Anda di halaman 1dari 64

C a R t i L H a

do

C ódigo

de

p ostu R a s

Respeito poR BH. Nossa Cidade MeReCe.
Respeito poR BH. Nossa Cidade MeReCe.

1ª ediÇÃo - aBRiL/2011

C a R t i L H a

do

C ódigo

de

p ostu R a s

Respeito poR BH. Nossa Cidade MeReCe.
Respeito poR BH. Nossa Cidade MeReCe.

BELO HORIZONTE, ABRIL DE 2011 1ª EDIÇÃO

Prefeito de Belo Horizonte:

Marcio Lacerda

poR BH. Nossa Cidade MeReCe. BELO HORIZONTE, ABRIL DE 2011 1ª EDIÇÃO Prefeito de Belo Horizonte:

suMáRio:

1 CoNsideRaÇÕes iNiCiais

5

2 LogRadouRo pÚBLiCo

8

2.1 O PEDESTRE E SEU LOCAL NO PASSEIO

8

2.2 O MOBILIÁRIO URBANO

10

2.3 INSTALAÇÃO DE CAÇAMBAS NO LOGRADOURO PÚBLICO

12

2.4 INSTALAÇÃO DE FAIXAS E DEMAIS PUBLICIDADES NO LOGRADOURO PÚBLICO

15

2.5 O EXERCÍCIO DE ATIVIDADE NO LOGRADOURO PÚBLICO

16

2.6 CONSTRUÇÃO DO PASSEIO

17

2.6.1

Construindo seu passeio de forma correta

17

2.7 O LOTE VAGO

22

2.7.1

Fechamento de lotes

22

3 pRopRiedade pRiVada

24

3.1 EXERCENDO SUA ATIVIDADE SEM SER PENALIZADO

24

3.2 O ALVARÁ DE LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO

25

3.2.1 O Alvará de Localização e a escolha do imóvel

25

3.2.2 O Empreendedor Individual

25

3.2.3 Alvará via internet

26

3.2.4 O exercício de atividade em residências

26

3.2.5 Validade do Alvará

26

3.3 CONDIÇÕES PARA A INSTALAÇÃO DO ENGENHO DE PUBLICIDADE EM SEU ESTABELECIMENTO

26

3.3.1 Engenho de publicidade instalado no afastamento frontal

29

3.3.2 Engenho de publicidade instalado na fachada frontal das edificações, em paralelo

32

3.3.3 Engenho de publicidade instalado na fachada, em posição perpendicular ou oblíqua

34

3.3.4 Engenho de publicidade instalado no toldo

36

3.4 ENGENHO DE PUBLICIDADE INSTALADO NA TELA PROTETORA DE EDIFICAÇÃO EM OBRAS

37

3.5 OUTRAS PUBLICIDADES

39

3.5.1 Engenho de publicidade na empena cega de edificações

39

3.5.2 Engenho de publicidade no terreno ou lote vago parcelado

41

3.5.3 Engenho de publicidade no terreno não parcelado

41

3.5.4 Engenho de publicidade no imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos

42

3.5.5 Engenho de publicidade na área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais

43

3.6 INSTALAÇÃO DE TOLDO

44

3.7 INSTALAÇÃO DE MESAS E CADEIRAS

47

3.8 ESTACIONAMENTO NO AFASTAMENTO FRONTAL

51

3.9 ELEVADORES E DEMAIS APARELHOS DE TRANSPORTE

53

3.10

A OBRA E SUA INTERFERÊNCIA NO LOGRADOURO PÚBLICO

54

3.10.1 Tapume de obras

54

3.10.2 Barracão de obra

55

3.10.3 Tela protetora

55

3.10.4 Descarga de material de construção

55

3.10.5 Movimento de terra e entulho

56

4 oNde eNCoNtRaR o seRViÇo Que VoCÊ pReCisa e outRas oRieNtaÇÕes

57

4.1 ONDE SOLICITAR ALGUNS SERVIÇOS

57

4.2 SAC SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO DAS REGIONAIS

58

4.3 UNIDADES DE RECICLAGEM DE ENTULHO DE CONSTRUÇÃO

58

4.4 UNIDADES DE RECEBIMENTO DE PEqUENOS VOLUMES

59

1 CoNsideRaÇÕes iNiCiais

Para o melhor entendimento desta cartilha, inicialmente precisamos compreender alguns termos utilizados, como:

a) logradouro público é:

- o conjunto formado pelo passeio e pela via pública, no caso da avenida, rua e alameda;

- a passagem de uso exclusivo de pedestre e, excepcionalmente, de ciclista;

-

a praça;

-

o quarteirão fechado.

b) via pública é:

- o conjunto formado pela pista de rolamento;

- pelo acostamento;

- pelas faixas de estacionamento, ilha e canteiro central, se existentes.

