Anda di halaman 1dari 16

Escolha

Certa vez um homem, cristão, muito responsável com seus


afazeres, teve um sonho místico, e neste sonho aconteceu
o seguinte:
Ele viu muitas partes de sua vida e daqueles que o
rodeiam. Neste sonho ele possuia alguns bens, que eram
consequências de muitos anos, cerca de 20, 30 anos de
fadiga e trabalho; carro bonito e confortável, casa
agradável à vista e cômoda de se habitar, seus
descendentes criados e educados; neste momento ele
estava com 46 anos.
Então neste sonho ele foi levado a enxergar todas as coisas
que rodeavam este universo de conquistas, realizações e
posses. Sendo levado ao início de sua vida, ele pôde ver os
desejos de seu coração nesta época e os esforços para
realizá-los, desejos como: a menina mais bonita da escola,
o reconhecimento de seus amigos e conhecidos de suas
habilidades como ser humano e se possível, ser o mais
popular dentre todos, ter seu primeiro carro ou moto entre
outros desejos juvenis e efêmeros, ele tinha neste
momento 17 anos. De repente ele estava dentro de uma
casa em um lugar desconhecido e pôde ver que um
semelhante de mesma idade também possuia desejos
juvenis, pois tinha a mesma idade dele, 17 anos, e estes
desejos eram : Um emprego registrado para poder
sustentar a familia que ele não fez, roupas que não fossem
doadas para que seus colegas de escola não continuassem
com as brincadeiras em que tem que disfarçar que está
tudo bem, ter sua primeira bicicleta e ver outros com motos
e garotas, deixar de ficar na calçada da rua enquanto seus
amigos tinham viajado para praia com amigos e amigas,
tendo ele de cuidar de seus irmãos mais novos e deixar de
acordar às 4:30 da manhã para trabalhar e voltar para casa
somente às 20:40 da noite. Então ficou triste consigo
mesmo, e tentou ter acesso ao jovem no sonho, mas lhe foi
impedido. O sonho prosseguiu e ele se viu com 27 anos,
mas os desejos de outrora, já não existem mais, sofreram
mutação psico-física, agora ele quer: um carro melhor que o
que possui, pois este que agora está não é reconhecido
como de “primeira linha”, já não precisa ser popular,
apenas busca a satisfação de seus objetivos maiores e
jamais, jamais aceitará alteração destes, pois foi criado
para crescer e conquistar, como Alexandre, O Grande e não
quer o pequeno, pois seu Deus é enorme. Novamente ele
foi lançado em região desconhecida, mas aí estava o
mesmo que há dez anos ele encontrara e não pudera ajudar
no momento, pois foi impedido. Aquele, que há dez anos,
buscava as realizações antes citadas, conseguira uma
bicicleta, ir à praia, comprou roupas e não mais estas lhe
foram doadas, deixou de acordar as 04h30min para
trabalhar; mas o emprego registrado, não foi possível, não
teve tempo para estudar, a bicicleta que ele conquistou,
usa para entregar jornal, foi a praia com muita economia;
não acorda mais as 4:30, mas agora, às 5:00 e seus desejos
agora são: poder comprar a moto de outrora, para evitar as
dores nas pernas noturnamente e assim, com a agilidade
na entrega, poder terminar os estudos. O cristão
novamente tentou ajudá-lo, mas lhe foi impedido. O sonho
prosseguiu, e o cristão agora estava com 37 anos, acordava
as 08h00min ou 09h00min horas para cuidar de seus
negócios, possuia um carro agradável a vista, mas, caro de
se manter; isso não o preocupava, o que eram 300 à 800
reais a mais por mês para manter este bom carro, seus
filhos, juntos, custavam quase 3 salários mínimos em
mensalidade escolar, mais os passeios, lanches, transporte
particular; sua casa era linda, grande, quartos de sobra,
não economizou em detalhes, um metro quadrado da peça
de revestimento na parede daria para pagar cerca de 17
marmitex entre outros bens que conquistara com muito
trabalho e aplicação. Levado novamente a outro local viu
aquele homem, agora, realizado com seus bens: conseguiu
comprar a moto, fraca potencia, mas ajudou a evitar as
tensões que pedalar o dia inteiro lhe causava, pôde agora,
acordar às 05h30min ou 06h00min horas, pois a moto lhe
ajudava na eficácia. Não mais trabalhava como entregador
de jornais, agora tinha registro em carteira e era motoboy.
