Anda di halaman 1dari 18

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000958/2010


DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/05/2010
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024180/2010
NÚMERO DO PROCESSO: 46215.016807/2010-20
DATA DO PROTOCOLO: 21/05/2010

SIND. DOS TRAB. EM EMP.TELEC.OP.SIST.TV POR ASS.TRANSM. DE


DADOS E CORREIO ELETR.TELEF.M.CEL.SERV.TRONC.D COM.RADI, CNPJ
n. 33.955.956/0001-04, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). LUIS
ANTONIO SOUZA DA SILVA;
E
SINDICATO FLUMINENSE DAS EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVACAO,
CNPJ n. 32.003.915/0001-47, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a).
JOSE CARLOS BARBOSA LOPES;
celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as
condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE


As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de
1º de maio de 2010 a 30 de abril de 2011 e a data-base da categoria em 1º de maio.
CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA
A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s)
Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações, Transmissão de Dados e
Correio Eletrônico, Telefonia Móvel Celular, Serviços Troncalizados de
Comunicação, Projeto, Construção, Instalação e Operação de Equipamentos e
Meios Físicos de Transmissão de Sinal, Similares e Operadores de Mesas
Telefônicas, dos trabalhadores em empresas interpostas em que se forme o
vínculo do emprego, direta, indireta ou solidariamente com as Empresas de
Telecomunicações, Transmissão de Dados e Correio Eletrônico, Telefonia Móvel
Celular, Serviços Troncalizados de Comunicação, Radiochamadas, Projeto,
Construção, Instalação e Operação de Equipamentos e Meios Físicos de
Transmissão de Sinal, estas enquanto tomadoras de serviços e dos demais
trabalhadores em atividades econômicas idênticas, similares e/ou conexas com
atividades de Telecomunicações, Transmissão de Dados e Correio Eletrônico,
Telefonia Móvel Celular, Serviços Troncalizados de Comunicação,
Radiochamadas, Projeto, Construção, Instalação e Operação de Equipamentos e
Meios Físicos de Transmissão de Sinal, incluídos os operadores de telemarketing
contratados ou prestadores de serviços nas empresas de telecomunicações.
Parágrafo Único: O SINFAC abrange os municípios mencionados abaixo,
inclusive o de Belford Roxo/RJ, com abrangência territorial em Duque de
Caxias/RJ, Magé/RJ, Nilópolis/RJ, Nova Iguaçu/RJ, Petrópolis/RJ, São João de
Meriti/RJ e Teresópolis/RJ.
Salários, Reajustes e Pagamento

Piso Salarial

CLÁUSULA TERCEIRA - PISO SALARIAL DA CATEGORIA

Os empregados abaixo relacionados terão os salários que se seguem, a partir


de 1º de maio de 2010:

CARGO SALÁRIO
Operador de Rádio Chamada R$
805,71
Operador de Rádio GMDSS – embarcado R$ 1.605,90
Operador de Teleatendimento R$
762,61
Operador de Telemarketing R$
762,61
Operador de Telemarketing Bilíngüe R$ 1.378,21
Operador de Telemarketing Trilingue R$ 1.822,14
Telefonista R$
805,71
Telefonista Bilingue R$
1.378,21
Telefonista Trilingue R$
1.822,14
Telefonista-recepcionista R$
805,71

Parágrafo Primeiro: No caso de empregados que trabalhem em jornada


inferior a 6 (seis) horas por dia ou 36 (trinta e seis) horas semanais, as partes
convencionam a adoção do Piso salarial proporcional ao número de horas
trabalhadas, tomando-se como base de calculo os valores estabelecidos no
caput da presente cláusula, num total nunca inferior à R$ 538,16 (quinhentos
e trinta e oito reais e dezesseis centavos).

Parágrafo Segundo: O pagamento proporcional do piso salarial instituído


nesta cláusula não se aplica aos empregados que possuem redução de
jornada de trabalho em razão das Empresas não funcionarem aos sábados.

Parágrafo Terceiro: Fica certo e ajustado que, no caso de haver Legislação


Municipal, Estadual ou Federal que disponha valor de piso salarial superior ao
estabelecido no caput, os empregadores, representados pelo SINFAC,
negociarão com o SINTTEL-RJ a aplicação do novo piso.

Parágrafo Quarto: Os empregados que exercem as suas tarefas


embarcados estão regidos pelo Art. 227 da CLT.

Reajustes/Correções Salariais
CLÁUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL

Em 1º de maio de 2010, os salários vigentes serão reajustados em 6% (seis


por cento), conforme o quadro de salários constante da cláusula quinta da
presente Convenção Coletiva de Trabalho.