Logradouro Público Via Pública Edificação Afastamento Frontal Passeio Acostamento Pista de Rolamento Canteiro
Logradouro Público
Via Pública
Edificação
Afastamento Frontal
Passeio
Acostamento
Pista de Rolamento
Canteiro Central
Pista de Rolamento
Acostamento
Passeio

FIGURA 1 – Definição dos termos do logradouro

Vista supeRioR

c) afastamento frontal mínimo é a menor distância entre a edificação e o alinhamento do lote permitida pela Lei de Parcelamento, Ocupação e Uso do Solo;

d) afastamento frontal é a distância entre o alinhamento do lote ou terreno e a edificação;

CaRtiLHa do Código de postuRas

5
5

e) afastamento lateral é a distância entre a divisa lateral do lote ou terreno e a edificação;

f) alinhamento é o limite divisório entre o lote ou terreno e o logradouro público;

g) comprimento da fachada do estabelecimento é a medida da projeção da fachada frontal do estabelecimento sobre o alinhamento do lote;

h) testada do lote ou terreno é a medida da linha divisória entre o lote ou terreno e o logradouro público;

Passeio Testada Lote 15 Lote 14 Afastamento Frontal Divisas do Lote Afastamento Frontal Alinhamento Mínimo
Passeio
Testada
Lote 15
Lote 14
Afastamento Frontal
Divisas do Lote
Afastamento Frontal
Alinhamento
Mínimo
Afastamento
Lateral
Lote 01
Lote 02
Passeio
Vista supeRioR
Comprimento da Fachada

FIGURA 2 – Definição dos termos dos imóveis

i) fachada é qualquer uma das faces externas da edificação;

j) fachada frontal é face externa da edificação voltada para o logradouro público;

k) publicidade é a mensagem veiculada por qualquer meio, forma e material, cuja finalidade seja a de promover ou identificar produtos, empresas, serviços, empreendimentos, profissionais, pessoas, coisas ou ideias de qualquer espécie;

CaRtiLHa do Código de postuRas

6
6

l) engenho de publicidade é todo e qualquer dispositivo ou equipamento utilizado com o fim de veicular publicidade, tais como tabuleta, cartaz, letreiro, totem, poliedro, painel, placa, faixa, pintura, banner, adesivos, bandeira, estandarte, balão ou pipa, bem como outros mecanismos que se enquadrem nestas definições, independentemente da denominação dada.

O logradouro público pode ser utilizado para:

a) trânsito de pedestre e de veículo;

b) estacionamento de veículo na via pública;

c) operação de carga e descarga;

d) passeata e manifestação popular;

e) instalação de mobiliário urbano, dependendo de licenciamento prévio;

f) execução de obra ou serviço, dependendo de licenciamento prévio;

g) exercício de atividade, dependendo de licenciamento prévio;

h) instalação de engenho de publicidade, dependendo de licenciamento prévio;

i) eventos, dependendo de licenciamento prévio; e

j) atividades de lazer.

Em todo o Código de Posturas, encontramos citações à classificação das vias, principalmente quando o assunto é a instalação de mesas e cadeiras e publicidade. É importante notar que as vias de ligação regional e as arteriais possuem o afastamento frontal mínimo caracterizado como extensão do passeio. Logo, o uso sempre será condicionado ao licenciamento ou proibido. Essas vias são classificadas conforme segue:

a) via local – caracteriza-se pelo baixo volume de tráfego, com função de possibilitar o acesso direto às edificações;

b) via arterial – caracteriza-se pelo significativo volume de tráfego e é utilizada nos deslocamentos urbanos de maior distância, com acesso às vias lindeiras (que com ela fazem limite) devidamente sinalizado;

c) via de ligação regional – possui a função de fazer a ligação com municípios vizinhos, com acesso às vias lindeiras devidamente sinalizado;

d) via coletora – possui a função de permitir a circulação de veículos entre as vias arteriais ou de ligação regional e as vias locais.

Sempre que for necessário saber a classificação viária, devemos recorrer ao site da Prefeitura

e localizar o mapa da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo, Lei 7.166/96. Nos mapas encontraremos a descrição do zoneamento, das ADEs – Áreas de Diretrizes Especiais e a Hierarquização do Sistema Viário, conforme exemplo que segue.

