Anda di halaman 1dari 6

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

INTRODUÇÃO
Se você olhar o interior de seu aparelho de TV, do computador, de seu aparelho de som estéreo ou
embaixo da capota de seu carro, notará circuitos mais complexos do que os circuitos simples analisados
até o momento. Tanto os conectados por fios como os circuitos integrados em um chip semicondutor,
todos geralmente incluem diversas fontes, resistores e outros elementos, tais como capacitores,
transformadores e motores, interconectados em uma rede.

Nesta unidade, estudaremos como calcular correntes, tensões e outras propriedades desconhecidas dos
elementos do circuito. Vamos aprender a determinar a resistência equivalente para resistores
conectados em série ou em paralelo.

O principal assunto desta unidade são os circuitos de corrente contínua (cc), nos quais o sentido da
corrente não varia com o tempo. As lanternas e o sistema elétrico de um automóvel são exemplos de
circuitos de corrente contínua. Os aparelhos elétricos usados nas residências são alimentados por
corrente alternada (ac), na qual a corrente oscila alternando seu sentido para frente e para trás. O
mesmo princípio de análise de circuitos pode ser aplicado para esses dois tipos de circuitos elétricos.

RESISTORES EM SÉRIE E EM PARALELO


Os resistores existem em todos os tipos de circuitos, desde um secador de cabelos e aquecedores
elétricos ate circuitos que dividem ou limitam correntes e tensões. Tais circuitos geralmente contêm
muitos resistores, de modo que é conveniente estudar combinações de resistores. Um exemplo simples
é fornecido pelo conjunto de lâmpadas usadas como decoração em festas; cada lâmpada é um resistor, e
do ponto de vista da análise de circuitos o conjunto de lâmpadas nada mais é do que uma combinação
de resistores.

Considere três resistores com resistências R1, R2 e R3. A Figura 1 indica quatro maneiras diferentes para
conectá-los entre os pontos a e b. Dizemos que existe uma ligação em série quando os elementos de um
circuito, tais como resistores, baterias e motores, são ligados em seqüência, assim como indicado na
Figura. No caso de circuitos, estamos interessados na corrente, que é o fluxo da carga por unidade de
tempo.

A Figura 1b ilustra uma ligação em paralelo de resistores entre os pontos a e b. Cada resistor oferece
um caminho alternativo para a corrente entre esses pontos. A diferença de potencial é a mesma nos
terminais de qualquer um dos elementos ligados em paralelo.

Na Figura 1c, os resistores R2, e R3, estão em paralelo, e essa combinação está em série com o resistor
R1. Na Figura 1d, os resistores R2 e R3, estão em série, e essa combinação está em paralelo com o
resistor R1.

Qualquer que seja a combinação de resistores, podemos sempre encontrar um resistor único capaz de
substituir a combinação inteira produzindo a mesma corrente e a mesma diferença de potencial. Por
exemplo, é possível substituir o conjunto de lâmpadas usadas como decoração em festas por uma única
lâmpada submetida à mesma diferença de potencial do conjunto e que gere a mesma corrente do
circuito original. Essa resistência única denomina-se resistência equivalente da combinação. Se
qualquer um dos circuitos da Figura 1 for substituído pela resistência equivalente Req, podemos
escrever
Vab
Vab =I.Req, ou Re q = , em que Vab é a diferença de potencial entre os terminais a e b do
I
circuito e I é a corrente no ponto a ou b. Para calcularmos a resistência equivalente, supomos uma
diferença de potencial Vab nos terminais do circuito real, calculamos a corrente correspondente I e
obtemos a razão Vab/I..

(a)

Figura 1

RESISTORES EM SÉRIE
Podemos deduzir relações gerais para a resistência equivalente de combinações de resistores em série e
em paralelo. Quando os resistores estão ligados em série, como indicado na Figura 1a, a corrente I deve
ser a mesma através de todos os resistores. (A corrente não é "consumida" à medida que passa pelo
circuito.) Aplicando V = IR para cada resistor, obtemos
V1 = R1I ; V2.= IR2; V3 = IR3.

A diferença de potencial nos terminais dos resistores nem sempre é a mesma (exceto no caso especial
em que todas as três resistências sejam iguais). A diferença de potencial Vab através da combinação
inteira é a soma das diferenças de potencial através de cada elemento:
Vab
Vab = V1 + V2 + V3 = I.(R1 + R2 + R3); logo, = R1 + R2 + R3
I

A razão Vab/I é, por definição, a resistência equivalente Req. Portanto, Req = R1 + R2 + R3. (1)
É fácil generalizar o resultado anterior para um número qualquer de resistores:
Req = R1 + R2 + R3 + ...(resistores em série).

A resistência equivalente de qualquer número de resistores conectados em série é igual à soma das
resistências individuais. A resistência equivalente é maior do que qualquer uma das resistências
individuais.

