Anda di halaman 1dari 61

Disse JESUS: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida.” Jo.14:6.

ÍNDICE

1. REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009 .................................................................................... 02


2. SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009 ........................................................................................................... 07
2.1. QUEM É O SEU SENHOR? .............................................................................................................................. 11
3. SOBRE O BATISMO – SC, JUL DE 2009 .................................................................................................................. 12
4. REUNIÃO DE ADORAÇÃO AO PAI CELESTIAL – SC, SET DE 2009 .....................................................................
18

5. VOCÊ É UM CRISTÃO? – SC, JUL DE 2009 .............................................................................................................


22

6. SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009 ..................................................................................................................


27

7. TAIÓ, KOINONIAS DA IGREJA ..................................................................................................................................


51

8. AGENDA MISSIONARIA DO DIAKONOS ..................................................................................................................


52

9. AGENDA DO HUPERETES ........................................................................................................................................ 53


10. AGENDA DE ORAÇÃO .............................................................................................................................................
54

11. DÍZIMO RELIGIOSO – SC, 29 DE JAN DE 2010 – JORNAL BARRIGA VERDE ....................................................
55

12. TODAS AS RELIGIÕES SÃO CRIAÇÕES DOS HOMENS, MAS EXISTE A RELIGIÃO DE DEUS........................
58

13. QUAL O NÚMERO DA CONTA DE JESUS? ...........................................................................................................


60

14. O GOVERNO RELIGIOSO É A ABOMINAÇÃO DESOLADORA ............................................................................ 70

15. TODA IGREJA É UMA EMPRESA ........................................................................................................................... 80

16. DEUS, O PAI, O FILHO, O ESPÍRITO SANTO ......................................................................................................... 90

17. O TESTEMUNHO DE JESUS .................................................................................................................................. 100

18. O DRAGÃO DE APOCALIPSE 12 E OS DEZ CHIFRES ........................................................................................ 110

19. AS DIFERENÇAS DA VELHA E NOVA ALIANÇA ................................................................................................. 120

20. O POVO DA NOVA E ETERNA ALIANÇA ............................................................................................................. 130

21. O REINO DOS CÉUS .............................................................................................................................................. 140

22. O EVANGELHO DO REINO DE DEUS ................................................................................................................... 150

www.arqueleucunha.blogspot.com 1 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009

REINO DE DEUS OU DOS HOMENS?


1. “Tendo eles partido para Cafarnaum, estando Ele em casa, interrogou os discípulos: De que é que discorríeis pelo
caminho? Mas eles guardaram silêncio; porque, pelo caminho, haviam discutido entre si sobre quem era o maior. E
Ele, assentando-se, chamou os doze e lhes disse: Se alguém quer ser o primeiro, será o último e servo de todos.”
Mc.9:33-35.
2. Leia-se escravo onde há servo, pois é esse o significado original grego. Entre Seus seguidores, JESUS não
reconhece qualquer que tenha privilégio que todos não tenham, ou de forma alguma torna alguém maior entre
Seus seguidores. Caso alguém quisesse dominar, ou estar sobre os irmãos, deveria se arrepender e se tornar
escravo de todos. Em outras palavras, deveria anular sua vontade para fazer a vontade dos irmãos, como escravos
que escolheram ser. Um escravo não tem salário, não tem propriedades e não tem privilégios. É só um escravo.
JESUS reprova qualquer desigualdade entre Seus seguidores, mas se alguém quer ser maior (cristão acima),
seja escravo.
3. “Naquela hora, aproximaram-se de JESUS os discípulos, perguntando: Quem é, porventura, o maior no Reino
dos Céus? E JESUS, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. E disse: Em verdade digo a vocês que se
vocês não se converterem e não se tornarem como crianças, nunca entrarão no Reino dos Céus. Portanto, aquele que
se humilhar como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus.” Mateus 18:1-4.
4. O que pode uma criança governar ou mandar? Porém, era exatamente o que os apóstolos pretendiam fazer em
relação aos seguidores do Reino! Queriam uma cadeira de autoridade no governo de DEUS. JESUS então ordena que
se humilhem e se igualem ao nível das crianças em relação a serem maiores no Reino, pois entre os seguidores
dEle não há maiorais que exerçam autoridade sobre Seus seguidores. Ele nos chama para sermos conduzidos e não
para conduzir, tal como as crianças. Ele é nosso único condutor. A única voz de comando que deve ser reconhecida
pelos seguidores de JESUS, é Sua voz. Não reconhecerão os seguidores de CRISTO qualquer autoridade religiosa
além da Sua. Seguir uma ordem religiosa segundo o conselho dos homens seria violação do primeiro dos Dez
Mandamentos: “Não terás outros deuses diante de Mim.” Êxodo 20:3. Significa, não terás outra autoridade religiosa
além da Minha; não te submeterás a qualquer decisão religiosa que não a Minha. Isso se torna muito mais claro em
JESUS.
5. Colocando em palavras mais compreensivas o primeiro dos Dez Mandamentos: “Vós, porém, não sereis chamados
mestres, porque um só é vosso Mestre, e vós todos sois irmãos. A ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque
só um é vosso Pai, aquele que está nos Céus. Nem sereis chamados guias, porque só um é vosso Guia, o CRISTO.
Mas o maior dentre vós será vosso escravo.” Mateus 23:8-11. Quando os homens elegeram e inventaram pastores em
suas igrejas então violaram o Mandamento. Não entenderam a distinção entre dom de serviço e posição de
elevação. Colocaram homens acima de homens. Um cristão não pode reconhecer qualquer autoridade espiritual além
do único SENHOR. Não aceitareis títulos de pastores, porque só Um é vosso Pastor e todos vós sois ovelhas.
Sob estas condições pode o cristão orar: JESUS é o meu Pastor; coisa alguma me falta. Salmos 23:1. Somente os que
vivem da fé são guiados pelo Pastor invisível. Por outro lado, homens terão seus próprios pastores, imagem do
papado e dos vários mediadores. Nas páginas do Novo Testamento jamais qualquer homem foi chamado de pastor.
Isso por si só já deveria causar tremor no homem e fazê-lo humilhar-se em igualdade com os irmãos.
6. “Então, se aproximaram dEle Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo-Lhe: Mestre, queremos que nos concedas o
que te vamos pedir. E Ele lhes perguntou: Que quereis que vos faça? Responderam-Lhe: Permite-nos que, na Tua
glória, nos assentemos um à Tua direita e o outro à Tua esquerda. Mas JESUS lhes disse: Não sabeis o que pedis...
Ouvindo isto, indignaram-se os dez contra Tiago e João. Mas JESUS, chamando-os para junto de Si, disse-lhes:
Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos sob seu domínio, e sobre eles os seus
maiorais exercem autoridade. Mas entre vós não é assim; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós,
será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será escravo de todos. Pois o próprio Filho do
Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate por muitos.” Marcos 10:35-45.
7. JESUS reconhece no mundo os governos e autoridades. Até devem os cristãos ser submissos a elas acreditando
que no mundo “não há autoridade que não proceda de DEUS; e as autoridades que existem foram por Ele instituídas.”
Romanos 13:1. Isso se dá com respeito ao mundo, são coisas seculares, e se limitam diante das exigências de DEUS,
mas com respeito ao Seu Reino, afirma não ser daqui e, portanto, não existir aqui um governo ou qualquer hierarquia,
isto é, gradações de poderes entre Seus seguidores como se alguém pudesse exercer autoridade sobre seus irmãos. O
querer ser alguém grande, gr. megav /megas/, resultará em tornar outros pequenos; uns fracos e outros fortes; um
que domina e outro que é dominado. Isso acontece no reino animal e no mundo, mas não entre os seguidores de
JESUS. Somente uma posição pode dar ao homem o ser maior em relação aos seus semelhantes e a única posição
dada pelo SENHOR foi à de escravos para os que querem ser grandes. Reprova também o SENHOR aqueles que
querem ser o primeiro, do gr. prwtov /protos/. O significado segundo Strong é primeiro na posição, no lugar,
chefe, principal. Então JESUS diz que estes estão enganados. Devem se converter, sair da posição que se
encontram, abandonar a chefia do povo e se tornarem escravos. Escravo no gr. doulov /doulos/. Strong: “palavra
comum para escravo, alguém que está permanentemente em servidão”.
8. Quando um homem se coloca acima de outro homem em nome de DEUS, está praticando o pecado da
abominação. Pretender tal autoridade forma o homem do pecado. O sistema religioso profano dos dias de CRISTO foi
copiado na Idade Média pelo sistema religioso da igreja católica e as organizações religiosas modernas se tornaram
a imagem de Roma. As formas de governo são modificadas, mas prevalecem os mesmo princípios. Homens
governando homens em nome de DEUS. Julgam que sem eles JESUS não pode governar ou manter um povo na

www.arqueleucunha.blogspot.com 2 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009

Terra. Quando JESUS se referiu ao sistema “disse-lhes: Vocês estão a si mesmos se mostrando justos diante dos
homens, mas DEUS conhece o coração de vocês, porque o que entre os homens é elevado perante DEUS é
abominação.” Lucas 16:15.
9. Esses homens que ostentam uma aparência justa e estão colocados acima de seus irmãos, elevados em
posição, como administradores do rebanho, governadores e chefes do povo de DEUS, são abominação para
DEUS (para mim também!). Ao se colocarem como cabeças advogando poderes executivos desviam os olhos dos
homens de JESUS para si mesmos. Em vez de o povo cristão seguir unicamente a JESUS passa a seguir seus
mestres e pastores e por eles os cristãos são desviados da simples verdade. Não podem olhar para dois ao mesmo
tempo. O lugar de CRISTO é então preenchido por um homem. Em lugar do Reino de DEUS se estabelece o reino
de homens que governam homens em nome de DEUS. Esse reino de homens se esconde detrás do nome
igreja. Todos têm que lhes submeter à crença e concordar com seu dogmatismo1. Cria-se assim uma imagem a Besta2
e se forma o AntiCRISTO, isto é, em lugar de CRISTO. Homens como o papa ou pastores assumem o lugar de JESUS
na Terra e os homens os temem como se fossem dotados de algum poder celestial, mas DEUS os 3 considera
abominação4 desoladora. Essa apostasia5 havia há muito sido predita.
10. Essa idéia de governo e autoridade foi um tremendo engano na cabeça dos equivocados apóstolos. JESUS diz que
no Seu Reino não há criatura que possa exercer governo ou autoridade. Então como é? Ele explica dizendo que é ao
contrário. Seus seguidores se tornam iguais tendo as mesmas obrigações e os mesmos privilégios. Passamos a ser
todos irmãos de um Pai justo. Súditos de um Reino Espiritual, onde há um só que reina, governa e exerce autoridade.
Ele é Criador e os demais são criaturas. Ele é o único Senhor e os demais são Seus servos. Os mais fortes carregam
os mais fracos e os mais preparados entesouram para os menos preparados, e não os mais fracos sustentando os
mais fortes e os mais novos carregando os mais preparados.
11. Nem mesmo um anjo pode exercer governo sobre os cristãos, pois também são criaturas. JESUS é o único
que tem a autoridade e Ele tem toda autoridade sobre Seus seguidores, e isto no Céu e na Terra. Essa autoridade
de governo, administração e domínio sobre Seus seguidores não foi entregue a qualquer ser humano. A Escritura
reconhece cada cristão em igualdade como “raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva
de DEUS, a fim de proclamarem as virtudes dAquele que os chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz”. 1 Pedro
2:9. É o sacerdócio de todos os cristãos. Todos são sacerdotes iguais e somente JESUS é o único acima, Sumo
Sacerdote.
12. Dentre os seguidores de JESUS não há elites, castas ou classes, mas todos são iguais, todos são os
eleitos de DEUS. Comunidade é quando tudo é comum a todos. “Desta maneira, não pode haver judeu nem grego;
nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em CRISTO JESUS.” Gálatas 3:28.
Também não pode haver dominadores e dominados; maiores e menores; os que mandam e os que obedecem;
patrões e empregados; governo e governados. Nem entre os homens nem entre os anjos, pois que são todos eles
criaturas. Quando João esteve deslumbrado diante de tão glorioso anjo prostrou-se aos seus pés, mas o anjo disse:
“Vê, não faças isso; sou servo contigo e com teus irmãos que guardam o testemunho de JESUS”. Apocalipse
19:10. A hierarquização, isto é, a gradação de poder, não existe no Reino de DEUS. O próprio anjo de glória
colocou-se na mesma qualidade de escravo de JESUS como João e os demais irmãos.
13. Quando um homem então usurpa6 a cadeira de CRISTO e se torna o pastor da igreja, ou papa, que dá no mesmo,
pois um é a imagem do outro, então “atam fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos
homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los.” Mateus 23:4. São monarcas de crentes
inocentes vivendo em superioridade como se fossem pequenos deuses. O seu alvo central é trazer membros pra
sua igreja, enchendo a casa de DEUS (para não dizer o império deles). “Hipócritas, porque rodeais o mar e a Terra
para fazer um prosélito7; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós!” Mateus 23:15. JESUS
nunca praticou o proselitismo religioso, pelo contrário, o condenou. Uma coisa é fazer os homens defensores de
uma denominação religiosa, outra coisa bem diferente é tornar os homens seguidores unicamente de JESUS.
Salvação não tem nada que ver com se tornar membro de determinada ordem religiosa, mas em ser nova criatura pela
fé em JESUS.
14. Tais pastores estão acima do rebanho, mas na verdade não passam de ovelhas gordas. “Por isso, assim lhes
diz o ETERNO DEUS: Eis que Eu mesmo julgarei entre ovelhas gordas e ovelhas magras.” Ezequiel 34:20. Esse
julgamento se dará em Sua vinda: “Porque o Dia do SENHOR dos Exércitos será contra todo soberbo e altivo e
contra todo aquele que se exalta, para que seja abatido”. Isaías 2:12. JESUS renova essa ameaça: “Quem a si
mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado.” Mateus 23:12.
15. Se exaltar, no gr. uqhlon /hupselon/, se refere ao homem colocado alto, em posição elevada. Estes homens
assim exaltados DEUS mesmo irá abatê-los na manifestação de Sua vinda. E para Seus humildes filhos que viveram
em comunidade como irmãos, Ele os exaltará. Humilhar no gr. tapeinwsei /tapeivossei/, segundo Strong é tornar

1
Dogmatismo: são os credos que tornam as igrejas diferentes umas das outras.
2
Besta é o mesmo que animal e no Apocalipse simboliza um poder de dominação religiosa. Ap.14:9-11.
3
Não como pessoas, mas pela posição que ocupam. A posição é de uma abominação delosadora.
4
Abominação desoladora. Dn.12:11 usa esta palavra.
5
Apostasia: Significa desvio da verdade. Foi predita em Daniel e Paulo falou sobre ela em 2Ts.2:3.
6
Usurpar: Tomar posse violentamente, ou obter pela fraude.
7
Prosélito: Que se tornou membro de igreja.
www.arqueleucunha.blogspot.com 3 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009

baixo, rebaixar, aplainar, reduzir a um plano, rebaixar a condição humilde, reduzir a circunstâncias mais pobres.
Designar alguém a uma posição ou lugar mais baixo. Agora você está pronto para reler Mateus 23:8-13 e Isaías
2:12.
16. Para exemplificar o que acontece como conseqüência dos princípios errados que se estabeleceram no lugar da
verdade, conto o último caso que presenciei. Certa irmã vinha definhando diante do câncer. O pastor da igreja em um
ano e meio de sofrimento da irmã nem na sua casa foi. O esposo da irmã cancerosa encontrou o pastor casualmente.
Considerando a oração do pastor como sendo especial, pediu-lhe uma oração, o que fez prontamente. Foi tudo que ele
fez por este caso.
17. Alguma mente doente pode pensar: “vai ver essa irmã não teve um procedimento correto com a igreja.” Bem,
conheço muito bem estas pessoas. São os melhores membros de uma igreja que já conheci. São tão prontos em seguir
a direção da igreja que preferem sofrer sem recursos diante da doença e morte que deixar de trazer suas contribuições
para igreja.
18. Mesmo cancerosa e se contorcendo de dor, ainda ia à igreja, apesar de não poder entrar. Tentava ouvir algumas
palavras do assento do carro nas manhãs ensolaradas. Era chocante como ainda procediam cantando alegremente e
sorrindo no culto quando do lado havia alguém morrendo! Isso ilustra a triste realidade transmitida e vivida pela podre
forma religiosa que professa amor, mas não vive a prática! De maneira estúpida negavam a eficácia da piedade.
Mesmo o Céu não seria um lugar feliz pra JESUS caso houvesse alguém aqui morrendo. Por isso Ele veio. Só recebeu
adoração na corte celeste após ter feito todo esforço para curar o sofredor. Porém o que o pastor fez por ela? Somente
uma oração!
19. A mente doente poderia continuar pensando: “Ah! Se fosse em minha igreja, com certeza o nosso pastor visitaria
esta irmã e faria vigílias por ela, semanas de oração e dias de jejuns. Ela poderia morrer, pois talvez não fosse a
vontade de DEUS curá-la! Mas o pastor teria feito a parte dele.”
20. Respondo para essa mente doente (DEUS a cure) que se fosse a esposa do pastor da sua igreja pode ter certeza
que ele faria todas as vigílias que você pensou, mas jamais ficaria somente na oração. Ele tem plano de saúde. Tem
auxílios que cobrem todas as despesas. Ele não espera por DEUS como propõe para os crentes explorados. Ele
não fica somente na oração acreditando que se ela morrer terá sido a vontade de DEUS. Ele não está disposto a
descobrir qual é a vontade de DEUS, ele vai pros melhores hospitais e faz o tratamento! O fardo é só sobre os
irmãos, mas nem com um dedo os mercenários querem carregá-lo. E ainda chamam esses pobres cristãos que
os sustenta de irmãos!
21. Blasfemam esses pastores quando se dizem uma comunidade com os irmãos! Comunidade significa que tudo é
comum para todos! Isso está muito longe da verdade. Aos membros das igrejas cabem todas as obrigações financeiras
e aos pastores o uso do dinheiro. Comunidade?! Comunidade de enganados e explorados, enquanto a comunidade
dos exploradores desfruta os milhões de reais sacados da classe inferior. Tem também aqueles milagreiros que curam
todas as doenças, mas eles mesmos têm auxílios para remédios e planos de saúde. Quando ficam doentes correm
pros médicos. A igreja paga tudo pra eles. Quanta abominação desoladora se pratica em nome do Humilde
Carpinteiro!
22. Contrastando esses com o verdadeiro Pastor, a quem unicamente pertence às ovelhas, o caso clama por
imediata justiça. Disse o único Pastor a Suas ovelhas: “Eu vim para que tenham vida”. João 10:10. Ele não se
esconde atrás da oração quando vem o lobo do câncer contra Suas ovelhas, mas ele dá a vida por elas. Diz:
“vinde a Mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o Meu jugo e
aprendei de Mim, porque Sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o Meu
jugo é suave, e o Meu fardo é leve.” Mateus 11:27-30.
23. Já disse um governador de homens: “Ainda há um mal que vi debaixo do sol, erro que procede do governador: o
tolo posto em grandes alturas, mas os ricos assentados em lugar baixo. Vi escravos a cavalo e príncipes andando a
pé como escravos sobre a terra.” Eclesiastes 10:5-7. A história se repete. Eu vejo os que eram para ser “escravos”
andando a “cavalo” e vejo os príncipes, humildes filhos de DEUS, sendo escravos. Aqueles que deveriam ser
escravos dos irmãos se tornaram seus piores exploradores. Se passam por bons “quando têm o que mastigar, mas
apregoam guerra santa contra aqueles que nada lhes metem na boca.” Miquéias 3:5. Com as vantagens que têm
como pastores até os piores homens do mundo viram anjos de luz. Com boa remuneração até os filhos do maligno
viram santos, mas JESUS está contra esses mercadores de almas humanas.
24. Acabei de lembrar de uma frase do grande Rui Barbosa: “Há tantos burros mandando em homens de
inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma ciência.” É Rui, mas isso só é possível no mundo
caído, quando as mentes não são iluminadas e quando os homens não entendem que entre eles e DEUS só pode
existir um só, JESUS. Quando homens se juntam e estabelecem um governo religioso, esse é o governo do
maligno em forma camuflada, uma oposição ao Reino de JESUS. Não passa de um reino de homens que se
julgam o Reino de DEUS. E disso nosso mundo está cheio.
25. De fato, DEUS a ninguém confiou a obra de mandar ou dominar, administrar ou governar sobre Seu rebanho.
“Tudo isto vi quando me apliquei a toda obra que se faz debaixo do sol; há tempo em que um homem tem domínio
sobre outro homem, para arruiná-lo.” Eclesiastes 8:9. DEUS criou o homem e deu-lhe a oportunidade para dominar
animais, mas o espírito do mundo faz homens dominarem homens, daí surgem os escravos e os homens viram
animais. A famosa pirâmide se forma. É a nova ordem mundial. Mas na verdade de nova não tem nada, é plano da

www.arqueleucunha.blogspot.com 4 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009

8
antiga serpente . Através da pirâmide ele domina a humanidade pagã e religiosa. As associações de hoje são as
monarquias de ontem. Os Sinédrios ressuscitaram com seus Anás e Caifás.
26. “Mas o caminho dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” Provérbios
4:18. Ou seja, até que compreende a verdade, e a verdade liberta. “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao
ETERNO; como a alva, a Sua vinda é certa; e Ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia 9 que rega a
Terra.” Oséias 6:3.
27. DEUS nos chamou para nos formar em um rebanho e não em uma pirâmide, mas os homens criaram uma pirâmide
em nome de DEUS e a si mesmos se fizeram pequenos deuses a custa de muitos escravos. O pior é que ainda
cometem o sacrilégio de dizer que DEUS está no topo, no comando da pirâmide.
28. “Se vires em algum distrito opressão de pobres e o roubo em lugar do direito e da justiça, não te maravilhes de
semelhante caso; porque o que está alto tem acima de si outro mais alto que o explora, e sobre estes há ainda
outros mais elevados que também exploram.” Eclesiastes 5:8. No topo das hierarquias religiosas está o maioral
dos demônios, pois são reinos de homens, obra prima do engano, do governo de Satanás. Ele está no topo de
toda hierarquia, pirâmide, gradação de poder, neste mundo, seja política ou religiosa, pois é o “governador do mundo”.
João 14:30. Todo governo que há nesse mundo é destinado a destruição pelo poder de DEUS. Onde quer que se
instale um governo de homens, é de homens mesmo, mas não de DEUS.
29. Contra esta realidade mundana e religiosa, JESUS declara: “O Meu Reino não é deste mundo. Se o Meu Reino
fosse deste mundo, os Meus ministros se empenhariam por Mim, para que não fosse Eu entregue aos judeus; mas
agora o Meu Reino não é daqui.” João 18:36. É claro que os homens não se conformam com o plano de DEUS e se
colocaram no lugar de JESUS e materializaram aqui neste mundo um reino e reinam sobre seus iguais os fazendo
inferiores e fazendo a si superiores. Estão por assim dizer recebendo o reino deste mundo das mãos de Satanás,
fazendo aliança com ele, pois “todos os reinos do mundo” lhe “pertencem” e ele dá “a quem quiser”. Mateus 4:8; Lucas
4:6.
30. “Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o Reino de DEUS, JESUS lhes respondeu: Não vem o Reino de
DEUS com visível aparência. Nem dirão: Aqui está ele! Ou: Lá está! Porque o Reino de DEUS está entre vocês.”
Lucas 17:20-21. Como os fariseus de ontem assim os fariseus de hoje supõem materializar o Reino aqui na Terra.
Esforçam-se, criam um nome, fazem seus súditos...
31. O Reino de DEUS chegou a este mundo, mas ele é invisível. Não tem paredes, nem placa, nem dominação
humana. Não tem CNPJ. Não é uma empresa do terceiro setor camuflada sob o nome de igreja, nem uma ONG,
muito menos qualquer organização religiosa. Não tem endereço nem hierarquia, gradações de poderes. É um
Reino que não se pode ver, de um só Rei, de um só Dominador, de um só Senhor e Governador também
invisível. A única parte visível deste Reino aqui na Terra são os filhos do Reino que vivem vida humilde e de igualdade.
É hora das ovelhas serem curadas da cegueira e saírem do curral para campo aberto seguindo a CRISTO o seu guia
pelos pastos verdejantes. Pouco a pouco está se definindo o rebanho do Pastor e as ovelhas estão sendo
selecionadas. Já em tempos distantes disse JESUS: “Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a Mim Me
convém conduzi-las; elas ouvirão a Minha voz; então, haverá um rebanho e Um Pastor.” João 10:16.
32. “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de DEUS, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e
agradável a DEUS, que é o vosso culto racional.” Romanos 12:1. “Por preço fostes comprados; não vos torneis
escravos de homens.” 1 Coríntios 7:23. “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação
da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS.” Romanos 12:2.
“Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, em virtude do longo tempo que estais no caminho, tendes,
novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares das palavras de
DEUS; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de
leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que,
pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.” Hebreus
5:12-14.
33. “O ESPÍRITO do ETERNO DEUS está sobre mim, porque o ETERNO me ungiu para pregar boas-notícias aos
quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em
liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do ETERNO e o dia da vingança do nosso DEUS; a consolar
todos os que choram”. Isaías 61:1-2. O povo do SENHOR não reconhecerá outro pastor, mas somente JESUS. Não
ouvirá outra voz, somente a de JESUS. Saí povo de DEUS do cativeiro porque hoje são quebradas tuas algemas e
destruída tua prisão. Lancem de si todo jugo, pois o SENHOR vos libertou. Tirem de vosso pescoço a coleira
que os homens colocaram e digam: “conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32.
34. Não precisamos mais de santos, que administrem nossas orações se éramos presos no aprisco católico
romano, nem de pastores, que administrem nossa fé se éramos dos currais evangélicos, caso JESUS seja nosso
Pai e Pastor, se Ele está aqui. Foi o estudado plano de Satanás colocar JESUS longe da igreja para que homens
assumissem Seu lugar. Quando o verdadeiro DEUS está ausente na vida das pessoas elas terão como resultado
criação de infinitos santos. Há santo pra tudo. Mas quando o caso são igrejas evangélicas, então há igreja pra tudo e
pastores para todos os tipos. “Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em
apóstolos de CRISTO.” 2 Coríntios 11:13.

8
Antiga serpente é um título de Satanás.
9
Chuva serôdia é a última chuva que vem para dar o amadurecimento final para o grão.
www.arqueleucunha.blogspot.com 5 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009

35. Quando homens se tornam “líderes espirituais” em nome de DEUS para conduzir um rebanho, e ainda insistem
nisso, mesmo após terem sido esclarecidos “deixai-os; são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro
cego, cairão ambos no barranco.” Mateus 15:14. Ó cristãos, não tolereis mais “quem vos escravize, quem vos
devore, quem vos detenha, quem se exalte, quem vos esbofeteie no rosto.”! 2 Coríntios 11:20. Livrem-se dos
homens e ponham fora toda essa abominação colocada no lugar de JESUS. Olhem unicamente para Ele e que não
seja encontrado outro entre vocês e DEUS. Façam de JESUS e Sua Palavra a única autoridade religiosa a quem
submeter-se.
36. A maior diferença dos santos católicos para os pastores evangélicos é que os santos católicos são de barro sem
qualquer vida e os pastores evangélicos são de barro com vida. Uns se mexem e falam, outros só representam, mas
são a imagem um do outro. DEUS diz de uns: “Têm boca e não falam; têm olhos e não vêem; têm ouvidos e não
ouvem; têm nariz e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta.
Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e quantos neles confiam.” Salmos 115:5-8. Dos outros “assim diz o
ETERNO: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do
ETERNO!” Jeremias 17:5. Esses bonecos de barro vivo que se colocam entre os homens e DEUS, como se
fossem pastores tem boca e sabem convencer; têm olhos e enxergam longe; têm ouvidos e só querem ouvir o
amém dos fiéis; têm nariz e sentem de longe o cheiro dos homens. Suas mãos pegam fortunas; seus pés não
andam, pois têm carros e gasolina com fartura e se forem pastores de primeira classe andam de aviões e
helicópteros. Nunca vão se tornar semelhantes a eles os que os fazem e os que neles confiam. Pelo contrario, serão
cada vez mais explorados e cativos. A Palavra declara: “Afastai-vos, pois, do homem cujo fôlego está no seu nariz. Pois
em que é ele estimado?” Isaías 2:22.
37. O homem tomou o lugar de JESUS diante de outros homens, mas quem tem olhos limpos pelo colírio do ESPÍRITO
vê JESUS com Seu rebanho e O ouve dizendo: “Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a Mim Me convém
conduzi-las; elas ouvirão a Minha voz; então, haverá um rebanho e Um Pastor.” João 10:16. Tornam-se assim corpo
de CRISTO, de uma igreja espiritual cujo único condutor é JESUS. Onde somente Sua voz se ergue acima das outras
com poder de comando. Com autoridade exclusiva, conduz Seu rebanho feito só de ovelhas, de ovelhas que comem o
mesmo pasto, se submetem a mesma ordem e desfrutam os mesmos privilégios. Isso sim pode ser chamado de
comunidade. O que está além disso é uma aberrante, mas sutil, falsificação do Reino de DEUS. Que os homens
sinceros reconheçam e se voltem em humildade para o SENHOR.
38. Certa ocasião uma mulher de outra denominação religiosa, motivada por seu encontro com Alguém que julgou ser
um profeta, quis saber qual era a “igreja verdadeira”. Então lançou a questão que lhe atormentava. “Nossos pais
adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar.” Parafraseando10: “nós
acreditamos que aqui no monte Gerizim, monte denominado por Moisés como monte da benção, é o lugar da
verdadeira adoração, do verdadeiro culto. Mas vocês dizem que no Templo em Jerusalém é o lugar onde está a igreja
verdadeira”.
39. O homem que ela considerava profeta, JESUS, lhe disse: “Mulher, pode crer em Mim que a hora vem, quando
nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vocês adoram o que não conhecem; nós adoramos o que
conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores
adorarão o Pai no ESPÍRITO e verdade; porque são estes que o Pai procura para Seus adoradores. DEUS é
ESPÍRITO; e importa que os Seus adoradores O adorem no ESPÍRITO e verdade.” João 4:20-24. JESUS diz que não
há mais um lugar, pois chegou à hora da prometida reforma quando o sistema cerimonial é desfeito e a adoração a
DEUS será feita em qualquer lugar.
40. JESUS apresenta uma igreja sem paredes, sem endereço e sem um lugar físico. Feita de homens espirituais e
não de documentos e assinaturas humanas nem de pedras mortas. O sagrado Templo que até ali tinha sido a casa de
DEUS, a casa de oração para todos os povos, segundo profetizado, deixava de o ser, pois era cerimonial e puramente
simbólico. No ensino de CRISTO não há igreja da localidade, porque “onde estiverem dois ou três reunidos em Meu
nome, ali estou no meio deles.” Mateus 18:20.
41. JESUS abriu a porta do curral das ovelhas. Colocou-as em liberdade. Destruiu o cativeiro, quebrou as
algemas! Conduziu-as para fora onde há pasto inesgotável. Ele declarou: “Eu Sou a porta.” Ele prometeu: “Se
alguém entrar por Mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.” João 10:9. Aí está a certeza da salvação,
unicamente em CRISTO, pois Ele é a Porta! Quem por Ele entra e sai e vive, por Ele é justificado, salvo e glorificado.
42. As ovelhas não foram criadas para a vida do curral, nem os pássaros para as gaiolas. Enquanto houver pasto no
campo nunca as ovelhas precisarão regredir. Enquanto JESUS for nosso único pastor, nunca faltará pasto. Ele é o
pasto. “Depois de fazer sair todas as que Lhe pertencem, vai adiante delas, e elas O seguem, porque Lhe
reconhecem a voz; mas de modo nenhum seguirão a outro; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz
dos outros.” João 10:4-5.
43. “Mas, agora, em CRISTO JESUS, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados pelo sangue de CRISTO.
Porque Ele é a nossa paz, o qual de ambos [ambos: judeus e não judeus] fez um; e, tendo derrubado a parede da
separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na Sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças,
para que dos dois criasse, em Si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo
com DEUS, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade. E, vindo, evangelizou paz a vós outros que
estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por Ele, ambos temos acesso ao Pai em um
ESPÍRITO.” Efésios 2:13-18.

10
Parafrasear: Falar ou escrever de forma explicativa.
www.arqueleucunha.blogspot.com 6 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
REINO DE DEUS OU DOS HOMENS? – SC, AGO DE 2009

44. “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com DEUS por meio de nosso Senhor JESUS CRISTO”. Romanos
5:1. “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em CRISTO JESUS.” Romanos 8:1. “E, assim, se
alguém está em CRISTO, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” 2 Coríntios 5:17.
45. “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com CRISTO, buscai as coisas lá do alto, onde CRISTO vive,
assentado à direita de DEUS. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a
vossa vida está oculta juntamente com CRISTO, em DEUS. Quando CRISTO, que é a nossa vida, se manifestar,
então, vós também sereis manifestados com Ele, em glória.” Colossenses 3:1-4.

www.arqueleucunha.blogspot.com 7 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009

SERVO-ESCRAVO

O homem é encontrado como doulov (escravo) do pecado, do homem, de si mesmo, do diabo e do mundo.
Torna-se irmão e amigo em JESUS. É aí que todo serviço feito é o de um terapwn. Uma atividade voluntária de
terapia para curar e ajudar outros, cuja obrigação repousa no amor ou no dever. A recompensa pessoal é o benefício
da mente. É um termo de dignidade e liberdade. Aqui não exige a grande capacidade espiritual de viver sem
recompensas.
DEUS nos chama para ir além do terapwn. Ele quer nos promover (rebaixar) a diakonov. Ele quer que
passemos à servidão sistemática e contínua como cumpridores de ordens, ainda que não de condição servil. Como
escravos de DEUS nos colocamos em servidão para com outros acreditando na recompensa futura.
DEUS então promoverá (isto é, rebaixará) alguns a um nível acima (isto é, abaixo), a condição servil, a doulov,
um servo de condição. Alguém que perde a si mesmo, e como propriedade passa a ser de outro. O doulos não tem
mais vida própria, não pertence mais a si mesmo, mas somente ao seu dono. Não tem mais vontade própria, mas vive
para cumprir a vontade de Seu dono. É o completo esvaziamento de si mesmo em benefício do que lhe é senhor.
Só há um tipo de escravo superior a esse (isto é, inferior, de um nível abaixo) é o uperethv. Esse é o escravo
de 3º categoria. É o remador da galé. Poucos serão tão fortes e tão submissos que descerão ao último nível da
servidão para impulsionar a vida da nau rumo ao porto.

SETE PALAVRAS PARA ESCRAVO NO NOVO TESTAMENTO

1. 2324 yerapwn /THERAPON/ – Servir, curar, assistente, servo; é um termo de dignidade e liberdade.
1.1. É simplesmente alguém que presta serviço num tempo particular, algumas vezes como um escravo, mais
freqüentemente como um homem livre, que presta serviço voluntário estimulado pelo dever ou amor. Denota
alguém que serve, em sua relação com uma pessoa. É daí que vem a nossa palavra terapia. Isso significa um
serviço de amor, voluntário que resulta em saúde para quem o presta.
1.2. Única ocorrência no Novo Testamento: Hebreus 3:5: “E Moisés era fiel, em toda a casa de DEUS, como
servo <2324>, para testemunho das coisas que haviam de ser anunciadas”.

2. 1249 diakonov /DIAKONOS/ – 28 OCORRÊNCIAS – Representa o servo em sua atividade de trabalho, não
em sua condição.
2.1. Aos serventes. Aplica-se, por exemplo, a um garçom, a alguém que executa os pedidos de outro.
2.1.1. Jo.2:5: “Então, ela falou aos serventes <1249>: Fazei tudo o que Ele vos disser.”
2.1.2. Jo.2:9: “Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se
bem que o sabiam os serventes <1249> que haviam tirado a água), chamou o noivo”.
2.1.3. Mt.22:13: “Então, ordenou o rei aos serventes <1249>: Amarrai-o de pés e mãos e lançai-o para fora,
nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.”.
2.2. “Mas o maior dentre vós será vosso servo <1249>.” Mt.23:11.
2.2.1. Textos paralelos: Mt.20:26; Mc.9:35; 10:43.
2.3. Aos governos seculares. Quando Paulo escreveu estava se referindo a ordem do Império romano. Foi
através desse Império que veio o juízo de DEUS para os Judeus que praticaram o mal.
2.3.1. Rm.13:4: “visto que é ministro <1249> de DEUS para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme;
porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro <1249> de DEUS, vingador, para castigar
o que pratica o mal.”.
2.4. Aos que são usados por satanás.
2.4.1. 2 Coríntios 11:15: “Não é muito, pois, que os seus próprios ministros <1249> se transformem em
ministros <1249> de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras.”.
2.5. A Paulo.
2.5.1. 2 Coríntios 6:4: “Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmos como ministros <1249> de
DEUS: na muita paciência, nas aflições, nas privações, nas angústias”.
2.5.2. 2 Coríntios 11:23: “São ministros <1249> de CRISTO? (Falo como fora de mim.) Eu ainda mais: em
trabalhos, muito mais; muito mais em prisões; em açoites, sem medida; em perigos de morte, muitas
vezes.”.
2.5.3. Efésios 3:7: “do qual fui constituído ministro <1249> conforme o dom da graça de DEUS a mim
concedida segundo a força operante do Seu poder.”.

www.arqueleucunha.blogspot.com 8 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009

2.5.4. Colossenses 1:23: “se é que permaneceis na fé, alicerçados e firmes, não vos deixando afastar da
esperança do evangelho que ouvistes e que foi pregado a toda criatura debaixo do céu, e do qual eu,
Paulo, me tornei ministro <1249>.”.
2.5.5. Colossenses 1:25: “da qual me tornei ministro <1249> de acordo com a dispensação da parte de
DEUS, que me foi confiada a vosso favor, para dar pleno cumprimento à palavra de DEUS”.
2.6. A todos que se dedicam no serviço do Evangelho.
2.6.1. Romanos 16:1: “Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que está servindo <1249> à igreja de Cencréia”.
2.6.2. 1 Coríntios 3:5: “Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos <1249> por meio de quem crestes, e isto
conforme o SENHOR concedeu a cada um.”.
2.6.3. Efésios 6:21: “E, para que saibais também a meu respeito e o que faço, de tudo vos informará Tíquico,
o irmão amado e fiel ministro <1249> do SENHOR.”.
2.6.4. Filipenses 1:1: “Paulo e Timóteo, servos de CRISTO JESUS, a todos os santos em CRISTO JESUS,
inclusive bispos e diáconos <1249> que vivem em Filipos”.
2.6.5. Colossenses 1:7: “segundo fostes instruídos por Epafras, nosso amado conservo e, quanto a vós
outros, fiel ministro <1249> de CRISTO”.
2.6.6. Colossenses 4:7: “Quanto à minha situação, Tíquico, irmão amado, e fiel ministro <1249>, e conservo
no SENHOR, de tudo vos informará.”.
2.6.7. 1 Ts 3:2: “e enviamos nosso irmão Timóteo, ministro <1249> de DEUS no Evangelho de CRISTO,
para, em benefício da vossa fé, confirmar-vos e exortar-vos”.
2.6.8. 1 Timóteo 3:8: “Semelhantemente, quanto a diáconos <1249>, é necessário que sejam respeitáveis,
de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância”.
2.6.9. 1 Timóteo 3:12: “O diácono <1249> seja marido de uma só mulher e governe bem seus filhos e a
própria casa.”.
2.6.10. 1 Timóteo 4:6: “Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro <1249> de CRISTO
JESUS, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.”.
2.7. A todo discípulo de CRISTO. A todos que vivem para Ele.
2.7.1. João 12:26: “Se alguém Me serve, siga-Me, e, onde Eu estou, ali estará também o Meu servo <1249>.
E, se alguém Me servir, o Pai o honrará.”.
2.7.2. 2 Coríntios 3:6: “o qual nos habilitou para sermos ministros <1249> de uma nova aliança, não da letra,
mas do espírito; porque a letra mata, mas o ESPÍRITO vivifica.”.
2.8. JESUS é chamado de DIAKONOS.
2.8.1. Romanos 15:8: “Digo, pois, que CRISTO foi constituído ministro <1249> da circuncisão, em prol da
verdade de DEUS, para confirmar as promessas feitas aos nossos pais”.
2.8.2. Gálatas 2:17: “Mas se, procurando ser justificados em CRISTO, fomos nós mesmos também achados
pecadores, dar-se-á o caso de ser CRISTO ministro <1249> do pecado? Certo que não!”.

