lá estavam, que essa Campus Party teve vários pontos
negativos como desorganização na entrada e retirada
de credenciais, falta de energia em vários dias, falhas
na segurança, filas para todos os lados dentre outros.
Mas no geral é um bom evento e todo evento tem
alguns problemas de última hora.
Agora é esperar para ver como será no ano que vem.
Rumo à #cpbr5 ;)

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 27 Janeiro | 2011


reportagem

Por Natan Reis Santos

Os Centros Digitais de Cidadania, são telecentros do

Programa de Inclusão Sociodigital do Estado da Bahia,

que visa garantir à população o acesso às tecnologias

da informação e comunicações, através dos recursos

tecnológicos das redes de computadores. É um projeto

da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da

Bahia – SECTI, que objetiva, através do amplo e

generalizado uso e apropriação das tecnologias,

possibilitar o desenvolvimento humano e social nas

mais distintas áreas. Nosso CDC é composto por 10

computadores e 1 servidor com acesso a internet,

equipado com o pacote BrOffice e gerenciado pelo

sistema Berimbau Linux. Instalado na Biblioteca

municipal, realiza oficinas, palestras, campanhas

socioeducativas, além de atendimento a comunidade,

com seu funcionamento de segunda a sexta das 8h00

às 21h00, intercalando horários de aulas e horários de

acesso livre.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 28 Janeiro | 2011


reportagem
Centro Digital de Cidadania – CDC Ouriçangas | Natan Reis Santos

No dia 15 de novembro de 2009 o CDC foi inaugurado e


teve início a proposta de inclusão. Começamos com
quatro turmas em oficinas de informática básica, sendo
ministradas aulas de Writer, Calc, Impress e internet.
Dessas quatro turmas, duas eram para crianças e duas
para jovens e adultos, sendo que cada uma com sua
própria programação de conteúdo. Com o passar do
tempo montamos turmas avançadas onde adicionamos os
programas GIMP, Inkscape, BrOffice Draw, com o intuito
de promover e incentivar a área de design e diversos
tipos de atividades além de trazer oficinas de construção
e edição de blogs. Em paralelo, abrimos oficinas de Inglês
e Informática para a terceira idade.
Hoje estamos implantando outras oficinas em parcerias Os Ouriçanguenses se identificaram com o BrOffice por
com instituições de ensino como a Dr. Micro e suas sua facilidade e leveza para se trabalhar e principalmente
oficinas de cerâmica e a de empreendedorismo. Estamos por trazer funções e serviços de alta qualidade e de forma
para implantar oficinas de reciclagem e reutilização de livre que acabam facilitando as atividades do dia a dia
materiais, como a garrafa PET. Está sendo planejado por além de garantir o desenvolvimento do município pelo uso
nossa equipe, o 1º Fórum Municipal de Tecnologia e dessas tecnologias. Em nosso saldo, contamos com a
Inovação em parceria com nossa mantenedora que é a formação de 200 pessoas dentre crianças, jovens, adultos
Prefeitura de Ouriçangas e CDCs de cidades vizinhas. e idosos, com a utilização do BrOffice e sua total
Também serão realizados minicursos, palestras e aceitação. Essa inclusão digital é de suma importância
seminários abertos de temas variados nesta esfera de TI. para Ouriçangas, seja pela comunicação instantânea,
A cidade de Ouriçangas que fica no interior da Bahia, a pela fonte direta de informação, pelo acesso ao
150 km da capital Salvador, com seus 8.287 habitantes, conhecimento tecnológico, pela resolução de problemas
segundo o censo 2010, é muito rica em fatos, misticismo, cotidianos através de um sistema online, pela garantia de
contos, manifestações artísticas e culturais, além de sistemas livres e por toda inovação e desenvolvimento
outras formas de conhecimentos, expressas através da advindos deste mecanismo.
sabedoria de um povo acolhedor, solidário, ordeiro, que A única dificuldade que, às vezes, encontramos
encanta por meio da simplicidade e da grandeza de viver. com o uso do BrOffice é o medo de experimentar algo
Grandeza esta, que se inicia pelo próprio nome novo, porém quando as pessoas têm acesso a sua
Ouriçangas. Este topônimo originou-se do vocábulo Tupi- funcionalidade, a transição é natural e imediata. Além de
y-roiçanga que significa frieza ou frescura d’água, daí, o atendimento a toda a comunidade e as escolas públicas,
referido nome significando fonte de água fresca. A origem o CDC pretende neste semestre, realizar ciclos de
do município de Ouriçangas remete-se à ocupação capacitações para os funcionários públicos para que aos
indígena no local, mais precisamente os índios da tribo os poucos possamos realizar a mudança de sistema
Paiaiás (kiriris). operacional de pacotes pagos para um sistema que se
baseie em software livre.
O software livre nos garante o acesso a Equipe CDC
Gestor / Monitor: Natan Reis Gomes
tecnologias que provavelmente Monitores: Maria de Jesus Dantas Matos | Vilmar Araújo Viana
teríamos que pagar para realizar Mantenedora: Prefeitura de Ouriçangas
Prefeito: Nildon da Silva
atividades simples.” Rubem Santos Secretária de Educação: Maria José dos Santos
(Aluno do CDC) http://cdcdeouri.blogspot.com

