Anda di halaman 1dari 15

GEW

Cabo

Verde
Parte superior do formulário

Search Submit

Parte inferior do formulário

• HOME

• A SEMANA

○ APOIANTES

○ FALE CONNOSCO

○ LOGÓTIPO

• AGENDA

○ ORGANIZE

• PARTICIPE!

• INSPIRAÇÃO

• BLOG
• COMUNIDADE

• PATROCINADORES

○ PARCEIROS

Milton

Paiva

discursa

sobre a

crise, o
empreendedorismo

jovem e

AJEC

em

Cabo

Verde
Comments Off

November 26th, 2010 · by GEW Cabo Verde · Artigos

A 19 de Novembro de 2010 na FIC, Milton Paiva, Membro do Conselho Executivo da AJEC,


discursou sobre o Empreendedorismo, os países e o Mundo, a Associação dos Jovens
Empresários de Cabo Verde e o ambiente de negócios para o jovem empreendedor em Cabo
Verde. Eis o discurso proferido, na íntegra:
Introdução

Antes de mais muito obrigado à empresa Marso, pelo


convite que formulou à AJEC para vir participar neste Worshop.

Venho em representação da AJEC, de que também sou sócio, membro do Concelho Executivo
para a área das Relações Institucionais e Responsabilidade Social e Coordenador do Projecto
CDE – Centro de Desenvolvimento Empresarial, uma iniciativa conjunta AJEC/Câmara
Municipal de São Domingos.

I. O Empreendedorismo, os países e o Mundo

O Empreendedorismo é cada vez mais e, felizmente, a palavra certa e a estratégia certa, tanto
para o Desenvolvimento de Estados e economias como para o desenvolvimento individual de
pessoas singulares. Aliás, numa audiência especializada como esta, este é seguramente um
ponto consensual que dispensa demais especulações.

A AJEC, acredita e tem defendido com convicção, em muitas frentes, que desenvolver
indivíduos empreendedores e organizações empreendedoras no país é o caminho certo para:

• criação de emprego, incluindo o auto- emprego;

• aumento da inovação e da competitividade;

• contribuição das novas empresas para a criação de riqueza e para o desenvolvimento


da economia e da sociedade; e

• uma opção de carreira para uma parte significativa da força de trabalho.


II. A Associação dos Jovens Empresários de Cabo Verde

Perdoem- me se parecer exagerado, pessoalmente estou convencido que a AJEC, criada em


10 de Fevereiro de 2009, foi uma das melhores coisas que aconteceu no ambiente de negócios
em Cabo Verde, nesta década.

Os seus associados tem sido incansáveis na preparação de um futuro empreendedor para as


suas empresas e para Cabo Verde. Noutro fórum, quando ainda nem sequer fazia parte dos
associados, referi que a AJEC é neste momento a mais brilhante e a melhor organização
juvenil nacional, aquela que tem produzido, num curto espaço de tempo, as melhores ideias, os
melhores projectos de fomento ao empreendedorismo, os melhores eventos e, provavelmente,
aquela que soube juntar mais massa criativa à volta do tema. Digo isto publicamente não por
nenhuma pretensão corporativa mas como forma de agradecer publicamente esta organização
pelo que tem feito para mudar mentalidades e o futuro deste país.

Auguro um futuro brilhante aos jovens empreendedores que tenho encontrado e seguido na
associação. Eles são o futuro tal a força de vontade e os resultados que tem conseguido para
as suas empresas e para a associação, mesmo estando num ambiente geral ainda muito
incipiente à ciência e prática do empreendedorismo.

a) Objectivos

Tal como qualquer associação os seus objectivos iniciais eram primeiramente interno, isto é,
virado para os seus associados: i) Defender os interesses dos jovens empresários; ii) Promover
a sua formação profissional dos associados; iii) promover o Intercâmbio de experiências e
informações dentro e fora do país; iv) Promover a acção dos jovens empresários no mercado
internacional; v) Força dialogante junto dos organismos oficiais, governamentais, económicos,
sociais e culturais. Actualmente, as suas actividades formativas, os seus eventos e a sua voz
junto das instituições decisoras no país, beneficiam largamente um público muito para além dos
associados e tem tido resultados concretos, que ilustraremos mais à frente.

b) Projectos e Actividades

A AJEC tem sido, por outro lado, a maior máquina de ideias e projectos para o fomento do
empreendedorismo em Cabo Verde. Só que, ser uma mera associação tem consequências e
limites existências. Nós propomos mas não decidimos …
A título de exemplo, a associação de sido promotora ou parceira dos seguintes projectos e
iniciativas:

• A inclusão da AJEC no projecto DNA Cidade da Praia, no Conselho Consultivo da


Câmara Municipal da Praia, na Comissão de Seguimento do Doing Business, como
Parceiro da Câmara de Comércio, Industria e Serviços de Sotavento (CCISS) para os
assuntos relacionados com os jovens e empreendedorismo, e através da Assembleia
Nacional nas propostas para o Orçamento de Estado de 2010;