CaRtiLHa do Código de postuRas

7
7
ES L COPO 086032 086032 RUA 098662 112201 R. NEGAGIL DE CARVALHO R. DA 7809500
ES
L
COPO
086032
086032
RUA
098662
112201
R.
NEGAGIL
DE CARVALHO
R.
DA
7809500
1
124425
124440
8769
CHEFLERA
124500
3780
3358
2474
LEOPOLDO
3373
RASO
2420
9483
3345
RUA IZABEL RASO
RUA BOTO
2433
6951
056128
124513
4653
124526
124526
3386
1093
098606
056156
RUA
2418
DO
8349
8409
M.
JULIANA
8815
8802
DEMAIS
2405
300378
098404
P.
8830
124481
DE
SAUDADE
086449
RUA JOAO
6255
056014
8336
8276
8392
2399
10006
6302
AMOR
4164
098520
8830
8770
124479
DE
RUA
6242
8235
128832
JOSE
300627
3521
SALVIA
ETELVINA
8223
8263
8380
FUCSIA
IPANEMA
7210
2070
300370
303057
6268
4666
6296
PASSARIM
1052
8783
8783
8222
8250
8310
7222
S/N
3521
CARNEIRO
12445
3
PCA.
R.10
11282
120061
131093
11009
8377
8411
8639
7809000
1011
7235
8720
3521
10932
8248
8308
RUA 9
11270
124438
R. MEDITACAO
8720
11295
466
10932
100624
5170
10920
074339
RUA
RUA
RUA DOS TOUREIROS
8291
100930
11254
11267
10844
MARTINS
11254
8364
D.SOUSA
453
R.ANTONIO S
8626
COSTA
092565
RUA
6315
100624
479
1037
8289
JOSE FERREIRA
CANCAO
MACHADO
10973
DA CRUZ
6315
RUA
R.
026469
ANTONIO
RUA
DESAFINADO
440
10945
CARVALHO
082680
110679
5170
481
QUINTIL
096897
3130
8843
DE
6201
122877 2 RUA E
438
9326
110612 RUA CINQUENTA E DOIS
494
SEM
PAZ
11544
6195
CLEMENTE
7248
RUA LUIZA
11557
JOAQUIM
018390
9339
DINIZ FERREIRA
7018
11301
FERREIRA
6429
500
6706
056811
RUA
7250
GERALDO FERREIRA ALEXANDRE
6126
RUA
6139
8351
6227
4912
6141
LUIZ
3096
ZEVEDO
3298
MARTINS
RUA ONZE
DE SENA MARIA
6043
554
098445
RONALDO FELIPE MARGARIDA
RUA
DA CRUZ
RUA
BERNARDO FERREIRA
070413
4089
MARI A
056055
EST VELHA PARA
7808500
4076
GAROTA
5886
098505
113610
4050
RUA
9861
RUA
PEROBA
074300
BAPTISTA
086423
086754
E
ANTONIO
3298
021931
RUA
FERREIRA
526
079042 RUA
UA
11040
10034
ADOR
DA CRUZ
4209
464
B
RUA
9833
RUA
DOURADA
11052
RUA
LOPES
086335
113651
DAS GABIROBAS
9861
RUA TRES
030375
9846
9861
RUA
4048
300625
103562
5283
R.WALTER
10047
083438
RUA
SANTA LUZIA
082611
MARIA DAS
DORES
5873
300626
032620
PROFESSOR
RUA
011578
5296
RUA
R.DOS
9732
9861
DA FONSECA
RUA S/N
TIPUANA
082640
CANAVIAIS
ALPINEA
RUA
R.ALBERTO G.
RUA
300625
R.4
R.INCA
4180
7563
3083
GERALDO
DE ABREU
F.
LUIZ FRANZEN DE
103506
VENDA NOVA
CHEGA
3449
5810
RUA B
8351
RUA JOSE
ARMANDO
DA
086408
302805
MARIZE
098486
R.
RUA
VDP S/N
CAMARGOS
4278
302350
3070
086801
VDP 3
WAGNER
RUA
ALVARO
RUA
078963 GERALDO
074326
RUA
DO AVIAO
RUA
110537
SOUZA
9861
6094
LUIZ
082800
ARDISIA
SERAFIM
6113
RUA
RUA
4035
057221
TOURADAS
BRANDAO
056143
SAMBA
RUA
9672
014220
127971
3622
1
7778
6100
LAURA
082680
CHEFLERA
7944
9672
DAS
RUA DA GALERIA
PAPIRO
RUA
RUA
R.
3203
066866
4570
082611
096897
302898
7198
R.
3360
100665
LILIUM
RUA
RUA
DOUTOR
8005
109988
RUA
082725
098404
7808000
092666
124494
TANGERINAS
2529
DOS
046748 RUA DOS
7097
RUA
IGNACIO PONTES
RUA
6079
RUA
MORANGOS
NOME
124513
R.ALICE
124481
RUA
RUA DOMINGOS GROSSO
7071
7084
DE SOUZA
PERRI
6081
RUA DAS
DOS
DAS
4010
4492
6066
036532
071923 RUA
DAS VIDEIRAS
RUA DOS
SENNA
7995
RUA
302731
124479
TRIN.AIRTON
AVENIDA
107116
124453
034593
3418
022597
R.DAS
9786
022597
RUA
1917
7160
026497
R.MARIA
CAMPO
066866
JABOTICABERAS
131040 M.
RUA
110653
302856
4159
9874
8005
3433
044682
4578
ALEGRE
7185
INHAMBUS
7172
6558
074300
6777
010751
070514
7116
FLORAMAR
QUINANTE
PINTO
ARAUJO
PRACA
RUA TRES
7103
015364
2009
6403
2907
2819
066866
7157
RUA
RUA
100895
2821
098329
2989
098385
101050
2834
7129
DE
CINCO
6780
R.
2847
VILA CLÓRIS
2862
2850
MACON RIBEIRO
2875
4161
