Anda di halaman 1dari 12

Recursos Penais

Recursos Penais. II - da que absolver desde logo o réu com fundamento na existência de
Prof. Beatriz Abraão. circunstância que exclua o crime ou isente o réu de pena, nos termos do art. 411.
• Necessários: são aqueles também chamados recursos de ofício visto que,
mesmo que as partes não recorram, o juiz irá encaminhá-lo para a segunda
Classificação dos Recursos. instância.
1. Quanto à fonte
a) Constitucionais Hipóteses:
b ) Legais CPP 574, I.
c) Regimentais HC preventivo ou repressivo.
2. Quanto à in iniciativa No pedido, pede-se junto a liminar.
a) Voluntários Pedido procedente: Toda sentença concessiva de HC vai para reexame necessário
b) necessários no TJ. Na liminar não há sentença.
3. Quanto aos motivos Sendo o HC denegado, não cabe reexame. Cabe recurso pela parte.
a) ordinários
b) extraordinários CPP 574, II -
Começa com a denúncia pelo MP. Ao término da primeira fase, poderá haver a
Bibliografia sentença de pronúncia. Termina a primeira fase do procedimento do Júri. A
1. Mirabete natureza dessa sentença é uma decisão interlocutória: juízo de admissibilidade para
2. Fernando Capez a segunda fase.
3. Tourinho (4 volumes) Ou na duvida, o juiz dá uma sentença de impronúncia.
4. Paulo Rangel. Terceira hipótese: absolvição sumária. Esta é uma sentença. = CPP 574, II.
Existe uma 4a. hipótese: desclassificação: o juiz entendeu que não se trata de crime
www.ibccrim.org.br doloso e sim culposo. Na primeira fase o juiz encaminha o processo para a Vara
Criminal.
Esfera penal Se for na segunda fase ou plenário, o juiz dá a sentença.
Tribunal do Júri = crimes dolosos contra a vida (homicídio, infanticídio, aborto e
induzimento ao suicídio). Quanto aos motivos:
JECRIM = o órgão de 2a. instância é a Turma Recursal. • Ordinários ou comuns, são aqueles que não requerem nenhum requisito
Vara Criminal = crimes de menor potencial ofensivo. Recursos vão para o TJ e específico.
julgados pelos desembargadores. • Os extraordinários são aqueles que requerem determinados requisitos
específicos. Ex.: protesto por novo júri. Ex.: apelação, recurso em sentido
Quanto à fonte = na CF estrito.

• Constitucionais: São aqueles previstos na CF  habeas corpus, recurso especial


e recurso extraordinário. Pressupostos recusais
• Legais = CPP 581 a 667. Existem alguns recursos em leis especiais, como a 1 Objetivos
LEP. 1.1 Previsão legal
• Regimentais = previstos nos regimentos internos dos tribunais. Agravo 1.2 Observância das formalidades legais.
regimental. 1.3 Tempestividade
• Voluntários: são aqueles em que a interposição do recurso fica a critério da
parte. CPP 574. Reexame necessário (equivalente ao duplo grau). 2 Pressupostos subjetivos
Art. 574. Os recursos serão voluntários, excetuando-se os seguintes casos, em que 2.1 Legitimidade
deverão ser interpostos, de ofício, pelo juiz: 2.2 Interesse
I - da sentença que conceder habeas corpus;
1
Recursos Penais

3 Juízo de Admissibilidade XXIII - que deixar de revogar a medida de segurança, nos casos em
3.1 Juízo de Prelibação que a lei admita a revogação;
3.2 Juízo de Delibação. XXIV - que converter a multa em detenção ou em prisão simples.

4. Extinção dos recursos A parte que se sentir lesada poderá pedir o recurso adequado.
4.1 Desistência  Princípio da Adequação
4.2 Deserção  Princípio da Fungibilidade
4.3 Falta de preparo
O recurso deve estar previsto taxativamente no CPP, estando relacionado tal
pressuposto aos princípios da adequação e da fungibilidade.
1.1 – Previsão Legal  CPP 581  rol taxativo ou numerus clausus.
Art. 581. Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão, despacho ou Adequação  a parte que oferece o recurso deve procurar utilizar o instrumento
sentença: adequado ao caso concreto, CPP 581, I.
I - que não receber a denúncia ou a queixa;
II - que concluir pela incompetência do juízo; CPP 581, I  recurso em sentido estrito.
III - que julgar procedentes as exceções, salvo a de suspeição;
IV - que pronunciar O juiz, analisando e vendo que não houve má-fé, aceita um recurso de
V - que conceder, negar, arbitrar, cassar ou julgar inidônea a fiança, apelação como recurso em sentido estrito (por exemplo).
indeferir requerimento de prisão preventiva ou revogá-la, conceder
liberdade provisória ou relaxar a prisão em flagrante; (Redação dada pela 1.2 – Formalidades  O recurso pode ser interposto por petição ou por termo nos
Lei nº 7.780, de 22.6.1989) autos (p.e., apelação). Os embargos de declaração somente por petição.

VII - que julgar quebrada a fiança ou perdido o seu valor; Observância das formalidades legais CPP 584  Dependendo do recurso,
VIII - que decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta a existem várias formalidades a serem cumpridas. Dentre as principais, destacam-se:
punibilidade; a necessidade de recolhimento do acusado à prisão para oferecer recurso (por
IX - que indeferir o pedido de reconhecimento da prescrição ou de petição/por termo nos autos).
outra causa extintiva da punibilidade;
X - que conceder ou negar a ordem de habeas corpus; Art. 594. O réu não poderá apelar sem recolher-se à prisão, ou prestar
XI - que conceder, negar ou revogar a suspensão condicional da pena; fiança, salvo se for primário e de bons antecedentes, assim reconhecido na
XII - que conceder, negar ou revogar livramento condicional; sentença condenatória, ou condenado por crime de que se livre solto.
XIII - que anular o processo da instrução criminal, no todo ou em (Redação dada pela Lei nº 5.941, de 22.11.1973)
parte;
XIV - que incluir jurado na lista geral ou desta o excluir; 1.3 -Tempestividade  o recurso deve ser interposto no prazo previsto em lei
XV - que denegar a apelação ou a julgar deserta; (prazo peremptório ou fatal, não pode ser prorrogado).
XVI - que ordenar a suspensão do processo, em virtude de questão Obs.: fazer uma tabela com os diversos prazos dos recursos.
prejudicial;
XVII - que decidir sobre a unificação de penas; 2.1 Legitimidade  Irá depender da modalidade de ação penal de acordo com o
XVIII - que decidir o incidente de falsidade; CPP 577. Na Ação Penal Privada o MP é um fiscal da lei. Só podem oferecer recurso
XIX - que decretar medida de segurança, depois de transitar a o querelante, o querelado e eventualmente o assistente de acusação ou
sentença em julgado; representante legal no caso de menor ou incapaz.
XX - que impuser medida de segurança por transgressão de outra; O MP pode recorrer, interpor recurso, na Ação Penal Pública.
XXI - que mantiver ou substituir a medida de segurança, nos casos do Art. 577. O recurso poderá ser interposto pelo Ministério Público, ou pelo
art. 774; querelante, ou pelo réu, seu procurador ou seu defensor.
XXII - que revogar a medida de segurança;
2
Recursos Penais

