Anda di halaman 1dari 12
INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Brasília 2003

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Brasília

2003

2

) (

seja este um novo meio de instruir-me

que acrescentarei àqueles de que costumo servir-me.

(Descartes)

3

APRESENTAÇÃO

4

1. O QUE É UM TRABALHO ACADÊMICO?

5

2. ESTRUTURA GRÁFICA DO TRABALHO ACADÊMICO

5

2.1.

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

5

 

2.1.1.

Folha de rosto

5

2.1.2.

Sumário

5

2.1.3.

Lista de tabelas, figuras, quadros e gráficos

5

2.2.

ELEMENTOS TEXTUAIS

6

 

2.2.1. Introdução

6

2.2.2. Partes que compõem o desenvolvimento do trabalho

6

2.2.3. Conclusão ou considerações finais

6

2.3.

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

6

 

2.3.1. Referências bibliográficas e bibliografia

6

2.3.2. Apêndices e Anexos

8

3.

ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO

8

3.1. Citação

8

3.2. Notas de rodapé ou nota de pé de página

9

4. ASPECTOS FORMAIS E GRÁFICOS DA APRESENTAÇÃO DO TRABALHO

9

4.1.

4.2.

Tamanho das folhas e numeração Fonte, margens e Espaços

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS APÊNDICE A - ELEMENTOS ESTRUTURAIS DE UM TRABALHO DE

APÊNDICE B - MODELO DE FOLHA DE ROSTO PARA TRABALHO ACADEMICO

9

9

10

11

12

4

APRESENTAÇÃO

A proposta desse manual é fornecer orientações aos alunos das FACPLAN e do IESPLAN quanto à correta elaboração e apresentação dos trabalhos acadêmicos exigidos nas diferentes disciplinas dos cursos. A qualidade desses trabalhos dependerá de alguns requisitos que precisam ser rigorosamente seguidos, entre os quais o respeito às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Todos os elementos de um trabalho acadêmico, desde os pré-textuais até os pós – textuais, devem ser organizados e apresentados de acordo com a ABNT. Por essa razão, os estudantes universitários devem estar familiarizados com as normas dessa Instituição e efetivamente empregá-las desde seus primeiros trabalhos, por mais simples que sejam. Esse esforço constante contribuirá para que a qualidade dos trabalhos seja progressiva ao longo do curso e para que o estudante tenha cada vez mais autonomia na sua produção intelectual e saiba comunicá-la adequadamente. As orientações aqui apresentadas, embora não sejam exaustivas, fornecem os principais parâmetros para a preparação e apresentação de trabalhos acadêmicos. Sua utilização não dispensa, obviamente, a consulta a outras publicações na área. Para sua elaboração foram consideradas as normas publicadas pela ABNT em 2002 sobre trabalhos acadêmicos, citações e referências bibliográficas que estão atualmente em vigor e cuja referência completa pode ser encontrada na lista de referências apresentadas no final deste trabalho.

5

1 O que é um trabalho acadêmico?

Pode ser considerado trabalho acadêmico ou de graduação todo trabalho escrito sobre um determinado tema para cumprir requisitos de disciplinas do curso superior. A base para esses trabalhos é sempre uma pesquisa que pode ser:

- bibliográfica: feita a partir de livros, revistas, periódicos, publicações eletrônicas etc;

- documental: feita a partir de consulta e análise de leis, arquivos, registros etc;

- de campo: envolvendo questionários, entrevistas, observações diretas etc.

Os trabalhos acadêmicos devem ser sempre bem planejados e o plano do trabalho deve conter todas as etapas a serem seguidas para chegar à sua finalização. Os trabalhos acadêmicos ou de graduação devem ser escritos de forma ordenada, simples e concatenada, respeitando uma

estrutura lógica no desenvolvimento das idéias.

O primeiro passo para a elaboração de um trabalho acadêmico é a definição do seu tema.

Tema é o assunto sobre o qual o trabalho será desenvolvido. Esse tema, independente de ser escolhido pelo aluno ou determinado pelo professor, deverá ser sempre delimitado no tempo e no espaço para que o trabalho seja viável. O título do trabalho é derivado do tema e nele deve estar contido o objeto de estudo, ou seja, o tópico sobre o qual o estudante vai se aprofundar. Esse título deve conter apenas as informações essenciais para a identificação do trabalho.

