Anda di halaman 1dari 28

Método HIDROBRIO™

Use Água Como Combustível,


Transforme o Seu Mundo!

Faça seu carro ganhar potência com hidrogênio, poluir menos,


economizar no combustível e na manutenção.

Contém:
Manual de Instruções do
KIT HIDROBRIO™

HIDROBRIO™ é marca depositada pertencente ao


GrupoBRIO Marketing e Desenvolvimento Profissional Ltda.

Este e-book é de autoria de


Ricardo Guimarães

O preço deste e-book é R$ 10,00 (dez reais)


Pague esse valor através de um donativo mínimo de dez reais para
(www.FamíliaSantaClara.org.br)
Associação Santa Clara
Banco Itaú - 341
Agência 0310 - São José
Conta: 66016-2
CNPJ: 33.627.803/0001-20

Todos os direitos reservados.


Copyright © 2008 by Ricardo Guimarães

www.HIDROBRIO.com.br
Para termos grandes idéias, precisamos ter grandes ideais.

Ricardo Guimarães
Fundador do GrupoBRIO

O GrupoBRIO é um grupo de pessoas totalmente e apaixonadamente interessadas em


ajudar pessoas. São Briosos(as) despertadores(as) de talentos que atuam como
Consultores Independentes especializados na promoção de produtos e oportunidades de
negócios das empresas que representamos.

VISÃO - Qualidade de vida e bem-estar para todos – um mundo melhor

MISSÃO - Seu sucesso fazendo pessoas obter sucesso também


Transformar vidas e servir à sociedade através da educação, buscando e disseminando o
conhecimento necessário ao desenvolvimento profissional do indivíduo e de sua
responsabilidade social para atuar com sucesso ajudando pessoas queridas a ajudarem
pessoas queridas. Buscar excelência na divulgação de informações sobre como
desenvolver um negócio próprio na promoção da saúde, qualidade de vida e bem-estar
para todos. Capacitar nossos consultores para serem percebidos por essa excelência.

METAS - Mirar alto e tomar controle sobre o nosso destino


Inovar, pesquisar, desenvolver e divulgar informações sobre nossos produtos e sua
relação com qualidade de vida e bem-estar. Capacitar consultores nas melhores práticas
do mercado, dotando-os de ferramental apropriado, suporte técnico, informações
periódicas e assessoramento para o melhor desempenho de nossa missão.

PRINCÍPIOS – Brio e coração


Brio significa “sentimento da própria dignidade, valentia, honradez”. Pertencer ao
GrupoBRIO é compartilhar dos nossos ideais. Ser norteado pela inovação,
solidariedade, honestidade, respeito, amizade, compromisso, amor e paixão. Ser
responsável pelos seus atos, agir em padrões éticos e morais, de forma isenta, precisa,
seguindo as normas estabelecidas pelas empresas que representamos e pelas práticas
comerciais legalmente aceitas nos países que atuamos.

Qual o diferencial do GrupoBRIO – Valorizamos o ser, não o ter


Sendo um membro da nossa equipe, você recebe treinamento e acompanhamento
constante sobre o que for necessário para o seu desenvolvimento. Somos seus parceiros
e compromissados com o seu sucesso. Aqui pessoas são importantes e não números
apenas. Somos orientados ao indivíduo, ao espírito de equipe, à educação e à
responsabilidade social.

Projetos sociais – Mantemos a nossa fundação “Brio Dream Foundation” com sede no
Colorado – EUA (www.briodreamfoundation.org), que objetiva executar programas
assistenciais para crianças carentes no Brasil e no mundo. O GrupoBRIO ajuda a manter
a instituição “Família Santa Clara” (www.familiasantaclara.org.br), emprega mão de
obra oriunda dessa instituição, além de atuar em outros projetos sociais.

www.HIDROBRIO.com.br
REFLEXÕES

“Grandes verdades começam como grandes blasfêmias” – George Bernard Shaw

Júlio Verne, no seu livro A Ilha Misteriosa, publicado em 1874, escreveu:

“A água decomposta nos seus elementos primitivos, e sem dúvida decomposta pela
eletricidade, se tornará uma força controlada e poderosa. Sim, meus amigos, eu
acredito que a água irá ser empregada um dia como combustível”.

Alguns letrados e frustrados “especialistas” irão dizer: “impossível, isso é enganação”.


Caberá a você acreditar ou não. Sua descrença lhe manterá na situação atual, ou seja,
desperdiçando seu suado dinheiro com combustível e poluindo mais. Seu voto de
confiança lhe motivará a continuar essa leitura e descobrir o que posso fazer por você e
sua vida daqui para frente.

O ceticismo é o pior dos cárceres, pois nos fecha a porta do mundo das possibilidades.

BOAS-VINDAS

LIBERTE-SE dos preconceitos e seja bem-vindo(a) à sua liberdade pela opção de


energia renovável da água.

Olá, meu nome é Ricardo Guimarães. Iniciei minhas primeiras experiências com essa
tecnologia em 1977 aos meus 16 anos de idade. Desde então, fui aperfeiçoando meus
conhecimentos para hoje orgulhosamente lhe oferecer o KIT HIDROBRIO™.

Se você está lendo esse documento, é porque se tornou nosso cliente ou está interessado
em saber mais sobre o HIDROBRIO™. Das duas formas lhe agradeço. Este documento
foi preparado com muito carinho e lhe permitirá compreender sobre a tecnologia de
extração de hidrogênio a partir da água, usar de forma segura e eficaz o seu KIT
HIDROBRIO™, lhe permitindo economizar combustível, economizar na manutenção
do seu carro, ajudar o seu bolso e ajudar nosso planeta poluindo muito menos. Em você
obtendo esses resultados, você se sentirá feliz, orgulhoso e provavelmente desejará
compartilhar seus resultados com seus amigos. Se desejar compartilhar seus resultados
comigo, considere-me seu amigo e me conte também. Ficarei imensamente grato e feliz
por isso.

o autor

www.HIDROBRIO.com.br
INTRODUÇÃO

Esse documento busca a sua conscientização de aspectos importantes sobre como você
pode contribuir para a redução da poluição através do uso da tecnologia
HIDROBRIO™ e de outros aspectos simples que também contribuem
significativamente para o bem-estar do planeta (e do seu bolso).

Ele descreve o que chamamos de Método HIDROBRIO™ para extração de energia


combustível da água e melhor aproveitamento de energia no combustível utilizado no
motor a combustão. Nele você aprenderá como utilizar o seu gerador de hidrogênio e
oxigênio: o KIT HIDROBRIO™. Terá acesso à lista constantemente atualizada de
Revendas Autorizadas que instalam o KIT HIDROBRIO™. Esta é uma energia livre e
gratuita que está ao seu dispor. O KIT HIDROBRIO™ é um conjunto de acessórios
que funcionam em sinergia. Você adiciona ao seu carro sem modificá-lo, podendo ser
removido em 5 minutos, caso desejar. Aprenderá, também, como dirigir de forma mais
econômica e quais cuidados deverá ter com seu veículo para que
evite desperdício de combustível e polua menos.

Curiosamente, não é uma tecnologia nova, muito pelo contrário. O


carro movido 100% a hidrogênio armazenado foi inventado em
1807, pelo suíço François Isaac de Rivaz, portanto oitenta anos antes
do carro com motor a gasolina.

Em 1860, o franco-belga J.J. Étienne Lenoir patenteou o


Hippomobile, primeiro veículo movido a hidrogênio com geração
por demanda, ou seja, produzido à medida que é consumido, que é a
base do Método HIDROBRIO™ - foram comercializados cerca de
400 desses veículos.

O processo é extraordinariamente simples e você irá se perguntar por diversas vezes o


porque isso não foi disponibilizado antes. Não me compete descrever aqui “as forças
ocultas” contrárias ao uso dessa tecnologia, mas compartilhar os benefícios que obtive
com ela, ajudando a proteger nosso querido planeta. Agora é a sua vez.

Desejo que estas informações lhe sejam úteis e que você também possa se beneficiar
com elas. Procurei evitar uma linguagem técnica para que este conteúdo possa ser mais
amplamente assimilado. Peço perdão por qualquer omissão técnica mais profunda,
assim como peço que me perdoe por eventual uso de termos técnicos indispensáveis.
Este documento não é base para um estudo científico, visto que tem o propósito de
informar e ser compreendido pelo maior número de pessoas. Vários aspectos foram
simplificados, sem detrimento da precisão. Caso você detecte algo que não esteja
preciso, incluindo a linguagem, suas sugestões e críticas serão muito bem-vindas.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 1

O QUE É

O Método HIDROBRIO™ é um sistema educativo que visa informá-lo sobre:

 a tecnologia HIDROBRIO™ e o uso correto do KIT HIDROBRIO™


 como conservar seu veículo para que ele dê o melhor rendimento, economize
combustível e polua menos;
 como dirigir de forma econômica;
 os efeitos da poluição gerada pelos veículos automotores.