3. 1401 doulov /DOULOS/ – EM ESCRAVIDÃO.


3.1. Há 126 ocorrências distribuídas em 119 versículos no Novo Testamento.
3.2. Somente Lucas usa o feminino doulav. 3 ocorrências: Lc.1:38,48; At.2:18.
3.3. “Escravo, servo, homem de condição servil; um escravo; metaforicamente é alguém que se rende a vontade
de outro; aqueles cujo serviço é aceito por CRISTO para estender e avançar a Sua causa entre os homens;
dedicado ao próximo, mesmo em detrimento dos próprios interesses. Alguém que está permanentemente em
servidão, em sujeição a um mestre.” Strong.
3.4. CRISTO JESUS “antes, a Si mesmo Se esvaziou, assumindo a forma de servo <1401>, tornando-Se em
semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana”. Fp.2:7.
3.5. 30 em Mateus. “Disse-lhe o SENHOR: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te
colocarei; entra no gozo do teu SENHOR.” Mt.25:21.
3.5.1. 8:9; 10:24, 25; 13:27, 28; 18:23, 26, 27, 28, 32; 20:27; 21:34, 35, 36; 22:3, 4, 6, 8, 10; 24:45, 46, 48, 50;
25:14, 19, 21, 23, 26, 30; 26:51.
3.6. 5 em Marcos. “E quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos.” Mc.10:44.
3.6.1. 10:44; 12:2, 4; 13:34; 14:47.
3.7. 30 em Lucas, incluindo os 3 de Atos e os 3 femininos. “Assim também vós, depois de haverdes feito
quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer.”
Lc.17:10.

www.arqueleucunha.blogspot.com 9 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009

3.7.1. 2:29; 7:2, 3, 8, 10; 12:37, 43, 45, 46, 47; 14:17, 21, 22, 23; 15:22; 17:7, 9, 10; 19:13, 15, 17, 22; 20:10,
11; 22:50. At.2:18; 4:29; 16:17.
3.8. 22 em João, sendo 13 no Apocalipse. “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu
SENHOR; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de Meu Pai vos tenho dado a conhecer.”
Jo.15:15.
3.8.1. Jo.4:51; 8:34, 35; 13:16; 15:15, 20; 18:10, 18, 26; Ap.1:1; 2:20; 6:15; 7:3; 10:7; 11:18; 13:16; 15:3;
19:2, 5, 18; 22:3, 6.
3.9. 27 em Paulo. “Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens.” 1Co.7:23.
3.9.1. Rm.1:1; 6:16, 17, 20; 1Co.7:21, 22, 23; 12:13; 2Co.4:5; Gl.1:10; 3:28; 4:1, 7; Ef.6:5, 6, 8; Fp.1:1; 2:7;
Cl. 3:11, 22; 4:1, 12; 1Ti. 6:1; 2Ti. 2:24; Tt. 1:1; 2:9; Fm. 1:16;
3.10. “Tiago, servo de DEUS e do SENHOR JESUS CRISTO, às doze tribos que se encontram na
Dispersão, saudações.” Tg.1:1.
3.11. 3 em Pedro. “Como livres que sois, não usando, todavia, a liberdade por pretexto da malícia, mas
vivendo como servos de DEUS.” 1Pd.2:16.
3.11.1. 1Pe. 2:16; 2Pe. 1:1; 2:19;
3.12. “Judas, servo de JESUS CRISTO e irmão de Tiago, aos chamados, amados em DEUS Pai e
guardados em JESUS CRISTO”. Jd.1:1.

4. 4. 5257 uperethv /HUPERETES/ – de 5259 e um derivado de eresso (remar); TDNT-8:530,1231; n m.


4.1. Há 20 ocorrências. 1 Coríntios 4:1: “Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros
<5257> de CRISTO e despenseiros dos mistérios de DEUS.”.
4.2. Significa literalmente um remador inferior, e era usado para descrever um remador comum numa galera de
guerra. Posteriormente passa a indicar qualquer homem, não um escravo, que servia numa posição
subordinada, sob um superior. O Novo Testamento não faz uso etimológico de uperethv em quase todas
as passagens. A cultura dá a palavra um novo significado.
4.3. Strong: Criado; remador de baixa categoria, remador subordinado; qualquer que serve com as mãos: criado;
no Novo Testamento, dos empregados ou serventes dos magistrados como dos empregados que executam
penalidades; dos servos de um rei, criados, acompanhantes, os soldados de um rei, dos atendentes de uma
sinagoga; de alguém que ministra ou presta serviços; alguém que ajuda outro em algum trabalho; assistente;
do pregador do Evangelho.
4.4. Vine: “Otros términos sinónimos son doulos, esclavo; oiketes, criado; misthios, jornalero; misthotos, igual que
el anterior; pais, chico, muchacho, criado. Para todos ellos véanse SIERVOY JORNALERO. Hablando en un
sentido general, diakonos contempla al siervo en relación con su trabajo; doulos , en relación con su dueño;
juperetes , en relación con su superior; leitourgos , en relación con el servicio público.”
4.5. Mateus.
4.5.1. Mateus 5:25: “Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho,
para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça <5257>, e sejas recolhido à
prisão.” Novo Testamento Interlinear “assistente”; Nova Tradução na Linguagem de Hoje “carcereiro”.
Westcott y Hort Interlineal “ajudante”.
4.5.2. Mateus 26:58: “Mas Pedro O seguia de longe até ao pátio do sumo sacerdote e, tendo entrado,
assentou-se entre os serventuários <5257>, para ver o fim.”.
4.6. Marcos.
4.6.1. Marcos 14:54: “Pedro seguira-O de longe até ao interior do pátio do sumo sacerdote e estava
assentado entre os serventuários <5257>, aquentando-se ao fogo.”.
4.6.2. Marcos 14:65: “Puseram-se alguns a cuspir nEle, a cobrir-Lhe o rosto, a dar-Lhe murros e a dizer-Lhe:
Profetiza! E os guardas <5257> O tomaram a bofetadas.”
4.7. Lucas.
4.7.1. Lucas 1:2: “conforme nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares e
ministros <5257> da palavra”.
4.7.2. Lucas 4:20: “Tendo fechado o livro, devolveu-o ao assistente <5257> e sentou-Se; e todos na
sinagoga tinham os olhos fitos nEle.”.
4.7.3. Atos 5:22: “Mas os guardas <5257>, indo, não os acharam no cárcere; e, tendo voltado, relataram”.
4.7.4. Atos 5:26: “Nisto, indo o capitão e os guardas <5257>, os trouxeram sem violência, porque temiam ser
apedrejados pelo povo.”.
4.7.5. Atos 13:5: “Chegados a Salamina, anunciavam a palavra de DEUS nas sinagogas judaicas; tinham
também João como auxiliar <5257>.”.
www.arqueleucunha.blogspot.com 10 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009

4.7.6. Atos 26:16: “Mas levanta-te e firma-te sobre teus pés, porque por isto te apareci, para te constituir
ministro <5257> e testemunha, tanto das coisas em que Me viste como daquelas pelas quais te
aparecerei ainda”.
4.8. João.
4.8.1. João 7:32: “Os fariseus, ouvindo a multidão murmurar estas coisas a respeito dEle, juntamente com os
principais sacerdotes enviaram guardas <5257> para O prenderem.”.
4.8.2. João 7:45: “Voltaram, pois, os guardas <5257> à presença dos principais sacerdotes e fariseus, e
estes lhes perguntaram: Por que não O trouxestes?”.
4.8.3. João 7:46: “Responderam eles <5257>: Jamais alguém falou como este Homem.”.
4.8.4. João 18:3: “Tendo, pois, Judas recebido a escolta e, dos principais sacerdotes e dos fariseus, alguns
guardas <5257>, chegou a este lugar com lanternas, tochas e armas.”.
4.8.5. João 18:12: “Assim, a escolta, o comandante e os guardas <5257> dos Judeus prenderam JESUS,
manietaram-no”.
4.8.6. João 18:18: “Ora, os servos e os guardas <5257> estavam ali, tendo acendido um braseiro, por causa
do frio, e aquentavam-se. Pedro estava no meio deles, aquentando-se também.”.
4.8.7. João 18:22: “Dizendo Ele isto, um dos guardas <5257> que ali estavam deu uma bofetada em JESUS,
dizendo: É assim que falas ao sumo sacerdote?”.
4.8.8. João 18:36: “Respondeu JESUS: O Meu Reino não é deste mundo. Se o Meu Reino fosse deste
mundo, os Meus ministros <5257> se empenhariam por Mim, para que não fosse Eu entregue aos
Judeus; mas agora o Meu Reino não é daqui.”.
4.8.9. João 19:6: “Ao verem-No, os principais sacerdotes e os seus guardas <5257> gritaram: Crucifica-O!
Crucifica-O! Disse-lhes Pilatos: Tomai-O vós outros e crucificai-O; porque eu não acho nEle crime
algum.”.

5. 3816 paiv /PAIS/ – Sem relevância DIDACRISTOLÓGICA.


5.1. Há 24 ocorrências. Criança, menino ou menina; infantes, crianças; servo, escravo; servente, servo,
especialmente assistente do rei, ministro.
5.2. Mateus 12:18: “Eis aqui o Meu servo <3816>, que escolhi, o Meu amado, em quem a Minha alma se compraz.
Farei repousar sobre Ele o Meu ESPÍRITO, e Ele anunciará juízo aos gentios.”.
5.3. 8 em Mateus.
5.3.1. Mt.2:16 8:6,8,13 12:18 14:2 17:18 21:15.
5.4. 15 em Lucas.
5.4.1. Lc.1:54,69 2:43 7:7 8:51,54 9:42 12:45 15:26. At.3:13,26 4:25,27,30 20:12.
5.5. 1 em João.
5.5.1. Jo.4:51.

6. 3011 leitourgov /LEITOURGOS/ – Lit. A serviço do povo. laos + ergon.


6.1. Aplica-se a um servidor público ou particular. A LXX usa o termo para serviços e cerimônias de adoração ao
Divino. O Novo Testamento espiritualiza o termo.
6.2. O DITNT tem um excelente estudo sobre as palavras deste grupo. Serviço sacrifical de adoração em termos
espirituais.
6.3. Em virtude do que se faz é que se torna, como no caso dos anjos de Hb.1:14. Cada cristão deve ser um
/LEITOURGOS/.
6.4. Há 5 ocorrências. Todas em Paulo.
6.4.1. Romanos 13:6: “Por esse motivo, também pagais tributos, porque são ministros <3011> de DEUS,
atendendo, constantemente, a este serviço.”. Estes são os governantes.
6.4.2. Romanos 15:16: “para que eu seja ministro <3011> de CRISTO JESUS entre os gentios, no sagrado
encargo de anunciar o Evangelho de DEUS, de modo que a oferta deles seja aceitável, uma vez
santificada pelo ESPÍRITO SANTO.”.
6.4.3. Filipenses 2:25: “Julguei, todavia, necessário mandar até vós Epafrodito, por um lado, meu irmão,
cooperador e companheiro de lutas; e, por outro, vosso mensageiro e vosso auxiliar <3011> nas minhas
necessidades”.
6.4.4. Hebreus 1:7: “Ainda, quanto aos anjos, diz: Aquele que a Seus anjos faz ventos, e a Seus ministros
<3011>, labareda de fogo”.

www.arqueleucunha.blogspot.com 11 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009

6.4.5. Hebreus 8:2: “como ministro <3011> do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o SENHOR erigiu,
não o homem.”.

7. 3610 oikethv /OIKETES/ – 3 ocorrências. Criado, doméstico.


7.1. Alguém que mora na mesma casa que outro, dito de todo aquele que está sob a autoridade de um e do
mesmo chefe de família; servo, doméstico.
7.2. Lucas.
7.2.1. Atos 10:7: “Logo que se retirou o anjo que lhe falava, chamou dois dos seus domésticos <3610> e um
soldado piedoso dos que estavam a seu serviço.”.
7.3. Paulo.
7.3.1. Romanos 14:4: “Quem és tu que julgas o servo <3610> alheio? Para o seu próprio senhor está em pé
ou cai; mas estará em pé, porque o SENHOR é poderoso para o suster.”.
7.4. Pedro.
7.4.1. 1 Pedro 2:18: “Servos <3610>, sede submissos, com todo o temor ao vosso senhor, não somente se
for bom e cordato, mas também ao perverso”.
QUEM É O SEU SENHOR?

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um
e desprezará ao outro. Não podeis servir a DEUS e ao dinheiro.” Mt.6:24.
Os que servem a DEUS como SENHOR, não têm um acordo salarial. Um escravo não precisa lembrar que seu
salário é o sustento e que sua existência é secundária. Ele come quando o SENHOR quer e vive se o SENHOR quiser.
No SENHOR cada escravo é livre! Quando escolhemos JESUS como SENHOR, desprezamos o dinheiro, o mundo e o
que nele há. Nossa senha é: “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes.” 1Tm.6:8.
Há, porém, muitos “homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de
lucro.” 1Tm.6:5. Não são servos do SENHOR JESUS. O trabalho missionário é algo que os irmãos fazem
voluntariamente e não por dinheiro. Aqueles que são contratados por dinheiro não fazem trabalho missionário, mas
trabalho mercenário. São funcionários de uma empresa religiosa falsamente chamada igreja. A palavra mercenário
significa trabalhador assalariado e aplica-se a todos os religiosos, pastores, missionários e obreiros, como geralmente
são chamados, cada qual com seu piso salarial e extras subjacentes.
Que direito pode ter o que trabalha para o Evangelho de CRISTO? “Assim também vós, depois de haverdes feito
quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer.” Lc.17:10. “Curai
enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça dai.” Mt.10:8. Não
podemos cobrar por qualquer obra que leve o nome de DEUS. Nossas músicas, livros, cursos e qualquer obra que leve
o Evangelho deve está completamente livre de lucros. Se alguém ensina o Evangelho da graça e lucra com isso, já não
é da graça.
O esquema financeiro religioso capitalista do mundo nas igrejas foi identificado profeticamente no Apocalipse:
“Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizendo: Vem! Então, vi, e eis um cavalo preto e o seu
cavaleiro com uma balança na mão. E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma
medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho.” Ap.6:5-6.
As associações religiosas se tornaram cabide de emprego, meio de exploração dos fiéis. As igrejas se tornaram
empresas comerciais e o Evangelho seu produto negociável. As pessoas são meros produtos aos olhos dos
empresários da fé, pastores que têm a balança na mão.
Todo humano nasce escravo de suas próprias cobiças. A escravidão é a realidade de ser dominado por outro, de
ser vencido por alguém ou por alguma coisa “pois aquele que é vencido fica escravo do vencedor.” 2Pd.2:19. Assim “o
mundo todo está debaixo do poder do Maligno.” 1Jo.5:19. O dinheiro é a força pela qual os homens são vencidos e
dominados. O maligno os acorrentou com dólares e reais. Ficam encolerados a um sistema religioso, debaixo do poder
e direção de homens como escravos, empresários da fé, usando o Evangelho de CRISTO como meio de vida.
“Abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o salário da
injustiça”. 2Pd.2:15.
Não podemos ganhar dinheiro com o dom servil que recebemos. Mas o que trabalha para o mundo “o salário não é
considerado como favor, e sim como dívida.” Rm.4:4. Aí há uma grande diferença. Um é trabalhador, outro é escravo.
Escravo é uma propriedade, alguém que foi comprado e trabalha sem lucros, porém o seu Dono lhe dá o sustento.
Viver do Evangelho não é um meio de vida, mas uma dependência da fé para alguém que vive sem um piso salarial. Se
você quer viver do Evangelho, “vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no Céu; depois, vem e
segue-Me.” Mt.19:21. Essas palavras são dirigidas a todos aqueles que foram chamados para se dedicarem a viver do
Evangelho.
Aos que estão escravizados pelo sistema e padrão do mundo, está escrito: “Se, pois, o Filho vos libertar,
verdadeiramente sereis livres.” Jo.8:36. Pois “para a liberdade foi que CRISTO nos libertou. Permanecei, pois, firmes e
não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.” Gl.5:1. “Como livres que sois, não usando, todavia, a liberdade por
pretexto da malícia, mas vivendo como servos de DEUS.” 1Pd.2:16. Lembrando sempre que “há um só SENHOR, uma

www.arqueleucunha.blogspot.com 12 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SERVO-ESCRAVO – SC, AGO-SET DE 2009

só fé, um só batismo”. Ef.4:5. “Ora, o SENHOR é o ESPÍRITO; e, onde está o ESPÍRITO do SENHOR, aí há liberdade.”
2Co.3:17.
A promessa de JESUS para Seus servos fiéis é: “eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho
para retribuir a cada um segundo as suas obras.” Ap.22:12. “Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai,
com os Seus anjos, e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.” Mt.16:27. Minha declaração diante de
meus conservos é: “Em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o
serviço que recebi do SENHOR JESUS para testemunhar o Evangelho da graça de DEUS.” At.20:24.
Ao escravo fiel, que sem piso salarial serviu com fé e amor aos irmãos pelo Evangelho da graça e da piedade,
tendo selado seu testemunho com a pobreza, é feita a promessa: “tua recompensa, porém, tu a receberás na
ressurreição dos justos.” Lc.14:14.

www.arqueleucunha.blogspot.com 13 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE O BATISMO – SC, JUL DE 2009

SOBRE O BATISMO
1. O verso perdido da Bíblia: Pastor que batiza. Nunca no Novo Testamento algum homem foi chamado de
pastor e pastor batizando é uma lenda, um conto de fadas. Faz parte do mercado ilegal e clandestino, o comércio de
almas.
1.1 Se alguém pretende ser o povo da Bíblia, que aceita a Escritura como única regra de crença e de prática, então
só pode sustentar suas crenças adulterando a Palavra da verdade e inventando pastores batizadores. Mais uma
manifestação das muitas distorções da verdade que estava por terra, mas que segundo a profecia deveria ser
restaurada. A reforma predita deve progredir até ao último dia. Para isso DEUS suscita os reformadores; restauradores
de brechas, a fim de haver reprovação e advertência.
1.2 Sem dúvidas que há muitos padres humildes e sinceros, que nem sabem estarem enganados, bem como entre
os pastores também. Um é a imagem do outro. Nem todos são intencionalmente corruptos e conhecedores destas
verdades. Caso se submetam e renunciem tudo por JESUS e pelo Evangelho, então serão aceitos como ovelhas de
Seu rebanho e serão Suas testemunhas abrindo a porta do Reino para os demais que estão submissos as suas
orientações (para não dizer seus governos).
1.3 As pessoas que praticaram o batismo no Novo Testamento podem ser classificadas como sendo: mensageiro,
diácono, apóstolo, ou simplesmente um discípulo.
1.3.1 MENSAGEIRO – Como mensageiro vejamos João – “Disse João a todos: Eu, na verdade, vos batizo com
água, mas vem o que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de desatar-Lhe as correias das sandálias; Ele
vos batizará com o ESPÍRITO SANTO e com fogo.” Lucas 3:16. Todo seguidor de CRISTO deste último tempo, deve
ser um João Batista, um Elias, a fim de preparar um povo; de preparar o caminho para a vinda do SENHOR. Esta
ordem CRISTO deu para todos os que O seguem.
1.3.2 APÓSTOLO – Uma multidão ouvia atenta na festa de pentecostes a mensagem de JESUS “e perguntaram a
Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja
batizado ... Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três
mil pessoas.” Atos 2:37-41. Apóstolo significa enviado.
1.3.3 DIÁCONO – Entre os sete diáconos escolhidos dos cristãos judeus-helenistas11, estava Filipe. Ele ensinou
sobre JESUS para um eunuco12 africano que voltava da adoração em Jerusalém. “Seguindo eles caminho fora,
chegando a certo lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que seja eu batizado?” Atos 8:36.
Sem a lista absurda inventada pelas igrejas (empresas religiosas), os chamados votos batismais (para não dizer
atestado de escravidão), sem suas atas cerimoniais ou permissão dos pastores da igreja, “ambos desceram à água, e
Filipe [o diácono] batizou o eunuco.” Atos 8:38.
1.3.4 DISCÍPULO – O maior divulgador do Evangelho, como registrado no Novo Testamento, foi Paulo. Ele foi
batizado por certo Ananias conforme as passagens de Atos 9:17,18. Paulo jamais esqueceu a pergunta que lhe fez
Ananias: “por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dEle.” Atos
22:16. Mas quem foi este Ananias? Simplesmente um cristão da cidade de Damasco. Ele era “um discípulo”. Atos
9:10.
1.4 Por que estes homens praticaram o batismo? Por causa da ordem do MESTRE. O mesmo que ordenou a
Seus discípulos que pregassem Sua mensagem, também ordenou a estes que batizassem. Cada cristão, sem
importar se é homem ou mulher, tornou-se um sacerdote de DEUS e está autorizado por Aquele que tem todo o
poder sobre Seus seguidores, seja no Céu ou na Terra, para pregar e batizar em nome do Pai, do Filho e do
ESPÍRITO SANTO. Quem se coloca entre um cristão e CRISTO, está praticando a abominação. Qualquer cristão
está autorizado, não só a batizar, mas praticar e realizar qualquer rito cristão, pois todos têm o mesmo sacerdócio.
O único requisito é ser cristão. Qualquer diferença é invenção posterior e racista.
1.5 Antes de partir, “JESUS, aproximando-Se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade Me foi dada no Céu e na
Terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do ESPÍRITO
SANTO; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias
até à consumação do século.” Mateus 28:18-20. JESUS não pediu nem aconselhou, mas em Sua total autoridade
ordenou que somente o Seu ensino devesse ser repassado. Sem emendas, sem acréscimos, sem melhorias, sem
adaptações. Toda legislação religiosa será de nenhum valor para quem entenda as palavras de JESUS.
1.6 É a estudada obra do espírito maligno modificar as palavras de JESUS, acrescentando, modificando ou
adaptando a Seus ensinos. O homem justifica essa atitude por não crer na capacidade de JESUS guiar Seu rebanho
sendo Ele invisível. Assim o homem se coloca no lugar de JESUS e O afasta para bem longe. Só O procura para pedir
favores, pois já tem seus governos religiosos. Assim CRISTO não reina sobre eles, mas outros. E são governados por
homens, porque não têm fé. Não vêem Aquele que é invisível. O homem ainda não aprendeu que “o justo viverá pela
fé.” “De fato, sem fé é impossível agradar a DEUS, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de DEUS creia
que Ele existe e que se torna recompensador dos que O buscam.” Hb.11:6. Assim estão em constante rebelião e não
sabem, porque não vivem na fé e “tudo o que não provém de fé é pecado.” Rm.14:23. Praticam abominação.
1.7 O próprio ESPÍRITO SANTO, o único substituto de JESUS na Terra, coisa alguma acrescenta às Suas
palavras. JESUS disse que Ele “guiará a toda a verdade; porque não falará por Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver
ouvido ... Ele Me glorificará, porque há de receber do que é Meu e vos há de anunciar.” João 16:13-14. Nem um ponto

11
Judeus-helenistas: para o Novo Testamento são judeus que nasceram fora de Israel e falam o grego.
12
Eunuco: Culturalmente era um homem castrado e que servia ao rei com respeito às mulheres do reinado. Aqui,
no entanto se refere a alguém de muita importância em um reinado, podendo ser castrado ou não.
www.arqueleucunha.blogspot.com 14 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE O BATISMO – SC, JUL DE 2009

ou uma vírgula de ensino humano pode ser dado junto com o ensino de JESUS. Nem todos os concílios
religiosos, nem mesmo um anjo do Céu pode fazer qualquer acréscimo.
1.8 Os falsos seguidores de JESUS estão acrescentando novos ensinos, exercendo autoridade uns sobre os
outros, inventando doutrinas. Ao passo que pregam as palavras de JESUS, estão cheios de emendas religiosas. Para
exemplificar vejam-se os votos batismais e as normas de cada igreja (para não dizer dogmas). Não se encontra com
facilidade alguém que creia nas palavras de JESUS sem que creia também no que dizem os líderes religiosos.
Precisam de uma confirmação de homens, um extra, um além de JESUS. Raramente se achará alguém que creia na
Bíblia sem que também creia em outro livro mais. Assim os cristãos modificados não carregam o selo divino de
aprovação, mas somente o selo da autoridade humana.
1.9 Segundo a norma estabelecida pelo Único Cabeça da Igreja foi que João, o amado, declarou: “Amados, não
vos escrevo mandamento novo”. 1 João 2:7. Nem tão pouco João acrescentou qualquer palavra ou ensino as palavras
de CRISTO. Deve cada cristão excluir de sua vida os líderes da fé, seus mestres, excluir de sua alma os ídolos
humanos, destruírem os falsos altares de adoração e voltarem para a Bíblia e para Aquele de quem tanto se
afastaram! E que “por nosso exemplo aprendam isto: não ultrapassem o que está escrito”. 1 Cor.4:6.
2. ALVO DE BATISMOS – PROFANAÇÃO13 ABOMINÁVEL14
2.1 O alvo de batismos é resultado do comércio de almas humanas. Os mercadores da fé, como empresários
que são, estabelecem seus alvos. Isso é muito comum. Um dentre tantos é o de batismos. Nessas empresas religiosas,
falsamente chamadas igrejas, os homens são tratados como números pelos quais fazem competição, pelos quais
são promovidos na carreira profissional (um tipo de prostituição moral). Os que mais batizam, são considerados os
melhores e assim crescem na pirâmide de dominação abominável.
2.2 COMO TUDO ACONTECE: Imagine um homem sério (uma cristão), aparentemente honesto e trabalhador que
quer mudar de seu país, pois está insatisfeito com sua realidade e de sua pátria (almeja fazer algo para DEUS).
Empreende todo esforço, trabalha, estuda, se submete as muitas situações difíceis, mas se esse é o preço, ele vai
pagar, pois é a coisa que mais quer na vida. Ao longo de alguns anos estudando a língua daquele país (fazendo a
faculdade de teologia) e trabalhando para conseguir pagar sua entrada (R$120.000,00), finalmente consegue. É o lugar
de seus sonhos (um emprego de pastor).
2.2.1 Ali ele casa e começa a ter alguns filhos (batismos). De forma interessante ele começa a ser louvado por
seus patriotas por sua capacidade reprodutora (batizar pessoas). É que nesse país (associação religiosa) ter muitos
filhos (muitos batismos) é a maior virtude e o mais incentivado meio de crescer na carreira profissional (na pirâmide de
dominação, nos cargos superiores). Fica animado com essa novidade. Descobre que é um homem de grande sorte e
começa a melhorar de situação com isso. É recompensado pelo seu país. Muda de lugar (vai para igrejas melhores, i e,
mais ricas), muda de casa. Seu salário não aumenta, mas melhorou muito os incentivos e presentinhos por causa dos
muitos filhos. Ele realmente está de bem com a vida. Fica feliz com a possibilidade de fazer muitos filhos e ser
celebrado por isso. A partir desse momento ele procura ser celebrado pela quantidade de filhos que faz (motivado pelo
reconhecimento dos homens, toma por alvo batizar muitas pessoas).
2.2.2 Aí começa de forma muito intensa a viajar sozinho deixando sua esposa e filhos, porém está desculpado,
pois é por uma boa causa. Na primeira cidade faz alguns filhos. Motivado com o sucesso inicial vai à segunda cidade e
ali consegue mais alguns filhos. Na próxima faz dezenas deles. Começa a ficar famoso por ser pai de tantos filhos.
Quanto mais filhos faz, mais é celebrado! Está famoso agora. Quantos filhos! É louvado por isso. Chega mesmo a ser
entrevistado em rede nacional de TV em horário nobre!
2.2.3 Alguém da platéia faz uma pergunta intrigante: Como ficam a educação desses filhos todos que o senhor tem
feito? O homem responde: Nosso país tem toda estrutura para criá-los. Além do mais, eles têm a vida que é o mais
importante. Isso já fiz por eles. Se não fosse por meu intermédio eles não estariam no mundo. Não posso parar o que
estou fazendo para cuidar dos que já nasceram, pois como continuaria fazendo outros filhos? Minha missão é fazer
filhos. Estou aqui para isso. Eles têm a mãe e se alguma coisa falhar a culpa não é minha. Eu fiz minha parte.
2.2.4 Como você classifica um homem assim?! E qual será a conseqüência de um país que cresce como esse?!
Você entregaria seus filhos aos cuidados de outros sem que eles estivessem preparados para isso?
Realmente, ter filhos é um plano maravilhoso, mas me admiro como um homem desses pode ser tão celebrado!!!
Será que do lado de lá não tem alguém capaz de enxergar que isso que ele está fazendo não é uma proeza, mas um
ato irresponsável, inconseqüente, destruidor?! Quem vai colocar freio em tudo isso?! Infelizmente o país está sendo
destruído e aquele que se opôs a isso foi expulso de lá sem nem sequer ser ouvido e julgado e se falar é acusado de
estar defendendo a própria causa! Quem promove a justiça, promove a causa de DEUS e não a própria.
2.2.5 É preciso parar esse crescimento desorientado, pois seus filhos serão, salvo raras exceções, desgovernados,
revoltados, mal amados, complexados, despreparados para a vida e se tornarão seres deteriorados pela fraqueza do
despreparo. Não passarão de escravos explorados pelos que estão em nível superior. Todo problema tratado desses
filhos será possivelmente um fracasso e eles serão um peso a sociedade. Quanto tempo gasto com eles, quanto
dinheiro, quanto esforço! Os hospitais não bastarão para tratá-los, a escolas não bastarão para educá-los. Suas vidas
serão infelizes. O problema é estrutural. Ser criado fora da estrutura adequada resultará em problema geralmente
irreversível.
2.2.6 Todo problema estrutural precisa ser resolvido e tratado de forma estrutural. A estrutura precisa mudar se
não jamais conseguirá deter-se o problema. Todos os profissionais do país trabalharão estressados e o verdadeiro
13
Profanar: Tomar o sagrado por comum, ou colocar o comum no lugar do sagrado.
14
Abominável: Detestável e nojento. Na linguagem profética se refere à religião do homem em lugar da religião de
CRISTO.
www.arqueleucunha.blogspot.com 15 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE O BATISMO – SC, JUL DE 2009

crescimento será deixado de lado por causa do falso crescimento. Passados muitos anos, o país que poderia ser a
maior de todas as potências, está arrasado agora. Contudo ainda se desculpa dizendo que é assim mesmo e
prossegue cegamente. Não conseguem ver onde tropeçam porque “aceitam glória uns dos outros e, contudo, não
procuram a glória que vem do DEUS único?” João 5:44.
2.2.7 A estrutura precisa mudar se queremos filhos saudáveis. Antes de tê-los devemos perguntar se temos uma
estrutura para recebê-los. Eles precisam ser educados, alimentados, vestidos, para depois enfrentarem o mundo como
vencedores. Precisam de um pai, de uma mãe, de leite materno, de afago, convivência. Nascer é apenas o primeiro
passo. Deixar crescer sem o cuidado dos pais e entregá-los ao cuidado dos irmãos, sem uma estrutura adequada, sem
o devido alimento, sem uma estrutura educacional, sem um acompanhamento médico, é entregá-los a sorte que
geralmente os leva a delinqüência. Não se devem ter mais filhos do que se pode atender, mesmo que se tenha
capacidade para isso. Onde está o amor, a honestidade, o princípio, a hombridade?
2.2.8 Os estímulos daquele país transformaram aquele homem e aquele homem transformou aquele país.
2.2.9 Esse país é cada associação religiosa que procura de todas as maneiras fazer proselitismo, i e, conseguir
membros para suas igrejas. Os alvos de batismo não geram cristãos livres e fortes, mas escravos religiosos doentes e
dependentes das drogas comercializadas pelos magnatas das religiões, os administradores das multidões de religiosos
da Terra. Ap.18:9,23,24. Assim o alvo de batismo é mais um dentre tantos atos iníquos praticados em nome de
JESUS, sendo grave pecado diante de DEUS.
3. BATISMO NA ÁGUA É UM SÍMBOLO
3.1 Precisamos entender a gravidade de fazer alvos de batismo. É esse o alvo que não nos pertence. Bem
faríamos em tirar as sandálias de nossos pés, pois essa terra é santa. Nosso alvo dado por DEUS é a mensagem a
toda criatura, cuja obra de caridade é metade, mas quem ou quantos serão batizados é alvo de DEUS. É o ser
DIVINO quem batiza em verdade.
3.2 Muito errado se entendo o texto de Marcos 16:16 (“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer
será condenado.”). O batismo na água não é um sacramento, mas um rito simbólico.
3.3 Sacramento é a crença que o rito transmite em si mesmo qualquer dom divino, sendo uma invenção
religiosa que transforma o símbolo em um ato real. Com respeito ao batismo na água ser apenas um símbolo, os
sacramentalistas crêem que ele transmite o dom da salvação e sem ele o homem é um pagão. Você pode ser um
sacramentalista e nem saber que é um.
3.4 Nesse mesmo erro caíram os judeus quanto à circuncisão. Para o judaísmo do tempo de JESUS quem não for
circuncidado não tem salvação e quem tinha a circuncisão tinha a salvação. Com o ensino de JESUS em mente, foi que
Paulo, antes um zeloso sacramentalista, se libertou e entendeu que “em CRISTO JESUS, nem a circuncisão, nem a
incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor.” Gálatas 5:6. Assim o batismo na água não passa de
um símbolo destituído de qualquer valor, a menos que seja o fruto da “fé que atua pelo amor” de uma pessoa
que está “em CRISTO JESUS”. Caso contrário é um rito morto que jamais livrará da condenação.
3.5 Pedro ensinou que o “batismo não é a remoção da imundícia da carne, mas é o compromisso feito com DEUS,
o qual vem de uma consciência limpa.” A “salvação vem por meio da ressurreição de JESUS CRISTO”. 1Pd.3:21.
NTLH. “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vocês; é dom de DEUS; não de obras, para
que ninguém se glorie. Pois somos feitura dEle, criados em CRISTO JESUS para boas obras, as quais DEUS de
antemão preparou para que andássemos nelas.” Ef.2:8-10. Quem foi batizado no ESPÍRITO é nova criatura e as obras
são frutos naturais de uma vida salva.
3.6 Os religiosos, com idéia sacramentalista, e justificando seus alvos com a descarada idéia que fazendo assim
estão salvando pessoas, ameaçam os indivíduos dizendo que se não forem batizadas com o batismo que estão
oferecendo, crendo no evangelho que estão pregando, então vão perder a salvação. Fazem com que elas se sintam
salvas caso aceitem esse batismo. Isso é uma idéia sacramental. Independente de o indivíduo ser uma nova criatura ou
não acreditam que estando batizadas estão salvas ou quase salvas.
3.7 Entendendo Marcos 16:16 – “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.”
Ainda que jamais negue a necessidade do batismo na água e que JESUS aqui em Marcos tenha-o em Seu
pensamento, contudo afirmo a verdade aqui exposta, mas não percebida, que JESUS está falando do batismo que Ele
ministra. JESUS batiza pessoas no ESPÍRITO SANTO. Quem crer na verdade de JESUS e for batizado no
ESPÍRITO, será salvo. O único batismo que salva é o batismo de JESUS. O batismo que todos os cristãos podem
ministrar é simbólico, uma confirmação realizada pelo batizador que o indivíduo foi batizado no ESPÍRITO. Assim os
cristãos os reconhecem e os admitem.
3.8 Só podemos batizar na água aquele que foi batizado no ESPÍRITO. O ser batizado no ESPÍRITO é ser
nova criatura. Isso acontece no crer e se demonstra na obra. Somente JESUS pode tornar alguém cristão e isso se
dá quando alguém crer nEle verdadeiramente como diz a Escritura. Então JESUS o batiza no ESPÍRITO e ele
passa a ser um discípulo, um cristão. Os demais cristão ao reconhecerem essa realidade espiritual pelo fruto do
ESPÍRITO, ministram o ato simbólico batizando-o na água. “Porventura, pode alguém recusar a água, para que não
sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o ESPÍRITO SANTO?” Atos 10:47. Assim cada cristão
verdadeiro passa a existir.
3.9 Somente JESUS pode iniciar alguém como Seu discípulo e não existe cristão verdadeiro que não tenha
sido verdadeiramente batizado no ESPÍRITO SANTO. “Assim, também, todos nós, judeus e não-judeus, escravos e
livres, fomos batizados pelo mesmo ESPÍRITO para formar um só corpo. E a todos nós foi dado de beber do mesmo
ESPÍRITO.” 1Co.12:13. NTLH.

www.arqueleucunha.blogspot.com 16 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE O BATISMO – SC, JUL DE 2009

