Anda di halaman 1dari 5

AGRUPAMENTO VERTICAL D.

PEDRO I

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE DOCENTE

Nome: Anabela Raquel Azevedo Mota - Grupo 910 – Ensino Especial


Período a que se reporta a avaliação: 03 de Janeiro a 31 de Maio de 2011

Reflexão pedagógica sobre o 1º momento de


“ Sessão de Apoio”

A sessão decorreu de acordo com a planificação apresentada, tendo em conta os


objectivos do Programa Educativo Individual (PEI) da aluna, as características de cada
criança, as suas dificuldades e o respectivo ritmo de execução .
A sessão iniciou, com a leitura da história “ A Lagarta comilona” .A ideia
concebida para iniciar esta aula, seria a leitura da história e a sua dramatização feita pela
professora, e posteriormente seria recontada pela aluna, com recursos a imagens
impressas. Contudo, não foi isso que aconteceu, pois a aluna estava bastante agitada
facto, talvez que se devesse à presença de outra pessoa externa ao seu ambiente habitual
(avaliador). Notando-se uma vontade extrema na criança, de participar activamente para
demonstrar que dominava o que lhe ia sendo solicitado. (Se por um lado, este
comportamento alterou a ideia inicial da sessão, por outro lado, fez-me entender
enquanto docente que a criança estava disposta a participar activamente. Tendo em
conta que estas crianças são uma caixinha de surpresas, alterando constantemente os
seus comportamentos e vontades, dá-nos enquanto docentes, uma bagagem acrescida
de nos adaptarmos e ajustarmo-nos ao que eles nos exigem. Tendo sempre a
capacidade de transformar a sequência de aula programada noutra completamente
diferente, porém, ainda assim capazes de realizarmos o que planificamos.)
Para colmatar esta pequena adversidade, face ao comportamento activo da aluna
a solução encontrada pela professora foi de ler a história e permitir à criança que esta
pudesse intervir , tentando adivinhar a história mesmo que erradamente.
Seguidamente a professora apresentou os elementos da história impressos , à
criança, e explicou à aluna, aqueles que ela não reconhecia tão facilmente. A ideia
fulcral, desta actividade visava que a criança fosse capaz de fazer a inclusão da imagem
à história que ia ouvindo . A aluna gostou bastante da dinâmica, pois como estava muito
agitada, isso possibilitou-lhe descarregar um pouco dessa energia, manipulando em
material não estruturado. Esta dinâmica fez perceber à docente, que a aluna tinha
assimilado a história contada, pois esta conseguiu associar todas as imagens às
passagens lidas pela professora.
Seguidamente a professora apresentou à aluna uma lagarta gigante , onde a criança
deveria associar o número à quantidade. Foram feitas várias questões, como por
exemplo: Qual foi a fruta que a lagarta comeu no 1º dia? O que exigia à aluna
competências já adquiridas de , procurar numa caixa fornecida pela professora, o
número 1, e associar o fruto que a lagarta, comia nesse mesmo dia e assim
sucessivamente até completar o sexto dia . Após, descobrir esses elementos a aluna
deveria colocar o número no interior do corpo da lagarta e o fruto correspondente no
dorso da mesma. Este desafio foi também realizado com sucesso, conseguindo fazer
muito bem a associação até ao número cinco, tendo apenas dificuldades na associação
do número seis, pois fez confusão com o número nove.
Para consolidar tanto a parte oral da história, como a parte do domínio matemático, a
professora apresentou à aluna um pequeno caderno em formato de lagarta , onde esta
deveria fazer o registo da história , através de autocolantes com ilustrações da mesma e
carimbagem dos números associados à história . Esta dinâmica foi também realizada
com muito sucesso e satisfação pela criança.
A nível da matemática, foi também trabalhada uma ficha onde foi feito o registo das
temáticas abordadas anteriormente.
Como tinha referido na caracterização da aluna, a Cristiana é uma menina com poucos
saberes a nível do conhecimento do mundo, assim sendo tentei desenvolver uma
actividade que lhe permitisse entender a narrativa da história e também como se
processa o ciclo de vida da borboleta. Com esse objectivo criei uma ficha onde tinha o
processo físico da metamorfose da borboleta incompleto, que deveria ser completado
com autocolantes impressos ( ex: Ovo, Lagarta, casulo, borboleta ).
Para a aula foram também preparados materiais para explorar o domínio das
expressões , onde a criança deveria ilustrar o ciclo de vida da borboleta e construir uma
lagarta ( ex: com meias , serrim e sementes de relva). Mas tal como referi na
planificação, estas actividades serão realizadas posteriormente dado a falta de tempo
para os concluir, na 1º sessão de avaliação. Assim como, outras actividades alusivas ao
tema, como jogos de memória e de matemática.
Assim, poderei cerrar esta minha reflexão, constatando que a aula decorreu de
forma fluente, utilizando mesmo os contratempos que foram surgindo de forma positiva
para me superar enquanto docente , testando em mim a capacidade de contornar as
adversidades que são uma realidade constante na nossa profissão enquanto docentes de
educação especial.

O Docente avaliado:
REGISTO FOTOGRÁFICO DOS MATERIAIS
APRESENTADOS NA 1º AULA ASSISTIDA

Leitura do livro Imagens para associar à história

Inicialmente a lagarta ia comendo as No final da história a lagarta,


frutas… transformava-se numa linda borboleta

Lagarta “gigante” para utilizar na Frutos impressos e colados em


representação do número, associado à pequenas molas, para mostrarem a
quantidade. noção de quantidade.
1
Exemplo da actividade da lagarta
Números para colocar no interior da lagarta;
concluído.

Caderno de registo, dos conteúdos Exemplo do preenchimento do caderno ,


trabalhados com autocolantes e carimbagem;

Resultado final do registo do caderno;