2 Estrutura gráfica do trabalho acadêmico

2.1 Elementos pré-textuais

Os elementos pré-textuais obrigatórios em um trabalho acadêmico ou de graduação são: a folha de rosto e o sumário. Nesse tipo de trabalho, a inclusão de epígrafe, dedicatória e agradecimentos não é indicada.

2.1.1 Folha de rosto

É a folha que apresenta os elementos essenciais para a identificação do trabalho. Na folha de rosto (ver Apêndice A), parte absolutamente indispensável do trabalho, deve constar:

- o nome do autor na borda superior, centralizado, escrito em letra maiúscula, fonte Arial 14. No caso de haver mais de um autor a ordem alfabética deve ser respeitada;

- o título do trabalho no centro (6 espaços abaixo dos nomes) em maiúscula, negrito e fonte Arial 16;

- entre o título e o local/data, alinhado à margem direita, deve ser identificada a natureza do trabalho, a instituição de ensino, o curso e o departamento, o professor e a disciplina;

- o local e o ano devem aparecer centralizados na borda inferior da folha de rosto.

2.1.2

Sumário

O sumário é a relação das partes do trabalho e deve ser constituído por títulos, subtítulos e

seções exatamente como estão escritos no trabalho, com a indicação da página inicial após traço

pontilhado.

O sumário não deve ser confundido com índice, que é a relação detalhada dos assuntos,

nomes de pessoas, nomes de localizações geográficas etc, normalmente apresentados em ordem

alfabética. Trabalhos com menos de 10 páginas não precisam de sumário.

2.1.3 Listas de tabelas e ilustrações abreviaturas e siglas

São as relações das tabelas, ilustrações, abreviaturas e siglas contidas no texto. As listas de ilustrações (gráficos, figuras, fotografias) e de tabelas e quadros devem indicar o número de cada elemento, o título e a página onde se localizam no texto. As listas de abreviaturas, siglas e símbolos devem ser ordenadas alfabeticamente, sem constar as páginas onde aparecem no texto. A

6

apresentação dessas listas é indicada apenas para trabalhos que contenham muitos desses elementos.

2.2 Elementos textuais

Os elementos textuais de um trabalho acadêmico são: a introdução, as partes que compõem o desenvolvimento do texto e a conclusão ou considerações finais.

2.2.1 Introdução

Trata-se da parte inicial do trabalho e sua função é esclarecer o leitor sobre o conteúdo e propósito do trabalho. Na introdução, o aluno deve:

- anunciar o tema proposto;

- esclarecer, de maneira sucinta, o assunto;

- delimitar a extensão e a profundidade pretendida no enfoque do tema;

- apontar os objetivos do trabalho;

- evidenciar a relevância do assunto a ser tratado;

Essa seção pode ter um título como qualquer outro texto, pode ser identificada com o título Introdução, ou ainda pode dispensar o título.

2.2.2 Desenvolvimento do trabalho

Essa é a parte mais extensa do texto, pois contém a descrição, análise, interpretação e discussão dos fatos/idéias necessários para o desenvolvimento do tema. Nessa parte deverão ser apresentadas as citações dos diferentes autores lidos e as respectivas argumentações do aluno.

O desenvolvimento pode ser dividido em duas ou mais partes, identificadas por títulos e

subtítulos apropriados, dependendo do tema e de seu enfoque. O termo desenvolvimento não pode

nunca ser utilizado como título ou subtítulo. Fundamentalmente, constam do desenvolvimento:

- a exposição que consiste na descrição e análise das principais idéias ou fatos apresentados;

- a argumentação que consiste na defesa da validade das idéias através de argumentos e evidências racionais;

- a discussão que consiste na comparação das idéias, momento em que os argumentos apresentados deverão ser confirmados ou refutados, mediante a interpretação dos fatos ou idéias demonstrados.

2.2.3 Conclusão (ou considerações finais)

Trata-se de uma síntese interpretativa dos argumentos ou dos elementos contidos no desenvolvimento e não admite idéias, fatos ou argumentos novos. Deve ser breve, exata e concisa,

fornecendo uma visão sintética das principais idéias desenvolvidas no trabalho, como se fosse um balanço final.

A conclusão deve resultar de dedução lógica e objetiva a partir das idéias ou fatos

apresentados no desenvolvimento do trabalho. Não se trata, portanto, de simples opinião sobre o assunto, embora o aluno possa e deva expressar seu ponto de vista sobre o que apresentou e discutiu no desenvolvimento.