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 29 Janeiro | 2011
dica rápida

Convertendo Posicionando
ODT em DOC o cursor ao
Google

abrir um
Por Klaibson Ribeiro
arquivo

Google
Essa dica vai para quem ainda não descobriu as
Por Luiz Oliveira
facilidades e a segurança quando se trabalha com

arquivos em formatos abertos ou para aqueles que


A dica é para o autor de um documento de texto do
não tem outra alternativa.
Writer que salva e reabre um documento e quer o
A situação é a seguinte: a pessoa que receberá o
cursor posicionado exatamente onde estava antes de
arquivo só tem à disposição versões antigas do MS
o arquivo ser fechado.
Office, uma vez que nas versões atuais já é possível
Em geral, todos os documentos, ao serem abertos,
abrir e editar arquivos do tipo Open Document Format,
apresentam o cursor no início do documento. Mas, ao
assim como é possível abrir e editar os arquivos
pressionar Shift+F5, a mágica acontece e o cursor vai
fechados (.doc) no LibreOffice.
parar onde se deseja. Para funcionar corretamente,
O procedimento é muito simples e consiste
uma configuração simples deve ser feita, apenas uma
basicamente em três passos:
vez, caso não tenha feito durante a instalação do
1. Acessar o menu Arquivo > Salvar Como ou utilizar
BrOffice/LibreOffice:
a tecla de atalho Ctrl + Shift + S;
Vá em Ferramentas > Opções >
2. Digitar um nome para o arquivo;
BrOffice/LibreOffice > Dados do Usuário e preencha
3. Na caixa Tipo de arquivo escolher a opção
os campos. Se preencher apenas os campos
Microsoft Word 97/2000/XP (.doc).
Nome/Sobrenome será o suficiente.


| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 31 Janeiro | 2011
cultura
Década de 1990, quando a Magia volta à Terra, trazendo caos. Redblade narra a

jornada de um grupo de aventureiros por países devastados. A história acontece

no mesmo mundo que Marfim Cobra e Jasmim, romances do mesmo autor, mas

tem uma abordagem diferente...

Episódio 08: Fire!

Por Cárlisson Galdino

E Richard salta para um dos lados da rua. Mais precisa-


mente o lado de onde viemos.

Olhando agora, ele não me parece muito humano. A ve-


locidade que se movimenta é irreal, vertiginosa!
Le Mans já mostrou O barulho de carne sendo rasgada com a maior facilidade
do mundo... O cheiro, que vai ficando cada vez mais for-
Seus corpos do além te. Tudo é muito irreal.

A gente escapou - Come on!