Seus filhos estavam na escola, pública, dois dos três
passavam por debaixo da catraca para chegar à escola,
mas não reclamavam, sabiam que enquanto isso, seu pai
estava no trânsito, correndo para fazer muitas viajens e
colher um valor a maior, correndo, caindo, levantando,
caindo de novo, discutindo com os pedestres e motoristas
que não lhe abrem espaço para passar, mas prosseguia dia
após dia. O homem cristão tentou ajuda-lo mais esta vez, e
mais esta vez, lhe foi impedido.
Então o homem estava agora, com 46 anos, estava
cuidando de seus afazeres clerigais e agora era
reconhecido como grande lider religioso em sua região e
comunidade, pois, como trabalhou para conseguir todas as
coisas que possuia até os 40 anos, pôde fazer uma
faculdade de teologia, porque já não corria tanto para
satisfazer e manter seus desejos e conquistas. Mas seus
belos bens, se mantiam, e ele pregava a humildade e a
caridade, o amor ao próximo e a purificação das coisas do
mundo. Então, foi lhe revelado no sonho, um encontro nos
dias atuais com o homem que, anteriormente encontrara
com 17, 27, 37 anos e que agora permanecia trabalhando,
acordando no mesmo horário, com as mesmas conquistas,
sem contar o gol 91 que ele agora possui. Ele agora é
Diácono duma igreja em sua região e está com sérios
problemas de saúde, pois as pedalas e a falta de alimento
saudável lhe causaram consequencias em suas pernas
como varizes, caimbras frequentes, reumatismo e
inflamações gastro-intestinais, mas permanecia bem
tranquilo e vivendo. O cristão e lider sentiu uma alegria
enorme, pois se antes não pôde ajudar, agora o faria, pois
lhe foi dado permissão através de revelação e logo tratou
de andar com dinheiro, para eventualmente, ao encontrá-
lo, fazer todo o possível para tratar daquele, pois tinha se
compadecido e durante a noite o amou, pois sentiu as
misérias de sua vida.
Então o cristão saiu de sua casa para ir até o centro da
cidade para comprar um notebook novo, para agilizar seus
estudos e para ajudá-lo na confecções de apostilas de
ensino religioso; neste mesmo momento, o homem do
sonho estava voltando do centro, acabara de fazer sua
última entrega antes do almoço e estava ancioso para
terminar o dia e ajudar na limpeza da igreja. O cristão,
então, prosseguiu no seu caminho, com o som do carro em
alto volume, escutando um louvor abençoado, até que de
repente, em uma mudança de faixa, acabou por ser
acometido de um acidente e seu carro bateu em algo;
frenando de forma brusca, pois não sabia o que derrubara,
desceu de seu carro lindo e olho para o meio da rua – tudo
isso aconteceu em uma porção mínima de segundos – e
viu ; eis que no chão estava o homem de seus sonhos,
sangrando, inconsciente e aparentemente morto. O homem
correu ao seu encontro para novamente lhe ajudar, só que
desta vez, também lhe foi impedido, pois um caminhão
carregado com estruturas metálicas vinha com uma
velocidade em que não podia reduzir até a distância do
acidente; acabou por ser atropelado e suas entranhas
ficaram expostas por todos os locais daquela mudança de
faixa. Ambos morreram: o cristão e o homem do sonho.
Tudo o que ambos fizeram em suas vidas findou-se alí, com
a morte da carne, todas as conquistas ficaram para outros
tomarem posses e ambos não mais poderiam se esforçar
para ajudar a outrem ou sentir desejos.
