Anda di halaman 1dari 4

GMKT, GFE, GCOMEX, GRH----------------------------------------------------------------2008

ECONOMIA E MERCADO - 1O. MÓDULO


AULA 02

CURVA DE POSSIBILIDADE DE PRODUÇÃO (CPP)

A economia deve lidar com ESCOLHAS.

A CPP é um conceito teórico que ilustra como a limitação de recursos leva à necessidade da
sociedade fazer escolhas entre diferentes alternativas de produção.

O problema da escolha é enfrentado pelo governo, famílias e empresas.


- O governo quando decide entre construir mais colégios ou comprar mais
helicópteros para a polícia.
- As famílias quando decidem comprar mais brinquedos para seus filhos ou uma
lavadora nova.
- As empresas quando decidem entre gastar mais em publicidade ou renovar o
maquinário da fábrica.

Exemplo clássico para montagem do modelo:

Alternativas de Produção A B C D E F
Manteiga (mil toneladas) 0 3 6 8 9 10
Canhões (mil unidades) 15 14 12 10 7 0

CPP MANTEIGA/CANHÕES

12
MANTEIGA (MIL TON)

10
8
6
4
2
0
0 5 10 15 20
CANHÕES (MIL UNID)

A CPP representa o limite máximo de produção com os recursos que a sociedade dispõe.
Reflete as opções que se oferecem à sociedade e a necessidade de se escolher entre elas.
Se todos os recursos disponíveis estão sendo utilizados para a produção de bens e serviços,
a economia está atuando sobre a fronteira de possibilidades de produção.
Dada a escassez de recursos a sociedade deve decidir em qual ponto da curva irá produzir.

Profa. Paula Silveira do Valle--------------------------------------------------------------------- 1


GMKT, GFE, GCOMEX, GRH----------------------------------------------------------------2008
ECONOMIA E MERCADO - 1O. MÓDULO
AULA 02

- Pontos além da fronteira não podem ser atingidos com os recursos disponíveis.
- Em pontos internos à curva a economia não está empregando todos os recursos
disponíveis (não há pleno emprego)

CUSTO DE OPORTUNIDADE:

Uma economia em situação de pleno emprego deve sempre, ao produzir um bem, desistir
de produzir um tanto de outro bem.
Esta escolha entre produzir uma unidade a mais de um determinado bem, acarretando a
diminuição da produção de outro, significa que o custo de obter mais unidades de um é
deixar de produzir algumas unidades do outro.
A este custo chamamos custo de oportunidade = grau de sacrifício que se faz ao optar pela
produção de um bem, em termos da produção alternativa sacrificada.
É o sacrifício de se transferir recursos de uma atividade para outra.
É qualquer coisa de que se tenha que abrir mão para obter algum item.

Ex: Passar de B C significa um custo de oportunidade de 2000 canhões


Passar de C  B significa um custo de oportunidade de 3000 ton de manteiga

Na economia, dada a escassez de recursos, tudo tem um custo, mesmo que não
represente dispêndio financeiro.

ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA

Dadas as limitações de recursos produtivos e tecnológicos, as nações procuram se organizar


para resolver os problemas econômicos fundamentais (o que e quanto, como e para quem)

Economias de Mercado (ou descentralizadas = capitalistas)


Economias Planificadas (ou centralizadas = socialistas)

Economias de Mercado:

Economia baseada na troca de bens e serviços, assim como de fatores de produção.

As economias de mercado são analisadas como:

• Sistemas de concorrência pura (sem a interferência do governo)


• Sistemas de mercado misto ( com interferência governamental)

Profa. Paula Silveira do Valle--------------------------------------------------------------------- 2


GMKT, GFE, GCOMEX, GRH----------------------------------------------------------------2008
ECONOMIA E MERCADO - 1O. MÓDULO
AULA 02

SISTEMA DE CONCORRÊNCIA PURA:

No sistema de concorrência pura, predomina o laissez-faire: produtores e consumidores


resolvem os problemas econômicos fundamentais (o que e quanto, como e para quem)
como que guiados por uma mão invisível, sem a necessidade de intervenção do estado.

