Anda di halaman 1dari 1

02 Folha da Fumaça 15 de abril de 2011

Donato
Gregorini
Opinião
“Lendo a última edição época, os Estados Unidos, que no os fins justificaram os meios. Só
Jornalista (01/04/2011), me chamou a aten- contesto da guerra fria simboliza- para exemplificar, o regime militar
donatogregorini@hotmail.com ção a matéria intitulada “a Revo- va a luta contra o comunismo. Os insuflou um bipartidarismo artifi-
lução de 1964”, onde apresentava problemas econômicos teriam sido cial, em que a oposição quase não
Deputados e Verbas
uma opinião um pouco controver- sanados através do financiamento existia, começava desfalcada, pois
Os deputados federais que investiram em Morro da Fumaça, nesses últi-
mos dois anos: João Pizzolatti, R$ 1 milhão; Jorge Boeira, R$ 256 mil; Ânge-
sa sobre os fatos daquele período. em larga escala pelos EUA, ou seja, um dos primeiros atos do regime
la Amin, R$ 200 mil; Paulo Vignatti, R$ 200 mil; Edinho Bez, R$ 100 mil. Se Trata-se do golpe de 1964. Esta é como herança da ditadura ficou a foi cassar os direitos políticos de
formos avaliar a proporção por votos recebidos nas últimas eleições para de- a expressão. Erroneamente ou por famosa dívida externa do Brasil. 4.682 cidadãos, dentre eles 500
putado federal, a conta está bem desproporcional. Tem deputado que re- concepção ideológica alguns consi- Então a excentricidade, corrupção legisladores, 50 chefes de estado,
cebeu muitos votos dos fumacenses, mas que na hora de encaminhar suas deram o ataque a democracia que e má administração do presidente 300 professores e 1261 militares. A
emendas, tem mandado muito pouco para Morro da Fumaça. Isso é só para a ocorreu na década de 60 como “re- Jango justificaria a tomada do po- repressão a qualquer tipo de ma-
gente saber. Até porque daqui uns dias eles vão estar aqui nas bases pedin- volução”. Um dos principais pilares der pela força, sem uso dos meios nifestação contrária foi a principal
do votos para seus candidatos a prefeito e vereadores. Vamos ficar ligados. para o golpe foi a suposta “ame- democráticos, que alias já foi usado marca do regime, não existia li-
aça comunista”, uma tendência neste pais contra Fernando Collor, berdade de imprensa, tornou-se
BR 101
A mobilização pelo término da duplicação
nas ações do presidente da época, e respeitando o processo demo- comum interrogatórios, prisões e
da BR 101 agora parece que está para valer, Jango. Cabe esclarecer que esta crático. Na verdade, o que ocorreu tortura dos que se manifestavam,
principalmente dentro do Estado de Santa ameaça comunista era na época em 1964, foi um golpe, arquiteta- desaparecimentos e assassinatos,
Catarina. Uma pena que lá por Brasília a assuntos como a reforma agrária e do por forças conservadoras, para muitas famílias lutam até hoje para
coisa não está com essa força toda. Princi- reforma urbana, falar em pobreza e a manutenção da estrutura social a abertura dos documentos da di-
palmente na vontade de concluir as obras. discutir temas como distribuição de existente. Eram os detentores do tadura militar na esperança de sa-
Na reunião desta semana praticamente renda e saúde. Segundo, tratava-se poder se manifestando. Os mesmos ber o que realmente ocorrera com
estava o Estado de Santa Catarina inteiro de medidas para inibir um governo que se encontram encranhados nos seu familiares. Dizer que os fins
lá, a começar pelo governador, senadores,
corrupto e que colocava o Brasil bancos do congresso nacional, ocu- justificaram os meios, é dizer que
deputados federais, estaduais, vereadores,
secretários de estado, enfim, tudo que era
em graves problemas econômicos. pando cadeiras do executivo até os poucos frutos do regime militar,
de direito. Mas o problema está lá em Brasí- Corrupto por corrupto, nunca na hoje. Estes jamais perdem o poder, se é que podem ser assim consi-
lia. A BR 101 Sul não é prioridade. Isso está história deste país, houve um man- famílias “tradicionais” do meio po- derados, justificam a repressão,
ficando cada dia mais claro. Nem o minis- dato, seja civil ou militar, a frente lítico, atuando diretamente ou nos a tortura e as mortes. Se há um
tro apareceu na reunião. O diretor do DNIT, do poder executivo desta nação que bastidores, foi a manutenção deste bom fruto que se pode tirar des-
também não deu as caras, estava de férias. Enfim, a previsão mais otimista para não estivesse envolvido em escân- poder, destas pessoas que justificou te lamentável episódio da história
o término das obras está lá para o ano 2016. Olha, tá na hora de fazer como fez o dalos com o dinheiro público. Não o golpe de 64. Ao justificar, que o desta nação é o exemplo de algo
ex-governador Vilson Kleinubing, que na época proibiu a circulação de caminhões se esta dizendo que isto justifica a regime militar, foi uma benesse ao que jamais se deve ser repetido”.