Parágrafo Único: As EMPRESAS pagarão as diferenças de salários


referentes ao mês de maio até no mês de julho de 2010
CLÁUSULA QUINTA - CORREÇÃO DO PAGAMENTO

No caso de ocorrência de qualquer erro administrativo que gere prejuízos


financeiros ao empregado, a EMPRESA fica obrigada a fazer o acerto e
eventual ressarcimento dos valores, no máximo em 3 (três) dias úteis, depois
de comprovado o fato.

Pagamento de Salário – Formas e Prazos

CLÁUSULA SEXTA - DATA DO PAGAMENTO

O pagamento dos salários será efetuado até o 5º (quinto) dia útil de cada
mês, sob pena de pagamento dos salários e respectivas vantagens
acrescidas de multa de 2% (dois por cento), mais um dia de salário por dia de
atraso.

Parágrafo Primeiro: Quando o pagamento for efetuado mediante cheque ou


carta bancária, as EMPRESAS estabelecerão condições para que seus
empregados possam ir ao banco no mesmo dia em que for efetuado o
pagamento, sem que seja prejudicado o seu horário de almoço.

Parágrafo Segundo: Caso o último dia útil coincida com sábado, domingo ou
feriado, as EMPRESAS farão os pagamentos no primeiro dia antecedente ao
limite determinado no parágrafo anterior.

Descontos Salariais

CLÁUSULA SÉTIMA - DESCONTOS EM FOLHA

Fica permitido as EMPRESAS, por esta Convenção Coletiva de Trabalho,


quando oferecida à contraprestação, o desconto em folha de pagamento de:
seguro de vida, transportes, planos assistenciais com participação do
empregado, alimentação, convênios para compra de alimentos,
medicamentos, clubes e agremiações, assistência médica e outros
benefícios, desde que autorizado, por escrito, pelo empregado.

Parágrafo Único: As despesas realizadas pelo empregado nas colônias de


férias do SINTTEL-RJ serão ressarcidas diretamente pela empresa
empregadora, cabendo a ela descontar do contracheque do empregado os
valores pagos, em 5 (cinco) parcelas iguais e sucessivas, num total limite de
R$ 200,00 (duzentos reais).

CLÁUSULA OITAVA - MENSALIDADE SINDICAL

As EMPRESAS deverão descontar mensalmente em folha de pagamento o


valor correspondente a 1% (um por cento) do salário base dos empregados
sindicalizados, referente à mensalidade dos associados e repassá-las ao
SINTTEL-RJ, bem como enviar ao referido sindicato a lista dos empregados
sindicalizados. Mensalmente, as empresas enviarão ao SINTTEL-RJ uma
lista atualizada, via e-mail ou meio magnético, com os nomes completos e
valores descontados dos respectivos associados.

Parágrafo Primeiro: O repasse das mensalidades poderá ser efetuado


através de cheques ou depósito na conta bancaria do SINTTEL-RJ.

Parágrafo Segundo: As EMPRESAS enviarão mensalmente ao SINTTEL-


RJ uma lista atualizada, via e-mail ou meio magnético, com os nomes
completos e respectivas matriculas e valores descontados dos empregados
sindicalizados.

Parágrafo Terceiro: Na impossibilidade de ser efetuado o desconto, as


EMPRESAS informarão ao SINTTEL-RJ, por escrito ou em disquete ou por
meio eletrônico, contendo nomes, respectivas matriculas e os postos onde
estão lotados e as razões impeditivas do desconto.

Outras normas referentes a salários, reajustes, pagamentos e critérios para


cálculo

CLÁUSULA NONA - CONTRACHEQUE

As EMPRESAS pagarão o salário por meio de contracheque, discriminando,


além do salário base, as horas extras, os adicionais, os benefícios e
descontos efetuados.

Parágrafo Único: As EMPRESAS que efetuarem o pagamento de salário


através de crédito, depósito em conta corrente bancária, ou outra modalidade
eletrônica de crédito, ficam desobrigadas de colher à assinatura do
empregado, valendo como prova de pagamento, o comprovante de depósito
ou extrato da conta corrente ou, ainda, o extrato da conta corrente eletrônica,
desde que haja a discriminação de salário, horas extras, adicionais,
benefícios, valor do depósito mensal-FGTS e todos os descontos efetuados.

CLÁUSULA DÉCIMA - SUBSTITUIÇAO

O empregado admitido para substituir um empregado demitido receberá


salário igual ao empregado de menor salário do mesmo cargo ou função, não
considerando as vantagens pessoais.
Parágrafo único: Não se aplica a esta cláusula, a redução do Piso da
Telefonista.

