Anda di halaman 1dari 19

SOFONIAS

VOLTAR

INTRODUÇÃO

1. Título.-

Como as profecias de outros profetas menores, o livro do Sofonías


simplesmente

leva o nome de seu autor. Sofonías, Tsefanyah em hebreu, significa "Yahweh


escondeu", ou "Yahweh entesourou". Este foi também o nome de outros
personagens do AT (1 Crón. 6: 36; Jer. 21: 1; Zac. 6: 10, 14).

2. Paternidade literária.-

Não sabemos nada deste profeta além do que diz de si mesmo em seu livro.

Parece seguro pelo cap. 1: 1 que provinha de uma família distinguida. O


feito de que remonte sua ascendência até o Ezequías, poderia considerar-se como
uma indicação de que se refere ao rei do Judá desse nome, e portanto,
implica sua ascendência real (ver com. cap. 1: 1).

3. Marco histórico.-

O profeta se localiza o tempo de sua profecia (cap. 1: 1) no reinado do Josías,


rei do Judá (640-609 A. C.). Como Sofonías predisse a queda do Nínive (cap.
2:13) -acontecimento que aconteceu em 612 A. C., é muito provável que haja
profetizado durante os primeiros anos do reinado do Josías. Talvez foi
contemporâneo do Habacuc. Há mais informação a respeito dele na P. 25.

4. Tema.-

O livro do Sofonías, como o do Joel, concentra-se em "o dia do Jehová". Para

entender o significado desta expressão, ver com. ISA. 2: 12. Não só revela
o profeta o castigo vindouro sobre o Israel, mas também adverte quanto ao
castigo que virá sobre outras nações. Entretanto, se Sofonías alarmar por
os severos castigos que anuncia, é só para que o povo possa
arrepender-se, procurando justiça e mansidão (cap. 2: 3), para escapar assim do
castigo.

5. Bosquejo.-

L. O castigo sobre o Judá por seus pecados, 1: 18.

A. O sobrescrito ou prefácio, 1: 1.

B. Severidade e extensão do castigo, 1: 2-18.

II.Exortación para procurar o Senhor enquanto dure o tempo de graça, 2: 1-3.

III. Castigos sobre diferentes nações, 2: 4-15.


A. Sobre Filistéia, 2: 4-7.

B. Sobre o Moab e Amón, 2: 8-11.

C. Sobre Etiópia, 2: 12.

D. Sobre Assíria, 2: 13-15.

IV. Jerusalém repreendida por seus pecados, 3: 1-7.

V. Castigo sobre todas as nações, 3: 8.

VI. Promessas de restauração, 3: 9-20. 1084

CAPÍTULO 1

Severo julgamento de Deus contra Judá por seus diversos pecados.

1 PALAVRA do Jehová que veio ao Sofonías filho do Cusi, filho do Gedalías, filho de
Amaria, filho do Ezequías, em dias do Josías filho do Amón, rei do Judá.

2 Destruirei por completo todas as coisas de sobre a face da terra, diz


Jehová.

3 Destruirei os homens e as bestas; destruirei as aves do céu e os peixes


do mar, e cortarei aos ímpios; e rasparei aos homens de sobre a face da
terra, diz Jehová.

4 Estenderei minha mão sobre o Judá, e sobre todos os habitantes de Jerusalém, e


exterminarei deste lugar os restos do Baal, e o nome dos ministros
idólatras com seus sacerdotes;

5 E aos que sobre os terrados se prostram ao exército do céu, e aos que


prostram-se jurando pelo Jehová e jurando pelo Milcom;

6 E aos que se separam de em detrás do Jehová, e aos que não procuraram a


Jehová, nem lhe consultaram.

7 Cala na presença do Jehová o Senhor, porque o dia do Jehová está


próximo; porque Jehová preparou sacrifício, e dispôs a seus
convidados.

8Y no dia do sacrifício do Jehová castigarei aos príncipes, e aos filhos


do rei, e a todos os que vestem vestido estrangeiro.

9 Deste modo castigarei naquele dia a todos os que saltam a porta, os que
enchem as casas de seus senhores de roubo e de engano.
10 E haverá naquele dia, diz Jehová, voz de clamor da porta do
Pescado, e uivo desde a segunda porta, e grande quebrantamento dos
colinas.

11 Uivem, habitantes do Mactes, porque todo o povo mercado é destruído;


destruídos são todos os que traziam dinheiro.

12 Acontecerá naquele tempo que eu esquadrinharei a Jerusalém com lanterna, e


castigarei aos homens que repousam tranqüilos como o vinho situado, os
quais dizem em seu coração: Jehová nem fará bem nem fará mau.