• A parceria com a ADEI para o projecto de Incubadora de Empresas de Palmarejo,


cujas obras estão em andamento;

• Participação da AJEC na Feira de Empreendedorismo, Emprego e Empresas, na


Semana da Juventude na ilha do Sal e na Feira Internacional de Tecnologias de
Construção e Habitação;

• Reuniões com Membros do Governo, em parceria com a CCISS, com o objectivo de


transmitir as ideias e as dificuldades sentidas pelos jovens empresários e pelos jovens
empreendedores que pretendem iniciar o seu negócio;

• Discussão de parcerias estratégicas com entidades internacionais, entre as quais a


CEDEAO;

• Em S. Vicente, a AJEC estabeleceu uma parceria com a Câmara Municipal de S.


Vicente para a criação de um Centro Tecnológico e de Inovação;

• Destaca- se igualmente a aceitação, pelo Governo, da proposta da AJEC de isentar do


IUR, nos primeiros três anos de actividade, as novas empresas criadas por jovens;
(ORÇAMENTO de ESTADO);

• O Iº Encontro Nacional de Jovens Empresários de Cabo Verde;

• Missões ao Brasil (João Baptista e Maria Tavares), missões da Loide Monteiro –


Bruxelas e CEDEAO e do Presidente Rui Levy a Nice – França;

• Contribuições para o Estudo sobre Cabo Verde (BAD / MF), Constrangimentos de


Cabo Verde (MCA / MF)), Regime Especial de INPS para as PME (CPE), Cartão
Jovem (MJ/DGJ);

• Participação na Semana de Africa / Parceria Especial com a União Europeia;

• Workshop e Palestras realizadas: “Liderança no Empreendedorismo”; “Marketing”…


“Reforma do Estado”… “Plano Estratégico do Turismo”;

• Jantares com Empresários de Sucesso;

• Conselho de Concertação da CMPraia;

• Conselho de Seguimento do Doing Business, E- Regulations…


• Presidência do Conselho Consultivo da ADEI

• Câmara Empreendedora de S. Domingos…

• Criação do Portal AJEC

• Criação de toda a imagem corporativa…

• GEW – Semana Global do Empreendedorismo;

• Página AJEC no Expresso das Ilhas / Bolsa de Empresas

Entre muitas outras acções: www.ajec.org.cv

III. O ambiente de negócios para o jovem empreendedor em Cabo Verde

Já iniciámos, o que é excelente, porém, um longo caminho nos resta a percorrer. De acordo
com o GEM – Global Entreprenership Monitor – um diagnóstico de medição do nível de
empreendedorismo num determinado país, deve considerar, pelo menos, 9 factores essenciais.

Da análise interna efectuada pela AJEC (estudo em progressão: “Empreendedorismo em Cabo


Verde”, …) os dados recolhidos apontam para os seguintes resultados actuais:

1. Apoio Financeiro: fundos de financiamento de capital próprio inexistentes; Associação


de Business Angels criada mas ainda não funciona; Subsídios governamentais
inexistentes;

2. Políticas Governamentais: Contratos públicos não favorecem as empresas novas…

3. Programas Governamentais: Parques tecnológicos e incubadras inexistentes;


inexistência de um único local para obtenção de informações sobre apoios; incentivos e
benefícios fiscais com deficiente divulgação da informação;

4. Educação e Formação: pouco estímulo à criatividade, auto- suficiência e iniciativa;


preparação inadequada à criação e desenvolvimento de novas empresas; formação
para o empreendedorismo pouco eficiente;

5. Transferência de Investigação e Desenvolvimento (I&D): Nenhuma ligação entre


universidades e empresas; pouca capacidade para adquirir tecnologia recente e
nenhum apoio governamental para esse efeito;

6. Infra- estrutura Comercial e Profissional: mercado de consultoria bastante desenvolvido


com presença de várias empresas nacionais e estrangeiras mas custo muito elevado
para as novas empresas;
7. Abertura do Mercado/Barreiras à Entrada: mercado aberto a novas empresas,
concorrencial e regulado; contudo mercado pequeno o que dificulta de certa forma a
entrada de novas empresas;

8. Acessos a Infra- estruturas Físicas: custos das utilities são considerados elevados
pelos empresários: comunicações, electricidade, transportes internacionais e inter-
ilhas;

9. Normas Sociais e Culturais: a cultura nacional estimula o êxito individual embora a


avaliação do fracasso seja rude; um empreendedor que não tenha tido sucesso num
negócio é visto mais como um fracassado do que como alguém com uma experiência;

Conclusões da análise GEM:

Cabo Verde encontra- se bem posicionado no que diz à “Abertura do Mercado / Barreiras à
Entrada” contudo não constatamos qualquer política que incentive empresas novas e/ou em
crescimento.