Gratificações, Adicionais, Auxílios e Outros

Adicional de Hora-Extra

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - HORAS EXTRAS

Na prestação de serviços extraordinários, as horas extras serão pagas com


acréscimo de 50% (cinquenta por cento), e as trabalhadas nos domingos e
feriados com acréscimo de 100% (cem por cento), ambos calculados sobre a
hora normal.

Parágrafo Primeiro: As EMPRESAS não podem exigir o trabalho em hora


extraordinária como forma de compensar dias não trabalhados.

Parágrafo Segundo: As horas extras serão pagas juntamente com o salário


do mês e seus valores terão como base de cálculo o salário do mês do
pagamento.

Parágrafo Terceiro: As horas realizadas após o fechamento da folha do mês


em curso serão incluídas na folha de pagamento do mês subseqüente.

Parágrafo Quarto: As horas extras realizadas durante o ano serão


computadas para todos os efeitos legais.

Adicional Noturno

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - ADICIONAL NOTURNO

O trabalho noturno será remunerado com acréscimo de 20% (vinte por cento),
entendendo-se como tal, o trabalho realizado das 22:00 horas de um dia até
às 5:00 horas do dia seguinte, computando-se, para tanto, a hora noturna
como sendo de 52’ :30” (cinqüenta e dois minutos e trinta segundos).

Prêmios

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - PRÊMIOS E GRATIFICAÇÕES

Os prêmios pagos por mais de 6 (seis) meses consecutivos serão


incorporados ao salário para todos os efeitos legais.

Parágrafo Único: As EMPRESAS sortearão, entre seus empregados que


não tiveram faltas injustificadas, 12 (doze) finais de semana na Colônia de
Férias do SINTTEL-RJ em Barra de São João, com direito a um
acompanhante, como incentivo à produtividade.

Auxílio Alimentação

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - ALIMENTAÇÃO

As EMPRESAS concederão aos seus empregados, na forma de tíquete ou


cartão magnético o valor de R$ 8,00 (oito reais) por dia, considerando-se os
dias efetivamente trabalhados no mês.

Parágrafo Primeiro: O benefício previsto no caput da presente clausula terá,


a partir de 1 de julho de 2010, o seu valor majorado para R$ 8,50 (oito
reais e cinquenta centavos), sendo que as empresas, obrigatoriamente
deverão levar ao conhecimento dos tomadores de serviços, inteiro teor do
disposto no presente parágrafo, solicitando o respectivo repasse para os
contratos de prestação de serviços com objetivo de conceder de imediato o
valor do auxilio alimentação para todos os empregados abrangidos por esta
convenção.

Parágrafo Segundo: Os empregadores pagarão uma participação laboral de


1% (dez por cento) do valor total do benefício concedido.

Parágrafo Terceiro: O auxílio-alimentação será concedido em conformidade


ao Programa de Alimentação ao Trabalhador – PAT, instituído pela Lei
6.321/76, portanto não possui natureza salarial, não se incorporando a este
em nenhuma hipótese.

Parágrafo Quarto: As EMPRESAS que porventura concedam auxílio


alimentação em valores superiores aos determinados na presente cláusula,
ficam obrigados a manter o benefício nas bases de valor e quantidade
atualmente praticadas.

Parágrafo Quinto: Para os empregados lotados em alojamentos ou setores


que forneçam refeição preparada, as EMPRESAS poderão, substituir os
tíquetes ou cartões magnéticos por almoço e jantar.

Parágrafo Sexto: Para evitar prejuízo aos trabalhadores, fica


terminantemente proibido o repasse da alimentação no contra-cheque, sendo
definido que esse benefício somente deverá ser repassado através de cartão
convênio.

Auxílio Transporte

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - VALE-TRANSPORTE

As EMPRESAS ficam obrigadas a conceder o Vale-Transporte, instituído pela


Lei 7418/85, com alteração da Lei 7619/87, da forma regulamentada pelo
Decreto 95.247/87, podendo ser em tíquetes ou cartão magnético.

Parágrafo Primeiro: As EMPRESAS concederão o vale-transporte para todo


o trajeto do empregado, ou seja, residência/trabalho/residência, sempre
antecipadamente ao primeiro dia útil do mês.

Parágrafo Segundo: Ocorrendo majoração de tarifa, as empresas obrigam-


se a complementar a diferença devida ao empregado.

Parágrafo Terceiro: Visando evitar prejuízo à categoria, não será permitido


às EMPRESAS creditarem no contracheque o valor correspondente ao
ressarcimento da passagem do empregado, seja à que título for.