13 portanto, serão saqueados seus bens, e suas casas assoladas; edificarão


casas, mas não as habitarão, e plantarão vinhas, mas não beberão o vinho de
elas.

14 Próximo está o dia grande do Jehová, próximo e muito próximo; é amarga a


voz do dia do Jehová; gritará ali o valente.

15 Dia de ira aquele dia, dia de angústia e de apuro, dia de alvoroço e de


asolamiento, dia de trevas e de escuridão, dia de nublado e de
entenebrecimiento,

16 dia de trompetista e de algazarra sobre as cidades fortificadas, e sobre as


altas torres.

17 E afligirei aos homens, e andarão como cegos, porque pecaram contra


Jehová; e o sangue deles será derramada como pó, e sua carne como
esterco.

18 Nem sua prata nem seu ouro poderá liberá-los no dia da ira do Jehová, pois
toda a terra será consumida com o fogo de seu zelo; porque certamente
destruição apressada fará de todos os habitantes da terra.

1.

Palavra do Jehová.

A mensagem não era do Sofonías mas sim de Deus (cf. 2 Sam. 23: 1-2; 2 Tim. 3:
16-17; 2 Ped.1: 21).

Ezequías.

O teto de que se citem quatro gerações da ascendência do Sofonías,


quando pelo general só se menciona ao pai dos profetas, se é que se
dá algum dado genealógico, é uma razão para acreditar que este "Ezequías" foi
especialmente notável. O mais provável é que se trate do rei do Judá disso
nome. Além disso, o lapso que separa a estes dois personagens permitiria que
Sofonías tivesse sido o tataranieto do rei Ezequías.

2.

De sobre a face da terra.

Tomada dentro do contexto da primeira parte do versículo, esta expressão


indica a severidade dos castigos vindouros. O profeta aqui se refere
especificamente à terra do Judá, a cujos governantes e a cujo povo foi
originalmente dirigido sua mensagem (cap. 1: 1, 4, 12; 2: 1). 1085
Os homens e as bestas.

A maldição resultante do pecado não só descansa sobre os homens mas também


também sobre o resto da criação (Gén. 3: 17; ROM. 8: 19-22).

Destruirei... cortarei... rasparei.

Todos os ídolos, todos os intuitos de impiedade, os enganos, os enganos,


todos os "frutos" de iniqüidade seriam destruídos junto com os pecadores
mesmos (ver Jer. 17: 10; Mat. 7: 17-19; ROM. 6: 21).

4.

Minha mão.

A mão é sem símbolo de poder pois é o instrumento de ação do homem


(Jos. 4: 24).

Os restos.

Tudo o que ficasse do Baal. " LXX diz: "Eliminarei os nomes do Baal" (ver
com. Ouse. 2: 17).

Ministros idólatras.

Os sacerdotes idólatras instituídos pelos reis do Judá para que celebrassem


cultos nos altos (ver com. Ouse. 10: 5).

5.

Os terrados.

Sobre os tetos planos de suas casas as famílias levantavam altares para


adorar os corpos celestes, para oferecer sacrifícios de animais e queimar
incenso (ver com. Jer. 19: 13).

Exército do céu.

Da antigüidade, o sol, a lua e as estrelas receberam adoração


como representantes dos poderes da natureza e principais ocasionadores
dos sucessos terrestres (Jer. 8: 2; 19: 13; ver com. Deut. 4: 19). Manasés,
rei do Judá e possivelmente tio bisavô do Sofonías (ver com. Sof. 1: 1), de um modo
especial fomentou esse culto (2 Rei. 21: 3).

Jurando.

A última metade do vers. 5 se refere a quão transigentes combinavam o


culto do Jehová com o das estrelas e outros deuses.

Milcom.

Deus amonita mencionado em vários documentos antigos (ver com. 1 Rei. 11: 7).

6.

apartam-se.
Aqui o profeta condena aos apóstatas descarados que rechaçaram o culto do
verdadeiro Deus.

Não procuraram.

A última parte do vers. 6 se refere aos que eram indiferentes ao Jehová e


não tinham interesse na religião.

7.

Cala.

Eram apropriados o silêncio e o temor porque cairiam terríveis castigos sobre


diversas classes de pessoas (vers. 7-13; cf. Hab. 2: 20).

Dia do Jehová.