pesados nos fins de semana. Até porque aí o Rio Grande do Sul e Paraná, que tem
corrupção, apenas que o golpe ja- país, analisando apenas resultados
mais força política, vão abrir a boca. Aí eu tenho certeza que alguém vai tomar
alguma providência. Sem contar a dinheirama que deve estar sendo desperdiçado
mais serviu a este propósito. Quan- econômicos ou a manutenção de Renato Cechinel - Bacharel
com as contratações e descontratações de empresas e pessoal. E isso é dinheiro to a questão econômica, o regime concepções ideológicas tidas por em Direito - Pesquisador no
nosso. Enquanto isso, pessoas estão morrendo e, cada vez que se imagina pegar a militar alinhou o país as diretrizes “corretas e necessária” ao “bem” Núcleo de Pesquisas em Estado
BR 101 para viajar, é um Deus nos acuda. O melhor é continuar rezando. E muito. econômicas da maior potencia a da nação, é o mesmo que dizer que Política e Direito – NUPED/UNESC

Cermoful
A semana foi surpreendida com várias demissões na Cermoful. No total foram
oito funcionários(as). A começar pelo gerente administrativo. O conselho de ad-
Pellegrin participa de encontro
com o Diretor geral do DNPM
ministração da Cermoful comunicou que foi uma decisão administrativa e que no
dia 25 de abril vai dar uma explicação mais detalhada do porque dessa decisão.

Zezo voltando?
Depois da saída de Zezo Maragno do governo Baltazar Pellegrin, quando ocupava
O Prefeito Baltazar Pellegrin e o utilizar diretamente os minerais,
o cargo de chefe de gabinete, o ex-vereador e ex-vice-prefeito ficou sem apare- responsável pelo Setor de Plane- mas que os produtos que consu-
cer na imprensa. Preferiu se recolher, deixando as coisas acontecerem natural- jamento da Prefeitura, Leonardo mimos precisam deles. “A terra
mente. Alguns diziam até que iria pendurar as chuteiras da política. Mas quem o Piazza participaram esta semana está presente em tudo, não há
conhece sabe que em política o que não é hoje, pode ser amanhã, e vice-versa. de um encontro com o diretor ge- nada nesta sala que não seja re-
Aliás, o vice-versa é a denominação mais clara e mais complexa de política. E ral de Planejamento e desenvolvi- lacionado a ela, se ligando assim
isso ficou provado mais uma vez. Zezo foi eleito presidente do PP no sábado, mento da Mineração do DNPM (De- aos recursos minerais”, explicou.