Auxílio Educação

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - BOLSAS DE ESTUDOS

As EMPRESAS poderão efetuar convênio junto ao MEC, para obter o


benefício do Salário Educação para seus empregados, devendo comunicar
aos mesmos sobre a abertura de convênio e de como devem inscrever-se
para recebimento do respectivo benefício.

Seguro de Vida

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - SEGURO DE VIDA

As EMPRESAS farão um seguro de vida em grupo a favor de seus


empregados tendo como beneficiários aqueles legalmente reconhecidos pelo
INSS, observadas as seguintes coberturas mínimas:

- R$ 8.000,00 (oito mil reais) de indenização por morte, qualquer que seja a
causa;
- R$ 2.000,00 (dois mil reais) a título de auxílio funeral;
- R$ 1.000,00 (hum mil reais) a título de assistência alimentícia.

Parágrafo Primeiro: A partir dos valores mínimos estipulados no caput da


presente cláusula, ficam As EMPRESAS livres para pactuar com seus
empregados outros valores de cobertura para o seguro.

Parágrafo Segundo: Os empregados que aderirem por escrito ao seguro,


terão participação no custeio do benefício. Neste caso, o desconto do
empregado não poderá ser superior a R$ 2,50 (dois reais e cinquenta
centavos) mensais.

Parágrafo Terceiro: O Seguro de Vida em Grupo, constante e regido por


esta Cláusula, poderá ser substituído por convenio com a UPS - ASFS –
Assistência Social Família Sindical, desde que haja autorização por escrito
do trabalhador.

Contrato de Trabalho – Admissão, Demissão, Modalidades

Normas para Admissão/Contratação

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - EXPERIÊNCIA

É vedado às EMPRESAS firmar contrato de experiência nos casos de


readmissão do ex-empregado na mesma função.

Desligamento/Demissão

CLÁUSULA DÉCIMA NONA - COMUNICAÇÃO DE GRAVIDEZ

A empregada deverá informar, no ato de sua demissão do quadro funcional


das EMPRESAS, se está ou não em estado gestacional, com base na Lei nº
9.799/99. Em caso afirmativo, as EMPRESAS comprometem-se a suspender
o respectivo processo demissional.

Parágrafo Único: Havendo a constatação do estado gestacional da


empregada, após a sua demissão, sem que o empregador tivesse - à época,
conhecimento de tal fato, as EMPRESAS comprometem-se a reintegrar a
empregada em seu quadro funcional, descontando-se as verbas rescisórias
eventualmente já pagas.

CLÁUSULA VIGÉSIMA - HOMOLOGAÇÃO

As homologações de rescisões de contrato de trabalho, dos empregados


abrangidos por esta Convenção Coletiva de Trabalho, deverão ser realizadas
nas dependências do SINTTEL-RJ, até o décimo dia subseqüente ao término
do contrato de trabalho.

Parágrafo Primeiro: Em caso de atraso no pagamento da rescisão, ficam as


EMPRESAS obrigadas a pagar, além da multa do art. 477 da CLT, um dia de
salário por dia atrasado.

Parágrafo Segundo: Os empregados que prestarem serviços em regiões


fora do Município do Rio de Janeiro e que, por motivos pessoais, não possam
fazer as homologações no SINTTEL-RJ, poderão receber as suas verbas
rescisórias na sub-Delegacia do Trabalho da Região da realização dos
serviços.
Aviso Prévio

CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - AVISO PREVIO

O empregado que estiver em cumprimento de Aviso Prévio, não poderá ser


transferido do setor onde exerce suas funções, salvo encerramento do
Contrato de Prestação de Serviço, ou a pedido expresso do cliente.

Suspensão do Contrato de Trabalho

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - ATESTADO DE AFASTAMENTO E


SALÁRIOS

As EMPRESAS estão obrigadas a fornecer o Atestado de Afastamento e


Salário (AAS) ao empregado, por ocasião da ruptura do contrato de trabalho.
No caso de ser solicitado o referido documento no decurso da relação de
emprego, o empregador terá o prazo de 5 (cinco) dias úteis para fornecê-lo.

Relações de Trabalho – Condições de Trabalho, Normas de Pessoal e


Estabilidades

Atribuições da Função/Desvio de Função

CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - DESVIO DE FUNÇÃO

Fica vetado que os empregados abrangidos por esta Convenção Coletiva


sofram qualquer tipo de desvio das funções para as quais foram contratados,
devendo os mesmos comunicar por escrito ao respectivo empregador e ao
SINTTEL-RJ toda e qualquer irregularidade para que possam tomar as
providências cabíveis.