Eis que chegou o dia da assembleia de Deus, o Juizo Final,
onde todas as coisas passam pelo teste do fogo, aquelas
em que Cristo disse que, as que foram ditas aos ouvidos,
ele irá gritar sobre os telhados e que não há oculto que não
se revele. A assembleia de Deus está formada, com Sumo
Juiz ( Deus ) com a defesa e o Advogado ( Jesus, o Cristo) os
Juris ( os Doze dos Tronos ) e os Acusadores ( Satanas e os
seus ) e todos os que irão passar por juizo, afim de receber
as devidas sentenças. O Jugamento segue da forma
desejável do Juiz e chega a Hora de chamar o indivíduo de
nossa história, o cristão que morrera atropelado. O Juiz
após a abertura do livro da vida diz :
- diga, acerca de ti mesmo, o que fizeste na terra em todo
vosso viver. Ele respondeu:
- Senhor, o que posso dizer acerca de mim é que, fiz o
possível para andar na sua presença e procurei guardar
vossos estatutos e mandamentos, procurei também atentar
para todas as leis e cuidados que estão descriminados nas
cartas do Novo Testamento, como sabes, também procurei
conhecer a verdade através de estudos e tentei ao maxímo
aplicá-los em meu cotidiano, fiz o possível para cuidar das
ovelhas e procurei ensiná-las um caminho de vida, que é o
de Seu Filho Jesus. O Juiz aguardou as considerações do
cristão e então pronunciou-se:
- Que começe as acusações pelas quais este se encontra
em jugamento.
Então, uma figura, aparentemente homem, de belo
semblante e presença de vigor se levantou, e este tinha
provas em suas mãos contra o cristão, e disse ao mesmo:
- lembras como morrestes? Ele respondeu:
- sim, em um acidente, fui atropelado ao tentar ajudar um
rapaz que bateu em meu carro. O Acusador replicou-lhe :
-ele bateu em seu carro? Como o sabes ? não ouvistes a
buzina da moto e a tentativa de ele lhe alertar que seu
carro estava em uma mudança de faixa? Porventura não
estavas com o som do carro em alto, mesmo sabendo que
lhe é proibido pelo sistema de trânsito local ficar com o som
em alto volume? O cristão respondeu:
- bem sei que não se deve, mas tenho este costume e é
agradável escultar um louvor e esquecer do mundo no lado
de fora e só pensar em Cristo; e com respeito a buzina,
somente senti um tranco em meu carro e sai dele para ver
o que era. O Acusador então falou-lhe:
- por este esquecimento do mundo ao lado de fora, que
mataste um homem por apenas querer manter um costume
que possuias. O Advogado então levantou de sua Glória e
disse:
- cala- te acerca disto Satanas e não jugues segundo seus
desejos, pois decerto, a este lhe será imputado o mal que
fez a outro, mas não o sangue, de forma alguma lhe cairá
sobre a cabeça. O Juiz interveio:
- Sou Eu que determino o início e o fim e não serão vocês
que irão dizer o que este deve ou não deve padecer. Ambos
concordaram e prosseguiu a acusação, e O Acusador disse:
- disseste que “é muito agradável esquecer o mundo no
lado de fora e só pensar em Cristo”, diga-me então :
aquele que está em Cristo, o mesmo se encontra nele,
certo?
- certo!
- Cristo é puro em tudo quanto faz certo?
- com certeza!
- lembras da passagem bíblica que diz: não se coloca vinho
novo em odres velhos?
- sim o lembro.
- também lembras que é templo do Espirito de Deus?
- também.
- e que este mesmo Espirito é zeloso?
- conheço esta também
- por fim, sabes que a amizade do mundo é inimizade para
Deus?
- decerto
- responda-me então: porque tanta fadiga e luta para ter
bens na terra? Respondeu o cristão:
- o Senhor me deu muita saúde para trabalhar e penso eu
que este trabalho é digno diante da face do Senhor, os bens
são consequencias do trabalho, procurei dar o melhor para
minha familia. O Acusador, astutamente perguntou-lhe:
- vejo que o Senhor somente deu-lhe saúde e que as
demais coisas foi você que acrescentou com muito
trabalho, correto?
- não, Deus abençoou-me! Se não, decerto eu não poderia
ter o que tive!
- como é então, você foi abençoado ou lutou para
conquistar?
- o Senhor fez-me prosperar, e com a força do meu trabalho
se cumpriu todas as coisas.