RESISTORES EM PARALELO
Quando os resistores são ligados em paralelo, como na Figura 1b, a corrente em cada resistor nem
sempre é a mesma. Contudo, a diferença de potencial nos terminais de cada resistor deve ser a mesma e
é igual a Vab. Vamos designar por I1, I2 e I3 as correntes que passam nos resistores. Então, usando I =
V/R, obtemos

Vab V V
I1 = ; I 2 = ab ; I 3 = ab
R1 R2 R3
Geralmente, a corrente é diferente em cada resistor. Como a carga não pode se acumular nem ser
extraída do ponto a, a corrente total I deve ser igual à soma das três correntes que passam nos
 1 1 1 
resistores: I = I1 + I 2+ I3. = Vab  + +  Mas Vab = Req.I. Então:
 R1 R2 R3 

 1 1 1  1 1 1  1 1 1 1 
Vab = Req. Vab  + +  1 = Req  + + 
 Re q
=
 + + 

 R1 R2 R3   R1 R2 R3   R1 R2 R3 

É fácil generalizar o resultado anterior para um número qualquer de resistores em paralelo:


1  1 1 1 
=  + +  (resistores em paralelo). (2)
Re q  R1 R2 R3 

Para qualquer número de resistores conectados em paralelo, o inverso da resistência equivalente é


igual à soma dos inversos das resistências individuais. A resistência equivalente é sempre menor do
que qualquer uma das resistências individuais.

Podemos concluir que as correntes transportadas por resistores em paralelo são inversamente
proporcionais às suas respectivas resistências. A corrente maior flui no caminho que oferece menor
resistência.

EXEMPLOS
1. Calcule a resistência equivalente do circuito e encontre a corrente que passa em cada resistor. A
fonte de fem possui resistência interna desprezível.

SOLUÇÃO As figuras deste exemplo mostram etapas sucessivas para a redução do circuito até a
obtenção de uma única resistência equivalente. De acordo com a Equação 2, os resistores de 6 Ω e 3 Ω
que estão em paralelo na figura deste exemplo são equivalentes a um único resistor de 2 Ω na figura
deste exemplo:
1 1 1 1
= + = Req = 2 Ω A combinação em série do resistor de 2 Ω com o resistor de 4 Ω é
Re q 6 3 2
equivalente a um resistor de 6 Ω. Para encontrarmos a corrente em cada resistor do circuito original,
invertemos as etapas usadas no cálculo da resistência equivalente. No circuito indicado na figura deste
exemplo, a corrente é dada por I = Vab/R = (18 V)/(6 Ω) = 3 A. Logo, a corrente que passa no resistor
de 2 Ω e no resistor de 4 Ω é também igual a 3 A. A diferença de potencial Vab através do resistor de 2
Ω e, portanto, Vab = IR = (3 A)(2 Ω) = 6 V. Usando I = Vab/R, as correntes nos resistores de 6 Ω e de
3 Ω na figura deste exemplo são, respectivamente, (6 V)/(6 Ω) = 1 A e (6V)/(3 Ω) = 2A.
Note que, para os dois resistores em paralelo, a corrente que passa no resistor de 3 Ω é igual ao dobro
da corrente que passa no resistor de 6 Ω; a corrente maior flui pelo caminho que oferece menor
resistência, de acordo com a Equação 2. Note também que a corrente total que flui através desses dois
resistores é igual a 3 A, a mesma corrente que flui através do resistor de 4 Ω

2. Ligação em série versus ligação em paralelo: duas lâmpadas idênticas devem ser conectadas a uma
fonte ideal, de fem ε = 8 V. Cada lâmpada possui resistência interna de 2 Ω. Calcule a corrente e a
diferença de potencial em cada lâmpada, supondo as lâmpadas ligadas: a) em série; b) em paralelo.

SOLUÇÃO: a) a resistência equivalente Req do circuito é


Req = 2 Ω + 2 Ω = 4 Ω.
Como a ligação é em série, a corrente em cada uma das
lâmpadas é a mesma corrente I fornecida pela bateria.
V
Então: V = Req.I I =
Re q
8V
I = = 2 A . Esta é a corrente gerada pela bateria e
4Ω
também a corrente que atravessa cada uma das lâmpadas.

A ddp em cada lâmpada será: V1 = V2 (porque as


lâmpadas têm a mesma resistência R) = RI = 2 Ω.2A =
4V. Como era de se esperar, a soma V1 + V2 = 4 V + 4 V
= 8 V, que é a tensão V da bateria.