Ele grita e, claro, o seguimos. O professor segue com


Como? Não sei bem... olhar assustado, carregando a cesta com metade das coi-
sas que tinha tirado da loja. Logo, Jörg nos acompanha
Mas não acabou. trazendo seu arco e umas poucas flechas. Ele para um
pouco, olha pra trás. Eu paro tentando entender o que ele
Há em Chartres também?! pretende. Uma... Farmácia?!

Por pouco não tropeço em um dos tantos corpos que ago-


Desespero. Puro desespero é o que sinto. Não há palavras ra se estendem pela rua, graças a essa tal de Redblade.
mais precisas do que esta sozinha. Zumbis vindo dos dois - Jörg! Ei! Danger! Come on!
lados da rua, saindo das ruas transversais e desaguando na
Acredito que tenha sido realmente pouco tempo que ele
rua onde está o carro prateado. O desespero não é somente
passou lá dentro, mas numa hora dessas não existe
pela quantidade assustadora de criaturas de tão terrível
Arquivo pessoal

“pouco tempo”. Qualquer espera é uma eternidade. Ele


categoria. O desespero é por eu pensar automaticamente
teve sorte de não ter encontrado um desses mortos lá
em “rota de fuga” ao ver os zumbis e perceber que não há
dentro. Mas ele precisava de... não sei o quê.
uma.
Um cantil? Um frasco pendurado como um cantil, usando
- Dance, Redblade!
ataduras... Um saco de outra coisa amarrado na calça.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 32 Janeiro | 2011


cultura

Arquivo pessoal
REDBLADE - Episódio 08: Fire
Por Cárlisson Galdino

- Fire? de uma maneira que é bem fácil provocar enjoos só de


olhar.
- What?
Volto para a escada com a bolsa verde.
- Fire?!
- E aí?
Não sei o que ele quer dizer. Não faço a menor ideia.
Onde, diabos, tem fogo?! Ele percebe minha falta de Abro. Um celular. O professor o toma da minha mão.
compreensão e corremos os dois para junto do Batom... Maquiagem... Espelho... Não sei o que é isso...
professor, que já se aproximava da esquina. Ele acena e Pasta de dente? Perfume... Aqui! Caixa de cigarros!
aponta para a rua lateral, a entrada à esquerda. Entrego a Jörg e ele segura ansioso. Mal tiro o isqueiro e
ele o toma da minha mão.
Como é que Richard vai conseguir dar cobertura pra
gente... Agora é que senti cheiro de álcool.

Richard grita e aponta para a parede. Há uma escadinha Jörg guarda a carteira de cigarros no bolso e acende a
de uns seis degraus, que leva à entrada da casa. Ele ponta de uma flecha, enrolada com algodão, certamente
quer que esperemos ali? úmido. Mira um dos zumbis distantes de Richard, que
ainda está fazendo seu trabalho, exatamente daquela
O professor corre para lá e nós o seguimos. Ficamos
maneira incrível que eu descrevi em outra ocasião.
encostados na porta, assistindo.
- Não há sinal!
- Ele quer um isqueiro.
- Professor?
- O quê?
- Já desliguei e tornei a ligar o aparelho e não há sinal
O professor aponta para Jörg. Então era isso que ele
algum de torres de celular!
queria dizer com “Fire! Fire!” Se tivesse gesticulado “um
cigarro” teria sido muito mais fácil... - Talvez devêssemos esperar isso já, não?
- Não tens um, Fábio? Há anos que não fumo... - Talvez, mas que droga! A realidade é que o caso é
- Não... muito mais sério do que me parecia.