O Acusador então deu um pequeno sorriso para o cristão
que lhe fez esfriar a espinha. Prosseguiu:
- na terra não eras conhecido como Pastor? De ovelhas,
creio eu? o cristão respondeu:
- sim, este era um cargo na igreja que fundei. O acusador
lhe interrogou:
- o Pastor cuida de suas ovelhas, não as deixa dispersar, dá-
lhe alimento, sustento, procura sombras de árvores para
elas, e se porventura uma adoece ou desaparece, este
deixa todas para cuidar daquela, como assim está escrito,
não é?
- seria o mais correto, mas não as deixaria sozinhas, antes
na companhia de outro, como o presbítero. O Acusador
replicou-lhe:
- tudo bem – porque o cristão pensava que Satanas o
acusaria nestes termos – este é o mais certo! Mas, um
Pastor não é Servo de um Dono de Terra e Ovelhas?
- sim, o Pastor cuida, não é dono!
- estas ovelhas que cuidastes não são, porventura, de
Cristo?
- decerto que são!
- Cristo, quando em terra, procurou por estas ovelhas,
encontrou-as, pois estavam perdidas e cegas, cuidou e
tentou ensiná-las a fugir do lobo, que claro sou eu, mas, em
nenhum momento, este bom Pastor, como está escrito,
procurou em seus quase 34 anos ser grande… o cristão lhe
interrompeu:
- mas Jesus sabia bem quem era e não precisava se
preocupar com as coisas da terra, pois sabia de sua missão
e seu reino, como ele disse estava no Céu e também não
possuia filhos para preocupar-se! O Juiz disse ao cristão:
- acalma-te e não interrompas, fale somente quando lhe for
permitido. O Acusador disse:
- como dizia, ele não procurou ser grande, nem mesmo
quando eu lhe ofereci os reinos e a glória da terra, não
tinha habitação, pois esta era de seus pais terrenos, sua
morte também não era dele, pois usurpou a morte de um
homicida, Barrabás, e sua cova também não era dele,
pertencia a um rico local. Eis que montei um sistema
mundial de consumo no qual muito destes que aqui estão,
não negaram, antes, procuraram adaptar-se a ele e viver
segundo os moldes do mesmo, um sistema onde quem é
pequeno, pequeno permanece, e quem quer mais que isso,
não terá sobra para qualquer outra coisa que não seja
crescer, crescer e crescer. Segundo seus atos, cerca de 40
anos de sua vida, viveste para ti, para satisfazer o desejo
de teu ventre, mesmo sabendo que aquele que nasceu em
Cristo, para Cristo vive e que não deves ter amizade com as
coisas da terra, não deves intristecer o Espirito que está em
ti, e deves ser santo e irrepreensível, pois como tu, antes
concordara Deus não deita vinho novo em odres velhos, da
mesma forma, não colocaria Espírito Santo em Templo
imundo, e tu por muitas vezes, testemunhou contra ti
mesmo, dizendo: “não sou santo e nem posso ser, pois o
ser humano não é perfeito”, ora se não podes ser santo,
como então dizias falar no Espírito e profetizava pelo
mesmo Espírito, pois se não sois habitação do Espírito? Já
sei, você dirá: “a misericórdia de Deus me livra de tudo e
faz também o Espírito viver em mim através dela, pois Deus
sabe, que sou fraco e limitado”. Realmente sois fraco,
limitado e nanico de fé, ou esperava que eu lhe aparecesse
e dissesse-lhe: deixas tudo o que tem e te darei os reinos
da terra, ou, Cristo lhe aparecesse como apareceu a Paulo e
mandasse você viver humildemente, com o necessário para
sobreviver, porque a vossa glória e conforto deve estar
após estes portões que, hoje, farei de tudo para você não
entrar?
O cristão então tentou replicar-lhe:
- não andei segundo meu ventre e nem tampouco gastei 40
anos de minha vida em fadiga para obter conforto terreno.
Sou batizado nas águas desde meus 16 anos e nunca me
desviei, nem para esquerda e nem para direita, procurei
ficar no caminho e obedecer a Deus em tudo, e se disse
que não fui santo, disse na meninice e não após ser Pastor,
pois sempre procurei dar exemplo e não poderia se não
fosse irrepreensível. O Acusador continuou:
- como disses, sois batizados, ou seja, nasceste novamente
desde seus 16 anos; porque então só aos 40 resolvestes
aplicar suas forças para crescer diante de Cristo?