Com os resultados obtidos, você se sentirá orgulhoso e naturalmente desejará


compartilhar sua experiência com os amigos.

Graças à sua contribuição na compra do KIT HIDROBRIO™, estaremos gerando


recursos para conduzir nossos projetos para obter índices cada vez melhores e também
executarmos nossos projetos sociais.

O KIT HIDROBRIO™ consiste no uso do REATOR, VAPORIZADOR e do NMS.

REATOR. Ele é um gerador de hidrogênio e oxigênio por demanda. Em outras


palavras, geração por demanda significa que todo gás produzido é consumido, não
havendo armazenagem e o conseqüente risco de explosão. Cada Reator tem uma
capacidade de produção limitada. Motores maiores terão mais economia em se
adicionando mais reatores. Resultados fantásticos podem ser obtidos com um Reator
apenas, independente do tipo de motor.

www.HIDROBRIO.com.br
H2O representa a molécula da água. Isso significa que ela é composta de dois átomos de
hidrogênio (H) e um átomo de oxigênio (O). Através de um processo chamado eletrólise
(descrito mais adiante), um par de moléculas de água (2H2O) serão modificadas,
gerando:

- duas moléculas de gás hidrogênio (2H2)


- uma molécula de gás oxigênio (O2).

Esses gases combinados recebem o nome de gás Brown (marrom) ou gás Rhodes, nome
derivado de dois pesquisadores (Yull Brown e William Rhodes), sendo mais
freqüentemente referenciado pelo nome HHO, hydrox ou gás marrom. Após a
combustão, a resultante será H2O no estado gasoso (vapor d´água). Cabe frisar que este
gás não é composto por uma nova molécula (como muitos alegam), mas é a simples
combinação de dois gases: 2H2+O2. Doravante o chamaremos de gás marrom.

No sentido inverso, ou seja, tendo o hidrogênio puro como fonte de energia, é possível
gerar eletricidade, mas não é objeto de estudo desse documento.

O HIDROBRIO™ produz o gás marrom, que é a forma mais prática, segura, barata e
viável de utilização de hidrogênio para seu motor. O gás marrom tem alto poder de
combustão e, peso por peso, é 3 vezes mais potente que a gasolina. Nesse processo, o
gás marrom não substituirá seu combustível, mas agirá como um catalisador que
potencializará o poder de combustão, gerando mais energia que até então era
desperdiçada.

 Cabe esclarecer que gás marrom não é hidrogênio puro, pois há a presença do
oxigênio, que traz o benefício da estabilidade.

A imagem ao lado mostra a variação


causada numa chama de um isqueiro na
presença do gás marrom. A chama normal
tem uma base azulada e na extremidade
superior um tom esbranquiçado que tem
poder de iluminação.

A mesma chama na presença de gás


marrom ganha um tom alaranjado e
aumenta sua intensidade, reduzindo seu
poder de iluminação pela melhor
combustão. Podemos notar o momento de
ignição, onde se percebe a centelha ao
centro da chama (como um relâmpago).

VAPORIZADOR. Ele é um dispositivo auxiliar. Atua como uma câmara de expansão,


permitindo que qualquer líquido excedente que seja expelido pelo Reator seja retido,
sem que seja aspirado pelo motor. Ele também tem a função de “borbulhador”, que
permite visualizar a produção de gás marrom, filtrar impurezas e principalmente evitar
que no caso de uma chama reversa a mesma atinja o Reator.

www.HIDROBRIO.com.br
NMS - Para os carros com injeção
eletrônica, sua função é “enganar” o
módulo eletrônico de controle do seu
carro. Os motores com injeção
eletrônica possuem diversos sensores
conectados a um módulo controlador
que diagnostica o desempenho do seu
veículo e interage com os dispositivos
de regulagem. Isso poderá lhe parecer
muito estranho, mas seu carro está
programado para detectar que um
consumo excepcional está ocorrendo.
Quando essa melhoria é percebida, o computador entende que você modificou seu
veículo e ele está programado para sabotar essa melhoria. Isso mesmo, todo o ganho
substancial de desempenho e economia obtido pode ser revertido, quando o motor pode
passar a ter um desempenho inferior à antes das melhorias, pois o módulo eletrônico do
seu carro enriquecerá a mistura por injetar o máximo de combustível possível. Com
isso, a reação natural seria você retirar o economizador e o carro aos poucos voltar ao
consumo normal (um consumo pior do que poderia ser). Isso foi descoberto e recebeu o
nome de Detroit Fever (Febre de Detroit). Daí eu ter batizado o dispositivo como NMS
– Não Me Sabote. Como já dito, ele vai enganar o programa do módulo eletrônico
(como um vírus) para não perceber a melhora de desempenho.

O NMS irá interagir com o sensor de oxigênio e enganar o módulo central (UCE –
Unidade Central Eletrônica), de forma a permitir uma mistura mais “pobre”, ou seja,
com menos quantidade de combustível. Para isso, vamos entender o como funciona o
sensor de oxigênio.

Sensor de oxigênio – também é conhecido


como sonda lambda, sensor de O2 ou UEGO
(Universal Exhaust Gas Oxygen). Sua função é
medir a quantidade de oxigênio presente nos
gases do escapamento e informar essa leitura ao
módulo central para que ele possa definir a
mistura ideal entre ar-combustível. Geralmente
está instalado pouco antes da entrada do
catalisador ou no coletor de saída de escapamento.

Funcionamento - Uma mistura muito rica representa mais combustível e menos ar,
consequentemente maior consumo de combustível e maior emissão de hidrocarbonetos
(HC) na atmosfera por combustível não utilizado e monóxido de carbono (CO). Já uma
mistura excessivamente pobre representa uma grande economia de combustível, porém
perda de potência, uma maior emissão de óxido nítrico (NOx) pela queima excessiva de
combustível, além de aumento acentuado da temperatura do motor (prejudicial ao
mesmo). Quando adicionamos gás marrom à mistura, passamos a ter uma queima de
combustível mais eficiente e obtemos maior potência. Por esse aumento de potência, o
módulo central (UCE) espera encontrar menos oxigênio nos gases (mistura rica), mas
pela melhor combustão o que ele encontrará será mais oxigênio e interpretará como
mistura pobre. Assim, se nada fizermos, o módulo comandará para que seja injetado
mais combustível a fim de enriquecer a mistura, revertendo o benefício obtido. Nosso

www.HIDROBRIO.com.br
objetivo é deixar a mistura ligeiramente pobre a fim de consumir menos combustível, já
que o gás marrom possibilita uma queima mais eficaz do combustível, mas de tal forma
que não comprometa o funcionamento eficaz do motor a ponto de aquecê-lo, perder
potência e não elevar o NOx. O NMS instalado em série com o sensor de oxigênio,
permite alterar os sinais originais, fazendo com que o módulo central receba uma
informação “falsa” de que a mistura está muito rica (excesso de combustível) e assim
enviará menos combustível ao motor. Um dos benefícios é que estaremos liberando
mais oxigênio, menos monóxido de carbono, menos hidrocarbonetos e... vapor d’água.

 uma sonda lambda defeituosa, ou com fio partido, será interpretado pelo módulo
central como “mistura pobre” que fará injetar excesso de combustível, comprometendo
desempenho, gerando maior consumo de combustível (até 60%), possíveis danos ao
catalisador e poluição excessiva.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 2

PERGUNTAS FREQUENTES

- “Ricardo, isso parece não fazer sentido algum... Se eu entendi direito você quer dizer
que o meu carro está programado para me sabotar, caso eu passe a economizar
combustível?”

É exatamente isso meu amigo. As fábricas de automóveis são empresas cujos acionistas
controladores definem o quanto querem que você gaste de combustível, pois eles são os
mesmos controladores que definem o preço da venda do petróleo. Assim a oferta e
demanda de consumo de combustível ficam relativamente sob o mesmo controle. Duro
de aceitar, mas é pura verdade. E é somente por isso que seu carro não possui um
dispositivo semelhante ao Kit HIDROBRIO™ instalado de fábrica (ainda). O Toyota
100MPG Eco Spirit que seria lançado, desapareceu (100MPG = 42 km/l).

Eu não estou aqui querendo medir forças com esses gigantes poderosos. Eu sei bem o
meu lugar, minhas limitações e fragilidade. Mas nem mesmo a ameaça de morte vai me
calar, pois já está feito. Estou compartilhando com você e com o mundo essas
informações. Podem calar uma boca, duas ou dezenas como fizeram, mas não poderão
calar multidões e aí está o seu papel mais importante nesse processo: divulgar o Método
HIDROBRIO™.

- “Veja Ricardo, sem querer duvidar da sua palavra nem dos seus resultados práticos,
você tem alguma prova científica disso?”