DE
2888
6599
6457
6397
MARME LOS
DAMASCENO
RUA
070514
7131
RUA
R.CELSO
057234
ROSA
2759
2774
RUA
BONFIM
NOVE
RUA MALVA
BERNARDO
011578 RUA
6545
2316
4565
4187
6573
UM
2890
6328
100753
2976
2415
TANGERINAS
DOS
1831
CONCEICAO DE FREITAS
7144
2230
ACALIFA
2787
1986
4086
SILVEIRA
3446
1829
F.
072390 RUA
6371
R.
2329
1898
DOS
WALTER
300401
7807500
MAJOR
PROFESSORA
030450
C.
609600
610200
610800
611400
RUA
DA CRUZ
056156
130019
QUARENTA E SEIS
MO
R.
RUA VICENTE
DE DEUS
300403
MESQUITA
302626
MARIA
098360
VILARINHO
100914
RUA
300370
VICENTINA
GAIVOTAS
027723 RUA
098344
RUA PASTORES
100970
ALVES
SOLANUM
RUA LUIZ
DE
DR.FABIO
R.
RUA
CALIANDRA
PROF.
RUA DAS
FONSECA
075331
RUA
BUENO
086492
100955
RUA MARIA
FAISOES
RUA CASTANHOLAS
GABRIELA VARELA
120289
CLAUDINOR
100508
RUBENS
070413
086492
079979
VDP
SEM NOME
RUA
300858
069360
101075
FILHO
CARVALHO
QUINANGA
057221
010635
100826
086666
RUA ARTHUR
GUELLI
300404
GAIVOTAS
JESUS
100738
DOS
SEB. C.
DE SALES
BERNARDES
030450
RUA
DAS
RUA
R.SERA-
PRINCESA
131080 AVENIDA "A"
300629
4
RUA DOIS
030450
300628
030450
057234
051165
DA
055963 RU
092640
LIMA
010588 RUA UM
069587
RUA
ALEGRE
100523
HUMBERTO LAVALLE
098329
RUA
MARIA
VARINI
A.
100640
EXP.
R.BRINCO
RUA
F.
MERCURIO
057219
RUA
QUIMO
JORN. ACHILLES
VDP 2
SANTA
RUA
RAMOS
LEITE
026497
086310
018652
005133
010749
RUA
FIM LA-
DE
EST. 040219
RUA QUATRO
VDP 1
LAGOA
R.1
UM
MACHADO
PEDRO
018652
AVE
CRISTIANO
300372
047523
110679
REIS
JAQUEIRAS
IUCA
036980
RUA
131078
LUIZA
109988
RUA DAS
M
010691
098284
RUA NETUNO
" B "
DE
085506
071498
RUA JOSE HONORATO
053549 RUA
051165
130021
071498
CASCALHEIRA
RUA VENUS
AVE
110511
SEM NOME
ESTRELA
DOS PESSEGUEIROS
302806
RUA
044682
044929
064123
109988
RUA
064123
PACCO
042296
100870
124500
MAMOEIROS
001057
086310
ESTRELA
RUA
130019
SESSENTA
NTE
082800
001753
RUA TRES
MOURA
100901
RUA
ALBATROZ
M. DE CASTRO
RUA
071000
RUA
URANO
113361
SATURNO
071000
CAMPO
DOS
029211
082794
RUA DAS
082766
RUA
117665
MERCURIO
DAS MACIEIRAS
RUA DAS MELANCIAS
RUA
086290
120291
TAMARIX
FRAGATAS
DOM
I
AVE
PEDRO
048337
082740
ASSUNCAO
DE
085506
071170
034984
044929
RUA
R.DOS URUTAUS
064974 RUA DAS
MARTE
VERDE
BARRETO
BRILHANTINA
051657
PADRE
PEDRO
TOUROS
RUA
025352 RUA DAS EMAS
JOSE
082781
R. SEIS
082779
RUA
IPE
112268
MAURITIA
124500
300401
RUA
045382 MELOES
RUA
DOS
ROD
R.DAS AVELAS
AUXILIADORA
GOMES
042170
098269
RUA
RUA DOS MACARICOS
042599 RUA DAS MARITACAS
062459 AVE DOUTOR
080212 RUA
O.
RUA
052978 JUNIOR
103521
ACHILLES
AVENIDA
RUA SEM NOME
036558
CAJUEIROS
RUA DOS JACAMINS
014273 RUA DAS
ROSA
SIRIEMA S
R.
PREFEITO
RUA ANTONIO ALVES
CRISTIANO GUIMARAES
CATORRITAS 014273
110638
FERREIRA
098303 RUA CISSUS
RUA
RUA JOSE LEAL DOMINGUES
080414
062459
DE
110593
SILVA
DA
NAVARRO
RUA
302626
092640
JOSE
DE MIRANDA
PASTOR
STELLA
ACESSO
302805ACS
095535 RUA JUCA
CORREA
RUA 120276
MORAES
DOIS
R.
PINTO
AMEIXEI.
SOUZA
RUA
036863
RUA DOS
JAMBOS
100680
131078
G.
RUA
092666
R.DAS
055935
MARGARIDA
RUA
018740
BUGANVILIA
AMERICO
RUA JASMIM
COSTA
RODRIGUES
086310
RUA
100549
PERAS
EFIGENIA
MARIA
ESTRELA
RUA
006961 RUA DAS AVELAS
R.ESTRELA
DAS
053319
001753
MALIBU
302214
CALIANDRA
026402
RUA
082800
RUA
NORMA
051165
086250
068470
MARCIANA
015364
038916
CARNEIRO
053740
CASSIA
082665
RUA
GRECO
RUA 2
ROD
PREFEITO
RUA
019539
IMPERIAL
RUA
PACCO
RUA
130019
EST VELHA
RUA DEZ
110552
GIANETTI
010824
RUA
RUA
11057
8
RUA
RUA DOS
PINGUINS
100901
019050
SEM NOME
SALV IA
300403
079519 RUA
051165
"53"
DINDI
DA PRAIA
TEREZA
RUA
124466
303038
RUA
DE
AGUAS
NOME
124412
MARCO
124412
078862
VDP
RUA
SEM