- não apliquei somente aos 40 anos a atenção em Cristo!
Sempre estudei a palavra do Senhor e procurei transmití-la
da melhor forma em minhas pregações. O Acusador então,
com ar de confiança, disse-lhe:
-estudastes a palavra? Sempre estive te acompanhando e
quase nunca, a não ser após seus 40, você deixou de ver a
um programa de televisão ou um afazer de seu trabalho
para meditar na palavra. A maior parte das vossas leituras
se dava no interior das igrejas, acompanhando o culto, ou
quando iria pregar, para não dar vexame, e quando saia
das igrejas, ao voltar ao vosso lar, não meditava no que lhe
foi transmitido na palavra, mas sim, sentava-se de frente ao
televisor e alimentava-se do que não convém a santos e
puros. O cristão tentou explicar-se:
- não vou negar diante deste tribunal que, aconteceram
vezes em que agi conforme o dito deste acusador, mas
creio, Cristo foi até a terra e conheceu nossas limitações
como homens e padeceu de maus que diariamente também
padecemos, e o Senhor Juiz, terá misericórdia de mim por
estes erros que cometi. O Sumo Juiz respondeu-lhe:
- ora homem como pode dizer palavras acerca de mim se
não podes controlar nem se quer as vossas pernas e olhos?
Decerto conheces que o pecado se dá através do
conhecimento de sua existência, pela lei ou ordenança, e
como terei misericórdia por este motivo em ti, se fizeste
com conhecimento do mal e após a libertação de sua morte
atráves do sangue de meu Filho? Não lestes que “todo
aquele que sabendo fazer o bem e não o faz, peca”? E
minha misericórdia, não disse Eu: “misericórdia terei de
quem eu tiver misericórdia e compadecer-me-ei de quem
Eu me compadecer” ? Sendo estudado nas letras
esqueceste também que: “não deves apressar teu coração
e tua boca a dizer palavra alguma diante de Deus, pois ele
está no Céu e tu na terra, então que sejam poucas as tuas
palavras”? Defenda-te a ti mesmo homem, com vossas
obras, passe-as no fogo, e se elas resistirem é bem-
aventurado, e se não, ai de ti!
Foi dado ao Acusador o direito de prosseguir:
- dissestes que se errou ao falar que não era santo e
irrepreensível, o fez na inocência de sua meninice e não
após ser Pastor, pois deveria ser exemplo, certo?
- sim, eu o disse.
- o que achas das novelas, filmes e notíciarios?
- muitas novelas tinham apelos indevidos, não edificantes,
aos filmes creio serem normais, são apenas filmes, e os
noticiários, muitos servem para transmitir a verdade das
informações. O acusador prosseguiu:
- você assistiu a todos estes, certo? Do ínicio ao fim?
- sim, a alguns deles, mas aos filmes, somente de ação,
romance, drama e aos noticiários, sempre procurei evitar
sensacionalismo.
- porque não um filme adulto (pornô)?
- não preciso nem responder – disse o cristão se rindo e
olhando para Cristo, que permanecia observando -, toda
maldade e malícia estava nestas produções! Prosseguiu o
Acusador:
- pela fornicação, malícia, prostituição, lascívia, luxúria e
concupiscência dele?
- também, entre outros pecados. Cristo então fez uma
expressão estranha, pois sabia o que Satanas perguntaria.
Ele então fez a pergunta:
- sabes que não existe pecado maior ou menor?
- sim, o sei.