praticamente por unanimidade. De 80 votos, apenas 1 votou contra a sua cha- partamento Nacional de Produção
pa. Agora é esperar para ver os próximos acontecimentos. No ano que vem tem
Mineral), João César de Freitas Mineração
eleição para prefeito e vereadores. E ninguém acredita que Zezo irá se conten-
tar em apenas ser o presidente da sigla. Muitos acreditam que ele possa voltar
Pinheiro na Unesc. “Nós não po-
demos mais pensar nos minerais “Para ser mineração de verdade,
para a administração municipal. Aliás muitos estão torcendo por isso. Na verdade
Zezo era o sparring (aquele que recebia os golpes antes) do prefeito Baltazar sem pensar de uma maneira de- de fato, ela tem que preservar
Pellegrin. Era ele quem resolvia muitas questões antes de chegar ao prefeito. Era mocrática o seu aproveitamento, o meio ambiente e o DNPM vem
quem apaziguava muitas situações. A sua saída acabou deixando o prefeito mui- impedindo que poucos enriqueçam para organizar essa luta”, comen-
to exposto. Já que ninguém ocupou essa tarefa difícil. E isso prejudicou a ima- e muitos empobreçam”, afirmou tou o diretor. Ele ressaltou que
gem da administração municipal. O prefeito precisa recuperar uma boa imagem diretor durante a palestra “Eco- quando se tira o minério bom e
administrativa, até porque trabalha para isso. Tem fei obras importantes. Hoje nomia Mineral Brasileira”. “Tudo se deixa o ruim para trás, isso
vejo poucos defendendo o prefeito e administração. Dá a impressão que torcem sim é mineração predatória. “A
que está no subsolo, os recursos
para o quanto pior melhor. E Morro da Fumaça não precisa desse tipo de gente.
minerais, pertencem a todos os ideia é fazer uma lavra racional,
Precisamos sim de pessoas que torcem e trabalham pelo bem de nossa cidade.
brasileiros”, lembrou Pinheiro. Ele tirando do solo e utilizando ambos
FGTS destacou que podemos até não (minérios ruim e bom)”, afirmou.
Desta vez Morro da Fumaça não foi agraciada com o saque do FGTS para trabalhadores
que poderiam ter prejuízos nas enchentes. Porque será? Cadê os urubus de plantão?
Deputados do PP participam Moleque Bom de Bola
EXPEDIENTE da convenção nacional movimenta escolas
de Urussanga
Folha da Fumaça
Fone
do partido dia 12 em Brasília A Comissão Municipal de Moleque Bom de Bola
Av. Celeste Recco, 30 –
3434-5041 Sala 05 – Morro da Fumaça – SC
A partir das 10 horas
dessa terça-feira (12), o
ta Catarina serão cerca
de 40 convencionais. Se-
Esportes de Urussanga
(CME) realiza nos dias
vai contar com a parti-
cipação de estudantes
E-mail: folhadafumaca@gmail.com Partido Progressista re- gundo o presidente do 19 e 20 de abril mais de todas as escolas do
Jorn. Donato Gregorini (Mtb. 18.890-SP) alizará em Brasília sua PP estadual, deputado uma edição do Moleque município, entre elas,
Diretor Responsável convenção nacional e Joares Ponticelli, “Santa Bom de Bola Municipal, as da rede estadual e
que terá a participação Catarina vai comparecer em Urussanga. A com- particular de ensino. Os
Milena Gregorini Alessandra Santana petição tem início às alunos atletas que po-
da bancada dos seis de- em peso” e a tendência
Diagramação e Arte Depto Comercial 8 horas no campo do dem participar devem
putados do PP na Assem- é a de que mantenha o
Jornal de circulação semanal do município de Morro da Centro Poliesportivo, no ter idade entre 10 e 14
Fumaça e Região. Publicação da Gregorini Associados Empresa bléia Legislativa, todos atual presidente, senador
Jornalística Ltda.(CNPJ 02.923.547/0001-94). Os textos de Opinião eles, convencionais. Em Francisco Dornelles (RJ), Centro. De acordo com anos. A expectativa é de
e artigos são de inteira responsabilidade de seus autores. O jornal termos de país, serão no comando da dire- a Diretora de Espor- cerca de 300 alunos par-
não se responsabiliza pelos mesmos.
480 delegados. De San- ção nacional do partido. tes Izolete Gastaldon o ticipem da competição.