Obrigado pela pergunta. Eu não sou cientista e o que me interessa são os resultados
práticos, ou seja, economizo combustível, obtenho melhor performance e me sinto
muito orgulhoso por fazer isso tudo poluindo muito menos. Mas respeito e entendo a
sua pergunta. Permita-me transcrever o resumo de uma pesquisa da NASA (abstrato), de
autoria de John F. Cassidy, publicada em 1977: “EMISSÕES E CONSUMO TOTAL
DE ENERGIA DE UM MOTOR COM PISTÃO MULTICILINDRO FUNCIONANDO
COM GASOLINA E MISTURA HIDROGÊNIO-GASOLINA”.
Fonte: http://ntrs.nasa.gov/archive/nasa/casi.ntrs.nasa.gov/19770016170_1977016170.pdf

“Um programa experimental usando um motor multicilíndrico foi executado no sentido


de aumentar a faixa de eficiência de operação de uma mistura pobre de gasolina pela
adição de hidrogênio. Foram usados hidrogênio engarrafado e hidrogênio produzido
por um projeto de conversor de vapor de metanol. Estes resultados foram comparados
com os resultados para todos os tipos de gasolina. Foi utilizado um motor que produz
uma alta taxa de compressão, de 7.4 litros (472 pol.3). A velocidade aparente da
chama foi usada para descrever as diferenças tidas em emissões e performance.
Portanto, emissões e performance do motor, incluindo a velocidade aparente da chama
e a energia perdida pelo sistema de resfriamento e exaustão de gases, foram medidas
numa faixa de equivalência proporcional para cada combustível. Os resultados foram
utilizados para explicar as vantagens de adicionar hidrogênio à gasolina como método
de ampliar a faixa de operação da mistura pobre. O grau de equivalência consumo-
mínimo-energia foi ampliado às condições mistura pobre pela adição de hidrogênio,
apesar do consumo de energia mínimo não ter mudado. Todos os níveis de emissões

www.HIDROBRIO.com.br
(poluentes) baixaram sob as condições de mistura mais pobre. O fato de ter adicionado
hidrogênio também aumentou a velocidade da chama acima de todos os graus de
equivalência. Performance de motor e as emissões com hidrogênio do conversor de
metanol foram praticamente os mesmos do que o hidrogênio engarrafado”.

“Como o Hidrobrio me fará economizar”?

Como já dito, o gás marrom é três vezes mais potente do que a gasolina. Sua principal
função é agir como um aditivo ao combustível e não na substituição deste. Isso significa
que você poderá ter uma melhor combustão no seu motor, resultando em maior
eficiência, mais potência, menor necessidade de fluxo de combustível para a mesma
performance e o resultado disso é menor consumo de combustível por quilômetro
rodado. Adicionalmente, a presença de micro-gotas de umidade, produzidas pelo
Reator, aumenta a eficiência do motor, tanto por resfriamento, quanto por aumento de
potência e ajuda a eliminar os depósitos de carvão.

O carvão depositado no seu motor aumenta o atrito e absorve calor. Isso aumenta o
desgaste e eleva a temperatura do motor. O Kit HIDROBRIO™ além de reduzir a
formação de depósitos de carvão (carbonização), ajuda a eliminar o existente. Com isso,
seu motor poderá funcionar mais “redondo” e “sereno”, com menor temperatura,
diminuindo a vibração resultando em menos desgaste mecânico trazendo mais
longevidade. Isso também representará uma economia para você.

Especificamente, cada combustível tem uma graduação em octanas, que determina


quanto desse combustível pode ser comprimido antes que ocorra a ignição.
Combustíveis de baixa octanagem (87), encontrados na gasolina comum e aditivada,
têm uma tolerância menor à compressão sem ignição do que a gasolina premium (91 a
95). A gasolina de aviação (avigas) tem 100 octanas. Com o gás marrom fazendo parte
da mistura Ar-combustível, seu combustível terá melhor poder de combustão e,
consequentemente, maior potência. Assim, para o mesmo regime de carga, necessitará
menos gasolina (álcool ou GNV) nessa mistura, o que nos permite “empobrecer” a
mistura, sem perda de potência que ocorreria sem o gás marrom, representando menos
combustível e maior economia.

Em resumo, o gás marrom aumenta a velocidade e eficiência da queima da gasolina,


fazendo ela ter uma qualidade superior à gasolina de alta octanagem. O Kit
HIDROBRIO não substitui a gasolina por água ou por gás marrom. Ele pode melhorar
a eficiência do seu combustível, seja gasolina, álcool, diesel ou GNV e isso é que pode
ser revertido em economia de combustível.

“Meu carro pode funcionar 100% a hidrogênio?”

Sim. A Honda, Mercedes e outras gigantes do mercado têm seus protótipos de carro
movido a hidrogênio e já anunciaram seu lançamento para daqui a alguns anos. Esses
carros trarão um cilindro muito robusto e pesado para armazenagem de hidrogênio,
necessitando reabastecimento aos moldes do GNV atual, contendo um dos mais
potentes combustíveis do planeta. O motor desses carros é elétrico, onde o hidrogênio é
convertido em energia elétrica, num processo inverso da eletrólise utilizando-se fuel cell

www.HIDROBRIO.com.br
(células de combustível). Em casa, o carro necessitará ser conectado na tomada elétrica
para acúmulo de energia também. Enquanto isso, Stanley Meyer no início dos anos 70
já tinha seu próprio carro 100% movido a gás marrom, tendo a água como fonte de
abastecimento sem um reservatório gás, pois ele era gerado por demanda (sem
armazenamento), evitando-se os riscos de explosão e toda uma logística complicada de
reabastecimento – isso sem contar com o peso excessivo e espaço desnecessário
ocupado. Curiosamente, Stan morreu presumidamente envenenado.

- “Estou muito interessado em ajudar a poluir menos. Que resultado eu posso esperar
disso”?

Para mim, esta é uma pergunta extremamente importante. Quando instalamos um dos
protótipos do Kit HIDROBRIO™ , num Honda Civic 2002 com mais de 120 mil km
rodados, ficamos impressionados com o que ocorreu. Colocamos sensores no motor,
incluindo o de aferição de gases na saída do escapamento e notamos que os níveis de
poluição despencaram progressivamente. O índice de monóxido de carbono chegou na
impressionante marca de 0.00%! Alteramos o combustível de gasolina para GNV e o
resultado foi o mesmo. O cheiro dos gases no escapamento tornou-se completamente
distinto. Ele era perfeitamente respirável, sem irritar os olhos nem causar repulsa pela
inalação. Não posso lhe assegurar que o seu carro irá obter a marca zero, pois isso
dependerá do estado de conservação do motor, regulagem e tipo de combustível
utilizado, mas lhe asseguro que esse foi o nosso primeiro resultado aferido por oficina
credenciada em aferição de gases pelo INMETRO entre diversos outros que sucederam
e estou confiante que seu motor deverá poluir menos do que polui hoje.

- “Quanto será a economia do meu carro?”

- Eu adoraria poder lhe responder essa pergunta com precisão, mas infelizmente não
posso, pois cada carro tem um resultado distinto. Isso vai depender do estado de
conservação e regulagem do seu carro, assim como do programa que controla o módulo
central. Essa é uma tecnologia EXPERIMENTAL e está sendo permanentemente
aperfeiçoada; o que obtive foram resultados muito satisfatórios no universo das
instalações efetuadas. Até o presente momento, em todos os casos obtivemos
regularidade na redução da emissão de CO (monóxido de carbono), de HC
(hidrocarbonetos), de MP (fuligem no diesel) e melhor desempenho. No tocante à
redução no consumo de álcool, apesar de um aumento fantástico de desempenho, os
resultados de economia não predominam nas instalações. Já tivemos uma medição de
40% de melhora no consumo de um Gol 1.0 flex usando álcool, mas este apresentou 0%
de melhoria no abastecimento seguinte. Um Toyota Corola gasolina apresentou 20% de
economia na primeira medição, 15% na segunda e 0% na terceira. O proprietário
entendeu que é uma batalha a ser vencida entre o programa sabotador do carro e nossa
contra-medida para enganá-lo, persistindo conosco nos ajustes para vencer essa batalha.
Um Corsa 1.0 Gasolina tem apresentado variações para uso misto (cidade+estrada) de
10 km/l (considerado padrão para uso urbano sem HIDROBRIO) até a excelente marca
de 15,85 km/l. Minha Mercedes 6 cilindros com 193HP está fazendo de 10 a 11,25 km/l
de gasolina na cidade (resultado muito recompensador), mas eventualmente regride para
8,6 km/l em um abastecimento eventual, ainda que também seja um bom resultado para
o tamanho do motor.

www.HIDROBRIO.com.br
- “Isso é impossível. Que garantias eu tenho que isso funciona? ... quais são as provas,
as certificações... isso para mim é uma grande enganação, pois do contrário todas os
fabricantes já usariam nos seus carros...”