3.10 JESUS “veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam. Mas a todos os que O receberam, aos que
crêem em Seu nome, lhes deu o poder de serem feitos filhos de DEUS, a saber, aos que crêem no Seu nome; os
quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de DEUS.” João 1:11-13.
Isso é o batismo de DEUS, de CRISTO, do ESPÍRITO SANTO. Quem foi batizado em DEUS, foi batizado em
JESUS, foi batizado no ESPÍRITO. Aí começa a nova vida, a vida eterna. “No último dia, o grande dia da festa,
levantou-se JESUS e exclamou: Se alguém tem sede, venha a Mim e beba. Quem crer em Mim, exatamente como
diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de Água Viva. Isto Ele disse com respeito ao ESPÍRITO que haviam de
receber os que nEle cressem; pois o ESPÍRITO até aquele momento não fora dado, porque JESUS não havia sido
ainda glorificado.” João 7:37-39.
3.11 Os abusos praticados em nome de JESUS pelos empresários da fé são tremenda vergonha e grande
escândalo para os cristãos. Como é assustadora a tolerância e passividade do povo! Estão embriagados com o
feitiço da falsa religião.
3.12 Esse negócio de alvo de batismo foi mais um dos embustes15 de Satanás e os cristãos por sua baixa
espiritualidade e pouco discernimento, fruto de negligenciar a prática de outras verdades reveladas no passado, caíram
na armadilha do diabo. Muitos se promoveram (fizeram do Evangelho um meio de vida) na obra de DEUS como os
mais irresponsáveis pais. Faziam filhos e mais filhos (batismos) incentivados pelas administrações religiosas, mas não
percebiam que a falta de estrutura para educar e criar esses novos conversos era destruidora. Eram apenas menos
um para o alvo e mais um para remar na galé, um contribuinte financeiro. Pode-se ver em quase todas as
organizações religiosas a realidade do que estamos falando. Os cristãos muito permissivos e despreparados para
barrar essa triste irresponsabilidade dos líderes religiosos, funcionam apenas como marionetes16 e patrocinadores de
todos os crimes e se tornam cúmplices desses pecados. Esses batizadores estão trabalhamos para o diabo e se
prostituindo a fim de fazerem números. A cristandade ainda vive em muitos aspectos na Idade das Trevas. Coam
mosquitos e engolem camelos.
3.13 Antes que alguém seja batizado na água, deve se tornar discípulo pelo batismo de JESUS, pelo
batismo no ESPÍRITO, deve se tornar nova criatura, sendo crucificado para o mundo e o mundo sendo
crucificado com seus pecados para ele. Caso não apresentem o fruto da nova vida serão cristãos doentes e
problemáticos. Terão vida dupla. O resultado é um cristianismo de homens, um cristianismo segundo a carne. Hoje
sofremos as conseqüências de um trabalho irresponsável do passado. Essa herança que muitos pastores nos legaram
tem um preço diante de DEUS.
4. SENTANDO NA CADEIRA DE DEUS
4.1 JESUS deu a Sua Igreja o alvo de pregar a toda criatura e o diabo deu à sua, o alvo de batizar tantos por
ano, depende do local. Alguns campos o alvo chega a ser de mil batismos/ano por pastor. Lá no Norte é assim onde as
pessoas são facilmente manipuladas pela artimanha dos empresários da fé. Fazem todo esforço para batizar alguém
em sua igreja e depois somem. As igrejas com seus pastores tomaram o lugar de CRISTO. Mudam o sentido
bíblico e estão virtualmente dizendo: “quem crer no evangelho da nossa igreja, e aceitar nosso voto batismal,
se submetendo a nossa autoridade como estando no lugar da autoridade de DEUS na Terra, e for batizado pelo
nosso pastor, então terão o nome no nosso registro de membro e pagando o santo dízimo (nosso mensalão de
10%) de todo dinheiro honesto ou desonesto que ganharem, serão salvos. Caso contrário estarão sob todas as
condenações da lei de Moisés e serão queimados no fogo do inferno.”
4.2 A Igreja de CRISTO não tem CNPJ, nem endereço na Terra, mas são dois ou três que estão em CRISTO
como corpo espiritual, como membros uns dos outros. Denominação religiosa é na verdade donominação
religiosa. São corporações de exploração e desigualdade, que dominam a consciência e a alma das pessoas.
Pergunta-se: “Você é batizado?” Responde-se: “Sim, fui batizado na igreja tal.” Ou, se pergunta: “De que igreja é
você?” Responde-se: “Sou da igreja tal.” Veja um resumo das igrejas dessa cidade:
NOME FALSO NOME VERDADEIRO
ASSEMBLÉIA DE DEUS ASSEMBLÉIA DE HOMENS
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ TESTEMUNHAS DA TORRE DE VIGIA
UNIVERSAL DO REINO DE DEUS UNIVERSAL DO REINO DE HOMENS
ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA EMPRESA ADVENTISTA DO SEXTO DIA
CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA CATÓLICA NÃO APOSTÓLICA, MAS ROMANA
DA GRAÇA DO PAGAMENTO
QUADRANGULAR DÁ DÁ DÁ DÁ
4.2.1 Para completar a lista não pode ser criativo, apenas realista. Se acha que estou exagerando em dizer que
são igrejas de homens, vá ao cartório e veja de quem é a assinatura. Verás que não é de JESUS. Quando vão
entender os homens o que é a Igreja de DEUS?! O Reino de JESUS não é deste mundo e nem dirão ele está aqui ou
ali, pois não tem visível aparência, mas está dentre os homens no coração.
4.3 Quando os cristãos forem libertos desse sutil engano serão batizadas não na igreja dá dá dá, respondendo que
foram batizadas na igreja tal, mas dirão cada um: “Fui batizado onde JESUS mandou. Fui batizado no Pai, no Filho e no
ESPÍRITO SANTO.” JESUS não mandou batizar na igreja, mas na água. Não em nome de qualquer igreja, mas no
nome do Pai, no nome do Filho, no nome do ESPÍRITO SANTO. Para as empresas religiosas o Pai, o Filho e o
ESPÍRITO não têm importância, mas o nome que defendem, a denominação. Denominação significa defesa de um
15
Embuste: Mentira astuciosa.
16
Marionetes: Boneco comandado pela mão escondida. Pessoa dependente, comandada por outra.
www.arqueleucunha.blogspot.com 17 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE O BATISMO – SC, JUL DE 2009

nome. Esse vem em primeiro lugar. Fizeram de JESUS um produto da prateleira do grande mercado que
montaram.
4.4 Que se levante entre os magistrados de nosso país homens justos capazes de impedir que as empresas do
terceiro setor usem o nome de DEUS em vão. Escondidas atrás do nome igreja essas empresas alavancam o mais
rentável negócio do mundo, através de um dízimo inventado que não passa de uma contribuição partidária ou
algo assim. Não é sem razão que se diz que política, futebol e religião não se discutem, pois os três têm o mesmo
princípio de existência, o coração do homem. É a luta pela dominação, pelo predomínio do mais forte, pela busca do
poder. É o homem sem a verdadeira religião, JESUS, que se manifesta na justiça social, no amor ao próximo, na
igualdade de privilégios e direitos, partindo do ponto que temos o mesmo pai.
4.5 Será que ainda precisaria dizer que alvo de batismo é pecado? Não só é pecado, como é um ato arrogante
contra DEUS. Virtualmente estão dizendo: “Tomei em minhas mãos a obra de DEUS. Disse para o ESPÍRITO, fique em
modo de espera e me assista. Veja quantos sou capaz de batizar esse ano.” Isso nunca vai mudar, pois essas
empresas religiosas estão dirigidas por princípios mundanos e diabólicos. Os que se arrependerem terão que
romper com o mal e clamar pelo perdão divino.
4.6 O verdadeiro alvo colocará as pessoas no verdadeiro lugar. Precisam entender e deixar DEUS ser DEUS.
Precisam confiar nAquele que batiza no ESPÍRITO. Precisam confiar na obra do ESPÍRITO. Disse JESUS: “São os
olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem
maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”
Mateus 6:22-23.
4.7 O alvo de alguém é seu olho. Ao ser fixado um objetivo, ali se colocam os olhos e esta visão influencia todo o
corpo, a vida como um todo. Líderes religiosos estão com os olhos em cima dos homens e do que eles
representam. Procuram membros para suas igrejas. Como guias do povo estão viajando no mar da grande cidade
(a religião criada pelo homem), enquanto procuram escravos remadores para suas galés (membros para suas
igrejas), que através de suas forças sustentem (10% de seus rendimentos) o navio (a igreja-empresa do terceiro
setor) viajando (crescimento da empresa religiosa), a fim de satisfazerem os anseios e ambições do piloto (os
chefes de pastores) e para conforto dos que viajam na parte de cima (pastores e funcionários das empresas
religiosas). Chegará o dia em que esses guias (bodes guias) vão chorar, gritar e vão jogar terra sobre a cabeça e
lamentar, porque cairá a grande cidade cujo mar foi o lugar de sua navegação. Ap.18:17-19. Era a fonte de todas as
suas riquezas e viveram com tantos benefícios enquanto os escravos das galés remavam (membros das igrejas),
jogando para cima suas forças (o dinheiro). Assim eles continuavam a viajar, pois os escravos os sustentavam.
Chegará o seu fim.
4.8 Ter alvo de batismo é viver um comportamento mundano, é estar em rebelião contra DEUS. É
repugnante17. É resultado direto de o homem ter se colocado no lugar de JESUS. Essa foi a janela. Daí o corpo ficou
em trevas. Colocando-se o homem no lugar de JESUS o pecado prevaleceu e o cristianismo mergulhou nas trevas.
Que grandes trevas! Todos os pecados que prevalecem são periféricos. Feche-se a porta da iniqüidade e o córrego de
vergonha secará. Restaurem o Cabeça e Guia e todo corpo será curado. Porém, estão tão acostumados na
escuridão do entendimento, tão apegados a seus partidos religiosos, que à mínima luz ofende as vistas. Estão
cumprindo a negativa profecia, mas quem se levantará para cumprir a positiva profecia?
4.9 “Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia ao Meu povo a sua
transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados. Mesmo neste estado, ainda Me procuram dia a dia, têm prazer em
saber os Meus caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do Seu DEUS, perguntam-Me pelos
direitos da justiça, têm prazer em se chegar a DEUS”. Isaías 58:1-2. Mas não percebem que estão longe no coração,
adorando DEUS apenas com os lábios. Mantendo uma forma religiosa e negando a piedade e caridade,
promovendo a desigualdade e praticando a injustiça. Essa forte repreensão é para os líderes religiosos, é para
seus pastores, para as Associações e Corporações religiosas. A esses diz o SENHOR: “soltem as ligaduras da
impiedade, desfaçam as ataduras da servidão, deixem livres os oprimidos e despedacem todo jugo”. “Também
repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te
escondas do teu semelhante”. Isaías 58:6-7. “Tire do teu meio todo o jugo, o dedo que ameaça o falar injurioso”.
“Abra a tua alma ao faminto e farte a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o
meio-dia.” Isaías 58:9-10. Assim “levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de
brechas e restaurador de caminhos”. Isaías 58:12.
4.10 A partir do momento que alguma organização religiosa ou algum ou padre ou pastor abandonar sua vida
secular de “empresário do Evangelho” e assumir a posição humilde e verdadeira de escravo do Evangelho, negando-
se a cada dia, descendo da cadeira de superioridade e privilégios, e se colocando em nível de irmão, repartindo
igualmente, removendo os títulos, empregos, posições, tendo os mesmos privilégios dos menos favorecidos, então
brotará justiça e a luz. Implorando ao SENHOR Ele ouvirá, e enviará verdadeiro poder que se sentirá na mensagem de
juízo e salvação que chegará a todo mundo. Todo cristão se tornará pedra viva na casa de DEUS, casa espiritual, como
sacerdotes de DEUS a oferecer sacrifícios espirituais, revelando ao mundo a multiforme sabedoria e amor de DEUS.
Todo corpo será luminoso e os erros e pecados serão reprovados, confessados e abandonados. Esses cristãos viverão
á expectativa do advento. DEUS em resposta enviará Seu ESPÍRITO como chuva serôdia para o amadurecimento final,
para a grande colheita da Terra.

17
Repugnante: Nojento.
www.arqueleucunha.blogspot.com 18 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
REUNIÃO DE ADORAÇÃO AO PAI CELESTIAL – SC, SET DE 2009

REUNIÃO DE ADORAÇÃO AO PAI CELESTIAL

1. ADORAÇÃO – Os motivos porque adoramos ao Pai Celestial são gratidão e santificação. Recebemos pela fé em
JESUS o dom do amor no ESPÍRITO como força geradora de adoração e santificação pela qual temos amor para com
DEUS por tudo que fez, faz e fará por nós e amor para com nosso semelhante, pois é alvo do tão grande amor celeste.
Buscamos a santificação em amor e gratidão para viver a plenitude em CRISTO e para aproximar nossos semelhantes
do ETERNO e do Seu CRISTO, a fim de que entrem em mais íntima comunhão sendo assim participantes da natureza
divina pelo ESPÍRITO.
1.1. O sinal da verdadeira adoração não é o serviço contemplativo e consumista dos parasitas que vivem
exclusivamente a forma religiosa, mas o viver JESUS na vida, o ser nova criatura. Viver JESUS na vida é viver em
piedade, e piedade é prática de boas obras feitas em amor, fruto de uma nova vida, fruto do ESPÍRITO que vive
nos filhos de DEUS.
1.1.1. “Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o ETERNO pede de ti: que pratiques a justiça, e
ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu DEUS.” Mq.6:8.
1.1.2. “De que Me serve a Mim a multidão de vossos sacrifícios? — diz o ETERNO. Estou farto dos holocaustos
de carneiros e da gordura de animais cevados e não Me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros,
nem de bodes.” Is.1:11.
1.1.3. “Porque nada falei a vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, nem lhes ordenei coisa alguma
acerca de holocaustos ou sacrifícios.” Jr.7:22.
1.1.4. “Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de DEUS, mais do que holocaustos.” Os.6:6.

2. ADORAÇÃO E SANTIFICAÇÃO EM SEGREDO – A prática da religião pessoal é a única que torna a adoração e
santificação em igreja legítima, atrativa e viva. É na adoração em segredo que se encontra santificação verdadeira,
verdadeira vida. Ali descobrimos os mais elevados princípios do relacionamento com Aquele que é superior e com os
nossos semelhantes. Ali descobrimos viver exclusivamente para honrar a DEUS e beneficiar a humanidade. Ficamos
absorvidos com dois objetivos: a felicidade de DEUS e a felicidade das pessoas.
2.1. “Assim como o Pai, que vive, Me enviou, e igualmente Eu vivo pelo Pai, também quem de Mim se alimenta por
Mim viverá.” Jo.6:57.
2.1.1. Devemos encontrar a vida verdadeira em CRISTO. É uma busca pessoal. Outro não pode se alimentar por
nós. Devemos ter fome e sede dEle e extrair pela fé pessoal Sua vida. Isso é diário, é contínuo. Nos
alimentamos diariamente para viver diariamente. Não há algo que substitua isso. Somente a busca pessoal,
intensa e diária será recompensada.
2.1.2. Viverá! – Eis a recompensa de quem busca em primeiro lugar o Reino de DEUS, cujo coração está
absorvido neste propósito. A vida verdadeira é desfrutada agora. Encontramos na secreta comunhão a paz de
DEUS que ultrapassa a todo entendimento. Todo homem ou mulher de DEUS é produzido no deserto da
comunhão. Ali nos encontramos pessoalmente com Aquele que é maravilhoso. É inegável quando alguém
passou no deserto da consagração.
2.1.3. Na intimidade com DEUS, na viva comunhão no ESPÍRITO, em CRISTO apresentamos mais que nosso
interior, apresentamos todo nosso “corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS, que é o” nosso “culto
racional.” Rm.12.1. “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é templo do ESPÍRITO SANTO, que está em vós, o
qual tendes da parte de DEUS, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora,
pois, glorificai a DEUS no vosso corpo.” 1Co.6:19-20.
2.1.4. Nossa vida cristã é derivada de JESUS e por tanto, vivemos vida autêntica e não meramente exterior.
Apresentamos em nosso corpo as marcas da verdadeira adoração, a identificação que estivemos com Ele.
Carregamos em nosso corpo o fruto da intimidade com DEUS. No corpo saímos do deserto, mas no deserto
fomos feitos fonte que jorra água viva.
2.2. “Não sigam o padrão do mundo, mas sejam transformados pela mudança completa da maneira de pensar, para
discernirem qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS.” Rm.12:2.
2.2.1. Longe de se amoldar, contemporizar ou conformar com o presente século com suas aparências e
costumes, buscamos a vida nEle, a reprodução do mundo eterno em nossa própria existência. Em nós DEUS
oferece uma carta ao mundo de uma nova Terra. Nossa busca intensa e sincera procura completa expressão
em uma vida humilde, distinta e modesta.
2.2.2. Em um mundo de intensas mudanças culturais, conceituais e comportamentais, buscamos intensamente
viver em transformação de nossa maneira de pensar acompanhando as revelações de DEUS e discernindo
Sua vontade para nossa vida pessoal. O ESPÍRITO está nos santificando como preparo para sermos colhidos
deste mundo condenado que não passa de uma aparência enganadora.

www.arqueleucunha.blogspot.com 19 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


REUNIÃO DE ADORAÇÃO AO PAI CELESTIAL – SC, SET DE 2009

2.2.3. Crescemos em discernimento na mesma proporção com que buscamos. Quanto maior for tua entrega,
maior será tua transformação. DEUS fará na proporção que você permitir. Você poderá ir tão longe quanto
outros foram, se tua entrega for tão longe quanto à deles. Entrega a ti mesmo totalmente ao SENHOR e verás
como o impossível é possível.
2.3. “A religião pura e sem mácula, para com o nosso DEUS e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas
tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.” Tg.1:27.
2.3.1. A adoração a DEUS se dá na vida prática e não em meras formalidades ou numa religião meramente
contemplativa. Isso é pessoal e não coletivo. Fomos colocados no mundo como testemunhas do amor de
DEUS. Nossa vida será diferença para os injustiçados. Veremos no rosto dos miseráveis o SENHOR. Aquele
que conheceu a religião de DEUS O adora quando lembra do esquecido irmão. É na piedade que a religião se
materializa. Ali soa o mais lindo canto, escorre a mais linda lágrima, ouve-se o mais poderoso sermão, se
realiza o mais maravilhoso milagre, presta-se verdadeiro culto a DEUS.
2.3.2. Quem vive a religião de DEUS será constante repreensão ao mundo e suas formas corruptas de religião. A
aparência do mundo é enganadora e as vantagens que foram dadas a muitos os denuncia como indignos de
riquezas verdadeiras. Fomos colocados nesta vida em caráter experimental. Não somos obrigados a viver se
não queremos. Findará o tempo da injustiça. Virá o tempo em que os aprovados receberão a riqueza
verdadeira, pois não guardaram silêncio. Homens e mulheres dos quais este mundo não era digno.
2.4. Se referindo aos irmãos JESUS disse: “a favor deles Eu Me santifico a Mim mesmo, para que eles também sejam
santificados na verdade.” Jo.17:19. Devemos encontrar o mesmo motivo em amor. Devemos buscar santidade a
favor das pessoas que amamos. “Por isso, restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos; e fazei
caminhos retos para os pés, para que não se extravie o que é manco; antes, seja curado.” Hb.12:12-13.

3. ADORAÇÃO E SANTIFICAÇÃO EM IGREJA – “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes,
façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” Hb.10:25.
3.1. Igreja é a experiência de adoração a DEUS e edificação mútua em santificação realizada quando duas ou três
pessoas regeneradas no ESPÍRITO se reúnem em CRISTO como membros umas das outras e são por Ele
pessoalmente conduzidas.
3.2. “Vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em ESPÍRITO e em verdade; porque
são estes que o Pai procura para Seus adoradores.” Jo.4:23. JESUS CRISTO inaugura a hora anunciada
profeticamente. Ele é a reforma prometida. NEle Os verdadeiros adoradores não estão limitados a tempo e a lugar,
nem a formas e cerimônias. Não estão submissas a qualquer autoridade religiosa e nem sujeitas a liderança de
homens.
3.2.1. O novo nascimento em CRISTO nos torna família de DEUS, não pertencentes ao velho sistema de coisas,
mas entramos no Reino de DEUS. Declarou “JESUS: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da
água e do ESPÍRITO não pode entrar no Reino de DEUS. O que é nascido da carne é carne; e o que é
nascido do ESPÍRITO é espírito.” Jo.3:5-6.
3.2.2. Passamos a ser novas criaturas em CRISTO por acreditar nEle e em Sua palavra. Assim não mais
pertencemos a essa criação condenada, pois “aquele que se une ao SENHOR é um espírito com Ele.”
1Co.6:17.
3.2.3. Como viventes do Reino de DEUS somos um espírito com JESUS e chegamos “ao monte Sião e à cidade
do DEUS vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembléia e igreja dos
primogênitos arrolados nos Céus, e a DEUS, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados, e a
JESUS, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão que fala coisas superiores ao que fala o
próprio Abel.” Hb.12:22-24.
3.3. “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou no meio deles.” Mt.18:20. – Eis a igreja de
CRISTO: sem placa, sem paredes, sem endereço, sem CNPJ, conta corrente, prédios e funcionários. A igreja de
CRISTO não tem distinção racial, sexual, de classes privilegiadas ou de títulos, mas todos são irmãos amados,
iguais em CRISTO.
3.4. Quando dois ou três se reúnem em igreja, profundo sentimento de adoração está em cada um. A alegria é fruto de
gratidão pelo reconhecimento da salvação de DEUS. O centro absorvente de toda atenção é DEUS. Nossas
conversas não se desviam para coisas comuns, mas permanecemos em reverência vendo o invisível, sabendo
que Ele está em nosso meio como prometeu. Evidenciamos crer assim por causa de nosso comportamento
respeitoso, atencioso, sensível e feliz. Desfrutamos a alegria do ESPÍRITO.
3.5. Cada um de nossos movimentos são expressões de adoração, de louvor e para edificação mútua. Não ficamos
alternando entre o comum e o sagrado, mas nos dedicamos em harmonia com a invocação que fizemos do
SENHOR em presença especial. Nossa conversa e pensamentos ficam cativos a CRISTO sem negarmos Sua
presença mudando nossas conversas e pensamentos para questões pessoais ou seculares.

www.arqueleucunha.blogspot.com 20 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


REUNIÃO DE ADORAÇÃO AO PAI CELESTIAL – SC, SET DE 2009

3.6. É nosso privilégio confessar JESUS como nosso único SENHOR e PASTOR. Nosso testemunho deve ser fruto de
nossa experiência com DEUS e com nossos semelhantes das maravilhas que temos experimentado a cada dia. É
uma ocasião para adorarmos a DEUS e edificar a quem nos houve.
3.7. “Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades. A vossa palavra seja sempre
agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.” Cl.4:5-6. Movidos pelo
ESPÍRITO e em sinceridade estaremos atentos a voz de JESUS nos chamando para testemunhar em sabedoria
para os de fora. Há muitos que estarão conosco, mas não vivendo a experiência de igreja. Através de nós JESUS
falará apelando ao coração através de nosso sincero testemunho da felicidade e paz que Ele nos deu.
3.7.1. Manifestaremos um porte alegre e sincera hospitalidade para com todos. O verdadeiro interesse na
felicidade daqueles que são de fora não será manchada com sentimentos falsos. Nossa alegria é recebê-los
como são. Em amor e bom trato serão convencidas que JESUS está em nosso meio como dizemos e
virtualmente serão convidadas a segui-Lo.
3.7.2. Qualquer tom de proselitismo não se fará ouvir. Não buscamos prender e explorar pessoas, mas levá-las a
CRISTO que a todos liberta. NEle as algemas são quebradas. A ordem que temos do Mestre é fazer
discípulos para Ele e não seguidores e escravos de homens. Longe de nós o fazer prosélitos nosso real
sentimento é o bem-estar de nossos semelhantes.
3.8. Movidos pelo ESPÍRITO a igreja adorará a DEUS guiada por seu Pastor JESUS “com elegância e ordem.”
1Co.14:40. Falaremos em sabedoria do ESPÍRITO e não em impulso da carne. O tempo certo e as palavras certas
serão usados para testificar que JESUS é nosso Pastor. Assim DEUS trará por nosso intermédio edificação aos
que ouvem.
3.8.1. Tudo que falamos ou fazemos deve partir de convicção do ESPÍRITO, caso contrário devemos calar. Não
podemos agir por impulso, até que nosso impulso seja fruto do ESPÍRITO. É na intimidade com DEUS que
seremos Seus condutos de luz tendo desenvolvida a sensibilidade para ouvir a voz de DEUS querendo se
manifestar através de nós. Seremos suas mãos e Sua voz para com nossos semelhantes.
3.8.2. É na busca íntima e diária que nos é revelada a convicção da fé pela qual somos preparados para
apresentar a DEUS nossa adoração que levará edificação a nossos irmãos quando estamos em igreja. Assim
“quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro,
interpretação. Seja tudo feito para edificação.” 1Co.14:26. O Pastor JESUS dirigirá a igreja em adoração cada
um conforme Ele quer.
3.8.2.1. Recebemos de JESUS a ordem para testemunhar. Não esperamos a autorização de algum
humano, mas JESUS é quem nos dirige em adoração ao Pai. Ele nos indica o tempo. Cada um que está
em harmonia com Ele agirá segundo Sua divina orientação. Ele tem um plano e Sua vontade é
percebida pelos que recebem a unção.
3.8.2.2. Despertos e sensíveis ouvimos a voz de nosso Pastor que nos fala interiormente. Estando
centrados em JESUS somos Seus instrumentos e como harpas em Suas mãos Ele tocará a mais
preciosa melodia.
3.8.3. “Habite, ricamente, em vós a palavra de CRISTO; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a
sabedoria, louvando a DEUS, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração. E
tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do SENHOR JESUS, dando por Ele
graças a DEUS Pai.” Cl.3:16-17.
3.8.3.1. É nosso privilégio diário garimpar as riquezas da Palavra que saiu da boca de JESUS e guardá-las
no baú de nossa alma. Assim estaremos enriquecidos para instrução e aconselhamento mútuos. DEUS
nos concede sabedoria para louvá-Lo e nos enche de alegria. Aprendemos a viver em nome do
SENHOR e em tudo sendo agradecidos.
3.9. “Chegando-vos para Ele, a Pedra que Vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com DEUS eleita e preciosa,
também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim
de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a DEUS por intermédio de JESUS CRISTO.” 1Pd.2:4-5.
3.9.1. DEUS não habita em casa feita por mãos humanas, mas tem uma casa espiritual na Terra, feita de pedras
vivas, onde cada pedra viva é sacerdote de DEUS. Como sacerdotes de DEUS temos sacrifícios espirituais
agradáveis para Lhe oferecer através de CRISTO quando nos reunimos em igreja. Preparamos esse sacrifício
ao nos achegar anteriormente em intimidade a Pedra que Vive. DEle obtemos vida e essa vida se manifesta
em nós.
3.9.2. Como pedras vivas falamos, testemunhamos e adoramos a DEUS, pois pedras mortas de um templo feito
por mãos humanos não podem adorar o Altíssimo, mas somente glorificar aos seus edificadores. A casa de
DEUS glorifica a Ele mesmo. Com o coração e a mente, cremos; com a boca confessamos e com as obras
testemunhamos. Todo cristão quando se reúne em igreja terá um sacrifício agradável a DEUS, a menos que
ainda seja pedra morta, a menos que ainda não tenha se achegado a Pedra Vivente.
3.9.3. Por nosso sacerdócio trazemos pessoas para DEUS e levamos Seu Evangelho às pessoas. Assumimos
nosso serviço sacerdotal e vivemos como sacerdotes de DEUS em santidade. Na vida diária, em nossos

www.arqueleucunha.blogspot.com 21 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


REUNIÃO DE ADORAÇÃO AO PAI CELESTIAL – SC, SET DE 2009

afazeres comuns, não tiramos nossa veste sacerdotal, mas permanecemos entre o Céu e a Terra, entre a
Vida e os mortos. O sacerdócio é igual para todos os cristãos. Nessa questão não há nem homem nem
mulher. Não há prioridade nem superioridade. JESUS é o único que Se ergue acima dos irmãos.

4. A GLÓRIA DE DEUS E EDIFICAÇÃO MÚTUA – “Exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama
Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado.” Hb.3:13.
4.1. Com os dons da graça de CRISTO derramados em Sua igreja estaremos capacitados para cuidar, alimentar,
proteger e guardar nosso irmão bem como ele a nós, pois temos um único DEUS “O qual é sobre todos, age por
meio de todos e está em todos.” Ef.4:6.
4.2. “Ora, o fim de todas as coisas está próximo; sede, portanto, criteriosos e sóbrios a bem das vossas orações.
Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados.
Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração. Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu,
como bons despenseiros da multiforme graça de DEUS. Se alguém fala, fale de acordo com os Oráculos de
DEUS; se alguém serve, faça-o na força que DEUS supre, para que, em todas as coisas, seja DEUS glorificado,
por meio de JESUS CRISTO, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!” 1Pd.4:7-
11.
4.2.1. Aqui estamos para glorificar a DEUS. Devemos agir em conformidade com as orações. Nossa marca
registrada que exalta ao Pai é o amor. “Nisto todos conhecerão que vocês são Meus discípulos: se tiverdes
amor uns aos outros.” Jo.13:35. Como perdoado que fomos, perdoaremos.
4.2.2. A hospitalidade sincera saúda com alegria. Uma saudação sincera de um “bom dia”, ou “seja bem-vindo a
minha casa”; “que alegria tê-lo aqui”; “sua presença nos trás alegria”; “espero recebê-los no próximo
encontro”; “aqui você é sempre bem-vindo”; palavras ditas em verdade e sinceridade, com alegria de amor,
marcam nosso relacionamento para sempre.
4.2.3. Não privaremos nossos irmãos de nosso serviço de amor, pois foi para isso que JESUS deu dons para Sua
igreja. Não para nos colocar acima dos irmãos, mas abaixo deles como servos, como o próprio CRISTO que
veio para servir. Quantas maiores forem nossas capacidades, mais baixo desceremos em serviço.
4.2.4. DEUS é roubado da glória que Lhe é devida quando homens usam Seus dons para se estabelecerem
acima dos irmãos, ou mesmo tiram vantagens sobre outros. Tornam os homens escravos de si mesmos e
criam classes sociais e de posições em uma pirâmide de dominação como no mundo. Desprezam o único
SENHOR e assumem eles a autoridade.
4.2.5. JESUS sendo rico Se fez pobre para enriquecer a muitos. Muitos, porém, ficaram ricos para si mesmos e
não passaram a diante “como bons despenseiros da multiforme graça de DEUS.” O que DEUS fez por nós,
devemos nós fazer pelos outros. “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós
também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.” Mt.7:12.
4.2.6. Os oráculos de DEUS, isto é, a Palavra que sai de Sua boca, deve ser nossa única norma, manual e
profecia. Nela edificados, firmados e fundamentados permanecem os filhos de DEUS com aquilo que é
eterno, pois tudo passa, mas a Palavra do nosso DEUS permanece para sempre e conserva o que nela crê. A
palavra de DEUS não se originou em nós, mas nos gera como filhos amados.
4.2.7. O governo está em Sua mão e Ele jamais a qualquer concedeu. Nos garante dons de serviço, pois destruiu
o cativeiro e fez os homens livres, a saber os que crêem nEle, os que fizeram dEle seu Pastor. Estamos
contentes em ser irmãos, ovelhas iguais, Seus escravos fiéis. A nenhum homem devemos nos submeter
como tendo autoridade espiritual ou religiosa, pois JESUS é nosso Pastor. JESUS é nosso único
conquistador. A Ele é o domínio da igreja no Céu e na Terra para sempre. Amém e amém!

www.arqueleucunha.blogspot.com 22 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


VOCÊ É UM CRISTÃO? – SC, JUL DE 2009

VOCÊ É UM CRISTÃO?

O que é ser cristão? É seguir a JESUS, ser possuído de Seu ESPÍRITO vivendo Suas obras e piedade. Isso
significa aceitá-Lo como verdade única, definitiva e absoluta, estando completamente submisso a Sua doutrina, cujo
ensino é inseparável dEle e, portanto Seu ensino é verdade definitiva, absoluta e soberana. JESUS e Seus ensinos são
as revelações final, absoluta, dinâmica, definitiva e completa de DEUS, Seu caráter, doutrina, verdade e vontade para o
homem. Ser cristão não é simplesmente ter concordância exterior e aceitação puramente teórica dos ensinos de
JESUS, mas vivê-los como resultado da nova vida implantada no ser, vida que recebe todo aquele que nEle crê.
Assim fica estabelecido um padrão único e invariável que nos guarda de qualquer desvio da verdade: “Todo
aquele que ultrapassa a doutrina de CRISTO e nela não permanece não tem DEUS; o que permanece na doutrina,
esse tem tanto o Pai como o Filho.” 2 João 1:9. Isso significa não ir além do que JESUS ensinou para Seus seguidores.
Nem João, nem Pedro, nem Apolo, nem Paulo devem ser seguidos. Assim CRISTO estaria dividido e Seu evangelho
passaria a ser o Evangelho de Paulo, a verdade de João, a doutrina de Pedro, etc. Daí surgiria tantas divisões dentre
os seguidores de CRISTO que nem Seus seguidores seriam mais. Devemos nos concentrar em CRISTO somente e em
Seus ensinos. Fisiologicamente o homem foi criado com capacidade de olhar unicamente para um lugar, percebendo
uma realidade de cada vez. Assim também o é espiritualmente, não podemos olhar para a criatura e para o Criador ao
mesmo tempo, por isso devemos permanecer “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, JESUS, o qual,
em troca da alegria que Lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à
destra do trono de DEUS.” Hebreus 12:2.
Há muitos que se desviam do caminho e seguem o homem em lugar de seguir a DEUS. “Refiro-me ao fato de
cada um de vós dizerdes: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de CRISTO. Acaso, CRISTO está
dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo? Dou graças a
DEUS porque a nenhum de vós batizei, exceto Crispo e Gaio; para que ninguém diga que fostes batizados em meu
nome.” 1 Coríntios 1:12-15. Está estabelecido de forma definitiva que temos que seguir as Palavras de CRISTO
unicamente se queremos ser contados como Seus discípulos, pois foi Ele quem morreu por nós e não Paulo, nem
Pedro, nem João, nem Apolo. “Disse, pois, JESUS aos judeus que haviam crido nEle: Se vós permanecerdes na Minha
palavra, sois verdadeiramente Meus discípulos;” João 8:31. Essa é a norma, esse é o critério. As palavras dadas à
humanidade pela boca de CRISTO são as únicas que podem fazer de homens discípulos. No juízo serão padrão de
julgamento: “Quem Me rejeita e não recebe as Minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho
proferido, essa o julgará no último dia.” João 12:48. Por outro lado JESUS nos assegura: “Em verdade, em verdade vos
digo: quem ouve a Minha palavra e crê nAquele que Me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da
morte para a vida.” João 5:24.
Não podemos fazer a salvação depender da palavra de Paulo, de Pedro ou de João, ou mesmo de um anjo,
nem mesmo podemos considerá-las como motivo de condenação no juízo caso não as sigamos. Esse direito
arrogavam os fariseus e sacerdotes do tempo de JESUS, bem como líderes religiosos da atualidade. Será que alguém
ainda ousa dizer que a salvação ou condenação dependerá de seguir as orientações de uma ordem religiosa com suas
normas e seus credos? Do que depende a vida eterna? “Respondeu JESUS: Se alguém Me ama, guardará a Minha
palavra; e Meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.” João 14:23. Não é isso suficiente? Mudou
DEUS o critério? “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos
temos pregado, seja amaldiçoado. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá
além daquele que recebestes, seja amaldiçoado.” Gálatas 1:8-9. A única forma de sermos cristão bíblicos, ou seguidor
da Bíblia, ou povo da Bíblia, é não ir além de seus ensinos. Caso contrário, seguimos homens. “Se alguém ensina outra
doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor JESUS CRISTO e com o ensino segundo a piedade, é
enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação,
difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade,
supondo que a piedade é fonte de lucro.” 1 Timóteo 6:3-5.
Se temos profetas modernos ou grandes ensinadores cristãos, devemos olhar para eles como parte da “tão
grande nuvem de testemunhas” (Hb.12:1) que nos rodeiam e nos inspiram mais e mais a permanecer firmes na fé e
doutrina de JESUS, assim como foram firmes e fiéis até a morte de acordo com a verdade que conheceram, viveram e
ensinaram. Contudo não são seus ensinos dados para substituir a Palavra de DEUS, ou acrescentar novos
mandamentos, ou para melhorar a Escritura como se disso necessitasse, ou para concluir a Palavra de DEUS como se
estivesse faltando algo. “Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom;” 1Ts.5:20-21. Como
cristãos não podemos nos curvar perante qualquer autoridade religiosa e a seus credos e decisões eclesiásticas, mas
unicamente a JESUS CRISTO e a Suas declarações como se encontram na Palavra de DEUS. Ali podemos ouvir Sua
doce voz que nos chama com amor. Que não haja alguém que se coloque entre o pecador e JESUS! Deixem os
pecadores irem diretamente a Ele, sendo guiados por Ele unicamente. Oh! Quantos religiosos reclamam para si
autoridade espiritual em nome de DEUS amedrontando homens vacilantes para que creiam em DEUS, mas conforme
eles estabelecem?! Estão dominando sobre almas humanas e não querem perder seu domínio. Ensinando que caso
deixem de prestar honra a sua autoridade e se desliguem de seus líderes estarão assim se desligando do Céu! Quanta
distorção! Quanta injustiça! Quanto pavor! Quantas ameaças!
Unicamente creiam os pecadores nas palavras de JESUS que está “dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me
segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.” João 8:12. Por ventura para segui-Lo temos que seguir
a mais alguém? Seguir a um credo religioso? A alguma autoridade religiosa? A um concílio ou a normas de igrejas? Ao
seguir unicamente os ensinos de JESUS ainda se arriscaria alguém dizer que esse tal está em trevas?! Se daria isso só
porque não está submisso a alguma ordem religiosa ou a algum pastor?! Seriam essas ordens religiosas a Igreja de
CRISTO? Seriam seus pastores, pastores da Igreja de CRISTO? Palavras do “único Pastor”: “Ainda tenho outras
www.arqueleucunha.blogspot.com 23 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
VOCÊ É UM CRISTÃO? – SC, JUL DE 2009

ovelhas, não deste aprisco; a Mim Me convém conduzi-las; elas ouvirão a Minha voz; então, haverá um rebanho e Um
Pastor.” Ecles.12:11; João 10:16. Essas instituições religiosas com seus pastores estão estorvando esse propósito
divino. As ovelhas de CRISTO são conduzidas por Ele unicamente e não pelas decisões religiosas; as ovelhas de
JESUS ouvem somente Sua voz e nenhum valor darão a qualquer que queira exercer autoridade sobre elas; no
rebanho do SENHOR todos são ovelhas, e a única voz de comando entre elas é a do único Pastor. Caso alguma
ovelha queira comandar, demonstra não ser das ovelhas de CRISTO, mas de ovelha quer ocupar a cadeira de pastor,
de CRISTO. Tais pastores são mercenários, pois nas palavras de CRISTO em João 10, para ser pastor das ovelhas
tem que ser dono delas. “A quem não pertencem as ovelhas” é “o mercenário, que não é pastor”. João 10:12.
Hoje JESUS tem Seu rebanho, está conduzindo Suas ovelhas e elas estão saindo dos apriscos para o pasto
verdejante. A cada dia esse rebanho está crescendo. Mais e mais homens estão aceitando a JESUS como seu único
Pastor, seguindo unicamente Sua voz, se curvando somente diante de Sua autoridade, olhando para os outros como
seus iguais e não como superiores diante de quem tem que prestar reverência. Vejo homens fortes assenhoreando-se
de homens fracos, exercendo autoridade sobre esses que querem seguir a CRISTO, transformando-os em escravos,
estorvando homens de conhecer Aquele que é maravilhoso!
Aqueles que tinham aprendido de perto os ensinos do SENHOR, receberam a última ordem e “JESUS,
aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de
todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do ESPÍRITO SANTO; ensinando-os a guardar todas as
coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mateus 28:18-
20. A autoridade é de JESUS, só dEle e esta não dividiu com qualquer mortal. Aos Seus seguidores não foi autorizado
estabelecer qualquer mandamento ou doutrina ou de exercerem qualquer autoridade sobre os homens ou sua fé.
Simplesmente deveriam reproduzir os ensinos de JESUS. Esta ordem de CRISTO exclui qualquer autoridade humana e
exclui também qualquer ensino que não seja o que já foi dado. JESUS disse que eles deveriam ensinar Suas ordens, o
que disso passar não tem o selo da autoridade divina, mas somente o selo da autoridade humana. Segundo a norma
estabelecida pelo Único Cabeça da Igreja foi que João, o amado, declarou: “Amados, não vos escrevo mandamento
novo, senão mandamento antigo, o qual, desde o princípio, tivestes. Esse mandamento antigo é a palavra que
ouvistes.” 1 João 2:7. Devemos voltar para a Bíblia e para Aquele de quem tanto nos afastamos! Devemos escolher a
vida simples do Evangelho imitando assim a vida dAquele que dizemos ser nosso SENHOR. Assim, que mais poderia
testemunhar ou dizer que ainda não tenha sido dito? Irmãos, “por nosso exemplo aprendais isto: não ultrapasseis o que
está escrito”. 1 Cor.4:6.
Ellen White foi uma profeta. DEUS Se manifestou através dela dando conselhos sábios ao povo que veio a ser
conhecido como adventistas. Mesmo em vida seus ensinos foram mal interpretados. Para certo homem inconveniente
escreveu ela: "Se a irmã White tem alguma coisa a dizer, deixai-a dizê-la. Ninguém é chamado a ser porta-voz da irmã
White. ... Tende a bondade de deixar a irmã White apresentar sua própria mensagem. Ela virá com mais graça da parte
dela do que de alguém que a cite. Manuscrito 21, 1901." ME, Vol.1, p.44,45. Esse conselho se aplica muito bem a
qualquer autor e em qualquer tempo. Os maiores porta-vozes de EGW são os administradores da igreja adventista.
Eles resumiram as cem mil páginas que ela escreveu em apenas dois parágrafos. O primeiro: que eles, os
administradores, quando em assembléia, são a voz de DEUS na Terra e todos devem se submeter as suas decisões
como se fosse ao próprio DEUS. O segundo é conseqüência do primeiro: todos devem entregar no mínimo a décima
parte de todo o seu dinheiro para que eles administrem e possam administrar. Quem assim não fizer estará roubando a
DEUS. Ficará sob maldição divina e perderá a salvação. Quanto aos outros escritos de EGW, os administradores da
IASD “deixaram nas mãos de DEUS”, “são conselhos”. “Fazem parte da santificação”. “Com o tempo vão pondo em
prática”. “Não devemos fazer disso um ponto de comunhão”. “Segue quem quer.” Assim seguem suas infinitas
justificativas. Para convencer a todos os que não guardam o santo sábado, os adventistas citam muito Tiago 2:10:
“Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.” Tiago 2:10. Daí
concluem que dez mandamentos menos um é igual a zero. Os nove perdem a validade quando se quebra um. Será
que isso se aplica também aos escritos de EGW para os próprios adventistas? Estão condenando a si mesmos os que
se fiam de EGW, pois colocam sua palavra como norma, mas estão irremediavelmente longes da norma. Por isso são
culpados de todos.
Com significado amplamente distorcido de Ml.3:10, os administradores da IASD oficializaram em seu livro
secreto, chamado de praxes: "A casa do tesouro. O dízimo é do Senhor, e deve ser devolvido à casa do tesouro, à
tesouraria da associação." – Regulamentos Eclesiástico-Administrativos da DSA 1998 – V 12 05 4. É a mais distorcida
interpretação de um texto bíblico que já vi em toda minha vida. Será que a Escritura em Malaquias 3:10 em sua pureza
concorda com a interpretação que as contas bancárias das Associações da IASD são a casa do tesouro de DEUS?
1. O dízimo a que Malaquias se refere era alimento e nunca foi dinheiro. Quando passou a ser dinheiro? Depois
que JESUS morreu? Se foi, onde estava profetizado? Se não estava profetizado, onde JESUS ensinou essa nova
verdade? Se Ele não ensinou, pelo menos praticou? Se não praticou, pelo menos alguma apóstolo ensinou ou
praticou? Alguma igreja quem sabe?!
2. A casa do tesouro nada mais é do que os depósitos do antigo Templo onde eram estocados os mantimentos que
visavam alimentar os sacerdotes, órfãos, viúvas, estrangeiros, os que davam os dízimos e toda sua casa.
3. Tanto o Templo, quanto os dízimos, que eram alimentos, o sacerdócio, a circuncisão, os sacrifícios, os rituais, os
sete sábados, “tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém a realidade” chegou em CRISTO.
Cl.2:17. Esse sacerdócio, com os dízimos, com o Templo e sua adoração, era a lei cerimonial que “foi adicionada por
causa das transgressões, até que viesse O descendente a quem se fez a promessa,” “até ao tempo oportuno de
reforma.” Gl.3:19; Hb.9:10. Vindo JESUS removeu tudo isso “que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial,
removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz”. Cl.2:14.