Aqui o profeta se refere ao castigo iminente que acompanharia à invasão


babilônico (ver com. ISA. 13: 6).Entretanto, deve recordar-se que as
profecias do Sofonías "dos julgamentos a ponto de cair sobre o Judá se aplicam com
igual força aos julgamentos que têm que cair sobre um mundo impenitente em
ocasião do segundo advento de Cristo" (PR 287). Quanto aos
princípios implicados ao fazer aplicações aos últimos dias, ver as pp.
36-40.

Sacrifício.

Um vívido quadro que representa à nação culpado do Judá como a um animal


sacrificado (cf. ISA. 31: 6; Eze. 39: 17-20).

dispôs a seus convidados.

Literalmente, "santificou aos chamados dele". Quer dizer, descreve-se aos


babilonios como postos à parte, de acordo com o propósito de Deus, para
levar a cabo o castigo dos transgressores (ver com. ISA. 13: 3).

8.

Príncipes.

Isto inclui os principais funcionários do Estado.

Filhos do rei.

Os membros da família real, e possivelmente não foi mencionado aqui o rei


Josías porque foi leal ao Jehová (2 Crón. 34: 1-2, 26-28).

Estrangeiro.

A vestimenta estrangeira pode ter sido um indício dos costumes e os


hábitos pagãos entre o povo (ver ISA. 3: 16-24). A vestimenta dos filhos
do Israel deveria ter sido um recordativo para que os filhos do Israel não
esquecessem que eram um povo especial dedicado ao serviço de Deus (Núm. 15:
37-41).

9.
Saltam a porta.

"Saltam por cima da soleira" (BJ). Não é claro o significado desta


expressão. Possivelmente descreva um costume pagão (ver com. 1 Sam. 5: 5). Alguns
pensam que as palavras expressam a avidez com que os servos levam a cabo
as ordens de seus ímpios amos. Outros identificam a "porta" com as casas de
quão pobres eram roubados. Os que por ser servos de outros, levam a cabo
"roubo e engano" para enriquecer a seus amos, deviam sofrer com eles nos
castigos vindouros.

Roubo.

"Violência" (BJ). Heb. jamais (ver com. Hab. 1: 2).

10.

Clamor.

descreve-se aos babilonios que entravam nos lugares onde moravam os


mercados e os agiotas.

Porta do Pescado.

Possivelmente estava no meio da muralha do lado norte da cidade. Se a


chamava assim porque perto havia um mercado de pescado onde os tirios vendiam
seus peixes (ver com. Neh. 3: 3). 1086

Segunda porta.

"Cidade nova" (BJ). Heb. mishneh, "segundo"; o segundo distrito ou bairro. Ver
com. 2 Rei. 22: 14.

11.

Mactes.

Literalmente, "morteiro", ou "molar (molar)". Muitos eruditos pensam que Mactes


é aqui o nome de um setor de Jerusalém. O contexto (vers. 10) parece
favorecer esta opinião.

traian dinheiro.

Melhor "pesam prata" (BJ). Isto se refere aos que aumentavam sua riqueza
comercializando, ou aos que, sendo agiotas, pesavam prata. A cláusula final
reza assim na LXX: "E foram totalmente destruídos todos os elogiados por
prata".

12.

Jerusalém.

A capital, representante de toda a nação.

Com Lanterna.

Figura que mostra a intensidade da busca que realizariam os inimigos de


Judá a fim de matar ou capturar a tantos como pudessem.

Repousam tranqüilos como o vinho situado.

Quer dizer, o povo estava calejado em seu iníquo proceder. Os professos


seguidores de Senhor, nos dias do Sofonías, não compreendiam -assim como muitos
cristãos não compreendem hoje- que não deve haver repouso em nossa luta
espiritual antes de chegar ao céu. Ninguém devesse descansar contente com seus
progressos espirituais. Tão somente um avanço contínuo demonstra que vivemos à
altura de nossas oportunidades dadas Por Deus. A complacência é o pior
inimigo de uma experiência cristã vivente.

Dizem em seu coração.

Um falso conceito de Deus sempre resulta em uma norma de conduta equivocada.


As pessoas às quais aqui se faz referência eram virtualmente deístas.
Concordavam em que havia um Deus mas o concebiam como a um Governante ausente
que pouco se preocupava de seu povo e lhe emprestava pouca atenção. Tanto seus
promessas de bênções como suas advertências de castigos perdiam seu
significado. Não era diferente dos deuses dos pagãos.

13.

Mas não as habitarão.

Os que transgrediam continuamente a lei de Deus receberiam um castigo,


precisamente o oposto da recompensa dada aos que permaneciam fiéis a
Jehová (ISA. 65: 21).

14.

Dia grande do Jehová.

