Anda di halaman 1dari 3

CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS

Rodrigo Campos de Queiroz


rdgo18@hotmail.com

A classificação mais utilizada é estabelecida pelo


prof. José Afonso da Silva, em seu livro
“Aplicabilidade das Normas Constitucionais”. Este
autor classifica as normas de acordo com a eficácia
ou aplicabilidade de cada uma delas.

Classificação:

• Normas de Eficácia Plena;

• Normas de Eficácia Limitada; e

• Normas de Eficácia Contida.

Normas de Eficácia Plena:

São aquelas que não precisam ser regulamentadas para que atinjam seus
objetivos, ou seja, que independem de normas infraconstitucionais para alcançarem
situações a que se destinam. Essas regras são conhecidas como “self executing”, ou seja,
autoaplicáveis, pois deriva do direito Norte-Americano.

Exemplo:

CF. Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza,
garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do
direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos
seguintes:

Trata-se de uma regra que não depende de qualquer detalhamento para surtir seus
efeitos ou para alcançar as situações a que se destinam.

Normas de Eficácia Limitada:

São as que não conseguem atingir os seus objetivos, pois necessitam de normas
regulamentadoras para que, assim, possam alcançar os efeitos desejados através de lei
infraconstitucional. São conhecidas como não-autoaplicáveis. “Not self executing”.

Exemplo:

CF. Art. 37, VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em
lei específica;

Como se verifica no texto, enquanto não for estabelecida lei exigida pelo texto
Constitucional, o exercício do direito de greve não poderá ser efetivado pelos servidores
públicos. Cabe salientar que o direito de greve, hoje, pelos servidores públicos segue o
mesmo direito que rege o dos Celetistas.
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS
Rodrigo Campos de Queiroz
rdgo18@hotmail.com

A norma constitucional de eficácia limitada é apontada como norma de eficácia mínima.


Neste sentido, mesmo antes de ser regulamentada, já impede o aparecimento de regras
que lhe contrariem o sentido ou o objetivo. Voltemos ao inciso VII, do art. 37, neste
caso, impede-se que lei infraconstitucional determine a proibição de greve aos
servidores, deste modo, “o direito de greve será exercido”.

A norma de eficácia limitada divide-se em:

• Caráter programático;

• Caráter institutivo.

a) As normas de caráter programático estabelecem metas de ação pelo Estado


brasileiro, ou seja, tais normas definem programas de ação e objetivos a serem
alcançados.

Exemplo:

Constituição Federal

Dos Princípios Fundamentais

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;

II - garantir o desenvolvimento nacional;

III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e


regionais;

IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e
quaisquer outras formas de discriminação.

Dos Direitos Sociais

Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a


moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à
infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

b) As normas de caráter institutivo são aquelas normas de eficácia limitada que


definem um direito ou prerrogativa, mas que exigem, para seu pleno efeito, que
se edite regra infraconstitucional. Art. 37, VII da CF.

Normas de Eficácia Contida:


CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS
Rodrigo Campos de Queiroz
rdgo18@hotmail.com

Essas normas são aquelas que não dependem de regulamentação para surtirem
seus efeitos, mas que, por outro lado, permitem o aparecimento de regras
infraconstitucionais que lhe reduzam o alcance. É também conhecida como norma de
eficácia restringível. São autoaplicáveis, como a eficácia plena, mas que possibilitam o
aparecimento de normas abaixo da Constituição que venham a diminuir a sua
aplicabilidade.

Exemplo:

CF. Art. 5º, XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão,
atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;

Tal regra possui duas partes: A primeira é a que estabelece a liberdade para o exercício
de qualquer trabalho, ofício ou profissão. Neste caso, a eficácia é plena. A segunda parte
estabelece que devam ser atendidas as regulamentações que a lei instituir, ou seja,
permite-se que a lei estabeleça restrições ou crie requisitos para o exercício de algum
trabalho, ofício ou profissão.

Entendimento do STF: Constitui eficácia restringível o


preceito constitucional que veda a prisão civil por dívida,
salvo a do responsável por inadimplemento voluntário e
inescusável de obrigação alimentícia e a do depositário
infiel.

Por último, apenas deve ser lembrado que os Teóricos de Direito Constitucional
determinam que as normas constitucionais de eficácia contida não podem ser
excessivamente regulamentadas, sob pena de a regra geral torna-se verdadeira exceção.