Parágrafo único. Não se admitirá, entretanto, recurso da parte que


não tiver interesse na reforma ou modificação da decisão. V - Efeitos dos Recursos
1) Devolutivo
Na A. P. Pública a legitimidade para interpor recurso é o MP e a defesa. Na A. P. 2) Suspensivo
Privada, querelante e querelado. 3) Regressivo
Obs. Podem eventualmente ter legitimidade: o assistente da acusação ou o 4) Extensivo
representante legal, no caso de menor ou incapaz.
Proibição da Reformatio in pejus
2.2 Interesse  está relacionado ao aspecto de sucumbência e prejuízo para a
parte que não conseguiu com a decisão judicial tudo o que pretendia. I  1a. Espécie de Recurso (RSE) – Recursos em Sentido Estrito.

3 Juízo de admissibilidade. Quem faz é o juiz a quo (Juiz de admissibilidade) ou 1) Devolutivo  Significa uma re-análise por um novo órgão julgador da decisão
de primeira instância, que verifica se estão presentes os pressupostos de que está sendo objeto de recurso. É uma regra do Processo Penal, i.e., é um efeito
admissibilidade. Este remete para o juiz ad quem (Tribunal). Julgado o mérito, vai comum a todos os recursos.
(volta) ao Juízo de prelibação, é o juízo de admissibilidade, o primeiro.
Juízo de Delibação é juízo de admissibilidade de segundo grau. 2) Suspensivo  É a exceção do CPP. É aquele em que a parte interpõe um
recurso e requer ao juiz que a decisão prolatada não possa produzir efeitos, isto é,
Beatriz: Comentários reduzidos a termo: só irá produzir efeitos após o trânsito em julgado da decisão. Trata-se de
No juízo de admissibilidade o juiz irá analisar se estão presentes os pressupostos verdadeira exceção no Processo Penal. Só pode ser decretada pelo juiz se houver
objetivos e subjetivos. Em regra, este primeiro juízo é feito pelo juiz a quo. previsão na lei.
Diante da presença dos pressupostos, o juiz recebe o recurso manda processá-lo e o
remete ao TJ. 3) Regressivo - CPP 589  sublinhar reformará, sustentará. (Recurso em sentido
No caso de o juiz a quo receber o recurso e remetê-lo ao TJ, o juízo ad quem estrito). É um juízo de retratação, ou seja, volta ao mesmo juízo que prolatou a
também irá analisar se estão presentes os pressupostos recursais. A doutrina decisão para reformá-la (a quo). Não reformando, cabe recurso ao tribunal (ad
dispõe que trata-se de um novo juízo de admissibilidade realizado pelo quem).
desembargador que recebeu o recurso. Após conhecido o recurso, será julgado o Art. 589. Com a resposta do recorrido ou sem ela, será o recurso concluso
mérito dando ou negando provimento (Juízo de Delibação). ao juiz, que, dentro de 2 (dois) dias, reformará ou sustentará o seu
despacho, mandando instruir o recurso com os traslados que lhe parecerem
Dicionário Jurídico: necessários.
• Delibação  Lat. Delibatio. Ato de encetar, principiar e também separar, Parágrafo único. Se o juiz reformar o despacho recorrido, a parte
abandar ou extrair do todo uma parte para dar-lhe um destino próprio. contrária, por simples petição, poderá recorrer da nova decisão, se couber
• Juízo de Delibação  Expressão empregada para designar o órgão que dá recurso, não sendo mais lícito ao juiz modificá-la. Neste caso,
início a um processo a fim de ter seguimento em juízo inferior. independentemente de novos arrazoados, subirá o recurso nos próprios
• Juízo “a quo”  Juízo que proferiu a decisão de que se recorre. autos ou em traslado.
• Juízo “ad quem”  Juízo ao conhecimento do qual sobe o recurso.
É a possibilidade de o próprio juiz que prolatou a decisão reformar ou
manter a decisão anteriormente proferida. Tal modificação pode ser no todo ou em
IV Extinção dos recursos.
parte. Ex. Embargos de Declaração (obscuridade, omissão).
CPP 576.
Art. 576. O Ministério Público não poderá desistir de recurso que haja 4) Extensivo CPP 580. Riscar o art. 25 do CP e colocar art. 29. No caso de uma
interposto. quadrilha com vários advogados de defesa. Um só recorre para um dos réus. Os
efeitos benéficos se estendem a todos os outros réus (CP 30?).
Falta de preparo  Diferença ou ausência no pagamento de custas.

3
Recursos Penais

Art. 580. No caso de concurso de agentes (Código Penal, art. 29), a decisão XI - que conceder, negar ou revogar a suspensão condicional da pena;
do recurso interposto por um dos réus, se fundado em motivos que não XII - que conceder, negar ou revogar livramento condicional;
sejam de caráter exclusivamente pessoal, aproveitará aos outros. XIII - que anular o processo da instrução criminal, no todo ou em
parte;
Ocorre no caso de concurso de pessoas quando um dos agentes interpõe XIV - que incluir jurado na lista geral ou desta o excluir;
recurso que será aproveitado aos demais, desde que o resultado seja favorável e os XV - que denegar a apelação ou a julgar deserta;
agentes estejam em condições semelhantes no caso concreto. XVI - que ordenar a suspensão do processo, em virtude de questão
prejudicial;
VI - Proibição da reformatio in pejus  CPP 617  sublinhar: quando somente o XVII - que decidir sobre a unificação de penas;
réu tiver apelado da sentença. XVIII - que decidir o incidente de falsidade;
Art. 617. O tribunal, câmara ou turma atenderá nas suas decisões ao XIX - que decretar medida de segurança, depois de transitar a
disposto nos arts. 383, 386 e 387, no que for aplicável, não podendo, sentença em julgado;
porém, ser agravada a pena, quando somente o réu houver apelado da XX - que impuser medida de segurança por transgressão de outra;
sentença. XXI - que mantiver ou substituir a medida de segurança, nos casos do
art. 774;
Quando o recurso é oferecido apenas pela defesa, o tribunal que irá julgá-lo XXII - que revogar a medida de segurança;
não pode piorar a situação do acusado. Porém, havendo recurso de ambas as XXIII - que deixar de revogar a medida de segurança, nos casos em
partes, o juízo ad quem está livre para manter, diminuir ou agravar a decisão que a lei admita a revogação;
anterior. XXIV - que converter a multa em detenção ou em prisão simples.

