Anda di halaman 1dari 66

ADMINISTRAÇÃO E

ADMINISTRAÇÃO E GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM Enfª Anna Valéria Cremonês 2011

GERENCIAMENTO EM

ENFERMAGEM

Enfª Anna Valéria Cremonês

2011

Enfermeiro como líder e agente de mudança

A mudança é um ato ou um processo em que ocorre alteração

ou modificação de uma situação existente.

Tipos de mudanças: evolucionária (lenta e gradativa), revolucionária(abrupta e radical)

Nas organizações, as mudanças podem se processar nas

dimensões: institucional ou estrutural; tecnológica e a

comportamental ou expressiva.

A mudança no contexto das organizações pode ser planejada ou os aspectos mudados podem ser tratados após a transformação.

Uma mudança planejada contempla as seguintes etapas:

diagnóstico; implantação; acompanhamento e avaliação.

Os processos de mudanças podem ser frutos de reflexão, evidências científicas que baseiam a prática profissional.

Os processos de mudanças podem ser frutos de reflexão, evidências científicas que baseiam a prática profissional.

ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

O processo de trabalho de enfermagem particulariza-se em redes ou subprocessos que são

denominados cuidar ou assistir, administrar ou

gerenciar, supervisionar, pesquisar e ensinar. Nesse diferentes processos, os trabalhadores de enfermagem inserem-se de forma heterogênea e

hierarquizada nas organizações, expressando a

divisão técnica e social do trabalho.

inserem-se de forma heterogênea e hierarquizada nas organizações, expressando a divisão técnica e social do trabalho.

ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

A ênfase na organização ou nas necessidades de saúde orienta formas distintas de gerenciamento

operadas em enfermagem, implicando formas

diversas de organização desses trabalhos.

As formas distintas de gerenciamento, direção ou chefia envolvem os seguintes elementos

interdependentes: delegação, motivação,

liderança, supervisão, coordenação e controle.

os seguintes elementos interdependentes: delegação, motivação, liderança, supervisão, coordenação e controle.

ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Na enfermagem, os enfermeiros desempenham a função de supervisores. Desde os cuidados prestados diretamente aos pacientes até aos que chefiam divisões, serviços de enfermagem.

A supervisão é um processo educativo e contínuo, que consiste fundamentalmente em motivar e orientar os supervisionados na execução de atividades com base

em normas, a fim de manter elevada a qualidade dos

serviços prestados.(MS, 1986).

Os principais objetivos da função de supervisão são desenvolver atividades visando o aprimoramento do membros da equipe de enfermagem, manutenção de

condições necessárias a prestação de uma assistência

eficiente e eficaz.

da equipe de enfermagem, manutenção de condições necessárias a prestação de uma assistência eficiente e eficaz.

ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

A supervisão consiste em método de trabalho importante para o enfermeiro. Apresenta técnicas e instrumentos que garantem o desenvolvimento desta atividade. O supervisor pode usar a observação direta, análise de registro, entrevista, reunião, discussão em grupo entre outras técnicas que facilitarão o desenvolvimento da função supervisão. Ao utilizar o prontuário do paciente, a prescrição de enfermagem, o cronograma, manual de enfermagem, o supervisor vai poder planejar, executar e avaliar sua função; colaborando na identificação e avaliação do desenvolvimento da equipe de enfermagem, situações

de conflitos e estresse, bem como na aplicação de

medidas disciplinares.

da equipe de enfermagem, situações de conflitos e estresse, bem como na aplicação de medidas disciplinares.

ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

O enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem, cabendo-lhe praticamente, entre

outras atividades o planejamento, a organização, a

coordenação, a execução e a avaliação dos serviços

de enfermagem. Acredita-se que o planejamento é a função que possibilita ao enfermeiro exercer a

administração de enfermagem de forma global,

coerente e responsável.

Alguns instrumentos administrativos são também importantes na organização, como os fluxogramas,

organogramas, gráficos, cronogramas.

administrativos são também importantes na organização, como os fluxogramas, organogramas, gráficos, cronogramas.