Mortos por todos os lados... Roupas urbanas... Bolsos... Olho para o lado e vejo entre os zumbis distantes um
caminhando com a camisa começando a inflamar.
- Espera.
Parece não fazer muita diferença para ele...
Eu desço da escada e me aproximo de um corpo sem
- ...E olha que o quadro já me parecia terrível o
cabeça. Um corpo de mulher, um corpo que parece ser
suficiente, hein!
de fumante.
O fogo começa a ficar mais forte naquele zumbi e os
Céus... A coisa é muito mais terrível quando estamos
zumbis próximos a ele começam a se afastar, mas sem
perto. Talvez como as catástrofes que acontecem mundo
deixar de vir. Ou melhor... Alguns estão voltando. É,
afora vez ou outra. A gente vê nos jornais e não percebe
acho que eles não sabem bem o que fazer. E daí? Nós
o quanto as vítimas sofrem. Quanto mais perto
também não sabemos...

Arquivo pessoal

chegamos mais percebemos como aquilo é realmente


terrível.
Carlisson Galdino: Bacharel em Ciência da Computação e
Um corpo humano. Era uma pessoa viva há algumas pós-graduado em Produção de Software com Ênfase em
horas! E sabe-se lá como, virou uma criatura dessas... Software Livre. Membro da Academia Arapiraquense de Letras
Um morto ambulante. O cheiro, a pele rasgada em e Artes, é autor do Cordel do Software Livre, do Cordel do
algumas partes mas o sangue não é normal... Está GNU/Linux, do Cordel do BrOffice e do Cordel da Pirataria.
negro e grosso Líder, vocalista e baixista da banda Infinnita.
http://bardo.cyaneus.net

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 33 Janeiro | 2011


cultura
dica de filme

Minority report
(A nova lei)
Por Luiz Oliveira

“Em terra de cego, quem tem um olho é rei” Propaganda do futuro


Nesse filme, estrelado por Tom Cruise, tudo é uma “questão Estive conversando com um colaborador do projeto
de visão”. A história se passa no ano de 2054. O detetive BrOffice que indicou-me um vídeo interessante sobre a
Anderson (Tom Cruise) vive atormentado pela perda do Filho história do Google[1]. O maior dilema dessa empresa foi
Sean, que sumiu misteriosamente enquanto estavam bolar uma estratégia comercial que sustentasse a obra dos
brincando em uma piscina pública. idealizadores que, antes de serem empresários de

A tecnologia avançara tanto que a polícia consegue prender sucesso, eram estudantes da Universidade de Stanford.
Nem preciso dizer que a estratégia encontrada foi um
supostos assassinos momentos antes do crime. Isso, graças
sucesso absoluto.
a três pessoas com dons especiais de prever o futuro, através
de tomografia ótica e uma parafernália cibernética que só No filme, há uma visão da nossa publicidade em um futuro
poderia sair da cabeça de Steven Spielberg. Nesse mundo, próximo. Todos são identificados pelos olhos em qualquer
arquivos são armazenados em pequenas placas de vidro e ambiente, público ou privado. Passeando pelos centros de
podem ser projetados em qualquer lugar. Os computadores compras, por exemplo, leitores identificam os
são todos de toques. Uma discussão ética, porém, se levanta: consumidores e seus hábitos e, a partir daí, os anúncios
como é possível prender alguém que ainda não cometeu são direcionados. Mas esse ambiente também movimenta
qualquer crime? E se o assassino for alguém do um comércio ilegal de órgãos, sobretudo por quem não
departamento de “Pré-Crime”? quer ser identificado.
Referências:
[1]http://www.youtube.com/watch?v=HgB63gR4mSs

Arquivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 34 Janeiro | 2011


dica

O modo pincel
para aplicação
de estilos

Google
Por Rubens Queiroz de Almeida

A suíte LibreOffice possui recursos muito poderosos para Em documentos deste tipo, em que se precisa aplicar
aplicar estilos a documentos. Uma ferramenta bastante útil é estilos a um grande número de parágrafos, a ferramenta
modo pincel de formato. pincel de formato economiza um tempo substancial
auxiliando a reformatar o documento e aumentando em
Ao pressionar a tecla F11 vai aparecer o menu de Estilos e
muito a produtividade.
Formatação. O modo pincel está representado por um
pequeno balde com líquido sendo despejado, localizado no Para usá-la, basta clicar sobre o ícone da ferramenta. Ao
canto superior direito, como podemos ver pela figura abaixo. posicionar o cursor sobre o texto, ele adquire a forma de
um balde inclinado, porém em sentido contrário ao do
ícone da janela de estilos. Selecionar, em seguida, o
parágrafo, que se deseja aplicar nas seções do
documento, no menu de Estilos.
Arquivo pessoal