O título dessa parte pode ser – Conclusões - quando o conteúdo do desenvolvimento

permitir que se chegue à dedução de uma ou várias conclusões, que serão convenientemente enumeradas. Caso o trabalho não seja conclusivo, o que ocorre na maioria das vezes, aconselha-se intitular a parte final do corpo do texto como Considerações finais.

2.3 Elementos pós-textuais

São considerados elementos pós-textuais as referências bibliográficas, a bibliografia, os apêndices e os anexos do trabalho.

2.3.1. Referências bibliográficas e bibliografia

Referência bibliográfica é o conjunto padronizado de elementos descritivos (autor, título, edição, volume, data de publicação etc), retirados de uma obra (livro, revista, jornal) que permitem sua identificação.

7

As referências de todas as obras citadas no texto, de forma direta ou indireta, devem ser apresentadas no final do trabalho, organizadas em ordem alfabética. Essa seção deve ser identificada com o título Referências bibliográficas e é sempre obrigatória porque todo trabalho acadêmico é fundamentado em um levantamento bibliográfico. O trabalho acadêmico pode conter ainda uma segunda lista de referências intitulada Bibliografia, destinada a listar os autores consultados, lidos e fichados para o desenvolvimento do trabalho, mas não citados, nem direta, nem indiretamente, no texto. A lista das obras citadas (Referências bibliográficas) e consultadas (Bibliografia) deve respeitar a ordem alfabética ascendente, sendo a entrada da referência feita pelo nome do autor, seja pessoa física ou entidade coletiva (órgãos públicos, empresas, instituições). Não havendo autoria definida, a entrada deve ser feita pelo título da obra, sendo a primeira palavra escrita em letras maiúsculas. O espaço entre linhas, em cada referência, deve ser simples e o espaço entre as obras deve ser duplo. O alinhamento deve ser feito somente à esquerda. A organização dos elementos que identificam as obras depende da sua natureza. A seguir, são apresentados alguns exemplos (alguns extraídos diretamente da NBR 6023) de organização das referências bibliográficas para os tipos mais comuns de obras citadas em trabalhos acadêmicos:

Livros SOBRENOME, Nome. Título do livro: subtítulo. número da edição. ed. Local de publicação: Editora, ano. (Nome da série ou coleção se for o caso, número do exemplar). Exemplo:

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. (Temas Básicos de Educação e Ensino).

Capítulos de livros

SOBRENOME, Nomes do autor do capítulo. Título do capítulo. In: SOBRENOME, Nomes do autor do livro. Título do livro: subtítulo. número da edição. ed. Local de publicação: Editora, ano. número da página inicial – final da parte. Exemplo:

NOGUEIRA, D. P. Fadiga. In: FUNDACENTRO. Curso de médicos do trabalho. São Paulo, 1974. v.3, p. 807-

813.

Artigos de revistas SOBRENOME, Nomes. Título do artigo. Título do periódico como está na publicação, Local de publicação, v. número do volume, n. número do fascículo, p. número da página inicial - página final, mês abreviado./mês abreviado. ano.

Exemplos:

ESPOSITO, I. et al. Repercussões da fadiga psíquica no trabalho e na empresa. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 8, n. 32, p. 37-45, out./dez. 1979.

MORAIS, Jomar. Vacinas fazem bem ou mal? Super interessante, São Paulo: Abril, ano 15, n. 2, p.40-46, fev.

2001.

Artigos de jornal SOBRENOME, Nomes. Título do artigo. Nome do jornal, Local, dia mês abreviado ano. Número ou Título do caderno, seção ou suplemento, p. página inicial – página final.

Exemplos:

OLIVEIRA, W. P. de. Judô: educação física e moral. O Estado de Minas, Belo Horizonte, 17 mar. 1981. Caderno de esporte, p. 7.

SUA SAFRA, seu dinheiro. Folha de São Paulo, São Paulo, 17 ago. 1995. 2. cad. p. 9.

Material obtido via Internet SOBRENOME, Nomes. Título. (demais informações conforme o tipo de material). Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês abreviado ano.

Exemplo:

O ESTADO DE SÃO PAULO. Manual de redação e estilo. São Paulo, 1997. Disponível em:

<http://www1.estado.com.br/redac/manual.html>. Acesso em: 19 maio 1998.

8

Leis e Decretos

PAÍS, ESTADO ou MUNICÍPIO. Lei ou Decreto , número, data (dia, mês e ano). Ementa. Dados da publicação que publicou a lei ou decreto. Exemplo:

BRASIL. Decreto n. 89.271, de 4 de janeiro de 1984. Dispõe sobre documentos e procedimentos para despacho de aeronave em serviço internacional. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, v. 48, p. 3-4, jan./mar.,1. trim. 1984. Legislação Federal e marginália.