Ver com. vers. 7.

Próximo.

Tendo destacado em forma particular aos que experimentarão o castigo


divino, Sofonías outra vez adverte (vers. 7) que esse castigo está tão próximo
que sua voz, o som de sua aproximação, pode-se ouvir.

15.

Aquele dia.

Graficamente o profeta descreve os terríveis efeitos desse dia, o


acender-se em chamas da "ira" de Deus (cf. ISA. 9: 19), a "angústia" e o
"apuro" que sobressaltam aos homens (cf. Job 15: 23-24), "dia de trevas e
de escuridão" (cf. Joel 2: 2; Amós 5: 18, 20).

16.

Trompetista.

Sinal de batalha ou de aproximação do inimigo (ver Amós 2: 2; com. Jer. 4: 5).


A batalha a que se faz referência destruiria ao Judá como nação.
Cidades fortificadas.

Quer dizer, cidades poderosamente fortificadas.

Altas torres.

Estava acostumado a haver torrecillas nos ângulos das muralhas para que houvesse uma
adequada defesa contra os sitiadores.

17.

Como cegos.

Descrição do terrível desconcerto que sobreviria à nação.

Como esterco.

Os cadáveres insepultos da gente ficaria chateando-se sobre o terreno


(ver com. Jer. 9: 22).

18.

Prata.

A riqueza do povo não poderia evitar a destruição (ver ISA. 13: 17; Eze. 7:
19). Quão pouco valor têm as riquezas para os homens em seus momentos de
mais profunda angústia!

COMENTÁRIOS DO ELENA G. DO WHITE

2-3,8-9 3JT331

12 FÉ 240; 2JT 11, 66; 3T 271; 5T 308;

TM 456

12-13 CS 355

12-18 3JT 331

14 CMC 39; Ed 263; Ev 33-34, 163; 2JT 13, 99, 369, 375; 3JT 310, 336; OE 39; IT
361

14-17 2JT 11; 8T 278

14-18 PR 287; 3T 271

15 1T 135

15-16, 18 CS 356

18 3T 549 1087

CAPÍTULO 2

1 Exortação ao arrependimento. 4 julgamento contra os filisteus, 8 Moab e Amón,


12 Etiópia e Assíria.
1CONGREGAOS e meditem, OH nação sem pudor,

2 antes que tenha efeito o decreto, e o dia se passe como o felpa; antes que
venha sobre vós o furor da ira do Jehová, antes que o dia da ira
do Jehová venha sobre vós.

3 Procurem o Jehová todos os humildes da terra, os que puseram por obra


seu julgamento; procurem justiça, procurem mansidão; possivelmente serão guardados no
dia da irritação do Jehová.

4 Porque Gaza será desamparada, e Ascalón assolada; saquearão ao Asdod em pleno


dia, e Ecrón será desarraigada.

5 Ai dos que moram na costa do mar, do povo dos cereteos! A


palavra do Jehová é contra vós, OH Canaán, terra dos filisteus, e lhe
farei destruir até não deixar morador.

6 E será a costa do mar pradarias para pastores, e currais de ovelhas.

7 Será aquele lugar para o remanescente da casa do Judá; ali apascentarão; em


as casas do Ascalón dormirão de noite; porque Jehová seu Deus os visitará, e
levantará seu cativeiro.

8 Eu ouvi as afrontas do Moab, e os insultos dos filhos do Amón com que


deshornaron a meu povo, e se engrandeceram sobre seu território.

9 portanto, vivo eu, diz Jehová dos exércitos, Deus do Israel, que Moab
será como Sodoma, e os filhos do Amón como Gomorra; campo de urtigas, e mina de
sal, e asolamiento perpétuo; o remanescente de meu povo os saqueará, e o
remanescente de meu povo os herdará.

10 Isto lhes virá por sua soberba, porque afrontaram e se engrandeceram


contra o povo do Jehová dos exércitos.

11 Terrível será Jehová contra eles, porque destruirá a todos os deuses da


terra, e desde seus lugares se inclinarão a ele todas as terras das
nações.

12 Também vós os de Etiópia serão mortos com minha espada.

13 E estenderá sua mão sobre o norte, e destruirá a Assíria, e converterá a


Nínive em asolamiento e em sequedal como um deserto.

14 Rebanhos de gado farão nela curral, todas as bestas do campo; o


pelicano também e o ouriço dormirão em seus lhes dente; sua voz cantará nas
janelas; haverá desolação nas portas, porque seu enmaderamiento de cedro
será descoberto.

