Anda di halaman 1dari 12

1

1ª. Apostila de Filosofia


O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica.

Apresentação

O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que


a análise, reflexão e crítica da realidade, fundamentadas pelo pensamento filosófico e
norteadas por princípios e valores éticos, levam a uma maior compreensão do mundo,
propiciam escolhas conscientes e um atuar justo tanto no cotidiano quanto no exercício
profissional, tornando-o consciente de sua importância como indivíduo e cidadão.
Nesse sentido, a intenção dessa disciplina não é responder a questões filosóficas nem
formar filósofos, mas sim aprimorar o pensar em todos aqueles que atuam ou
pretendem atuar como administradores.
O pensamento filosófico aproxima o homem do mundo, proporciona uma maior
compreensão da realidade e a descoberta de novos significados para a existência,
tornando o ser humano capaz de ajustar suas escolhas e ações no convívio com o
outro, com o mundo e em sua experiência profissional.
Conhecer os temas, as idéias, os conceitos e a história da Filosofia amplia a
nossa experiência de compreensão do mundo e nos permite ser donos de nosso
próprio pensar, falar e agir. A Filosofia é um modo de pensar que acompanha o homem
em sua tarefa de compreender o mundo e agir sobre ele.
Cada aula corresponde a um Roteiro de Estudo, elaborado a partir do conteúdo
apresentado e discutido em sala, que estará postado no blog. Cabe ressaltar que o
presente material é apenas o ponto de partida e orientação para estudo e não substitui
o conteúdo dos livros indicados ao final de cada roteiro.

1. Introdução
A todo o momento estamos diante de crenças, julgamentos e regras de
comportamento. Muitas dessas crenças são silenciosas, muitos desses
comportamentos são aceitos como óbvios e naturais. Toda nossa conduta se baseia
em valores morais, religiosos, políticos, artísticos e estéticos.
2

Em nosso cotidiano, as opiniões e os preconceitos orientam nossas conversas e


ações, é o chamado senso comum. O que caracteriza o senso comum não é sua
verdade ou falsidade, mas a sua falta de fundamentação coerente, precisa e
sistemática.
A maioria das pessoas não questiona suas crenças, seu valores, seus
propósitos, seus sonhos e seu pensar. Essa atitude leva o indivíduo a se distanciar da
realidade e a agir sem responsabilidade, pois ele já não é dono de seu próprio pensar,
portanto não é dono de sua fala e suas ações.
É importante que o homem passe a analisar, refletir e criticar, tornando-se capaz
de compreender o mundo, o outro e a si próprio. A Filosofia proporciona a aproximação
entre o homem e a realidade. A atividade filosófica é fundamentada na análise, reflexão
e crítica da realidade e dos seres humanos, de como se pensa, fala e age.
Filosofia é a decisão de não aceitar como naturais e evidentes as idéias, os
fatos, as situações e os valores do cotidiano.
A primeira coisa que surge ao estudarmos Filosofia são perguntas:
- Para que serve a Filosofia?
- O que é Filosofia?
- Para que eu vou estudar isso?
- O que isso traz de bom e útil para minha vida?
- Como e onde praticar a Filosofia?
Não há respostas definitivas, mas as perguntas são fundamentais na Filosofia.
A Filosofia parte do desejo de conhecer a realidade, ir além das aparências.
Filosofia tem a ver com pensar melhor a realidade, conhecer a realidade. Compreender
a realidade para agir melhor.
A Filosofia é importante para todas as áreas, não apenas no nível profissional,
mas no pessoal, afetivo, familiar, ético. A função do administrador é resolver problemas,
tomar decisões. O administrador decide o melhor para a empresa a partir de uma
determinada realidade. Ele precisa ter o pensamento organizado e estruturado para
escolher corretamente. O administrador precisa saber pensar, analisar, avaliar, criticar e
propor soluções coerentes.
3

A Filosofia leva a idéia de PENSAR. Quando pensamos trabalhamos com a


palavra, usamos a linguagem. Produzimos conhecimento, produzimos conceitos.
Conceitos são idéias desenvolvidas ou elaboradas a respeito de um assunto. Antes de
chegarmos ao conceito partimos de uma idéia inicial: o pré-conceito. O pré-conceito é
uma idéia não elaborada, incompleta, parcial. O pré-conceito só se torna negativo se
nos restringirmos a ele, sem desenvolvê-lo. O conceito é amplo e completo.

2. São tarefas da Filosofia:


 desenvolver os pré-conceitos, torná-los conceitos elaborados e amplos.
 desenvolver a capacidade de pensar.
 desenvolver a capacidade de agir melhor, de formar valores e tornar
assim o homem mais livre.