Transferência setor/empresa

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - MUDANÇA DO LOCAL DE


TRABALHO

As EMPRESAS ficam obrigadas a comunicar a seus empregados, com


antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas, as mudanças de local de
trabalho, bem como o novo horário de trabalho.

Parágrafo Único: Na hipótese de o empregado ficar sem local específico


para prestação de seus serviços, deverá se apresentar no dia seguinte à
sede da EMPRESA empregadora para nova designação e, até que tal
designação ocorra, ficará garantido a ele o recebimento dos seus salários e a
marcação de ponto.

Estabilidade Mãe

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - ESTABILIDADE DA GESTANTE

A empregada gestante não será transferida de setor, nem dispensada sem


justa causa, desde o início da gestação, até 150 (cento e cinqüenta) dias
após o parto, nos termos do art. 392 da CLT e conforme o disposto no art.
10,II,b das Disposições Transitórias da Constituição Federal.

Outras normas de pessoal

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - ENTREGA DE DOCUMENTO

O recebimento de qualquer documento pelo empregado ou sua devolução as


EMPRESAS, deverá ser protocolizado, com recibo em duas vias, assinados,
respectivamente pelo empregado e pela EMPRESA empregadora, cabendo
cópia a cada um deles.

CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - CARTEIRA DE TRABALHO – CTPS

Serão anotadas nas CTPS dos empregados, além do salário, todas as


gratificações, atualizações e vantagens, conforme legislação em vigor.

Parágrafo Único: As EMPRESAS fornecerão aos seus empregados os


extratos do FGTS, sempre que emitidos pelo Banco Depositário.

Outras estabilidades

CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - ESTABILIDADE APÓS LICENÇA

O empregado afastado do serviço por mais de 120 (cento e vinte) dias


consecutivos, por doença, devidamente comprovadas pelo Órgão
Previdenciário, terá garantia de emprego por mais 30 (trinta) dias, a partir da
alta médica.

Jornada de Trabalho – Duração, Distribuição, Controle, Faltas

Duração e Horário

CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA - JORNADA DE TRABALHO

Em respeito à determinação constante do artigo 227 da CLT, a jornada de


trabalho dos empregados abrangidos por esta Convenção Coletiva de
Trabalho não excederá de 6 horas diárias, com duração semanal máxima de
36 horas, com intervalo para repouso e alimentação de 15 (quinze) minutos,
conforme previsto no art. 71, § 2o, da CLT.

Parágrafo Primeiro: Aos empregados com atividade exclusiva de


Teleatendimento ou telemarketing, serão asseguradas 2 (duas) pausas de 10
(dez) minutos e o intervalo de 20 (vinte) minutos para repouso e alimentação
conforme determina o ANEXO II DA NR 17.

Parágrafo Segundo: Na impossibilidade de gozar da pausa ou o intervalo de


repouso de alimentação no horário previsto, por estar atendendo um cliente, o
empregado terá direito de gozar do intervalo ou pausa imediatamente após o
término do atendimento.

Parágrafo Terceiro: As EMPRESAS não poderão compensar durante a


semana as horas não trabalhadas aos sábados.

Faltas

CLÁUSULA TRIGÉSIMA - ABONO DE ESTUDANTE

Fica assegurado ao empregado estudante o abono das faltas que porventura


ocorram nos dias de provas, inclusive para exame vestibular, desde que
ocorra prévia comunicação ao empregador com antecedência mínima de 72
(setenta e duas) horas.

Parágrafo Único: A realização da prova deverá ser comprovada à


EMPRESA empregadora através de documento que explicite o horário de
realização da mesma, ficando clara a impossibilidade de realização tendo em
vista o horário de trabalho do empregado.

Férias e Licenças

Duração e Concessão de Férias

CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - FRACIONAMENTO DE FÉRIAS

Por solicitação do empregado e concordância da EMPRESA, as férias


poderão ser fracionadas em dois períodos, desde que nenhum deles seja
inferior a 10 (dez) dias.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - FÉRIAS

A EMPRESA empregadora deverá proceder à comunicação de férias ao


empregado com até 30 (trinta) dias de antecedência.
Parágrafo Primeiro: O pagamento das férias será realizado em até 2 (dois)
dias do início das mesmas, sob pena do pagamento de multa de 2% (dois por
cento) ao mês sobre o valor das férias.

Parágrafo Segundo: O cancelamento das férias programadas só poderá


ocorrer por motivo de força maior, cabendo ao empregador comunicar tal fato
ao SINTTEL-RJ.