15 Esta é a cidade alegre que estava confiada, a que dizia em seu coração:
Eu, e não mais. Como foi assolada, feita guarida de feras! Qualquer que passar
junto a ela, burlará-se e sacudirá sua mão.

1.

lhes congregue.
Posto que o ato de congregar-se fortalece devido ao conselho mútuo, a
confissão unânime e o recorrer em conjunto a Deus, o profeta admoesta a seu
povo para que se congregue (cf. Heb. 10: 24-25; Joel 1: 14; 2: 16-18).

Sem pudor.

Do Heb. kasaf "empalidecer" (por isso késef, "o metal pálido", é "prata"). Em
a forma em que se usa aqui, tem dois significados possíveis: "Desejar" ou
"estar envergonhado". Se Judá não era "desejada", significa que a nação não era
digna do amor e do amparo de Deus. Se a nação não estava
"envergonhada", significa que o povo não tinha a devida noção da
culpabilidade de seus pecados (cf. ISA. 29: 22).

2.

O decreto.

Quer dizer, o propósito de Deus de castigar ao Judá (cap. 1: 2, 4, 8, 18). Em


quanto a sua aplicação para os últimos dias, ver com. cap. 1: 7.

3.

Procurem.

Dirigindo-se aos que pretendem servir a Deus e obedecer sua lei, o profeta
anima-os a aferrar-se firmemente de Deus.

Humildes.

os de um caráter oposto aos altivos, auto-suficientes e desavergonhados a


quem se dirigiu anteriormente (ver com. vers. 1). Sobre o espírito de
orgulho, ver com. Mat. 5: 5.

Puseram por obra.

Embora Judá tinha apostatado e se degenerou, havia quem permanecia


fiéis a Deus. 1088

Possivelmente.

Heb. 'ulay, "talvez", expressão de esperança, súplica ou temor.

4.

Gaza.

Aqui se nomeia a quatro das cinco principais cidades dos filisteus para
representar a todo esse país (cf. Amós 1: 6-8). Ao igual a Amós, Sofonías não
menciona ao Gat (ver com. Amós 1: 6).

Pleno dia.

Posto que era a hora mais calorosa do dia, momento citando era menos provável
que atacasse o inimigo, a expressão "em pleno dia" sem dúvida significa
"inesperadamente" ou "súbitamente" (ver Jer. 15: 8).

5.
Cereteos.

acredita-se que os cereteos habitavam a parte meridional da costa marítima de


Palestina (ver com. 1 Sam. 30: 14). A LXX reza paroíkoi kr'tÇn, "os vizinhos
dos cretenses" ou "quem vive entre os cretenses".

7.

Aquele lugar.

"A liga do mar" (BJ). Isto se daria à "remanescente" do Judá citando voltasse para
seu país (Abd. 17-20).

Visitará.

Aqui o propósito da "visita" de Deus é para bem e para bênção (ver


com. Sal. 8: 4; 59: 5). O profeta expressa sua firme confiança de que seu povo
será restaurado do cativeiro babilônico e sem dúvida considera que a derrota
de Filistéia prepara esse acontecimento.

8.

Afrontas do Moab.

Os moabitas e amonitas, descendentes do Lot, eram os implacáveis inimigos de


os israelitas embora eram seus consangüíneos (ver com. Amós 1: 13; 2: 1).

Sobre seu território.

A LXX e a BJ dizem "meu território". Assim como Jehová chamava o Israel "meu
povo", assim também as fronteiras da nação podiam ser chamadas
corretamente "meu território", e sua violação era uma ofensa contra Deus (cf.
Deut. 32: 8-9).

9.

Jehová dos exércitos.

Ver com. Jer. 7: 3. Deus fala assim de si mesmo para mostrar que os recursos de
seu poder fariam efetiva sua ameaça contra os inimigos de seu povo.

Moab será.

A proximidade dos moabitas e amonitas com o mar Morto, a cercania da


antiga Sodoma e Gomorra (ver com. Gén. 13: 10), fazia mais enfática esta
profecia contra estes vizinhos do Judá.

10.

Jehová dos exércitos.

Ver com. vers. 9; Jer. 7: 3.

11.

Destruirá.
Heb. razah, "diminuir". O profeta antecipava o tempo quando Deus faria que
"todos os deuses da terra" diminuíram, um tempo quando não teriam mais
adoradores que lhes oferecessem sacrifícios.

Inclinarão-se.

Ver ISA. 19: 18-19; Mau. 1: 11.

As terras.

Ou "costas". Referência a países distantes aos que se chegava viajando por


mar.

12.

os de Etiópia.