FIGURA 3 - Mapa da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo Fonte: Lei 7.166/96

ZONEAMENTO ZA ZHIP ZP-1 ZE ZAP ZCBH ZP-2 Z E ZAR-1 ZCBA ZP-3 ZE ZAR-2
ZONEAMENTO
ZA
ZHIP
ZP-1
ZE
ZAP
ZCBH
ZP-2
Z
E
ZAR-1
ZCBA
ZP-3
ZE
ZAR-2
ZCVN
ZPAM
HIERARQUIZAÇÃO DO
SISTEMA VIÁRIO
Via de Ligação Regional
Via Arterial
Via Coletora
Via Local
ÁREAS DE DIRETRIZES
ESPECIAI S - ADEs
1 Interesse Ambiental
9 Savassi
2 Bacia da Pampulha
10 Venda Nova
3 Pampulha
11 Santa Tereza/Serra
4 Estoril
12 Lagoinha
5 Mangabeiras/Belvedere
13 Residencial Central
6 Belvedere III
14 Vale do Arrudas
7 São Bento
15 Hospitalar
8 Cidade Jardim
16 Trevo

Uma inovação introduzida em 2010 foi a qualificação das vias como:

a) VR – Vias preferencialmente residenciais;

b) VM – Vias de caráter misto;

c) VNR - Vias preferencialmente não residenciais.

2 LogRadouRo pÚBLiCo

2.1 O pedestre e seu local no passeio

A

faixa reservada ao trânsito de pedestres deverá ter largura igual ou superior a 1,50 m (um metro

e

cinquenta centímetros) ou, no caso de passeio com medida inferior a 2,00 m (dois metros), a

75% (setenta e cinco por cento) da largura desse passeio, restando 25% (vinte e cinco por cento) para a instalação de mobiliário urbano, exceto se houver disposição em contrário. Normalmente, essa disposição em contrário ocorre na aprovação do projeto do loteamento, quando pode ficar definido que uma determinada parte do passeio será área verde e que não será permitida a instalação de alguns tipos de mobiliários, como uma banca de jornal. O exemplo mais típico talvez seja o passeio da Orla da Lagoa da Pampulha, que é uma área verde. Alí, além de lixeiras, bancos e placas de trânsito, quase nenhum outro mobiliário é encontrado.

CaRtiLHa do Código de postuRas

8
8

A faixa de pedestres deve estar localizada junto ao alinhamento ou à faixa ajardinada, que ocorrerá

a partir do alinhamento.

≥2 m Passeios com largura igual ou superior a 2 m ≥1,50 m ≤40% Edificação
≥2 m
Passeios com largura
igual ou superior a 2 m
≥1,50 m
≤40%
Edificação
Vista supeRioR
Afastamento Frontal
Faixa destinada a pedestres
Faixa de mobiliário urbano
Via

FIGURA 4 – Faixa de passeio de pedestre em passeios com largura maior ou igual a 2,00 m (dois metros)

<2 m Passeios com largura inferior a 2 m ≤25% Edificação Vista supeRioR Afastamento Frontal
<2 m
Passeios com largura
inferior a 2 m
≤25%
Edificação
Vista supeRioR
Afastamento Frontal
Faixa destinada a pedestres
Faixa de mobiliário urbano
Via

FIGURA 5 – Faixa de passeio de pedestre em passeios com largura igual ou inferior a 2,00 m (dois metros)

CaRtiLHa do Código de postuRas

9
9

2.2 O mobiliário urbano

Mobiliário urbano é o equipamento de uso coletivo, instalado em logradouro público para atender a uma utilidade pública ou a um conforto público, como abrigos em pontos de ônibus, postes, telefones públicos, bancas de jornal, quiosques, mesas e cadeiras de bares, placas de trânsito, postes e outros.

