Anda di halaman 1dari 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA

- RELATÓRIO 03 -

ISOLAMENTO DE LEVEDURAS DO
CALDO DE CANA

ALUNO: LEANDRO PINTO DE ARAÚJO


DISCIPLINA: MICROBIOLOGIA
PROFª: SÔNIA

Recife, 2007
1. Introdução

As leveduras, como os bolores, são fungos, mas deles se diferenciam por se


apresentarem, usual e predominantemente, sob forma unicelular. Uma levedura típica
consta de células ovais, que se multiplicam assexuadamente comumente por brotamento
ou gemulação. Como células simples, as leveduras crescem e se reproduzem mais
rapidamente do que os bolores. Também são mais eficientes na realização de alterações
químicas, por causa da sua maior relação área/volume. A maioria das leveduras, não
vive no solo mas adaptou-se a ambientes com alto teor de açúcares, tal como néctar das
flores e a superfície de frutas. As leveduras também diferem das algas, pois não efetuam
a fotossíntese, e igualmente não são protozoários porque possuem uma parede celular
rígida. São facilmente diferenciadas das bactérias em virtude das suas dimensões
maiores e de suas propriedades morfológicas.
As leveduras fermentativas vêm sendo exploradas pelo homem há milhares de
anos, na produção de cerveja e do vinho e na fermentação do pão, embora, somente no
século dezenove tenha sido reconhecida a natureza biológica dos agentes responsáveis
por estes processos.
As leveduras gostam de açúcar. Preferindo como habitat, frutas, flores e as cascas das
árvores.

2. Métodos e Resultados

1º dia - Com uma alça de platina, foi depositada uma gota do caldo na superfície do
meio contido na placa de Petri e fazer estrias por esgotamento seguindo o esquema
abaixo. A placa foi incubada à temperatura ambiente por 48 horas.

2º dia - Foram observadas as colônias que cresceram e escolhidas colônias típicas de


leveduras. Na encolha da colônia foram anotados aspectos macroscópicos, tais como:
tamanho, cor, forma, bordos, consistência, brilho, presença de pigmento solúvel. Foi
transferida, com alça de platina, parte da colônia para um tubo com GA e foi incubado o
tubo.

Resultados

Tamanho: Pequeno;
Forma: Arredondada;
Bordas: Brancas e regulares;
Cor: branca (verso e reserva);
Brilho: Sem brilho

3º dia - Foi retirado material do tubo e o mesmo foi inoculado em tubo com caldo
glicosado para observar se a levedura é fermentativa. Foi realizada uma observação “in
vivo” e os resultados observados foram:

Células imóveis
Cultura pura
Células ovuladas
Presença de vacúolos
Reprodução assexuada por brotamento.
4° dia - Observou-se que as leveduras não eram fermentativas, pois não havia bolhas no
tubo de Duhan.