Heb. kushim, "cusitas", ou "habitantes de Qs" (ver com. Gén. 10: 6). Kush
incluía a Nubia e a algumas parte da Arábia fronteiriças com o mar Vermelho.

13.

Assíria.

Embora é certo que Assíria parecia próspera e florescente, o profeta predisse


que também sofreria a ira divina (cf. ISA. 10: 12; Eze. 31: 3-12; o livro de
Nahúm).

Sequedal como um deserto.

A abundante fertilidade do Nínive se devia à rega. Quando foi destruído o


sistema de irrigação, não se necessitou muito tempo para que Nínive se
convertesse em uma região árida.

14.

Rebanhos.

dá-se uma detalhada descrição do "asolamiento" que viria sobre o Nínive


(vers. 13). Com vívida linguagem o profeta descreve a ausência de habitantes
humanos nas ruínas da cidade.

Pelicano.

Heb. qa'ath, ave não identificada com certeza. Possivelmente "coruja", "pelicano" ou
"abutre".

Ouriço.

Heb. qippod, talvez a "coruja de orelhas curtas", Asseio flammens. Alguns


acreditam que se trata do ouriço, Erinaceus auritus.

15.

Confiada.
Ou, "em segurança" (BJ), ou "imperturbável". Se afirma que a cidade não tinha um
ataque. Em seu orgulho, Nínive se atribuía os muito mesmos atributos da
Deidade: "Eu, e não mais" (cf. ISA. 14: 13-14; 47: 7; Apoc. 18: 7).

Burlará-se.

"Assobio" (BJ). Para mostrar brincadeira ou desprezo (ver Jer. 19: 8; Miq. 6: 16).

Sacudirá sua mão.

Um gesto depreciativo de despedida.

COMENTÁRIOS DO ELENA G. DO WHITE

1-3 1JT 60; 2JT 11; PR 288

3 CRA 37; 2JT 32; MJ 87; 1T 426; 2T 222,

405,438

14 PR 269

15 PR 269 1089

CAPÍTULO 3

1 Aguda reprovação contra Jerusalém por seus diversos pecados. 8 Exortação a


esperar a restauração do Israel, 14 e a regozijar-se por sua salvação de parte
de Deus.

1AI DA cidade rebelde e poluída e opressor!

2 Não escutou a voz, nem recebeu a correção; não confiou no Jehová, não se
aproximou de seu Deus.

3 Seus príncipes em meio dela são leões rugientes; seus juizes, lobos
noturnos que não deixam osso para a manhã.

4 Seus profetas são leves, homens prevaricadores; seus sacerdotes


poluíram o santuário, falsearam a lei.

5 Jehová em meio dela é justo, não fará iniqüidade; de amanhã tirará luz
seu julgamento, nunca faltará; mas o perverso não conhece a vergonha.

6 Fiz destruir nações; suas habitações estão assoladas; fiz suas desertas
ruas, até não ficar quem passe; suas cidades estão assoladas até não ficar
homem, até não ficar habitante.

7 Pinjente: Certamente me temerá; receberá correção, e não será destruída seu


morada segundo todo aquilo pelo qual a castiguei. Mas eles se apressaram a
corromper todos seus feitos.

8 portanto, me esperem, diz Jehová, até o dia que me levante para lhes julgar;
porque, minha determinação é reunir as nações, juntar os reino, para
derramar sobre eles minha irritação, todo o ardor de minha ira; pelo fogo de meu zelo
será consumida toda a terra.
9 Naquele tempo devolverei eu aos povos pureza de lábios, para que todos
invoquem o nome do Jehová, para que lhe sirvam de comum consentimento.

10 Da região além dos rios de Etiópia me suplicarão; a filha de meus


pulverizados trará minha oferenda.

11 Naquele dia não será envergonhada por nenhuma de suas obras com que lhe
rebelou contra mim; porque então tirarei de em meio de ti aos que se
alegram em sua soberba, e nunca mais lhe ensoberbecerás em meu santo monte.

12 E deixarei em meio de ti um povo humilde e pobre, o qual confiará no


nome do Jehová.

13 O remanescente do Israel não fará injustiça nem dirá mentira, nem em boca de
eles se achará língua enganosa; porque eles serão apascentados, e dormirão, e
não haverá quem os atemorize.

14 Canta, OH filha do Sión; dá vozes de júbilo, OH o Israel; te goze e te regozije


de todo coração, filha de Jerusalém.

15 Jehová apartou seus julgamentos, jogou fora seus inimigos; Jehová é Rei
do Israel em meio de ti; nunca mais verá o mal.