www.arqueleucunha.blogspot.com 24 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


VOCÊ É UM CRISTÃO? – SC, JUL DE 2009

4. A lei levítica com o sacerdote, os dízimos que os sustentavam, a circuncisão, sinal desta aliança, o Templo, que
era chamada casa de Oração, casa de DEUS, um lugar físico para adoração, os ritos e sacrifícios, tudo isso “serviu de
aio para nos conduzir a CRISTO, a fim de que fôssemos justificados por fé.” E “tendo vindo a fé, já não permanecemos
subordinados ao aio.” Gl.3:24. Assim seu Templo construído por mãos humanas, o sacerdócio carnal, imperfeito e
mortal, os dízimos que os sustentava com comidas, as bebidas, as abluções e toda sorte de rituais, constituíam a lei
cerimonial que foi sistematizada através de Moisés “quatrocentos e trinta anos depois” de Abraão. Gálatas 3:24. E era
“sombra dos bens vindouros”, “os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e
bebidas, e diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma”, “porque é impossível que o sangue de
touros e de bodes remova pecados.” Hb.10:1; 9:10; 10:4. Por isso JESUS “aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos
na forma de ordenanças,” “tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o
qual nos era prejudicial, removeu- o inteiramente, encravando-o na cruz”. Efésios 2:15, Colossenses 2:14.
5. Por que JESUS não viveu dos dízimos? Por que os apóstolos de CRISTO não viveram dos dízimos do povo?
Por que eles não ensinaram os cristãos a dizimar? Por que não há pelo menos uma igreja no Novo Testamente que
tenha praticado o dízimo? É porque “quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei.”
Hb.7:12. Se “a perfeição houvera sido mediante o sacerdócio levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), que
necessidade haveria ainda de que se levantasse outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não
fosse contado segundo a ordem de Arão?” Hb.7:11. “Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa
de sua fraqueza e inutilidade”. Hb.7:18.
6. Quando alguns irmãos do passado quiseram tornar algum ensino da lei cerimonial obrigatório para os cristãos,
dizendo que era “necessário circuncidá-los e determinar-lhes que observem a lei de Moisés” (Atos 15:5), pois é dessa
lei que fala Malaquias (Ml.4:4), então concluíram mesmo que se assim não fizessem, não seriam salvos. At.15.1. Está a
salvação, a bênção ou a maldição sobre os que não observam a lei? É com medo da maldição que muitos entregam a
décima parte de seus salários para as contas bancárias das Associações religiosas? São amedrontados com ameaças
de maldição e ameaçados de perderem a salvação. Tudo se reproduz hoje e o que era já foi. Não tem nada novo nesta
questão. Finalmente concluíram os apóstolos sobre o que seria válido das leis levíticas. Apóstolos de CRISTO que
decisão vocês tomara? “Pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas
essenciais: que vos abstenhais das coisas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados
e das relações sexuais ilícitas; destas coisas fareis bem se vos guardardes. Saúde.” At.15:28-29. Não tem circuncisão,
nem lugar fixo de adoração, nem sacerdócio, nem dízimos a que os cristãos tenham que se submeter.
7. Mas se alguém ensina essas coisas, qualquer parte das antigas leis do sacerdócio antigo, é porque “os sentidos
deles se embotaram. Pois até ao dia de hoje, quando fazem a leitura da antiga aliança, o mesmo véu permanece, não
lhes sendo revelado que, em CRISTO, é removido. Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o
coração deles. Quando, porém, algum deles se converte ao Senhor, o véu lhe é retirado. Ora, o Senhor é o ESPÍRITO;
e, onde está o ESPÍRITO do Senhor, aí há liberdade.” 2Co.3:14-17.
8. Ainda se alguém insiste em fazer a bênção depender da prática cerimonial dos dízimos, que é uma lei levítica e
que não passa de alimentos e foi engenhosamente transformada em dinheiro, contudo nós “pelo contrário, rejeitamos
as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de DEUS; antes,
nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de DEUS, pela manifestação da verdade.” 2Cr.4:2.
9. Adulterando a Palavra astuciosamente fizeram o dízimo virar dinheiro e o tornaram um requisito de bênção ou
maldição para os cristãos. Porém “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está
escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las.” Gl.3:10.
Se alguém quer restaurar a lei dos dízimos terá que restaurar tudo mais que a lei cerimonial o diz, como sacerdócio,
templo, circuncisão, sacrifícios, rituais, os sete sábados cerimônias, etc. Se a bênção e “a justiça é mediante a lei,
segue-se que morreu CRISTO em vão.” Gl.2:21.
10. “De CRISTO vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes. Porque nós, pelo
ESPÍRITO, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé. Porque, em CRISTO JESUS, nem a circuncisão,
nem a incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor. Vós corríeis bem; quem vos impediu de
continuardes a obedecer à verdade?” Gl.5:4-7. A circuncisão era para os judeus o que o dízimo se tornou hoje para as
ordens religiosas com aqueles que conseguiram dominar. Deveriam contudo mudar o nome para imposto religioso,
tributo religioso, mensalão ou qualquer outro nome, mas não dízimo, pois dízimo é uma lei cerimonial do sacerdócio
levítico da lei de Moisés, pertencente a um sacerdócio imperfeito e provisório de um templo feito por mãos humanas
cujos serviços foram abolidos. O dízimo de hoje não é o dízimo bíblico, e assim não pode ser chamado. É como o
batismo praticado com um pouco de água na cabeça. É chamado mundialmente de batismo, mas não pode ser
chamado de batismo, pois batismo na Bíblia é a prática de mergulhar em água. Tanto a palavra batismo como dízimo
está com o sentido corrompido, fazendo a Bíblia dizer o que ela nunca disse.
11. Quanto a Palavra de DEUS está estabelecido entre os cristão que se alguém “fizer qualquer acréscimo, DEUS
lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro;” Ap.22:18. “Não ultrapasseis o que está escrito”. 1Cr.4:6. “Nada
acrescentes às Suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.” Pv.30:6. Assim disse JESUS:
“em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.” Mt.15:9. E arremata: “Toda planta que meu
Pai celestial não plantou será arrancada.” Mt.15:13.
12. Por força de tradição os religiosos de hoje terão muita dificuldade de se livrar da dominação a que estão
sujeitos com seus ensinos, dogmas e decisões eclesiásticas.
13. A cobrança de dízimos de dinheiro por parte da igreja se dá na época medieval e está sustentada no
pensamento de que a igreja tem soberania fiscal, pois é uma sociedade juridicamente perfeita e goza igualdade com o
Estado. O direito de exigir dos fiéis tributos não vem de qualquer lei do NT, mas unicamente da convicção medieval que

www.arqueleucunha.blogspot.com 25 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


VOCÊ É UM CRISTÃO? – SC, JUL DE 2009

a igreja governa sobre as pessoas. Assim tanto a igreja como o Estado são um poder soberano de dominação sobre os
bens privados dos fiéis e súditos. O imposto como um dízimo é um ato de soberania temporal por parte da igreja
segundo o conceito medieval. Aqui tanto o termo igreja quanto dízimos estão corrompidos. Nesse sentido igreja nada
mais é do que o Estado clerocrático, i e, governo do clero. É uma corrupção da teocracia, i e, governo de DEUS. Então
a soberania religiosa investida com autoridade divina dá a seu líder humano ou ao conjunto deles, prerrogativas divinas
como no antigo Egito ou como na Roma dos Césars! Os elementos essenciais para que o clero vivesse dos impostos
do povo criados com o nome de dízimos são: 1. A existência de um poder soberano jurisdicional; 2. O grupo de sujeitos
passivos submetidos a tal jurisdição; 3. O vínculo de prestação patrimonial entre os sujeitos passivos e a soberania. Foi
assim que surgiu a idéia. Uma idéia que tornou o clero, líderes religiosos, a classe rica e exploradora na idade medieval
e que é preservada com muito zelo pelos líderes religiosos de hoje, que praticam a mesma clerocracia. Ver História
Eclesiástica, Grande Enciclopédia Rialp.
É, temos muito a prender e muito a desaprender! A reforma iniciada há séculos não acabou e deve continuar
até o fim, porque “a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O
caminho dos perversos é como a escuridão; nem sabem eles em que tropeçam.” Pv.4:18-19.
Veja-se agora um pouco sobre EGW, seu comportamento em relação com a igreja e suas declarações:
EGW não acreditava que as contas bancárias das Associações da IASD eram a casa do tesouro. Mas se
alguém disser que acreditava então terá que acusá-la de roubo. Longos anos da vida não remeteu para a Associação
seus recursos e nem seus dízimos. Leia a carta que escreveu dez anos antes de sua morte para um presidente de
associação:
“Mountain View, Califórnia, 22 de Janeiro de 1905.
“Meu irmão, desejo dizer a você: Seja cuidadoso com o modo como age. Você não está agindo sabiamente.
Quanto menos você falar sobre o dízimo que é destinado para o mais necessitado e aos Campos mais carentes no
mundo, mais sensível você será.
“Durante anos tem sido mostrado a mim que meu dízimo deveria ser remetido para ajudar os ministros
brancos e negros que eram negligenciados e não recebiam o suficiente, necessário para sustentar a família. Quando
minha atenção se voltava para os ministros idosos, brancos ou negros, era minha especial tarefa investigar suas
carências e suprir suas necessidades. Esta deveria ser minha obra especial, e tenho feito isto em inúmeros casos.
Nenhum homem deveria dar notoriedade ao fato de que em ocasiões especiais o dízimo é usado desta maneira.
“Com respeito à obra com os negros no Sul, aquele Campo foi e ainda está sendo roubado dos meios que
deveriam chegar até seus obreiros. Se têm existido casos nos quais nossas irmãs têm destinado seus dízimos para o
sustento de ministros que trabalham por pessoas negras no Sul, conserve-se cada homem, se for sábio, calado.
“Tenho destinado meu dízimo para os casos mais necessitados que são trazidos ao meu conhecimento. Fui
instruída a fazer assim; e como o dinheiro não é retirado da tesouraria do Senhor, não é um assunto que deveria ser
acompanhado por comentários, pois tornaria necessário meu envolvimento com essas coisas, o que não desejo
fazê-lo, porque não é o melhor.
“Alguns casos têm sido mantidos diante de mim durante anos, e tenho suprido suas necessidades do dízimo,
conforme DEUS me instruiu a fazer. E se qualquer pessoa me disser: Irmã White, você poderá destinar o meu
dízimo para onde você sabe que ele será mais necessário, eu direi: Sim, farei; e tenho agido assim. Elogio
essas irmãs que têm aplicado seu dízimo onde é mais necessário para ajudar a realizar uma obra que está
sendo negligenciada, e se a esse assunto for dado publicidade, fortalecerá um ponto de vista que seria melhor se
fosse deixado como está. Não tenho interesse em dar publicidade a essa obra que o Senhor me indicou realizar, e a
outros também.
“Envio-lhe essa explicação para que você não cometa um erro. As circunstâncias alteram os casos. Não
aconselharia ninguém a realizar uma prática de arrecadação do dinheiro do dízimo. Mas durante anos e ainda hoje, há
pessoas que perderam a confiança no método da aplicação do dízimo e têm colocado seu dízimo em minhas
mãos, e dito que se não o pegasse, eles mesmos o encaminhariam para as famílias de ministros mais carentes
que encontrassem. Tenho recebido o dinheiro, dado um recibo por ele, e dito a eles como foi aplicado.
“Escrevo-lhe considerando que isso o ajudará a se manter quieto em vez de provocar estardalhaço e dar
publicidade ao assunto, para que muitos outros não sigam seu exemplo.” Negrito acrescentado.
Se as pessoas se limitassem somente ao que JESUS ensinou, jamais haveria qualquer confusão. Quando cada
cristão se concentrar nas palavras de CRISTO unicamente, então a paz virá ao coração e toda questão estará
resolvida.
Falando sobre o assunto de sustento a pastores que não viviam de acordo com as normas estabelecidas e que
faziam assim mau uso do dinheiro dos dízimos, EGW escreveu: “Terríveis ais aguardam os que pregam a verdade, mas
não são por ela santificados, e também sobre os que consentem em receber e manter os não santificados para lhes
ministrar por palavra e doutrina. Sinto-me alarmada pelo povo de DEUS, o qual professa crer em solene e importante
verdade...” 1TS, 89.
“CRISTO diz o seguinte daqueles que se ufanam de sua luz, mas não andam nela: ‘Por isso Eu vos digo que
haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós outros. E tu, Cafarnaum [adventistas do sétimo
dia que tiveram grande luz], que te ergues até aos céus [com referência a privilégios], serás abatida até aos infernos;
porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje.’
Review and Herald, 1º de agosto de 1893.” EF, 43,44.
“Não devem os testemunhos da irmã White ser postos na dianteira. A Palavra de DEUS é a norma infalível.
Não devem os Testemunhos substituir a Palavra. Devem todos os crentes manifestar grande cautela no expor
www.arqueleucunha.blogspot.com 26 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
VOCÊ É UM CRISTÃO? – SC, JUL DE 2009

cuidadosamente estes assuntos, e calai sempre que houverdes dito o suficiente. Provem todos a própria atitude por
meio das Escrituras e fundamentem pela Palavra de DEUS revelada todo ponto que vindicam ser verdade. Carta 12,
1890.” Ev.256.
“Temos muitas lições a aprender, e muitas, muitas a desaprender. Unicamente DEUS e o Céu são infalíveis. Os
que pensam que nunca terão de desistir de um ponto de vista acariciado, nunca ter ocasião de mudar de opinião, serão
decepcionados. Enquanto nos apegarmos às próprias idéias e opiniões com determinada persistência, não podemos
ter a unidade pela qual CRISTO orou. Review and Herald, 26 de julho de 1892.” ME1.37.
“Com relação à infalibilidade, nunca a pretendi; unicamente DEUS é infalível. Sua palavra é a verdade, e não
há nEle mudança ou sombra de variação. Carta 10, 1895.” ME1.37.
“Sou instruída a dizer ao nosso povo: Sigamos a CRISTO. Não vos esqueçais de que Ele é quem deve ser em
tudo o nosso modelo. Podemos com segurança rejeitar as idéias que não se encontram em Seus ensinos.”
Testimonies, vol. 8, págs. 290-304, 1904. TS3.273.
“DEUS terá sobre a Terra um povo que mantenha a Bíblia, e a Bíblia só, como norma de todas as doutrinas e
base de todas as reformas”. GC.595.

www.arqueleucunha.blogspot.com 27 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

SOBRE OS DÍZIMOS

INTRODUÇÃO
A lei dos dízimos nunca foi dinheiro, mas sempre alimento e faz parte das leis cerimoniais abolidas por CRISTO
na cruz. Consistia de ordenanças da carne, comidas bebidas e abluções. Estava ligada ao sistema sacrifical e era uma
lei levítica. Deveria existir até ao tempo da reforma, quando JESUS viesse. Quando JESUS vem e morre na cruz, é
rasgado o véu do Santuário e todas as leis cerimônias encontram seu fim. Agora não há mais santuário na Terra, nem
Templo, nem sacerdócio levítico, nem lei de dízimos. Desde então nenhuma destas coisas faz parte do ensino de
JESUS CRISTO e nunca foi prática de qualquer um de Seus apóstolos ou discípulos.

CAPÍTULO 1
OS ÚNICOS DOIS TEXTOS DE GÊNESIS

1. O dízimo é praticado duas vezes em Gênesis. Em nenhum dos textos é ensinado ser uma prática dos
adoradores de DEUS ou se quer insinua que deva ser. Tampouco existia como lei de DEUS e nem estava sendo
constituída como uma lei para Seu Reino. A primeira aparece no capítulo 14 e a segunda no capítulo 28.

1.1 GÊNESIS 14 – ABRAÃO ENTREGA 100% DO DESPOJO DA GUERRA


1.1.1 Abraão entregou o dízimo diretamente a um homem. V.20. Para as organizações religiosas isso seria grande
pecado, pois o dinheiro teria que chegar à conta corrente da empresa religiosa. Abraão não é padrão para o tipo de
dízimo praticado pelas igrejas.
1.1.2 Não foi de seus pertences, mas dos pertences do rei de Sodoma que Abraão deu o dízimo. V.23.
1.1.3 Abraão era poderoso fazendeiro, possuidor de grande quantidade de animais e tinha muitos pastores que
cuidavam de seus gados, Gn13:6,7. Tinha centenas de servos nascidos em sua casa, e quando foi para a guerra “fez
sair trezentos e dezoito homens dos mais capazes, nascidos em sua casa,” tal era a prosperidade financeira desse
homem. Gn.14:14. Abraão era “muito rico; possuía gado, prata e ouro.” Gn.13:1. De seus pertences nunca deu dízimo
pra Melquisedeque nem pra qualquer pessoa. Fica evidente que ele não é a base para qualquer dizimista como
pretendem os líderes religiosos.
1.1.4 Os outros 90% Abraão devolveu ao rei de Sodoma, pois não lhes pertencia. V.24. Abraão fez questão de
entregar 100% de todo aquele recurso que havia conseguido na guerra. Mais uma vez não é padrão de qualquer forma
para os falsos dízimos de hoje.
1.1.5 Abraão jamais repetiu este ato. Deu o dízimo uma única vez e mesmo assim não foi de seus pertences.
Nunca fez isso segunda vez, nem muito menos foi doador sistemático como pretendem os pastores das igrejas,
exploradores do rebanho.
1.1.6 A Bíblia está contando um fato e não dizendo que devemos imitar. Se fosse assim poderíamos pensar que
podemos fazer um filho fora de nosso casamento como a Bíblia conta que Abraão fez. Ou que devemos fazer guerra
como ele fez.
1.1.7 Em nenhum lugar da Bíblia é dito que devemos dizimar como Abraão. E em nenhum lugar ele é citado como
exemplo de dizimista como faz os pregadores frívolos de hoje, ou os sinceramente enganados como fui até o ano
passado.
1.1.8 Ao entregar para o rei Melquisedeque 10% dos ganhos da guerra, Abraão estava sendo culturalmente
correto, pois era essa uma prática entre os religiosos fora do judaísmo, pois a religião de Israel ainda nem se quer
existia. Ao ler História Antiga descobrimos que fazia parte da cultura pagã, como no Egito, os sacerdotes viverem do
dízimo do povo. Certamente este Melquisedeque era um rei-sacerdote para a região e sempre que alguém vinha com
despojos de guerra deveria entregar 10%, visto que este reino sacerdotal não entrava na guerra, mas se dedicava a
intercessão junto à divindade.

1.2 GÊNESIS 28 – JACÓ FAZ UM VOTO A DEUS


1.2.1 Certamente Jacó cumpriu o seu voto, mas não sabemos como ele entregou pra DEUS os 10%. A Bíblia não
diz onde foi parar o recurso de 10% votado por Jacó.
1.2.2 Se alguém quiser imitar Jacó, será reprovado pelos pastores. Pois eles querem ver seus dízimos entrarem
nos relatórios deles. E se todo cristão fizer como Jacó?! Assim também se quisermos podemos votar entregar para
DEUS 10% do que ganhamos, mas como Jacó, ninguém ficará sabendo onde foi parar o dinheiro. Isso será motivo de
muita ansiedade para os zelosos defensores da pseudodoutrina do dízimo sagrado.
1.2.3 O fato de alguém votar algo pra DEUS não obriga que outros façam o mesmo. O voto de Jacó é obrigatório
pra ele e não pra você.
1.2.4 O dízimo não foi uma exigência que partiu de DEUS para Jacó, mas foi um ato voluntário que partiu de Jacó
para DEUS.

www.arqueleucunha.blogspot.com 28 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

1.2.5 Jacó daria o dízimo, não com a finalidade de ser abençoado, mas como resultado de ter sido abençoado.
Isso é bem diferente dos discursos que exploram os fiéis hoje em dia nas igrejas que freqüentam.
1.2.6 DEUS não está vendendo bênçãos, nem tampouco sendo sócio dos homens em seus negócios seculares. As
empresas religiosas iludem as pessoas com superstições do tipo: Se você der 10% do que ganha para DEUS, então
Ele derramará bênçãos sem medidas sobre você e sua família. Mais vale 9 com a bênção de DEUS, que 10 sem a Sua
bênção. Ao tirar 10% para DEUS seu dinheiro vai render mais.
1.2.7 Quando você não vai bem nos negócios então o lobo sagaz pergunta se você está em dias com DEUS! Isto
é, se você está dando 10% para os cofres da empresa religiosa. Dizem que aí está a causa do problema. Prometem
que se você for um dizimista fiel, então DEUS cumprirá Sua promessa. Assim iludem as pessoas com promessas de
prosperidade financeira para quem é fiel nos dízimos e toda sorte de maldições para os infiéis.
1.2.8 Esses discursos ridículos escondem a verdade que a grande maioria de todos os fiéis dizimistas é pobre e
nunca passaram a ganhar mais porque deram para o SENHOR. Se fosse como eles pregam, então esses pobres
dizimistas seriam todos ricos, mas continuam pobres. Isso é o cúmulo da estupidez religiosa que faz DEUS parecer um
pedinte miserável pronto a castigar os que não lhe pagam tributo. Como podem ainda esses ridículos pregadores
molestos criticar a inquisição praticada pelo clero religioso da Idade Média, quando eles mesmos estão vendendo
bênçãos e espalhando maldições para quem não as compra.
1.2.9 A Igreja Católica, considerada por todos evangélicos protestantes como a Babilônia e o Papa como a Besta,
já deram um passo à frente das demais igrejas: “O Papa Bento XVI extinguiu o termo "dízimos" do quinto Mandamento
da Igreja, conforme Compêndio do Catecismo da Igreja Católica por ele promulgado em 28 de junho de 2005 e
republicado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O Quinto Mandamento agora é assim: ‘Atender às
necessidades materiais da Igreja, cada qual segundo as próprias possibilidades’.” Citado na Wikipedia.org sob a
palavra dízimo.

CAPÍTULO 2

REGULAMENTAÇÃO DOS DÍZIMOS PARA O SANTUÁRIO NO DESERTO

2. Há somente cinco textos que fundamentam a lei dos dízimos e além deles não há outros. Após DEUS criar um
povo para Si, Ele escolhe uma das doze tribos de Israel para dedicar-se ao sacerdócio. Essa escolha se deu através de
Finéias que segundo Números 25 fez justiça ao matar um casal que profanou o nome de DEUS e assim reivindicou a
santidade de DEUS perante os israelitas. Mesmo assim, não deveria toda a tribo de Levi participar diretamente
realizando os rituais do santuário, mas somente a casa de Arão, irmão de Moisés. Aos levitas ficava a oportunidade de
servir a casa de seu irmão Arão. Desta forma o sacerdócio estava estabelecido junto com o santuário e com suas
obrigações especificadas pelo SENHOR e é determinada a forma de vida desse sacerdócio bem como seu sustento e
todas as leis que regem seu serviço de caráter figurativo, provisório, pois era cerimonial e apontava para a vinda de
CRISTO.

2.1 LEVÍTICO 27:30-34 – Após completar as instruções no livro de Levíticos, DEUS anuncia que a décima parte do
produto da terra é para Ele. Aqui não é feita qualquer especificação.
2.1.1 O décimo animal que passasse na contagem do pastor seria dado ao SENHOR como dízimo sem se importar
se era perfeito ou defeituoso. Neste caso não era uma porção igual. O dízimo que fala aqui não era o melhor, nem o
primeiro, mas o derradeiro.
2.1.2 Os pastores ensinam que o dízimo é a primeira parte e a melhor que devemos dar ao SENHOR. Vemos que
Levíticos não é nem de longe padrão para os falsos dízimos que exigem os pastores para a pregação dos seus
evangelhos.

2.2 NÚMEROS 18:19-32 – Aqui é feita a sistematização para todo o sacerdócio. Essa lei deveria permanecer como
inalterada durante os quarenta anos que Israel viveria peregrinando no deserto. Mais tarde, quando o povo tomasse
posse da terra prometida, então haveria uma mudança na lei dos dízimos. Essas mudanças seriam adaptações a nova
realidade. DEUS não tinha a finalidade de anular o que foi dito, mas acrescentar detalhes importantes. Desta forma
DEUS confirmaria esta lei de dízimos repetindo-a e ampliando suas aplicações e significado, o que faz através de Seu
profeta, Moisés, pois as circunstâncias iriam alterar os casos.
2.2.1 Ainda que toda tribo de Levi fosse dedicada ao sacerdócio, somente a família de Arão dentre toda a tribo,
teria o encargo do serviço das cerimônias do santuário. Os levitas assim serviam aos seus irmãos sacerdotes.
2.2.2 Arão e sua casa, casa sacerdotal, deveriam viver das ofertas. Essas ofertas eram comida e bebida que o
povo trazia voluntariamente para o ritual de adoração. V. 19.
2.2.3 Os levitas deveriam dedicar um dízimo de todos os dízimos que recebessem do povo para a casa de Arão. V.
26. Quem vivia dos dízimos diretamente, não eram os sacerdotes da casa de Arão, mas os demais levitas que serviam
em suas diferentes profissões.
2.2.4 O dízimo dos dízimos é chamado de oferta. V.26. Era portanto um centésimo.

www.arqueleucunha.blogspot.com 29 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

2.2.5 Arão e sua casa, que tinham o encargo exclusivo do sacerdócio (Nm.3:6-10) não viveriam dos dízimos do
povo, mas do centésimo do povo, que era o dízimo dos dízimos dos levitas, extraídos dos dízimos que eles recebiam
do povo. V. 28. Assim a família sacerdotal de Arão, vivia não do dízimo do povo, mas do centésimo do povo que era
10% dos 10% que recebiam os levitas do povo e que se chamava de oferta.
2.2.6 Mais uma vez vimos que o dízimo das igrejas é um falso dízimo, e não tem origem na Bíblia, pois os
sacerdotes viviam do centésimo do povo, i e, do dízimo dos dízimos. A entrada de dinheiro é tão grande que se os
pastores de hoje vivessem do centésimo, certamente isso não mudaria nada para eles, a não ser que seriam menos
pastores para mais ovelhas e menos peso administrativo para operar a injustificável máquina de exploração.
2.2.7 Arão e sua casa não poderiam ter qualquer propriedade. V. 20. Contudo deveriam ter casas próprias para
morar.
2.2.8 A tribo de Levi deveria viver dos dízimos. Esses dízimos também eram comida e bebida. V.21.
2.2.9 A tribo de Levi também não poderia ter qualquer propriedade. Contudo deveriam ter casas próprias para
morar.
2.2.10 Os dízimos são chamados de ofertas. V. 24. DEUS só é adorado através de algo voluntário. Quando não há
voluntariedade não há adoração.

2.2.11 Resumindo:

SACERDÓCIO GANHO EM ALIMENTOS RIQUEZAS


OFERTAS E O CENTÉSIMO DO POVO, NÃO PODERIAM TER
SACERDOTES
QUE ERA O DÍZIMO DOS LEVITAS PROPRIEDADES
NÃO PODERIAM TER
LEVITAS DÍZIMOS
PROPRIEDADES
NADA DE ALIMENTO, SÓ DINHEIRO E
QUANTAS PUDEREM ADQUIRIR.
10% DO SALÁRIO DOS IRMÃOS QUE SÃO
DEPENDE DA ORDEM RELIGIOSA QUE
OS VERDADEIROS SACERDOTES DE
SEGUEM, MAS DIFICILMENTE VAIS
PASTORES CRISTO. FORA AS OUTRAS INFINITAS
ENCONTRAR UM NA FILA DO SUS ÀS
OFERTAS QUE INVENTAM PARA
3h DA MADRUGADA TIRANDO FICHA
CONSEGUIREM DINHEIRO PARA
PRA SI, QUE DIRÁ PARA UM IRMÃO!
PREGAREM SEUS EVANGELHOS.

2.2.12 “Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma
ciência.” Rui Barbosa.
2.2.13 "A única coisa necessária para que o mal triunfe é os homens de bem não fazerem absolutamente nada.”
Edmund Burke.

CAPÍTULO 3

REGULAMENTAÇÃO DOS DÍZIMOS PARA O LUGAR FIXO DE ADORAÇÃO

3. Moisés está fazendo seus discursos finais. O povo vai entrar na terra de Canaã e se estabelecer como nação. A
partir desse ponto terá um lugar fixo de adoração. Com esse contexto em mente é que vão ser dados somente mais
três textos que completam a regulamentação dos dízimos. Esta é a elaboração da lei dos dízimos em sua segunda
fase. A primeira fase foi dos quarenta anos no deserto. A fase final é esta, onde os adoradores terão um lugar fixo para
adorar. Esse lugar fixo passa por fases diferentes, mas deveria ser regido pelas mesmas leis aqui ensinadas. A
primeira fase do lugar fixo de adoração era na Tenda. Depois de quinhentos anos viria a construção do Templo de
Salomão no lugar da Tenda. Esse Templo seria destruído quatrocentos anos depois. Finalmente seria reconstruído ao
fim de mais setenta anos e destruído de forma definitiva depois de mais quinhentos anos. Esse foi o ano setenta de
nossa era. Aproximadamente quarenta anos depois que JESUS foi crucificado. Até hoje não foi reconstruído o Templo.

3.1 DEUTERONÔMIO 12 – Depois de seguir Números 18 por quarenta anos, o povo de Israel conheceria ensinos
novos com respeito à adoração e sobre os dízimos. É uma repetição da lei dos dízimos com ampliações, ou seja, com
algumas novidades.
3.1.1 DEUS estabelece um lugar fixo e único para o serviço de adoração. V. 5,11. Este também é cerimonial e
simbólico. Deveria existir assim até JESUS. Na reforma trazida por CRISTO perde o valor de casa de DEUS quando o
véu do Templo se rasga.
3.1.2 Os dízimos não são propriedades exclusivas dos levitas. V. 17-19. Mais uma vez fica demonstrado que os
dízimos de hoje são uma invenção sem apoio das Escrituras. Os dízimos da Bíblia eram alimentos dos quais
participavam os próprios que dizimavam.

www.arqueleucunha.blogspot.com 30 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

3.1.3 Os dizimistas eram proibidos de comer os dízimos em suas cidades. V. 17. Os dizimistas poderiam comer os
dízimos, mas somente no lugar fixo de adoração.
3.1.4 Os dizimistas deveriam comer os dízimos juntos com suas casas, seus escravos e com os levitas no lugar de
adoração. V. 11. A diferença do dízimo da Bíblia com esse gigantesco esquema financeiro falsamente chamado de
dízimos é assustadora.

3.2. DEUTERONÔMIO 14:22-29


3.2.1 Caso o lugar de adoração for longe e ficar difícil transportar os dízimos, poderia se vender e levar o dinheiro.
Mas não deveria o dinheiro ser entregue para os levitas. V. 24, 25. Geralmente esse verso é usado pelos estudos
bíblicos que visam convencer as pessoas a trazerem os dízimos para as igrejas como se fosse dinheiro. Mas não lêem
o texto completo. Há muita distorção da Palavra de DEUS. O dinheiro existia, mas não era para ser entregue como um
dízimo, mas somente em forma de alimento. Outra vez, o dízimo da Bíblia não tem nada que ver com o dízimo das
igrejas.
3.2.2 Deveria o adorador ao chegar à cidade onde tinha o lugar de culto comprar com o dinheiro dos dízimos tudo
o que desejasse comer ou beber, mesmo que fosse bebida forte. V. 26. Já pensou se for pra seguir essa lei de
dízimos? Não há se quer qualquer paralelo para a prática dos falsos dízimos.
3.2.3 O dizimista deveria se alegrar na presença do SENHOR com toda sua casa e escravos, mas não deveria se
esquecer dos levitas. V. 27. Os levitas foram colocados por DEUS em condição de humildade bem diferente do que
pretendem os líderes religiosos da atualidade. Assim como os levitas humildes deveria viver os missionários de
qualquer tempo na história da Bíblia.
3.2.4 O adorador deveria ir com seu dízimo ao lugar de adoração no primeiro e no segundo anos, mas o terceiro
ano seria diferente. No terceiro ano os adoradores não deveriam ir ao lugar de culto com seus dízimos, mas deveriam
esperar em suas cidades com os dízimos. Então viriam os levitas a eles e não eles aos levitas. Nesse terceiro ano além
dos adoradores e dos levitas, todo necessitado e estrangeiro poderia se fartar dos dízimos. Através desta lei DEUS
ensinaria as pessoas a justiça, a misericórdia e a fé, que eram os preceitos mais importantes da lei dos dízimos.
3.2.5 O povo de DEUS iria constituir cidades, mas Ele estabeleceu o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva.
Como os sacerdotes estavam colocados por DEUS em colocação humilde, se cumpriria o propósito divino de que
enquanto houvesse devoção em Seu povo, haveria o cuidado dos pobres, pois entre os pobres estariam os sacerdotes
e levitas.
3.2.6 Tendo DEUS estabelecido com o povo o concerto levita e estabelecido o direito do pobre, pronunciou a
maldição para quem não cumprisse a palavra desta lei. “Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão
e da viúva. E todo o povo dirá: Amém!” Deuteronômio 27:19.

3.3 DEUTERONÔMIO 26:12-19 – Última instrução de DEUS através de Seu profeta, onde o povo é instado a não
esquecer da aplicação dos dízimos do terceiro ano que deveriam beneficiar aos necessitados. O povo é convocado a
fazer isso de coração sincero e em amor.
3.3.1 Aqui se finda a formulação legal dos dízimos. Está toda a lei regulamentada e nada se lhe pode acrescentar
ou tirar. Deve-se cumprir exatamente como está escrito, o que realmente não aconteceu pois cedo Israel se desviou
dos caminhos de DEUS e nunca se firmou na verdade.
3.3.2 De acordo com Malaquias, o último profeta do concerto cerimonial, essa lei dos dízimos nunca foi praticada
com justiça: “Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos Meus estatutos e não os guardastes”. Ml.3:7. Assim
surgiram as variantes e exageros da lei.
3.3.3 Através de Malaquias ainda apelou o SENHOR DEUS dizendo ao povo do concerto a se converter nesta
questão e condena especialmente os sacerdotes porque “se mostram parciais no aplicarem a lei.” Malaquias 2:9.
3.3.4 Baseado nas exigências do concerto DEUS lhes manda voltar para Ele, porque estão Lhe roubando, pois
“negam os direitos das viúvas, dos órfãos e dos estrangeiros que vivem com vocês.” Ml.3:5. A cegueira é tanta que
ainda perguntam: “Em que havemos de tornar?” Ml.3:7.
3.3.5 Malaquias diz que toda a nação de Israel estava amaldiçoada, com respeito ao não cumprimento da lei dos
dízimos, pois roubavam DEUS ao roubarem o direito dos pobres.
3.3.6 Os sacerdotes estavam amaldiçoados por ensinar errado ao povo (2:8,9) e o povo pela cumplicidade (3:9) em
não repreender os pecados dos líderes, pois na verdade o povo deveria se unir para amaldiçoar o sacerdócio corrupto,
conforme lhes fez jurar Moisés: “Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva. E todo o
povo dirá: Amém!” Deuteronômio 27:19. Isso o povo não fez. A conseqüência final do não cumprimento adequado da
lei de DEUS foi a final rejeição de JESUS CRISTO.
3.3.7 Quando há um pequeno desviou do que o SENHOR falou, isso leva a outro desvio maior e com o passar do
tempo um povo inteiro pode se corromper e se tornar tão cego que não vejam o que DEUS lhes tem mostrado com
tantos detalhes. Como fala meu sogro: “DEUS faz muito em mostrar!”