PLANEJAMENTO

O

planejamento é a chave para uma gestão eficaz

nos serviços de enfermagem. É a função

administrativa que determina antecipadamente

o

que deve se fazer e quais os objetivos que

devem ser atingidos.

Fases do planejamento: conhecimento do sistema como um todo; determinação de objetivos; estabelecimento de prioridades; seleção dos recursos disponíveis; estabelecimento do plano operacional; desenvolvimento; aperfeiçoamento.

prioridades; seleção dos recursos disponíveis; estabelecimento do plano operacional; desenvolvimento; aperfeiçoamento.

Planejamento

A função administrativa do planejamento na enfermagem determina ações de enfermagem pela utilização de um método de trabalho,a fim de

atender às necessidades da clientela.

Ao usar métodos que sistematizam o raciocínio e a prática de enfermagem rompe-se o limite imposto pelo exercício profissional, muitas vezes, limitado

ao cumprimento de atividades rotineiras, e à

execução de ordens médicas, às exigências e determinações das organizações hospitalares.

Método proposto para o planejamento da

assistência de enfermagem, como o processo de

enfermagem, é função que possibilita o enfermeiro exercer a administração da assistência de enfermagem.

processo de enfermagem, é função que possibilita o enfermeiro exercer a administração da assistência de enfermagem.

PLANEJAMENTO

Planejamento estratégico: envolve a organização como um todo. É elaborado para um período de tempo maior, considerado de longo prazo, sendo sempre realizado pelos altos escalões da instituição. Ex.: plano institucional.(longo prazo). Planejamento tático: é o desdobramento do planejamento estratégico. É elaborado de maneira a estabelecer os objetivos setoriais, contribuindo assim para um melhor desempenho das atividades inerentes a cada setor. Ex:

planejamento da assistência de enfermagem.(médio prazo) Planejamento operacional: é o desdobramento do planejamento tático, cuja finalidade primordial é o estabelecimento de metas e o emprego de técnicas científicas na implementação do que foi estabelecido nos objetivos da empresa. Ex.: ação a ser implementada para

o paciente ou grupo específico. (curto prazo).

estabelecido nos objetivos da empresa. Ex.: ação a ser implementada para o paciente ou grupo específico.

Planejamento estratégico situacional (PES) É um instrumento de gestão voltado para a resolução de

problemas, no qual os atores sociais participam

efetivamente do processo.

O PES é desenvolvido por meio de quatro momentos: o explicativo, o normativo, o estratégico

e o tático-operacional.

Ex.:O Centro Dia de Convivência de Idosos Vida Feliz com

capacidade para atender 20 idosos, em cada período, teve aumento de procura por parte dos familiares de idosos que apresentam sequelas de acidente vascular encefálico (AVE).A equipe de saúde do Vida Feliz reuniu-se para planejar as ações necessárias para acolher esta demanda e optou por utilizar como instrumento a metodologia do Planejamento Estratégico Situacional (PES). Considerando o PES, está corretamente correlacionado o momento com a respectiva ação a ser

implementada pela equipe em:

Considerando o PES, está corretamente correlacionado o momento com a respectiva ação a ser implementada pela

INSTRUMENTOS UTILIZADOS NO

PLANEJAMENTO

O serviço de enfermagem utiliza algumas

ferramentas básicas relacionadas com a organização, que auxiliam no processo de decisão. São instrumentos de apoio no processo de planejamento e

controle, possibilitando ainda o levantamento de

tendências e o enriquecimento dos relatórios de enfermagem.

Cronograma: gráfico ou tabela que serve para relacionar atividade em função do tempo disponível

ou desejável. Planejamento das atividades e controle do tempo.

relacionar atividade em função do tempo disponível ou desejável. Planejamento das atividades e controle do tempo.