Para que um mobiliário urbano seja instalado, ele deverá estar devidamente licenciado. Os mobiliários pertencem a um elenco de tipos e obedecem a padrões definidos pelo poder público municipal, exceto o de caráter artístico, como o obelisco da Praça Sete, as estruturas e escadas implantadas na rua Rio de Janeiro, as estátuas de Carlos Drummond de Andrade e Pedro Nava na rua Goiás, próximo à rua da Bahia. Essas inserções de caráter artístico são feitas pela Prefeitura e, normalmente, compõem a arquitetura da cidade.

De acordo com o Código de Posturas, mobiliários que não sejam considerados como de pequeno porte podem ter publicidade. Essa publicidade é instalada pela empresa que é responsável pelo licenciamento do mobiliário, sendo proibido que terceiros instalem qualquer engenho de publicidade nos mobiliários urbanos. Caso isso ocorra, o infrator estará sujeito a multa.

Mobiliário urbano de pequeno porte é aquele que possui até 0,10 m (dez centímetros) de
Mobiliário urbano de pequeno porte é aquele que possui até 0,10 m (dez centímetros)
de altura e área de projeção de até 3 m² (três metros quadrados) ou que possui até
0,50 m (cinquenta centímetros) de altura e área de projeção de até 1,50 m² (um metro
e cinquenta centímetros quadrados); ou que possui até 1,50 m (um metro e cinquenta
centímetros) de altura e área de projeção até 0,50 m² (cinquenta centímetros
quadrados). Nos mobiliários lineares, como as cercas e defensas de proteção, será
levada em consideração somente sua altura.

O mobiliário urbano a ser instalado no logradouro público será aprovado pela Comissão de Mobiliário Urbano, que observará, entre outros:

a) dimensão;

b) formato;

c) cor;

d) material;

e) tempo de permanência;

f) horário de instalação, substituição ou remoção;

g) posicionamento no logradouro público, especialmente em relação a outro mobiliário urbano.

CaRtiLHa do Código de postuRas

10
10
A função de definir os mobiliários que podem ser instalados em nossa cidade é da
A função de definir os mobiliários que podem ser instalados em nossa cidade é da
Comissão de Mobiliário Urbano, composta por técnicos especialistas da PBH.

A aprovação e instalação de mobiliário urbano no passeio observará as seguintes regras:

a) deixará livre a faixa reservada a trânsito de pedestre; b) respeitará as áreas de embarque e desembarque de transporte coletivo; c) manterá distância mínima de 5,00 m (cinco metros) da esquina, contados a partir do alinhamento dos lotes, quando se tratar de mobiliário urbano que prejudique a visibilidade de pedestres e de condutores de veículos; d) respeitará os seguintes limites máximos:

– com relação à ocupação no sentido longitudinal do passeio: 30% (trinta por cento) do comprimento da faixa de passeio destinada a este fim em cada testada da quadra respectiva, excetuados desse limite os abrigos de ônibus;

A B C T
A
B
C
T

A = Comprimento longitudinal do passeio utilizado com mesas e cadeiras

B= Comprimento do ponto de ônibus, não incluído no cálculo

C

= Comprimento da banca

T

= Testada da face de quadra

A+C+ (outros mobiliários) < 30% de T

FIGURA 6 – Contagem da ocupação no sentido longitudinal

– com relação à ocupação no sentido transversal do passeio: 40% (quarenta por cento) da largura do passeio.

CaRtiLHa do Código de postuRas

11
11

Os mobiliários destinados a abrir portão eletrônico de garagem, a obstruir o estacionamento de veículo sobre

Controle de Portão Eletrônico Proteção contra estacionamento de veículos Proteção contra estacionamento de
Controle
de Portão
Eletrônico
Proteção contra
estacionamento
de veículos
Proteção contra
estacionamento
de veículos

passeio ou a proteger contra veículo, são terminantemente proibidos.

o

FIGURA 7 – Ocupação do passeio com objetos que a lei proíbe

2.3 Instalação de caçambas no logradouro público

A caçamba destina-se apenas à coleta de terra e entulho, sendo vedada a coleta de lixo, e o proprietário da caçamba é o responsável pelo seu licenciamento.

Mesmo atendendo às normas gerais para a instalação, se constatado que a caçamba causa prejuízo ao trânsito de veículos ou pedestres devido a alguma excepcionalidade, a Prefeitura poderá solicitar a sua imediata retirada.

A unidade licenciada será o conjunto de 1 (um) caminhão e 15 (quinze) caçambas e o licenciamento

do conjunto depende do licenciamento do local próprio para a guarda das caçambas após o uso.

A licença para o uso do logradouro público com a colocação de caçamba de coleta de terra ou

entulho tem validade de um ano e o veículo somente poderá trafegar portando o original do documento de licenciamento.