16 Naquele tempo se dirá a Jerusalém: Não tema; Sión, não se debilitem vocês
mãos.

17 Jehová está em meio de ti, poderoso, ele salvará; gozará-se sobre ti com
alegria, calará de amor, regozijará-se sobre ti com cânticos.

18 Reunirei aos chateados por causa do comprido tempo; teus foram, para
quem o oprobio dela era uma carga.

19 Hei aqui, naquele tempo eu apressarei a todos seus opressores; e salvarei à


que coxeia, e recolherei a desencaminhada; e lhes porei por louvor e por renome
em toda a terra.

20 Naquele tempo eu lhes trarei, naquele tempo lhes reunirei eu; pois lhes porei
para renome e para louvor entre todos os povos da terra, quando
levante seu cativeiro diante de seus olhos, diz Jehová.

1.

Ai!

Voltando-se para Jerusalém, Sofonías a admoesta de que o castigo de Deus para


os ímpios também incluirá aos endurecidos pecadores do Judá (vers. 1-5).

Rebelde.

Do verbo hebreu Mara'. Segundo algumas autoridades significa "ser rebelde";


segundo outras, "ser imundo".

2.

A voz.

Quer dizer, a voz de Deus, tal como se expressa na lei e nos profetas (Jer.
7: 23-28; 9: 13). 1090

Correção.

A que Deus enviou para bem da nação, e que ela não "recebeu".

Não confiou.

Em tempos de angústia, com freqüência Judá esperava a ajuda de aliados


estrangeiros, de ídolos, mas não confiava "no Jehová".

3.

Leões rugientes.

Os caudilhos do Judá devoravam ao povo como a uma presa (cf. Prov. 28: 15).
Durante a minoria de idade do rei Josías, esse proceder era comparativamente
fácil.

Lobos noturnos.

Cf. Eze. 22: 27; Hab. 1: 8. Essas bestas de presa caçavam e devoravam a seus
indefesas vítimas principalmente de noite.

4.

Profetas.

Quer dizer, os falsos profetas (Miq. 2: 11; 3:5).

Leves.

"Insolentes", "dissolutos", "fanfarrões" (BJ).

Santuário.

Esses sacerdotes ímpios não faziam diferença entre o santo e o profano (cf.
Eze. 22: 26).

Lei.

Heb. torah (ver com. Deut. 31: 9; Prov.3: 1). Os sacerdotes que deveriam
ter sido os guardiães dos ensinos de Deus e os que disseminassem a
luz da verdade divina (ver com. 2 Crón 15: 3), foram precisamente os que
desencaminharam ao povo apartando o da lei de Deus.

5.

No meio.

Severamente se faz recordar aos transgressores que Deus está sempre no meio
deles, atestando da justiça divina mediante o templo, seus serviços
e seus verdadeiros adoradores com o que tirava toda desculpa para que
desobedecessem sua vontade.

6.
Destruir.

Bem sabiam os transgressores que Jehová no passado tinha destruído nações


ímpias, tais como os cananeos, quando os israelitas possuíram a terra
prometida e também o reino setentrional do Israel, destruído por Assíria.
Assim Judá é aqui advertida, junto com outras nações, do condigno castigo de
Deus devido ao pecado.

Não ficar homem.

Esta profecia algo simbólica se cumpriu durante o assédio final de Jerusalém,


até antes de que caísse a cidade (ver com. Jer. 32: 43). Esta linguagem
simbólico só significava que Judá ficaria desolada.

7.

Certamente.

Os castigos passados infligidos sobre as "nações" (ver com. vers. 6)


devessem ter ensinado aos israelitas para que se arrependessem e
obedecessem a Deus.

Todo aquilo pelo qual a castiguei.

Ou,"todo aquilo com que eu a visitei" (BJ). Ver com. Sal. 8: 4; 59: 5.
A LXX reza: "Tudo que a castiguei". Em outras palavras, se Jerusalém e Judá
não se reformavam, receberiam tão seguro castigo.

apressaram-se.

"madrugaram" (BJ). Modismo hebreu que significa fazer algo ávida ou


fervientemente (ver com. Jer. 7: 13).

8.

portanto.

Se os pecadores não se arrependerem, o castigo divino é inevitável.

Dia.

Possivelmente uma referência ao castigo que os babilonios infligiram sobre o Judá e


outras nações.

As nações.

Talvez aqui o profeta se refere em forma especial às nações mencionadas


em cap. 2: 4-15 (ver com. Joel 3: 2).

Toda a terra.

Ver com. cap. 1: 2.