Acórdãos, Decisões, Deliberações e Sentenças das Cortes ou Tribunais

AUTOR (entidade coletiva responsável pelo documento). Nome da Corte ou Tribunal. Ementa (quando houver). Tipo e número do recurso (apelação, embargo, habeas-corpus, mandado de segurança, etc.). Partes litigantes. Nome do relator precedido da palavra "Relator". Data, precedida da palavra (acórdão ou decisão ou sentença) Dados da publicação que o publicou. Voto vencedor e vencido, quando houver. Exemplo:

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Ação Rescisória que ataca apenas um dos fundamentos do julgado rescindendo, permanecendo subsistentes ou outros aspectos não impugnados pelo autor. Ocorrência, ademais, de imprecisão na identificação e localização do imóvel objeto da demanda. Coisa julgada. Inexistência. Ação de consignação em pagamento não decidiu sobre domínio e não poderia fazê-lo, pois não é de sua índole conferir a propriedade a alguém. Alegação de violação da lei e de coisa julgada repelida. Ação rescisória julgada improcedente. Acórdão em ação rescisória n. 75- RJ. Manoel da Silva Abreu e Estado do Rio de Janeiro. Relator: Ministro Barros Monteiro. DJ, 20 nov. 1989. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, São Paulo, v.2, n. 5, jan. 1990. p.7-14.

2.3.2. Apêndices e Anexos

Apêndices e anexos são partes complementares do trabalho e contêm documentos ilustrativos do texto. Como apêndices são apresentados documentos de autoria de quem redigiu o trabalho, tais

como entrevistas, questionários, resumos e tabelas, fotografias ou qualquer outro tipo de documentos ilustrativos do texto. Documentos que não são da autoria de quem redigiu o trabalho devem ser apresentados como anexos após os apêndices, se houver. Gráficos, tabelas, estatísticas de outros autores, recortes de jornais e revistas e textos de leis são alguns exemplos de materiais que podem ser anexados ao trabalho, desde que citados no texto.

O autor do trabalho deve remeter, no corpo do texto ou em nota de rodapé, o leitor para os

apêndices e/ou anexos que são identificados com letras maiúsculas (APÊNDICE A, APÊNDICE B, ANEXO A, ANEXO B).

3 Elementos de apoio ao texto

3.1 Citação

É a menção no texto de informação proveniente do trabalho de outras pessoas (livros, artigos,

publicações eletrônicas). A função da citação é esclarecer, ilustrar ou sustentar o assunto

apresentado.

A citação é direta ou literal quando as palavras do autor são transcritas para o trabalho

literalmente, mantendo, inclusive, os erros de português, que porventura foram cometidos. Nesse caso, usa-se a palavra sic entre parênteses após o erro identificado no trecho transcrito. Essa modalidade de citação deve ser inserida no parágrafo, entre aspas, quando seu tamanho for inferior a três linhas. Quando a citação direta ultrapassar três linhas deve ser destacada em um novo parágrafo, escrito em fonte de tamanho inferior ao do texto (10 para o texto escrito em 12), espaço simples entre as linhas e com um recuo de 4 cm a partir da margem esquerda. A citação é indireta quando é redigida pelo aluno com base nas idéias de um ou mais autores consultados. Nesse caso a reprodução das idéias não é literal, não sendo necessário o uso de aspas ou outras formas de destaque, mas a identificação da fonte continua sendo obrigatória. Isso quer

9

dizer que o autor e a obra devem ser indicados não apenas quando um trecho de um livro é transcrito para o trabalho, mas também quando as idéias do autor são mencionadas com as palavras do aluno.

A transcrição direta ou indireta de um texto ao qual não se teve acesso é considerada uma

citação de citação. Nesse caso, tanto o autor da idéia ou trecho citado, quanto o autor da obra onde

se encontra essa passagem, devem ser citados. Para identificar a fonte da citação, basta o sobrenome do autor, a data da obra e a página de onde a idéia ou o trecho foi extraído, conforme exemplos a seguir:

Quando o nome do autor é mencionado no texto:

De acordo com Figueira (1984, p.74) “o homem sempre procura Castro (2001, p.51) ensina que Quando o autor não é mencionado no texto:

no “

Citação de citação Para Skinner (1975, citado por FRANÇA, 1997) “o comportamento

”.

mundo moderno” (LEVISKY, 2001, p.75).

