Anda di halaman 1dari 31

30/3/2011

TENSÕES DE ALIMENTAÇÃO e
TIPOS DE DISTRIBUIÇÃO

TENSÕES DE ALIMENTAÇÃO e TIPOS DE DISTRIBUIÇÃO

1
30/3/2011

SISTEMA MONOFÁSICO – 3 CONDUTORES

U/2

SISTEMA
TRIFÁSICO – 3
CONDUTORES

SISTEMA TRIFÁSICO – 3 CONDUTORES

2
30/3/2011

SISTEMA TRIFÁSICO – 4 CONDUTORES

TENSÕES NOMINAIS DE EQUIPAMENTOS

3
30/3/2011

4
30/3/2011

CLASSIFICAÇÃO DE
CONSUMIDORES

BAIXA TENSÃO

TIPO I - FORNECIMENTO E MEDIÇÃO A 02 FIOS - 127 V -


FASE E NEUTRO (MONOFÁSICO)

Consumidores que possuam carga instalada até 7,5 kW e


da qual não conste:

- Fogão ou forno elétrico da classe 120 V, com mais de


2000 W;

- Motor monofásico da classe 120 V, com mais de ½ CV;

- Aparelhos de solda e transformador ou raio X, com mais


de 0,75 kVA;

- Aparelhos que necessitem de duas ou três fases.

5
30/3/2011

BAIXA TENSÃO

TIPO II - FORNECIMENTO E MEDIÇÃO A 03 FIOS -


220/127 V – 2

FASES E NEUTRO (BIFÁSICO)


Consumidores que possuam carga instalada acima de 7,5
kW e até 13 kW e da qual não conste:

-Motor monofásico da classe de 120 V, com mais de 2 CV;

-Motor monofásico da classe de 220 V, com mais de 3 CV;

-Aparelhos de solda ou raio X, com mais de 3 kVA;

- Aparelhos que necessitem de três fases.

BAIXA TENSÃO
TIPO III - FORNECIMENTO E MEDIÇÃO A 04 FIOS - 220/127 V, 3
FASES E NEUTRO (TRIFÁSICO)
Consumidores que possuam carga instalada, acima de 13 kW e até
75 kW e consumidores que tenham aparelhos que requeiram 3
fases.

É vedado o uso dos seguintes aparelhos nesta categoria:


- Motor monofásico da classe 120 V, com mais de 2 CV;
- Motor monofásico da classe 220 V, com mais de 6 CV
- Motor trifásico com potência superior a 20 CV;
- Aparelhos de raio X, com potência superior a 20 kVA;
-Máquina de solda com transformador, 220 V, 02 fases ou 220 V,
03 fios, superior a 15 kVA;
- Máquina de solda com transformador ou retificador, 220 V, 03
fases, com mais de 20 kVA;
- Máquina de solda, grupo motor-gerador, com mais de 20 CV.

6
30/3/2011

7
30/3/2011

ALTURAS MÍNIMAS

8
30/3/2011

ENTRADA SUBTERRÂNEA

9
30/3/2011

10
30/3/2011

Medição
em Medição
parede no poste

Medição
em mureta

11
30/3/2011

Medição em
muro frontal

Medição FP1 em
mureta

12
30/3/2011

Caixa para
medidores
200A (FP1)

Caixa para
disjuntor – 100
a 225A (DJ1)

13
30/3/2011

Entrada
subterrânea

Caixa de
entrada

Tipos de
aterramento

14
30/3/2011

EDIFICAÇÃO DE USO COLETIVO


NOR-TDE-119

PROJETO - EDIFÍCIOS DE USO COLETIVOS


FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA – 220/127V
a) Assinaturas do engenheiro responsável pelo projeto da
instalação elétrica e do proprietário;

b) Conter a ART (anotação de responsabilidade técnica ) de


elaboração e execução do CREA-MS;

c) Condomínios residenciais e comerciais – consumidores


tipo II ou III;

d) Planta da situação escala mínima de 1:1000, indicando


quando existir a rede da ENERSUL;

e) Planta de localização da entrada de serviço indicando


percurso desde o ponto de alimentação até medição (1:50 ou
1:1000);

15
30/3/2011

f) Vistas da entrada da instalação, poste particular, caixas e


os eletrodutos do ramal de Entrada (1:25 ou 1:50);

g) Diagrama unifilar, indicando demanda do ramal de entrada,


bitola dos condutores, bitola do eletroduto e características
dos equipamento de proteção geral e individuais, até o centro
de medição;

h) Desenhos e detalhes do ramal de entrada e quadro de


medição agrupada com localização no imóvel;

i) Memorial descritivo e especificação de materiais aplicados


na entrada de serviço;

j) Relação de cargas a ligar e cálculos da demanda de


potência provável;

k) Projeto: 04 vias, com data provável da energização.