Este recurso é particularmente interessante quando se está


trabalhando em documentos criados no modo máquina de
escrever. Esse modo refere-se a documentos em que o autor Tomando como exemplo a figura acima, vemos que o ícone
usou o editor de textos como se fosse uma máquina de da ferramenta pincel de formato está selecionado. O estilo
escrever, usando linhas em branco para criar espaços entre de parágrafo que será aplicado no documento é o Corpo
os parágrafos, atribuindo manualmente atributos como de texto.
negrito, itálico, sublinhado, etc.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 35 Janeiro | 2011


dica

Arquivo pessoal
O modo pincel para aplicação de estilos
Por Rubens Queiroz de Almeida

Um ponto importante: não é preciso selecionar o Quando não for mais preciso usar a ferramenta pincel de
parágrafo inteiro para poder aplicar o estilo com esta formato, basta clicar novamente sobre o seu ícone na
ferramenta. Basta um único clique sobre o parágrafo ao janela de estilos e formatação para voltar ao modo normal
qual se quer aplicar o estilo desejado e pronto. de edição.
Documentos escritos no modo máquina de escrever são Para saber mais sobre o uso de estilos, consulte as
recheados de palavras e caracteres formatados edições anteriores da revista:
diretamente, sem o uso de estilos. Esta prática deve ser Estilos de formatação e formatação condicional (Edição
reduzida ao máximo e usada apenas quando não existe nº7)
absolutamente nenhuma outra alternativa. Após aplicar os
Trabalhando com folhas de estilo (Edição nº 3)
estilos da forma desejada, é necessário então remover
estas marcações aplicadas isoladamente. Existem várias Todas as edições anteriores da revista estão disponíveis
para download em http://www.broffice.org/revista.
maneiras de se fazer isto, mas na minha opinião, a
melhor e mais rápida, é por meio dos atalhos de teclado.

Basta selecionar com o mouse o trecho do qual se deseja
retirar a formatação e digitar a sequência CTRL+M.

Arquivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 36 Janeiro | 2011


espaço aberto

Introdução ao PostgreSQL

Por Leonardo Cezar

dados. Derivado do CA Ingres e completamente


reconstruído em 1986 na Universidade da Califórnia, em
Berkeley, o Postgres, como até então era conhecido,
reuniu centenas de desenvolvedores durante seus
próximos anos de vida. Passou por várias versões, até
chegar na versão Postegres95, quando a linguagem SQL
substituiu a linguagem de comandos PostQUEL. Em 1996
foi escolhido um novo nome, PostgreSQL, para refletir o
relacionamento entre o POSTGRES original e as versões
mais recentes com capacidade SQL.

Base de dados embutida versus

A
Servidor de Banco de dados
partir dessa edição, a Revista BrOffice traz
uma seção aberta sobre tecnologias livres,
e os diversos recursos dos vários
aplicativos de código aberto que existem.
Google

Neste primeiro artigo, analisaremos, essencialmente,


algumas características que já proporcionaram o
reconhecimento deste servidor de banco de dados
através de dezenas de renomados prêmios[1] [2] [3] , desde
melhor produto de CA/SL até melhor software de banco
de dados: O PostgreSQL.
O PostgreSQL é provavelmente o sistema gerenciador de
banco de dados objeto relacional de código aberto mais
avançado do planeta, assim como diz sua própria frase de
efeito e assim como centenas de empresas no mundo — O termo Banco de dados embutido (embedded database)
Skype, Yahoo!, Apple, Affilias, Sun, Cisco, Fujistu, Red refere-se a um sistema de gestão de dados de
Arquivo pessoal