CAPÍTULO 4

REFLEXÕES
www.arqueleucunha.blogspot.com 31 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

4. Ao JESUS morrer, DEUS rasgou o véu do santuário terrestre. Daí pra frente todos os levitas estavam
“desempregados”, pois era um sacerdócio simbólico, e segundo a carne. Foi o caso de Barnabé, um levita, que vendeu
um terreno e entregou o valor aos apóstolos (At.4:36,37), que não eram homens da tribo de Levi, que não eram
sacerdotes segundo a lei. Caso a lei levita estivesse em vigor, os apóstolos teriam que separar a décima parte dos
produtos da terra para o levita Barnabé. Mas isso nunca fariam, pois nunca fizeram. Talvez porque eram pobres ou
porque não eram agricultores. Assim, apesar de CRISTO ter nascido no regime da lei cerimonial nem Ele nem Pedro,
João ou qualquer dos apóstolos praticaram a lei dos dízimos.
4.1 Com o dinheiro de sua propriedade vendida, Barnabé promoveu a igualdade entre os irmãos, pois a finalidade
era suprir os necessitados. Desta forma o dinheiro que tinham recebido os apóstolos “se distribuía a qualquer um à
medida que alguém tinha necessidade.” At.4:35.
4.2 O fato de ter sido entregue aos apóstolos é em virtude da visão pessoal que o doador tinha em entregar
diretamente aos homens que ele cria serem preparados para esta obra. Contudo ele estava acompanhando como o
dinheiro era empregado, à medida que alguém tinha necessidade. Não havia por parte dos ensinos de CRISTO
qualquer ordem para que os cristãos dessem dinheiro para Pedro e para os demais apóstolos, mesmo porque Pedro
jamais teve qualquer salário, bem como qualquer apóstolo.
4.3 O propósito de DEUS em sustentar o levita com os dízimos e o sacerdote com o dízimo dos levitas, lembrando
que dízimos nunca foi dinheiro, mas sempre alimento, era mantê-lo como um fiel símbolo de JESUS, o verdadeiro
sacerdote de nossa alma. Assim os sacerdotes levitas deveriam trabalhar pela comida. Também era proibido pela lei de
DEUS aos sacerdotes comprarem propriedades, ainda que tivessem direito a uma casa para morar. Desta forma eles
estariam em situação humilde cumprindo o propósito divino de serem símbolo dAquele que não tinha onde reclinar a
cabeça, JESUS, o Sacerdote verdadeiro, do qual eles eram figura.
4.4 Aqueles que se dedicam totalmente ao serviço do Mestre aceitam viver sem qualquer recurso deste mundo e
abrem mão de tudo que o mundo pode oferecer, inclusive títulos e salários bem como comodidades e vantagens, ou
qualquer segurança financeira e concordam com o conceito dos apóstolos “se temos comida e roupas, fiquemos
contentes com isso.” 1Tm.6:8 NTLH. Esse conceito foi dado para repreender os falsos ensinadores do Evangelho.
4.5 A recompensa daqueles que se dedicam totalmente como servos de CRISTO será dada pelo próprio JESUS
em Sua vinda. Quem trabalha com salário, já teve sua recompensa. Disse JESUS: “Ai de vós, os ricos! Porque tendes a
vossa consolação. Ai de vós, os que estais agora fartos! Porque vireis a ter fome. Ai de vós, os que agora rides! Porque
haveis de lamentar e chorar.” Lc.6:24-25. Devem os sinceros servos de CRISTO, os de tempo total, aqueles que
decidiram viver do Evangelho, abrir mão dos salários, dos planos de saúde, seguros de vida, das complicadas
vantagens financeiras e diversos auxílios financeiros que são o caixa dois, e viverem como o Mestre. Caso queiram ser
Seus íntimos seguidores, devem repartir seus caminhos com os pobres e sofredores deste mundo. Ousem viver pela fé
e mundo crerá em vossa pregação!
4.6 JESUS era Aquele “que, sendo rico, Se fez pobre por amor de” nós, “para que, pela Sua pobreza,” nos
tornássemos ricos.” 2 Coríntios 8:9. O dono, fundador, mantenedor e líder de toda religião judaica e cristã era pobre,
mas os que hoje pregam o Seu nome não aceitam viver como Ele, mas pelo Seu nome santo vivem como empresários
acima do rebanho.
4.7 Certo escriba, alguém bem conceituado na nação judaica, homem letrado e certamente qualificado nos
padrões mundanos, viu que negócio bom seria seguir JESUS como um de Seus apóstolos. Então se ofereceu para
segui-Lo: “Mestre, estou pronto a seguir o Senhor para qualquer lugar aonde o Senhor for!” Mateus 8:19. JESUS
estava ali pronto para impedir que qualquer bem intencionado “servo do evangelho” conseguisse alguma vantagem
sobre os irmãos. Uma espécie de emprego bem remunerado cheio de auxílios e privilégios! “JESUS lhe respondeu: As
raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.” Mateus
8:20. Seria como dizer ao jovem rico, “vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no Céu; depois, vem
e segue-Me.” Mateus 19:21. Interessante que esse chamado é rejeitado não somente pelo jovem rico, mas por tantos
líderes religiosos da atualidade, mas não rejeitam os títulos que lhes podem dar as faculdades a altos custos
financeiros, as casas que eles podem comprar com as economias de suas recompensas, os carros que podem adquirir
com os auxílios não gastos, etc.
4.8 JESUS veio para colocar as coisas na devida ordem e para libertar os cativos. Sua vida e ensinos reprovavam
constantemente a vida privilegiada dos líderes da igreja. Sua denúncia foi “não façais da casa de meu Pai casa de
negócio.” João 2:16. E que negócio fizeram em nome de DEUS! Torceram o ensino de JESUS, e afirmam que estão
vivendo do evangelho. Mas em verdade fizeram do Evangelho um meio de vida, em vez de viver dele, o que é bem
diferente. Todos os serviços, livros, DVDs, CDs, tudo que seja feito e leve o nome de CRISTO ou DEUS, deve ser
entregue de graça, porque “de graça recebestes, de graça dai.” Mateus 10:8. Com a ressalva de não dar aos cães o
que é santo. DEUS nos chamou para sermos testemunhas de JESUS e não mercadores do evangelho.
4.9 Deveriam os sacerdotes do sistema levítico viver em humildade servindo pelo sustento, ganhado comida e
casa dos irmãos, sendo desta forma um anúncio do CRISTO e de como Ele viveria entre os Seus. Lamentavelmente
houve grande perversão nos ensinos de DEUS. A verdade foi pervertida pelo homem. Quando JESUS veio a Terra
essa perversão tinha alcançado níveis muito altos de depravação. Ser um sacerdote nos dia de CRISTO era ser
alguém com poderes políticos, altos privilégios sociais, capacidades elevadas de domínio e exploração sobre os fiéis.
Estavam em posição de autoridade e mando sobre seus semelhantes. Tinham até a prerrogativa de julgar e condenar.
Eram os mais ricos dentre os irmãos. Enquanto isso o povo se tornava mais pobre, oprimido e escravizado num
pretexto que estavam sendo submissos a DEUS respeitando as autoridades que pensavam eles tinham sido

www.arqueleucunha.blogspot.com 32 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

constituídas por DEUS. É grande e assustadora a semelhança do Sinédrio com as Associações religiosas de hoje com
seus líderes.
4.10 JESUS os chamou de mercenários, pelo simples fato de eles agirem como se as ovelhas fossem deles, como
se os fiéis estivessem sob sua jurisdição. De fato as ovelhas não pertenciam a eles. João 8:11. No ensino de JESUS,
pastor é aquele a quem pertence às ovelhas. O que não é dono das ovelhas, é mercenário. JESUS também os chama
de ladrões e salteadores (João 10:8), e condena o curral criado por eles, sistema de dominação, como sendo “para
roubar, matar e destruir”. João 10:10. Amavam conseguir um membro para sua igreja, um escravo para sua senzala,
uma ovelha para o seu curral, um remador para sua galé. A esse respeito JESUS fez severa repreensão: “Ai de vós,
escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o Mar e a Terra para fazer um prosélito 18; e, uma vez feito, o tornais filho
do inferno duas vezes mais do que vós!” Mateus 23:15.
4.11 Nesse tempo só havia duas classes de conforto financeiro e de tudo que o dinheiro trás, a dos altos
servidores públicos e dos servidores religiosos. Os dois poderes se uniram para eliminar JESUS. JESUS foi uma
grande ameaça para os poderosos da igreja. Nesse tempo a igreja era governada por uma Associação. Esta
Associação se chamava Sinédrio e exercia a função administrativa da igreja. Era uma espécie de governo
representativo composto de setenta bons homens, os mais dedicados na organização. O Presidente da Associação
escolhido daquele período era Caifás. Reunidos naquele ano sob a presidência de Caifás, os líderes da igreja
concluíram: “Se O deixarmos assim, todos crerão nEle”. João 11:48. Então decidiram definitivamente eliminarem
JESUS. O mesmo espírito e mesmo caráter administrativo manifestam as igrejas modernas. Estão prontos para
eliminarem alguém que seja uma condenação para seus pecados. Que desmascarem o sistema e sua corrupção dos
ensinos de DEUS diante do povo comum.
4.12 Esses sacerdotes perverteram tanto os ensinamentos de DEUS que de simples servidores do povo se
tornaram tão poderosos ao ponto de decidirem todas as questões político religiosas da nação igreja. Votaram expulsar
da igreja qualquer um que “confessasse ser JESUS o CRISTO”. Assim amedrontavam o povo, que para eles era uma
plebe maldita “que nada sabe da lei”. João 7:49. É certo que estes homens eram sinceros e que pensavam fazer o bem
para manter a paz e harmonia na igreja, da mesma forma que os pastores de hoje.
4.13 Governavam em absoluto e tudo ia bem como nunca, até que chegou JESUS. Mesmo assim “muitos dentre
as próprias autoridades creram nEle, mas, por causa dos fariseus, não O confessavam, para não serem expulsos da
igreja”. João 12:41. A igreja de CRISTO é espiritual e não uma empresa do terceiro setor.
4.14 Os motivos que impediram muitos no passado e ainda impede hoje entre as autoridades religiosas de
aceitarem um ensino puro de JESUS, em primeiro era “porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de
DEUS.” João 12:43. Uma segunda razão é porque não queriam perder o emprego, o ganho e a posição especial que
tinham acima dos irmãos, com todos os privilégios que o sistema lhes oferecia. É, e seguir a JESUS era perder tudo
isso e fazer justiça.
4.15 Alguns conseguiram dar o passo na verdade, o passo da fé. O levita José, apelidado de Barnabé e que mais
tarde se tornaria companheiro missionário de Paulo tinha pelo menos uma propriedade. Isso era contra a lei levítica,
pois os levitas não poderiam ter propriedades. Esse Barnabé deixou todos os privilégios que sua posição então oferecia
e se desfez desta propriedade a favor do Evangelho, a favor de JESUS e a favor dos irmãos que sofriam a
desigualdade social promovida pela “pirâmide sagrada”, o amuleto do diabo. Atos 4: 34-37. Vendeu e consagrou o
dinheiro para suprir as necessidades dos pobres e dos apóstolos, pois havia igualdade entre eles. Os apóstolos de
CRISTO ficaram junto aos pobres até a morte e morreram pobres.
4.16 A Associação dos “líderes da igreja” condenava qualquer crença independente das que eles defendiam.
Assumiram o domínio das pessoas, e como se não bastasse, assumiram o controle da fé também. Só tinha validade o
que a Associação, isto é, o Sinédrio, votava. Assim eles viviam unidos debaixo de uma mesma doutrina. Crer ou
ensinar diferente desses ensinos era maligno, pois ia contra a unidade da igreja, quebrando sua paz e causando
divisão. A doutrina defendida pelo Sinédrio era o padrão da fé. Todos dependiam do corpo organizado para crer e
quando alguém ousava crer diferente era acusado e expulso da igreja. “Porventura, creu nEle alguém dentre as
autoridades ou algum dos fariseus?” João 7:48. Assim resolviam toda questão.
4.17 Quando JESUS foi preso, por ensinar e pregar sem a autorização da Associação “O conduziram
primeiramente a Anás; pois era sogro de Caifás, sumo sacerdote naquele ano.” João 18:13. Interessante que mesmo
jubilado o bode velho exercia tão poderosa influência sobre a mente das pessoas da igreja que de bode assumiu a
posição de pastor geral da igreja. Todos se submetiam a ele. Sem falar no medo que atormentava as pessoas de ir
contra o Sumo Sacerdote e contra suas divinas orientações. Temiam assim ir contra o próprio DEUS.
4.18 Ainda é assim em nossos dias. Os fiéis não ousam crer em DEUS de forma direta passando somente por
JESUS, mas ainda tem que passar por mais alguém, falho e pecador como eles. Pensam que a salvação está ligada a
uma instituição religiosa e esquecem que só há Um entre DEUS e os homens: JESUS. Ele te fala ao coração e diz: “Eu
Sou a porta. Se alguém entrar por Mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.” João 10:9. Quando alguém
entender esse verso, irá cantar o hino da libertação do cativeiro. Será o momento de sair por Ele para o pasto aberto e
ser guiado por Ele, ouvindo o comando somente em Sua doce voz, como registrada em Sua Palavra, sem qualquer
intérprete religioso.
4.19 Declarou JESUS para Seus seguidores: “eles vos expulsarão das igrejas; mas vem a hora em que todo o que
vos matar julgará com isso tributar culto a DEUS.” João 16:1. Mas antes de vos expulsar do curral vão vestir vossa lã,
arrancar vosso couro e depois vão comer vossa carne!

18
Prosélito significa membro de igreja.
www.arqueleucunha.blogspot.com 33 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

4.20 Os cristãos que fizerem dos ensinos puros de JESUS a lei de sua fé, não dando ouvidos aos intérpretes das
santas palavra do MESTRE, esses cristãos serão expulsos da igreja por crerem nas verdades não populares que
JESUS ensinou. Especialmente aquelas verdades condenatórias da hierarquia religiosa, a “pirâmide sagrada”, que é o
amuleto do diabo, a clerocracia19, a desigualdade entre os cristãos, as classes privilegiadas, os títulos, etc.
4.21 Enquanto as Associações religiosas não puderem matar fisicamente os que não aceitam seus santos credos,
vão matá-los virtualmente expulsando-os de suas igrejas. Certamente assim farão de coração sincero para prestar culto
a DEUS. Na verdade esse é o resultado de um homem se colocar em uma cadeira que não lhe pertence, mudando as
leis de DEUS e se tornando cabeças da fé.
4.22 As religiões de hoje são os Sinédrios de ontem. Colocam as ovelhas em seus currais. Vivemos hoje a
plenitude da Idade Média, Idade das Trevas. As pessoas seguem amedrontadas as orientações de uma instituição
religiosa e se tornam incapazes de crer em DEUS sem esses intermediários. Crêem no JESUS da Bíblia, mas através
da ótica de seus líderes religiosos, que são seus dominadores nessa nova modalidade de governo, a Pastorocracia20.

CAPÍTULO 5

OS DÍZIMOS APÓS MOISÉS E ANTES DE JESUS

5. OS ÚNICOS CINCO TEXTOS QUE APARECEM DEPOIS DE MOISÉS E ANTES DE JESUS. Esse período
abrange quase mil e quinhentos anos. Foi durante esse período que homens de DEUS se levantaram para repreender
os abusos dos poderosos da religião. Diante da prosperidade Israel e Judá se tornaram infiéis como Igreja de DEUS.
Falharam em ser a luz para o mundo e se tornaram extremamente culpados atraindo sobre si condenação. A
prosperidade material não era prova de que DEUS os estava abençoando. A classe rica que estava despontando era
aliada dos governantes e acobertada pelos líderes religiosos. Todos os pecados sociais se desenvolviam e a religião no
mínimo era cúmplice. Sem o amor de DEUS a religião era vazia e a falta de amor ao próximo era apenas um reflexo. A
lei do amor de DEUS exigia justiça social. Essa foi a principal acusação dos profetas.

5.1 AMÓS 4:4. PRIMEIRO TEXTO APÓS A LEI DE MOISÉS – Amós foi o primeiro homem a registrar uma fala
sobre os dízimos depois de Moisés. Isso se deu após quase mil anos.
5.1.1 – Amós está condenando a prática religiosa de um povo e sacerdócio corrompido. Eles se banqueteavam e
festejavam. Iam ao lugar que chamavam casa de DEUS (Betel na língua hebraico) somente para pecar e para
multiplicar as transgressões.
5.1.2 As únicas leis que esses sacerdotes defendiam, eram aquelas que lhes beneficiavam. Banqueteavam-se
através dos dízimos da fazenda e tinham churrasco de três em três dias. Amós 4:4.
5.1.3 As esposas deles e dos príncipes de Israel eram como vacas gordas. Am.4:1.
5.1.4 As leis que seguiam oprimiam aos pobres e esmagavam aos necessitados. Am.4:1.

5.2 TRÊS TEXTOS HISTÓRICOS – Esdras, Crônicas e Neemias estão relacionados. Em 2 Crônicas há um texto e
mais dois em Neemias. Todos foram escritos no mesmo tempo e são textos positivos, ainda que tocados de forma
superficial e ainda que se refiram a períodos distante cerca de trezentos anos.
5.2.1 2Crônicas 31:1-12 – Se refere aos acontecimentos do ano 724 a.C21. Poucos anos depois de Amós falar em
Israel.
5.2.1.1 O Templo de Judá estava fechado. Não havia sacrifícios. Os sacerdotes estavam sem ofício e o povo sem
ofertar seus dízimos. 2Cr.28:24.
5.2.1.2 O rei Ezequias reabre o Templo. Restaura o sacerdócio. 2Cr.29:3,4.
5.2.1.3 É restaurada a observância dos dízimos para alimentar os sacerdotes, conforme a lei que regia o ofício
sagrado. V.4.
5.2.1.4 O dízimo aqui praticado era como nos demais textos da Bíblia, alimento, nunca dinheiro. V.5,6. Mesmo que
se tenha passado mil anos esta lei permanecia inalterada e jamais poderia ser mudada, a não ser pelo homem do
pecado.
5.2.1.5 A quantidade de alimento era tão grande vinda dos dízimos e demais ofertas que foram construídos
depósitos no Templo para estocá-los, segundo a ordem real. V.11.
5.2.1.6 Se o sistema cerimonial não estava em vigor, também as leis que o regia estavam anuladas. As leis dos
dízimos são dependentes da existência do Templo e da atividade cerimonial.

19
Clerocracia – Se diz do governo religioso, onde os líderes da religião exercem autoridade sobre o povo comum
de sua ordem religiosa.
20
Pastorocracia: Governo religioso exercido pelos pastores.
21
a.C. é para indicar data e significa Antes de CRISTO.
www.arqueleucunha.blogspot.com 34 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

5.2.2 Os dois textos de Neemias 10:37-39 e 12:44-13:13 – Tempo de reforma como aquele relatado em
2Crônicas 31, só que o acontecimento foi quase trezentos anos depois. O Templo estava reconstruído, mas o serviço
religioso precisava ser reformado. Essa reforma acontece sob o governo de Neemias e colaboração do grande Esdras.
5.2.2.1 Com o Templo se restaura o sacerdócio e para o sacerdócio se restaura os dízimos da terra. 10:37.
5.2.2.2 Dízimos são alimentos e jamais dinheiro. Esses alimentos deveriam ser guardados nos depósitos. 13:12.
5.2.2.3 Os que deveriam guardar esses depósitos receberam o título de tesoureiros, pois a comida que ali seria
estocada era considera tesouro. 13:13. Havia no Templo outras riquezas.
5.2.2.4 Os sacerdotes estavam envolvidos em casamentos proibidos pela lei. Ne.13:28-30.
5.2.2.5 Possuíam propriedades. Ne.11:20; 13:10. A lei dizia: “Os sacerdotes levitas e toda a tribo de Levi não terão
parte nem herança em Israel; das ofertas queimadas ao SENHOR e daquilo que lhes é devido comerão. Pelo que não
terão herança no meio de seus irmãos; o SENHOR é a sua herança, como lhes tem dito.” Deuteronômio 18:1-2.
5.2.2.6 A reforma morre com seus reformadores. O sacerdócio segue em sua corrupção. Tendo sido criado para
ensinar ao povo através de símbolos cerimoniais a verdade sobre o CRISTO, fizeram da sombra a realidade, e dos
rituais fizeram obras de salvação. Perderam o significado dos símbolos.
5.2.2.7 Quando o SENHOR JESUS inicia Seu ministério na Terra, encontra no sacerdócio Sua pior oposição. João
11:47-53.
5.2.2.8 Como humildes servidores do Templo e do povo, trabalhando pelo alimento e sem poder ter propriedades,
deveriam representar CRISTO em Sua primeira vinda, mas pouco a pouco se assemelharam aos políticos do mundo.
Jo.18:35; 19:15. Tornaram-se pedra de tropeço para o povo e rejeitaram CRISTO.
5.2.2.9 Se tornaram líderes políticos e se apropriaram do rebanho de DEUS. Lc.20:13-18; Jo.7:32.
5.2.2.10 O sacerdócio finalmente é culpado de liderar o povo a negar o CRISTO. Jo.19:6.

5.3 MALAQUIAS 3:7-12. ÚLTIMO PROFETA – Em torno de 400 a.C. Foi o único profeta em Jerusalém a registrar
a palavra dízimos. Ele cobre toda a lacuna desde Moisés ao reivindicar justiça social através dos dízimos.
5.3.1 “Eu, o SENHOR Todo-Poderoso, ordeno que tragam todos os seus dízimos aos depósitos do Templo, para
que haja bastante comida na Minha casa. Ponham-me à prova e verão que Eu abrirei as janelas do céu e farei cair
sobre vocês as mais ricas bênçãos. Não deixarei que os gafanhotos destruam as suas plantações, e as suas parreiras
darão muitas uvas. Todos os povos dirão que vocês são felizes, pois vocês vivem numa terra boa e rica. Eu, o
SENHOR Todo-Poderoso, estou falando.” Malaquias 3:10-12 NTLH.
5.3.2 Tanto o Templo como o Sacerdócio, e as leis que regiam sua manutenção, das quais os dízimos eram parte,
“corresponde à Jerusalém atual, que está em escravidão com seus filhos.” Gálatas 4:25.
5.3.3 As palavras de DEUS são uma dura repreensão aos sacerdotes que se tornaram poderosos e políticos.
Ml.1:6.
5.3.4 DEUS lamenta não haver um homem que feche as portas do Templo aos sacerdotes. Alguém que fosse
capaz de fazer justiça. 1:10.
5.3.5 DEUS reconhece um povo fiel fora da Sua professa igreja e longe dos domínios de sua religião, um povo Seu
em todo o mundo. Ml.1:11. Isso contraria completamente os exclusivistas religiosos da atualidade, como aos judeus de
antigamente que se gloriavam por ser a única igreja verdadeira na Terra, o povo escolhido. Mas a verdade é “que
DEUS não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que O teme e faz o que é justo lhe é
aceitável.” Atos 10:34-35.
5.3.6 No tempo de Malaquias não havia falta de ofertas para o SENHOR. Mas os sacerdotes roubavam as ofertas
boas para si e ofereciam para o SENHOR os animais defeituosos. Ml.1:13.
5.3.7 O povo trazia as ofertas do rebanho, mas DEUS os amaldiçoou. Traziam oferta defeituosa. Ml.1:14.
5.3.8 O que tornava imundo o sacrifício deles era o coração depravado. A oferta defeituosa era apenas um sinal de
um coração desviado. Isso se via na relação com os necessitados.
5.3.9 Malaquias foi escrito especialmente como uma condenação aos sacerdotes corruptos. 2:1.
5.3.10 DEUS prometeu destruir o sacerdócio. “Vou castigar os seus filhos e esfregar na cara de vocês as fezes dos
animais que vocês oferecem em sacrifício. E além disso vocês serão levados para o lugar onde as fezes são jogadas.”
Malaquias 2:3 NTLH.
5.3.11 Essa maldição tem cumprimento na destruição do Templo no ano 70 depois de CRISTO. 1Ts.2:14-16;
Mt.23:33-36,38; 24:1,2.
5.3.12 O sacerdócio cerimonial que envolvia o Templo, Jerusalém, sacrifícios, dízimos e sacerdotes são rasgados
por DEUS quando JESUS morre e se rasga o véu do Templo. Mt.27:51. Era um sacerdócio segundo a carne, um
Templo e leis cerimoniais, também segundo a carne e feitos por mãos humanas.
5.3.13 Lugar fixo de adoração, sacrifícios, sacerdotes, dízimos, circuncisão e todo ritual do santuário foram
abolidos por CRISTO. JESUS “Aboliu, na Sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças,” do sacerdócio
levítico e seus conjuntos de leis, especialmente aquela que lhes dava sustento, os dízimos da terra e do gado, “os quais
não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções, impostas até ao
tempo oportuno de reforma.” Ef.2:15; Hb. 9:9-10.

www.arqueleucunha.blogspot.com 35 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

5.3.13.1 Em CRISTO, todo aquele que pratica a justiça e fala a verdade, que aparta homens da iniqüidade, que
tem o conhecimento e leva a instrução de JESUS, que é Seu Evangelho, é mensageiro do ETERNO, Ml.2:6,7. É
verdadeiro sacerdote de verdadeiro DEUS.
5.3.13.2 Aqui se cumpre a Escritura que diz: “Portanto, vos digo que o Reino de DEUS vos será tirado e será
entregue a um povo que lhe produza os respectivos frutos.” Mateus 21:43. Os frutos de justiça, amor, misericórdia,
igualdade entre os irmãos, fé e obediência.
5.3.13.3 Como está escrito, depois da reforma operada por JESUS, cada cristão é sacerdote: “Vós sois raça eleita,
sacerdócio real”. 1Pd. 2:9. JESUS “nos ama e pela Sua morte na cruz nos livrou dos nossos pecados,” “e nos constituiu
sacerdotes para o Seu DEUS e Pai.” Ap.1:5,6.
5.3.13.4 Todo verdadeiro cristão é um verdadeiro sacerdote. Em CRISTO todos temos o mesmo sacerdócio. Ele
tornou cada crente genuíno, um genuíno sacerdote. Assim não pode haver entre nós uma distinção, pois todos somos
irmãos, e possuidores do mesmo sacerdócio, o sacerdócio de todos os crentes. Não existe classe entre os seguidores
de CRISTO.
5.3.13.5 Assim nos fez JESUS para que haja igualdade. 2Co.8:13-15. Porque em CRISTO somos todos iguais.
Gl.3:26-28. Ef.2:14. Assim já não pode haver quem manda e quem obedece, porque todos obedecemos a mesma e
única autoridade religiosa legítima, JESUS.
5.3.13.6 No ensino da lei o sacerdócio era dependente do amparo do povo comum e foi colocado por DEUS no
nível dos pobres e necessitados. Ao povo ordenou: “não desampararás o levita” nem “o estrangeiro, o órfão e a viúva”.
Dt.14:27,29. Mas as instituições religiosas que hoje se chamam erradamente de igrejas, inventaram um sacerdócio e
classificaram os demais como os membros da igreja. Esses líderes religiosos vivem de um dízimo inventado e mudado
ao bel prazer de alimento para dinheiro. Assim eles desamparam ao povo comum e devoram aos pobres e
necessitados, vivendo numa classe superior ao povo, que chamam de “membros da igreja”, a classe explorada, inferior,
desigual.
5.3.13.7 As associações religiosas que se escondem atrás do nome de igreja nada fazem pelos membros das
igrejas, mas somente pela classe dominadora dos profissionais do evangelho que são eles mesmos os que estão no
poder e nas garantias dos benefícios com que se apegam. “Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente
dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente.” 1Tm.5:8.
5.3.13.8 Esses sacerdotes estúpidos estão agarrados ao véu rasgado por DEUS tentando costurá-lo, reconstruindo
um lugar fixo de adoração que foi derrubado para sempre e tentando encher uma casa que ficou deserta, pois dela a
presença de DEUS se retirou eternamente. Se sairiam melhor como costureiras, pois se especializaram em costurar,
treinando na cortina de um templo que não mais tem valor. Outros poderiam ser pedreiros, pois reconstroem o templo
que DEUS destruiu e vão juntando pedra sobre pedra. Mas na verdade se saem melhor como empresários, pois sabem
ganhar dinheiro. A igreja é hoje a empresa de mais lucratividade do mundo.
5.3.13.9 O Presidente Lula fez sozinho pelos membros das igrejas mais do que todas as organizações religiosas
juntas fizeram por eles. DEUS se agradou do Lula mais que dos pastores, porque ele deixou os pobres comerem um
pouco dos dízimos da Casa do Tesouro Nacional.
5.3.13.10 Se a Lei de DEUS é fazer pelos outros o que você gostaria que os outros fizessem por você, então os
mais egoístas do mundo são a classe dos líderes religiosos. Só tiram das pessoas pobres e as tornam mais pobres
ainda. Em troca oferecem suas orações e ilusões.
5.3.13.11 As organizações religiosas geralmente ajudam um pobre quando estão interessados em mais membros
para seus alvos de “batismos”.
5.3.13.12 São mercenários que quando vêem o lobo da miséria e das enfermidades agarrando as ovelhas do seu
curral, fogem, pois isso lhes pesaria no bolso. Dinheiro para tratamento hospitalar só para os pastores e família, bem
como qualquer coisa que envolva dinheiro. Para os membros da igreja só consolações molestas.
5.3.13.13 Quando JESUS vier vai reunir os bodes guias que se intitulam a si mesmos pastores, e “assim lhes diz o
SENHOR DEUS: Eis que Eu mesmo julgarei entre ovelhas gordas e ovelhas magras.” Ezequiel 34:20.
5.3.13.14 Nesse dia vai dizer para as organizações religiosas, para os bodes guias, não vos conheço. “Então, o Rei
dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o
diabo e seus anjos. Porque tive fome, e não Me destes de comer; tive sede, e não Me destes de beber; sendo
forasteiro, não Me hospedastes; estando nu, não Me vestistes; achando-Me enfermo e preso, não fostes ver-Me. E eles
lhe perguntarão: Senhor, quando foi que Te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não Te
assistimos? Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais
pequeninos, a Mim o deixastes de fazer. E irão estes para o castigo eterno, porém os” que foram justos para com os
necessitados, “para a vida eterna.” Mateus 25:41-46.
5.3.13.15 DEUS avalia a vida cristã muito diferente das igrejas. Não é pela freqüência aos cultos, pela dedicação
religiosa, ou pelo credo, mas pela prática pessoal da caridade, da justiça e da misericórdia. Isso vai pesar naquele dia.
5.3.13.16 Apelo a todo homem sincero que atualmente é sacerdote, pastor, ou leigo, membro de igrejas, ou seja lá
como você está classificado, nos unamos em testemunhar de JESUS e nos livremos do jugo e dos fardos de homens
que se sentaram no santuário de DEUS dominando com rigor um rebanho que não lhes pertence, como se fossem o
próprio DEUS, exigindo das pessoas total submissão. Somos todos irmãos e temos todos o mesmo Pai, então temos
todos os mesmos privilégios e perante Ele somos iguais.
5.3.13.17 Atendamos a oração de JESUS para sermos um, seguindo a Ele somente, cumprindo Seu propósito de
ouvir somente Sua “voz; então, haverá um rebanho e Um Pastor”. João 10:16.

www.arqueleucunha.blogspot.com 36 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

5.3.13.18 “Possuímos um altar do qual não têm direito de comer os que ministram no tabernáculo.” Hb.13:10.
“Saiamos, pois, a JESUS, fora do acampamento, e soframos a mesma desonra que Ele sofreu.” Hb.13:13.
5.3.13.19 Não temos aqui um tipo qualquer de sociedade justa para nos filiar e afirmar que é o Reino de DEUS,
“mas buscamos a que há de vir.” Hb.13:14. Desta forma “nós, conquanto muitos, somos um só corpo em CRISTO e
membros uns dos outros,” Rm. 12:5. Devemos ser membros uns dos outros e não de uma organização religiosa ou
sociedade religiosa. E devemos estar em CRISTO e não em uma organização religiosa ou sociedade religiosa, pois
somos membros uns dos outros.
5.3.13.20 Como sacerdotes do DEUS Altíssimo “por meio de JESUS, pois, ofereçamos a DEUS, sempre, sacrifício
de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o Seu nome.” Como igualmente “a beneficência em repartir com
igualdade com outros, pois com tais sacrifícios é que DEUS se agrada.” Hb.13:15,16.
5.3.14 O sacerdócio dos dias de Malaquias, e de todos os tempos, com raras exceções, se existiu, pois não
percebi registro na Bíblia, aplicavam parcialmente a lei levítica. Ml.2.8,9 e 3:7. Esse abandono da verdade, chamado de
apostasia, atinge seu último grau nos dias de CRISTO e se reproduz nos dias de hoje. Eles estão virtualmente
desafiando a manifestação da justiça de DEUS. Ml.2:17.
5.3.15 Vindo JESUS Ele separou para Si um sacerdócio real e se desfez do antigo. Ml.3:1-4. Veja os tópicos
5.3.13:1-4. Assim cada cristão verdadeiro é um sacerdote verdadeiro. “Também vós mesmos, como pedras que vivem,
sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a
DEUS por intermédio de JESUS CRISTO.” 1Pd.2:5. Este é o cumprimento da profecia. A casa de DEUS deixa de ser
um templo de pedras e passa a ser um templo vivo. Deixa de ser um lugar fixo e passa a ser aonde dois ou três se
unem em CRISTO. Esta é a igreja de CRISTO.
5.3.16 As leis de DEUS no tocante aos dízimos exigiam um sacerdócio humilde, exigiam justiça social e
misericórdia para com os desfavorecidos. O plano era: enquanto existir dízimos e sacerdotes haverá pão para os
necessitados. A sorte dos pobres seria com a dos sacerdotes. Através desse método, enquanto existisse Templo
haveria justiça social. Ao modificarem a lei levítica, os sacerdotes se tornaram poderosos e atraíram as ameaças dos
juízos divinos. Ml.2:8,9; 3:5.
5.3.17 Essa qualidade de sacerdotes é colocada na mesma classe dos feiticeiros, adúlteros, ladrões e
exploradores. Ml.3:5. São listados em pecados sociais, como não tendo amor ao próximo.
5.3.18 Não repassavam o direito dos necessitados conforme a lei dos dízimos. Antes desprezavam aos
necessitados e as injustiças sociais clamam pela justiça divina. Ml.3:5.
5.3.19 DEUS estava acusando um sacerdócio corrompido que engordava e se fortalecia. Diferente do que muitos
pensam, os sacerdotes não era um grupo de coitadinhos que estavam sem recursos porque o povo não levava seus
dízimos. Mas eram desprezadores de DEUS. Ml.1:6,13,14.
5.3.20 DEUS clama por justiça social e chama o sacerdócio e o povo de ladrões. Roubavam a DEUS quando
roubavam aos necessitados e desta forma anulavam Seus ensinos de amor.
5.3.21 A questão é que em Malaquias DEUS não está defendendo o corrupto sacerdócio, mas exigindo que se
faça o que está na lei de Moisés. 4:4. As leis cerimoniais eram leis de DEUS e deviam ser respeitadas e assim haveria
justiça social.
5.3.22 As promessas em abrir as janelas dos Céus, que eram chuvas, eram condicionais a beneficência. Deveriam
ser reclamadas no contexto do concerto, pois é nesse contexto que Malaquias escreve: “Tudo o que Eu te ordeno
observarás; nada lhe acrescentarás, nem diminuirás.” Deuteronômio 12:32.
5.3.23 Sob estas condições poderia a igreja de Israel reclamar: “Olha desde a Tua santa habitação, desde o Céu, e
abençoa o Teu povo, a Israel, e a terra que nos deste”. Dt.26:15.
5.3.24 DEUS considera toda a nação culpada juntamente com o sacerdócio que sustentam. O povo era indiferente
ao sacerdócio e o sacerdócio indiferente ao direito dos desfavorecidos.
5.3.25 Malaquias, diferente de Amós, Oséias, Miquéias, Isaías e Jeremias, vê na correta observância da lei de
Moisés a justiça social.

CAPÍTULO 6

O DÍZIMO PRATICADO NAS IGREJAS DE HOJE É UMA FALÁCIA

6. Com significado amplamente distorcido do verdadeiro ensino das Escrituras, surgem inumeráveis igrejas e são
praticadas muitas injustiças. Mas a mais vergonhosa e escandalosa interpretação distorcida das Escrituras que achei
são as que se referem a Ml.3:10.
6.1 Como exemplo, vejamos o voto dos administradores de uma poderosa Associação religiosa para o sustento de
seus pastores: "A casa do tesouro. O dízimo é do Senhor, e deve ser devolvido à casa do tesouro, à tesouraria da
associação."22 Será que a Escritura em Malaquias 3:10 concorda em sua verdadeira interpretação que as contas

22
Regulamentos Eclesiástico-Administrativos da DSA 1998 – V 12 05 4. É o livro proibido da Igreja Adventista Do
Sétimo Dia, conhecido como o Livro de Praxes.
www.arqueleucunha.blogspot.com 37 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

bancárias das Associações da IASD são a casa do tesouro de DEUS? Ainda que nenhum cristão em são discernimento
acredite nisso, porém estão sendo cúmplices dessa aberração.
6.2 O dízimo a que Malaquias se refere era alimento e nunca foi dinheiro. Quando passou a ser dinheiro? Depois
que JESUS morreu? Se foi, onde estava profetizado? Se não estava profetizado, onde JESUS ensinou essa nova
verdade? Se Ele não ensinou, pelo menos praticou? Se não praticou, pelo menos algum apóstolo ensinou ou praticou?
Alguma igreja da era apostólica quem sabe?!
6.3 A casa do tesouro nada mais é do que os depósitos do antigo Templo onde eram estocados os mantimentos
que visavam alimentar os sacerdotes, órfãos, viúvas, estrangeiros, os que davam os dízimos e toda sua casa.
6.4 Tanto o Templo, quanto os dízimos, que eram alimentos, o sacerdócio, a circuncisão, os sacrifícios, os rituais,
os sete sábados, “tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém a realidade” chegou em CRISTO.
Cl.2:17. Esse sacerdócio, com os dízimos, com o Templo e sua adoração, era a lei cerimonial que “foi adicionada por
causa das transgressões, até que viesse O descendente a quem se fez a promessa,” “até ao tempo oportuno de
reforma.” Gl.3:19; Hb.9:10. Vindo JESUS removeu tudo isso “que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial,
removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz”. Cl.2:14.
6.5 A lei levítica com o sacerdote, os dízimos que os sustentavam, a circuncisão, sinal desta aliança, o Templo,
que era chamada casa de Oração, casa de DEUS, um lugar físico para adoração, os ritos e sacrifícios, tudo isso “serviu
de aio para nos conduzir a CRISTO, a fim de que fôssemos justificados por fé.” E “tendo vindo a fé, já não
permanecemos subordinados ao aio.” Gl.3:24. Assim seu Templo construído por mãos humanas, o sacerdócio carnal,
imperfeito e mortal, os dízimos que os sustentava com comidas, as bebidas, as abluções e toda sorte de rituais,
constituíam a lei cerimonial que foi sistematizada através de Moisés “quatrocentos e trinta anos depois” de Abraão.
Gálatas 3:24. E era “sombra dos bens vindouros”, “os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente
em comidas, e bebidas, e diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma”, “porque é
impossível que o sangue de touros e de bodes remova pecados.” Hb.10:1; 9:10; 10:4. Por isso JESUS “aboliu, na sua
carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças,” “tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que
constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz”. Efésios 2:15,
Colossenses 2:14.
6.6 Por que JESUS não viveu dos dízimos? Por que os apóstolos de CRISTO não viveram dos dízimos do povo?
Por que eles não ensinaram os cristãos a dizimar? Por que não há pelo menos uma igreja no Novo Testamente que
tenha praticado o dízimo? É porque “quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei.”
Hb.7:12. Se “a perfeição houvera sido mediante o sacerdócio levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), que
necessidade haveria ainda de que se levantasse outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não
fosse contado segundo a ordem de Arão?” Hb.7:11. “Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa
de sua fraqueza e inutilidade”. Hb.7:18.
6.7 Quando alguns irmãos do passado quiseram tornar algum ensino da lei cerimonial obrigatório para os cristãos,
dizendo que era “necessário circuncidá-los e determinar-lhes que observem a lei de Moisés” (Atos 15:5), pois é dessa
lei que fala Malaquias (Ml.4:4), então concluíram mesmo que se assim não fizessem, não seriam salvos. At.15:1.
6.8 Está a salvação, a bênção ou a maldição sobre os que não observam a lei? É com medo da maldição que
muitos entregam a décima parte de seus salários para as contas bancárias das Associações religiosas? São
amedrontados com ameaças de maldição e ameaçados de perderem a salvação. Tudo se reproduz hoje e o que era já
foi. Não tem nada novo nesta questão.
6.9 Finalmente concluíram os apóstolos sobre o que seria válido das leis levíticas. Pergunte: Apóstolos de CRISTO
que decisão vocês tomaram? “Pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO e a nós não vos impor maior encargo além destas
coisas essenciais: que vos abstenhais das coisas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais
sufocados e das relações sexuais ilícitas; destas coisas fareis bem se vos guardardes. Saúde.” At.15:28-29. Não tem
circuncisão, nem lugar fixo de adoração, nem sacerdócio, nem dízimos a que os cristãos tenham que se submeter.
6.10 Mas se alguém ensina essas coisas, qualquer parte das antigas leis do sacerdócio antigo, é porque “os
sentidos deles se embotaram. Pois até ao dia de hoje, quando fazem a leitura da antiga aliança, o mesmo véu
permanece, não lhes sendo revelado que, em CRISTO, é removido. Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está
posto sobre o coração deles. Quando, porém, algum deles se converte ao Senhor, o véu lhe é retirado. Ora, o Senhor é
o ESPÍRITO; e, onde está o ESPÍRITO do Senhor, aí há liberdade.” 2Co.3:14-17.
6.10 Ainda se alguém insiste em fazer a bênção depender da prática cerimonial dos dízimos, que é uma lei levítica
e que não passa de alimentos e foi engenhosamente transformada em dinheiro, contudo nós “pelo contrário, rejeitamos
as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de DEUS; antes,
nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de DEUS, pela manifestação da verdade.” 2Cr.4:2.
6.11 Adulterando a Palavra astuciosamente fizeram o dízimo virar dinheiro e o tornou um requisito de bênção ou
maldição para os cristãos. Porém “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está
escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las.” Gl.3:10.
Se alguém quer restaurar a lei dos dízimos terá que restaurar tudo mais que a lei cerimonial o diz, como sacerdócio,
templo, circuncisão, sacrifícios, rituais, os sete sábados cerimônias, etc. Se a bênção e “a justiça é mediante a lei,
segue-se que morreu CRISTO em vão.” Gl.2:21.
6.12 “De CRISTO vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes. Porque nós, pelo
ESPÍRITO, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé. Porque, em CRISTO JESUS, nem a circuncisão,
nem a incircuncisa têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor. Vós corríeis bem; quem vos impediu de continuardes
a obedecer à verdade?” Gl.5:4-7. A circuncisão era para os judeus o que o dízimo se tornou hoje para as ordens
religiosas com aqueles que conseguiram dominar. Deveriam contudo mudar o nome para imposto religioso, tributo
www.arqueleucunha.blogspot.com 38 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

religioso, mensalão ou qualquer outro nome, mas não dízimo, pois dízimo é uma lei cerimonial do sacerdócio levítico da
lei de Moisés, pertencente a um sacerdócio imperfeito e provisório de um templo feito por mãos humanas cujos serviços
foram abolidos. O dízimo de hoje não é o dízimo bíblico, e assim não pode ser chamado. É como o batismo praticado
com um pouco de água na cabeça. É chamado mundialmente de batismo, mas não pode ser chamado de batismo, pois
batismo na Bíblia é a prática de mergulhar em água. Tanto a palavra batismo como dízimo está com o sentido
corrompido, fazendo a Bíblia dizer o que ela nunca disse.
6.13 Quanto a Palavra de DEUS, está estabelecido entre os cristãos que se alguém “fizer qualquer acréscimo,
DEUS lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro;” Ap.22:18. “Não ultrapasseis o que está escrito”. 1Cr.4:6. “Nada
acrescentes às Suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.” Pv.30:6. Assim disse JESUS:
“em vão Me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.” Mt.15:9. E arremata: “Toda planta que Meu
Pai celestial não plantou será arrancada.” Mt.15:13.
6.14 Por força de tradição os religiosos de hoje terão muita dificuldade de se livrar da dominação a que estão
sujeitos com seus ensinos, dogmas e decisões eclesiásticas. O fator psicológico pesa muito.
6.15 A cobrança de dízimos de dinheiro por parte da igreja é mais uma invenção medieval e está sustentada no
pensamento de que a igreja tem soberania fiscal, pois é uma sociedade juridicamente perfeita e goza igualdade com o
Estado. O direito de exigir dos fiéis tributos não vem de qualquer lei do NT, mas unicamente da convicção medieval que
a igreja governa sobre as pessoas. Assim tanto a igreja como o Estado são um poder soberano de dominação sobre os
bens privados dos fiéis e súditos. O imposto como um dízimo é um ato de soberania temporal por parte da igreja
segundo o conceito medieval. Aqui tanto o termo igreja quanto dízimos estão corrompidos. Nesse sentido igreja nada
mais é do que o Estado Clerocrático, i e, governo do clero, governo religiosos. É uma corrupção da Teocracia, i e,
governo de DEUS. Então a soberania religiosa investida com autoridade divina dá a seu líder humano ou ao conjunto
deles, prerrogativas divinas como no antigo Egito ou como na Roma dos Césars!
6.16 Os elementos essenciais para que o clero, i e, líderes religiosos, vivesse dos dízimos do povo que são de fato
impostos, estão sustentados no seguinte: 1. A existência de um poder soberano jurisdicional; 2. O grupo de sujeitos
passivos submetidos a tal jurisdição; 3. O vínculo de prestação patrimonial entre os sujeitos passivos e a soberania. Foi
assim que surgiu a idéia. Uma idéia que muito contribuiu para a desigualdade social e tornou o clero, líderes religiosos,
a classe rica e exploradora na Idade Medieval e que é preservada com muito zelo pelos líderes religiosos de hoje, que
praticam a mesma Clerocracia. Ver História Eclesiástica, Grande Enciclopédia Rialp, ou outras Enciclopédias.
6.17 É! Temos muito a prender e muito a desaprender! A reforma iniciada há séculos não acabou e deve continuar
até o fim, porque “a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O
caminho dos perversos é como a escuridão; nem sabem eles em que tropeçam.” Pv.4:18-19. Às vezes o preço do
crescimento é maior do que a maioria das pessoas queira pagar.
6.18 Se você achava que DEUS é justo, mas ao olhar para os líderes religiosos e suas igrejas não via como, por
causa dos erros e injustiças praticados; se pensava que Ele tinha um plano de amor para a humanidade sofredora, mas
ao olhar para os líderes religiosos e suas igrejas não via como, por causa das injustiças, frieza espiritual, desperdícios
dos recursos, falta de amor, de humildade, de espiritualidade, etc., então é porque você ainda não tinha conhecido Sua
verdadeira Igreja, mas somente uma que como o judaísmo de CRISTO tinha se tornado mundana e infiel. As igrejas de
hoje como são conhecidas são apenas uma imagem de escultura, um ídolo feito por mãos humanas que foram
registrados nos Cartórios com nomes certos, mas com práticas e idéias erradas.
6.19 A causa do Evangelho é a boa notícia para o necessitado; para o injustiçado a justiça, para o faminto o pão;
defesa para o indefeso; consolo ao enlutado; cura ao doente; riqueza para o pobre; libertação aos cativos e algemados;
condenação e julgamento para os que estão de braços cruzados, aqueles que só arregaçam as mangas quando estão
buscando seus próprios interesses.