3. Etimologia da palavra Filosofia, vem do grego: amor pelo saber, amizade à


sabedoria
philos – amor
Sophia - à sabedoria
A Filosofia nasceu do amor que busca compreender o mundo, os outros e a si
mesmo. Foi o desejo de se compreender a realidade que originou a filosofia. Até o
século XVI, todo conhecimento científico estava ligado à Filosofia.
Cabe ressaltar que somente o ser humano é capaz de buscar o conhecimento.
Os animais seguem os seus instintos e os deuses sabem tudo.

4. Realidade aparente/realidade essencial


Percepção é a relação entre as coisas e nós, e nós e as coisas, em seu exterior,
por meio dos nossos sentidos. Realidade é aquilo que tem sentido para nossa
consciência. Será que percebemos as coisas como realmente são? O que é minha
percepção? O que a realidade?
O exemplo do movimento da terra deixa claro o quanto a percepção pode nos
enganar. “Vemos que o sol nasce a leste e se põe a oeste... Nossos olhos nos fazem
acreditar que o Sol se move à volta da terra e que esta parece imóvel... No entanto, a
4

astronomia demonstra que não é isso que acontece. A terra é um planeta num sistema
cuja estrela central se chama Sol, ou seja, a Terra é um planeta do Sistema Solar e ela,
juntamente com outros planetas, é que se movem à volta do Sol, num movimento de
translação” (Marilena Chauí).
Assim, precisamos ir além da aparência, das percepções, das verdades prontas,
das crenças e opiniões. É preciso mudar a atitude: sair da atitude costumeira de aceitar
tudo e passar a desconfiar e a fazer perguntas.
Toda nossa conduta, todo nosso pensar possui valores morais, religiosos,
políticos, artísticos e estéticos. A maioria das pessoas não questiona suas crenças, seu
valores, seus propósitos, seus sonhos e seu pensar. Essa atitude leva a um
distanciamento da realidade, ao desconhecimento do mundo a sua volta e do seu papel
na vida, a passividade e ao descompromisso.

5. Adotar a Atitude Filosófica


Adotamos uma atitude filosófica quando nos distanciamos da vida cotidiana por
meio do pensar. Saímos da aparência e buscamos a essência das coisas.
A Filosofia ou atitude filosófica inicia-se quando abandonamos nossas certezas
cotidianas e queremos ir além – nos momentos de crise, que nos levam a
transformação. A atitude filosófica pressupõe a atitude crítica.
Sempre pensamos crítica como falar mal de algo ou alguém. Não é bem isso.
Crítica significa ter a capacidade de julgar, discernir e decidir corretamente, saber
examinar racionalmente as coisas sem preconceitos e julgamentos e, também, poder
avaliar detalhadamente uma idéia, valor, costume, comportamento. Para sermos
críticos precisamos nos afastar do que queremos analisar e analisar o fato, a idéia,
como se nunca a tivéssemos visto.
A primeira atitude filosófica é dizer não ao senso comum, em uma atitude
negativa. A segunda atitude filosófica é perguntar, em uma atitude positiva.
Filosofia é a decisão de não aceitar como naturais e evidentes as idéias, os fatos,
as situações e os valores do cotidiano. A filosofia surge quando queremos provas
racionais para nossas crenças.
5

6. A atitude filosófica envolve um conjunto de habilidades a serem exercitadas:


1º. Questionar : significa ser curioso, perguntar sobre tudo que existe,
pensar sobre as coisas, suspeitar do que é dito habitualmente, desconfiar dos
pré-conceitos, do senso comum.
 O que é? Questiona a realidade essencial e profunda de algo.
O que são as coisas que estão à nossa volta?
O que significam os costumes, as crenças e a natureza?
Quem somos?
 Como acontece? Como é estrutura e a significação de algo.
Como funcionam as coisas naturais e humanas?
Qual a origem das coisas?
 Por quê? Para quê? Qual a origem e causa de algo.
Qual o sentido, a razão, a justificativa, a finalidade, o objetivo das coisas
ou fenômenos naturais e humanos?
2º. Investigar: procurar respostas para os problemas, buscar conclusões
melhores.
 formular hipóteses, analisar, comparar e buscar princípios
 examinar, formular e desenvolver razoes e argumentos
3º. Ampliar horizontes
 considerar maneiras de novas de ver a realidade
 Pesquisar o já conhecido e se ela pode ainda ser útil
 Imaginar novas possibilidades e elaborar sínteses

7. O conhecimento filosófico
O conhecimento filosófico vai ser resultado do exercício e do processo de
filosofar, buscando a verdade sem querer possuí-la. O ser humano busca um sentido
para sua existência e um sentido mais amplo da realidade. A questão central da
filosofia: quem é o ser humano e qual é o sentido da vida, da realidade. Preocupa-se
em conhecer a si próprio e com o destino da humanidade. As conclusões filosóficas são
sempre parciais e as respostas levam sempre a novas perguntas.
6