Relativamente às restantes condições estruturais para o empreendedorismo o cenário é


claramente de um país que precisa mudar em matéria de introdução do Empreendedorismo
como factor de desenvolvimento do país:

• sistema financeiro pouco desenvolvido para o aparecimento de novos negócios com


uma dependência quase exclusiva do sector bancário para o financiamento de
negócios;

• inexistência prática de programas de apoio ao aparecimento de novos negócios


(programas em fase de projectos e sem efeitos práticos até agora);

• ligeira introdução de conteúdos sobre o empreendedorismo sem a qualidade exigida e


efeitos práticos desejados, contudo é de salutar o reconhecimento por parte das
entidades responsáveis pela Educação e Formação Profissional da necessidade de
introduzir o tema empreendedorismo na Educação e Formação;

• em termos de Investigação e Desenvolvimento (I&D) ainda não arrancamos…

Ranking Mundial da Competitividade e Doing Business

Em termos de competitividade, Cabo Verde também não tem alcançado resultados satisfatórios
se nos comparamos aos nossos concorrentes mundiais. O relatório do Doing Business do
Banco Mundial (2011) coloca o país na 132ª posição (num universo de 183 países avaliados),
tendo destacado a fraca performance nos itens encerramento de empresas (183ª posição),
contratação de trabalhadores (167ª) (dados de 2010), acesso ao crédito (152ª), protecção de
investidores (132ª), Iniciando o Negócio (120ª), entre outros. Reforçando esta percepção, Cabo
Verde aparece na 117ª posição (num total de 139 países) no Relatório de Competitividade
Global 2010/2011 do World Economic Forum.

Quais as razões por detrás desses resultados? Vários estudos têm apontado como principais
factores limitativos do crescimento económico em Cabo Verde:

• o ambiente de negócios ainda pouco flexível e não ajustado às dinâmicas exigidas pelo
sector privado;

• acesso ao capital, especialmente por parte das PME´s;

• a inadequação – do ponto de vista quantitativo e qualitativo – do capital humano, para


permitir um sector empresariado inovador e competitivo;

• o custo elevado de factores de produção, especialmente telecomunicações, energia,


água e saneamento;

• a natureza arquipelágica do país, agravada pelo deficiente sistema de transporte inter-


ilhas; e

• ambiente pouco propício para a inovação como factor de competitividade e


crescimento económico;

• acreditamos que será igualmente necessário abordar a questão noutra vertente, na


dimensão da pessoa, do indivíduo empreendedor.

Este é o ambiente que temos com pontos fortes e fracos, um ambiente de carências mas
felizmente que, ter carências várias, não é um factor completamente negativo no mundo dos
negócios. É que onde há Carências (serviços, empresas, condições) significa que abundam
Oportunidades de mudanças empresariais.

Bem- vindos pois à descoberta das Oportunidades desta Feira e deste País que vos quer
receber e fazer negócios. Muito obrigado!

FIC, 19 de Novembro de 2010

Milton Paiva
Sócio e Membro do Conselho Executivo da AJEC;
Responsável pela área das Relações Institucionais e Responsabilidade Social
Coordenador do projecto CDE da AJEC/CMSDomingos


Comments are closed.

A SGE

começa em…

Nas

redes

ociais
Uma

Iniciativa…
Envolva-se
• A Semana

○ Apoiantes

○ Fale connosco

○ Logótipo

• Agenda

○ Organize

• Blog

• Comunidade

• Eventos

• Home

• Inspiração

• Interaja!

• Participe!

• Participe!

• Patrocinadores

○ Parceiros

News

Center

• Artigos

• Destaques
• Novidades

Global

Founders

Mais posts


Blogroll

• ADEI

• AJEC

• Fórum AJEC

• GEW Reino Unido

• Governo de Cabo Verde

• Iº Encontro Nacional de Jovens Empresários

• Semana Global – Brasil

• Unleashing Ideas
Fale

connosco

Para entrar em contacto connosco, basta enviar um e-mail para gew.capeverde@ajec.org.cv


ou ligar para (+238) +238 260 11 45.

Endereço postal:
Rua Serpa Pinto, Nº58
Caixa Postal 261-A
Plateau - Cidade da Praia
Ilha de Santiago
Cabo Verde

obre a AJEC

A Associação de Jovens Empresários de Cabo Verde é uma entidade sem fins lucrativos que
tem o objectivo de desenvolver e representar as jovens lideranças empresariais cabo-
verdianas. A AJEC é pioneira do Movimento de Jovens Empresários no País e a entidade mais
representativa deste segmento.

A AJEC possui quatro pilares fundamentais, sobre os quais estão alicerçados todas as acções
e projectos da entidade: Fomento de Negócios, Capacitação, Representatividade e
Responsabilidade Social.

© 2010 GEW CABO VERDE


Uma consultoria de Amílcar Tavares