Gráfico de Gantt: é uma variação do cronograma

Fluxograma: é um gráfico de levantamento de rotina, representando, de forma dinâmica e descritiva, o fluxo ou a sequência de um processo, permitindo a visualização das diversas operações e os respectivos agentes executores. Gráfico de Moreno - esse tipo de gráfico permite conhecer a estrutura informal da organização. A técnica se fundamenta na obtenção de respostas de um grupo social sobre o que pensam e sentem uns dos outros. Conhecido como sociograma.

na obtenção de respostas de um grupo social sobre o que pensam e sentem uns dos

Diagrama espinha de peixe ou diagrama de ishikawa - esse gráfico é usado para identificar,

explorar e ressaltar todas as possíveis causas de

um determinado problema e seus efeitos para o serviço. Organograma - é um gráfico que representa a

estrutura formal de uma organização, permitindo

destacar quem é quem nessa estrutura.

- é um gráfico que representa a estrutura formal de uma organização, permitindo destacar quem é

ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE

ENFERMAGEM

Revendo alguns conceitos importantes:

Organização

Organização hospitalar

Serviços de Enfermagem

Revendo alguns conceitos importantes: • Organização • Organização hospitalar • Serviços de Enfermagem

ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE

ENFERMAGEM

As organizações são definidas como ordenação e

agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance de resultados estabelecidos.

A estrutura formal da organização é aquela que

está prescrita, sendo comunicada por meio de

manuais, descrições de cargos, organograma, regras e regulamentos, evidenciando as linhas hierárquicas existentes na organização

de cargos, organograma, regras e regulamentos, evidenciando as linhas hierárquicas existentes na organização

ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR

Instituição

Funções :ensino, pesquisa, restaurativa, prevenção, promoção e recuperação/reabilitação

Nível de complexidade e número de leitos

restaurativa, prevenção, promoção e recuperação/reabilitação • Nível de complexidade e número de leitos

ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE

ENFERMAGEM

O trabalho da enfermagem tem por objetivo a

promoção/proteção, recuperação/reabilitação da saúde de indivíduos e comunidades por meio de ações caracterizadas como cuidados de

enfermagem.

Essas ações são realizadas nos serviços privados , públicos, creches, escolas, entre outros.

Nestes locais, a enfermagem define sua estrutura

organizacional para atingir seu objetivo.

escolas, entre outros.  Nestes locais, a enfermagem define sua estrutura organizacional para atingir seu objetivo.

ORGANIZAÇÃO, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Para

o

enfermeiro

é

importante

a

compreensão

da

organização

e

funcionamento

suas

atribuições.

É necessário saber como se estruturam seus

espaços de trabalho, como estão distribuídas

suas atividades e qual é o seu papel na

administração.

para

dos serviços de enfermagem

conhecer

melhor

dimensão

de

a

suas atividades e qual é o seu papel na administração. para dos serviços de enfermagem conhecer

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

A estrutura organizacional deve fornecer um sistema

de trabalho eficaz, uma rede de comunicação e identidade aos indivíduos e à organização.

Considerando: a filosofia do serviço de enfermagem, seus objetivos, o volume e a complexidade das

atividades, recursos, e características desejáveis.

Alguns aspectos que caracterizam a estrutura: divisão do trabalho, especialização, hierarquia, autoridade, responsabilidade, supervisão, centralização e

descentralização, e formalização

hierarquia, autoridade, responsabilidade, supervisão, centralização e descentralização, e formalização

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS

SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

O serviço de enfermagem constitui um

grupo organizado de pessoas, com diversidade e complexidade nas atividades realizadas.

serviço de enfermagem constitui um grupo organizado de pessoas, com diversidade e complexidade nas atividades realizadas.

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

'Os serviços de enfermagem encontram-se em maior número nas organizações hospitalares.

A estrutura organizacional é a parte constituinte da estratégia da organização. O funcionamento, composição

e relação entre órgãos está presente nesta estrutura.

