Anda di halaman 1dari 2

SONHO - ANJOS - BOLAS DE FOGO - OVNIS - 19 de maio de 1986

Miguel de Toledo Morais

Entre divulgações acerca desses eventos, Óvnis para tantos, Anjos para
muitos; só após alguns anos, ou seja, dês a vivência em 19 de maio de 1986,
23 anos após isso, entendo que devo divulgar minha experiência vivida
naquele dia.
Em 19 de maio de 1986, enquanto recuperava-me de um pós operatório em
minha casa em São Paulo no bairro de Cangaíba na zona leste da Capital;
minha filha Vanessa de Lima Morais, 7 anos à época, estava nas mesmas
condições, no Hospital das Clínicas, com sua mãe, Mair de Lima Morais. no seu pós
também, posto que havia recebido em implante, meu rim esquerdo. Ela nos
deixou aos 23 anos, cumpriu sua missão em 2003. Minha filha e eu, quero
dizer, a família, estávamos felizes, por conta do novo empreendimento, da minha
parte a doação e dela a recepção, como que uma nova vida eclodia. Nesse dia, dois
irmãos de igreja CCB, Martins e Jurandir, buscaram-me para congregar no
Jardim Flávio. Estava visitando aquela igreja, uma irmã oriunda de Portugal
e onde estivesse ela, desceria fogo do céu, disseram ambos irmãos,
Martins e Jurandir, este último já dorme. Após o culto, pelas 21:30 retornei à
casa e naquela noite tive um “sonho”. Eis que vieram em casa, algumas pessoas
mais de cinco, eram aparente seres humanos, normais. Adentraram em minha
casa, sem pedir licença e sem que fossem destrancados portão e porta, como que,
passando por paredes. Havia dois deles, que trajavam roupa branca, é o que viria a
lembrança. Ainda em minha sala, questionaram-me acerca dos habitantes
desta terra, seus comportamentos e atos. Dês logo e sem dúvida, relatei a eles as
deficiências aqui existentes, os terráqueos podres pela corrupção, a
maldade, a traição, a criminalidade geral; a inversão de valores, de sorte
que, conversamos muito e às vezes procuro lembrar-me, mas não me ocorre tanto.
Colocaram um mapa, seria sim um mapa contendo o que parecia inúmeras estrelas
e apontavam mostrando para mim, de onde vinham e onde estavam na terra, e eu
vi que a terra estava um tanto longe, entre aqueles pontos. Alguns deixaram minha
casa e foram visitar a cidade, e parece-me que acontecia em minha casa naquele dia
algo que, “não seria sonho”! Chegaram os outros, adentraram da mesma forma, e
eu tinha uma arma de fogo, uma pistola em casa e mostraram-me na minha sala,
um tambor de capacidade 200 litros, cheio de cartuchos intactos de todos os
calibres; “cresceram-me os olhos”, e disseram-me que aquilo de nada serviria,
assim como a arma que tinha. Pediram-me para ver o pente da pistola, o que foi
feito. Para minha segurança, sempre mantinha um cartucho na câmara, e naquele
momento, após muitos assuntos, não consigo lembrar, até estava pensando em
alguma eventual agressão, e para tanto, podendo ser vítima, confiava eu no
cartucho na câmara, poderia eu fazer uso a qualquer momento. Pensei nisso e eles
já conheciam o meu pensamento, um deles disse-me que poderia acionar o
gatilho que falharia. Não acreditando, a pedido, eu acionei no interior de minha
sala e falhou realmente; “picotou”. Depois disso, conversamos ainda muito mais, e
não me ocorre. O que mais me incomoda, é que eu sempre deixava meu rádio-
relógio despertar no programa “o Pulo do Gato” pela Radio Bandeirantes,
por certo muitos lembram disso. Acordei de manhã pelo rádio e ouvi o radialista
dizer, que naquela noite e madrugada, aviões da Força Aérea Brasileira
perseguiram Bolas de Fogo, inclusive no espaço da nossa região, cujos objetos
perderam-se espaço do Oceano Atlântico. Isto foi divulgado em jornais, e está na
minha posse, um deles. Foi divulgado que eram 21 delas. Aliás, com relação à
perseguição pela Fab, é fato notório pela mídia em geral. Diversas autoridades,
inclusive ligadas à própria Aeronáutica, pilotos, foram entrevistados e é objeto de
divulgação pela Net. V. Folha da Tarde, edição de 23 05 86 pg 4. Assim,
mostraram-me naquele momento, o Poder infinito de Deus, creio, sendo para
minha edificação; quiçá, de muitos. O que posso entender disso, pelas pesquisas,
onde não se produz uma explicação coerente para os terráqueos, i.e.,
materialmente falando; nada mais restaria, pela experiência vivida em meu
“sonho”, ser a relação íntima com Deus, enviando seus mensageiros, seres
celestiais a nos visitar, é a minha crença. É claro que não se descartaria a existência
de outros mundos e seus respectivos habitantes. Porém, Deus envia seus anjos,
visíveis ou não, na forma que possam entender: como pessoas humanas,
crianças, indigentes, pessoas embriagadas, animais, objetos, bolas de
fogo, etc... para uma tarefa. Temos muitos exemplos e registros disso, bíblica e
historicamente falando. Deus trabalha para garantir a segurança daqueles que o
temem. Sem sujidades, o homem terá sempre a proteção divina e, se por eventual
circunstância estivesse meio a lugares tenebrosos, sujos, reprováveis, será como
uma Garça que freqüenta o lodo, mas salva limpo e branco em sua
plumagem. Precisamos ser zelosos, de boas obras, fundados no amor e na
verdade e conectados nele, e é assim a orientação pelas escrituras. Só para lembrar,
tenho muita saúde, vivendo com um só rim, nunca ocorreu qualquer problema,
sem médico, exame, nem remédio, dês 1986. Deus é bom. Muitos outros
fatos já aconteceram na trajetória de nossa vida familiar; operações divinas,
milagres, bênçãos; todos dignos de enaltecer o poder de Deus. Outra ocasião virá
para tal. Permita Deus, abençoar cada um, na medida da sua fé.
Ourinhos SP, 19 de maio de 2009 Miguel de Toledo Morais