Por favor, não me interprete mal, mas eu não pretendo torcer seu braço para fazê-lo
acreditar no que estou publicando, muito pelo contrário. Reflita sobre esse sábio
provérbio chinês: “A pessoa que diz que não pode ser feito não deveria interromper a
pessoa que está fazendo”. Se você é uma pessoa totalmente cética e avessa a mudanças,
eu lhe peço respeitosamente que não compre o Kit HIDROBRIO™ e que não incomode
as pessoas que estão dedicadas a instruir pessoas a poluírem menos, economizarem no
combustível e na manutenção dos seus carros. Mas para a vasta maioria das pessoas,
sugiro algo: teste você mesmo e comprove os resultados. Ficarei muito feliz em publicar
seu depoimento pelos resultados obtidos. Eu recomendo aos instaladores credenciados a
devolver o dinheiro da compra do kit ao cliente, caso ele não fique satisfeito. Essa tem
sido a melhor forma de você não perder tempo, vencer o ceticismo e criar para você
uma possibilidade concreta de fazê-lo orgulhoso por economizar enquanto polui menos.
Lembre-se ao dar a próxima partida no seu carro: “eu poderia estar economizando
agora mesmo e ajudando a melhorar o ar que respiramos”.

- “Que resultado terei com o GNV?”

Cada carro é um caso e não posso precisar o que irá acontecer com o seu. Caso você
opte por manter sua instalação atual de GNV e usar o Kit HIDROBRIO™, espere obter
um desempenho superior. Ele deverá ter menor consumo, poluir menos, uma resposta
mais rápida nas acelerações e não apresentar tanta perda de potência nas subidas.
Quando o seu carro é adaptado para GNV, em alguns casos, ele piora o consumo de
combustível quando usa a gasolina (ou álcool), pois as velas são ajustadas para o melhor
desempenho no GNV. Quando você instala o Kit HIDROBRIO™, você deverá obter
melhor consumo na gasolina, mas se desejar obter o ganho máximo neste combustível,
talvez precise desfazer as alterações feitas para o GNV. A escolha é sua. Quando fiz a
primeira instalação num Corsa 1.0, deixei seu proprietário muito feliz, pois o carro
passou a ter um desempenho quase equivalente ao da gasolina. Agora o motor trabalha
cerca de 10ºC a menos do que antes, consequentemente o ar condicionado refrigera bem
mais e quase não se percebe perda de rendimento ao ligá-lo. Em suas palavras, “é um
outro carro”. Esse proprietário optou por não regular o GNV para um menor consumo,
pois ficou muito feliz com o ganho de desempenho do carro e por poluir menos.

- "Em qual sensor do carro atua o NMS?"

O NMS (Não Me Sabote), já popularmente batizado como "Não Me Sacaneie", atua no


sinal emitido pelo sensor de oxigênio, também conhecido como sonda lambda.
Desenvolvemos outros dispositivos que atuam no MAP e MAF, mas comprovamos que
o NMS atual é o mais eficaz deles. Emuladores de sonda lambda utilizados para GNV
não funcionarão corretamente com qualquer sistema gerador de hidrogênio, pois eles
geram sinais fictícios e aleatórios, não relacionados com os sinais reais do sensor de
oxigênio. O NMS modula (corrige) o sinal real, para compensar os efeitos causados por
uma melhor queima de combustível gerada pela presença do gás marrom, e pode ser
calibrado para obtenção do "ponto ideal" de correção. Nosso NMS atua em sensores de
oxigênio "narrow band" e "wide band".

www.HIDROBRIO.com.br
- "Qual o volume de produção de gás?"

Laranja deve ser comparada com laranja e não com banana. Quero dizer com isso que
temos uma conduta briosa de agir e não informamos valores falsos nem tendenciosos,
lamentavelmente propagados na internet. Por conta disso, informar o valor real pode
nos colocar numa desleal desvantagem, e não faremos isso. A condição de produção em
sistema aberto difere muito da condição em vácuo absoluto. Vários projetistas tentaram
o caminho do vácuo absoluto ou parcial, mas desistiram pelos insucessos na criação do
ambiente estanque e nos problemas secundários gerados por eles. Nosso sistema
funciona em vácuo absoluto com sucesso, o que nos permite afirmar que temos uma
produção real superior quando comparado a outros produtos. Aplicar vácuo, mas ter
entrada falsa de ar no sistema, irá mascarar uma produção de gás (que aparentará ser
elevada) com ar e não gás marrom e pode fazer seu motor funcionar de forma irregular
(variação do regime de trabalho por variação de pressão detectada - entrada falsa de ar).
O HIDROBRIO é estanque e permite o máximo aproveitamento do gás produzido,
multiplicado pelo efeito do vácuo, com ótima eficiência energética (baixa amperagem) e
durabilidade dos eletrodos e outros componentes.

- “O Hidrobrio funciona bem com diesel?”

Os motores a diesel costumam nos gratificar muito pelos resultados que alcançamos. A
instalação é mais simples, mas requer maior produção de gás marrom pelo Reator. Um
dos maiores benefícios, além da economia, é a grande redução da fumaça escura (MP) –
menos partículas no ar, e menor contaminação do óleo lubrificante do cárter. Estamos
aperfeiçoando um modelo específico para motores a diesel.

- “Gostei muito desse projeto...o que é preciso para ser um revendedor?”

Obrigado pelo seu interesse. Essa é uma venda técnica, onde é preciso que o interessado
se aprofunde no estudo do tema. Precisamos de parceiros com esse perfil e temos uma
política de prestigiar os “pioneiros” em cada cidade. Seja o primeiro cliente da sua
cidade, seja um cliente satisfeito, compartilhe seus resultados conosco e nos informe seu
interesse de parceria. Sabemos que como cliente satisfeito você naturalmente irá querer
compartilhar seus resultados com os amigos e nada mais natural que você ser
recompensado por isso. Desta maneira, teremos muito prazer em conversar com você
para conhecê-lo melhor, apoiá-lo e prestigiá-lo para tê-lo como nosso parceiro nesse
projeto.

- “Isso é perigoso?”

Sinceramente, sim é muito perigoso. O gás marrom é um gás combustível e explosivo.


Se algum “curioso engraçadinho” resolver colocar fogo na saída do gás, ele explodirá.
Isso para mim é o mesmo que pegar a mangueira do tanque de combustível e colocar
fogo – o que será esperado disso? Daí a importância do Método HIDROBRIO™ e
desse documento; ele possibilita a plena compreensão do funcionamento dessa
tecnologia para ser operada de forma segura e eficaz. Para isso, eu descrevo as
especificações de segurança em todos os componentes.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 3

O HIDROGÊNIO

O átomo de hidrogênio é o elemento químico com o menor átomo existente (menor


massa atômica) e é representado por “H”. Recebeu esse nome por Antoine Lavoisier.
Ele é o elemento mais abundante do universo, sendo encontrado na forma de plasma nas
estrelas. Em temperatura ambiente, ele é encontrado na forma de gás de hidrogênio
(H2), ou seja, dois átomos de hidrogênio ligados. Está presente na natureza de diversas
formas, como na água (H2O) e em todos os compostos orgânicos (petróleo inclusive).
Na forma de gás (H2), é um poderoso combustível. Suas aplicações foram inúmeras,
variando dos primeiros dirigíveis, bomba atômica (bomba H), matéria prima essencial
para produção de álcool metanol ao combustível que equipa as naves espaciais. A
gordura hidrogenada é um exemplo de aplicação do hidrogênio na área dos alimentos.

Não há dúvidas que o hidrogênio seja uma das fontes mais importantes de energia do
futuro, por ser altamente calórico, abundante e não poluente. Diversas fábricas de
automóveis têm seus projetos de carros movidos a hidrogênio. De fato, o carro a
hidrogênio foi inventado oitenta anos antes do que o automóvel movido à gasolina.

O hidrogênio é muito volátil, inodoro e altamente inflamável. Em contato com o ar ele


queima com uma chama de baixa luminosidade, mas de alto poder calórico. É
necessária pouquíssima energia para inflamá-lo. A energia necessária para ignição de
uma mistura ar-hidrogênio é 6 vezes menor do que o gás natural. Assim, na sua forma
pura, ele é um gás muito instável e perigoso.

Uma fonte comum de hidrogênio é a água, sendo obtido através do processo de


eletrólise.

Eletrólise da água

A estrutura molecular da água (H2O) é composta por dois átomos


de hidrogênio (H) e uma molécula de oxigênio (O). Quando
combinados em seu estado natural, eles formam a água. A água é
matéria prima essencial para qualquer tipo de vida conhecida
nesse planeta (vírus e bactérias inclusive). O que é
lamentavelmente e intencionalmente omitido é que a água
também é fonte abundante de suprimento de energia
combustível, e uma perfeita forma de energia renovável, pois o
subproduto da sua combustão é... água. Para que você possa ter uma idéia, Stanley
Meyer desenvolveu um maçarico que lhe permite derreter o aço e soldar peças metálicas
usando a queima da água. Bem, preciso corrigir essa afirmação. Ele gerou gás marrom a
partir da água e isso é o combustível queimado. Mas como é obtido o gás marrom?
Através de um processo de eletrólise da água.