CAPÍTULO 7

REFLEXÕES FINAIS

7. Em torno de 755 a.C. DEUS chama um pastor, um fazendeiro, de outro país e que não era profeta ou sacerdote
para repreender e protestar contra aqueles que eram nominalmente a casa de DEUS. Saindo de Judá, próximo a
Jerusalém, Amós viajou quase 80Km para chegar a Samaria, capital de Israel. Antes passou em Betel, centro religioso
e fortaleza norte do Reino.
7.1 “Ouvi e protestai contra a casa de Jacó, diz o ETERNO DEUS, o DEUS dos Exércitos” (Amós 3:13) – eis a
ordem do SENHOR para aqueles que têm senso de justiça e zelo pelo Seu nome.
7.2 Chegando a Israel Amós anunciou a Palavra de DEUS. Condenou as sete nações por suas perversões morais
e a oitava, Israel, por toda injustiça social, fruto da falsa adoração. DEUS os condenou porque eles condenavam o
justo, e por qualquer motivo os necessitados eram injustiçados. Am.2.6. Os poderosos amavam os pobres, pois podiam
explorá-los, fazendo deles o tapete por onde pisavam. Esse era o momento mais próspero da história de Israel. O
quanto aumentou as riquezas diminuiu a piedade; quanto maior as riquezas mundanas maior era o vazio de DEUS.

www.arqueleucunha.blogspot.com 39 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

7.3 Prometeu DEUS “não sustarei o castigo”! Isso muito desagradou aos líderes religiosos, bem como aos
poderosos dentre o povo. A paz reinava como nunca para as altas classes e ainda gostavam dos cultos!!! Mas surge
um conspirador daquela paz. Odiaram Amós.
7.4 DEUS declarou que não poderia haver acordo entre Ele e a igreja de Israel. “Andarão dois juntos, se não
houver entre eles acordo?” Am. 3:3. Assim fica claro que não há comunhão entre a luz e as trevas. DEUS é justo e
“nisto são manifestos os filhos de DEUS e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de
DEUS, nem aquele que não ama a seu irmão.” 1 João 3:10. Cristãos “não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das
trevas; antes, porém, reprovai-as.” Ef.5:11.
7.5 “Entretanto, o firme fundamento de DEUS permanece, tendo este selo: O SENHOR conhece os que Lhe
pertencem. E mais: Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do SENHOR.” 2Tm.2:19. Pois “que
sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre
CRISTO e o Maligno?” Mas não são poucos os que se iludem achando que DEUS está no comando de suas igrejas
mesmo que haja coisas erradas, abusos, injustiças, falsidades, intrigas, difamações, injúrias, escândalos, injustiça
social... Coisas essas das quais eles não concordam, mas são iludidos achando que haverá uma reforma na igreja!
Mas a ordem de DEUS é inquestionavelmente clara: “retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o SENHOR; não
toqueis em coisas impuras; e Eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para Mim filhos e filhas, diz o SENHOR
Todo-Poderoso. Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do
espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de DEUS.” 2Co.6:14-7:1. Assim faz o cristão ao ver o erro. Primeiro
reprova. Se não há mudança, se retira. Caso permaneça, é cúmplice.
7.6 Disse DEUS através de Seu mensageiro: “Aborreço, desprezo as vossas festas e com as vossas assembléias
solenes não tenho nenhum prazer.” Amós 5:21. Esse povo praticava a forma religiosa, mas era tudo em vão, pois eram
“graves os seus pecados”, afligindo o justo, torcendo o direito por interesses e não respeitando os direitos dos pobres.
Amós 5:12. V. Is.1:12-24; Os.6:6; Mq.6:6-8; Jr.7:21-28.
7.7 DEUS considerou os cânticos dos cultos como abominável (5:23; 6:5), porque havia desigualdade de direitos,
porque havia desigualdade social e exploração, bem como outros pecados de idolatria que ficavam sem reprovação. E
para acrescentar condenação eles condenavam o que falava a verdade como se fosse ele o culpado das injustiças e
pecados que protestava. “Têm ódio daqueles que defendem a justiça e detestam as testemunhas que falam a verdade”.
Amós 5:10 NTLH.
7.8 Em vez dos cultos vazios que praticavam, DEUS exige que “antes, corra o juízo como as águas; e a justiça,
como ribeiro perene.” Amós 5:24. Mas para um povo cego, a luz são trevas e as trevas chamam luz. Tropeçam e nem
sabem onde. “Poderão correr cavalos na rocha? Ou será que os bois podem puxar o arado no mar? No entanto, haveis
tornado o juízo em veneno e o fruto da justiça, em amargura.” Amós 6:12. “Ai dos que chamam de mau aquilo que é
bom e que chamam de bom aquilo que é mau; que fazem a luz virar escuridão e a escuridão virar luz; que fazem o
amargo ficar doce e o que é doce ficar amargo!” “Que por dinheiro torcem a justiça, deixando livres os culpados e
condenando os inocentes!” Isaías 5:20,23.
7.9 Daí entra a condenação de DEUS através de Seu profeta: “Ouvi esta palavra, vacas de Basã, que estais no
monte de Samaria, oprimis os pobres, esmagais os necessitados e dizeis a vosso marido: Dá cá, e bebamos. Jurou o
ETERNO DEUS, pela Sua santidade, que dias estão para vir sobre vós, em que vos levarão com anzóis e as vossas
restantes com fisga de pesca. Saireis cada uma em frente de si pelas brechas e vos lançareis para Hermom, disse o
ETERNO.” Com ironia e indignação continua Amós: “Vinde a Betel e transgredi, a Gilgal, e multiplicai as transgressões;
e, cada manhã, trazei os vossos sacrifícios e, de três em três dias, os vossos dízimos; e oferecei sacrifício de louvores
do que é levedado, e apregoai ofertas voluntárias, e publicai-as, porque disso gostais, ó filhos de Israel, disse o
ETERNO DEUS.” Amós 4:1-5.
7.10 Profetizando junto a Amós, DEUS suscita um profeta chamado Oséias: “Ainda que tu, ó Israel, queres
prostituir-te, contudo, não se faça culpado Judá; nem venhais a Gilgal e não subais a casa de DEUS, casa de
iniquidade, nem jureis, dizendo: Vive o ETERNO.” Oséias 4:15 ARQ.
7.11 Ao sustentarem um sacerdócio corrompido o povo se fazia igualmente culpado. “Todavia, ninguém contenda,
ninguém repreenda; porque o teu povo é como os sacerdotes aos quais acusa.” Oséias 4:4. “Dia e noite, vocês
sacerdotes andam sem rumo, e os profetas fazem o mesmo. Vou acabar com Israel, a mãe de vocês. O Meu povo não
quer saber de Mim e por isso está sendo destruído. E vocês, sacerdotes, também não querem saber de Mim e
esqueceram as Minhas leis; portanto, Eu não os aceito mais como Meus sacerdotes, nem aceitarei os seus filhos como
Meus sacerdotes. – Quanto maior é o número de sacerdotes, maior também é o número de pecados que cometem; por
isso vou fazer a glória deles virar desgraça. Eles ganham a vida à custa dos pecados do povo e por causa disso
querem que o povo peque. Portanto, os sacerdotes sofrerão o mesmo castigo que vou fazer cair sobre o Meu povo.
Vou castigá-los, e eles terão de pagar pelo mal que fizeram.” Oséias 4:5-8 NTLH. “Por isso, como é o povo, assim é o
sacerdote; castigá-lo-ei pelo seu procedimento e lhe darei o pago das suas obras.” Oséias 4:9.
7.12 A grande contenda de DEUS era com o sacerdócio que havia deixado toda lei de DEUS, mas o interessante é
que ainda observavam aquelas leis que os favorecia. Dessas eles eram bem zelosos, pois iam engordando cada vez
mais. Gostavam dos dízimos do povo e seus sacrifícios e o povo aceitava ser guiado e cegado pelos sacerdotes. “O
seu proceder não lhes permite voltar para o seu DEUS, porque um espírito de prostituição está no meio deles, e não
conhecem ao SENHOR.” Oséias 5:4. Os sacerdotes “amam o sacrifício; por isso, sacrificam, pois gostam de carne e a
comem, mas o SENHOR não os aceita; agora, se lembrará da sua iniqüidade e lhes castigará o pecado; eles voltarão
para o Egito.” Oséias 8:13. Esses comilões de carne!
7.13 Reuniam-se a cada manhã para celebrarem os cultos em Betel, lugar que eles chamavam a casa de DEUS,
mas para DEUS era só pra multiplicar as transgressões, pois a vacas esposas dos sacerdotes e dos príncipes, pastores

www.arqueleucunha.blogspot.com 40 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

de Israel, juntamente com seus maridos engordavam mais e mais a custa da magreza das ovelhas que eram homens
pobres e necessitados. Era um sistema que proporcionava a desigualdade e a exploração. Como foram pervertidas as
leis de DEUS sobre os dízimos e sustento dos sacerdotes! Trocaram o sistema de DEUS pelo sistema do mundo a
quem o profeta chamou de “Dai cá”. Sim, o sistema da falsa religião é o sistema do dai cá, dai cá, dai cá... Tirando cada
vez mais das pessoas e dos pobres. Tiram o dinheiro, tempo e trabalho deles e depois ainda tiram os direitos que têm
diante das leis de DEUS que visam à justiça social e a igualdade de privilégios. O evangelho que era pra ser dos
pobres, se tornou um meio de exploração deles, e qual foi a vantagem pra eles? Seriam boas novas aos pobres, mas
se tornou uma péssima notícia saber que eles sustentam um sacerdócio totalmente corrompido de homens parasitas de
homens. O sacerdócio de hoje não passa de uma parasitose das piores espécies, uma réplica fiel do passado.
7.14 “Ouvi isto, ó sacerdotes; escutai, ó casa de Israel; e dai ouvidos, ó casa do rei, porque este juízo é contra vós
outros, visto que fostes um laço”. Oséias 5:1. “O SENHOR tem uma contenda com os habitantes da terra, porque nela
não há verdade, nem caridade, nem conhecimento de DEUS.” Oséias 4:1. “Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma,
tua irmã: soberba, fartura de pão e próspera tranqüilidade teve ela e suas filhas; mas nunca amparou o pobre e o
necessitado.” Ezequiel 16:49. Quando “julgou a causa do aflito e do necessitado; por isso, tudo lhe ia bem. Porventura,
não é isso conhecer-me? —diz o SENHOR.” Jeremias 22:16.
7.15 “O povo não tem entendimento corre para a sua perdição.” Oséias 4:14. DEUS “Se retirou deles”, Oséias 5:5-
6, mas não percebem. “Irão com os seus rebanhos e o seu gado à procura do SENHOR, porém não O acharão”. “Israel
rejeitou o bem; o inimigo o perseguirá.” Oséias 8:3. “Mui profundamente se corromperam” Os.9:9. “O SENHOR se
lembrará das suas injustiças e castigará os pecados deles.” Diz DEUS: “Farei cessar todo o seu gozo, as suas Festas
de Lua Nova, os seus sábados e todas as suas solenidades.” Os.2:11. “Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o
conhecimento de DEUS, mais do que holocaustos.” Os.6:6.
7.16 Fiados na forma religiosa e nas obras que praticam, nos cultos que freqüentam, nos credos que sustentam,
oram de si para si e se sentem no caminho da verdade. Virtualmente estão dizendo “Estou rico e abastado e não
preciso de coisa alguma,” mas “nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.” Ap.3:17.
7.17 Quanto aos palácios construídos em nome de DEUS, mas para glória de seus construtores, declara: “abomino
a soberba de Jacó e odeio os seus castelos; e abandonarei a cidade e tudo o que nela há.” Amós 6:8. São terríveis as
vergonhas daqueles que fizeram do Evangelho um meio de vida. Constroem e acumulam enquanto uma grande massa
daqueles que chamam de irmãos não tem se quer uma morada. O mais forte prevalece, exatamente como entre os
animais. O que era para ser a igreja de DEUS se tornou um reino mundano, um zoológico de animais estúpidos.
Esqueceram que DEUS preferia a prática da justiça social como obras de amor às práticas de culto, pois Ele é adorado
quando há igualdade entre Seus filhos. 2Co.8:14.
7.18 Foi como no Egito, pirâmides construídas a preço da escravidão. Os títulos dos exploradores mudaram com o
tempo, mas o poder demoníaco que atua sobre eles continua o mesmo e ainda cometem o sacrilégio de afirmarem que
DEUS está no comando de uma religião de homens, ou foi porventura JESUS que esteve no cartório assinando a
papelada desse negócio que chamam de igreja? JESUS tem uma igreja? Oh, sim! Ele tem uma igreja, mas essa é
espiritual e não tem CNPJ23. “A religião pura e sem mácula, para com o nosso DEUS e Pai, é esta: visitar 24 os órfãos e
as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.” Tiago 1:27. Isso não tem nada que
ver com as organizações religiosas de hoje nem com suas práticas de cultos e credos, que estão construídas sob toda
forma de contaminação mundana, com suas praxes, regulamentos, estatutos, prédios e leis de exploração.
7.19 Enquanto Israel prosseguia em sua fidelidade religiosa, indiferente as palavras do boiadeiro Amós e de
Oséias, Seu profeta, DEUS já havia pronunciado o decreto: “Caiu a virgem de Israel, nunca mais tornará a levantar-se;
estendida está na sua terra, e não há quem a levante.” Amós 5:2. Prosseguiam com os cultos e práticas religiosas
cantando à toa ao som da lira e inventando como Davi, instrumentos musicais, mas, diz DEUS, não para Mim, mas
“para vós mesmos”; e apesar das advertências divinas “não vos afligis com a ruína de José.” Amós 6:5-6. Eram
incapazes de perceber que foram pesados na balança do santuário e achados em falta. Assim também o decreto sairá
de DEUS para toda terra nos dias de hoje, pois ouvem a Palavra de DEUS, mas acham que é palavra de homem, e
assim seguem na cegueira.
7.20 O povo que viu grande luz vivia em trevas proporcionais, pois não praticaram a justiça e não viveram em
retidão. Em torno de trinta anos depois, no ano 722 a.C., cumpre-se a predição e estes poderosos de Israel são levados
pelos terríveis assírios e presos com anzóis no nariz. Assim também aconteceu com as vacas de Israel. “Jurou o
ETERNO pela glória de Jacó: Eu não Me esquecerei de todas as suas obras, para sempre!” Amós 8:7. Quem poderia
acreditar que viria a destruição no tempo de maior prosperidade do povo de Israel, ou melhor, dos poderosos
sacerdotes e príncipes de Israel?! Tudo que aconteceu no passado prenuncia o futuro. Prepara-te para encontrares
com DEUS! Amós 4:12.
7.21 Expulso da terra de Israel, Amós foi acusado de conspirar contra o reino e contra o Templo. Vergonha e
difamação hão de acompanhar todos os que pregam a verdade de JESUS. Como está escrito: “todos quantos querem
viver piedosamente em CRISTO JESUS serão perseguidos.” 2Tm.3:12. Pelo direto testemunho contra o pecado serão
rejeitados e odiados. Serão considerados inimigos da ordem, da igreja e da religião. Contudo não devem desanimar,
mesmo que pareçam lutar sozinhos, a potestade do Céu os enviou e devem selar seu testemunho diante da mais
terrível inimizade. Devem vencer e confiar em meio às trevas dominantes.

23
CNPJ: Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica. Para ser bem claro: EMPRESA!
24
Entenda-se por visitar muito mais do que ir à casa do pobre. É fazer a diferença mesmo, é levar mais que oração
ou palavras. Isso está longe das Associações religiosas, pois embolsam todo o dinheiro dos falsos dízimos que furtam
dos trabalhadores, afirmando que é para a pregação do evangelho.
www.arqueleucunha.blogspot.com 41 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

7.22 Mesmo tendo que sair da terra de sua perseguição, Amós é sucedido pó Oséias que fica para entregar as
últimas palavras de DEUS até a queda final de Israel.
7.23 Enquanto Amós e Oséias transmitiam as mensagens de DEUS em Israel, DEUS suscita dois profetas em
Judá: Isaías e Miquéias. Isso se deu por volta do ano 740 a.C. Suas mensagens eram muito semelhantes. Eles também
foram influenciados por Amós e Oséias e transmitiram as mesmas acusações contra os sacerdotes, líderes do povo e
contra a falsa ilusão de que DEUS estava aceitando seus cultos.
7.24 “O SENHOR entra em juízo contra os anciãos do seu povo e contra os seus príncipes. Vós sois os que
consumistes esta vinha; o que roubastes do pobre está em vossa casa. Que há convosco que esmagais o Meu
povo e moeis a face dos pobres? – diz o Senhor, o SENHOR dos Exércitos.” Isaías 3:14-15. Os pecados da que
professavam ser a igreja de DEUS se acumulavam mais e mais. Oh, onde estão os homens de DEUS, que se levantem
e resplandeçam e se coloquem entre os vivos e os mortos e rasguem o coração! “Porque a vinha do SENHOR dos
Exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a planta dileta do SENHOR; este desejou que exercessem juízo,
e eis aí quebrantamento da lei; justiça, e eis aí clamor.” Isaías 5:7.
7.25 Os que conhecem DEUS manifestam simpatia pelos desfavorecidos e se dilatam diante de DEUS: “Com
minha alma suspiro de noite por Ti e, com o meu espírito dentro de mim, eu Te procuro diligentemente; porque, quando
os Teus juízos reinam na terra, os moradores do mundo aprendem justiça. Ainda que se mostre favor ao perverso, nem
por isso aprende a justiça; até na terra da retidão ele comete a iniqüidade e não atenta para a majestade do SENHOR.”
Isaías 26:9-10.
7.26 Pergunta DEUS: “Poderei Eu inocentar balanças falsas e bolsas de pesos enganosos?” Miquéias 6:11. Justo
é o Santo em Sua Santa morada: “Ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão, para negarem
justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do Meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os
órfãos!” Isaías 10:1-2.
7.27 Há esperança na promessa de Um que praticaria a justiça para com o desfavorecido: “Do tronco de Jessé
sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. Repousará sobre ele o ESPÍRITO do SENHOR, o ESPÍRITO de
sabedoria e de entendimento, o ESPÍRITO de conselho e de fortaleza, o ESPÍRITO de conhecimento e de temor do
SENHOR. Deleitar-se-á no temor do SENHOR; não julgará segundo a vista dos Seus olhos, nem repreenderá segundo
o ouvir dos Seus ouvidos; mas julgará com justiça os pobres e decidirá com eqüidade a favor dos mansos da terra;
ferirá a terra com a vara de Sua boca e com o sopro dos Seus lábios matará o perverso. A justiça será o cinto dos Seus
lombos, e a fidelidade, o cinto dos seus rins.” Isaías 11:1-5.
7.28 “Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia ao Meu povo a sua
transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados. Mesmo neste estado, ainda Me procuram dia a dia, têm prazer em
saber os Meus caminhos; como povo que pratica a justiça e não deixa o direito do seu DEUS, perguntam-Me pelos
direitos da justiça, têm prazer em se chegar a DEUS, dizendo: Por que jejuamos nós, e Tu não atentas para isso? Por
que afligimos a nossa alma, e Tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios
interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho
iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto. Seria este o jejum que escolhi, que o homem
um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? Chamarias
tu a isto jejum e dia aceitável ao SENHOR? Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da
impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? Porventura, não é
também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras,
e não te escondas do teu semelhante? Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua
justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda; então, clamarás, e o SENHOR te responderá;
gritarás por socorro, e Ele dirá: Eis-Me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o dedo que ameaça, o falar injurioso; se
abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será
como o meio-dia. O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus
ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam. Os teus filhos edificarão as
antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de
veredas para que o país se torne habitável.” Isaías 58:1-12.
7.29 “Disse eu: Ouvi, agora, vós, cabeças de Jacó, e vós, chefes da casa de Israel: Não é a vós outros que
pertence saber o juízo? Os que aborreceis o bem e amais o mal; e deles arrancais a pele e a carne de cima dos seus
ossos; que comeis a carne do Meu povo, e lhes arrancais a pele, e lhes esmiuçais os ossos, e os repartis como para a
panela e como carne no meio do caldeirão? Então, chamarão ao SENHOR, mas não os ouvirá; antes, esconderá deles
a Sua face, naquele tempo, visto que eles fizeram mal nas suas obras. Assim diz o SENHOR acerca dos profetas que
fazem errar o Meu povo e que clamam: Paz, quando têm o que mastigar, mas apregoam guerra santa contra aqueles
que nada lhes metem na boca. Portanto, se vos fará noite sem visão, e tereis treva sem adivinhação; por-se-á o sol
sobre os profetas, e sobre eles se enegrecerá o dia. Os videntes se envergonharão, e os adivinhadores se
confundirão; sim, todos eles cobrirão o seu bigode, porque não há resposta de DEUS. Eu, porém, estou cheio do
poder do ESPÍRITO do SENHOR, cheio de juízo e de força, para declarar a Jacó a sua transgressão e a Israel, o
seu pecado. Ouvi, agora, isto, vós, cabeças de Jacó, e vós, chefes da casa de Israel, que abominais o juízo, e
perverteis tudo o que é direito, e edificais a Sião com sangue e a Jerusalém, com perversidade. Os seus cabeças dão
as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus profetas adivinham por dinheiro; e
ainda se encostam ao SENHOR, dizendo: Não está o SENHOR no meio de nós? Nenhum mal nos sobrevirá. Portanto,
por causa de vós, Sião será lavrada como um campo, e Jerusalém se tornará em montões de ruínas, e o monte do
Templo, numa colina coberta de mato.” Miquéias 3:1-12.
7.30 “Com que me apresentarei ao SENHOR e me inclinarei ante o DEUS Excelso? Virei perante Ele com
holocaustos, com bezerros de um ano? Agradar-se-á o SENHOR de milhares de carneiros, de dez mil ribeiros de
www.arqueleucunha.blogspot.com 42 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

azeite? Darei o meu primogênito pela minha transgressão, o fruto do meu corpo, pelo pecado da minha alma? Ele te
declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o SENHOR pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a beneficência,
e andes humildemente com o teu DEUS.” Miquéias 6:6-8.

CAPÍTULO 8

O NOVO TESTAMENTO E OS DÍZIMOS

8. HÁ APENAS 3 OCORRÊNCIAS SOBRE DÍZIMOS NO NOVO TESTAMENTO – A 1ª ocorre em Mateus 23


(v.23,24) e em Lucas 11:37-52 (v.41,42) que é o mesmo texto. A 2ª ocorrência é em Lucas 18:9-14. Finalmente a 3ª
passagem está em Hebreus 7. Nessas passagens o dízimo continua sendo uma lei cerimonial e provisória que foi
abolida na morte de JESUS juntamente com o sistema levítico da qual dependia, com o Templo, os sacrifícios e a
circuncisão.
8.1 A LEI DOS DÍZIMOS NUNCA FOI PRATICADA POR JESUS NEM POR QUALQUER APÓSTOLO E NEM
POR QUALQUER IGREJA DO NOVO TESTAMENTO. Não há um cristão se quer nas páginas do Novo Testamento
que tenha dado dízimos ou contribuído para uma instituição religiosa. Jamais qualquer missionário, apóstolo, pregador
ou servo de JESUS viveu dos dízimos ou recebeu dízimos no Novo Testamento, nem mesmo JESUS. No ensinamento
apostólico jamais foi requerido qualquer dízimo do povo nem havia lugar fixo de adoração, pois tanto um como o outro
faziam parte da Velha Aliança.
8.2 PARA O CONCEITO BÍBLICO A IGREJA SÃO HOMENS REGENERADOS PELO ESPÍRITO QUE SE
REÚNEM EM CRISTO VIVENDO A NOVA VIDA DE JUSTIÇA DA FÉ. Isso não tem nada que ver com uma instituição
religiosa ou com um lugar fixo de adoração.
8.2.1 Homens que se reúnem em CRISTO independente de um lugar físico, mas em qualquer lugar, mesmo que
sejam dois ou três, constituem a autêntica igreja. Quando esse encontro é feito em nome de uma denominação
religiosa não passa de uma igreja dos homens, mas quando essa reunião é feita unicamente no nome de JESUS, a
autêntica religião de DEUS, então eis aí a igreja da Bíblia. Como está escrito “o DEUS que fez o mundo e tudo o que
nele existe, sendo Ele SENHOR do Céu e da Terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas.” Atos 17:24.
8.2.2 Mas na Nova Aliança DEUS tem na Terra uma casa onde habita o Seu nome? Acaso “não sabeis que sois
santuário de DEUS e que o ESPÍRITO de DEUS habita em vós?” 1Co.3:16. Sim, DEUS tem na Terra uma casa, “a qual
casa somos nós, se guardarmos firme, até ao fim, a ousadia e a exultação da esperança.” Hb.3:6. Pois “onde estiverem
dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou no meio deles.” Mt.18:20. Quando dois ou três homens se congregam
em CRISTO, aí está a igreja de DEUS no SEU NOME, isto é, no nome de JESUS e não numa razão social de uma
empresa falsamente chamada igreja e reconhecida nos cartórios humanos, segundo a cegueira humana, com contas
bancárias, propriedades, riquezas e desigualdades.
8.2.3 Contudo os homens de hoje saíram da igreja de CRISTO, Seu corpo, e constituíram uma igreja diferente,
uma igreja onde eles mesmos são pastores, um governo de homens e o chamaram falsamente de igreja. Na verdade é
uma empresa humana, uma organização empresarial, com conta corrente, CNPJ, endereço e um poderoso sistema
financeiro de um falso dízimo. Agora passemos a estudar a primeira passagem sobre o assunto nas páginas do Novo
Testamento.
8.3 PRIMEIRA PASSAGEM MATEUS 23 (v.23,24) E LUCAS 11:37-52 (v.41,42). São textos iguais e
complementares. São pronunciados em momentos diferentes em virtude do objetivo de cada autor. No caso de Mateus
ele dá prioridade para temas e Lucas para acontecimentos. Assim ao lermos Lucas temos uma compreensão dos
acontecimentos históricos da vida de JESUS de forma seqüenciada e ao lermos Mateus percebemos que a prioridade
são os discursos de CRISTO. Daí os textos aparecerem em lugares diferentes na história de CRISTO. Isso, contudo
não impede o fato de JESUS ter usado o mesmo ensino em momentos diferentes, um na casa do fariseu como no caso
de Lucas e outro no último discurso do Templo como registra Mateus. Vamos estudar os dois textos separadamente,
pois trazem ricas lições dentro de cada um dos livros.
8.3.1 O TEXTO EM MATEUS 23. “Lamento por vocês, escribas e fariseus, hipócritas, porque vocês dão o dízimo
da hortelã, do endro e do cominho e tem negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a
misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas! Guias cegos, que coais o mosquito e
engolis o camelo!” Mt.23:24. Os dízimos aqui mencionados são um mosquito em relação com os deveres de justiça
social, misericórdia e honestidade que DEUS requeria dos que professavam crer nEle.
8.3.1.1 Os líderes religiosos de hoje são duplamente passivos da mesma condenação e lamento de JESUS, pois
além de viverem de um falso dízimo, estão extorquindo25 as pessoas sob ameaças de receberem maldições de DEUS e
chamando os que não colaboram com seu esquema financeiro de ladrões, deturpando 26 estupidamente o ensino do
profeta Malaquias. Para Malaquias DEUS estava sendo roubado na pessoa dos necessitados.
8.3.1.2 Malaquias não escreveu de sua própria mente, mas tudo que escreveu estava baseado na Lei de Moisés,
por isso disse: “Lembrai-vos da Lei de Moisés, Meu servo, a qual lhe prescrevi em Horebe [no Monte Sinai] para todo o
Israel, a saber, estatutos e juízos.” Ml.4:4. Malaquias foi um profeta da Antiga Aliança para um povo que se afastara
desses estatutos e leis que havia jurado obedecer.
25
Extorquir: O crime de tirar vantagem econômica para si ou para outros contra alguém fragilizado.
26
Deturpar: Alterar, mudar, adulterar o ensino.
www.arqueleucunha.blogspot.com 43 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

8.3.1.2.1 Dessa Antiga Aliança levítica Paulo escreve com clareza indiscutível: “Ora, Agar é o monte Sinai
[Horebe], na Arábia, e corresponde à Jerusalém atual, que está em escravidão com seus filhos. Mas a Jerusalém lá
de cima é livre, a qual é nossa mãe”. Diz a Escritura: “Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho
da escrava será herdeiro com o filho da livre.” Gl.4:21-31.
8.3.1.3 Malaquias escreve especialmente aos sacerdotes com quem mantém o diálogo. “Agora, ó sacerdotes, para
vós outros é este mandamento.” Ml.2:1. Pois eles deixaram de ser humildes servos do povo para se tornarem seus
líderes e o povo se deixou guiar por esses sacerdotes, mas eles “violaram a aliança de Levi, diz o SENHOR dos
Exércitos.” Ml.2:8. É baseada nessa aliança de Levi, aliança cerimonial, provisória e simbólica, que seria cravada na
cruz, que Malaquias repreende o sacerdócio dizendo “vos tendes desviado do caminho e, por vossa instrução, tendes
feito tropeçar a muitos”. Ml.2:8.
8.3.1.4 Essa lei levítica garantia o direito de proteção para os necessitados, pois colocava os sacerdotes no mesmo
nível dos pobres. Por essas leis, enquanto houvesse Templo e sacerdotes haveria justiça para pobres e pão para o
faminto, mas nos dias de Malaquias havia muito pobre na terra enquanto a classe rica despontava gozando de prazeres
sem a reprovação dos sacerdotes que estavam ricos entre os ricos. Assim os sacerdotes “se mostraram parciais no
aplicarem a lei.” Ml.2:9.
8.3.1.5 Daí apela o profeta Malaquias diante de tanta exploração em seus dias: “Não temos nós todos o mesmo
Pai? Não nos criou o mesmo DEUS? Por que seremos desleais uns para com os outros, profanando a aliança de
nossos pais?” Ml.2:10. Esse poderoso argumento do profeta faz cada sacerdote lembrar que somos todos irmãos e
que a desigualdade social é pecado diante das leis levitas.
8.3.1.6 O próximo argumento do profeta contra os sacerdotes é a ameaça futura do castigo de DEUS que JESUS
CRISTO reitera27 nos Seus ensinos e que se cumpre 40 anos depois de Sua morte na cruz, quando, no ano 70,
Jerusalém foi tomada, destruído o Templo, o sacerdote e os seus sacrifícios.
8.3.1.7 A palavra de DEUS através de Malaquias contra os sacerdotes é: “Eu Me chegarei a vocês para juízo; serei
testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que
defraudam o salário do jornaleiro, e oprimem a viúva e o órfão, e torcem o direito do estrangeiro, e não me temem,
diz o SENHOR dos Exércitos.” Mal.3:5. A lei de Moisés protegia o direito dos necessitados, mas os sacerdotes torciam
a justiça e o povo não o reprovava, pois também não respeitava a lei de Moisés. Assim DEUS inclui o pecado do
sacerdote no mesmo nível daquele que pratica o adultério e a feitiçaria.
8.3.1.8 Vejamos a origem do argumento de Malaquias. O primeiro direito dos necessitados junto com os levitas era
3 vezes ao ano comer das ofertas do povo levadas ao Templo nas festas cerimoniais religiosas. Por isso a lei ordenava
“Três vezes no ano, todo homem entre ti aparecerá perante o SENHOR, teu DEUS, no lugar que escolher, na Festa da
Páscoa, e na Festa das Colheitas, e na Festa dos Tabernáculos; porém não aparecerá de mãos vazias perante o
SENHOR; cada um oferecerá na proporção em que possa dar, segundo a bênção que o SENHOR, seu DEUS, lhe
houver concedido.” Dt.16:16-17. Desta forma todos poderiam se alegrar em igualdade, pois compartilhariam o mesmo
prato. Ali não haveria nem rico nem pobre, mas o alimento seria comum tanto ao povo como ao sacerdócio. “Te
alegrarás perante o SENHOR, teu DEUS, tu, e o teu filho, e a tua filha, e o teu servo, e a tua serva, e o levita que está
dentro da tua cidade, e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva que estão no meio de ti, no lugar que o SENHOR, teu DEUS,
escolher para ali fazer habitar o Seu nome.” Dt. 16:11.
8.3.1.9 Assim poderia todo povo pobre durante todos os dias das 3 festas anuais comerem fartamente das ofertas
levadas ao Templo por aqueles que tinham posses. Esse era um direito vindo de ofertas. O direito vindo dos dízimos
era a cada três anos. “Quando acabares de separar todos os dízimos da tua messe no ano terceiro, que é o dos
dízimos, então, os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas cidades e se
fartem. Dirás perante o SENHOR, teu DEUS: Tirei de minha casa o que é consagrado e dei também ao levita, e ao
estrangeiro, e ao órfão, e à viúva, segundo todos os teus mandamentos que me tens ordenado; nada transgredi dos
teus mandamentos, nem deles me esqueci.” Dt.26:12-13.
8.3.1.10 Mas nem nos dias de Malaquias, nem nos dias de JESUS, e nem em qualquer outro tempo da história
bíblica se tem registrado que os sacerdotes e o povo foram fiéis a esta lei. DEUS traria justa condenação, mas não
nesse momento. Como Está escrito: “Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois
consumidos.” Ml.3:6.
8.3.1.11 Com esses ensinos da lei levítica em mente foi que o profeta Malaquias registrou: “Desde os dias de
vossos pais, vos desviastes dos Meus estatutos e não os guardastes; tornai-vos para Mim, e Eu Me tornarei para vós
outros, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?” Ml.3:7. Haviam se esquecido do
direito dos órfãos, das viúvas, dos pobres em geral. Deveriam se converter e socorrer os injustiçados, mas estavam
gordos e fartos, por isso se esqueciam do SENHOR e de Suas leis que regiam a vida do Templo e do sacerdócio.
8.3.1.12 “Roubará o homem a DEUS? Todavia, vós Me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas
ofertas.” Ml.3:8. DEUS é roubado e desamparado a medida que o sacerdote e o povo negligente “oprimem a viúva e o
órfão, e torcem o direito do estrangeiro, e não Me temem, diz o SENHOR dos Exércitos.” Ml.3:5.
8.3.1.13 “Com maldição sois amaldiçoados, porque a Mim me roubais, vós, a nação toda.” Ml.3:9. “Então, o Rei
dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o
diabo e seus anjos. Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;” Mt.25:41-
42. Essa condenação especial para os líderes religiosos e suas Associações religiosas, falsamente chamadas igrejas,
não podem estar sob a condenação do Velho Concerto onde Malaquias baseia sua pregação. A lei Levita foi abolida.
Mesmo assim as dominações religiosas com seus administradores não estão livres de piores condenações, pois