Para que ocorra o licenciamento, a caçamba deverá:

a) ter capacidade máxima de 7,00 m³ (sete metros cúbicos);

b) ser pintada de cores vivas;

c) possuir tarja refletora com área mínima de 100 cm² (cem centímetros quadrados) em cada extremidade para assegurar a visibilidade noturna; e

d) ser identificada com o nome e CNPJ do licenciado, número da licença, número sequencial e número do telefone da empresa nas faces laterais externas, com dimensões mínimas de 0,50 m (cinquenta centímetros) por 0,50 m (cinquenta centímetros).

CaRtiLHa do Código de postuRas

12
12
Tarjas Refletoras
Tarjas Refletoras

FIGURA 8 – Identificação das caçambas

O tempo de permanência máximo por caçamba em um mesmo local é de 3 (três) dias úteis, exceto

na Zona Hipercentral (ZHIP), que atenderá ao seguinte:

a) das 20 (vinte) às 7 (sete) horas nos dias úteis;

b) das 14 (catorze) horas de sábado às 7 (sete) horas de segunda-feira;

c) livre nos feriados.

É proibida a colocação de caçamba:

a) a menos de 5,00 m (cinco metros) da esquina do alinhamento dos lotes;

b) em local onde for proibido parar, estacionar ou destinado a veículos especiais;

c) junto a hidrante e sobre registro de água ou tampa de poço de inspeção de galeria subterrânea;

d) em ponto de táxi;

e) em área de carga e descarga;

f) em ilha ou refúgio situado ao lado de canteiro central ou sobre este;

g) sobre marca de sinalização.

É permitida a formação de grupos de até 2 (duas) caçambas no logradouro público, devendo ser obedecido o espaçamento mínimo de 10,00 m (dez metros) entre grupos.

Via ≥1,50 m ≤2,70 m ≤2,70 m ≥5 m ≥10 m Via
Via
≥1,50 m
≤2,70 m
≤2,70 m
≥5 m
≥10 m
Via

FIGURA 9 – Forma de colocação das caçambas 1

CaRtiLHa do Código de postuRas

13
13

Vista supeRioR

A caçamba não poderá estar afastada mais do que 0,30 m (trinta centímetros) do meio-fio, quando instalada paralelamente ao meio fio.

Passeio ≤0,30 m Via Pública
Passeio
≤0,30 m
Via Pública

FIGURA 10 – Forma de colocação das caçambas 2

Vista supeRioR

quando inclinadas em relação ao meio-fio, as caçambas devem estar dentro do perímetro demarcado para a vaga ou ter seu ponto mais distante do meio-fio, situado a uma distân- cia menor ou igual a 2,70 m (dois metros e setenta centímetros), conforme FIGURA 9.

Passeio Na área delimitada para estacionamento Via
Passeio
Na área
delimitada para
estacionamento
Via

FIGURA 11 – Forma de colocação das caçambas 3

CaRtiLHa do Código de postuRas

14
14

Vista supeRioR

quando instaladas sobre o passeio, devem estar na faixa destinada a mobiliário urbano ou faixa gramada, desde que deixem livre a faixa para circulação de pedestre de, no mínimo, 1,50 m (um metro e cinquenta centímetros) de largura.

1,50 m Passeio ≥1,50 m – Livre de qualquer obstáculo Via
1,50 m
Passeio
≥1,50 m – Livre de
qualquer obstáculo
Via

FIGURA 12 – Forma de colocação das caçambas 4

Vista supeRioR

2.4 Instalação de faixas e demais publicidades no logradouro público

A instalação de publicidade no logradouro público somente pode ocorrer no mobiliário urbano,

conforme visto no item 2.2, sobre o perímetro de realização do evento, após o devido licenciamento

e quando transmitirem mensagem institucional, desde que veiculada por órgão ou entidade do Poder Público.

As faixas, placas, estandartes e outros engenhos de publicidade que diariamente são instalados nas ruas são proibidos, razão pela qual são rotineiramente apreendidos. Os fiscais lavram multas com valor entre R$ 2.115,80 e R$ 10.579,00, conforme o tipo de publicidade e, essa infração pode resultar ainda na cassação do Alvará de Localização e Funcionamento da empresa infratora.

CaRtiLHa do Código de postuRas

15
15
peRspeCtiVa FIGURA 13 – Faixa instalada irregularmente 2.5 O exercício de atividade no logradouro público

peRspeCtiVa

FIGURA 13 – Faixa instalada irregularmente

2.5 O exercício de atividade no logradouro público

Todo e qualquer exercício de atividade em logradouro público obrigatoriamente terá que ser previamente licenciado. Aquele que vende sem licença no logradouro público, comumente conhecido como “torero” ou camelô, é um infrator, já que a esse comércio é proibido por lei. quando a fiscalização constata tal irregularidade, as mercadorias e apetrechos são imediatamente apreendidos e o infrator autuado em valores que variam de R$ 523,95 a R$ 1.057,90, de acordo com o local em que a atividade ilegal é exercida.