A eletrólise quer dizer decomposição por eletricidade. É um processo físico-químico


que separa os elementos químicos de um composto através de eletricidade. É necessário
que esse composto seja inicialmente decomposto em íons (molécula com carga positiva
ou negativa), para que depois sejam submetidos a uma corrente elétrica. Os primeiros
experimentos com eletrólise datam de 1778 através do químico inglês Humphry Davy.

www.HIDROBRIO.com.br
William Nicholson, também inglês, foi quem primeiro produziu o hidrogênio, em 1800,
e mais tarde (1820) o físico Michael Faraday.

Algumas aplicações da eletrólise incluem a produção da água oxigenada, cloro, soda


cáustica e hidrogênio. Também inclui a galvanização e os processos que são conhecidos
como cromar e folheamento (ouro e prata). Quem não ouviu a expressão “folheado a
ouro”?

No Kit HIDROBRIO™ utilizamos uma solução eletrolítica composta de água


destilada com carbonato de potássio (K2CO3), também conhecida como potassa. Além
de ser a mais eficiente, não gera gases tóxicos, gera pouco desgaste do Reator e não
polui.

A água salgada poderia ser usada para gerar gás marrom, mas também gera um sub-
composto tóxico (ácido clorídrico ) e afeta sensivelmente o meio ambiente, além de
reduzir a vida útil do Reator e partes do motor. Por isso meu pedido e alerta: por favor,
não use água salgada. O planeta agradece e seu motor também!

A quantidade de energia elétrica necessária para gerar o gás marrom é ligeiramente


maior do que a energia gerada pelo gás marrom sozinho, até porque existem outras
energias geradas por esse processo, como a térmica, por exemplo. Mas é aí que entra a
genialidade do Kit HIDROBRIO™. A energia elétrica utilizada será um pequeno
excedente da carga de sua bateria e/ou alternador (máx.15 Amperes). O Gás Marrom irá
aumentar a eficiência da queima do combustível (gasolina, diesel, álcool ou GNV), pois
o hidrogênio irá combinar-se com as moléculas de combustível que serão pulverizadas
na mistura (ar-combustível), formando micro-partículas que irão ter uma melhor
queima, gerando mais energia que até então era desperdiçada na forma de combustível
não queimado, além da adição do gás marrom como combustível em si. Esse
combustível que era desperdiçado pela não queima eficiente é queimado no catalisador
do escapamento do veículo, razão pelo qual ele foi inventado. Estima-se que apenas 20-
25% do combustível é aproveitado para geração de força, enquanto que 75-80% é
desperdiçado para refrigeração do motor, vibração, barulho e o restante queimado no
catalisador. É exatamente esse combustível não utilizado que poderá ser aproveitado
para produzir força, gerando nossa economia de consumo.

Em resumo, Kit HIDROBRIO™ gerará o gás marrom, mas não é o gás marrom que
será sua fonte principal de combustível, e sim o responsável pelo melhor
aproveitamento do combustível usado no seu veículo.

Não haverá modificação do seu motor nem no módulo de controle do seu carro. Isso
torna muito fácil a instalação por qualquer mecânico. Porém, eu não recomendo isso e
justifico a seguir. Seu carro é um sistema que possui vários subsistemas. É importante
que tudo esteja em harmonia, pois do contrário alguns problemas podem surgir e você
ficará sem saber o que é causa e o que é efeito. Por isso, recomendo que busque a
Instaladores Autorizados do Kit HIDROBRIO™ credenciados e habilitados para essa
instalação. Isso possibilitará que seu carro seja diagnosticado antes e depois da
transformação. Você encontrará uma lista permanentemente atualizada desses
revendedores no website www.HIDROBRIO.com.br. Formei um grupo de Consultores
Independentes (BRIOSOS) que estão habilitados a selecionar, capacitar e credenciar

www.HIDROBRIO.com.br
oficinas para instalarem o KIT HIDROBRIO™. Esta atividade é contínua e está se
expandindo naturalmente.

 Atenção, gás marrom é um combustível muito volátil e explosivo. Ele queima


próximo à velocidade da luz!

O HIDROBRIO™ gera gás marrom por demanda, não havendo acúmulo de gases.
Por isso, siga rigorosamente as instruções de montagem e instalação indicadas nesse
manual para obter os mesmos resultados com a mesma segurança. Assim procedendo,
em caso de colisão, o Kit HIDROBRIO™ não deverá lhe oferecer nenhum tipo de
risco.

O HIDROBRIO™ irá utilizar o excedente


de carga gerado pelo alternador (que
carrega a bateria) para gerar uma eletrólise
através de eletrodos imersos em uma
mistura de água destilada com potassa
(solução eletrolítica). Essa solução será
responsável por gerar a passagem de
corrente elétrica entre os eletrodos. O
eletrodo ligado à corrente positiva (+) é o
anodo e o eletrodo ligado à corrente
negativa é o catodo (-). Essa passagem
elétrica irá vibrar as moléculas da água,
fazendo com algumas rompam sua ligação
molecular. As moléculas que estiverem em contato com a superfície do anodo (+)
gerarão gás oxigênio. As que estiverem em contato com o catodo (-) desprenderão o gás
hidrogênio. Fora da água, ainda no compartimento do Reator, os gases hidrogênio e
oxigênio se combinarão instantaneamente e formarão o gás marrom, que é um gás mais
seguro e estável – bem diferente do hidrogênio puro que é instável.

Apesar de haver a presença de vapor d’água junto ao gás produzido, cabe frisar que gás
marrom não é vapor d’água. Vapor d’água é água no estado gasoso e gás marrom é a
combinação de duas partes de gás hidrogênio com uma parte de gás oxigênio – água não
queima, gás marrom sim. Uma peculiaridade do gás marrom é que ele não depende do
oxigênio contido no ar para a combustão, portanto mantém combustão em ambiente
fechado. Outra característica interessante é que, quando incinerado com o ar, sua chama
queima a apenas 127ºC, enquanto o gás hidrogênio puro (H2) queima a 400ºC.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 4

A ÁGUA

Abundante em todo o planeta, a água é matéria prima essencial para a vida. Mas quanta
água será consumida nesse processo de geração de gás marrom? Como fazer a dosagem
de potassa para preparar a solução eletrolítica?

A água guarda uma enorme fonte de energia acumulada. Apenas um litro de água é
capaz de gerar 1866 litros de gás marrom. Por isso será necessária somente uma
pequena quantidade de água.

O consumo de água é inferior a 60 ml/hora de funcionamento do motor. Para manter a


eficiência do Reator, você deverá verificar o nível de água do Reator a cada
abastecimento de combustível do seu carro e trocar a água completamente no intervalo
de 60 dias ou 3000km. Bastará observar a aparência da água contida no Reator através
do medidor de nível e notar o acúmulo de depósitos minerais no fundo do recipiente que
apresentam coloração castanho escuro. Para a manutenção de uma boa eficiência na
produção de gás marrom, na condição do Reator estar desligado por uma noite inteira, a
água deverá ser substituída quando tiver um depósito acumulado acima de 4 centímetros
(dois dedos) no Reator (percebido pelo visor de nível).

Solução eletrolítica
água destilada + potassa (carbonato de potássio K2CO3)

É uma solução que contém íons livres, obtida através de uma mistura de água e uma
substância ionizadora (potassa) que permitirá uma melhor condução de corrente elétrica
na água. A água recomendada é a água destilada, pois essa é livre de minerais. A água
comum possui diversas impurezas e isso ocasionará maior formação de resíduos
sedimentados no Reator causados pelo desgaste acelerado dos eletrodos, requerendo
limpeza do Reator e troca da água mais frequente para não comprometer sua eficiência
e ainda poderá danificá-lo com uso prolongado. Para compor a solução eletrolítica
podem ser usadas diversas substâncias, mas para o seu Reator HIDROBRIO
recomendo apenas a potassa, ainda que o hidróxido de potássio (KOH) dê bons
resultados, mas suja mais o Reator e causa uma borra que pode comprometer a
eficiência do mesmo.

