Anda di halaman 1dari 18

PROJETO SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA MÉDIA TENSÃO

Instalk – Projetos e Execução Ldta.


Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

SUBESTAÇÃO
elétrica
TRANSFORMADORA

BIBLIOTECA
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

PROJETO SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA


MÉDIA TENSÃO

PROJETO PROJETO SUBESTAÇÃO


BIBLIOTECA
TRANSFORMADORA
MÉDIA TENSÃO

O presente projeto foi elaborado de


acordo com a Norma que define os Subestação Elétrica
termos relacionados com materiais e
equipamentos utilizados em Subestações Transformadora
transformadoras de Energia Elétrica da BIBLIOTECA
Concessionária local (AESUL).
2
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

1.RESUMO DA OBRA

Este trabalho apresenta a elaboração de um projeto de uma Subestação

INSTALK – PROJETOS E EXECUÇÃO LDTA.


Transformadora de média tensão para uma Biblioteca. A fim de se ter um
parâmetro comparativo, utilizou-se a planta da subestação abrigada superior a
300Kva com dois transformadores em paralelo na cidade de São Leopoldo RS,

Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS


A entrada será em 13,8kV, na alta tensão, e 220/127V, na baixa tensão. Foram
dimensionadas conforme o cálculo demanda instalada. Também será feito
uma proposta de um valor comercial para o projeto como um todo,
discriminando-se os valores dos equipamentos e da mão-de-obra. Para isso,
serão obtidos dados técnicos a partir das normas da companhia de distribuição
local, e também a partir de levantamento bibliográfico que explicitarão os
conceitos técnicos e teóricos associados ao sistema de distribuição de energia
elétrica.

2.DADOS DO CLIENTE

Empresa: UNISINOS
Obra: SUBESTAÇÃO BIBLIOTECA
Dados Adicionais: O projeto visa estabelecer condições de acordo
com o Regulamento de Instalações Consumidoras Fornecimento em Média


Tensão Rede de Distribuição Aérea (RIC) da concessionária local (AESUL).3ª

Tel. (51)3561 -6464


EdiçãoVersão 1.0 Setembro/2008.

Autor Projeto: Elemar S. Fröhlich (Eletrotécnico Crea nº342179)


Data: 05/07/2010
Revisão: 22/08/2010 

3. REFERÊNCIAS NORMATIVAS
instalk@yahoo.com.br

NTAES 04 Padronização de Materiais


NBR 5474 Conectores Eletricos
NBR 5472 Isoladores e buchas
NBR 5471 Condutores Elétricos
NBR 5470 Pára-raios
NBR 5459 Manobra, Proteção e Regulagem de Circuitos
NBR 5458 Transformadores
NBR 6547 Ferragem de Linhas Aéreas
NBR5434 Localização dos Postes
NBR5421 Aterramento
3
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

Na utilização desta Norma recomenda-se consultar:

-ABNT/NBR-5287: Pára-raios de resistor não linear a carboneto de silício para circuitos de


potência de corrente alternada.
- ABNT/NBR-5410: Instalações Elétricas de Baixa Tensão/Procedimento
- ABNT/NBR-5419: Sistema de Proteção Contra Descarga Atmosférica (SPDA).
- ABNT/NBR-5440: Transformadores para Redes Aéreas de Distribuição/Padronização.
- ABNT/NBR-8124: Chaves Fusíveis de distribuição classe 2.
- ABNT/NBR-8452: Especificação de poste de concreto armado para rede de distribuição.
- ABNT/NBR-10068: Folha de Desenho - Leiaute e Dimensões/Padronização.
- ABNT/NBR-10582: Conteúdo da Folha para Desenho Técnico/Procedimento.