”.

OBS.: No caso de tabelas, quadros ou ilustrações transcritos de outros autores, a fonte também deve ser identificada. Nesse caso, os elementos de identificação devem aparecer logo abaixo das tabelas, quadros ou ilustrações. Exemplo:

Fonte: Trabalho de campo, 1987; Pesquisa CNPq/ORSTOM/UFBa.

3.2 Notas de rodapé ou notas de pé de página

As notas de rodapé são de dois tipos:

notas de referência bibliográfica: apresentam as referências completas das obras citados no texto;

notas do autor: são observações e esclarecimentos que o aluno faz sobre o próprio

texto. Nos dois casos a chamada para a nota deve ser feita em algarismos arábicos sobrescritos

antes da pontuação. Exemplo: "O estilo de Fialho vale quase uma estética" 1 .

4 Aspectos formais e gráficos da apresentação do trabalho

Os trabalhos devem ser digitados e encadernados para possibilitar sua leitura (trabalhos com menos de dez páginas dispensam a encadernação). A apresentação do trabalho escrito deve obedecer aos seguintes requisitos:

4.1 Tamanho das folhas e numeração

O tamanho das folhas utilizadas em um trabalho deve ser padronizado (folha branca, formato

A4) e somente o anverso da folha deve ser utilizado. Todas as páginas a partir da folha de rosto devem ser contadas para a paginação, mas os números devem aparecer somente após a primeira página da introdução. Os números das páginas devem ser arábicos e localizados no alto da folha à direita.

4.2 Fonte, margens e Espaços

O tipo de letra a ser utilizado no trabalho acadêmico deve ser o Arial 12 e o espaço entre as

linhas deve ser 1,5 (embora a ABNT recomende 2,0) para as partes que compõem o corpo do texto.

Títulos e subtítulos são separados do texto por dois espaços duplos e devem ser escritos em negrito. Títulos sem indicação numérica (agradecimentos, lista de figuras, introdução, conclusão, referências bibliográficas) devem ser centralizados.

A

linha inicial de cada parágrafo distancia-se da margem esquerda 1,25cm.

O

tamanho das margens devem ser de 3cm para a superior e a esquerda e de 2 cm para a

inferior e a direita.

1 PIMPÃO, Álvaro J. Costa. Fialho: introdução ao estudo de sua estética. Coimbra: Coimbra Editora, 1945. p. 213.

10

Devem ser evitados títulos no final da página. Para dar o devido destaque, os mesmos deverão iniciar nova página, em maiúsculas. Minúsculas com as iniciais em maiúsculas, à esquerda, serão usadas para as partes. Títulos e subtítulos do trabalho devem corresponder, rigorosamente, aos do sumário.

Referências bibliográficas

ANDRADE, M. M

Introdução à metodologia do trabalho científico. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Apresentação de citações em documentos, NBR 10520. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências, NBR 6023. Rio de Janeiro,

2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Trabalhos acadêmicos, NBR 14724. Rio de Janeiro, 2002.

LAKATOS, E.M., MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 3.ed. São Paulo:

Atlas, 1991.

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamento, resumos e resenhas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1997.

REIS, Linda G. Orientações metodológicas para apresentação de trabalhos de graduação. Trabalho em construção.

SALOMON, Délcio Vieira. Como Fazer uma monografia: elementos de metodologia do trabalho científico. 5 ed. Belo horizonte: Interlivros, 1977.

11

APÊNDICE

A

-

Elementos

estruturais

de

um

trabalho

de

graduação.

Elementos ANEXO(S) Pós-textuais REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CONCLUSÃO DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO SUMÁRIO
Elementos
ANEXO(S)
Pós-textuais
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS
CONCLUSÃO
DESENVOLVIMENTO
INTRODUÇÃO
SUMÁRIO
FOLHA
DE ROSTO

Elementos Textuais

Elementos

Pré-textuais

12

APÊNDICE

B

-

Modelo

de

folha

de

rosto

para

trabalho

acadêmico.

CASTRO ALVES GLOBALIZAÇÃO : UMA FORMA DE COLONIALISMO MODERNO Trabalho de graduação apresentado à disciplina
CASTRO ALVES
GLOBALIZAÇÃO : UMA FORMA DE
COLONIALISMO MODERNO
Trabalho
de
graduação
apresentado à disciplina
Metodologia da
Pesquisa, ministrada pela (o) Prof
(a)
Fulano de Tal do curso de XXXXX da
Faculdade YYYY
Brasília,
2003