Dosagem da substância ionizadora

Aqui está um aspecto técnico que altera totalmente o resultado. Se a dosagem for baixa,
não haverá boa condutividade elétrica e, portanto, não haverá produção satisfatória de
gás marrom. Por outro lado, se a dosagem for excessiva, haverá muita condutividade
elétrica (como um curto circuito) e consumo desnecessário de energia. Esse excesso
gerará energia térmica com o aquecimento excessivo da solução (acima de 70ºC), sem o
respectivo aumento da produção de gás marrom, gerando mais vapor d’água do que gás
marrom. Essa carga excessiva demandará mais do alternador, causando consumo de
combustível do motor para a geração dessa carga excedente, ou seja, “o tiro sai pela
culatra”. Por isso, nunca exceda a dosagem recomendada, e siga as instruções de

www.HIDROBRIO.com.br
preparo da solução e monitoramento do uso do seu Kit HIDROBRIO™ descritas a
seguir.
 Use Água Destilada (água desmineralizada) de boa procedência (tampa com
lacre). Evite as que são vendidas com tampa com rosca, pois podem ser
adulteradas. Cuidado para não confundir água destilada com solução de bateria.
NUNCA USE SOLUÇÃO DE BATERIA nem outros agentes químicos!
- Não exceda as dosagens recomendadas, pois isso irá causar sobrecarga no Reator, que
conseqüentemente elevará a temperatura do líquido, podendo levá-lo a ferver e o
Vaporizador não será capaz de conter o líquido excessivo que será aspirado pelo
motor, podendo danificá-lo.
- Manuseio da potassa. Esta é uma substância de venda controlada e é utilizada para
produção de geléia e hemodiálise. Como qualquer substância química, deve-se evitar o
contato com a pele. Mantenha o produto afastado de crianças e animais. A potassa
reage produzindo calor e gás quando em contato com a água, gerando o KOH que pode
causar de pequenas irritações a queimaduras quando em contato com a pele. Assim,
mantenha-o em local muito seco, mantendo-o em recipiente plástico bem fechado.
Utilize uma pequena colher das de café bem seca para retirar o pó da embalagem e
despejá-las na água destilada.

Sobre outras substâncias inonizantes:

Substância Ionizante Vantagem Desvantagem

Pode ser manuseado com Deixa resíduos que irão


Bicarbonato de sódio as mãos danificar o Reator

NÃO USAR Vende sem restrições em Menos eficiente de todos


farmácias e supermercados

Não pode entrar em


Hidróxido de Potássio Mais fácil de dosar, pois é contato com a pele, pois é
(KOH) tipo PA vendido em pequenas muito tóxico ao contato
lentilhas humano
NÃO USAR
Venda com restrições

Gera uma borra que reduz


a eficiência do Reator

POTASSA
Preparo da Solução Água (carbonato de
destilada potássio
3 colheres
Primeiro uso ou 1,750 litro Inicie com uma
após lavagem do colher rasa de
Reator café pequena

www.HIDROBRIO.com.br
• Preparo da Solução :

1 - Despeje um litro de água destilada no interior


do Reator já limpo;
2 – Complete até a metade de um copo de vidro
limpo com água destilada. Adicione potassa (uma
colher rasa de café pequena) no copo e mexa bem
até diluir a potassa (a colher deve estar bem seca
para retirar a potassa do pote);
3 – Despeje o conteúdo do copo no Reator e
complete o Reator com água destilada até a marca
de nível (vide foto). Agite o Reator para
homogeneizar a solução;
4 – Tampe o Reator com a rolha e fixe a
mangueira azul do Vaporizador no conector de
engate rápido do Reator. Assegure-se que a mangueira de vácuo esteja conectada ao
terminal de engate rápido do Vaporizador;
5 – Conecte o terminal elétrico do Reator ao terminal do medidor de potência
(POWER);
6 – Dê a partida no motor e deixe o carro funcionando em marcha lenta por 2 minutos;
7 – Veja qual é a carga indicada no medidor de potência. Com o
Reator frio, o ponteiro do medidor deverá ter saído do 0 (zero),
estar no início da faixa verde (entre 7 e 8 Amp).
Se necessário, adicione mais uma ou meia colher de potassa até que
o medidor atinja essa posição. Para isso coloque um dedo de água
destilada no copo e adicione a potassa. Lembre-se: a colher deve estar bem seca para
retirar a potassa. Desligue o motor. Dilua bem e despeje a solução do copo no Reator;
8 – Complete com água destilada até que o nível se aproxime do topo superior do visor.
Esse deve ser o ponto Máximo de enchimento;

Com 20 minutos de uso, a água aquecerá e isso agitará mais as moléculas (aumento da
energia cinética), fazendo com que a corrente aumente. A corrente não deverá exceder
15Amps, ou seja, não deve entrar na faixa vermelha.

Lavagem do Reator – com o uso, o Reator passa a acumular sujeira que pode ser
percebida por uma coloração amarronzada. Essa sujeira é um subproduto da eletrólise.
Para manter a boa eficiência do Reator, é necessário lavá-lo periodicamente (intervalo
aproximado de 3000 KM) com água corrente. Recomendamos que esse processo seja
feito no início do dia, enquanto o Reator está frio. Esse processo é simples e basta
seguir os passos indicados a seguir:

1) desligue o motor e a chave de contato de partida;


2) atente para uma possível temperatura elevada do Reator para não se queimar;
3) desconecte a mangueira de passagem de gás que liga o Reator ao Vaporizador
(mangueira mais grossa) - para desconectar, pressione para baixo com dois
dedos de uma mão o terminal plástico de engate rápido (azul) e com a outra mão
puxe a mangueira para fora do engate (vide capítulo 5);
4) desconecte o conector elétrico que alimenta o Reator;
5) despeje num bueiro o líquido contido no Reator

www.HIDROBRIO.com.br
- para isso, retire a rolha preta do Reator puxando-a para fora;
- evite contato do líquido com a pele;
- caso haja contato com a pele, lave com água corrente em abundância;
6) encha o Reator pela metade com água de uma torneira;
7) feche o Reator com a rolha e agite-o com vigor;
8) descarte o líquido;
9) repita o processo 7, 8 e 9 até que a água fique transparente
- quando o Reator está muito sujo, pode requerer cerca de 10 enxágues;

Nota: uma forma prática de lavar seu Reator é utilizar-se de uma mangueira com
água e deixá-la fluir até que o Reator libere água limpa.

Completando o Nível – Com o uso do seu Kit HIDROBRIO™, haverá um consumo da


água destilada contida no seu Reator e que foi convertida em gás marrom. O consumo
estimado é inferior a 1ml por kilômetro rodado (meio litro para cada 500 km), mas isso
irá variar em função do número de horas de uso e da carga do seu Reator. A cada
reabastecimento de combustível, verifique o nível de água do Reator e complete com
água destilada (sem substância ionizadora) até atingir o nível máximo (pouco acima da
marca de nível). Sempre reponha água com o motor desligado, pois a água
despejada pode ser sugada e será transferida para o Vaporizador. Ligue o carro e
veja qual é a indicação de carga (Power). Em geral, a potência atinge a faixa da carga
inicial a frio recomendada. É muito raro, mas se necessário, adicione mais potassa para
ajustar a potência. Se o Reator estiver quente e ultrapassar a faixa inicial com a
reposição de água, não será problema, desde que esteja na faixa verde. Se o Reator
estiver operando na faixa vermelha, desligue o Reator desencaixando a tomada elétrica
(terminal macho fêmea), espere esfriar, retire um pouco da solução e complete com
água destilada. Religue o Reator e monitore a carga. Lembre-se que se você for
movimentar seu veículo com o Reator desligado, deverá mover a chave do NMS para a
posição ORIGINAL.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 5

CUIDADOS ESPECIAIS

Conectores de engate rápido

Essas peças permitem a conexão das mangueiras e estão presentes no


Reator e no Vaporizador. Elas asseguram uma excelente vedação e
são muito práticas para encaixe e remoção das mangueiras. Para
remover uma mangueira, pressione a trava plástica azul para baixo
com uma mão, enquanto puxa a mangueira com a outra mão.
Não dobre as mangueiras de tal forma que haja obstrução dos gases.
Inspecione as mangueiras anualmente e substitua-as, caso necessário.

NMS

Ele deverá ser calibrado por mecânico credenciado apenas. Se


por algum motivo especial você precisar desativar seu Reator,
mova a chave de by-pass para a posição ORIGINAL
(esquerda). Ele deverá estar dentro da cabine de passageiros
para ficar livre de poeira e umidade.