NORMA BOMBEIROS CONTRA INCÊNDIO

Norma Técnica n. 37/2007 – Subestação Elétrica

Esta Norma Técnica estabelece as medidas de segurança contra incêndio em subestações


elétricas, atendendo o prescrito no Código Estadual de Proteção Contra Incêndio, Explosão,
Pânico e Desastres (Lei Estadual n. 15802, de 11 de setembro de 2006).
Adota-se a NBR 13231/94 da ABNT –Proteção contra incêndio em subestações elétricas
convencionais atendidas e não atendidas, de sistemas de transmissão, e NBR13859/97 –
Proteção contra incêndio em subestações de distribuição.
Para compreensão desta Norma Técnica, é necessário consultar as seguintes:
Instrução Técnica n. 37/2004 – CBPMESP.
NBR 8674/84 – Execução de sistemas de proteção contra incêndio com água nebulizada
para transformadores e reatores de potência –procedimento.
NBR 8222/83 – Execução de sistemas de proteção contra incêndio, em transformadores e
reatores de potência por drenagem e agitação do óleo isolante – procedimento.
NBR 11711/92 – Portas e vedadores corta-fogo com núcleo de madeira para isolamento de riscos
em ambientes comerciais e industriais – especificação.
NBR 12232/87 – Execução de sistemas fixos e automáticos de proteção contra incêndio com gás
carbônico (CO2), por inundação total para transformadores e reatores de potência contendo
óleo isolante – procedimento.
Para maiores esclarecimentos, consultar as seguintes referências:
NFPA 12, 1989 Edition – Carbon Dioxide Extinguishing Systems.
NFPA 50 A, 1989 Edition – Gaseous Hydrogen Systems at Consumer Sites.
NFPA 70 E, 1988 Edition – Electrical Safety Requirements for Employee Workplaces.

Para efeitos desta Norma Técnica, aplicam-se as definições constantes da Norma Técnica 03 –
Terminologia de segurança contra incêndio.
4
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

4. PRANCHAS PARA SIMPLES VIZUALISAÇÃO


4.1 PLANTA LOCALIZAÇÃO E SITUAÇÃO

Obs: Para maiores detalhes vide Anexo em escalas proporcionais


5
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

4.2 SUBESTAÇÃO ABRIGADA ATÉ 300 kVA COM MAIS DE UM TRANSFORMADOR

Obs: Para maiores detalhes vide Anexo em escalas proporcionais

Notas:
1. As janelas e a porta devem ser metálicas com venezianas fixas e observar item 7.3.”e”.
2. Atela de proteção deve ter 2,10mde altura, exceto no compartimento destinado aos equipamentos de medição
(TC/TP), onde a mesma deve ser até o teto, de arame nº 14BW Ge de malha 0,015 x 0,015 do tipo OTIS.
3. A chave seccionadora deve permitir, quando de sua abertura, uma excursão mínima de 0,18 para 13,8 kV 0,22
para 23,1 kV entre a parte móvel e o borne energizado.
4. O terminal reserva deve ficar do lado oposto ao da entrada de energia.
5. A laje do piso deve ter uma espessura mínima de 0,10 quando em contato com o solo e 0,15 quando em
pavimento superior.
6. As portas e janelas devem ser confeccionadas em chapa metálica nº 14 USG (1,98 mm).
7. Os punhos de acionamento das seccionadoras devem ficar a 1,20 m de altura do piso e diretamente aterrados.
8. O microinterruptor deve ser instalado junto ao punho de acionamento da chave seccionadora.
9. As conexões dentro do compartimento de medição devem ser feitas através de terminais contráteis com
conectores de compressão, bimetálicos, com dupla compressão.
6

10. Os tapetes de borracha devem ter 0,50 x 0,50 e serem isolados para 15 ou 25 kV.
Página

11. Medidas em metros.


Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

4.3 ESQUEMA UNIFILAR


7
Página

Obs: Para maiores detalhes vide Anexo em escalas proporcionais


Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

4.4 DERIVAÇÃO EM ESTRUTURA TIPO N OU M


8
Página

Obs: Para maiores detalhes vide Anexo em escalas proporcionais


Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

4.5 PORTA METÁLICA INTERNA


9

Obs: Para maiores detalhes vide Anexo em escalas proporcionais


Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

4.6 RESUMO PLANCHA EM A0


10
Página

Obs: Para maiores detalhes vide Anexo em escalas proporcionais


Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

5. CÁLCULO DA DEMANDA PROVÁVEL

Para o cálculo da demanda provável temos os seguintes dados.