Quando se fala da estrutura da organização, lembra-se da estrutura planejada. Uma estrutura reconhecida oficialmente e que determina quem faz o que e onde nas

organizações. Estrutura formal hierárquica e rígida:

manuais, descrição de cargos, organogramas, regras e regulamentos

A estrutura não planejada e que emerge

espontaneamente de interações e relacionamento sociais

espontaneamente de interações e relacionamento sociais entre pessoas com posições na estrutura formal é

entre pessoas com posições na estrutura formal é conhecida como informal.

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

A estrutura organizacional tem o objetivo de atender a

três funções básicas de uma organização, que estão

relacionadas: às metas a serem atingidas, ao comportamento dos indivíduos inseridos no seu ambiente de trabalho e às relações de poder existentes.

Características da estrutura organizacional formal.

A

autoridade

equivalentes.

delegadas,

delegada.

a

responsabilidade

que

as

devem

e

ser

sejam

ser

Mesmo

decisões

não

responsabilidade

pode

delegadas, delegada. a responsabilidade que as devem e ser sejam ser Mesmo decisões não responsabilidade pode

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

A estrutura organizacional compreende quatro técnicas principais: Diferenciação, a

Formalização, a Centralização e a Integração.

Diferenciação diz respeito a divisão do trabalho Diferenciação Horizontal - divisão por departamentos ou divisões; Diferenciação Vertical - divisão a nível hierárquico; Diferenciação em Tarefas Especializadas - divisão através da criação de órgãos ou cargos

especializados.

Nos serviços de enfermagem, determina-se as atividades necessárias ao alcance dos objetivos e divide-se o trabalho.

Nos serviços de enfermagem, determina-se as atividades necessárias ao alcance dos objetivos e divide-se o trabalho.

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Formalização - que está ligada à presença de regras, instruções, normas e regulamentos que

pretendem determinar e controlar o comportamento.

Quanto maior o grau de formalização maior é o grau de burocracia, mecanicismo e de rotina.

Dos trabalhadores;

Por meio do cargo;

Por meio do fluxo do trabalho;

Por meio de regras e regulamentos.

Nos serviços de enfermagem é feita pela descrição de

cargos e funções, de normas e rotinas, de

padronização de procedimentos.

de enfermagem é feita pela descrição de cargos e funções, de normas e rotinas, de padronização

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Centralização - É uma técnica organizacional que consiste na distribuição da autoridade dentro da

organização. A forma como a autoridade é

distribuída pode caracterizar-se:

Pela centralização - as decisões são únicas e exclusivamente pelo topo da organização (um indivíduo

ou um grupo restrito de indivíduos);

Pela descentralização - as decisões são delegadas aos níveis hierárquicos mais baixos.

de indivíduos);  Pela descentralização - as decisões são delegadas aos níveis hierárquicos mais baixos.

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Integração - está relacionada aos meios utilizados para promover a coordenação entre as

atividades desenvolvidas em cada departamento,

para que todos estejam sintonizados e afinados

aos objetivos da instituição.

desenvolvidas em cada departamento, para que todos estejam sintonizados e afinados aos objetivos da instituição .

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Os vários desenhos ou estruturas organizacionais são representados por organogramas, que

representam as áreas de trabalho de uma empresa e

suas inter relações, podendo ser visualizadas mediante a utilização de símbolos, geralmente retângulos, que mostram os cargos ocupados e suas

linhas de ligação, evidenciando, assim, o grau de

subordinação entre as pessoas alocada nos diversos setores.

e suas linhas de ligação, evidenciando, assim, o grau de subordinação entre as pessoas alocada nos

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

A Posição hierárquica do serviço de enfermagem na estrutura geral da organização, rotineiramente,

está subordinada ao superintendente ou diretor,

que pode ser do grupo deliberativo da organização hospitalar ou a um serviço tecnicamente diferente. Porém essa posição pode

variar de instituição para instituição.

hospitalar ou a um serviço tecnicamente diferente. Porém essa posição pode variar de instituição para instituição.