A primeira corrente entende que o rol é taxativo ou numerus clausus, e


Recurso em sentido estrito. nesse caso todas as hipóteses do RSE estão elencadas expressamente neste
dispositivo.
CPP 581  1ª corrente  Rol taxativo (numerus clausus).
2ª corrente  Rol exemplificativo (numerus apertus) A segunda corrente entende que o rol é meramente exemplificativo,
Art. 581. Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão, despacho ou chamado de numeros apertus, isto é, existem outras hipóteses passíveis de RSE que
sentença: não estão previstas expressamente na lei (corrente majoritária).
I - que não receber a denúncia ou a queixa;
II - que concluir pela incompetência do juízo; APELAÇÃO
III - que julgar procedentes as exceções, salvo a de suspeição; 1- Conceito
2- Características
IV pronúncia 3- Hipóteses

V - que conceder, negar, arbitrar, cassar ou julgar inidônea a fiança, Redução a termo
indeferir requerimento de prisão preventiva ou revogá-la, conceder Existe discussão na doutrina acerca da revogação de alguns incisos do art.
liberdade provisória ou relaxar a prisão em flagrante; (Redação dada pela 581 do CPP.
Lei nº 7.780, de 22.6.1989) Uma PRIMEIRA CORRENTE entende que o art. 581 deve ser aplicado na íntegra
pela ausência de revogação expressa da LEP  Lei 7.210/84.
VII - que julgar quebrada a fiança ou perdido o seu valor; A SEGUNDA CORRENTE entende que no tocante aos incisos do art. 581
VIII - que decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta a relacionados à execução penal, tais como XIX ao XXIII, teriam sido revogados
punibilidade; tacitamente pela LEP que prevê o recurso específico de agravo em execução nestes
IX - que indeferir o pedido de reconhecimento da prescrição ou de casos.
outra causa extintiva da punibilidade; Art. 581. Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão, despacho ou
X - que conceder ou negar a ordem de habeas corpus; sentença:
4
Recursos Penais

XIX - que decretar medida de segurança, depois de transitar a § 1º Se a sentença do juiz-presidente for contrária à lei expressa ou
sentença em julgado; divergir das respostas dos jurados aos quesitos, o tribunal ad quem fará a
XX - que impuser medida de segurança por transgressão de outra; devida retificação. (Incluído pela Lei nº 263, de 23.2.1948)
XXI - que mantiver ou substituir a medida de segurança, nos casos do § 2º Interposta a apelação com fundamento no no III, c, deste artigo,
art. 774; o tribunal ad quem, se Ihe der provimento, retificará a aplicação da pena ou
XXII - que revogar a medida de segurança; da medida de segurança. (Incluído pela Lei nº 263, de 23.2.1948)
XXIII - que deixar de revogar a medida de segurança, nos casos em § 3º Se a apelação se fundar no no III, d, deste artigo, e o tribunal ad
que a lei admita a revogação; quem se convencer de que a decisão dos jurados é manifestamente
XXIV - que converter a multa em detenção ou em prisão simples. contrária à prova dos autos, dar-lhe-á provimento para sujeitar o réu a
novo julgamento; não se admite, porém, pelo mesmo motivo, segunda
Mirabete entende que os incisos relacionados à execução penal devem ser apelação. (Incluído pela Lei nº 263, de 23.2.1948)
atacados pelo agravo em execução, exceto o inciso XVII, que trata da unificação das § 4º Quando cabível a apelação, não poderá ser usado o recurso em
penas. sentido estrito, ainda que somente de parte da decisão se recorra.
Nesse caso, como a previsão é do CP, segundo este autor, o recurso mais (Parágrafo único renumerado pela Lei nº 263, de 23.2.1948)
adequado continua sendo o RSE  RECURSO EM SENTIDO ESTRITO.
Observe-se que cabe ainda ressaltar que mesmo que seja utilizado o Obs.: A Apelação vai ser sempre julgada no TJ, exceto no caso do JECRIM.
agravo, o procedimento continua sendo o do recurso estrito, apesar de uma minoria Temos:
entender que caberia procedimento previsto no CPC. Turma Recursal  decisões oriundas do JECRIM
Tribunal de Justiça  decisões oriundas do Tribunal do Júri.
No JECRIM, quem julga o recurso é a Turma Recursal e o recurso denomina-
se "Recurso Inominado". No TJ, quem julga é a Seção Criminal ou Grupo de
Câmaras, e o recurso é "Apelação".
CPP 593 Apelação. Turma, nas Câmaras Criminais, composta por 3 desembargadores, sendo
Conceito  É o recurso pelo qual a parte interessada devolve à segunda instância um Relator, outro Revisor e um terceiro, vogal.
uma decisão que já foi proferida em primeiro grau. Na esfera penal: Seção Criminal e Grupo de Câmeras.
Art. 593. Caberá apelação no prazo de 5 (cinco) dias: (Redação dada pela A Apelação é julgada na Câmara Criminal. As Câmaras Criminais são
Lei nº 263, de 23.2.1948) compostas por vários desembargadores, mas apenas 3 julgam. O Presidente da
I - das sentenças definitivas de condenação ou absolvição proferidas Câmara não vota, ela está acima dos demais desembargadores.
por juiz singular; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948)
II - das decisões definitivas, ou com força de definitivas, proferidas Exemplos:
por juiz singular nos casos não previstos no Capítulo anterior; (Redação 1 – O juiz não recebe uma denúncia. Recurso cabível  Recurso em Sentido
dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) Estrito. No JECRIM é Apelação, previsto pela Lei 9.099/95. Mas essa apelação tem
III - das decisões do Tribunal do Júri, quando: (Redação dada pela Lei um outro propósito. Numa sentença de mérito iríamos entrar com um Recurso
nº 263, de 23.2.1948) Inominado, que, em outras palavras, seria essa mesma Apelação agora estudada.
a) ocorrer nulidade posterior à pronúncia; (Redação dada pela Lei nº
263, de 23.2.1948) 2 – A Turma Recursal para uns é de 2º grau, mas para outros é de 1º grau, porque
b) for a sentença do juiz-presidente contrária à lei expressa ou à a Turma não é composta por desembargadores e sim por juízes, sendo um vogal.
decisão dos jurados; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) Essa é uma discussão doutrinária.
c) houver erro ou injustiça no tocante à aplicação da pena ou da
medida de segurança; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) Características  Apelação
d) for a decisão dos jurados manifestamente contrária à prova dos 1. É um recurso residual, significa que só é utilizada a apelação nos casos em
autos. (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) que não houver previsão expressa do recurso em sentido estrito.
2. É um recurso amplo, porque admite a devolução ao tribunal de toda a matéria
que foi objeto da decisão de primeiro grau.
5
Recursos Penais