D1 – Demanda de luz e tomadas – Tabela assemelhados e escritórios

Até 20 Kw .......................................................... 86% = 17,2 Kw

Restante 111,4Kw .............................................. 70% = 77,98 Kw

TOTAL 95,18 Kw

D2 – Demanda cozinha (Aquecimento)..................................... 8KW

D4 – Demanda do Ar condicionado (Central)

Chiller 1x 117,5 Kw.......................................................... 117,5 Kw

Bombas 2x 10CV = 2x 9,2................................................ 18,4 Kva

Fan-coils 30x 2,60 +7 x 5,4 ............................................... 115,8Kva

D5 – Demanda dos Motores

2 Elevadores 2 x 9,2 x 0,9 16,5 Kva

Bomba d’agua 7,4 Kva

Cozinha e Laboratório 5,4 x 0,8 4,32 Kva

TOTAL 28,2 Kva

DEMANDA TOTAL D(Kva) D1 + D2 + D4 + D5

D- KVA 95,18 + 8 + 251,7 +28,2 = 383 KVA

Vamos optar pela instalações de dois trafo em paralelo de 225 KVA, cada um o que nos da
uma reserva de 15%: É aconselhável não deixar muita capacidade ociosa dos trafos,
porque além da demanda mínima faturável que a concessionária cobra, transformador
subcarregado compromete o F.P. total de instalação.
11
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

6. DADOS TRANSFORMADOR

Potência do transformador (2 x 225KVA)

Tensões Primário 13,8 KV

Tensões Secundário 220/127V

Impedância do Transformador 5%

WCC 2700W

Conexões Δ/Y

7. CÁLCULO DA CORRENTE DE CURTO-CIRCUITO

8. METODO DETALHADO DE CÁLCULO DA CORRENTE DE CURTO-


CIRCUITO

Impedância
12
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

Resistência

Cálculo Resistência do Cabo

n=2

S = 120 mm2 EPR

l=5m

ρ=
13
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br
14
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

9. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO


9.1 INTRODUÇÃO

Este memorial tem por objetivo especificar detalhes construtivos para execução do projeto
elétrico da subestação de medição e transformação em Subestação Abrigada até 300 kVA com
mais um Transformador de média tensão, destina-se a alimentar as instalações da Biblioteca
Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) na cidade de São Leopoldo (RS).

A empresa que executará a obra deverá apresentar a Anotação de Registro Técnico (ART) de
execução de obras/serviço do projeto elétrico em questão.

Toda e qualquer alteração do projeto durante a obra deverá ser feita mediante consulta prévia do
arquiteto projetista que produzirá um ofício aprovando a execução. Ao final da execução deverá
ser entregue um projeto elétrico AS-BUILT (construído) considerando todas as modificações que
foram realizadas no projeto e um diagrama unifilar atualizado.

Ficará a critério do órgão fiscalizador da Prefeitura Municipal de São Leopoldo (SEMOV)


impugnar qualquer serviço executado que não satisfaça as condições aqui prescritas.

9.2 COMPOSIÇÃO DO PROJETO

Além do presente Memorial Descritivo, os seguintes elementos técnicos compõem o projeto:

PRANCHA ÚNICA: Implantação, planta baixa, planta situação, planta localização, esquema
unifilar, simbologia, detalhamento e dimensionamento da entrada de energia.

9.3 NORMAS E DETERMINAÇÕES

As seguintes normas nortearam este projeto e devem ser seguidas durante a execução da obra:

- NBR 5410

- Instalações Elétricas de Baixa Tensão

- NBR 6148 - Condutores isolados com isolação extrudada de cloreto de polivinila (PVC) para
tensões até 750 V

- NR10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade

- RIC/BT - Regulamento de Instalações Consumidoras de Baixa Tensão

Os itens descritos abaixo, tais como tomadas, disjuntores etc. tem suas Normas e citados
quando da descrição dos mesmos.
15

Além das normas e regulamento acima mencionados, também serviu de base para este projeto
Página

as indicações do Projeto Arquitetônico.


Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

9.4 ENTRADA DE ENERGIA E MEDIÇÃO

O abastecimento de BT será em 220/127V a partir da rede secundária de energia existente na


parte frontal do prédio. A entrada será aérea desde a base do poste até o quadro de medição.

Os cabos de alimentação serão compostos por quatro condutores, seção reta 25mm² para
fases/neutro e 16 mm² para o condutor de proteção, do tipo singelo, protegidos na subida do
poste por eletroduto de ferro galvanizado, DN 40mm (3/4").

A medição será do tipo direta,, em quadro padronizado da Concessionária, tamanho CLI 2A


(50x50x18cm), localizado conforme indicação em planta.

Após o medidor, será instalado o disjuntor geral, tipo termomagnético, tripolar, corrente nominal
de 70 A, capacidade de ruptura mínima de 10 kA.

9.5 DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA

O quadro de distribuição (QGBT) será instalado conforme indicado na planta elétrica.

Quadro de distribuição de energia elétrica, embutido na parede, todo construído em material


termoplástico isolante auto-extinguível segundo NF C 20-455, com porta transparente com chave,
tampa espelho removível por desengate com local para fixação de etiquetas identificadoras dos
circuitos, recortada de modo a permitir o acionamento das chaves e disjuntores sem perigo de
toque acidental nas partes energizadas, proteção IP40 ou superior. Deve ter classe de isolação II
e tensão nominal de 380/220 V a 50/60 Hz, conforme a norma NBR IEC 60439-3. Trilho para
fixação dos disjuntores.

O barramento do condutor de proteção será eletricamente ligado ao terminal de aterramento


principal (TAP), e o barramento de neutro isolado do mesmo.

A saída dos condutores deste Quadro até o eletroduto no teto será feita por meio de três (03)
eletrodutos de PVC rígido, com distribuição de circuitos conforme desenho da prancha única.

9.6 ATERRAMENTOS:

As carcaças e os bornes neutros dos transformadores bem como os pararaios serão


rigidamente e conjuntamente aterrados com cabo de cobre de 25mm², ligados a três hastes de
aterramento de 1,5 x 1,5 metros com leitura de resistência em relação a terra igual ou inferior a 10
homs em qualquer época do ano.

Nos extremos da rede de BT projetada e/ou na separação entre dois setores distintos, o
condutor neutro estará aterrado, com fio de cobre nu Nº 6AWG descendo uma canaleta de
madeira de 2700 mm nas partes de madeira ligando a haste de aterramento cobreada de 16 x
16

2400 mm.
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

9.7 Considerações finais:

RAMAL SUBTERRÂNEO

- Respeitar as posturas municipais quanto à travessia de vias públicas.


- Descida do poste até a caixa de passagem deve ser em eletroduto de aço zincado.
- Os cabos unipolares devem ser protegidos por eletrodutos de aço zincado ou de cimento
amianto com envelope de concreto.
- Profundidade mínima do eletroduto de 50cm.
- É obrigatório o uso de muflas terminais tanto na derivação externa (muflas de porcelana)
quanto internamente.
- É útil a previsão de carga resistiva.

Obs: Estas são algumas recomendações, por um projeto real devem ser consultado os padrões
da concessionária.

Os materiais a serem empregados deverão ser de comprovada qualidade adquirida junto a firmas
credenciadas pela CEEE.

Os serviços a serem executados, deverão estar de acordo com as normas e exigências da CEEE
e ABNT de modo a oferecer a perfeita segurança e comfiabilidade.

Novo Hamburgo, 05 de Julho de 2010.

________________________________
Elemar S. Fröhlich
(Eletrotécnico Crea nº342179)
17
Página
Instalk – Projetos e Execução Ldta.
Rua Santa Rosa, 85 Estância Velha – RS
www.instalk.com.br

10. ANOTAÇÕES E OBSERVAÇÕES:


18
Página