Os masoretas (T. I, pp. 38-39) assinalaram que este é o único versículo do AT


que contém as 22 letras do alfabeto hebreu.

9.
Naquele tempo.

Esta passagem indica claramente um tempo de restauração para o Israel. Não


importa de que nação ou língua fossem, todos os que se unissem com o Israel para
adorar ao Deus verdadeiro falariam com "pureza de lábios", não mais poluídos
pela idolatria em qualquer de suas formas (Sal. 16: 4; Ouse. 2: 17).

10.

Mais à frente.

Algo "mais à frente" de Etiópia era um símbolo dos limites mais


separado-se da terra.

Etiópia.

Heb. Kush (ver com. cap. 2: 12).

Oferenda.

Heb. minjah, que se usa aqui como de um presente dado a Deus (ver com. Lev. 2:
1).

11.

Naquele dia.

O profeta antecipa um tempo quando os filhos do Senhor lhe serviriam


sinceramente e de todo coração.

Tirarei.

Naquele dia seriam destruídos os que com suficiência própria e "soberba"


fizessem sua própria vontade, confiando no material e secular em vez de
confiar em Deus (ISA. 2: 12-22).

Santo monte.

Ver com. ISA. 11: 9.

12.

Humilde.

O profeta está descrevendo as qualidades de caráter do remanescente. O


propósito de Deus era que não houvesse entre seus filhos quem fosse altivos,
auto-suficientes e vaidosos.

13.

Remanescente.

Ver com. Joel 2: 32. O "remanescente" a que aqui se faz referência é o grupo
mencionado no vers. 12 que confiaria "no nome do Jehová". São os que
permaneceriam no Judá depois de que tivessem sido eliminados os pecadores do
1091 país. O profeta aqui antecipa o tempo da restauração que
mencionará nos vers. 1420.

Apascentados.

Ou "pastoreados". Aqui o profeta emprega uma figura familiar do AT pela que


o povo de Deus é comparado com ovelhas cuidadas por um bom "pastor" (Sal.
23).

14.

Filha do Sión.

Quer dizer, Jerusalém (ver com. ISA. 1: 8).

15.

Afastado.

O profeta aqui mostra que Jerusalém se regozijaria porque seus "julgamentos"


-necessários devido a seus pecados- foram apartados e seus "inimigos" foram
"jogados fora".

Seus inimigos.

Quer dizer, os que oprimiram ao Judá. Aqui Sofonías se refere


particularmente a Babilônia.

No meio.

Cf. ISA. 12: 6; Apoc. 21: 3; 22: 3.

16.

Não se debilitem suas mãos.

Expressão idiomática que significa "descorazonarse" ou "desanimar-se".

17.

No meio.

Cf. vers. 5, 15.

Calará de amor.

"Renova-te por seu amor" (BJ). A LXX concorda com a BJ.

Com cânticos.

É tão grande o amor de Deus por seu povo e seu gozo, que o representa com
cânticos.

18.

Chateados.

Enquanto estavam no exílio, os fiéis de Deus não podiam assistir às


festas santas (ver com. Ouse. 2: 11). Por fé o profeta antecipa um tempo
quando os verdadeiros filhos de Deus se reunirão para adorá-lo sem nenhum
"oprobio".

19.

Apressarei.

"Farei extermínio" (BJ).

Salvarei a que coxeia.

O Senhor sempre se ocupa de ajudar aos que necessitam auxílio, os que possivelmente
tropecem com o passar do caminho da vida. Deus espera que cooperemos com ele
prodigalizando essa ajuda a outros (6T 458).

20.

Trarei-lhes.

O profeta termina seu livro com um quadro glorioso de promessa que faz ressaltar
o dia futuro da restauração depois do cativeiro babilônico (pp. 33-34).

Louvor.

Deus queria que o Israel recebesse a máxima louvor "entre todos os povos".
Mas o Israel não viveu à altura de suas possibilidades, e essas gloriosas
promessas só se cumprem plenamente mediante a igreja redimida do Senhor (pp.
37-38).

Diz Jehová.

As últimas palavras da profecia do Sofonías confirmam a certeza do


mensagem do profeta porque descansa sobre a infalível Palavra de Deus.

COMENTÁRIOS DO ELENA G. DO WHITE

12-17 6T 457

13 MeM 341

14 6T 63

14-17 PR 288; 8T 278 16-17 Ev 209 17 DTG 125; FÉ 465, 480; 2JT 408; MB 98; MeM
245,298; PVGM 190; 6T 63 18-20 6T 458

19-20 PR 288

20 3JT 205 1093