3. Pode ser plena ou parcial. Plena quando vai discutir novamente tudo o que foi
colocado na sentença, e parcial, quando recorre somente de uma parte da Inciso III, a - Decisões do Tribunal do Júri  Tratando-se de nulidade argüida
decisão. Vigora o princípio do "tantum devolutum quantum apelatum", pelas partes até à pronúncia, basta uma simples petição com tal requerimento (de
significa que só pode ser objeto do recurso vindo a ser julgado no tribunal a nulidade). Porém, caso seja encontrada após a pronúncia, deverá ser argüida por
matéria suscitada pela parte ao interpor o mesmo. meio de recurso de apelação (Trib. Júri). Ex.: Se dos 21 jurados convocados
comparecerem menos de 15 e o juiz aceitar, é causa de nulidade. O advogado de
A apelação pode ser principal ou subsidiária. A principal é interposta defesa vai até o fim com o julgamento, e no final requer a nulidade do julgamento.
pelo MP; a subsidiária, pela parte, pelo assistente de acusação, quando o MP III - das decisões do Tribunal do Júri, quando: (Redação dada pela Lei
perde o prazo. nº 263, de 23.2.1948)
a) ocorrer nulidade posterior à pronúncia; (Redação dada pela Lei nº
Hipóteses 263, de 23.2.1948)
1- CPP 593, I  sentença definitiva é sinônimo de sentença em que houve
julgamento do mérito. Cabível em casos oriundos da Vara Criminal ou do JECRIM Inciso III, b - Ocorre quando o juiz profere uma sentença que está em desacordo
quando a sentença condenou ou absolveu o acusado. com a decisão feita pelos jurados ao responderem os quesitos no Tribunal do Júri.
I - das sentenças definitivas de condenação ou absolvição proferidas por b) for a sentença do juiz-presidente contrária à lei expressa ou à
juiz singular; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) decisão dos jurados; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948)

3) Hipóteses... Inciso III, c - Ocorre quando o juiz não fundamenta as fases da aplicação da pena
4) Prazo com base nos artigos pertinentes no CP, tais como art. 59 e 97 do CP.
4.1 - Prazo para interposição c) houver erro ou injustiça no tocante à aplicação da pena ou da medida de
4.2 - Prazo para juntada das razões. segurança; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948)
4.3 - Contagem do prazo  quando começa?
4.4 - Prazo no JECRIM CP Art. 59 - O juiz, atendendo à culpabilidade, aos antecedentes, à conduta
5) Regras social, à personalidade do agente, aos motivos, às circunstâncias e
5.1 - Juízo de Admissibilidade conseqüências do crime, bem como ao comportamento da vítima,
5.2 - Razões em separado estabelecerá, conforme seja necessário e suficiente para reprovação e
5.3 - Assistente de acusação prevenção do crime: (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
6) Efeitos I - as penas aplicáveis dentre as cominadas;(Redação dada pela Lei nº
7.209, de 11.7.1984)
Prazo  CPP 593  5 dias. II - a quantidade de pena aplicável, dentro dos limites previstos;
Art. 593. Caberá apelação no prazo de 5 (cinco) dias: (Redação dada pela (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Lei nº 263, de 23.2.1948) III - o regime inicial de cumprimento da pena privativa de liberdade;
(Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Inciso I - Sentenças definitivas  São aquelas em que o processo vai ser IV - a substituição da pena privativa da liberdade aplicada, por outra
encerrado havendo o julgamento do mérito, porém não geram absolvição nem espécie de pena, se cabível. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de
condenação. Ex.: extinção da punibilidade. 11.7.1984)
I - das sentenças definitivas de condenação ou absolvição proferidas
por juiz singular; (Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) Art. 97 - Se o agente for inimputável, o juiz determinará sua internação
(art. 26). Se, todavia, o fato previsto como crime for punível com detenção,
Inciso II - Decisões com força de definitivas  Extinguem o processo com força poderá o juiz submetê-lo a tratamento ambulatorial. (Redação dada pela Lei
de definitiva ou uma fase deste sem julgar o mérito. nº 7.209, de 11.7.1984)
II - das decisões definitivas, ou com força de definitivas, proferidas
por juiz singular nos casos não previstos no Capítulo anterior; (Redação Inciso III, d - Ocorre na hipótese de interposição do recurso quando os jurados
dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) decidiram sem base nos elementos de convicção existentes nos autos.
6
Recursos Penais

d) for a decisão dos jurados manifestamente contrária à prova dos autos. Art. 596 
(Redação dada pela Lei nº 263, de 23.2.1948) Art. 596. A apelação da sentença absolutória não impedirá que o réu seja
posto imediatamente em liberdade. (Redação dada pela Lei nº 263, de
Prazo  593, caput - 5 dias, da intimação da sentença no D.O., para o MP e 23.2.1948)
advogados. Para o acusado, tem quer ser pessoal e conta da intimação. Parágrafo único. A apelação não suspenderá a execução da medida de
Obs... para prescrição, conta do primeiro dia. segurança aplicada provisoriamente. (Redação dada pela Lei nº 5.941, de
Art. 593. Caberá apelação no prazo de 5 (cinco) dias: 22.11.1973)

A contagem do prazo é a partir da publicação da sentença no D.O. ou da Art. 597  Interpretado em conjunto com o art. 596.
intimação das partes feita na própria audiência, contagem a partir do primeiro dia Art. 597. A apelação de sentença condenatória terá efeito suspensivo, salvo
útil seguinte. o disposto no art. 393, a aplicação provisória de interdições de direitos e de
Obs.: não cabe juízo de retratação na apelação. medidas de segurança (arts. 374 e 378), e o caso de suspensão condicional
de pena.
Prazo para juntada das razões  CPP 600 - Prazo de 8 dias após a intimação
decorrente do recebimento da apelação. O juiz de admissibilidade examina os
pressupostos recursais. Efeitos  devolutivo e suspensivo.
Art. 600. Assinado o termo de apelação, o apelante e, depois dele, o A sentença condenatória tem efeito suspensivo, exceto nas hipóteses do
apelado terão o prazo de 8 (oito) dias cada um para oferecer razões, salvo art. 597. Se a sentença é absolutória, o efeito é meramente devolutivo  art.
nos processos de contravenção, em que o prazo será de 3 (três) dias. 596.

