Anda di halaman 1dari 4

EEssccoollaa SSeeccuunnddáárriiaa ddee AAllccoocchheettee

FICHA DE DIAGNÓSTICO N.º 1


Resolução

GRUPO I

1. Tem-se, pela Fórmula Fundamental da Trigonometria, que sen2 α + cos2 α=1


Opção A

2. Tem-se que

2y-x=0 ⇔ 2y=x ⇔ y=x

pelo que o declive da recta em questão é igual a .
Opção D

3. O simétrico do ponto P em relação ao eixo Oz terá abcissa e ordenada simétricas às do


ponto P. Tendo P como coordenadas (1,2,3), o ponto simétrico pretendido será aquele
cujas coordenadas serão (-1,-2,3).
Opção C

4. Uma vez que o valor da tangente de um ângulo é igual à razão dos valores de seno e co-
seno do mesmo ângulo, tem-se que
√3
  2√3
   2   √3

 1 2
2
Opção C

5. Atendendo que a definição de seno de um ângulo α indica que este valor é igual à razão
entre a medida do cateto oposto a α e a medida da hipotenusa do triângulo rectângulo,
tem-se no presente caso que


  


Opção C

GRUPO II

1.a.i. Pelo facto de as coordenadas de um vector serem iguais à diferença entre as


coordenadas do ponto de destino e o ponto de origem, tem-se que


      2; 0; 3  1; 0; 3  2  1; 0  0; 3  3  3; 0; 6
1.a.ii. Uma vez que o vector   é simétrico ao vector 
, tem-se que as suas coordenadas
deste serão simétricas às daquele, então

     3; 0; 6  3; 0; 6

ou
Pelo facto de as coordenadas de um vector serem iguais à diferença entre as coordenadas
do ponto de destino e o ponto de origem, tem-se que


      1; 0; 3  2; 0; 3  1  2; 0  0; 3  3  3; 0; 6

1.a.iii. Pelo facto de já se conhecerem as coordenadas do vector 


, tem-se que
  33; 0; 6  9; 0; 18
-3

1.b. Aplicando a definição de norma de um vector, e uma vez conhecidas as coordenadas do


vector 
, tem-se que
"  #3 $ 0 $ 6  √9 $ 0 $ 36  √45  3√5
"

1.c. Pela definição de ponto médio de um segmento de recta, tem-se que


1 $ 2 0 $ 0 3 $ 3 1
' ; ; (  ) ; 0; 0*
2 2 2 2

2. Equação vectorial da recta


As coordenadas de um vector director da recta correspondem à diferença entre os dois
pontos conhecidos da recta, pelo que serão iguais a:
3; 4  1; 2  2; 2
Tomando o ponto (3;4), a equação vectorial da recta será
+, -  3; 4 $ .2; 2, . / 0
Tomando o ponto (1;2), a equação vectorial da recta será
+, -  1; 2 $ .2; 2, . / 0

ou
Equação reduzida da recta
Atendendo à forma como é dado o declive de uma recta, tem-se que
42 2
1  1
31 2
Uma vez que se conhece o ponto (1;2) da recta, tem-se que
2  121$3 42 1$3 4 3 21 43  1
Assim, a equação reduzida da recta em causa será dada por:
- +$1

3. Pelo facto de as coordenadas de um vector serem iguais à diferença entre as coordenadas


do ponto de destino e o ponto de origem, tem-se que


      0; 3  1; 2  0  1; 3  2  1; 5
  6    5; 5  0; 3  5  0; 5  3  5; 8
6

6    6  0; 3  5; 5  0  5; 3  5;   5; 8
E tem-se
-2   6
 $ 36   21; 5 $ 35; 8  5; 8  2; 10 $ 15; 24  5; 8
 18; 42

ou
Pelo facto de as coordenadas de um vector serem iguais à diferença entre as coordenadas
do ponto de destino e o ponto de origem, tem-se que

      0; 3  1; 2  0  1; 3  2  1; 5

6  6    5; 5  0; 3  5  0; 5  3  5; 8
Uma vez que o vector 
6 é simétrico ao vector 
6 , tem-se que
2 $ 36   6  2  $ 36   6
  2
 $ 36
 $ 6
  2
 $ 46

E substituindo pelas coordenadas dos vectores, obtém-se
 $ 36
2   6  2  $ 46   21; 5 $ 45; 8  2; 10 $ 20; 32
 18; 42

4.a. Pela Fórmula Fundamental da Trigonometria tem-se que


sen2 α + cos2 α=1
Então, neste caso,
0,82+cos2 α=1 ⇔ 0,64+cos2 α=1 ⇔ cos2 α=1-0,64 ⇔ cos2 α=0,36
Pelo que
cos α=√0,36=0,6

4.b. Registando os cálculos efectuados na alínea anterior, tem-se que


cos2 α=0,36 e cos α=0,6
Sabendo que o valor da tangente de um ângulo é igual à razão dos valores de seno e co-
seno do mesmo ângulo, tem-se que
  0,8 4
   

 0,6 3
Então,
7
cos2 α + 3tg α=0,36 $ 3 2 8  0,36 $ 4  4,36

5.a. Atendendo às coordenadas do ponto G e ao facto de se pretender as coordenadas dos


vértices de um cubo, tem-se que:
Coordenadas do Ponto A são (1;-1;0)
Coordenadas do Ponto B são (1;1;0)
Coordenadas do Ponto C são (-1;1;0)
Coordenadas do Ponto D são (-1;-1;0)
Coordenadas do Ponto E são (1;-1;2)
Coordenadas do Ponto F são (1;1;2)
Coordenadas do Ponto H são (-1;-1;2)
5.b. Observando que determinar o comprimento do segmento de recta que contém dois
pontos é equivalente a calcular a distância entre esses dois pontos, tem-se que

9, :  ;1  1 $ 1  1 $ 0  2  #2 $ 2 $ 2  √12
 2√3
Portanto, o comprimento do segmento de recta que contém os pontos P e V é igual a 2√3.

5.c.i. O simétrico do ponto G em relação ao plano xOy terá cota simétrica à do ponto G.
Tendo G como coordenadas (-1,1,2), o ponto simétrico pretendido será aquele cujas
coordenadas serão (-1,1,-2).

5.c.ii. O simétrico do ponto G em relação ao plano xOz terá ordenada simétrica à do ponto G.
Tendo G como coordenadas (-1,1,2), o ponto simétrico pretendido será aquele cujas
coordenadas serão (-1,-1,2).

5.c.iii. O simétrico do ponto G em relação à recta Oy terá abcissa e cota simétricas às do


ponto G. Tendo G como coordenadas (-1,1,2), o ponto simétrico pretendido será aquele
cujas coordenadas serão (1,1,-2).

5.c.iv. O simétrico do ponto G em relação à recta Oz terá abcissa e ordenada simétricas às do


ponto G. Tendo G como coordenadas (-1,1,2), o ponto simétrico pretendido será aquele
cujas coordenadas serão (1,-1,2).

6. Considerando o facto de a equação de uma superfície esférica de centro (x1,y1,z1) e raio r


ser dada por
+  +  $ -  -  $ <  <   = 
Tem-se, neste caso, que a equação pretendida é
+  1 $ -  4 $ <  3  2
Ou seja
+  1 $ -  4 $ <  3  4