Anda di halaman 1dari 2

Fato Social é qualquer forma de coerção sobre os indivíduos que é tida como uma coisa exte

rior a eles, tendo uma existência independente e estabelecida em toda a sociedade,


que é considerada então como caracterizada pelo conjunto de fatos sociais estabelec
idos.
Também se define o fato social como uma norma coletiva com independência e poder de
coerção sobre o indivíduo.
Fato Individual ou consciências individuais são formadas pela sociedade. Ela é oposta
ao idealismo, de acordo com o qual a sociedade é moldada pelo "espírito" ou pela con
sciência humana. "A construção do ser social, feita em boa parte pela educação, é a assimil
pelo indivíduo de uma série de normas e princípios sejam morais, religiosos, éticos ou d
e comportamento que baliza a conduta do indivíduo num grupo. O homem, mais do que
formador da sociedade, é um produto dela",
Divisão do Trabalho Social criada em 1893, As Regras do Método Sociólogo criadas em 18
94 e O Suicídio em 1897. Sendo que a obra O Suicídio é uma das obras mais destacadas, ne
la faz um estudo detalhado sobre o suicídio e suas causas.
Sua primeira obra A Divisão do Trabalho Social enuncia dois princípios básicos. Consciên
cia coletiva e solidariedade mecânica e orgânica.
Solidariedade Mecânica.Origina-se da semelhança entre os membros individuais. Para a
manutenção dessa igualdade, necessário do grupo, deve haver coerção social, baseada na co
nsciência coletiva severa e repressiva. Essa sociedade não pode cair no individualis
mo, todavia, o progresso da divisão de trabalho, fez com que a sociedade de solida
riedade mecânica se transforme.
Solidariedade Orgânica Ela se opõe a semelhança e baseia-se nas diversas das pessoas e
dos grupos, criando um laço social novo, um tipo de princípio de solidariedade, com
moral própria, ou seja, independente, implicando em uma consciência individual mais
livre.
Socialização parte do pricípio que o homem seria apenas um animal selvagem que só se tor
nou Humano porque se tornou sociável, ou seja, foi capaz de aprender hábitos e costu
mes característicos de seu grupo social para poder conviver no meio deste. A este
processo de aprendizagem, Durkheim chamou de Socialização
Durkheim diferencia o fato social normal do patológico.
Fato normal e patológico: o fato social é normal quando voltado a um tipo social del
imitado, e patológico quando avança esta taxa dita normal . Numa sociedade isolada das
grandes civilizações são aceitas certas atitudes, comportamentos e costumes que são norma
is aos habitantes desta, mas que seriam tido como atos doentios, ilegais, patológico
s .
A Coesão social é um mecanismo de proteção da sociedade, é o conjunto de regras e procedim
entos padronizados socialmente, reconhecidos, aceitos e sancionados pela socieda
de, cuja importância estratégica é manter a organização do grupo e satisfazer as necessida
des dos indivíduos que dele participam. As instituições são portanto conservadoras por e
ssência, quer seja família, escola, governo, polícia ou qualquer outra, elas agem faze
ndo força contra as mudanças, pela manutenção da ordem.
Anomia Basta uma rápida observação do contexto histórico do século XIX, para se perceber q
ue as instituições sociais se encontravam enfraquecidas, havia muito questionamento,
valores tradicionais eram rompidos e novos surgiam, muita gente vivendo em cond
ições miseráveis, desempregados, doentes e marginalizados. Ora, numa sociedade integra
da essa gente não podia ser ignorada, de uma forma ou de outra, toda a sociedade e
stava ou iria sofrer as consequências. Aos problemas que ele observou, ele conside
rou como patologia social, e chamou aquela sociedade doente de Anomana . A anomia e
ra a grande inimiga da sociedade, algo que devia ser vencido, e a sociologia era
o meio para isso. O papel do sociólogo seria portanto estudar, entender e ajudar
a sociedade.
Consciência Coletiva: é a consciência imposta pela sociedade, onde ela estabelece o qu
e pode e não ser feito; quais os limites, direitos e deveres de cada um. A consciênc
ia coletiva, existente em cada indivíduo, é aquela que ao realizar, ou na pretensão de r
ealizar algum ato, de imediato busca mentalmente ver se a atitude, geralmente oriu
nda e pretendida pela consciência individual , não esbarra em alguma norma ou princípio
oral-legal, imposto pela sociedade a que este indivíduo esta submetido.