CONSELHO

DELIBERATIVO

SUPERINTENDENTE

Departamento De Enfermagem Departamento médico Departamento de administração Posição Hierárquica do Serviço
Departamento
De Enfermagem
Departamento
médico
Departamento
de administração
Posição Hierárquica do Serviço de enfermagem

SERVIÇO DE ENFERMAGEM

Unidade

de clínica

médica

Unidade

Clínica

cirúrgica

Unidade de

tratamento

intensivo

Unidade de CC e CME

Organograma de um Serviço de enfermagem

Clínica cirúrgica Unidade de tratamento intensivo Unidade de CC e CME Organograma de um Serviço de

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS

SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Tipos de Estruturas Tradicionais e inovativa

Estrutura de Organização funcional

Estrutura de Organização linear

Estrutura de organização linha-staff(assessoria)

Estrutura matricial

– Estrutura de Organização linear – Estrutura de organização linha-staff(assessoria) – Estrutura matricial

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DE ENFERMAGEM

Estrutura da organização funcional: tem como base a “supervisão funcional”, a especialização das funções. Autoridade funcional. Linhas diretas de comunicação. Descentralização das decisões. Estrutura da organização linear: É um tipo de organização simples que tem por base a unidade de comando; O princípio da hierarquia determina os órgãos de linha.

Estrutura de organização linha-staff:tipo misto, híbrido

de organização em que os órgãos de linha

(órgãos de

execução) e os órgãos staff (de apoio) mantem relação.

Estrutura matricial: estrutura inovativa, tem por base a

departamentalização matricial.Coloca a equipe em hierarquia totalmente funcional. Possui linha de comando vertical e funcional.

matricial.Coloca a equipe em hierarquia totalmente funcional. Possui linha de comando vertical e funcional.

1.(CESPE 2004) Uma organização pode ser entendida como um grupo de

pessoas com diferentes responsabilidades, unindo esforços a fim de se

alcançar objetivos comuns, em uma complexidade de relações. Considerando a organização dos serviços de enfermagem, analise as afirmativas e marque a alternativa correta.

I.

Os meios utilizados pelas organizações para atingir eficientemente seus

objetivos incluem a definição da estrutura formal, que é a estrutura

planejada, em que se determinam as relações de autoridade e de poder.

II.

A estrutura informal das organizações representa aspectos que emergem espontaneamente de interações e relacionamentos sociais entre as pessoas, e sempre se opõem aos padrões estabelecidos na organização formal.

III.

A pirâmide de representação da autoridade é invertida, comparativamente

à pirâmide hierárquica, havendo expansão gradativa de cada nível hierárquico à medida que se desce na cadeia de comando.

IV.

Uma vez delegada a execução de uma atividade a um subordinado, a responsabilidade também é delegada, pois esta provém da relação

superior/subordinado e refere-se à obrigação que uma pessoa tem de fazer

alguma coisa para outrem.

V.

A formalização representa o uso de normas na organização, que pode ser feita nos serviços de enfermagem pela descrição de cargos e funções, de normas e rotinas, pela padronização de procedimentos e pelas escalas de

pela descrição de cargos e funções, de normas e rotinas, pela padronização de procedimentos e pelas

distribuição de pessoal.

2. (CESPE -2004) As atividades que devem ser desenvolvidas pelo elemento supervisor de enfermagem junto aos funcionários incluem

I. Avaliar a qualidade da assistência prestada.

II. Identificar as necessidades de orientação e treinamento dos funcionários.

III. Basear-se no princípio da assepsia hospitalar.

IV. Identificar as necessidades do serviço de assistência de

enfermagem.

V. Definir a estrutura administrativa da organização e do serviço de enfermagem.

de assistência de enfermagem. V. Definir a estrutura administrativa da organização e do serviço de enfermagem.

3.(cespe-2005) Assinale a opção incorreta quanto a organização de serviços de enfermagem.

I. A estrutura informal das organizações relaciona-se aos aspectos da organização que emergem espontaneamente de interações e relacionamentos sociais.