Hat, Caixa Econômica Federal, Força Área Brasileira, implementação minimalista, integrado à uma aplicação
Dataprev, Serpro, Celepar — têm constatado através de principal que exige pouca ou, às vezes, nenhuma
cenários reais de solução de banco de intervenção do usuário na administração desse sistema
(no caso do BrOffice), e é muito utilizado em aplicações
embarcadas.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 37 Janeiro | 2011


espaço aberto

Arquivo pessoal
Introdução ao PostgreSQL
Por Leonardo Cezar

O BrOffice adota, por padrão, a arquitetura baseada em Por este motivo é indicado para aplicações maiores e que
banco de dados embarcado/embutido para exigem funcionalidades especializadas, tais como:
armazenamento dos dados pela aplicação Base. Desde a Sistemas de Informações Geográficas (do inglês GIS),
versão 2.0 do OpenOffice.org o software utilizado armazenamento distribuído, herança entre tabelas, dentre
internamente para isto é o HyperSQL, produto de outras funcionalidades mais sofisticadas. Não se
software livre e código aberto, desenvolvido em Java e de limitando, entretanto, exclusivamente a este uso.
licença semelhante à BSD do PostgreSQL. O BrOffice Enquanto este artigo apresentou, de forma bastante
Base possui limitação de 16GiB de dados para cada sucinta, algumas funcionalidades, suficientemente
arquivo criado pelo HSQLDB; portanto, deverá ser necessárias para o leitor entender as diferenças sobre
considerado este tamanho na criação de suas aplicações onde e porque utilizar uma solução de gerenciador de
no Base. Embora possua este excelente gerenciador de banco de dados, ao invés do BrOffice Base, podemos
bases de dados embutida, o BrOffice Base não se limita a ainda integrar as duas ferramentas e unir o melhor dos
utilização desta arquitetura, e na próxima edição da dois mundos para elaborar relatórios e consultas
revista abordaremos os procedimentos necessários para complexas em apenas poucos cliques.
integrar o BrOffice com outros servidores de banco de
Referências:
dados, incluindo, obviamente, o PostgreSQL.
1 - http://www.networkworld.com
Diferente do BrOffice Base, o PostgreSQL foi construído
2 - http://www.linuxjournal.com
com o objetivo de suportar aplicações de missão crítica,
onde múltiplas conexões concorrentes, controle de 3 - http://www.developer.com
acesso baseado em perfis (do inglês RBAC) níveis Sobre o autor
elevados de armazenamento, (há relatos de bases com
Leonardo Cezar é administrador de banco de dados por
terabytes) e aderência aos padrões SQL definidos pela
profissão e desenvolvedor de software livre por paixão.
ISO, são requisitos fundamentais. 

Solidariedade BrOffice
A Procuradoria da República no Município de Petrópolis está recebendo doações para auxílio às vítimas das
fortes chuvas que assolaram os Municípios de Petrópolis, Areal e São José do Vale do Rio Preto, estes dois
também situados na área de abrangência desta PRM. As doações poderão ser realizadas da seguinte
forma:
mantimentos não perecíveis (cestas básicas), principalmente óleo, sal e açúcar;
material de limpeza, tais como: panos de chão, vassoura, rodos, baldes, etc.
produtos de uso pessoal, tais como: papel higiênico, escovas de dentes, absorventes, toalhas, sabonetes,
Arquivo pessoal

fraldas, roupas íntimas (principalmente para mulheres e crianças), etc;


água;
cobertores, colchonetes e roupas em geral;
dinheiro, através de depósito bancário na conta poupança nº 21.713-1, variação nº 01, agência nº 2885-1,
Banco do Brasil, em nome da servidora Bárbara de Jesus Costa Ferreira.
O endereço para o envio das doações: Rua Dr. Nelson de Sá Earp, nº 95, sala 502 – Tel: 24 2245-6369.
Ao final da campanha divulgaremos o total arrecadado e as entidades beneficiadas.