Saúde e Segurança do Trabalhador

Condições de Ambiente de Trabalho

CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - CONDIÇÕES DE TRABALHO

As EMPRESAS comprometem-se a cumprir as Normas Regulamentadoras


do Ministério do Trabalho, bem como a implantar medidas que visem à
melhoria de suas instalações e condições de trabalho em geral dos
empregados.

Uniforme

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - UNIFORME

As EMPRESAS fornecerão, gratuitamente, os uniformes a seus empregados,


quando for obrigatório o seu uso, entendendo-se por uniforme, a indumentária
completa exigida para execução dos serviços.

Exames Médicos

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - EXAMES MÉDICOS

Caberá as EMPRESAS cumprir com os procedimentos legais em relação à


realização dos exames admissionais, periódicos e demissionais de seus
empregados.

Parágrafo Primeiro: As EMPRESAS encaminharão seus empregados para


realização de exame médico demissional imediatamente após a notificação
da rescisão contratual, não podendo ser utilizado, para este fim, exame
periódico, ainda que recente, ou exame de retorno ao trabalho.

Parágrafo Segundo: As telefonistas que estiverem expostas a níveis de


pressão sonora inferiores aos limites de tolerância estabelecidos nos anexos
1 e 2 da NR 15 da Portaria 3.214 do Ministério do Trabalho, ficam
dispensados dos exames audiométricos de referencia e seqüenciais, em
conformidade com o item 3.1. da NR 7, as que forem limite superior, devem
ser encaminhadas a fazer o referido exame.
Parágrafo Terceiro: Os níveis de pressão sonora mencionados no parágrafo
anterior terão que ser comprovados através de laudo técnico submetido à
avaliação do SINTTEL-RJ.

Aceitação de Atestados Médicos

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - ATESTADOS MÉDICOS

As EMPRESAS obrigam-se a aceitar os atestados médicos justificativos de


ausência ao trabalho, emitidos pelo Órgão Previdenciário e seus
conveniados, na forma da Lei, bem como das clínicas médicas de convênios
particulares ou conveniadas pelo SINTTEL-RJ.

Parágrafo Primeiro: Nos casos de greve dos Sistemas Públicos de


Assistência Médica, as empresas aceitarão os atestados médicos
justificativos de ausência ao trabalho, emitidos pelas clínicas médicas de
convênios particulares ou conveniadas pelo SINTTEL-RJ.

Parágrafo Segundo: Os empregados deverão entregar ao Departamento


Pessoal das Empresas os atestados médicos, preferencialmente, no mesmo
dia de sua emissão e, diante da impossibilidade de fazê-lo, no primeiro dia de
seu efetivo retorno ao trabalho.

Acompanhamento de Acidentado e/ou Portador de Doença Profissional

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE


TRABALHO

Na hipótese de acidente de trabalho ou doença ocupacional, as EMPRESAS


emitirão a CAT no dia útil seguinte ao dia da ocorrência, encaminhando cópia
ao SINTTEL-RJ em até 2 (dois) dias úteis após a emissão do documento.

Parágrafo Único: Ocorrendo a hipótese legal de a CAT ser emitida pelo


SINTTEL/RJ, será encaminhada cópia à EMPRESA, a qual dará ciência
expressa do recebimento.

Relações Sindicais

Contribuições Sindicais

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - CONTRIBUIÇÃO SINDICAL


LABORAL

Em conformidade ao inciso IV, do art. 8º, da Constituição Federal, as


EMPRESAS abrangidas por esta Convenção recolherão para o SINTTEL-RJ
uma Contribuição Assistencial no valor correspondente a 1% (um por cento)
sobre os salários-base dos empregados da categoria profissional, a ser
recolhida de uma só vez até 30 (trinta) dias a contar da assinatura da
presente Convenção Coletiva de Trabalho.

Parágrafo Primeiro: Conforme determina o Parágrafo 2º do Art.º 583 da


CLT, as EMPRESAS encaminharão ao SINTTEL-RJ, sob protocolo ou carta
registrada, no máximo em até 5 (cinco) dias após o recolhimento na rede
bancária, a cópia da GRCS (Guia de Recolhimento de Contribuição Sindical),
contendo autenticação mecânica da quitação bancária, acompanhada de
relação com nome, salário, cargo e desconto dos contribuintes, bem como,
idêntica listagem de empregados que não contribuíram em favor do
SINTTEL-RJ informando motivo do não recolhimento

Parágrafo Segundo: O atraso no repasse incorrerá em multa de 2% (dois


por cento) ao mês sobre o valor da Contribuição Sindical dos empregados,
acrescidos de atualização monetária.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL


PATRONAL

Em conformidade ao inciso IV, do Art. 8º, da Constituição Federal, as


EMPRESAS abrangidas por esta Convenção recolherão para o SINFAC uma
Contribuição Assistencial no valor correspondente a 0,5% (zero vírgula cinco
por cento) sobre os salários-base dos empregados da categoria profissional,
a ser recolhida de uma só vez até 30 (trinta) dias a contar da assinatura da
presente Convenção Coletiva.