II. A distribuição de autoridade e de responsabilidade pode ser representada a partir da hierarquia da organização formal.

III. A especialização corresponde à departamentalização, que se

refere ao processo de reunir atividades para fins administrativos segundo critérios previamente determinados.

IV. À

medida

que

se

vai

do

alto

para

baixo na estrutura

hierárquica,

diminui

a

autoridade

e

aumenta a

responsabilidade.

V. A centralização permite que decisões sejam tomadas por pessoas frequentemente mais bem preparadas, que são as que

têm visão geral das organizações.

sejam tomadas por pessoas frequentemente mais bem preparadas, que são as que têm visão geral das

4. Um hospital geral que trabalha com enfermeiros especialistas ocupando cargos de supervisão em suas áreas de atuação, caracteriza que tipo de estrutura organizacional?

(A) Uma estrutura de organização matricial

(B) Estrutura de organização funcional

(C)

Estrutura de organização linear

(D)

Um organograma comum em hospitais grandes

(E)

Um organograma com organização linha-assessoria

linear (D) Um organograma comum em hospitais grandes (E) Um organograma com organização linha-assessoria

Referências

BALSANELLI, Alexandre. Liderança no contexto da enfermagem. Disponível em

http//:www.medline.com.br.Acessado em:

04/04/2011

BARTMANN, Mercilda et als. Administração na saúde e na enfermagem.Rio de Janeiro: Senac, 2009.

KURCGANT, Paulina. Administração em

Enfermagem. São Paulo:EPU,2001. KURCGANT, Paulina. Gerenciamento em Enfermagem. São Paul: Guanabara Koogan, 2007.

SANTOS, Sérgio Ribeiro. Administração aplicada à

enfermaegm. João Pessoa: Ideia, 2007.

Paul: Guanabara Koogan, 2007. SANTOS, Sérgio Ribeiro. Administração aplicada à enfermaegm. João Pessoa: Ideia, 2007.

Administração e Gerenciamento

dos Serviços de Enfermagem

Administração e Gerenciamento dos Serviços de Enfermagem

Falando de Qualidade Assistencial

As ações e as atividades de administrar os serviços de enfermagem têm por objetivo

garantir a qualidade da prestação dos

serviços. Para se atingir a qualidade é necessário avaliação da estrutura, processo e resultado, considerando os setes pilares da

qualidade, segundo Donabedian: eficácia, eficiência, efetividade, otimização, aceitabilidade, legitimidade e equidade.

Este modelo retrata que a qualidade é a

obtenção de maiores benefícios em detrimento de menores riscos.

• Este modelo retrata que a qualidade é a obtenção de maiores benefícios em detrimento de

Pilares da qualidade assistencial

Eficiência

Eficácia

Otimização

Efetividade

Equidade

Aceitabilidade

Legitimidade

 Eficiência  Eficácia  Otimização  Efetividade  Equidade  Aceitabilidade  Legitimidade

Falando de Qualidade Assistencial

No serviço de enfermagem, a gestão da qualidade da assistência volta-se para a

prática profissional embasada no corpo do conhecimento, nas habilidades, crenças e valores individuais, profissionais e

institucionais.

Instrumentos do Serviço de enfermagem na gestão da qualidade:

Comissão

de

auditoria

de

enfermagem,

CCIH,

CEP,

comissão

continuada,

usuários.

comissão

de

de

educação

avaliação

dos

auditoria de enfermagem, CCIH, CEP, comissão continuada, usuários. comissão de de educação avaliação dos

Administração de Recursos materiais e enfermagem

Administração de Recursos materiais e enfermagem

Administração de Recursos materiais e enfermagem

MELHORAR A ASSISTÊNCIA AO PACIENTE.