- responda-me então: nos filmes de ação, porventura, o
bom não mata o mal com suas próprias mãos, indo contra o
que foi dito: “Não matarás”, “Não vingues vós mesmos,
mais dai lugar a íra, pois minha é a vingança, assim diz o
Senhor” e “ame ao próximo como a ti mesmo” e mais este
“se te baterem na face esquerda, dê-lhe a direita também”
mostrando assim mansidão como disse Cristo : “ sedes
manso como eu”? E nas novelas, não tendes vós o poder de
sondar a vida e a intimidade de muitos, conhecer erros,
pecados, segredos, e até possívelmente a morte de
alguêm, ver a intimidade sexual dos casais e seus pecados
como fornicação, prostituição, malícia, luxúria, adultérios e
a concupicência deles? Ou talvez seja porque não
conseguistes enxergar estes detalhes nas produções? Já
ouviu falar que o Diabo se esconde nos detalhes - falou isso
rindo-se. O filme adulto foi feito para aqueles que andam
segundo a carne, a novela e os demais, para aqueles que
dizem andar em Espírito, pois conseguem ver a maldade
nos filmes adultos, assim não o aceitam, mas os demais,
vocês não querem enxergar e até dizia: “está aí, vou fazer
o que, tenho que assistir, o mundo está todo corrompido,
infelizmente vivo neste mundo por enquanto, não dá para
fazer separação”. O mundo está corrompido e se fizestes da
mesma forma para com ele? O cristão não teve resposta.
Ele prosseguiu:
- vou contar-lhe um segredo, pois pelo jeito vocês adoram
um segredo, mistério, “manto”, oculto – falou rindo-se
novamente - : no Paraíso, Adão caiu em sua ânsia de ser
“semelhante a Deus”, conhecendo o bem e o mal e isto lhe
gerou a morte; abras os olhos e veja, pois eu, lhe dei
novamente este poder, pois podes ser onisciente,
onipresente e quase onipotente ao observar a vida de seus
próximos! O cristão esbravejou:
- onde, quando eu tive este poder? estas delirando! O
Acusador apontou:
- consegues saber quando um ou outro ira morrer e não és
onisciente ? Sabes estar no momento certo e hora certa de
uma confissão ou erro, pecado e maldade e dizes não ser
onipresente? Podes às vezes até mudar o curso da vida de
outrem e não és onipotente?
- quando tive todos estes poderes? Disse o cristão. O
Acusador concluiu:
- nas novelas tendes todos estes poderes e mais alguns! Se
senta a frente dela como expectador neutro das vidas; foi
lhe oferecido este poder e mesmo dentro de ti, algo dizendo
lhe que não deves fazer isto, o fazes, pois poderia estar
meditando acerca das palavras de Deus e não teria sido
presa tão fácil, pois pensando que era, nunca foi
verdadeiramente liberto através da verdade, pois nunca á
conheceu, ,somente atentou para as palavras que não
requeriam de vós uma alteração drástica no seu viver,
como um novo nascimento, saber andar de novo, fazer uma
reeducação alimentar, ter novas pernas e fortalece-las com
um alimento sólido, deixando assim o leite, que por tanto
tempo lhe alimentou, pois nunca fostes experimentado na
palavra, não podendo assim digerir o que hoje lhe falo, pois
antes, decerto, vomitaria se alguêm lhes as dissesse em
sua rotina diária, pois em seu estômago estava os desejos
de teu ventre que iria coibir ação das verdades, e hoje, já
não tendes tempo de aplicar esta nova mudança em seu
viver, pois o homem carnal, vê como os olhos carnais e o
espiritual com os olhos da mesma natureza. Ainda comes
do fruto que lhe foi dito que não comesse, mas não dá
atenção para isso, melhor lhe é andar com seu
conhecimento do bem e do mal, e farei que isso lhe gerasse
a morte! O cristão contristou-se profundamente e não pôde
responder-lhe. O acusador permaneceu a perguntar e
apontar:
- responda-me: muitas foram às vezes que membros de sua
igreja estavam com problemas financeiros e você dizia que
mesmo assim, eles deveriam dizimar e ofertar, pois o pobre
quando assenta sua oferta, não tendo recursos, oferta
muito mais que o rico que muito deita, e assim encontra
favores do Alto. Porventura não está escrito que o dízimo é
para mantimento do Templo? O cristão:
- sim.
- qual templo?
- a casa do Senhor!
- correto, e a casa do Senhor não é outra se não o Templo
que não foi feito pelas mãos de homens, e este Templo, é o
corpo daquele que padecia e você em sua sede de
arrecadar valores, lhe tirou o único sustento, e ele deu, pois
você o persuadiu de que se não dizimasse ou ofertasse,
ficaria em dívida com o Senhor. Eis sua primeira culpa.
O Advogado assistia a tudo em silêncio, pois sabia das
realidades que Satanas dizia.