VAPORIZADOR

- Mantenha o equivalente a dois dedos de água no


recipiente. Isso permitirá você verificar a produção
de gás marrom, agirá como filtro e fusível no caso
de chama reversa;
- poderá haver acúmulo de líquido no Vaporizador
ocasionado por condensação ou excesso expelido
pelo Reator. Caso o nível ultrapasse metade do
Vaporizador, descarte o líquido excedente;
- seu Vaporizador só pode ser operado na posição
vertical. Assegure-se que ele esteja firmemente
posicionado para que não seja sugada a água pelo
motor;
- para abrir o Vaporizador, desengate a mangueira que liga o Vaporizador ao Reator
e desengate a mangueira que liga o Vaporizador ao motor do carro. Desenrosque a
tampa no sentido anti-horário. Ao descartar a água, cuidado para não perder o ANEL
DE BORRACHA DE VEDAÇÃO. É comum ele ficar no copo azul quando a tampa é
retirada;
- para fechar o Reator, assegure-se de que o ANEL DE BORRACHA esteja
devidamente posicionado no seu alojamento na tampa. Enrosque a tampa no sentido
horário até fechar firmemente. Assegure-se que o anel esteja corretamente posicionado
após o fechamento, visualizando-o por todo o entorno do recipiente. Um mal
posicionamento forma um dente no anel. Conecte a mangueira que liga o Vaporizador
ao Reator e a que liga o Vaporizador ao motor.

www.HIDROBRIO.com.br
REATOR

- não deixe a chave de contato ligada sem que o carro esteja em funcionamento, pois o
Reator receberá energia elétrica e estará produzindo gás marrom sem que o mesmo
esteja sendo consumido. Além de descarregar a sua bateria, você estará armazenando
um gás potente no seu motor sem a devida queima. Por medida de precaução,
recomendamos aos instaladores que alimentem o relé do Kit HIDROBRIO™ a partir do
sistema de alimentação da bomba de combustível, pois essa geralmente é temporizada e
evita esse problema;
- não opere seu Reator na faixa vermelha. Isso fará com que a temperatura do Reator
se eleve acima de 70ºC e poderá fazer com que a água ferva, podendo ser aspirada pelo
motor (efeito totalmente indesejável que pode causar danos);
- lave seu Reator a cada 2 ou 3 mil km – o uso urbano lento suja mais o Reator;
- a rolha da tampa do Reator age como uma válvula de segurança para evitar que a
pressão interna do Reator exceda o limite operacional em caso de obstrução da
mangueira de saída do gás marrom. A rolha deverá ter fácil remoção e para isso deverá
estar livre de grãos de areia e o anel de borracha de vedação lubrificado com silicone ou
vaselina. Quando o motor estiver ligado, haverá vácuo no Reator e a rolha será sugada
para dentro. Para facilitar a retirada da rolha, desligue o motor;
- quando o Reator está muito quente, a rolha sofrerá dilatação e sua remoção pode ficar
muito difícil (parece emperrada). Despeje água fria corrente na rolha para que ela esfrie
e assim facilitar sua retirada;
- após 30 minutos de uso contínuo, o Reator aquecerá e poderá atingir a temperatura de
60ºC, o que queima a pele se tocar o Reator. Cuidado com a pele, com alimentos
perecíveis e outros materiais sensíveis que estejam em contato direto com o Reator;
- não deixe que um objeto metálico entre em contato com o terminal positivo (fio
vermelho) que alimenta o Reator, pois isso ocasionará um curto-circuito que deverá
queimar o fusível de proteção;
- somente utilize fusível de 20 Amp (amarelo), não troque por fusível de maior valor
nominal. Caso o fusível esteja queimando, é provável que haja um curto-circuito ou que
a carga do Reator esteja acima dos limites operacionais (faixa vermelha) – procure
assistência técnica caso isso ocorra;
- certifique-se que a mangueira de saída de gás (azul), que conecta o Reator ao
Vaporizador, esteja bem firme, ou seja, totalmente introduzida no conector de engate
rápido do Reator;
- não abra o Reator, pois além de anular a garantia por violação do lacre, lhe faltará
experiência para fechar o Reator de forma a mantê-lo estanque sem vazamentos.
- seu Reator só pode ser operado na posição vertical. Assegure-se que ele esteja
firmemente posicionado;
- a porca que fixa o fio vermelho no reator(+) pode afrouxar por derretimento do
material isolante, caso haja aquecimento excessivo. O fio deverá estar firme e se isso
não ocorrer, o mau contato gerará uma resistência que fará aquecer ainda mais os
contatos, o fio e o isolamento. Assim, caso detecte que o fio esteja frouxo, com a chave
de ignição desligada, aperte suavemente a porca até que o fio fique firme, mas não mais
do que isso, pois a torção excessiva poderá causar o giro dos eletrodos e causar um
curto circuito no reator.
- nunca tente incinerar o gás produzido, pois ele vai explodir.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 6

SEU VEÍCULO

É desnecessário dizer a importância que os veículos automotores representam para a


nossa sociedade. Mas junto com os benefícios, uma alta fatura está sendo paga:
crescente preço dos combustíveis e o alto índice de poluição que afeta nossa saúde e a
saúde do planeta.

Uma excelente opção para reduzir esses dois impactos, além de trazer outros benefícios,
é o Método HIDROBRIO™, que é a combinação do KIT HIDROBRIO™ com outros
fatores comportamentais. Independente do uso do KIT HIDROBRIO™, você poderá
obter ainda mais por estar atento a alguns fatores simples. Esses fatores conjugados
podem representar uma economia significativa para o seu bolso e para o planeta. Um
ensaio efetuado pelo Centro de Pesquisas da Petrobrás apontou dados importantes e
alguns estão relatados a seguir junto com minhas considerações.

Pressão dos pneus: semanalmente, assegure-se em usar a pressão recomendada para os


pneus nas condições de carga que transitar. Isso se torna mais significativo quando o
tempo esfria. Cada libra a menos representa um aumento de consumo de 2 a 3%. É
muito comum encontrar pessoas rodando com pneus com 30 a 50% a menos do que o
recomendado, resultando em desnecessários 20 a 30% de desperdício de combustível.

Velas: troque as velas a cada 30.000 km e revise o seu estado e calibragem a cada
10.000 km. Um Fiat Uno de testes teve um aumento de 7,49% no consumo por usar
velas com 20.000 km rodados e descalibradas (abertura de eletrodo fora do
especificado). Para aprender a interpretar o estado das velas, sugiro visitar
http://www.bosch.com.br/br/autopecas/produtos/velas/ciencia_12dicas.htm

Filtro de ar: certifique-se de que esteja limpo e em bom estado. Limpe-o a cada 5.000
km e após rodar em estradas com muita poeira. O veículo de testes apresentou aumento
de consumo de 6,2% por usar um filtro de ar com 20.000 sem nunca ser limpo. Outros
estudos apontam que essa perda pode chegar a 10%. Substitua-o a cada 10.000 km.

Outras dicas importantes extraídas de outras fontes.

Nível de combustível – evite rodar abaixo de ¼ de tanque, pois quando você está com
pouco combustível no tanque, o motor com injeção poderá não funcionar de forma
eficiente, tendendo a oscilar a aceleração para compensar essa deficiência. Além disso,
haverá maior evaporação do seu combustível no tanque, que, além da perda, causa
poluição da atmosfera e pode acarretar em pane por queima da bomba de combustível.

Atenção com motores flex – esses motores, em muitos casos, são menos eficientes do
que os de um só combustível. Essas perdas podem representar mais de 30% em alguns
veículos.

Regulagem – mantenha seu carro bem regulado. Estudos apontam que um motor mal
regulado pode representar desperdício de até 20% de combustível.

www.HIDROBRIO.com.br
Óleo – mantenha o nível do óleo lubrificante no nível máximo. Inspecione-o a cada
1.000 km e troque-o segundo as especificações do fabricante (incluso o filtro de óleo).
Ele desempenha papel fundamental para reduzir o atrito das peças móveis internas do
seu motor. O óleo sintético é mais eficaz do que o mineral, portanto faz seu carro gastar
menos combustível, mas é bem mais caro. Uma opção econômica é utilizar o semi-
sintético. Utilize somente o tipo de óleo recomendado pelo fabricante do seu veículo.

 Nunca misture óleos lubrificantes de tipos diferentes, pois eles reagirão entre si e
isso causará danos no seu motor em pouco tempo.

Pneus e alinhamento – verifique o alinhamento da direção. Ela é determinante para a


boa conservação dos pneus e para que não haja desperdício de combustível. Quanto
mais novos os pneus, maior a economia.

Em tudo, há muito que você possa fazer para economizar, independente de instalar um
KIT HIDROBRIO™.

 ATENÇÃO – caso seu motor esteja com problema de folga nos anéis de segmento
(“queimando óleo”), não recomendamos a instalação do KIT HIDROBRIO™, pois é
possível que haja uma contaminação excessiva do óleo lubrificante por conta da maior
produção de vapor de água (queima perfeita).

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 7

VOCÊ

Por vezes criticamos a tudo, menos a nós mesmos. Nossos hábitos também têm papel
significativo no gasto de combustível. Em inúmeras ocasiões, tendo um computador de
bordo (scanner) acoplando ao módulo central (UCE), pude demonstrar aos motoristas
como uma mudança na forma de dirigir poderia gerar economias substanciais de
combustível. Por isso, considere as seguintes dicas de economia:

 Leve em conta as informações do capítulo anterior e cuide do seu veículo.


