Anda di halaman 1dari 2

 A NOSSA VISÃO

A visão da AI é a de um mundo em que cada pessoa goze de


todos os direitos consagrados na Declaração Internacional de
AMNISTIA Direitos e em outros acordos internacionais de direitos
humanos.

INTERNACIONAL  A NOSSA MISSÃO...


A missão da AI, tendente a concretizar a sua visão, é a de
investigação e de acções que tenham como finalidade a
PORTUGAL prevenção e erradicação dos graves abusos contra os direitos à
integridade física e mental, à liberdade de consciência e de
expressão, e ao direito de não ser discriminado, dentro do
contexto de promoção de Direitos Humanos!
 COMO COMEÇOU A AI?
Em 1961, Peter Benenson (1921-2005), advogado
britânico (na foto), indigna-se com a leitura de uma
notícia no jornal sobre a condenação de dois
estudantes com nacionalidade portuguesa; na
sequência, escreve apelo para amnistia dos
prisioneiros de consciência, com a publicação de artigo “The
Forgotten Prisoners”, no jornal londrino “The Observer”, de 28
de Maio de 1961 – data oficial da fundação da AI. Em Portugal a
AI foi criada em 1981.
 A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS
(DUDH)
O trabalho da AI tem como base a DUHD.
A Comissão de DH da ONU elaborou a DUDH, aprovada e
adoptada em Assembleia-Geral das NU a 10 de Dezembro de
1948 (dia mundial dos DH). É apenas uma declaração geral de
princípios sem poder vinculativo legal. Tem contudo grande
impacto mundial junto da opinião pública. Os seus princípios
foram transcritos para diversos pactos e convenções
internacionais onde constituem obrigações legais,
nomeadamente: Pacto Internacional de Direitos Civis e
Políticos; Pacto Internacional de Direitos Económicos, Sociais e
Culturais; Convenção sobre a Eliminação de todas as Formas de
Discriminação da Mulher; Convenção sobre os Direitos da
Criança e Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas
as Formas de Discriminação Racial.
A DUDH é constituída por 30 artigos divididos habitualmente
em: direitos civis e políticos e direitos económicos, sociais e
culturais. Desde 1976 que a Declaração faz parte da Lei
portuguesa e é elemento central da nossa Constituição (art.
O QUE É A Amnistia Internacional? 16º).
É um movimento mundial independente de pessoas que  OS NOSSOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
trabalham pela defesa dos Direitos Humanos (DH). Temos • Solidariedade internacional –
mais de dois milhões e duzentos mil membros e A protecção dos DH é uma
simpatizantes. A AI é uma organização de acção que responsabilidade que ultrapassa
investiga, documenta e denuncia os abusos de violação de as fronteiras nacionais.
• Acção eficaz em defesa das
direitos humanos.
vítimas individuais – o
sofrimento de cada ser humano
SER MEMBRO DA AI PORTUGAL não se pode descrever apenas com meras estatísticas.
• Cobertura mundial – A AI procura trabalhar pelos Direitos
Se concordarem com os nossos princípios e estatutos, todos Humanos de todos em todos os locais do mundo
podem ser membros da AI; terão a oportunidade de agir na • Universalidade e indivisibilidade dos Direitos Humanos
importante tarefa da defesa dos Direitos Humanos em - Todos nascemos livres e iguais em dignidade e direitos;
conjunto com milhares de outras pessoas que partilham das para viver em dignidade o ser humano tem
mesmas convicções, no seio de um movimento prestigiado o direito à liberdade, segurança e padrões
em vez de se quedarem impotentes perante as injustiças que de vida decentes.
desfilam quotidianamente ante os nossos olhos. • Imparcialidade – A AI não apoia nem se
Os membros são também encorajados a participar nos opõe a qualquer governo ou sistema político
processos democráticos e tomada de decisões do ou aos pontos de vista das vítimas que
movimento. procura proteger.
• Independência – A AI é independente dos
governos, das ideologias políticas, dos
www.amnistia-internacional.pt interesses económicos ou das religiões.
• COMO É FINANCIADA?
A AI é financiada por subscrições e donativos de membros. Para
salvaguardar a sua independência não aceita fundos de
governos e de organizações intergovernamentais, exceptuando
em acções de educação para os DH.
• PUBLICAÇÕES
Relatório Anual da AI (documento informativo da situação DH
no Mundo); Newsletter quinzenal sobre as acções da AI
Portugal; Boletim; Manuais informativos e formativos, manuais
para Educação em DH.
O QUE QUEREMOS?
 Abolição da Pena de Morte;  O QUE PODE FAZER...
 Erradicação da Tortura e tratamentos cruéis, desumanos Todo o apoio que puder dar, por mais pequeno que seja
ou degradantes; será bem-vindo!
 Fim das execuções extrajudiciais e dos -Participar em acções WEB através da nossa página na
desaparecimentos”; internet;
 Liberdade de todos os prisioneiros de consciência; -Inscrever-se na Rede de Acções Urgentes (rede
 Fim dos abusos cometidos por grupos armados contra os internacional de acção sobre temas ou acções específicas),