Parágrafo Primeiro: As EMPRESAS representadas pelo SINFAC e


abrangidas por esta Convenção Coletiva de Trabalho estão obrigadas ao
pagamento adicional no valor de R$ 70,00 (setenta reais) a título de taxa de
manutenção sindical.

Parágrafo Segundo: As EMPRESAS deverão realizar o pagamento da


Contribuição Assistencial e da Taxa de Manutenção Sindical através de
depósito na Conta Corrente do Banco do Brasil nº. 0080-9 agência, conta nº.
5220-5 – Petrópolis.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL


LABORAL

As EMPRESAS abrangidas por esta Convenção Coletiva de Trabalho,


descontarão de cada empregado representado pelo SINTTEL-RJ, no mês
subsequente à assinatura da presente Convenção Coletiva de Trabalho, o
valor correspondente a 1% (hum por cento) sobre os salários-base.

Parágrafo Primeiro:Os Empregados poderão se opor a referida contribuição,


através de requerimento manuscrito, com identificação e assinatura, na sede
do SINTTEL-RJ, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da transmissão do
instrumento na Delegacia Regional do Trabalho.
Parágrafo Segundo: Os valores recolhidos deverão ser repassados pelas
EMPRESAS ao SINTTEL-RJ, através de depósito bancário ou transferência
para a corrente do SINTTEL-RJ, no Banco Bradesco, Agência 666, conta nº
3380-4, no prazo máximo de 10 (dez) dias após o desconto, ou efetuar o
pagamento na sede da Entidade Laboral em cheque nominal, caso contrário,
será cobrada multa de 2% (dois por cento) ao mês, acrescidos de atualização
monetária.

Parágrafo Terceiro: As EMPRESAS terão o prazo de 5 (cinco) dias para


enviar à secretaria do SINTTEL-RJ, cópia do recibo de depósito bancário ou
recibo de pagamento acompanhada da folha de pagamento ou das Guias de
Recolhimento da Previdência Social (GRPS).

Outras disposições sobre relação entre sindicato e empresa

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA - RELAÇÃO DE EMPRESAS

O SINFAC obriga-se a encaminhar ao SINTTEL-RJ, em até 30 (trinta) dias a


contar da assinatura da presente Convenção Coletiva de Trabalho, listagem
completa das EMPRESAS sob sua abrangência e representação patronal,
contendo razão social, endereço, telefone e nome do seu representante legal.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEGUNDA - MUDANÇA DE LOCAL DA


SEDE SOCIAL DA EMPRESA

As EMPRESAS obrigam-se, no caso de mudança do local de sua sede


social, a comunicar o fato previamente ao SINFAC e ao SINTTEL-RJ, através
de documento devidamente protocolado.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA TERCEIRA - CERTIDÃO DE


REGULARIDADE SINDICAL - CERSIN

Por força desta convenção e em atendimento ao disposto no art. 607 da CLT,


as EMPRESAS para participarem em licitações promovidas por órgãos da
administração pública, direta, indireta ou contratação por setores privados,
deverão apresentar certidão de regularidade para com suas obrigações
sindicais.

Parágrafo Primeiro: Esta certidão será expedida pelos Sindicatos


Convenentes, individualmente, assinada por seus Presidentes ou seus
substitutos legais, após a devida solicitação, com validade de 90 (noventa)
dias.

Parágrafo Segundo: consideram-se obrigações sindicais:


a) Recolhimento da contribuição sindical (profissional e econômica);
b) Recolhimento de todas as taxas e contribuições aqui inseridas;
c) Cumprimento integral desta Convenção Coletiva de Trabalho;
d) Certidão de regularidade para com o FGTS, INSS e Município;
e) Cumprimento das normas que regulam as relações individuais e coletivas
de trabalho previstas na CLT, bem como na legislação complementar
concernente à matéria trabalhista e previdenciária;
f) Cópia da Garantia e/ou Caução, prestada ao Tomador de Serviço, quando
da Contratação em conformidade com o Art. 56 da Lei 8666/93, no que
couber.