8. O pensar
Há diferença entre pensar e ter pensamentos. O pensar é uma atividade: “O
pensamento é o passeio da alma”, diz um filósofo grego desconhecido. Pensar é um
movimento, uma atividade, uma ação. É uma atividade pela qual a inteligência coloca
algo diante de si para atentamente considerar, avaliar, pesar, equilibrar, entender.
Por meio do pensamento manifestamos nossa capacidade de elaborar regras,
normas, leis e princípios. Nós pensamos e sabemos que pensamos. Essa capacidade
de refletir sobre o nosso próprio pensamento nos permite encadear processos de
abstração. São esses processos de abstração que nos levam a conhecer a realidade e
atribuir significados a essa realidade.
Isso é possível por que o homem é dotado de razão, da capacidade de
raciocinar. O pensamento conta com seu mais poderoso invento: a palavra. É a palavra
que confere ao homem essa capacidade de pensar. O pensamento nos familiariza com
o mundo e nos leva a compreender o significado dos objetos, das pessoas e das
relações entre uns e outros.
Nem todos os pensamentos levam à verdade, ou seja, resultam de uma forma
lógica correta. Para chegar ao conhecimento verdadeiro, o pensar deve ser movido pelo
raciocínio, com uma lógica e argumentos válidos. O processo de pensar pode levar a
uma realidade cada vez mais aprimorada. A abstração filosófica nos permite sair da
aparência para a essência.
Segundo diversas teorias, só é considerado livre o ser humano que é autônomo,
capaz de pensar por si mesmo e dar respostas originais a si próprio e ao mundo. E
acredita-se que isso é um aprendizado, ou seja, fruto de educação – é possível por
meio da educação oferecer as condições de aprimorar sua capacidade de pensar.
O mundo é feito de idéias. As idéias são frutos do pensamento. Um pensar pobre
não produz idéias, gera um mundo pobre.
Perguntas que devemos fazer:
 Minhas crenças correspondem a um saber verdadeiro a um
conhecimento? A minha fala é coerente?
 O que orienta minha atitude? Qual o sentido de minha ação?
7

9. O pensamento, a linguagem e o conhecimento.


O pensamento é a fala internalizada, enquanto a linguagem é a expressão do
pensamento. A linguagem permite a comunicação com o mundo, com os outros.
O fazer humano deve ser resultado do conhecimento. E o conhecimento é
resultado de um pensar correto. O fazer humano deve modificar a realidade exterior,
formar os homens, aproximá-los entre si e enriquecer o mundo de valores.
Existem várias formas de conhecer e interpretar a realidade, com diferentes
enfoques e metodologias:
 O mito – imagens, símbolos e significados. História e narrativa.
 O senso comum – herança, tradição, experiências
 A ciência – estrutura seu saber pelo método científico
 A Filosofia – reflexão rigorosa, sistemática
 A religião – fé, transcendência da vida humana
 A arte - intuição e sensibilidade

10. Como a Filosofia trabalha:


As perguntas filosóficas não se dão ao acaso, se dão de modo sistemático.
Sistemático vem de sistema - do grego – que significa que todas as partes
estão ligadas, articuladas, ordenadas, coerentes, graças a princípios comuns.
Para que possamos obter uma visão crítica de nossas crenças, atitudes e
opiniões, as questões filosóficas se realizam de modo sistemático, metódico e
coerente, ou seja, trabalham com
 enunciados e declarações precisas,
 encadeamento lógico entre as declarações,
 conceitos válidos e comprovados,
 fundamentação racional.

11. Filosofia se preocupa com


 as condições e os princípios do conhecimento racional e verdadeiro,
 a origem, a forma e o conteúdo dos valores éticos, políticos, artísticos e
culturais,
8

 as transformação histórica dos conceitos, idéias e valores,


 o estudo das diversas modalidades da consciência: percepção,
imaginação, memória, a linguagem, inteligência, reflexão, experiência,
comportamento, vontade, desejo, paixão,
 a interpretação das idéias ou significação da realidade, mundo natureza,
cultura, histórica, subjetividade, objetividade, conflito, contradição.
A Filosofia se interessa por aquele instante em que a realidade natural – mundo
das coisas – e a realidade histórica - mundo dos homens – tornam-se estranhas,
espantosas e incompreensíveis. Quando o senso comum já não consegue responder.
A Filosofia consiste em três atividades: análise, reflexão e crítica.
FILOSOFAR: é interrogar principalmente sobre os fatos, problemas e dilemas
que cercam o ser humano em seu contexto histórico. Esse contexto muda ao longo do
tempo, e por isso alguns temas de reflexão filosófica variam. Formulam-se novas
questões tais como: a humanidade será dominada pela técnica? Quais valores
conduzem o homem moderno?