Prazo no JECRI M  Prazo 10 dias, contados do dia útil seguinte á publicação no Não existe o efeito regressivo na apelação.
D.O., ou da intimação das partes na sentença (art. 82, Lei 9.099). Efeito extensivo  está presente na apelação. Se forem dois ou mais agentes, o
As razões devem ser apresentadas juntamente com a interposição do benefício a um será dado aos outros.
recurso.

Regras.
5.1  Juízo de admissibilidade Exercícios.

5.2  Razões em separado se o recorrente não tiver apresentado no início. 1) O que ocorre quando é decretada uma prisão preventiva e o pedido de liberdade
Abertura de prazo para contra-razões. Prazo  8 dias. Após a apresentação das provisória é negado pelo juiz? Sendo você advogado do acusado que está preso,
contra-razões, sobe ao tribunal ad quem. qual medida iria tomar? O que poderá fazer o juiz?
Respostas:
5.3  Assistente de Acusação - art. 600 § 1°  prazo de 3 dias depois do MP.  Entraria com um RSE  Recurso em Sentido Estrito, previsto no CPP 581,
§ 1º Se houver assistente, este arrazoará, no prazo de 3 (três) dias, após o V.
Ministério Público. Art. 581. Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão, despacho ou
sentença:
§ 4°  o apelante declara que vai arrazoar na superior instância. ...
§ 4º Se o apelante declarar, na petição ou no termo, ao interpor a V - que conceder, negar, arbitrar, cassar ou julgar inidônea a fiança,
apelação, que deseja arrazoar na superior instância serão os autos indeferir requerimento de prisão preventiva ou revogá-la, conceder
remetidos ao tribunal ad quem onde será aberta vista às partes, observados liberdade provisória ou relaxar a prisão em flagrante; (Redação dada pela
os prazos legais, notificadas as partes pela publicação oficial. (Incluído pela Lei nº 7.780, de 22.6.1989)
Lei nº 4.336, de 1º.6.1964)
 O juiz poderá rever o seu ato, reformando a sentença, ou se não o fizer, a
matéria subirá ao Tribunal. Mesmo com a reforma da sentença, ainda
7
Recursos Penais

caberá novo recurso pela parte contrária, e o juiz não mais poderá modificar  2 dias, apresentar razões ou contra razões em recurso, CPP 588.
a sua sentença, sendo o recurso encaminhado à instância superior, na forma  5 dias, ao juiz ad quem, CPP 591.
do art. 589 e § ú, do CPP.
APELAÇÃO
Art. 589. Com a resposta do recorrido ou sem ela, será o recurso concluso  5 dias, Apelação, CPP 593.
ao juiz, que, dentro de 2 (dois) dias, reformará ou sustentará o seu  15 dias, para os casos previstos no CPP 31 c/c 598 § único (MP perde
despacho, mandando instruir o recurso com os traslados que Ihe parecerem prazo).
necessários.  5 dias, razões na apelação, e 3 dias, se contravenção, CPP 600. Se houver
Parágrafo único. Se o juiz reformar o despacho recorrido, a parte assistente, 3 dias.
contrária, por simples petição, poderá recorrer da nova decisão, se couber
 5 dias, para remessa à instância superior, findo o prazo para as razões, CPP
recurso, não sendo mais lícito ao juiz modificá-la. Neste caso,
601, ou 30 dias, CPP 603.
independentemente de novos arrazoados, subirá o recurso nos próprios
autos ou em traslado.
6) Tratando-se de JECRIM, quais são os recursos utilizados?
Resposta Recurso Inominado (equivalente à Apelação, no CPC) e Apelação, art.
2) Tratando-se de recurso de apelação, diferencie a plena da parcial e a principal
82 Lei 9.099/95 (equivalente ao RSE, no CPC).
da subsidiária.
Respostas:
 Plena, será discutida toda a matéria objeto da sentença. Embargos de Declaração
 Parcial, apenas parte da sentença será objeto de discussão. CPP 599. 1. Conceito  CPP 619 c/c 382  Na 1a. instância são os embarguinhos (CPP
 Principal  é interposta pelo MP; 382), e na 2a., embargos propriamente ditos (embargos de declaração - CPP
 Subsidiária  interposta pela parte, pelo assistente de acusação, quando o 619)  Consiste em recurso dirigido a um órgão que prolatou a sentença ou o
MP perder o prazo. acórdão desde que haja ambigüidade, obscuridade, contradição ou omissão.
Art. 619. Aos acórdãos proferidos pelos Tribunais de Apelação, câmaras ou
3) O que significa o princípio do tantum devolutum quantum apelatum? turmas, poderão ser opostos embargos de declaração, no prazo de 2 (dois)
Resposta: Somente a matéria suscitada pela parte na interposição do recurso é dias contado da sua publicação, quando houver na sentença ambigüidade,
que pode ser objeto de apreciação pelo Tribunal. obscuridade, contradição ou omissão.
Art. 382. Qualquer das partes poderá, no prazo de 2 (dois) dias, pedir ao
4) Manuela foi condenada a 3 anos de reclusão pela prática de crime de extorsão. juiz que declare a sentença, sempre que nela houver obscuridade,
Seu advogado ofereceu recurso de apelação e o desembargador relator incluiu a ambigüidade, contradição ou omissão.
pena de multa no acórdão proferido. Está correto? Explique. 2. Natureza Jurídica  Quanto à natureza jurídica, existe uma divergência na
Resposta: Não está correto, pois houve reformatio in pejus, com agravação da doutrinária. Uma primeira corrente, majoritária, entende que é recurso
pena em recurso interposto somente pelo réu - CPP 617. visto que é um meio voluntário de atacar a sentença ou acórdão, estando
previsto dentro do capítulo dos recursos. Para a segunda corrente, não é
5) À luz dos recursos já estudados, faça uma síntese dos prazos para serem recurso, visto que o objetivo é apenas fazer um esclarecimento ou uma pequena
interpostos. correção na sentença ou no acórdão, sendo um meio de auto-integração tanto
• Respostas: da sentença quanto do acórdão.
No JECRIM, 10 dias contados da publicação no D.O. ou da intimação das partes na 3. Hipóteses  Obscuridade, ambigüidade, omissão ou contradição.
sentença. Art. 82, Lei 9.099. a. Obscuridade quando a sentença ou acórdão não estão claros.
b. Ambigüidade está relacionada a duplo sentido, mais de uma
RECURSO EM SENTIDO ESTRITO CPP 581-595. interpretação.
 5 dias, Recurso Voluntário, CPP 586. c. Omissão o juiz ou desembargador deixa de se manifestar acerca de
 20 dias, exclusão ou inclusão da lista de jurados, CPP 586 § único. determinado ponto.
 5 dias, Recurso por Instrumento, CPP 587 § único.
8
Recursos Penais