 Quanto mais você pisar no acelerador, mais consumirá. Procure a troca de
marchas de forma que isso lhe proporcione a menor depressão possível no
acelerador. Se você troca a marcha prematuramente, tenderá a pisar mais fundo
no acelerador para compensar a perda de força e isso consome muito
combustível.
 Procure manter velocidade constante. Pise suavemente no acelerador. Evite
acelerações bruscas.
 Em carros com injeção eletrônica, a redução não causa consumo de combustível,
pois a injetora corta o fornecimento de combustível nessa condição. Assim, é
mais econômico descer uma ladeira engrenado (além de mais seguro) do que em
ponto morto (“banguela”). A mesma economia não se aplica aos carros
carburados.
 Assegure-se de que não esteja em movimento com o freio de mão acionado.
 Dirigir com o pé apoiado sobre o pedal de embreagem, além de causar desgaste
prematuro desta, causa desperdício de combustível.
 Não carregue peso desnecessário no seu carro. Não faça do seu porta-malas um
depósito de coisas desnecessárias ao seu trajeto (caixa de ferramentas,
equipamento de pesca e mergulho, parapente, etc)
 Em caso de paradas prolongadas por engarrafamento, desligue o motor.
 Mantenha o registro do seu consumo médio, pois assim você notará
antecipadamente qualquer anomalia com seu carro. Quando perceber que o
consumo está piorando, talvez seja hora de uma manutenção.
 Janelas abertas representam um aumento de consumo cerca de 10% em
velocidade superior a 80 km/h.
 O uso de ar condicionado representa um aumento de consumo de 10 a 20%
 Planeje o trajeto que fará antes de sair de casa e informe-se sobre como chegar
ao seu destino, caso não conheça o local. A melhor forma de economizar é não
andar o desnecessário.
 Ao escolher comprar seu novo carro, informe-se antes sobre o consumo de
combustível com outros proprietários (não nas concessionárias).
 Considere uma caminhada, seu coração e seu bolso agradecerão.

www.HIDROBRIO.com.br
Capítulo 8

POLUIÇÃO

Quando damos partida num motor a combustão, geramos uma série de resíduos através
dos gases expelidos pelo escapamento (emissões). Em uma combustão perfeita, os
resíduos seriam apenas dióxido de carbono (CO2 ) e água (H2O), mas lamentavelmente
essa não é a realidade atual da frota de veículos mundial.

Dióxido de carbono (CO2 ) - não seria um problema, caso não fosse o contínuo
desmatamento sem o equivalente replantio e a redução da capacidade das plantas
converterem o CO2 em carbono pela fotossíntese. Com a produção excessiva de CO2,
temos o problema do aumento do “efeito estufa”, que faz com que haja um aumento da
temperatura da terra, o que causa desequilíbrio climático e agravamento de fenômenos
como furacões, secas, degelo, enchentes, etc. Seu KIT HIDROBRIO™ deverá
contribuir com uma pequena redução nas emissões de CO2.

Monóxido de carbono (CO) - é gerado pela combustão incompleta dos combustíveis


nos motores devido à insuficiência de oxigênio na mistura (mistura rica). É o mais
poluente, sendo um gás extremamente venenoso. Quando inalado, faz com que a
hemoglobina diminua sua capacidade de transporte de oxigênio no sangue para o nosso
corpo. De acordo com a concentração, os sintomas vão desde diminuição da capacidade
visual, passando por dores de cabeça, tonturas, fraqueza muscular, vômito até a morte.
Seu KIT HIDROBRIO™ deverá contribuir com uma importante redução nas emissões
de CO.

Óxidos de nitrogênio (NOx) - causado pela combinação do nitrogênio e o oxigênio em


alta temperatura e alta pressão no motor. Em si não é poluente, mas exposto aos raios do
sol, torna-se matéria prima para produção de poluentes, causando o smog – aquela
névoa de tom amarelo amarronzado que pode ser vista sob as grandes metrópoles,
especialmente em dias frios. O smog age como um manto que impede a dissipação dos
gases tóxicos que causam irritação nas mucosas dos olhos, da garganta e do trato
respiratório, e também causam tosse, bronquite, congestão e alergias. Quando chove,
retorna ao solo na forma de chuva ácida, sendo corrosivo e prejudicial ao solo, aos rios e
lagos, afetando plantas e animais.

Hidrocarbonetos (HC) – resultado pela queima incompleta do combustível,


evaporação dos tanques de armazenagem de combustível ou pelo simples abastecimento
do seu carro. Causa alergias e é altamente cancerígeno. Seu KIT HIDROBRIO™
deverá contribuir com uma redução nas emissões de HC.

Material Particulado (MP) – denomina a mistura de partículas sólidas (carbono) e


gotas de líquidos (hidrocarbonetos) suspensas no ar. Perfeitamente visíveis quando
temos a “fumaça preta” ou fuligem, ou mesmo somente visíveis ao microscópio.
Quando inaladas, depositam-se nos alvéolos dos pulmões e causam irritação das
mucosas, alergias, asma, bronquite crônica e redução de resistência a infecções. Está
mais presente nas emissões de veículos que utilizam diesel. Seu KIT HIDROBRIO™
deverá contribuir com uma significativa redução nas emissões de MP.

www.HIDROBRIO.com.br
CONCLUSÃO

Obrigado por você ter chegado até aqui. Meu desejo é que você tenha gostado do
que leu e que de alguma forma se beneficie com as informações aqui contidas.

Lembro que esse e-book tem seu valor fixado em R$ 10,00 (dez reais). Se você não
encontrou valia nessa publicação, peço que aceite meu pedido de desculpas por
desperdiçar o seu precioso tempo. Se encontrou utilidade, por favor efetue o
pagamento através de uma doação no valor mínimo de R$ 10,00 para a Associação
Santa Clara (www.FamiliaSantaClara.org.br). Essa instituição abriga crianças e
adolescentes, dando proteção, carinho, amor, esperança e educação para inserir
cidadãos dignos na sociedade.

Associação Santa Clara


Banco Itaú - 341
Agência 0310 - São José
Conta: 66016-2
CNPJ: 33.627.803/0001-20

Caso você adquira um Kit HIDROBRIO,


doarei R$ 30,00 para a Família Santa Clara.

Os KITs são montados por


jovens que foram criados pela Família Santa Clara.

Se você estiver interessado em aprender como desenvolver um negócio próprio a partir


de casa e pela Internet, de forma a complementar sua renda atual, lhe convido a visitar:
http://www.Liberte-se.com.br
e assistir aos vídeos educativos.

“A palavra que materializa um sonho é a AÇÃO”

www.HIDROBRIO.com.br
CUIDADO - AVISO IMPORTANTE

 A conversão de água em energia é algo sério e não um brinquedo. Leia esse


documento integralmente antes de iniciar qualquer atividade de geração de energia a
partir da água. Eu não serei responsável por qualquer tipo de dano pelo uso dessa
tecnologia nem por violação de qualquer lei aplicável. Essa é uma tecnologia
EXPERIMENTAL e ao utilizá-la você assume todos os riscos e responsabilidades pela
sua utilização.

 É possível que com a instalação do KIT HIDROBRIO™ haja a perda da garantia


do seu motor, assim como ocorre com algumas marcas de automóvel quando há
instalação do kit GNV. Nos EUA, em alguns estados, não ocorre perda de garantia por
ser interpretado que não há uma alteração do motor e sim a instalação de um acessório,
inclusive há redução de impostos por poluir menos. Verifique isso com o fabricante do
seu veículo. Ao entregar seu veículo para manutenção, informe sobre o uso do
equipamento ou desconecte a alimentação elétrica do Reator e mova a chave do NMS
de ON para ORIGINAL.

 A eletrólise da água produz gás. Nunca tente incinerar esse gás, pois ele vai
explodir. Não bloqueie a exaustão do gás, ou do contrário a tampa do Reator irá ser
projetada para fora do Reator sob pressão (ela age como válvula de segurança) ou até
mesmo pode ocasionar o rompimento do Vaporizador.

 Cuidado, pois o Reator atinge temperaturas de até 70ºC e um contato acidental da


pele com a superfície pode causar queimadura. Um motor por si só pode oferecer riscos
por conter partes quentes e móveis, além de combustível e eletricidade que quando
combinados podem causar fogo. Não instale você mesmo no seu veículo. Procure uma
oficina Instaladora Autorizada para fazer essa instalação que está instruída a fazê-la
adequadamente.

AVISO LEGAL

Você sabia que em alguns países o fato de você estar poluindo pouco e isso sendo
detectado através do escapamento do seu carro pode reprovar sua vistoria? A premissa é
que você teria um furo no seu escapamento – essa é desculpa mais “furada” que eu já
ouvi.

Alguém poderá lhe dizer que não adianta assinar petições e engajar-se em movimentos
ecológicos. Não acredite nisso, faça a sua parte! Eu estou dando minha modesta
contribuição para melhorar o planeta... e estou lhe convidando para darmos as mãos!
Por mais sério e duro que possa parecer, estes avisos importantes não tem por fim
intimidá-lo a não seguir avante, mas sim protegê-lo para tomar as devidas precauções
para sua segurança e seu futuro. Caso não concorde com esses termos, por favor, não
use essa tecnologia.

Visite regularmente o site www.HIDROBRIO.com.br para saber das novidades e


recomendações.

www.HIDROBRIO.com.br