MEDIÇÃO AGRUPADA

16
30/3/2011

MEDIÇÃO
AGRUPADA

MEDIÇÃO
AGRUPADA

17
30/3/2011

MEDIÇÃO
AGRUPADA

DIMENSIONAMENTO DE ENTRADA DE SERVIÇO


CONSUMIDORES AGRUPADOS

18
30/3/2011

CALCULO DA DEMANDA DE POTÊNCIA PROVÁVEL

D= a + b + c + d + e

a= Demanda em KW das potências para iluminação e tomadas –


TAB3
b= Demanda em KW dos aparelhos de aquecimento – TAB4
c= Demanda em KW dos aparelhos de ar condicionado – TAB6
d= Demanda em KW de motores ( exclusive bombas d´agua a
elevadores) – TAB7
e= Demanda em KW de motores das bombas de águas e
elevadores,
observando os seguintes fatores de demanda:

100% para maior motor/bomba


60% para restante

Tabela 3

19
30/3/2011

Tabela 4

Tabela 6

20
30/3/2011

Tabela 7

DIMENSIONAMENTO DO TRANSFORMADOR

O transformador será dimensionado multiplicando-se os


resultados das equações abaixo, somando-se a esse, a
carga demandada do condomínio.

− Equação para cálculo de demanda em KVA, por


apartamento em função da área da unidade:
Demanda por apartamento (KVA) = 0,018 x Área + 0,36
Onde:
Área = Área do apartamento “tipo” em metros quadrado.

− Equação para cálculo do fator de coincidência em


função do número de apartamentos:

Fator de coincidência = -0,002 x (nº de aptos.)² + 0,8 x (nº


de aptos.)

21
30/3/2011

Entrada
subterrânea

PARA RAIOS  proteção contra sobretensão, como descarga


atmosférica e outras;

Instalados para raios em cruzetas, um em cada fase nas entradas de


A.T., com a seguinte especificação:
− De resistores não lineares;
− Tensão nominal: 12 KV;
− Com desligador automático e próprio para uso em sistema de tensão
nominal 12 a 15 kV, neutro aterrado;
− Corrente de descarga 5 kA.

CHAVE FUSÍVEL  proteção contra sobrecorrentes:


− Tensão nominal: 15 kV;
− Nível básico de isolamento: 95 kV;
− Corrente nominal: do porta fusível 100 A, da base 300 A ;
− Capacidade de interrupção simétrica 10 k A, mínimo.

22
30/3/2011

CABO 15kV

BARRAMENTOS 13,8kV

CHAVE SECCIONADORA TRIPOLAR


− Comando simultâneo;
− Tensão nominal: 15 KV;
− Nível básico de isolamento: 95 kV;
− Corrente nominal: 400 ou 200 A.

DISJUNTOR DE A.T.
− Disjuntor a pequeno volume de óleo, trifásico;
− Classe de tensão: 15 kV;
− Freqüência: 60 Hz;
− Corrente nominal: 350 A em regime contínuo;
− Capacidade de interrupção simétrica: 250 MVA;
− Nível básico de isolamento: 110 kV;
− Operação: - Abertura livre mecânica e elétrica;
− Provido de indicador visual de operação para as posições
ABERTO e
FECHADO;
− Equipados com relés de sobrecorrente primários.

23
30/3/2011

SUBESTAÇÃO
MEDIÇÃO EM
ALTA TENSÃO

SUBESTAÇÃO
MEDIÇÃO EM
BAIXA TENSÃO

24
30/3/2011

POSTO DE
TRANSFORMAÇÃO
45 A 225kVA

POSTO DE
TRANSFORMAÇÃO
45 A 150kVA

25
30/3/2011

SUBESTAÇÃO DE
TRANSFORMAÇÃO
ABRIGADA ATÉ
300kVA

POSTO DE
TRANSFORMAÇÃO
225kVA

26
30/3/2011

QBG

27
30/3/2011

ALIMENTADORES

MEDIÇÃO AGRUPADA

28
30/3/2011

MEDIÇÃO
AGRUPADA

MEDIÇÃO
AGRUPADA

29
30/3/2011

MEDIÇÃO
AGRUPADA

MEDIÇÃO
CONDOMÍNIO

30
30/3/2011

31