27
Reiterar: Repetir, renovar.
www.arqueleucunha.blogspot.com 44 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

o próprio DEUS feito homem mostra a obrigação de amor que requer a lei de igualdade do Reino, onde todos nós
temos o mesmo Pai e nos dizemos irmãos.
8.3.1.14 DEUS não considera somente os líderes religiosos culpados dos pecados de exploração e desigualdade,
mas todos os que apóiam o poder e as riquezas deles, como membros de suas igrejas. Por isso está escrito: “Retirai-
vos dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos; porque
os seus pecados se acumularam até ao Céu, e DEUS se lembrou dos atos iníquos que ela praticou. Dai-lhe em
retribuição como também ela retribuiu, pagai-lhe em dobro segundo as suas obras e, no cálice em que ela misturou
bebidas, misturai dobrado para ela. O quanto a si mesma se encheu de glória e viveu em luxo, dai-lhe em igual
medida tormento e pranto, porque diz consigo mesma: Estou sentada como rainha. Viúva, não sou. Pranto, nunca hei
de ver!” Ap.8:4-7. “Pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim,
miserável, pobre, cego e nu.” Ap.3:17. Leia Jeremias 7 e Lucas 12:13-21.
8.3.1.15 Para você que tomou o lugar de CRISTO como pastor do rebanho está escrito: “Uma coisa ainda te falta:
vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos Céus; depois, vem e segue-Me.” Lc.18:22. Se não
fazes isso o evangelho que pregas é como o conjunto de leis farisaicas que não passam de mosquito enquanto engolis
o camelo.
8.3.1.16 A maldição que Malaquias evoca é do mesmo livro da lei. A maldição é para o sacerdócio e para o povo,
porque todos são cúmplices da injustiça para com os necessitados. A lei dizia: “Maldito aquele que perverter o direito do
estrangeiro, do órfão e da viúva. E todo o povo dirá: Amém!” Dt.27:19.
8.3.1.17 “Tragam todos os seus dízimos aos depósitos do Templo, para que haja bastante comida na Minha
casa; e provai-Me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós
bênção sem medida. Não deixarei que os gafanhotos destruam as suas plantações, e as suas parreiras darão muitas
uvas.” Ml.3:10,11.
8.3.1.18 A “casa do tesouro” não existe há dois mil anos. Perdeu o significado quando DEUS rasgou o véu do
Templo. Mt.27:51. Isso tudo era símbolo. Agora todo cristão tem “intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo
sangue de JESUS, pelo novo e vivo caminho que Ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela Sua carne”. Hb.10:19-
20. O sacerdócio é de todos os cristãos.
8.3.1.19 A Bíblia Almeida Revista e Atualizada traduz como “casa do tesouro”, mas no texto anterior de Am.8:5 ela
traduz como “celeiros de trigo”. E no texto de Ne.13:12, contemporâneo a Malaquias, traduz a mesma palavra
simplesmente como “depósitos”. O Templo, ainda que pudesse ser chamado casa do tesouro pelas riquezas que
possuía (Hb.9:1-5; Lc.21:5) tem melhor tradução para o verso seguindo a Nova Tradução da Linguagem de Hoje
“depósitos do Templo”. Essa grande quantidade de alimentos deveria encher os depósitos do Templo. Assim haveria
comida em abundância.
8.3.1.20 Depois de ter evocado as maldições do capítulo 27 de Deuteronômio, agora Malaquias lembra as
bênçãos do capítulo 28. Segundo a promessa da lei levítica as janelas dos Céus que seriam abertas para derramar
bênçãos, eram as chuvas: “O SENHOR te abrirá o Seu bom tesouro, o céu, para dar chuva à tua terra no seu tempo”.
Dt.28:12. “Provai-Me nisto” diz o SENHOR. Temos que fazer prova do que Ele prometeu e não do que Ele não
prometeu. Os líderes religiosos estão prometendo muitas coisas e negociando com os fiéis. DEUS mandaria para longe
as pragas de gafanhotos.
8.3.1.21 Ao povo ser fiel aos termos da aliança levítica com respeito à aplicação dos dízimos da terra, poderiam
provar as palavras de DEUS conforme a lei. Provariam e veriam que eram verdadeiras. DEUS mandaria chuva para
fazer a terra produzir em grande quantidade e livraria suas plantações das pragas de gafanhotos. Assim todos teriam
provas que as bênçãos e maldições da lei.
8.3.1.22 Malaquias não está inventando bênçãos como os pregadores de hoje fazem para arrancar dinheiro das
pessoas, mas referindo-se as obrigações, bênçãos e maldições do livro da lei. As bênçãos e as maldições de
Malaquias são lembranças do Velho Concerto. Foi baseado na lei levítica que ele escreveu.
8.3.1.23 Os que insistem em impor um falso dízimo sobre os cristãos a fim de sustentarem suas empresas
religiosas falsamente chamadas igrejas, evocam as maldições da lei, sob pena de serem condenados os que não
contribuem com 10% do dinheiro que ganham. Assim desprezam o sacrifício de CRISTO e menosprezam o ESPÍRITO
da graça. “De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de
DEUS, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou28 o ESPÍRITO da graça?” Hb.10:29.
Certamente que se alguém quer obedecer a lei dos dízimos, então segue-se que JESUS morreu em vão. Tem que
levar para o Templo, entregar para sacerdotes e deve ser o produto de sua lavoura pessoal.
8.3.1.24 Assim ensinam e buscam bênçãos e salvação com o dinheiro, através das obras da carne. Não se sentem
aceitos por DEUS unicamente pelo Filho de DEUS. Mas se alguém busca ser aceito por DEUS por causa de suas
obras saiba que “todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito
todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las. E é evidente que,
pela lei, ninguém é justificado diante de DEUS, porque o justo viverá pela fé. Ora, a lei não procede de fé, mas:
Aquele que observar os seus preceitos por eles viverá. CRISTO nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele
próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro), para que
a bênção de Abraão chegasse aos gentios, em JESUS CRISTO, a fim de que recebêssemos, pela fé, o ESPÍRITO
prometido.” Gl.3:10-14.
8.3.1.25 “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em CRISTO JESUS.” Rm.8:1. “Aquele que
não poupou o Seu próprio Filho, antes, por todos nós O entregou, porventura, não nos dará graciosamente com Ele

28
Ultrajar: Insultar, agravar, ofender, difamar.
www.arqueleucunha.blogspot.com 45 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

todas as coisas?” Rm.8:32. Em CRISTO nos foram dadas todas as bênçãos de DEUS. Não há bênção maior para
receber posteriormente. Não podemos conseguir por dinheiro o que nos foi dado gratuitamente. E tudo nos foi dado em
CRISTO pela graça mediante a fé! Se DEUS entregou Seu Filho gratuitamente para conceder vida eterna ao que crê,
por ventura está agora cobrando 10% do salário dos fiéis para poder abençoá-los com coisas deste mundo, coisas
infinitamente menores?! DEUS é representado como sendo mesquinho pelos pregadores que estão refletindo o próprio
interior, pois são mesquinhos na compreensão e estão por assim dizer profanando o sangue da Nova Aliança e
insultando o ESPÍRITO da graça.
8.3.1.26 Se cumpre a palavra que diz: “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas 29, assim também
haverá entre vocês falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias30 destruidoras, até ao ponto de
renegarem31 o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão
as suas práticas imorais, e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade; também, movidos por ambição
ao dinheiro, farão comércio de vocês, com palavras fictícias; Mas faz muito tempo que o Juiz está alerta, e o
Destruidor deles está bem acordado.” 2 Pedro 2:1-3.
8.3.1.27 O líder religioso que está ensinando que será abençoado o homem que contribuir com 10% de seu salário
faz a bênção depender de dinheiro, e DEUS não está vendendo bênçãos, mas os tais estão negando CRISTO. Esse é
o espírito do antiCRISTO32, colocar algo no lugar de CRISTO.
8.3.1.28 Se algum dia você se sentir constrangido com um discurso religioso proferido em alguma igreja chamando
aqueles que não dão 10% de seus rendimentos para os cofres da organização religiosa, ou por qualquer exigência
financeira, pode processar a referida empresa religiosa por tal infâmia e vergonha.
8.3.2 Ainda nos dias de JESUS as leis cerimônias deveriam ser obedecidas por causa de sua função. Assim
JESUS não estava Se desfazendo da lei cerimonial dos dízimos. Não somente a lei dos dízimos, mas toda a lei levítica
deveria ser obedecida. JESUS começa o capítulo 23 de Mateus reconhecendo a obediência a toda lei de Moisés no
verso 2, como em Ml.4:4. Esta lei cerimonial ainda está em vigor e JESUS nunca foi contrário a ela. Ele a defendia,
mesmo que agora acrescentando muitas condenações e lamentos, pois o sacerdócio não era o que devia ser e todas
as obras deles era uma distorção dos ensinos de DEUS. Por isso o povo estava cego e não conseguia enxergar nEle o
Cordeiro de DEUS que tira o pecado do mundo, o Sumo-Sacerdote de nossa salvação.
8.3.2.1 JESUS nasceu e viveu no regime da lei cerimonial: “vindo, porém, a plenitude do tempo, DEUS enviou seu
Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,” Gl.4:4. JESUS também foi circuncidado conforme a lei. Foi adorar no
Templo quando fez 12 anos de idade. Teve uma vida comum de judeu e não se opôs as ordenanças levíticas.
Chamava o Templo de Casa de Meu Pai, ou Casa de Oração. Isso teve duração limitada.
8.3.2.2 JESUS ordenou aos dez leprosos que queriam cura, “Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu que,
indo eles, foram purificados.” Lc.17:14. JESUS procedeu assim porque a lei levítica estava em vigor.
8.3.2.3 Em outra ocasião ao curar um homem de lepra “disse-lhe, então, JESUS: Olha, não o digas a ninguém,
mas vai te mostrar ao sacerdote e fazer a oferta que Moisés ordenou para servir de testemunho ao povo.” Mt.8:4.
Veja em Levíticos 14 todos os sacrifícios que deveria o homem fazer, bem como ofertas e rituais que eram
constituídos de comidas bebidas e diversas abluções.
8.3.2.4 Se já fazem tanta distorção das palavras de JESUS ao dizer para os fariseus que deveriam dar o dízimo,
imagine se Ele tivesse dito que era para testemunho do povo, como falou dos rituais e sacrifícios daquele que foi
curado de lepra! Mas Ele disse: “seus hipócritas. Vocês exageram os ensinos de DEUS para beneficiarem a si mesmos
ou para parecerem justos aos homens, mas todos os vossos dízimos não passam de um mosquito. Vocês não
entendem o real sentido da lei.”
8.3.2.5 O objetivo dessas leis cerimoniais era o ensino através de símbolos. E tudo que foi dito no passado JESUS
explica na máxima: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque
esta é a Lei e os Profetas.” Mt.7:12. Era assim que deveriam ter entendido o que DEUS ensinava. Desde muito já havia
declarado o ETERNO: “porque nada falei a vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, nem lhes ordenei coisa
alguma acerca de holocaustos ou sacrifícios.” Jr.7:22.
8.3.2.6 Se bem que os líderes religiosos não obedeciam corretamente a lei dos dízimos, pois negligenciavam seus
reais ensinos de um sacerdócio humilde de homens pobres entre os pobres, a fim de praticarem a justiça, a
misericórdia, a honestidade e a igualdade entre irmãos, repreendendo desta forma o espírito do mundo, onde os mais
fortes prevalecem sobre os mais fracos, mesmo assim JESUS não se desfez da lei cerimonial dos dízimos, nem de
qualquer outra lei de Moisés.

29
Profeta na Bíblia é alguém que se diz falar em nome de DEUS. No ensino do Novo Testamento se refere a
qualquer pregador ou ensinador cristão seja falso ou verdadeiro.
30
Heresia: “Escolha” partidária que causa divisões contra a unidade da verdade em CRISTO. Aplica-se a ordens
religiosas criadas por votos humanos que se unem em idéias particulares criando assim facções desmembradas da
origem. É a criação de reinos religiosos mundanos, que se autodenominam igreja, alicerçados em votos baseados em
seus dogmas a que têm que se submeterem os que são por eles dirigidos a fim de se tornarem prosélitos, adeptos,
membros de uma dominação religiosa. Cometem o sacrilégio de fazerem de sua empresa um ponto de salvação, uma
regra de fé.
31
Renegar: Rejeitar, negar, desconsiderar, renunciar solenemente, abandonar uma religião por outra, tratar com
desprezo. Aplica-se no ato de rejeitar o domínio de CRISTO e submeter-se ao domínio de outro.
32
AntiCRISTO significa primeiramente “em lugar de CRISTO” e assim abertamente contra CRISTO, mas de forma
sutil, ardilosa, enganadora e disfarçada.
www.arqueleucunha.blogspot.com 46 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

8.3.3 Disse JESUS: “Na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus. Fazei e guardai, pois, tudo
quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem.” Mateus 23:2-3.
8.3.3.1 Todos os ensinos cerimoniais dos levitas, toda lei de Moisés, deveria ser obedecida. Essas eram leis de
DEUS, ainda que provisórias, ainda que os líderes religiosos distorcessem o verdadeiro significado das leis de DEUS,
tornando a verdade em mentira.
8.3.3.2 Tudo o que os líderes religiosos ensinassem de acordo com Moisés, ou quem quer que fosse o ensinador,
deveria ser seguido por todo o povo inclusive por Seus discípulos. JESUS não estava incluindo o ensino pessoal dos
líderes religiosos nem os votos religiosos do Sinédrio com suas invenções doutrinárias, como que tivessem autoridade
para isso, pois a esse respeito JESUS disse: “Toda planta que Meu Pai celestial não plantou será arrancada. Deixai-os;
são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco.” Mateus 15:13-14.
8.3.3.3 Os líderes religiosos ou qualquer que os seguia roubavam a DEUS ao roubarem aos pobres, as viúvas e
aos idosos. Isso inclui qualquer dos esquecidos irmãos de JESUS. DEUS Se fez homem e chamou a todo homem
indefeso, pobre, mendigo, injustiçado, sofredor, faminto, sedento, preso e a todos os doentes e inválidos, a todos os
caídos deste mundo mal de Seus esquecidos irmãos.
8.3.3.4 Em Mateus 15 (=Mc.7) encontramos JESUS condenando o dinheiro de oferta chamada corbã dado para o
Templo. Uma oferta inventada pelos líderes religiosos para conseguir dinheiro do povo. Quando alguém contribuía com
essa doação financeira ficava livre de cuidar dos pais idosos, pois o que iria gastar com eles foi dado para o “serviço de
DEUS” (isto é, para os cofres dos líderes religiosos). JESUS os condena como ladrões e salteadores, pois o serviço de
DEUS era o amor ao próximo.
8.3.3.5 O ensino dos líderes religiosos é um fermento: “E JESUS lhes disse: Vejam e se acautelem do fermento
dos fariseus e dos saduceus.” Mateus 16:6.
8.3.4 Cada cristão deve evitar aqueles que “amam o primeiro lugar nos banquetes e as primeiras cadeiras nas
igrejas, as saudações nas praças e o serem chamados mestres pelos homens.” Mt. 23:6-7. São eles que se colocam
acima dos irmãos como líderes e se ofendem quando não são assim respeitados e tratados com atenção especial e
quando não são mencionados e percebidos em público. São tratados pelos títulos que os coloca em posição superior,
em elevação sobre os que chamam povo comum, são colocados em distinção diante dos homens, mas se tornam
abominação para DEUS. São eles que estão “a si mesmos se mostrando justos diante dos homens, mas DEUS
conhece o coração”, “porque o que entre os homens é elevado perante DEUS é abominação.” Lucas 16:15. São de
posição elevada pelo título que ostentam sobre os irmãos.
8.3.5 JESUS abate o orgulho de qualquer líder religioso ao colocar Seus discípulos no mesmo nível, como iguais
entre iguais. Entre os seguidores de CRISTO não há quem comanda além do próprio JESUS. Sua lei é: “Vós, porém,
não sereis chamados mestres, porque um só é vosso Mestre, e vós todos sois irmãos. A ninguém sobre a terra
chameis vosso pai; porque só um é vosso Pai, aquele que está nos Céus. Nem sereis chamados guias, porque um
só é vosso Guia, o CRISTO. Mas o maior dentre vós será vosso escravo.” Mt.23:8-11.
8.3.5.1 O único título deixado por JESUS para Seus seguidores é o título de irmão. Mas por desobedecer a DEUS
os cristãos nominais criaram hierarquias religiosas que são governo sobre os irmãos e são classificados pelos títulos
que ostentam exatamente como o judaísmo da época de CRISTO e sobre eles pesa a mesma condenação: “Lamento
por vocês, escribas e fariseus, hipócritas, porque fecham o Reino dos Céus diante dos homens; pois vocês não entram,
nem deixam entrar os que estão entrando!” Mt.23:13.
8.3.5.2 Os escribas e fariseus são os líderes religiosos. O Reino dos Céus é o governo de DEUS diante dos
homens. Os líderes não entram e não deixam os outros entrarem porque estabelecem um governo religioso de homens
no lugar do governo de DEUS mantendo os homens sob seu poderio em vez do poderio de DEUS. Trocam seu reino
visível e material pelo Reino invisível e espiritual de DEUS. Não entram para o Reino de DEUS porque têm o seu
próprio.
8.3.6 Assim esses líderes religiosos “atam fardos pesados e difíceis de carregar e os põem sobre os ombros dos
homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los.” Mt.23:4. Os homens são assim explorados e
sobrecarregados porque não aprenderam a se livrar da liderança de homens. Sofrem as cargas pesadas das
organizações religiosas e suas explorações financeiras, bem como toda sorte de abuso psicológico e espiritual, porque
aceitam a autoridade e religião de homens (organizações religiosas falsamente chamadas igrejas) no lugar de
aceitarem unicamente a autoridade e religião de DEUS (a religião de DEUS é JESUS).
8.3.6.1 Não aprenderam ainda o que significam as palavras “vem a nós o Teu Reino e seja feita a Tua vontade”.
Ainda estão escravos da vontade de homens que se colocaram entre eles e DEUS. Precisam aprender o que significa o
convite de JESUS: “Venham a Mim, todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei. Tomem
sobre vocês o Meu jugo e aprendam de Mim, porque Sou manso e humilde de coração; e vocês acharão descanso
para a vossa alma. Porque o Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve.” Mt.11:28-30.
8.3.6.2 O convite é para se livrar de todo jugo humano que se esconde atrás do nome de DEUS e do nome igreja
que governa através de uma hierarquia religiosa para aceitar unicamente o jugo de CRISTO como tendo exclusiva
autoridade sobre os filhos de DEUS nos Céus e na Terra, como nosso Rei e Aquele que sobre nós exerce exclusivo
domínio.
8.3.7 “Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado.” Mt.23:12.
8.3.7.1 Esse texto de acordo com o grego ( uqhlon /hupselon/) se refere ao homem colocado alto, em posição
elevada. Estes homens assim exaltados DEUS mesmo irá abatê-los na manifestação de Sua vinda. Na mesma ocasião
DEUS exaltará Seus humildes filhos que viveram em comunidade como irmãos, que atenderam a lei do Reino. Deve os
líderes religiosos se humilhar (no gr. tapeinwsei /tapeivossei/). Segundo o dicionário bíblico de Strong humilhar
www.arqueleucunha.blogspot.com 47 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

significa tornar baixo, rebaixar, aplainar, reduzir a um plano, rebaixar a condição humilde, reduzir a circunstâncias
mais pobres. Designar alguém a uma posição ou lugar mais baixo. O CRISTO era humilde e Seus seguidores
tiveram a mesma marca.
8.3.7.2 As palavras de CRISTO em Mateus 23:8-13 devem ser entendidas em Sua própria vida de humildade
quando foi exaltado na morte, colocado em posição elevada ou acima dos irmãos quando padecia pendurado na cruz.
Diante de qualquer dúvida quanto ao significado das palavras de JESUS todo cristão deve se encurvar diante dos atos
do Mestre. Tiago e João não sabiam o que estavam pedindo quando pediram uma posição de elevação no Reino de
DEUS aqui na Terra. Mt.20:20-28.
8.3.7.3 As hierarquias religiosas são a identificação perfeita do esquema de exaltação, uma cópia do sistema do
mundo. A palavra hierarquia do grego significa “governo sagrado”, mas é mal entendida hoje como uma pirâmide de
dominação. A hierarquia religiosa é uma contrafação da verdadeira hierarquia, que é o verdadeiro governo sagrado, o
de JESUS CRISTO. JESUS é a única hierarquia de DEUS.
8.3.7.4 JESUS afirmou que Seu reino, sua hierarquia, isto é, Seu governo sagrado, não é daqui. A partir do
momento que um conjunto de cristãos vai a um cartório e abre uma empresa do terceiro setor e a chama de igreja,
então surge o adultério espiritual, pois as pessoas que antes eram a noiva de CRISTO se tornam esposa de outro
pastor. Acharam outro senhor, chefe, governador. Daí surge “o comércio de vós”. O grande comércio praticado pelos
empresários da fé falsamente chamados pastor.
8.3.7.5 O único governo sagrado é o de DEUS em CRISTO. Contra a dominação religiosa dos homens em lugar
de CRISTO há forte argumentação em Apocalipse 14:6-12. O anúncio do Evangelho é a mensagem de que chegou o
Reino de DEUS, o Seu domínio, Seu governo. Essa é a boa mensagem do Reino, isto é, do governo de DEUS. Por isso
todos devem aceitar o governo divino em CRISTO temendo somente a DEUS e desprezando qualquer dominação
religiosa de homens que exercem autoridade sobre homens usando por usurpação33 o nome de DEUS.
8.3.7.6 Os que aceitam qualquer autoridade religiosa além da única legítima que é a de DEUS em CRISTO, não
guardam os mandamentos de DEUS. Foram iludidos pelo príncipe do mundo. Estão prestando homenagem a besta.
8.3.7.7 As organizações religiosas rejeitam o governo espiritual de DEUS e seguem o próprio estatuto e governo,
e, como resultado da exploração dos fiéis enganados, enriquecem mais e mais. Os fiéis pensam estar enviando
dinheiro pra DEUS, mas estão cooperando com a religião dos homens, fazendo-os mais e mais poderosos. Essas
ordens religiosas nomeiam homens e os exaltam. Também usam do poder que possuem para rebaixar e humilhar.
Quando chegarem ao máximo da tolerância divina cairão todas em um só dia, exatamente como Jerusalém, que antes
tinha sido “a menina dos olhos de DEUS” (Zc.2:8) mas cresceu, se tornou adulta e adúltera, sim, é lamentável “como se
fez prostituta a cidade fiel!” Isaías 1:21.
8.3.7.8 As empresas religiosas (falsamente chamadas igrejas) se enchem de riquezas deste mundo e se
ornamentam “de ouro, de pedras preciosas e de pérolas” (Ap.17:4) e causam grande escândalo no mundo,
representando falsamente o caráter de DEUS. As riquezas e a prosperidade financeira, os custosos prédios e
construções da organização, as grandes somas de dinheiro que arrecadam anualmente de falsos dízimos, é para eles
motivo de glória. Porém, no conceito bíblico, quanto mais acumulam nos bancos do mundo maior é a dívida no banco
celeste, e assim têm “na mão um cálice de ouro transbordante de abominações e com as imundícias da sua
prostituição.” (Ap.17:4). “Porque Israel se esqueceu do seu Criador e edificou palácios, e Judá multiplicou cidades
fortes; mas Eu enviarei fogo contra as suas cidades, fogo que consumirá os seus palácios.” Os.8:14. A condenação do
passado anuncia horrível expectação de juízo para o tempo que vivemos, quando a riqueza, o luxo e a desigualdade
social são práticas comuns entre os que professam piedade, mas negam sua realização.
8.3.7.9 Para exemplificar cito o investimento de 212 milhões de dólares que no ano passado, 2008, a empresa
adventista do sétimo dia fez na Bolsa de Valores de Nova Iorque. A principal fonte de renda desta empresa religiosa,
bem como da grande maioria, é o falso dízimo de fiéis que não tem a mínima consciência de como o dinheiro deles é
gasto. Nem sabem quantos bilhões de reais arrecadam os cofres desses reinos religiosos e o tamanho da
concentração de poder que repousa sobre os que os governam.
8.3.7.10 Tudo aquilo que DEUS chama de abominação está contido no cálice cheio de abominações da
prostituta montada na besta de Apocalipse 17:4, e que deu a beber as nações. De acordo com o dicionário Aurélio
nação significa: “1. Agrupamento humano, mais ou menos numeroso, cujos membros, geralmente fixados num
território, são ligados por laços históricos, culturais, econômicos e/ou lingüísticos. 2. O povo de um território organizado
politicamente sob um único governo. 3. Pessoa jurídica formada pelo conjunto dos indivíduos regidos pela mesma
constituição e que, distinta desses indivíduos, é a titular da soberania” (Negrito acrescentado). Toda organização
religiosa que se chama falsamente igreja está em adultério espiritual e se acha incluída na palavra nação de Ap.17.
Foram influenciadas pelas doutrinas medievais. Assim as modernas organizações religiosas constituem uma imagem
ao domínio religioso da Idade Média, dominando elas mesmas os fiéis e suas crenças.
8.3.7.11 Podemos ver um exemplo moderno no livro chamado “Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia”. Esta
empresa religiosa concluiu que seus fiéis “funcionem juntos sob um controle central” que são seus líderes. Pág.22,4§ 34.
Assim se dá com todas as ordens religiosas, ainda que não tenham livro de credos. Porém diz a Escritura “ser CRISTO
o cabeça de todo homem” (1Co.11:3) e único controle central de Sua igreja, pois “Ele é a cabeça do corpo, da igreja.” E
é assim “para em todas as coisas ter a primazia”. Cl.1:18.
8.3.7.12 Ainda na mesma página do livro Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia é feita a justificativa para fazer
da igreja uma empresa religiosa comparando-a com o mundo. Seu argumento é: “Sem organização, nenhuma

33
Usurpar: Adquirir por fraude, por engano. Se apossar indevidamente, de forma ilegal.
34
Este sinal § significa parágrafo. Então se lê assim: página 22, parágrafo 4.
www.arqueleucunha.blogspot.com 48 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

instituição ou movimento pode prosperar. Uma nação sem governo organizado logo se transformaria em caos. Uma
empresa comercial sem organização fracassaria. Assim seria com a Igreja: sem organização, ela se desintegraria e
pereceria.” Pág.22,5§. Essa justificativa denuncia a origem humana e mundana da organização. Isso é verdade com
respeito às coisas mundanas, mas não com respeito às coisas de DEUS. Os que pensam assim testificam contra si
mesmos que quem dá vida para suas igrejas é um CNPJ alimentado por contas correntes ao fazer da igreja uma
empresa mundana sendo organizada conforme o mundo e controlado por homens que são o controle central dos fiéis
que os sustenta e dão vida para a empresa.
8.3.7.13 Há uma grande diferença entre a igreja de DEUS e a dos homens. A de DEUS foi criada em CRISTO, a
dos homens no cartório. A dos homens é uma empresa mundana com CNPJ e conta corrente; a de DEUS um corpo
místico35 de homens livres que sabem adorar a DEUS. A igreja dos homens se desintegraria e pereceria se não fosse
uma empresa com conta corrente para lhes dá vida; a de DEUS é imortal como DEUS cujos cristãos acumulam
tesouros nos Céus ao extraírem de CRISTO sua vida. A de homens tem uma liderança humana que exerce controle
central, a de DEUS tem JESUS no Céu e na Terra como controle central sobre os CRISTÃOS que são “guiados pelo
ESPÍRITO”. Rm.8:14. A dos homens existe como uma cópia das demais empresas e governos do mundo, tendo ali seu
modelo e sendo assim uma organização pessoa jurídica; a de DEUS não é deste mundo e é formada de pessoas
físicas espirituais que tem seu modelo em CRISTO. A organização do mundo é o padrão da igreja dos homens, mas a
igreja de DEUS está organizada em CRISTO e nada tem que ver com as organizações mundanas, mas ao contrário.
Os cristãos nominais confundiram a organização de DEUS com a organização do mundo. “Adúlteros, [isto é, os que são
desleais para com DEUS] não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de DEUS? Aquele, pois, que quiser
ser amigo do mundo constitui-se inimigo de DEUS.” Tiago 4:4.
8.3.7.14 A religião dos homens entrega aos próprios homens a autoridade sobre a igreja e é dirigida por homens,
mas a de DEUS é dirigida por CRISTO, pois JESUS tem a primazia em tudo na igreja de DEUS e somente Ele exerce
domínio.
8.3.7.15 Ainda tomando a empresa religiosa adventista do sétimo dia como exemplo, eles reconhecem “que a
autoridade na igreja repousa nos seus membros, com a responsabilidade executiva delegada a entidades e
oficiais representativos para dirigir a igreja.” Essa prática é comum aos governos religiosos desde o começo do
mundo e está em oposição ao governo de DEUS.
8.3.7.16 Claramente estão os homens colocados no lugar de CRISTO diante dos fiéis. Os fiéis são prisioneiros e
não sabem, mas ao compreenderem serão libertos do cativeiro dos homens, do curral das ovelhas. Sairão então pela
porta e irão atrás do verdadeiro Pastor ao campo aberto, para os pastos verdejantes desfrutando da liberdade
evangélica.
8.3.7.17 À voz de CRISTO fui libertou do aprisco das ovelhas. Pude ouvi-Lo dizer: “Ainda tenho outras ovelhas,
não deste aprisco; a Mim Me convém dirigi-las; elas ouvirão a Minha voz; então, haverá um rebanho e Um Pastor.”
João 10:16. A igreja de CRISTO é dirigida por Ele mesmo e não por qualquer homem ou muitos deles. A igreja de
CRISTO segue somente Sua voz como norma de fé e prática. Submete-se a JESUS como única autoridade presente.
8.3.7.18 A igreja dos homens tem muitos pastores, mas a de DEUS tem “um Pastor” que é CRISTO. A igreja dos
homens tem muitos dirigentes, mas o remanescente fiel é dirigido diretamente por JESUS e se submete somente a
JESUS, sendo Ele mesmo o único Pastor.
8.3.7.19 O sistema religioso do mundo que tornou a igreja uma empresa mundana organizada numa forma
piramidal, segundo a nova ordem mundial, esquema reconhecidamente maçônico, é formado em vários níveis, cujas
camadas se submetem as superiores e todas juntas vivem à custa da grande massa escravizada que são os fiéis que
compõe a base de toda pirâmide. Assim se estruturam os governos políticos e religiosos do mundo. Esse é o modelo
da empresa religiosa adventista do sétimo dia, cujo mais elevado nível de governo humano é a assim chamada
Associação Geral. A ordem estabelecida é que todas as demais camadas da pirâmide “reconhecerão a Associação
Geral como a autoridade suprema, abaixo de DEUS, entre os Adventistas do Sétimo Dia.” Pág.27,3§. Essa era a
proposta de Satanás no Céu ao se rebelar contra o governo de DEUS, tomar o lugar de CRISTO e ser a mais
elevada autoridade entre os filhos de DEUS.
8.3.7.20 Assim como o judaísmo, as organizações religiosas falsamente chamadas igrejas se prostituíram e estão
submissas ao poder do maligno ao se colocarem no lugar de CRISTO diante dos homens que julgam estarem eles sob
sua jurisdição. Abaixo de DEUS só há Um, JESUS CRISTO. “Porquanto existe um só DEUS e um só que fica entre
DEUS e os homens, CRISTO JESUS, homem”. 1Tm.2:5.
8.3.7.21 A única autoridade que a Bíblia reconhece como estando abaixo de DEUS para os cristãos é JESUS
CRISTO. “As Escrituras Sagradas dizem: ‘DEUS pôs todas as coisas debaixo do domínio dEle.’ É claro que dentro das
palavras ‘todas as coisas’ não está o próprio DEUS, que põe tudo debaixo do domínio de CRISTO. Mas, quando tudo
for dominado por CRISTO, então o próprio CRISTO, que é o Filho, Se colocará debaixo do domínio de DEUS, que pôs
todas as coisas debaixo do domínio dEle. Então DEUS reinará completamente sobre tudo.” 1Co.15:27-28 NTLH36.
8.3.7.22 A única autoridade suprema abaixo de DEUS entre os cristãos é JESUS CRISTO. Mas as igrejas
mundanas e infiéis, empresas religiosas, já tomaram seu voto e colocaram outro no lugar de CRISTO. “Resolvido que,
abaixo de DEUS, a mais alta autoridade entre os Adventistas do Sétimo Dia encontra-se na vontade da
organização desse povo, expressa nas decisões da Associação Geral quando atua nos domínios de sua própria
jurisdição; e que a tais decisões todos devem submeter-se, sem exceção, a menos que elas estejam em conflito
com a Palavra de DEUS e os direitos da consciência individual.” Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia, pág.1,5§.

35
Místico: de significado espiritual. Algo não deste mundo, não material.
36
NTLH: Versão da Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje da sociedade bíblica do Brasil.
www.arqueleucunha.blogspot.com 49 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

Pergunto se há alguma declaração que esteja mais contra a Palavra de DEUS do que essa?! A Palavra declara que a
mais alta autoridade abaixo de DEUS para os cristãos é JESUS CRISTO. O próprio JESUS declarou “dizendo: Toda a
autoridade Me foi dada no Céu e na Terra.” Mt.28:18. E além dEle não há outro como pretendem os líderes religiosos.
8.3.7.22.1 A palavra antiCRISTO significa primeiramente na língua grega do Novo Testamento “no lugar de
CRISTO”. Originalmente no Céu foi Satanás quem quis o lugar de JESUS. Agora são as autoridades religiosas que
furtam violentamente o lugar de CRISTO como o único que está abaixo de DEUS para conduzir o povo. Entre o cristão
e DEUS só há um.
8.3.7.22.2 Foi mesmo, dentre eles, o seu profeta, que já no fim da década de 1890 disse: “A própria Associação
Geral se está corrompendo com sentimentos e princípios errôneos. ... Têm os homens tirado injusta vantagem sobre
aqueles que eles supõem estarem sob sua jurisdição. Determinaram coagir os indivíduos; governariam ou
arruinariam. ... O poder despótico que se tem desenvolvido, como se a posição tivesse feito dos homens
deuses, faz-me temer, e deveria causar temor. É uma maldição onde quer e por quem quer que seja exercido.”
EF37, p.49.
8.3.7.22.3 Isso é verdade não só para a empresa adventista do sétimo dia, mas para toda ordem religiosa que
após a 2º Guerra Mundial quando o mundo se reorganiza, se reorganizam também e se tornam organizações
empresariais do capitalismo selvagem. São nações religiosas organizadas politicamente e vivem debaixo da sombra
dos Estados organizados, os países do mundo. Desde então os líderes religiosos atingem o máximo do despotismo 38
confirmando-se como pequenos deuses sobre os fiéis, de quem tiram vantagem pensando estarem os homens sob sua
jurisdição. Colocam-se no lugar de CRISTO ao assumirem a autoridade suprema abaixo de DEUS sobre os fiéis.
8.3.7.22.4 “Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado.” Mt.23:12.
Tomemos ainda exemplo no mesmo profeta: “E tu, Cafarnaum [adventistas do sétimo dia que tiveram grande luz],
que te ergues até aos Céus [com referência a privilégios], serás abatida até aos infernos; porque, se em Sodoma
tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje.” EF, p.48. As palavras são de
Ellen G. White, inclusive o que está entre colchetes (negrito acrescentado).
8.3.7.22.5 Em 1904, já com 76 anos de idade, 11 anos antes de sua morte, Ellen G. White escreveu uma visão
sobre a organização religiosa dos adventistas do sétimo dia. “Um Ser que enxerga por sob a superfície e lê o coração
de todos os homens, diz dos que têm recebido grande luz: ‘Não se acham aflitos e atônitos por causa de seu estado
moral e espiritual.’ ‘Escolhem os seus próprios caminhos, e a sua alma toma prazer nas suas abominações;
também Eu escolherei os seus infortúnios, farei vir sobre eles os seus temores; porquanto clamei e ninguém
respondeu, falei, e não escutaram, mas fizeram o que parece mal aos Meus olhos, e escolheram aquilo em que
não tinha prazer.’ Isa. 66:3 e 4. ‘Por isso DEUS lhe enviará a operação do erro, para que creiam a mentira’,
‘porque não receberam o amor da verdade para se salvarem’, ‘antes tiveram prazer na iniqüidade.’ 2Ts.2:11,10 e 12.”
TS39 vol.3, p.253 (negrito acrescentado). Assim estariam em engano como o antigo Israel.
8.3.7.22.5.1 Como disse JESUS: “caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!” Mt.6:23.
Quando os cristãos não vivem de acordo com a luz que conhecem, então a luz que tem se vira em trevas. Suas
crenças se tornam a operação do erro. Caso tivessem sido fiéis à luz recebida, receberiam mais luz ainda.
8.3.7.22.6 Ellen continua descrevendo sua visão de 1904. “O Professor celeste indagou: "Que engano maior
poderá seduzir o espírito do que a pretensão de que estais construindo sobre o fundamento reto e de que DEUS aceita
vossas obras, quando na realidade estais efetuando muitas coisas de acordo com princípios mundanos, e estais
pecando contra Jeová?” TS.3.253.
8.3.7.22.7 Ellen chega a afirmar nesta visão de 1904, aqui relatada, que JESUS declarou que a organização
adventista se tornou prostituta. “Eu vi nosso Instrutor apontando para as vestes da chamada justiça. Tirando-as, pôs a
descoberta a corrupção que estava por debaixo. Disse-me Ele, então: ‘Não vê como eles pretensiosamente encobriam
seu depravamento e corrupção do caráter? 'Como se fez prostituta a cidade fiel!' Isa. 1:21. A casa de Meu Pai é
feita casa de comércio, um lugar de onde partiram a presença e glória divinas! Por esse motivo é que há
fraqueza, e falta de força.” TS.3.254 (negrito acrescentado). “Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?”
Am.3:3. Não há comunhão entre CRISTO e o mundo. DEUS não reconhece como Seu qualquer que pratique a
injustiça. “O firme fundamento de DEUS permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os que Lhe pertencem. E
mais: Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor.” 2Tm.2:19.
8.3.8 “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez
feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós!” Mt.23:15. JESUS condena o proselitismo, isto é, fazer
membros para a igreja, que é algo bem diferente de fazer discípulos para Ele. Ser discípulo de JESUS é seguir a Ele
somente, tendo nEle a fonte definitiva e final da autoridade de DEUS, a que todo cristão tem que se submeter. Ser
prosélito é ser seguidor de alguma ordem religiosa e submisso a seus estatutos. Assim foram condenados os líderes
religiosos na época de JESUS e assim são hoje. As organizações religiosas têm como alvo maior o proselitismo, o
fazer membros para suas igrejas.