O Acusador prosseguiu:
- lembras daquele pedinte que vindo até você disse-lhe: dá-
me para comer! E respondestes: não tenho. Em seus bolsos
estava o bastante para pagar um salgado e até uma bebida
para ele, e este lhe abençoaria, mas tu pensaste: pedi para
mim para usar droga, ou, tenho só este dinheiro, ficarei
sem! Cristo disse: dê àquele que lhe pede e não te desvies
daquele que lhe quer emprestado. Sua segunda culpa. E o
cristão não pôde responder. O Acusador perguntou-lhe:
- você normalmente ouvia dizer que irmãos seus estavam
bem individados e que muitos outros que você não
conhecia estavam na miséria e não se manifestou para
ajudá-los. O cristão novamente interveio:
- como você mesmo disse, eu trabalhei para me sustentar,
como poderia ajudá-los?
- tiveste que trabalhar tanto, porque aceitou todas as coisas
que o mundo lhe ofertou e acabou sendo sufocado por elas,
como a semente da parábola de Cristo, e não teve tempo,
acabou alienado, comprou um carro no valor alto, somente
por conforto, e teve de trabalhar para mantê-lo; comprou
uma casa grande e bela, somente por conforto e teve que
trabalhar muito pra mantê-la; Deus lhe ofereceu o Espírito e
você não moveu nada para mantê-lo, antes permaneceu da
mesma forma e não nasceu de novo, permaneceu
fadigando-se em seus sonhos e desejos, permaneceu com
as palavras e atitudes torpes, permaneceu com suas
chocarriches e falatórios que não edificam, muitas vezes
orou diante de Deus para que este lhe salvasse das vossas
armadilhas, principalmente financeiras, e quase nunca,
insistiu para que Deus, lhe mutiplicasse a medida de
Espírito, ou os melhores dons, ou todas as maravilhas que
Cristo em seu sacrifício lhe ofereceu, antes, procurou ajuda
de Deus para ele ajudar-lhe a crescer e ser conhecido
diante dele e dos outros como abençoado de Deus,
domesticando assim o Altíssimo, como extintor de chamas,
mas nunca atentou para os pequenos que passam fome; se
vendesses seu carro e comprasses um humilde, poderia
fazer o mesmo milagre de Cristo e alimentar mais de 5000
pobres ou comprar-lhes alimento, isso sem contar com os
detalhes de vossa casa e da avareza de seus bens, mas não
o fizeste, antes achou melhor o conforto de seus bens e não
pensou na miséria do próximo. O cristão emudeceu, e
Satanas lhe apontou a terceira culpa. E então lhe fez a
ultima pergunta:
- tiveste um sonho – Satanas o soube por que contara a sua
esposa e ele ouviu – não é?
O cristão respondeu:
- sim tive.
- foi com um pobre?
- sim foi.
- tentou ajudá-lo?
- sim, mas no sonho não foi possível.
- porque andaste com dinheiro nas suas viagens?
- para que se eventualmente eu o encontrá-se, como foi
dito, poderia ajudá-lo.
- porque ajudar a este pobre?
- me compadeci dele e de suas misérias.
- notaste que antes de encontrá-lo no acidente, um pobre
pediu-lhe ajuda no sinal?
- sim.
- porque não o ajudaste?
- não sei talves porque eles sempre estão alí.
- então você se prontificou para ajudar um personagem de
sonho, mas não ao semelhante que estava padecendo com
fome e pelo dinheiro que negaste dar, faltou arroz em sua
panela? O cristão lhe respondeu:
- muitos destes pedintes de farol não usam o dinheiro para
comprar alimento e alguns fazem coisas que não deveriam.
- no caso, eles usam drogas, ou prostituem-se e etc.?
- alguns sim.