12. Para que serve a Filosofia?


O senso comum da nossa sociedade considera útil apenas o que dá prestígio,
poder, fama, riqueza. Julga útil pelo uso prático, lucrativo e visível das coisas. Mas será
mesmo esse o conceito de útil? Ou será útil algo que torna possível:
 Abandonar a ingenuidade e preconceitos do senso comum
 Romper com a submissão das idéias dominantes e aos poderes
estabelecidos
 Compreender a significação do mundo, cultura e história
 Conhecer o sentido da criação humana.
A consciência de si e das próprias ações em busca da felicidade e liberdade -
através do pensamento, permitir que o homem seja seu próprio condutor.
Filosofia é o conhecimento da nossa civilização ocidental, durante 2.500 anos.
Uma herança valiosa que pertence a nós todos. A Filosofia gera as ferramentas para
pensar, pesquisar e gerar conhecimento. O conhecimento não está inscrito no mundo,
9

ele foi produzido pelo homem, em alguma época e lugar. O conhecimento é fruto do
pensamento.
Filosofar é interrogar principalmente sobre fato, problemas e dilemas que cercam
o ser humano em seu contexto histórico.

13. Alguns conceitos


Tanto o senso comum quanto a ciência são formas de conhecimentos válidos e
úteis para o homem, não havendo superioridade entre essas duas formas de
compreender e agir na realidade. No entanto, é importante fazer essa distinção para
estabelecer as diferenças entre essas duas possibilidades de conhecimento e sua
aplicabilidade.
13.1. Senso comum
É o conhecimento recebido por tradição e que ajuda a nos situarmos no
cotidiano, para compreendê-lo e agir sobre ele. É um conjunto de crenças, baseadas no
conhecimento espontâneas e não-crítico, mas que revelam o esforço de buscar
soluções para a nossa vida cotidiana. Essas noções podem esconder idéias falsas e
preconceituosas. No entanto, não podemos desprezar o senso-comum, pois essa forma
de conhecimento tão universal contém muita sabedoria essencial para o
desenvolvimento e organização da humanidade (ex: a roda e o fogo).
O que caracteriza o senso comum não é sua verdade ou falsidade, é a ausência
de crítica, fundamentação e coerência dessas concepções. O senso comum é
transmitido no cotidiano, por meio da cultura e hábitos, de pende de julgamento e de
valores. Muitas vezes essas concepções do senso comum se transformam em ditados
populares. O senso comum lida com opiniões e pré-conceitos, noções parciais e com
julgamentos da realidade.
13.2. Ciência
A ciência produz um conhecimento sistemático e empiricamente fundamentado,
a partir de um método racional. A partir da observação rigorosa, a ciência busca
conhecer explicar a realidade forma objetiva, sem interferência de valores e
julgamentos. A ciência trabalha com conceitos, que são as noções elaboradas,
10

testadas rigorosamente, comprovadas. Busca descobrir leis gerais que sejam válidas
para várias situações particulares.
13.3. Dogmatismo - Dogmas são conhecimentos inquestionáveis, são noções
estabelecidas sem contestação e crítica. O dogmatismo é a nossa crença de que
o mundo existe e é exatamente igual ao que percebemos, por isso não é necessário
criticar e refletir sobre a realidade.
13.4. A atitude dogmática é a aceitação natural e espontânea diante das
coisas do mundo: acreditamos e percebemos o mundo pronto e conhecido. É uma
atitude conservadora, ou seja, queremos conservar o mundo e as coisas como já são
naturalmente. Criamos idéias preconcebidas e rígidas em defesa desse mundo.
13.5. Atitude filosófica é o oposto da atitude dogmática - A atitude filosófica
pressupõe a dúvida e a crítica, não aceitar como naturais as coisas, os fatos, as idéias
os comportamentos, os valores da nossa vida cotidiana. É preciso desconfiar das
opiniões e crenças estabelecidas pela sociedade e cultura, e, também, desconfiar das
próprias opiniões e crenças. É a atitude que nos leva a analise, reflexão e critica. Ir
além da aparência e buscar a essência das coisas, dos fatos, dos valores, opiniões.
Procurar saber o que é (significado), como é (estrutura) e por que é (causa) de
algo.

14. Atividades:
O Mito da Caverna é uma das passagens mais conhecidas da história da
filosofia, faz parte do livro VII de A República, de Platão. A República é um diálogo
entre Sócrates e seus amigos, que apresenta o método de investigação filosófica e
sintetiza os principais temas da filosofia de Platão, ou seja, a organização da
sociedade, a natureza política, o papel da educação e a essência da justiça.

15. Leitura básica


1. Convite à Filosofia. Introdução. Marilena Chauí.
2. Platão, pags. 121, 123 e 124 em Filosofando de Aranha e Martins
3. Texto anexo e abaixo: O que é Filosofia, Gilberto Dimenstein.
11
12