d. Contradição ocorre quando existe uma desconformidade entre a recurso. Discute-se se haveria suspensão ou interrupção do prazo. Por
fundamentação e a parte decisória. analogia ao CPC entendia-se antes da alteração de 1994 que o prazo era
e. Quem pode recorrer? MP, acusado pelo seu advogado, o assistente de suspenso (CPC 538). Com tal alteração passando a interrupção, também
acusação, querelante, querelado, qualquer parte que tenha interesse, houve modificação junto ao CPP, que passou a entender que ocorre a
inclusive sendo parte vencedora na sentença. interrupção do prazo. Obs: no caso do JECRIM o prazo para interposição dos
4. Procedimentos  Prazo de 2 dias CPP 619, a partir da publicação da sentença embargos é de 5 dias e de acordo com o art. 83 § 2°, Lei 9.099/95, será
ou, no casos de sentença condenatória, da intimação da mesma. Endereçado: suspensivo.
se forem embarguinhos, serão endereçados ao juiz que prolatou a sentença de
1a. instância. Se forem embargos de declaração, será para o Relator do Embargos de Nulidade e Infringentes
acórdão. Não haverá intimação para que a outra parte se manifeste. Se for no 1. Conceito  CPP 609  Trata-se de um recurso exclusivo da defesa oposto
JECRIM  Lei 9.099/95 art. 83. Prazo 5 dias. Embargos de Declaração. contra uma decisão não unânime de órgão do 2° grau. Os embargos de
Atenção para os §§. No CPC 538 há interrupção para embargos, no CPP não há nulidade são relacionados à matéria processual enquanto que os embargos
menção. Para a doutrina seria uma interrupção no CPP, recomeçando a infringentes estão relacionados à questão de mérito, que, via de regra, é de
contagem do prazo do zero. direito penal.
Lei 9.099/95 Art. 83. Caberão embargos de declaração quando, em Art. 609. Os recursos, apelações e embargos serão julgados pelos Tribunais
sentença ou acórdão, houver obscuridade, contradição, omissão ou dúvida. de Justiça, câmaras ou turmas criminais, de acordo com a competência
§ 1º Os embargos de declaração serão opostos por escrito ou estabelecida nas leis de organização judiciária. (Redação dada pela Lei nº
oralmente, no prazo de cinco dias, contados da ciência da decisão. 1.720-B, de 3.11.1952)
§ 2º Quando opostos contra sentença, os embargos de declaração Parágrafo único. Quando não for unânime a decisão de segunda
suspenderão o prazo para o recurso. instância, desfavorável ao réu, admitem-se embargos infringentes e de
§ 3º Os erros materiais podem ser corrigidos de ofício. nulidade, que poderão ser opostos dentro de 10 (dez) dias, a contar da
publicação de acórdão, na forma do art. 613. Se o desacordo for parcial, os
CPP Art. 538. Após o tríduo para a defesa, os autos serão conclusos ao juiz, embargos serão restritos à matéria objeto de divergência. (Incluído pela Lei
que, depois de sanadas as nulidades, mandará proceder às diligências nº 1.720-B, de 3.11.1952)
indispensáveis ao esclarecimento da verdade, quer tenham sido requeridas, 2. Hipóteses  1ª) quando a decisão não unânime foi tomada por maioria de
quer não, e marcará para um dos 8 (oito) dias seguintes a audiência de votos. 2a)
julgamento, cientificados o Ministério Público, o réu e seu defensor. 3. Procedimento  Prazo de 10 dias da publicação do acórdão. Dirigido ao
§ 1º Se o réu for revel, ou não for encontrado no domicílio indicado desembargador relator que irá abrir vista para o revisor. Observe-se que o
(arts. 533, § 3o, e 534), bastará para a realização da audiência a intimação relator não pode ter tomado parte na decisão que foi embargada. O revisor vai
do defensor nomeado ou por ele constituído. marcar a data para o julgamento, quando participará um terceiro
§ 2º Na audiência, após a inquirição das testemunhas de defesa, será desembargador.
dada a palavra, sucessivamente, ao órgão do Ministério Público e ao defensor
do réu ou a este, quando tiver sido admitido a defender-se, pelo tempo de 20
(vinte) minutos para cada um, prorrogável por mais 10 (dez), a critério do
juiz, que em seguida proferirá a sentença.
§ 3º Se o juiz não se julgar habilitado a proferir decisão, ordenará que Habeas Corpus > CPP 647 e ss.
os autos Ihe sejam imediatamente conclusos e, no prazo de 5 (cinco) dias, 1. Natureza Jurídica  Uma primeira corrente entende que é recurso visto que
dará sentença. encontra-se dentro do capítulo dos recursos. Já uma segunda corrente entende
§ 4º Se, inquiridas as testemunhas de defesa, o juiz reconhecer a que é uma ação popular, constitucional, de natureza penal - CF 5°, LXVIII. A
necessidade de acareação, reconhecimento ou outra diligência, marcará para segunda corrente é a majoritária. A primeira corrente é o entendimento de
um dos 5 (cinco) dias seguintes a continuação do julgamento, determinando Fernando Tourinho.
as providências que o caso exigir. CF 5º, LXVIII - conceder-se-á "habeas-corpus" sempre que alguém sofrer
5. Efeitos  Redução a termo  De acordo com a doutrina, uma vez ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de
interpostos os embargos, não irá correr o prazo para a interposição de outro locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder;
9
Recursos Penais