1 1 1 1 1 2 1
b) Agora a resistência equivalente é dada por: = + = + = = . Logo, a Req é
Re q R1 R2 2Ω 2Ω 2Ω 1Ω
o inverso disso, ou seja, Req = 1 Ω.
Como a ligação é em paralelo, a ddp da bateria é a mesma ddp em cada lâmpada, ou seja, V 1 = V2
(característica da ligação em paralelo). Então V1 = V2 = 8 V.
8V
O cálculo das correntes é feito através da lei de Ohm: V1 = R1.I1 Logo, I 1 = = 4 A . Está é
2Ω
a corrente que atravessa a 1ª lâmpada. Como a 2ª lâmpada é idêntica à 1ª, (e só por causa disso),
I2 = I1 = 4 A. Como é de se esperar, I2 + I1 = I.. Ou seja, 4 A + 4 A = 8 A.
Podemos conferir este resultando aplicando a lei de Ohm ao circuito equivalente: V = Req.I. Então,
8V
I = = 8 A , como esperado.
1Ω
OBS: esse exemplo não corresponde à realidade, pois a lâmpada não é um resistor ôhmico, ou seja, o
valor de sua resistência não é 2 Ω sempre. À medida que a lâmpada vai ficando ligada, com o passar do
tempo, a tendência é que sua resistência aumente.

EXERCÍCIOS

1) Um resistor de 32 Ω é ligado em paralelo com um resistor de 20 Ω e o conjunto é conectado a


uma fonte de tensão cc de 240 V. a) Qual é a resistência da ligação em paralelo? b) Qual é a
corrente total da combinação em paralelo? c) Qual é a corrente que passa através de cada
resistor?
2) Três resistores com resistências de 1,60 Ω, 2,40 Ω e 4,80 Ω são ligados em paralelo a uma
bateria de 28,0 V que possui resistência interna desprezível. Calcule a) a resistência equivalente
da combinação; b) a corrente através de cada resistor; c) a corrente total através da bateria; d) a
tensão através de cada resistor.
3) Agora os três resistores do Exercício 2 estão ligados em série na mesma bateria. Responda às
mesmas perguntas para a nova situação.

4) Calcule a resistência equivalente do circuito indicado na Figura e determine a corrente que


passa em cada resistor. A bateria possui resistência interna desprezível.

5) Quatro resistores e uma bateria com resistência interna desprezível são agrupados formando o
circuito indicado na Figura. Calcule a) a resistência equivalente do circuito; b) a corrente em
cada resistor.

6) No circuito indicado, cada resistor representa uma lâmpada. Considere ε = 9,00 V e que cada
resistor vale 4,50 Ω. a) Determine a corrente em cada lâmpada. b) A lâmpada inferior direita é
removida do circuito, deixando o fio interrompido. Agora qual é a corrente que passa a circular
nas resistências restantes? c) Depois que a lâmpada é removida, qual é a lâmpada que brilha
com mais intensidade?

7) Lâmpadas em série e em paralelo. Duas lâmpadas possuem resistências de 400 Ω e 800 Ω.


Supondo que as duas lâmpadas sejam conectadas em série com uma fonte de 120 V, calcule a) a
corrente que passa em cada lâmpada; b) Agora as duas lâmpadas são conectadas em paralelo
com a fonte de 120 V. Calcule a corrente que passa em cada lâmpada.

8) a) Qual é a resistência de uma lâmpada de 60 W/120V quando utilizada em uma rede elétrica de
120 V?
b) Repita este cálculo para uma lâmpada de 100W.
c) Se essas lâmpadas forem ligadas em série a uma rede elétrica de 120 V, elas não
irão apresentar o brilho normal. Entretanto, uma terá um brilho maior que a outra.
Qual delas? Explique por que.

9) Uma chaleira funciona com um sistema de aquecimento da água, baseado no efeito joule, com
duas resistências iguais. Qual tipo de associação destas duas resistências fará com que a água se
aqueça mais rapidamente? Explique.

Figuras para os exercícios


Exercícios 4 e 6 Exercício 5

Respostas dos exercícios

1) a) Req = 12,31 Ω b) 19,5 A c) I32 = 7,5 A; I20 = 12,0 A.

2) a) Req = 0,8 Ω b) I1,60 = 17,5 A; I2,40 = 11,67 A; I4,80 = 5,83 A

c) IT = 35 A d) V = 28 V para todos os resistores.

3) a) Req = 8,8 Ω b) I = 3,18 A para todos os resistores.

c) IT = 3,18 A d) V1,60 = 5,09 V; V2,40 = 7,63 V; V4,80 = 15,26 V

4) a) Req = 5,0 Ω b) I3 = 8,0 A; I6 = 4,0 A; I12 = 3,0 A; I4 = 9,0 A.

5) a) Req = 3,0 Ω b) I1 = I3 = 12,0 A; I5 = I7 = 4,0 A.

6) a) A corrente em cada lâmpada é de 1 A.

b) I = 1,333 A (lâmpada direita) e I = 0,667 A (lâmpadas da esquerda).

c) A lâmpada direita. Qual é a potência dissipada nessa lâmpada? (R.: 8,0 W)

7) a) I = 0,1 A = corrente em cada lâmpada


Qual lâmpada brilha mais neste caso? (R.: a de 800 Ω )

b) I400 = 0,3 A; I800 = 0,15 A


Qual lâmpada brilha mais neste caso? (R.: a de 400 Ω )

8) a) R = 240 Ω b) R = 144 Ω. c) A primeira lâmpada irá brilhar mais.

9) Paralelo.