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 38 Janeiro | 2011


resumo
BrOffice 3.3 lançado pela TDF
Essa é a primeira versão estável do pacote de programas para escritório livre desenvolvido pela The
Document Foundation. Em menos de quatro meses, o número de desenvolvedores trabalhando no
LibreOffice cresceu de menos de vinte no final de Setembro de 2010, para bem mais de uma centena hoje. A
chegada de novos colaboradores, vindos de toda parte do mundo, acelerou o processo, apesar da agressiva
agenda definida para o projeto.
O BrOffice está disponível para Windows, Linux e Mac. O PortableApps.com e a TDF anunciaram, também,
a disponibilidade do LibreOffice Portable 3.3, uma versão portátil do pacote de produtividade gratuito para
Windows.

Governo Federal reforça política em favor do Software


Livre GVT vai migrar para BrOffice

A notícia foi publicada através de instrução normativa que A GVT, uma das maiores empresas de telefonia do
dá destaque a proibição do uso de componentes, Paraná, capacitou a equipe para projetos de migração do
ferramentas e códigos fontes e utilitários proprietários e MS Office para BrOffice. O grande desafio é a migração
da dependência de um único fornecedor. Está proibido de macros VBA utilizadas em grande escala na empresa
também o uso apenas de plataformas proprietárias. para geração de dados de diversas fontes em
documentos.
Foi criada, ainda, uma Comissão de Coordenação com
representantes da SLTI, da Sepin/MCT e do MDIC. A Um treinamento foi realizado repassando os principais
Instrução estabelece regras para o desenvolvedor de conceitos da linguagem BrOffice Basic e o uso da API
software, como por exemplo, especificação no cabeçalho OpenOffice.org para automatização de processos no
de cada arquivo-fonte que o software está licenciado pelo BrOffice.
modelo de licença Creative Commons General Public O projeto inicialmente abrange 200 usuários da equipe de
Licence - GPL, versão 2.0, em português ou por outro Call Center.
modelo de licença desde que aprovado pelo Órgão
Central do SISP.
OpenDoc Society se junta a TDF

TRT/RJ prefere gastar R$ 2,8 milhões com licenças a OpenDoc Society, uma associação mundial que promove
usar o BrOffice 3.3 melhores práticas para aplicativos de escritórios,
anunciou que a The Document Foundation (TDF), tornou-
Ao buscar detalhes sobre a licitação chega-se a
se uma “organização membro”. A TDF agora se junta a
arquivos PDF gerados em novembro de 2010 pelo
outras empresas, comunidades de código aberto,
BrOffice.org 2.2 ― que já está obsoleto perante a versão
organizações do setor público e sem fins lucrativos que já
3.3 do LibreOffice que acabou de ser lançada pela TDF.
são membros das organizações da OpenDoc Society,
Muitos problemas de compatibilidade, principalmente com o
como a Cap Gemini, Google, IBM, CIO e Departamento
Office OpenXML, foram devidamente resolvidos na
de Defesa dos Países Baixos.
versão 3 do BrOffice.
A OpenDoc Society reúne indivíduos e organizações
A questão que fica em aberto é se foi cogitada a interessados no futuro e na abertura dos documentos,
homologação de novas versões do BrOffice, o que para aprender uns com os outros e compartilhar as
possivelmente não custaria os melhores práticas sobre as principais tecnologias,
R$ 2,8 milhões, estimados, na compra de mais de quatro ferramentas disponíveis, questões políticas, estratégias
mil licenças do Microsoft Office 2010 ― citado de transição, aspectos jurídicos e as últimas inovações.
nominalmente na licitação, em duas versões ― pela
Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TRT/RJ. 
uivo pessoal

| Revista BrOffice | www.broffice.org/revista 39 Janeiro | 2011