MELHORAR CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS

PROFISSIONAIS DA SAÚDE NA UNIDADE. GARANTIR O SUPRIMENTO DE TODAS AS ARÉAS DA ORGANIZAÇÃO, AO MENOR CUSTO POSSIVEL E DE MANEIRA QUE A PRESTAÇÃO

DE SEUS SERVIÇOS NÃO SOFRA

MENOR CUSTO POSSIVEL E DE MANEIRA QUE A PRESTAÇÃO DE SEUS SERVIÇOS NÃO SOFRA INTERRUPÇÕES PREJUDICANDO

INTERRUPÇÕES PREJUDICANDO OS CLIENTES.

Setor de almoxarifado

Setor de patrimônio

Controle mensal/ gasto mensal?: o cálculo

• Setor de almoxarifado • Setor de patrimônio • Controle mensal/ gasto mensal?: o cálculo

Administração de Recursos

materiais e enfermagem

PORTE DA UNIDADE

COMPLEXIDADE DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE

SERVIÇOS EXECUTADOS

materiais e enfermagem • PORTE DA UNIDADE • COMPLEXIDADE DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE • SERVIÇOS EXECUTADOS

Administração de Recursos

materiais e enfermagem

As atividades desenvolvidas: de previsão,

provisão, organização e controle

PREVISÃO

AQUISIÇÃO

TRANSPORTE

RECEBIMENTO

ARMAZENAMENTO

CONSERVAÇÃO

DISTRIBUIÇÃO

CONTROLE

organização e controle PREVISÃO AQUISIÇÃO TRANSPORTE RECEBIMENTO ARMAZENAMENTO CONSERVAÇÃO DISTRIBUIÇÃO CONTROLE

Administração de Recursos

materiais e enfermagem

PREVISÃO

ORGANIZAÇÃO E CONTROLE DESSES

MATERIAIS NA UNIDADE

PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE SELEÇÃO E COMPRA.

CONHECIMENTOS TÉCNICOS

E CONTROLE DESSES MATERIAIS NA UNIDADE • PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE SELEÇÃO E COMPRA. • CONHECIMENTOS

A QUALIDADE DO MATERIAL

A QUANTIDADE SATISFATORIA

USO ADEQUADO EVITANDO O DESPERDÍCIO

PROCURAR MINIMIZAR O RISCO PARA O PACIENTE

EVITAR A DESCONTINUIDADE DA

ASSISTÊNCIA

EVITANDO O DESPERDÍCIO • PROCURAR MINIMIZAR O RISCO PARA O PACIENTE • EVITAR A DESCONTINUIDADE DA

Classificação do Material

FINALIDADE

DURAÇÃO

PORTE

CUSTO

MATERIA PRIMA

Classificação do Material FINALIDADE DURAÇÃO PORTE CUSTO MATERIA PRIMA

Enfermagem e Recursos Humanos

Dimensionamento dos recursos humanos

Escalas de distribuição

Recrutamento e seleção

Avaliação de desempenho

dos recursos humanos  Escalas de distribuição  Recrutamento e seleção  Avaliação de desempenho

Enfermagem e Recursos Humanos - Recrutamento e Seleção

Recrutamento

Seleção

Treinamento & desenvolvimento

Educação continuada

Educação permanente

Avaliação de desempenho

Treinamento & desenvolvimento  Educação continuada  Educação permanente  Avaliação de desempenho

Enfermagem na equipe de saúde - Dimensionamento dos recursos humanos

Dimensionar o pessoal de enfermagem é prever a quantidade de funcionários por

categoria, requerida para atender, direta ou indiretamente, às necessidades de

assistência de enfermagem da clientela.

de

enfermagem garantia de segurança e

qualidade da assistência e continuada.

Quantitativos

de

profissionais

de enfermagem – garantia de segurança e qualidade da assistência e continuada.  Quantitativos de profissionais

Dimensionamento de Pessoal de

Enfermagem

Na realidade dos serviços de enfermagem

existem alguns métodos para cálculo de

pessoal de enfermagem:

Tradicional não considera variações como estado de saúde e tipo de assistência

necessária.