Parágrafo Terceiro: A falta de certidão ou vencido seu prazo, que é de 90


(noventa) dias, permitirá às demais EMPRESAS licitantes, bem como aos
Sindicatos Convenentes, nos casos de concorrências, carta-convite ou
tomada de preços, alvejarem o processo licitatório por descumprimento das
cláusulas convencionadas.

Parágrafo Quarto: No caso de Certidões de Regularidade Sindical emitidas


em outros Estados da Federação, estas deverão ser averbadas pelo SINFAC
e SINTTEL-RJ.

Disposições Gerais

Mecanismos de Solução de Conflitos

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - COMISSÂO DE CONCILIAÇÃO


PRÉVIA

As EMPRESAS interessadas em instituir Comissão de Conciliação Prévia deverão


manifestar-se perante ao SINTTEL-RJ, por escrito, no prazo de 30 (trinta) dias após
a assinatura da presente Convenção.

Aplicação do Instrumento Coletivo

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUINTA - CONVENÇÃO COLETIVA DE


TRABALHO – OBRIGATORIEDADE

As EMPRESAS, obrigatoriamente, deverão levar ao conhecimento dos


tomadores de serviços, o inteiro teor da presente Convenção Coletiva de
Trabalho, bem como das variações salariais ocorridas durante o período de
vigência da mesma.

Descumprimento do Instrumento Coletivo

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEXTA - DESCUMPRIMENTO DAS


OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS

Considerando-se que a Convenção Coletiva de Trabalho representa direito do


empregado, nos termos do Art. 7º, XXVI, da Constituição Federal e, visando a
que, conjuntamente, as partes aqui convencionadas possam agir contra
irregularidades no cumprimento das obrigações trabalhistas elencadas nesta
convenção e nas leis em geral, fica estabelecido que, a qualquer tempo, o
SINTTEL-RJ e/ou SINFAC-RJ ou o SINTTEL-RJ e/ou qualquer EMPRESA,
manifestar-se-ão junto aos clientes tomadores de serviços, quando tiverem
ciência de que alguma empresa tenha apresentado preço considerado
inexeqüível, ou seja, aquele que evidencia clara impossibilidade do
cumprimento remuneratório trabalhista e fiscal. Esta ação conjunta e/ou
isolada, dependendo de cada situação, ensejará em manifestação escrita
junto ao cliente - tomador de serviços de asseio e conservação por parte
principalmente do SINTTEL-RJ, visando a alertá-lo para a impossibilidade
matemático-financeira do preço (inexeqüível) cobrir as obrigações trabalhistas
e fiscais, coadunando-se, outrossim, com o disposto no Art. 48, II, da Lei nº
8.666 de 21/6/93.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA - MULTA POR


DESCUMPRIMENTO

Em caso de descumprimento de quaisquer disposições contidas na presente


Convenção Coletiva de Trabalho, a parte prejudicada notificará a outra para
regularizar a inadimplência no prazo de 72 (setenta e duas) horas.

Parágrafo Único: Não respeitado o prazo estabelecido no caput desta


cláusula e não sendo apresentada justificativa formal e aceitável, o infrator
ficará obrigado ao pagamento de multa, até o adimplemento da obrigação, no
valor 10% (dez por cento) do Piso da Telefonista por empregado prejudicado,
que reverterá em favor da parte prejudicada.

Outras Disposições

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA OITAVA - DIVERGÊNCIAS

As divergências surgidas na vigência desta Convenção poderão ser dirimidas


pelas partes Convenentes, no exercício da presente norma coletiva, através
de Termos Aditivos específicos, de forma que não haja desequilíbrio nos
atuais contratos de prestação de serviços e nem prejuízo a categoria
profissional.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - FORO

Fica eleito o foro da Comarca do Rio de Janeiro, com renúncia expressa a


qualquer outro, por mais privilegiado que seja para dirimir controvérsias
decorrentes da presente Convenção Coletiva de Trabalho.

LUIS ANTONIO SOUZA DA SILVA


Presidente
SIND. DOS TRAB. EM EMP.TELEC.OP.SIST.TV POR ASS.TRANSM. DE
DADOS E CORREIO ELETR.TELEF.M.CEL.SERV.TRONC.D COM.RADI

JOSE CARLOS BARBOSA LOPES


Presidente
SINDICATO FLUMINENSE DAS EMPRESAS DE ASSEIO E CONSERVACAO

A autenticidade deste documento poderá ser confirmada na página do Ministério do


Trabalho e Emprego na Internet, no endereço http://www.mte.gov.br .