direitos humanos; através da nossa página na Internet ou solicitando por escrito
para a sede da AI Portugal; não é necessário ser membro.
 Lutar pelos direitos para os refugiados e outros migrantes;
-Dar um donativo – o seu contributo é importante; a defesa
 Acabar com o uso de crianças soldado; dos DH custa dinheiro, desde o envio de cartas, publicação de
 Proteger o direito internacional e os activistas anúncios de sensibilização pública, à investigação nos locais dos
de direitos humanos; abusos cometidos. Quem não tem muito tempo para participar
 Acabar com todos os tipos de discriminação; noutras acções da AI pode assim contribuir para a nossa
 Acabar com a impunidade para os perpetradores missão.
de violações dos Direitos Humanos; -Pode reverter uma percentagem dos seus impostos para
 Acabar com Violações dos direitos humanos de a AI Portugal, assinalando na sua declaração de IRS (Modelo H,
civis e não combatentes em conflitos armados o nome da entidade Amnistia Internacional - Secção Portuguesa
 Acabar com homicídios indiscriminados em conflitos e o nosso NIF 501223738);
armados -Pode tornar-se membro, será bem-vindo ao nosso
 Responsabilizar os agentes económicos, empresas e movimento; precisamos de si!
instituições financeiras para que as suas actividades não -Pode inscrever-se num grupo da sua
prejudiquem os direitos humanos; área de residência. As principais
 OS NOSSOS MÉTODOS DE TRABALHO actividades dos grupos são: sessões
Em caso de violações de direitos conjuntas de escrita de cartas, sessões
humanos a AI procura: públicas, sessões escolares de
 Investigar de forma sensibilização de direitos humanos,
sistemática e imparcial; bancas, angariação de fundos, dossiers de acção (plano de
 Denunciar de forma precisa, trabalho com duração mínima de 1 ano atribuído a alguns
rápida e consistente; grupos como base da sua actividade), trabalho com órgãos de
 Agir: os membros mobilizam a comunicação social locais, bem como cartas Apelo, petições e
opinião pública; acções nas nossas campanhas;
A AI Portugal leva também a cabo diversas acções de Educação -Pode usar a sua imaginação; respeitando os nossos
na área dos Direitos Humanos, nomeadamente através de princípios pode pensar em formas originais de acção para
Sessões Escolares, Edição de livros escolares, da organização defesa dos DH. Para qualquer sugestão de trabalho ou dúvida
de Campos de Trabalho destinados a jovens. que tenha pode solicitar-nos apoio e aconselhamento.
 ORGANIZAÇÃO DA AI  AS NOSSAS CAMPANHAS
A AI Portugal é composta por membros que se A nível mundial envolvem todas as
podem associar em Grupos. Os seus órgãos secções, grupos e redes de trabalho.
sociais (Direcção, Mesa da Assembleia-Geral e São realizadas frequentemente em
Conselho Fiscal) são eleitos bienalmente em aliança com outras ONG´s.
Assembleia-Geral. No secretariado da AI em Neste momento estão a decorrer duas
Lisboa trabalham funcionários, voluntários e Campanhas principais:
estagiários não remunerados. Os estatutos
podem ser consultados no site ou no manual AI.
A nível internacional o órgão máximo do movimento é a
Reunião do Conselho Internacional (ICM), com representantes
das secções nacionais; reúne bienalmente e elege os membros
do Comité Executivo Internacional (CEI), responsável pela
condução do movimento. O CEI nomeia o Secretário
Internacional (actualmente Irene Kahn – na foto), porta-voz do  Campanha para acabar com a Violência Sobre as Mulheres –
movimento e responsável pelo Secretariado Internacional, a discriminação mundial sobre as mulheres é uma violação de
sedeado em Londres, que coordena o trabalho da AI a nível DH que afecta metade da humanidade.
mundial.  Campanha para o Controlo do Comércio de Armas, em
 CRONOLOGIA aliança com a Oxfam e Iansa – o tráfico de armas
1961: Fundação da AI; descontrolado é responsável mundialmente por uma
1972:1ª Campanha Mundial contra a quantidade enorme de mortes.
Tortura;  COMO SABER MAIS SOBRE A AMNISTIA
1977:Atribuição Prémio Nobel da Paz; INTERNACIONAL
1978:Prémio Nações Unidas para os direitos  Requisitar o Manual da Amnistia Internacional (versão
do homem; impressa ou electrónica).
1994:Campanha pelos Direitos das Mulheres;  Consultar de forma regular o site da Amnistia Internacional
2000: Campanha E.U.A. para se manter a par das acções, noticias e actividades
2001:Campanha contra a desenvolvidas;
Tortura;  Subscrever a nossa newsletter;
2002:Campanha Guatemala;  Inscrever-se nas nossas acções de formação.
2003:Campanha Federação  CONTACTOS
Russa; Amnistia Internacional Portugal
2003:Campanha Control Av. Infante Santo, 42, 2º, 1350-179 Lisboa Telefone: 213861652
Arms*; Fax: 213861782 Email: aiportugal@amnistia-internacional.pt
2004:Campanha Violência Sítio Internet: www.amnistia-internacional.pt sítio internacional:
contra as Mulheres* http://www.amnesty.org
(*) a decorrer