- o dinheiro que você guarda em seu banco porventura não
é para a prostituição de vossos bens, ou seria para manter
a droga do vosso consumismo, porque vossa dispensa está
cheia e não lhe faltava nada na ocasião? O cristão
novamente emudeceu. E o Acusador continuou:
- viveste tão isolado em seu conforto, que esqueceste que
deves amar ao próximo como a ti mesmo, pois este é o
segundo maior mandamento, e ainda dizes que guardou
todos os estatutos e mandamentos do Senhor – Satanas e
os seus se riram neste momento -, cuidaste de ajudar um
mito, possível revelação e não ajudas-tes a muitos
necessitados. Vossa prosperidade lhe condenou, pois
ajuntou tesouros onde a traça corroi e o ladrão mina e aqui,
após estes portões, não tendes herança, porquanto já
tiveste sua parte e não destes atenção a Lázaro, e este,
decerto agora, lhe negará o toque úmido de seu dedo. Se
tu, com todas estas trangressões entrar no descanso,
também entrarei eu e os meus, pois qual de nós é mais
mal? Eu que produzo o Mal ou tu que o consomes? E o
cristão não pôde respondê-lo.
O Juiz disse:
- tendes considerações e até defesa Advogado, Nome sobre
Todo o Nome? Este lhe respondeu:
- decerto estas acusações não poderão ser rebatidas, pois
fizestes todas estas coisas em sã consciência da verdade e
confirmastes todas as escrituras que ele lhe perguntou;
recebestes repreensões e até um sonho para mudar vossas
ações e mesmo assim, alterastes a imagem incorruptível de
Deus em uma imagem corruptível e de materialismo de
bens passageiros, sendo que minha glória é eterna e meus
bens inalteráveis. Também não mirastes para o cuidado de
meu Espírito e esperou que algo sobrenatural lhe
sobreviesse para fazer-te sair de seu lugar e ser grande
diante de mim em caridade, amor, benevolência e ensino.
O Juiz disse:
- homem, coloca-te no lado daqueles e aguarde a vossa
sentença.

Esta história baseia-se nos tempos atuais, com a tradução


das colocações bíblicas em acordo com a época vigente, ou
seja, os dias de hoje, sem misturas idealistas ou partidárias,
sem fazer distorções da realidade bíblica para adotar uma
postura de teologia da prosperidade ou para satisfazer a
vontade de nossos próprios domínios. Nesta história não
encontramos a filosofia triunfalista de alguns cristãos e nem
tampouco está a questão da graça, pois essa pode salvar à
muitos, porque somente Cristo tem noção completa de sua
aplicação e limite e assim, não seria bom citá-la. A “classe”
cristã dos tempos de hoje, anda segundo seu entedimento
e as palavras mais simples de tradução na bíblia, ganham
uma conotação mística e escatológica, pois melhor é
pensar que as coisas que hoje devemos fazer, elas deverão
ser feitas futuramente ou foram feitas no passado, mas, a
partir do momento em que esta palavra tem um efeito
benéfico e imediato, muitos e muitos a tomam para si e
fazem uma festa religiosa, principalmente falando em nome
de Jesus e atravez de profecias, revelações, sonhos,
teofanias e muitas outras aparições grandiosas. Mas
quando é dito: sedes perfeito, manso, sincero, benevolente,
caridoso, humilde, atencioso com as coisas de Deus,
ajudador, santo, irrepreensível, não vagarosos no cuidado,
etc. mais fácil é alterar a palavra ou dizer que não é
possível, pois somos seres humanos; mas se for para
ganhar algo, logo se fala : “tudo é possível ao que crê”, “
não faltará azeite em sua botiza”, “ aquele que dá recebe”,
“ dai o dízimo para que não falte mantimento na casa do
Senhor” entre outras distorções abomináveis. Bem, “meu
povo perece por falta de conhecimento” e este não tanto o
da palavra, mas sim o conheciemnto da figura de Deus, que
não lhe tiraria o que quase não tem, mas sim, multiplicaria
aquilo que tens, sem pedir nada em troca, pois se seu filho
lhe pedisse para comprar manteiga, você lhe diria dâ-me
primeiro seu pão? Deus não passa o dia inteiro a nos testar
e provar, ele deu seu filho único por amor e não quer
sacríficios… mas sim obediência!

Obs: o Juiz, o Advogado, O Acusador, o cristão e todos os


elementos do juizo e suas respectivas posturas, são
simplesmente figuradas e a semelhança com você não
deve ser levada em consideração, pois é simples
semelhança, a não ser que queiras se alterar para não
passar por todas estas coisas…vai que eu tive uma “
Revelação”. Todos Os Direitos Reservados.

Julio Cesar