Nº de F = nº de leitos x H.A.ExDias + IST

J.T.S

Baseado na Resolução COFEN nº 293/2004

necessária. • Nº de F = nº de leitos x H.A.ExDias + IST J.T.S • Baseado

Dimensionamento de Pessoal de

Enfermagem Res. COFEN

293/2004

Caracterização da clientela assistida

SCP: sistema de classificação de pacientes

Método de escore de Schein/Rennis Likert

Compete ao enfermeiro estabelecer quadro

quantiqualitativo necessário a assistência

Likert • • Compete ao enfermeiro estabelecer quadro quantiqualitativo necessário a assistência

Dimensionamento

Para efeito de cálculo, horas de enfermagem por leito nas 24 horas:

3,8h de enfermagem por cliente assitência mínima ou autocuidado

5,6 h de enfermagem por cliente assistência

intermediária

9,4 h de enfermagem por cliente assistência semi- intensiva

17,9 h de enfermagem por cliente assistência intensiva

de enfermagem por cliente – assistência semi- intensiva • 17,9 h de enfermagem por cliente assistência

Aspectos da Resolução

Considerando: IST 15% nunca inferior.

 

Jornada semanal de trabalho: 20, 36 e 44 horas.

Distribuição dos profissionais de enfermagem:

segue o grupo de clientes de maior prevalência

Assistência mínima e intermediária: 33 a 37% de enfermeiros

Assistência

semi-intensiva:

42

a

46%

de

enfermeiros

Assistência intensiva: 52 a 56% de enfermeiros. E o restante SÓ técnicos de enfermagem

Assistência intensiva: 52 a 56% de enfermeiros. E o restante SÓ técnicos de enfermagem

Próximos Passos da Ação

QP = Km x THE (cálculo de pessoal com o coeficiente de Marinho)

Km = Ds x IST x JST

IST ≥ 15% → (1.15)

Km = constante

Fórmulas usada por Fugullin

Unidades especiais: Locais com atividades especializadas: ambulat´roio, PS, CME, CC,

hemodiálise,etc.

Fugullin • Unidades especiais: Locais com atividades especializadas: ambulat ´ roio, PS, CME, CC, hemodiálise,etc.

Em uma clínica médica com 50 leitos, distribuídos em admissões de 60% pacientes com cuidados mínimos e 40% com cuidados intermeidários. Qual será a necessidade de pessoal de enfermagem

para as 24 horas, sabendo que a taxa de

ocupação é 80% e a jornada dos profissionais é de 36 horas?

60 leitos ocupados.

24 horas, sabendo que a taxa de ocupação é 80% e a jornada dos profissionais é

COMPETÊNCIAS GERENCIAIS

liderança

Educação continuada

Tomada de decisão

COMPETÊNCIAS GERENCIAIS  liderança  Educação continuada  Tomada de decisão

Tomada de decisão na administração da assistência e do serviço de enfermagem

Tomada de decisão na administração da assistência e do serviço de enfermagem

Trabalho em equipe

Assistência integral

Enfermagem

Multiprofissional

interdisciplinar

em equipe • Assistência integral • Enfermagem • Multiprofissional • interdisciplinar

Referência

BALSANELLI, Alexandre. Liderança no contexto da enfermagem. Disponível em http//:www.medline.com.br. Acessado em:

04/04/2011

BARTMANN, Mercilda et als. Administração na saúde e na enfermagem.Rio de Janeiro: Senac,

2009.

KURCGANT, Paulina. Administração em Enfermagem. São Paulo:EPU,2001.

KURCGANT, Paulina. Gerenciamento em

Enfermagem. São Paul: Guanabara Koogan, 2007.

SANTOS, Sérgio Ribeiro. Administração aplicada à enfermaegm. João Pessoa: Ideia, 2007.

Guanabara Koogan, 2007. • SANTOS, Sérgio Ribeiro. Administração aplicada à enfermaegm. João Pessoa: Ideia, 2007.