37
EF: Abreviação do livro Eventos Finais, uma compilação dos escritos de Ellen G. White, publicado pela Casa
Publicadora Brasileira, uma subempresa da empresa adventista do sétimo dia.
38
Despotismo: Forma simples de governo cujos súditos são tratados como escravos. “Diferentemente da ditadura
ou da tirania, este não depende de o governante ter condições de se sobrepor ao povo, mas sim de o povo não ter
condições de se expressar e autogovernar.”
39
TS: Testemunhos Seletos. Obra publicada pela Casa Publicadora Brasileira dos escritos de Ellen. Contém 3
volumes.
www.arqueleucunha.blogspot.com 50 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
SOBRE OS DÍZIMOS – SC, JUL DE 2009

8.3.8.1 Finalmente, esses reinos religiosos mundanos, que se autodenominam igreja, criam listas de votos
baseados em seus dogmas a que têm que se submeterem os que são por eles dirigidos a fim de se tornarem
prosélitos, membros de uma dominação religiosa. Esses líderes religiosos cometem o sacrilégio de fazerem de sua
empresa um ponto de salvação, uma regra de fé.
8.3.8.1.1 Para exemplificar voltaremos para o livro “Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia”. Ali encontramos 13
votos que no conjunto tornam o indivíduo escravo mantenedor do sistema empresarial sob a falsa idéia que estão em
submissão a CRISTO. Na verdade o conjunto dos 13 votos confirma o prosélito como seguidor de homens e não de
CRISTO. O voto número nove é: “9. Crê na organização da Igreja?” Pág.33,2§. Os inocentes não têm idéia do voto
que estão fazendo. A organização da igreja significa seu CNPJ, uma empresa do terceiro setor. Foram induzidos a
acreditar numa empresa como objeto de fé no mesmo pé de igualdade com JESUS. Isso é ultrapassar
abominavelmente em muito o ensino de JESUS.
8.3.8.1.2 Sem essa aceitação, mesmo que o indivíduo tenha aceitado JESUS como seu salvador, renunciando o
pecado e o mundo, ele não pode receber o batismo da referida igreja.
8.3.8.1.3 Ainda encontramos flagrante contradição entre o voto da referida organização religiosa com o seu profeta.
Escreveu Ellen: “Na comissão dada aos discípulos, CRISTO não somente lhes delineou a obra, mas deu-lhes a
mensagem. Ensinai o povo, disse, "a guardar todas as coisas que Eu vos tenho mandado". Os discípulos deviam
ensinar o que CRISTO ensinara. O que Ele falara”. “É excluído o ensino humano. Não há lugar para a tradição,
para as teorias e conclusões dos homens, nem para a legislação da igreja. Nenhuma das leis ordenadas por
autoridade eclesiástica se acha incluída na comissão. Nenhuma dessas têm os servos de CRISTO de ensinar.”
“O nome de CRISTO é-lhes senha, distintivo, traço de união, autoridade para seu modo de proceder, bem como fonte
de êxito. Coisa alguma que não traga a assinatura dEle há de ser reconhecida em Seu reino.” DTN40, p.826.
8.3.8.2 Segundo a Bíblia o batismo é o sinal externo de que a pessoa se torna discípulo de JESUS. Em outras
palavras, as ordens religiosas não suportam discípulos de JESUS, mas somente prosélitos. Assim são convencidos que
a igreja é uma organização, uma empresa, e fazem desse conceito um dogma, um voto fé.
8.3.8.3 Há um abismo entre as empresas religiosas e a igreja de DEUS. As empresas religiosas de hoje,
falsamente chamadas igrejas são a imagem da igreja da Idade Média. Os exageros não param por aí. Há infinitos
abusos praticados em nome de DEUS por todas as ordens religiosas. Mas no final o mar que as alimenta vai secar e
sofrerão em dobro.
8.3.8.4 “Por nosso exemplo aprendais isto: não ultrapasseis o que está escrito”. 1Co.4:6. “Aquele que tem o
Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de DEUS não tem a vida.” 1Jo.5:12. “Todo aquele que ultrapassa a
doutrina de CRISTO e nela não permanece não tem DEUS; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o
Filho.” 2Jo.1:9.
8.3.8.5 Para os que entenderem a mensagem do Reino e se libertarem das hierarquias religiosas, adorando a
DEUS unicamente em CRISTO, sendo dessa forma Sua igreja, um corpo místico, se ornando da verdadeira igualdade,
liberdade e fraternidade farão ecoar em uníssono “voz de numerosa multidão, como de muitas águas e como de fortes
trovões, dizendo: Aleluia! Pois reina o Senhor, nosso DEUS, o Todo-Poderoso.” Apocalipse 19:6.

40
DTN: Desejado de Todas as Nações. Livro original de Ellen publicado originalmente em 1898 nos EUA. Aqui no
Brasil pela Casa Publicadora Brasileira.
www.arqueleucunha.blogspot.com 51 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767
TAIÓ, KOINONIAS DA IGREJA
2. JÉSSICA, 5. ADELIR,
1. PATRÍCIA,
INDIANA, LAÉRCIO, 3. CARMEM 4. ZÉLIA VALMIRA,
SILVINO
MARIA CARDOSO CAROLINE, RENAN
6. VALMIR, 7. ADOLFO, 8. JACKSON, RITA, 10. ARQUELEU,
9. MARIO
LARESSA SOLANGE WOLFGAN GREICI
11. DORVALINA 12. 13. 14. 15.
16. 17. 18. 19. 48.

DIAKONOS
DIAKONOS 1 DIAKONOS 2 DIAKONOS 3 DIAKONOS 4 DIAKONOS 5
RITA-JACKSON SOLANGE-ADOLFO MARIO ZÉLIA

HUPERETES ARQUELEU

AGENDA DO DIAKONOS
HORÁRIO DOMINGO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO
MANHA KOINONIA
TARDE DESCANSO
NOITE K.CASAIS K.DIAKONOS K.FAMÍLIA LAZER

TAIÓ, KOINONIAS DA IGREJA


2. JÉSSICA, 5. ADELIR,
1. PATRÍCIA,
INDIANA, LAÉRCIO, 3. CARMEM 4. ZÉLIA VALMIRA,
SILVINO
MARIA CARDOSO CAROLINE, RENAN
6. VALMIR, 7. ADOLFO, 8. JACKSON, RITA, 10. ARQUELEU,
9. MARIO
LARESSA SOLANGE WOLFGAN GREICI
11. DORVALINA 12. 13. 14. 15.
16. 17. 18. 19. 48.

DIAKONOS
DIAKONOS 1 DIAKONOS 2 DIAKONOS 3 DIAKONOS 4 DIAKONOS 5
RITA-JACKSON SOLANGE-ADOLFO MARIO ZÉLIA

HUPERETES ARQUELEU

AGENDA DO DIAKONOS
HORÁRIO DOMINGO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO
MANHA KOINONIA
TARDE DESCANSO
NOITE K.CASAIS K.DIAKONOS K.FAMÍLIA LAZER

www.arqueleucunha.blogspot.com 52 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


AGENDA MISSIONÁRIA DO DIAKONOS:

COMUNHÃO PESSOAL
TEMPO TOTAL DIARIAMENTE HORÁRIO PESSOAS OBSERVAÇÕES

KONONIAS
TEMPO TOTAL DIA HORÁRIO LOCAL DIA HORÁRIO LOCAL

TRABALHO MISSIONÁRIO
TEMPO TOTAL DIA HORÁRIO OBSERVAÇÕES

ORAÇÃO DA MADRUGADA
1 VEZ POR SEMANA DIA HORÁRIO PESSOAS OBSERVAÇÕES

JEJUM TRIMESTRAL
TEMPO TOTAL DATA DIA PESSOAS OBSERVAÇÕES

KOINONIA HUPERETES
MENSAL HORÁRIO PESSOA OBSERVAÇÕES

www.arqueleucunha.blogspot.com 53 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


AGENDA DO HUPERETES ARQUELEU

DIA HORÁRIO KOINONIA PESSOAS OBSERVAÇÕES


1ª SEGUNDA DO MÊS 19 – 20h DIAKONOS 1 RITA-JACKSON
2ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 2 SOLANGE-ADOLFO
3ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 3 MARIO
4ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 4 ZÉLIA

AGENDA DO HUPERETES ARQUELEU

DIA HORÁRIO KOINONIA PESSOAS OBSERVAÇÕES


1ª SEGUNDA DO MÊS 19 – 20h DIAKONOS 1 RITA-JACKSON
2ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 2 SOLANGE-ADOLFO
3ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 3 MARIO
4ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 4 ZÉLIA

AGENDA DO HUPERETES ARQUELEU

DIA HORÁRIO KOINONIA PESSOAS OBSERVAÇÕES


1ª SEGUNDA DO MÊS 19 – 20h DIAKONOS 1 RITA-JACKSON
2ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 2 SOLANGE-ADOLFO
3ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 3 MARIO
4ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 4 ZÉLIA

AGENDA DO HUPERETES ARQUELEU

DIA HORÁRIO KOINONIA PESSOAS OBSERVAÇÕES


1ª SEGUNDA DO MÊS 19 – 20h DIAKONOS 1 RITA-JACKSON
2ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 2 SOLANGE-ADOLFO
3ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 3 MARIO
4ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 4 ZÉLIA

AGENDA DO HUPERETES ARQUELEU

DIA HORÁRIO KOINONIA PESSOAS OBSERVAÇÕES


1ª SEGUNDA DO MÊS 19 – 20h DIAKONOS 1 RITA-JACKSON
2ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 2 SOLANGE-ADOLFO
3ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 3 MARIO
4ª SEGUNDA DO MÊS 19 - 20h DIAKONOS 4 ZÉLIA

www.arqueleucunha.blogspot.com 54 arqueleu@yahoo.com.br 82 9614 6767


DOM SEG TER QUA QUI SEX SAB
FAMILIA FAMILIA FAMILIA FAMILIA FAMILIA FAMILIA FAMILIA
PROJS KCE PROJS KCE PROJS KCE PROJS KCE PROJS KCE PROJS KCE PROJS KCE
EVANG LOCAL EVANG LOCAL EVANG LOCAL EVANG LOCAL EVANG LOCAL EVANG LOCAL EVANG LOCAL
EVG MUNDIAL EVG MUNDIAL EVG MUNDIAL EVG MUNDIAL EVG MUNDIAL EVG MUNDIAL EVG MUNDIAL
REFORMA E REFORMA E REFORMA E REFORMA E REFORMA E REFORMA E REFORMA E
REAVIVAMENTO REAVIVAMENTO REAVIVAMENTO REAVIVAMENTO REAVIVAMENTO REAVIVAMENTO REAVIVAMENTO
REMANESCENT REMANESCENT REMANESCENT REMANESCENT REMANESCENT REMANESCENT REMANESCENT
PLENITUDE DO PLENITUDE DO PLENITUDE DO PLENITUDE DO PLENITUDE DO PLENITUDE DO PLENITUDE DO
ESPÍRITO. ESPÍRITO. ESPÍRITO. ESPÍRITO. ESPÍRITO. ESPÍRITO. ESPÍRITO.
FRUTOS DO FRUTOS DO FRUTOS DO FRUTOS DO FRUTOS DO FRUTOS DO FRUTOS DO
ESPIRITO ESPIRITO ESPIRITO ESPIRITO ESPIRITO ESPIRITO ESPÍRITO
CIDADE
OS NÃO
ESTADO OS NÃO CRISTÃOS PENTECOSTAIS EVANGÉLICOS CATÓLICOS SABATISTAS
RELIGIOSOS
PAÍS
ORAR ORAR ORAR ORAR ORAR ORAR ORAR
DIARIAMENTE DIARIAMENTE DIARIAMENTE DIARIAMENTE DIARIAMENTE DIARIAMENTE DIARIAMENTE
GRAVÍSSIMO PARENTES EST. BIB. EST. BIB. NECESSITADOS
ESQUECIDOS
POBRES
INJUSTIÇADOS
INDEFESOS
DOENTES
ENLUTADOS
INVÁLIDOS

www.arqueleucunha.blogspot.com 55 arqueleu@yahoo.com.br 47 9977 6605


DÍZIMO RELIGIOSO

O DÍZIMO RELIGIOSO É UMA FALÁCIA MEDIEVAL E


NUNCA FOI PRATICADO POR JESUS OU POR SEUS APÓSTOLOS
1. Em primeiro lugar vamos esclarecer o que era a lei do dízimo na Bíblia. Era uma lei cerimonial e provisória que
servia para alimentar uma família sacerdotal de vida humilde proibida de ter propriedades. Era parte da Velha
Aliança escrita por Moisés e que foi abolida por CRISTO ao morrer na cruz. JESUS então instituiu a Nova e Eterna
Aliança. A lei do dízimo na Bíblia era alimento e jamais foi dinheiro. Além do mais era uma obrigação somente para
os donos de gados, e que tivessem a partir de dez gados, pois quem possuía até o nono gado não dizimava.
Também era uma obrigação para os agricultores que produziam em suas terras grãos e frutas. Qualquer outro tipo
de atividade não dizimava segundo as leis da Bíblia. Veja na Bíblia Levítico 27:30-32. Depois some a isso: “Nada
acrescentes às Suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.” Provérbios 30:6.
2. Quem quer impor tal lei sobre os cristãos é porque “os sentidos deles se embotaram. Pois até ao dia de hoje,
quando fazem a leitura da antiga aliança, o mesmo véu permanece, não lhes sendo revelado que, em CRISTO, é
removido. Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Quando, porém, algum
deles se converte ao SENHOR, o véu lhe é retirado. Ora, o Senhor é o ESPÍRITO; e, onde está o ESPÍRITO do
Senhor, aí há liberdade.” 2 Coríntios 3:14-17.
3. Ainda se alguém insiste em fazer a bênção depender da prática cerimonial dos dízimos, que é uma lei levítica e
que não passa de alimentos e foi engenhosamente transformada em dinheiro, contudo nós “pelo contrário,
rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de
DEUS; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de DEUS, pela manifestação da
verdade.” 2Cr.4:2.
4. Adulterando a Palavra astuciosamente, num passado distante, fizeram o dízimo virar dinheiro e o tornaram um
requisito de bênção ou maldição para os cristãos. Porém “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo
de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da
lei, para praticá-las.” Gl.3:10.
5. Se alguém quer restaurar a lei dos dízimos terá que restaurar tudo mais que a lei cerimonial o diz, como o
sacerdócio levítico, o Templo no monte Sião, lugar para onde tinha que ser obrigatoriamente levado o dízimo, pois
o lugar e o dízimo e os demais rituais eram inseparáveis (e isso será a parte mais difícil porque no lugar do Templo
foi construído uma Mesquita islâmica), também terá que restaurar a circuncisão, os sacrifícios, rituais, os sete
sábados cerimônias, etc. Mas se para sermos salvos temos que dizimar e se a bênção e “a justiça é mediante a
lei, segue-se que morreu CRISTO em vão.” Gl.2:21.
6. “De CRISTO vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes. Porque nós, pelo
ESPÍRITO, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé. Porque, em CRISTO JESUS, nem a
circuncisão, nem a incircuncisa têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor. Vós corríeis bem; quem vos
impediu de continuardes a obedecer à verdade?” Gl.5:4-7. A circuncisão era para os judeus o que o dízimo de
dinheiro se tornou hoje para as ordens religiosas e para os cristãos que conseguiram dominar.
7. Deveriam, contudo mudar o nome de dízimo para imposto religioso, tributo religioso, mensalão ou
qualquer outro nome, mas não dízimo, pois dízimo é uma lei cerimonial de alimentos para um sacerdócio levítico
da lei de Moisés, pertencente a um sacerdócio imperfeito e provisório de um templo feito por mãos humanas cujos
serviços foram abolidos.
8. O dízimo de hoje não é o dízimo bíblico, e assim não pode ser chamado. É como o batismo praticado com um
pouco de água na cabeça. É chamado mundialmente de batismo, mas não pode ser chamado de batismo, pois
batismo na Bíblia é a prática de mergulhar em água. Tanto a palavra batismo como dízimo está com o sentido
corrompido, fazendo a Bíblia dizer o que ela nunca disse.
9. Eu não entrego um dízimo de meus rendimentos para uma organização religiosa porque sou seguidor de
JESUS e não de homens.
10. JESUS jamais pagou ou entregou algum dízimo. A promessa de salvação é para o vencedor, e o vencedor é
aquele “que guardar até ao fim as Minhas obras,” disse JESUS. Apocalipse 2:26.
11. Dizimar nunca foi uma obra de JESUS, nem dos apóstolos, nem de qualquer cristão. Não existe nem um
verso na Bíblia em que a igreja de CRISTO praticava a lei dos dízimos.
12. A lei levítica com o sacerdote, os dízimos que os sustentavam, a circuncisão, sinal desta aliança, o Templo, que
era chamada casa de Oração, casa de DEUS, um lugar físico e fixo para adoração, os rituais e os sacrifícios, tudo
isso era um ensino provisório e “serviu de aio para nos conduzir a CRISTO, a fim de que fôssemos justificados por
fé.” E “tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio.” Gl.3:24.
13. Assim o Templo construído por mãos humanas, o sacerdócio carnal, imperfeito e mortal, os dízimos que os
sustentava com comidas, pois jamais foram dinheiro, as bebidas, as abluções e toda sorte de rituais, constituíam a
lei cerimonial que foi dada por Moisés “quatrocentos e trinta anos depois” de Abraão. Gálatas 3:24. E era “sombra
dos bens vindouros”, “os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e
diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma”. Hb.9:10.
14. O profeta Malaquias defendeu a lei dos dízimos de alimentos de que falou Moisés para que houvesse comida no
Templo e jamais dízimos de dinheiro. Isso ele fez porque viveu no regime da lei de Moisés, quatrocentos anos
antes da vinda de CRISTO. Malaquias mesmo foi claro em seu discurso baseado no que ele mesmo disse: “a

www.arqueleucunha.blogspot.com 56 arqueleu@yahoo.com.br 47 9977 6605


DÍZIMO RELIGIOSO

aliança de Levi”. Malaquias 2:8. Malaquias escreveu para defender a “lei de Moisés” a Velha Aliança e não a
Nova Aliança. Malaquias 4:4.
15. Mas depois que JESUS morreu na cruz “aboliu, na Sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças,”
“tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial,
removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz”. Efésios 2:15, Colossenses 2:14.
16. Desta forma não há um verso no Novo Testamento em que algum cristão praticou a lei de Moisés quanto
aos dízimos. Por isso nenhum profeta do Novo Testamento repreende a igreja de CRISTO que não praticava essa
lei de dízimos que era uma lei provisória de Moisés.
17. E se alguém está pensando que tem que sustentar algum pastor com 10% de seu salário, onde está esse
mandamento no Novo Testamento? Nunca a igreja de CRISTO ou qualquer cristão recebeu dízimos no
Novo Testamento. Esse mandamento foi promulgado pelo homem e não por JESUS CRISTO.
18. A final de contas, quem inventou esse dízimo de dinheiro? No sexto século depois da morte de JESUS, a
igreja católica romana do Papa inventou um dízimo de dinheiro41. No início era algo voluntário para
sustentar o novo governo que se estabeleceu na Terra. Esse novo governo usou o nome de igreja.
19. Anos depois da invenção desse negócio, o dízimo de dinheiro já não era suficiente como uma doação
voluntária para a igreja. Assim foi que no ano de 785 depois de CRISTO, o rei Carlos Magno, zeloso
católico, criou esse dízimo42 praticado pelas igrejas até aos dias de hoje.
20. Pervertendo as Escrituras os líderes religiosos da idade das trevas, auxiliados pelos reis, criaram um sistema
financeiro e deram a ele o nome de dízimo. Falsificaram a religião de JESUS CRISTO e a idade das trevas ainda
não acabou para a maioria dos cristãos. Que não haja orgulho nessa questão, mas que humildemente haja
reconhecimento do erro.
21. A Igreja Católica, inventora do dízimo de dinheiro e do governo religioso, considerada por evangélicos como a
Babilônia e o Papa como a Besta, reconheceram a falácia da criação infundada de um dízimo de dinheiro e o Papa
Bento XVI extinguiu o termo "dízimos" do quinto Mandamento da Igreja. Promulgado em 28 de junho de 2005 e
republicado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.
22. Quero todo meu dinheiro de volta, pois fui iludido nesse negócio. Fizeram-me pensar que estava dando dinheiro
para DEUS, mas na verdade para um empresa religiosa, para um governo de homens. Será que vão devolver o
meu dinheiro para que eu possa entregar finalmente para DEUS? E os meus quinze anos de serviço fiel a essa
instituição? Quem pode me devolver? E os danos morais que me causaram por todo constrangimento que passei
de ser excomungado, sem contar os dolos extraoficiais frutos das más línguas, as afrontas e injúrias?!
23. Graças a DEUS que apesar de toda injustiça praticada em nome dEle, Ele foi maior em minha vida e hoje olhando
para Ele sem os óculos da religião criada pelos homens, posso afirmar que Ele é justo com Seus filhos e que no
Reino dEle não há exploração e desigualdade.
24. Te amo mais JESUS, mais que nunca. Celebro tua bondade e justiça, Rei Eterno. Somente Tu És o meu Pastor e
nada me falta. Louvado sejas ó ETERNO, pois agora Vós passastes a reinar! Na minha vida foi deixado com César
o que era dele, o governo deste mundo; e foi dado a Ti o governo de minha fé. Aconteceu a separação dos
poderes. Aos homens os governos do mundo e a JESUS o governo da fé, o Reino dos Céus. Virás buscar o Teu
rebanho e não o rebanho dos outros pastores, pois os que se apropriam de ovelhas alheias são ladrões e
salteadores.
25. Quem dera entendessem o que dissestes quando desafiado pelos líderes religiosos “Dai a César o que é de César
e a DEUS o que é de DEUS.” Mateus 22:21. A cara de César ainda está no dinheiro, mas a Tua JESUS está no
rosto dos homens, dos fiéis, dos pequeninos, dos esquecidos. Que os líderes religiosos deixem o poder e o
domínio com os governantes desse mundo e se querem governar e exercer domínio aproveitem a democracia e
reconheçam que todo governo nesse mundo é de César, mas o governo religioso pertence somente a DEUS.
26. Quando os apóstolos pensaram em um governo religioso liderado por CRISTO e partilhado com eles, “JESUS,
chamando-os para junto de Si, disse-lhes: Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos
sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem autoridade. Mas entre vós não é assim; pelo contrário,
quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será
servo de todos. Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em
resgate por muitos.” Marcos 10:42-45.
27. Enquanto os fariseus exerciam governo religioso sobre as pessoas, elas não puderam receber o único e
verdadeiro Pastor nem entrar no Reino de DEUS e eles mesmos enquanto exercem administração religiosa não
dão a DEUS o que é de DEUS. Aprisionam as pessoas a si mesmos, a sua forma de fé. A vida dos homens que
confiam em sua liderança religiosa é transformada em base da pirâmide de seu governo religioso.
28. Quando JESUS falava Reino dos Céus, é porque ele é dos Céus mesmo e não da Terra. Continuo orando “venha
o Teu Reino” porque o Reino dEle está vindo, mas enquanto ele não vem é um Reino espiritual. “Interrogado pelos

41
Pode-se pesquisar qualquer enciclopédia. Para entender o desenvolvimento Ver o verbete História Eclesiástica,
Grande Enciclopédia Rialp. Caso não conheça essa enciclopédia, ache o verbete “Dízimo” na famosa Nova
Enciclopédia Basra. Ali está esclarecido o assunto.
42
Isso está escrito em uma das mais respeitadas obras cristãs já publicadas “Dicionário Internacional de Teologia
do Novo Testamento” sob o verbete “Dízimo”, pag. 601. Artigo completo 595-601.
www.arqueleucunha.blogspot.com 57 arqueleu@yahoo.com.br 47 9977 6605
DÍZIMO RELIGIOSO

fariseus sobre quando viria o reino de DEUS, JESUS lhes respondeu: Não vem o Reino de DEUS com visível
aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de DEUS está dentro de vós.” Lucas 17:20-21.
29. Quem rejeita qualquer governo religioso e faz de JESUS seu único pastor, vivendo Suas práticas de caridade, está
vivendo a religião de DEUS. O que passa disso é religião de homens.

www.arqueleucunha.blogspot.com 58 arqueleu@yahoo.com.br 47 9977 6605


A RELIGIÃO DE DEUS

TODAS AS RELIGIÕES SÃO CRIAÇÕES DOS HOMENS,


MAS EXISTE A RELIGIÃO DE DEUS
1. O cristianismo como hoje o conhecemos é uma deterioração da RELIGIÃO de DEUS. Distanciou-se tanto que se
assemelha mais as ideologias pagãs, fazendo, no entanto uso dos nomes “Bíblia, JESUS e DEUS”, que por sua
vez foram reduzidos a artigos de um grande comércio de almas humanas causando escândalos, injustiças e
abominações dentro de um grande e lucrativo negócio da fé. Bem analisado se verá como de fato o é: religião
criada por homens. DEUS quer vomitá-los. Ap.3:16,17. “E em vão Me adoram, ensinando doutrinas que são
normas de homens.” Marcos 7:7.
2. A palavra religião vem do latim e significa religar. É o mesmo que ponte ou mediador. JESUS CRISTO é a única
RELIGIÃO de DEUS e foi criada em tempos eternos, mas se materializou na cruz. A dos homens, porém, existe
desde que o homem se separou de DEUS pelo pecado e na sua tentativa de reencontrá-Lo materializaram sua
própria religião. Atualmente ainda estão criando em cartórios suas religiões por não compreenderem a RELIGIÃO
de DEUS – Ela não tem CNPJ, endereço, conta corrente, governo de homens, paredes, prédios, hierarquias, etc..
3. Uma vez distante do Criador, desde sempre o homem procurou se religar a Ele e desde sempre o homem está
criando sua própria religião. É uma tentativa sincera do homem, mas de forma corrompida a religião se tornou
desde sempre o maior fator de dominação, exploração, desigualdade, injustiça, de alienação, domesticação e
escravismo do homem. Da menor e mais remota tribo ao maior dos impérios todos os povos foram organizados em
torno da religião. O maior poder de domínio exercido na história humana não foi dos exércitos, soldados e armas,
mas o das ideologias religiosas. A religião sempre foi o pilar de domesticação dos povos e o alicerce dos governos.
Isso não mudou.
4. Vemos as mesmas barbaridades no mundo contemporâneo. Apesar de toda informação disponível os homens
ainda se encontram em trevas alienados por governos religiosos que se apropriaram do nome de JESUS e no
cartório criam uma religião institucional tornando homens fiéis a si mesmos e não a CRISTO. Isso é prestar
homenagem, reconhecer a autoridade de um homem ou conjunto de homens ou adorar a criatura em vez do
Criador. Estão se prostrando em questão de religião diante de outro nome quer seja torre de vigia, papado, pastor,
associação, convenção, concílio, etc..
5. Quando nos Dez Mandamentos DEUS proibiu ao homem fazer imagens de esculturas, Ele estava proibindo ao
homem criar um meio pelo qual se chegar a Ele. Ele estava dizendo a humanidade “não crie uma religião para
você”. À desobediência desse mandamento se dá o nome de idolatria. Isso é quando alguém cheio de boas
intenções cria uma religião, um caminho pelo qual os homens podem se chegar a DEUS. Para isso criam um nome
e daí a defesa desse nome. A isso se dá o nome denominação religiosa. Mas DEUS nos deu apenas um nome. “E
não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do Céu não existe nenhum outro nome, dado entre os
homens, por meio do qual sejamos salvos.” Atos 4:12.
6. Diante de toda tentativa humana e das distorções e injustiças das religiões, DEUS apresenta Sua resposta:
“Porquanto há um só DEUS e um só Mediador [Ponte, RELIGIÃO] entre DEUS e os homens, CRISTO JESUS,
homem”. 1Timóteo 2:5. Ao contrário do que muitos pensam a religião judaica nunca foi a religião de DEUS, mas
somente um símbolo provisório e imperfeito dela. Originalmente ela apontava para a religião de DEUS, JESUS
CRISTO. O cordeiro perfeito sacrificado, o sacerdócio, o Templo, a cidade de Jerusalém, as cerimônias, os
feriados sagrados, o monte Sião, a circuncisão sinal da aliança, tudo era de significação simbólica e provisória. Em
JESUS tudo é removido e tornado antiquado. A Nova Aliança fala de coisas superiores.
7. “Pois está escrito que Abraão teve dois filhos, um da mulher escrava e outro da livre. Mas o da escrava nasceu
segundo a carne; o da livre, mediante a promessa. Estas coisas são alegóricas; porque estas mulheres são duas
alianças; uma, na verdade, se refere ao monte Sinai, que gera para escravidão; esta é Agar. Ora, Agar é o
monte Sinai, na Arábia, e corresponde à Jerusalém atual, que está em escravidão com seus filhos. Mas a
Jerusalém lá de cima é livre, a qual é nossa mãe ... Vós, porém, irmãos, sois filhos da promessa, como Isaque.
Como, porém, outrora, o que nascera segundo a carne perseguia ao que nasceu segundo o ESPÍRITO, assim
também agora. Contudo, que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da
escrava será herdeiro com o filho da livre. E, assim, irmãos, somos filhos não da escrava, e sim da livre.” Gálatas
4:22-31.
8. A religião segundo a carne, isto é, do homem, criada em acordo com o mundo em um cartório, possuindo
endereço, CNPJ, etc., é como o judaísmo da velha aliança e gera somente para a escravidão e morte. Devemos
lançar fora completamente a nossa religião e nos apegar na RELIGIÃO de DEUS segundo a Sua promessa. Isso é
fé, certeza do que não se vê. Dessa forma é que JESUS CRISTO Se torna real na vida de quem O busca.
Enquanto adoramos a DEUS baseados na religião de templos mortos, de endereço e de governos humanos
estamos negando a fé, distorcendo e substituindo a RELIGIÃO de DEUS.
9. Não compreendendo esta realidade, muitos como a mulher samaritana pode se questionar ou mesmo questionar
DEUS: “Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve
adorar.” João 4:20. O local a que a mulher se refere é o Monte Gerizim, santificado por Moisés como o Monte da
Bênção que estava concorrendo com o Templo de Jerusalém e o Monte Sião. A questão é insegurança de
salvação. Qual a religião verdadeira? Onde o local certo para adorar a DEUS? Esse medo deve acabar para
todo aquele que crer em JESUS. Ele tem a resposta e ela serve não somente para a mulher samaritana, mas para
todo judeu, para todo religioso e para todo cristão. É uma verdade definitiva para quem acredita no Filho de DEUS.

www.arqueleucunha.blogspot.com 59 arqueleu@yahoo.com.br 47 9977 6605


A RELIGIÃO DE DEUS

10. “Disse-lhe JESUS: Mulher, podes crer-Me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém
adorareis o Pai.” João 4:21. JESUS veio como a verdade definitiva. O cumprimento das profecias antigas se
achava nEle. “Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai no ESPÍRITO e
verdade; porque são estes que o Pai procura para Seus adoradores. DEUS é ESPÍRITO; e é próprio que os
Seus adoradores O adorem no ESPÍRITO e verdade.” João 4:23-24. Esses são termos da Nova e Eterna
Aliança feita no sangue de CRISTO, da qual a Velha Aliança fora símbolo. Não existe um local para adorar a
DEUS, mas JESUS Se desfaz completamente da religião simbólica e assume o lugar entre DEUS e os homens.
Ele está procurando o verdadeiro adorador, aquele que O adora no ESPÍRITO e verdade, e não nos símbolos
removidos, e não em templos de pedras mortas. Por outro lado os líderes religiosos procuram adoradores que
estejam em sua jurisdição, sob seu governo e que o façam em seus campos de concentrações, restaurando aquilo
que não tem mais validade.
11. Em sua tentativa desesperada de chegar-se a DEUS, a humanidade em sua ignorância, torna-se presa fácil dos
hábeis líderes religiosos, exploradores da fé. Em vez de conduzirem a humanidade a CRISTO, tornam-na súditas
do próprio governo religioso. É estudado plano maligno que os homens mantenham a forma religiosa com todas as
suas cerimônias e governos espúrios, pois são uma contrafação deturpadora do símbolo da RELIGIÃO verdadeira.
Criaram a religião da RELIGIÃO. Através da conformidade com a crença do grupo, a consciência encontra uma
falsa certeza de salvação. Iludidos pensam conseguir agradar a Divindade através de dinheiro e do cumprimento
de normas eclesiásticas. Encontram finalmente uma falsa paz com DEUS. Os homens transformam, portanto, suas
religiões na própria RELIGIÃO de DEUS.
12. Aceitar a RELIGIÃO de DEUS é rejeitar todos os governos religiosos bem como suas lojas e viver JESUS na vida
pessoal do dia a dia manifestando essa fé não em formas contemplativas, cerimônias e dogmas, mas através de
uma vida piedosa, pois a manifestação de estar na verdadeira religião, “A religião pura e sem mácula, para com o
nosso DEUS e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas [os esquecidos irmãos de JESUS] nas suas tribulações e a
si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.” Tiago 1:27. A não comunhão com as coisas do mundo, a piedade
e caridade, são selos do cristão. A RELIGIÃO de DEUS Se manifesta em obras de piedade e não em uma
organização religiosa.
13. DEUS também não criou o judaísmo, símbolo de Sua RELIGIÃO, para ser um governo, mas um serviço de fé.
Corrompeu-se, portanto e chegou a crucificar o SENHOR. Assim também toda religião professamente cristã para
existir, necessariamente terá que estabelecer suas normas de governo e virtualmente estão crucificando o
SENHOR outra vez. “Jeitosamente rejeitais o preceito de DEUS para guardardes a vossa própria tradição.”
Marcos 7:9. Toda religião é um Estado Totalitário, detendo em si todos os poderes, Executivo, Legislativo,
Judiciário e Divino. Arrogam-se até ao Céu e se assentam no trono (governo) como se fosse o próprio DEUS.
14. A única forma de voltar para DEUS é através da ponte que Ele criou, do Mediador que Ele criou, isto é, da Sua
religião. A religião verdadeira é a única que pode nos levar para DEUS e a religião verdadeira é JESUS.
“Respondeu-lhe JESUS: Eu Sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida; ninguém vem ao Pai senão por Mim.” João
14:6. Para vir ao Pai, disse JESUS, é exclusivamente por Mim. Eu sou a Religião, Aquele que religa. “Somente por
Mim” disse Ele. Ao excluirmos todas as religiões de nosso caminho ficamos livres para chegar ao Pai em CRISTO
unicamente.
15. Quando o líder ditador da China Mao Tse Tung falou que a religião “é o ópio 43 do povo” certamente esqueceu de
falar sobre os traficantes dessa droga. Os líderes religiosos são traficantes ricos que embriagam as massas
alienando-os da verdadeira RELIGIÃO, JESUS CRISTO. Usam o nome JESUS, DEUS, Bíblia, ou qualquer outro e
fazem o povo embriagado achar que qualquer caminho leva para DEUS. Esta mentira entorpecente opiou as
massas que iludidas não chegam a DEUS, mas na boca do lobo ou no curral dos que se intitulam pastores, padres
e todos os elementos de mesma natureza, porém de títulos diferentes, a fim de serem manipulados, escravizados
e extorquidos por eles. São reféns de homens que são reféns de suas cobiças, da sede de poder que os ludibriam
e os colocam acima daqueles que chamam de irmãos, mas que na verdade são seus súditos, súditos de seus
dogmas e todos eles súditos do Explorador Mor.
16. Sendo JESUS o único caminho que leva para DEUS, os líderes religiosos com seus governos se colocaram como
pedágio do CAMINHO, pedágio espúrio do Caminho gratuito de DEUS. Vão sugando os pobres cativos de suas
lideranças espúrias, servindo-se da ingenuidade e falta de conhecimento do povo, ignorância que os torna líderes
vãos que promovem mais e mais a desigualdade de conhecimento e a solidificação de classes elitizadas e
diferentes, cuja pirâmide não para de crescer colocando-os cada vez mais acima em posição. Existirão até o fim
quando “Toda planta que Meu Pai Celestial não plantou será arrancada.” Mateus 15:13.

43
Ópio: Entorpecimento. Droga que deixa o indivíduo adormecido, em estado de torpor, com a mente anuviada,
que deixa o sujeito drogado. Ele fica amarrado e perde a liberdade.
www.arqueleucunha.blogspot.com 60 arqueleu@yahoo.com.br 47 9977 6605
CONTA DE JESUS

QUAL O NÚMERO DA CONTA DE JESUS?


Um dos mais lucrativos negócios do mundo é o religioso. Os mercadores da fé, como empresários que são,
praticam o mercado ilegal e clandestino, o comércio de almas. O nome do negócio é igreja. Os nomes sagrados
JESUS, DEUS, Bíblia são usados como propaganda do negócio, como produtos de um mercado.
“Aquele que não poupou o Seu próprio Filho, antes, por todos nós O entregou, porventura, não nos dará
graciosamente com Ele todas as coisas?” Rm.8:32. Em CRISTO nos foram dadas todas as bênçãos de DEUS. Não
há bênção maior para receber posteriormente. Se JESUS é o seu Pastor, nada te falta. Você já tem tudo o que DEUS
prometeu. Mas como os homens estabeleceram líderes religiosos para si mesmos, então há uma fome insaciável. É
assim que o negócio da fé prospera. As pessoas voltam sempre e inadvertidamente pagam alto por isso. São uma
fonte inesgotável para um multimilionário comércio cujos gerentes do negócio podem dizer que nada lhes falta.
Não podemos conseguir por dinheiro o que nos foi dado gratuitamente. E tudo nos foi dado em CRISTO pela
graça mediante a fé! Se DEUS entregou Seu Filho gratuitamente para conceder vida eterna ao que crê, por ventura
está agora cobrando dinheiro dos fiéis para poder abençoá-los com coisas deste mundo, coisas infinitamente
menores?! DEUS é representado como sendo mesquinho pelos pregadores que estão refletindo na verdade o próprio
interior, pois são mesquinhos na compreensão e estão por assim dizer profanando o sangue da Nova Aliança e
insultando o ESPÍRITO da graça.
Cumpre-se a palavra que diz de um cristianismo posterior: “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos
profetas, assim também haverá entre vocês falsos mestres ... e, por causa deles, será difamado o caminho da
verdade; também, movidos por ambição ao dinheiro, farão comércio de vocês, com palavras inventadas; Mas faz
muito tempo que o Juiz está alerta, e o Destruidor deles está bem acordado.” 2 Pedro 2:1-3.
A mais distorcida interpretação de um texto bíblico que já vi em toda minha vida é o da Escritura de Malaquias
3:10. Como exemplo, vejamos o voto dos administradores de uma poderosa Associação religiosa para o sustento de
seus pastores: "A casa do tesouro. O dízimo é do Senhor, e deve ser devolvido à casa do tesouro, à tesouraria da
associação."44 Será que a Escritura da Velha Aliança concorda em sua verdadeira interpretação que as contas
bancárias das Associações das igrejas são a casa do tesouro de DEUS? Ainda que nenhum cristão em são
discernimento acredite nisso, porém estão sendo vítimas e cúmplices dessa aberração.
No ano de 2008 somente o escritório maior da referida igreja nos EUA depositou 212 milhões de dólares na
Bolsa de Valores de Nova Iorque. Se isso foi a sobra do montante imagine... A principal fonte de renda desta
empresa religiosa, bem como da grande maioria, é o professo dízimo, cujos fiéis não tem a mínima consciência de
como o dinheiro é gasto, nem sabem quantos bilhões de reais arrecadam os cofres desses reinos religiosos e o
tamanho da concentração de poder que repousa sobre os que os governam. Quando for feita a CPI das religiões
haverá necessidade de muitos novos presídios.
Para os que usurparam o lugar de JESUS como pastores do rebanho, para os que querem se dedicar
exclusivamente a JESUS e a Seu Evangelho, é feito o convite: “vá, venda tudo o que tem, e dê o dinheiro aos pobres,
e terás um tesouro no Céu. Depois, venha e Me siga.” Mt.19:21. Se não fazes isso o evangelho que pregas é como o
conjunto de leis farisaicas que não passam de mosquito enquanto engolis o camelo. Não querem ter tesouros no Céu,
mas na Terra. Negam a realidade da fé que dizem promover. Rejeitam o chamado verdadeiro de JESUS e aceitam ser
empresários da fé. Se dedicar a JESUS é se dedicar aos desfavorecidos como fez os santos Francisco de Assis e
Tereza de Calcutá.
A conta de JESUS é a conta dos pobres. “Quem se compadece do pobre ao SENHOR empresta, e Este lhe paga
o seu benefício.” Provérbios 19:17. O pobre é aquele que está em posição de inferioridade, são os esquecidos, os
injustiçados, os indefesos e os inválidos. É qualquer um que está em desvantagem em relação a nós. Isso é
depositar diretamente na conta de JESUS. Para esta obra há recompensa. A casa do tesouro do cristão é o Céu e o
seu caixa são os pobres.
O juízo de DEUS é bem diferente dos critérios das igrejas. O que JESUS vai cobrar é simples: “Tive fome, e Me
destes de comer; tive sede, e Me destes de beber; era mendigo, e Me hospedastes; estava nu, e Me vestistes;
enfermo, e Me visitastes; preso, e fostes ver-Me. Sempre que o fizestes a um destes Meus esquecidos irmãos, A
MIM O FIZESTES. Mateus 25:31-46.

44
Regulamentos Eclesiástico-Administrativos da DSA 1998 – V 12 05 4. É o livro especial da Igreja Adventista Do
Sétimo Dia, conhecido como o Livro de Praxes.
www.arqueleucunha.blogspot.com 61 arqueleu@yahoo.com.br 82 8709 0007