FLUXO CIRCULAR DE RENDA NO SISTEMA DE CONCORRÊNCIA PURA

MERCADO DE BENS
E SERVIÇOS
FLUXO MONETÁRIO
FLUXO DE PRODUTOS
Demanda de Bens e Serviços O QUE Oferta de bens e serviços
E QUANTO
PRODUZIR

COMO CONSUMIDORES DE BENS E SERVIÇOS COMO VENDEDORES DE BENS E SERVIÇOS


FAMÍLIAS COMO PRODUZIR EMPRESAS
COMO PROPRIETÁRIOS DOS FATORES DE PRODUÇÃO COMO COMPRADORES DOS FATORES DE PRUDUÇÃO

PARA QUEM
PRODUZIR
Oferta de Serviços dos Fatores Demanda dos Serviços dos Fatores

MERCADO DE FATORES
DE PRODUÇÃO

QUAIS  decidido pela procura dos consumidores no mercado. O dinheiro pago ao


vendedor será redistribuído em forma de renda como salários.
QUANTO determina-se pela atuação dos consumidores e dos produtores no mercado
com ajustamentos dado pelo sistema de preço.
COMO determinado pela concorrência entre os produtores. O método de fabricação
eficiente ou mais barato deslocará o ineficiente e o mais caro, o objetivo do produtor será
sempre maximizar lucros.
PARA QUEM determina-se pela oferta e procura no mercado de serviços por salários,
juros, aluguéis e lucros, que em conjunto formam a renda relativa a cada serviço. A
produção destina-se a quem tem renda para pagar, o preço é instrumento de exclusão.

Se houver excesso de oferta – formam-se os estoques nas empresas, que serão obrigadas a
diminuir preços para escoar a produção até que se atinja um preço no qual os estoques
estejam satisfatórios. Existirá concorrência entre as empresas para vender os bens aos
escassos consumidores (escassez de demanda)

Profa. Paula Silveira do Valle--------------------------------------------------------------------- 3


GMKT, GFE, GCOMEX, GRH----------------------------------------------------------------2008
ECONOMIA E MERCADO - 1O. MÓDULO
AULA 02

Se houver excesso de demanda – haverão filas, com concorrência entre consumidores


pelos escassos bens disponíveis (escassez de oferta). O preço tenderá a subir até que se
atinja um nível de equilíbrio em que as filas não mais existirão.

IMPERFEIÇÕES DO MODELO:

a) trata-se de uma grande simplificação da realidade;


b) os preços nem sempre flutuam livremente por conta de:
i. força dos sindicatos sobre a formação de salários
ii. poder dos monopólios e oligopólios sobre a formação de preços
iii. intervenção do governo via:
1. imposto, subsídios, tarifas e preços públicos (água, energia
elétrica etc)
2. política salarial
3. fixação de preços mínimos
4. congelamento e tabelamento de preços
5. política cambial

c) O mercado sozinho não promove perfeita alocação de recursos. O Estado precisa


promover a infra estrutura básica, como estradas, telefonia, siderurgia, portos etc,
que exigem grandes investimentos de longo prazo, afastando o setor privado.
d) O mercado sozinho não promove a perfeita distribuição de renda, pois a
preocupação das empresas é a maximização dos lucros e não questões distributivas.

DIVISÃO DIDÁTICA DO ESTUDO DA CIÊNCIA ECONÔMICA:

- MICROECONOMIA: estuda o comportamento de consumidores e produtores e o


mercado no qual interagem. Preocupa-se com a determinação dos preços e
quantidades em mercados específicos.
- MACROECONOMIA: estuda a determinação e o comportamento dos grandes
agregados econômicos, como PIB, consumo nacional, nível geral de preços etc.
Tem um enfoque conjuntural, preocupando-se com a resolução de questões como
inflação e desemprego.
- DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: estuda modelos de desenvolvimento
que levem à elevação do bem-estar da coletividade. Trata de questões de longo
prazo: crescimento da renda, distribuição da renda, evolução tecnológica etc.
- ECONOMIA INTERNACIONAL: estuda as relações de troca entre países, trata
das relações financeiras internacionais.

Profa. Paula Silveira do Valle--------------------------------------------------------------------- 4