2. Espécies  Existem duas: preventivo e repressivo ou liberatório. O preventivo alguns casos em que habeas Corpus será originário do STJ (CF 105, ?) e do STF
ocorre quando se pretende evitar a efetivação da coação. O liberatório ocorre (CF 102, ?).
quando se pretende a restituição da liberdade de alguém cuja atuação esteja CFArt. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamente, a guarda
violada, através da ausência de liberdade. da Constituição, cabendo-lhe:
3. Legitimidade Ativa  Qualquer pessoa pode oferecer Habeas Corpus, I - processar e julgar, originariamente:
chamada de impetrante. Paciente é a pessoa física que sofre a coação ou a
violação na liberdade de ir e vir. Impetrante e paciente podem ser a mesma d) o "habeas-corpus", sendo paciente qualquer das pessoas referidas nas
pessoa, se não existir a figura do advogado. alíneas anteriores; o mandado de segurança e o "habeas-data" contra atos do
4. Legitimidade Passiva  A autoridade coatora, sempre pessoa física, também Presidente da República, das Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado
chamada de coator. Tem que ser identificado quem agiu (Diretor, secretário, Federal, do Tribunal de Contas da União, do Procurador-Geral da República e
alguém que está representando a entidade). do próprio Supremo Tribunal Federal;
5. Hipóteses  CPP 648 - sublinhar a palavra "ilegal" (não amparado pela lei). O i) o habeas corpus, quando o coator for Tribunal Superior ou quando o
gênero é o ato ilegal que é aquele que contraria dispositivo legal sendo uma das coator ou o paciente for autoridade ou funcionário cujos atos estejam sujeitos
espécies de abuso de autoridade previsto na Lei 4.898/65. diretamente à jurisdição do Supremo Tribunal Federal, ou se trate de crime
a. CPP 648, I  Não existem indícios de autoria e materialidade (suporte sujeito à mesma jurisdição em uma única instância; (Redação dada pela
probatório mínimo). "Trancar" o inquérito é pará-lo, equivale a deixá-lo Emenda Constitucional nº 22, de 1999)
arquivado.
b. 648, II  acusado preso por mais tempo do que o devido. Depende do CF Art. 105. Compete ao Superior Tribunal de Justiça:
tipo de prisão. I - processar e julgar, originariamente:
c. 648, III  prisão ilegal é coação ilegal. Falta de competência da a) nos crimes comuns, os Governadores dos Estados e do Distrito
autoridade. Federal, e, nestes e nos de responsabilidade, os desembargadores dos
Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal, os membros dos
d. 648, IV  Ex.: prisão por não ter endereço fixo e agora já tem.
Tribunais de Contas dos Estados e do Distrito Federal, os dos Tribunais
e. 648, V  c/c 310, § ú. O inciso está revogado, na prática. Vigora o §
Regionais Federais, dos Tribunais Regionais Eleitorais e do Trabalho, os
ú.
membros dos Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios e os do
f. 648, VI  c/c 564.
Ministério Público da União que oficiem perante tribunais;
g. 648, VII  c/c 107 CP. b) ...
c) os habeas corpus, quando o coator ou paciente for qualquer das pessoas
Art. 648. A coação considerar-se-á ilegal: mencionadas na alínea "a", ou quando o coator for tribunal sujeito à sua
I - quando não houver justa causa; jurisdição, Ministro de Estado ou Comandante da Marinha, do Exército ou da
II - quando alguém estiver preso por mais tempo do que determina a Aeronáutica, ressalvada a competência da Justiça Eleitoral; (Redação dada
lei; pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)
III - quando quem ordenar a coação não tiver competência para fazê-
lo; II - julgar, em recurso ordinário:
IV - quando houver cessado o motivo que autorizou a coação; a) os "habeas-corpus" decididos em única ou última instância pelos
V - quando não for alguém admitido a prestar fiança, nos casos em Tribunais Regionais Federais ou pelos tribunais dos Estados, do Distrito
que a lei a autoriza; Federal e Territórios, quando a decisão for denegatória;
VI - quando o processo for manifestamente nulo;
7. Procedimento  CPP 654 § 1°  O que deverá conter a petição. CPP 660 >
VII - quando extinta a punibilidade.
regras aplicáveis. CPP 656. Obs.: o MP poderá impetrar HC como fiscal da lei.
6. Competência  Critério utilizado é do da territorialidade, ou seja, será
660, §§ 1° e 2°.
competente o juiz onde esteja ocorrendo a coação. A petição é sempre Art. 654. O habeas corpus poderá ser impetrado por qualquer pessoa,
endereçada para uma autoridade superior. O endereçamento da petição é em seu favor ou de outrem, bem como pelo Ministério Público.
fixado sempre para uma autoridade acima da autoridade coatora. Existem § 1º A petição de habeas corpus conterá:

10
Recursos Penais

a) o nome da pessoa que sofre ou está ameaçada de sofrer violência ou I - quando a sentença condenatória for contrária ao texto expresso da lei penal ou à
coação e o de quem exercer a violência, coação ou ameaça; evidência dos autos;
b) a declaração da espécie de constrangimento ou, em caso de simples II - quando a sentença condenatória se fundar em depoimentos, exames ou documentos
ameaça de coação, as razões em que funda o seu temor; comprovadamente falsos;
c) a assinatura do impetrante, ou de alguém a seu rogo, quando não III - quando, após a sentença, se descobrirem novas provas de inocência do condenado ou
souber ou não puder escrever, e a designação das respectivas residências. de circunstância que determine ou autorize diminuição especial da pena.
Art. 660. Efetuadas as diligências, e interrogado o paciente, o juiz
decidirá, fundamentadamente, dentro de 24 (vinte e quatro) horas. Legitimidade
§ 1º Se a decisão for favorável ao paciente, será logo posto em Somente a defesa tem legitimidade para propor a revisão criminal (CPP 623)
liberdade, salvo se por outro motivo dever ser mantido na prisão. Art. 623. A revisão poderá ser pedida pelo próprio réu ou por procurador legalmente
habilitado ou, no caso de morte do réu, pelo cônjuge, ascendente, descendente ou irmão.
§ 2º Se os documentos que instruírem a petição evidenciarem a
ilegalidade da coação, o juiz ou o tribunal ordenará que cesse imediatamente
Prazo (CPP 622)  "A qualquer tempo" após o trânsito em julgado.
o constrangimento.
Art. 622. A revisão poderá ser requerida em qualquer tempo, antes da extinção da pena ou
8. Efeitos  Sendo concedida a ordem de HC, o juiz ou tribunal irá determinar,
após.
imediatamente, a soltura (repressivo); sendo o HC preventivo, o juiz irá Parágrafo único. Não será admissível a reiteração do pedido, salvo se fundado em novas
determinar o salvo conduto. Se não for concedido o HC, diz-se que a ordem foi provas.
denegada;
Hipóteses (CPP 621)  Incisos I a II  numerus clausus.
Quando a sentença conceder o HC obrigatoriamente irá para a instância Art. 621. A revisão dos processos findos será admitida:
superior, caberá duplo grau de jurisdição obrigatória (CPP 574, I). Em caso de I - quando a sentença condenatória for contrária ao texto expresso da lei penal ou à
recurso, será o RSE (CPP 581, X). Cabe recurso em sentido estrito da concessão ou evidência dos autos;
denegação do HC. II - quando a sentença condenatória se fundar em depoimentos, exames ou documentos
Art. 574. Os recursos serão voluntários, excetuando-se os seguintes casos, em comprovadamente falsos;
que deverão ser interpostos, de ofício, pelo juiz:
I - da sentença que conceder habeas corpus; Obs.: numerus clausus  locução empregada para exprimir que a enunciação é
enumerativa, não exemplificativa, e por isso não admite acréscimos.
Art. 581. Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão, despacho ou
sentença: Competência (CPP 624)  A petição é sempre dirigida para o Tribunal competente
X - que conceder ou negar a ordem de habeas corpus; para os recursos em geral (STF, STJ, TJ ou TRF). Sempre dirigida ao Presidente do
Tribunal.
REVISÃO CRIMINAL. Art. 624. As revisões criminais serão processadas e julgadas: (Redação dada pelo Decreto-lei
1- Natureza jurídica  CPP 621. nº 504, de 18.3.1969)
2- Legitimidade  CPP 623. I - pelo Supremo Tribunal Federal, quanto às condenações por ele proferidas; (Redação
3- Prazo  CPP 622. dada pelo Decreto-lei nº 504, de 18.3.1969)
4- Hipóteses de cabimento  CPP 621, I e II. II - pelo Tribunal Federal de Recursos, Tribunais de Justiça ou de Alçada, nos demais
casos. (Redação dada pelo Decreto-lei nº 504, de 18.3.1969)
5- Competência  CPP 624.
§ 1º No Supremo Tribunal Federal e no Tribunal Federal de Recursos o processo e
6- Procedimento  CPP 625  .
julgamento obedecerão ao que for estabelecido no respectivo regimento interno. (Incluído pelo
7- Conseqüência Decreto-lei nº 504, de 18.3.1969)
§ 2º Nos Tribunais de Justiça ou de Alçada, o julgamento será efetuado pelas câmaras ou
Natureza Jurídica turmas criminais, reunidas em sessão conjunta, quando houver mais de uma, e, no caso
É uma questão divergente. A primeira corrente entende que é um recurso, contrário, pelo tribunal pleno. (Incluído pelo Decreto-lei nº 504, de 18.3.1969)
e uma segunda corrente, majoritária, entende que é uma ação penal de § 3º Nos tribunais onde houver quatro ou mais câmaras ou turmas criminais, poderão ser
conhecimento de caráter desconstitutivo (CPP 621) constituídos dois ou mais grupos de câmaras ou turmas para o julgamento de revisão,
Art. 621. A revisão dos processos findos será admitida:
11
Recursos Penais

obedecido o que for estabelecido no respectivo regimento interno. (Incluído pelo Decreto-lei nº Tribunais de Apelação, câmaras ou turmas leia-se TRF, TJ, STJ, STF.
504, de 18.3.1969)
2- Quais são os efeitos dos recursos?
Procedimento (CPP 625) R.
• A petição é endereçada ao Presidente do Tribunal competente. 1) Devolutivo
• O requerimento é distribuído a um Relator que não tenha participado no 2) Suspensivo
processo. 3) Regressivo
• O Relator pode indeferir liminarmente o pedido se entender 4) Extensivo
insuficientemente instruído ou inconveniente aos ditames da justiça.
• É obrigatória a oitiva do MP que oferece um parecer. 3- O que existe de peculiar em relação aos demais recursos na apelação?
R. Possibilidade de as razões serem juntadas apartadas, somente no
• Após a oitiva do MP, o Relator apresenta o relatório, depois é aberta vista
Tribunal.
ao Revisor que irá pedir para ser marcado o julgamento.
• Ocorre a sessão do julgamento. 4- Carol está sendo indiciada pelo crime de estelionato pelo delegado da 10ª DP,
sendo que não foram encontrados indícios suficientes de autoria. Você, contratado
como seu advogado, responda:
Conseqüências. a- Que medida irá tomar?  Hábeas Corpus.
• Se for julgado improcedente, não pode ser repetida, exceto por novo Art. 647. Dar-se-á habeas corpus sempre que alguém sofrer ou se achar na
motivo. iminência de sofrer violência ou coação ilegal na sua liberdade de ir e vir, salvo nos
• Se for julgado procedente, pode ocorrer a anulação do processo, a casos de punição disciplinar.
absolvição do acusado, diminuição da pena ou alteração da classificação da b- A quem será dirigida?  Ao juiz da Vara Criminal.
infração. Art. 624. As revisões criminais serão processadas e julgadas
I - pelo Supremo Tribunal Federal, quanto às condenações por ele proferidas
Obs.: a doutrina entende que é cabível a revisão criminal, inclusive em crimes dolosos contra a II - pelo Tribunal Federal de Recursos, Tribunais de Justiça ou de Alçada, nos
vida. (raríssimo) demais casos. )
§ 1º No Supremo Tribunal Federal e no Tribunal Federal de Recursos o
CPP 630  A doutrina prevê o pagamento de indenização, desde que não estejam processo e julgamento obedecerão ao que for estabelecido no respectivo regimento
presentes as hipóteses do art. 630, § 2°. interno.
Art. 630. O tribunal, se o interessado o requerer, poderá reconhecer o direito a uma justa § 2º Nos Tribunais de Justiça ou de Alçada, o julgamento será efetuado pelas
indenização pelos prejuízos sofridos. câmaras ou turmas criminais, reunidas em sessão conjunta, quando houver mais de
§ 2º A indenização não será devida: uma, e, no caso contrário, pelo tribunal pleno
a) se o erro ou a injustiça da condenação proceder de ato ou falta imputável ao próprio § 3º Nos tribunais onde houver quatro ou mais câmaras ou turmas criminais,
impetrante, como a confissão ou a ocultação de prova em seu poder; poderão ser constituídos dois ou mais grupos de câmaras ou turmas para o
b) se a acusação houver sido meramente privada. julgamento de revisão, obedecido o que for estabelecido no respectivo regimento
Exercícios. interno.
1- Quais são as hipóteses para o oferecimento dos embargos de declaração? c- Qual o fundamento legal?  CPP 648, I, por não existir justa causa.
R. Na forma do CPP 382 c/c 619, quando no Acórdão proferido existir, na
Art. 648. A coação considerar-se-á ilegal:
sentença, ambigüidade, obscuridade, contradição ou omissão.
I - quando não houver justa causa;
Art. 382. Qualquer das partes poderá, no prazo de 2 (dois) dias, pedir ao juiz que declare a
sentença, sempre que nela houver obscuridade, ambigüidade, contradição ou omissão.

Art. 619. Aos acórdãos proferidos pelos Tribunais de Apelação, câmaras ou turmas, poderão
ser opostos embargos de declaração, no prazo de 2 (dois) dias contado da sua publicação,
quando houver na sentença ambigüidade, obscuridade, contradição ou omissão.
12