Após o licenciamento, as atividades admitidas no logradouro público são:

a) o engraxate;

b) o quiosque, no local de caminhada;

c) as bancas de jornais e revistas e a de plantas e flores naturais;

d) o sanitário público;

e) os eventos;

f) a atividade desenvolvida pelo deficiente visual;

g) as feiras;

h) o comércio em veículo automotor e de tração humana.

Em Belo Horizonte, foi estipulada uma cota para o comércio em veículo automotor e para os engraxates. As licenças são emitidas sempre que houver vagas ou desistência, não sendo necessário passar por processo de licitação. Para os veículos de tração humana, o interessado deve se dirigir à Regional, já que eles dependem de licitação pública. Veja as mercadorias que podem ser comercializadas consultando a Lei 8.616/03 no site da Prefeitura.

CaRtiLHa do Código de postuRas

16
16

2.6 Construção do passeio

Nos logradouros dotados de pavimentação e meio-fio, o proprietário de lote vago ou edificado

é obrigado a construir o passeio e mantê-lo conservado. Esses atos, portanto, independem de

licenciamento. Na via arterial e de ligação regional, essa obrigação estende-se ao afastamento frontal, por ser considerado extensão do passeio.

O passeio possui três áreas distintas:

a) faixa reservada ao trânsito de pedestres, conforme visto no item 2.1; b) faixa destinada ao mobiliário urbano, sempre que possível; c) faixa ajardinada, obrigatória em áreas específicas do Município, como a Orla da Lagoa da Pampulha, proibida em passeios com elevado fluxo de pedestres e permitida quando respeitada a largura mínima da faixa de pedestres nos passeios.

A Prefeitura de Belo Horizonte poderá definir padrões distintos para a construção de passeios. Por

esse motivo, é necessário consultar o site da PBH ou a sua Regional a fim de saber se há projeto

específico para o seu logradouro.

No caso de dano a passeio, a restauração deverá ser realizada sem defeitos construtivos ou estéticos, abrangendo toda a largura e extensão do passeio ao longo da intervenção, de forma a atender aos parâmetros legais estabelecidos.

2.6.1 Construindo seu passeio de forma correta

O material de revestimento utilizado deverá ser antiderrapante, resistente e capaz de garantir

a formação de uma superfície contínua, sem ressalto ou depressão, sendo proibido o uso de

mosaico do tipo português em logradouros com declividade superior a 10% (dez por cento), o uso de pedra polida, marmorite, pastilhas, cerâmica lisa e cimento liso.

É proibida a colocação de cunha de terra, concreto, madeira ou de qualquer outro objeto no logradouro público para facilitar o acesso ao passeio ou ao imóvel, sendo admitido o rebaixamento do meio-fio.

Muro Cunha Cunha Via Meio-fio
Muro
Cunha
Cunha
Via
Meio-fio

FIGURA 14 – Irregularidade no uso de cunhas

CaRtiLHa do Código de postuRas

17
17

CoRte

Para o rampamento de acesso a veículos, será observado:

a) o rebaixamento de meio-fio que deverá ter a mesma extensão da largura do acesso de veículos. A largura da entrada do veículo no imóvel poderá ser acrescida de 0,50 m (cinquenta centímetros) de cada lado, respeitada a extensão máxima do rebaixamento, de 4,80 m (quatro metros e oitenta centímetros);

Em passeios com menos de 2,00 m (dois metros) de largura, o comprimento da rampa
Em passeios com menos de 2,00 m (dois metros) de largura, o
comprimento da rampa de acesso deverá preservar a faixa
de pedestre correspondente a 75% (setenta e cinco por cento)
da largura do passeio, sem ressalto ou depressões. Ver item 2.1.

b) o comprimento da rampa não poderá ultrapassar 1,00 m (um metro) e deverá ser perpendicular ao alinhamento do meio-fio, respeitada a faixa reservada ao trânsito de pedestre;

c) o acesso de veículos situar-se-á a uma distância mínima de 5,00 m (cinco metros) do alinhamento do meio-fio da via transversal no caso de esquina;

d) a construção da rampa para veículos não poderá prejudicar a arborização pública, cuja remoção poderá, excepcionalmente, ser autorizada, com anuência do órgão ambiental competente, sendo o custo de responsabilidade do requerente;

e) para cada 10 m (dez metros) de testada de terreno, será permitido um acesso com extensão de até 4,80 m (quatro metros e oitenta centímetros), podendo haver acessos subsequentes;

f) quando separados, a distância mínima entre dois rebaixamentos, em frente a um mesmo lote, será de 5,20 m (cinco metros e vinte centímetros);

Detalhe do acesso para veículos e do rebaixamento do meio-fio Acessibilidade ≥5 m ≤4,80 m
Detalhe do acesso para
veículos e do rebaixamento
do meio-fio
Acessibilidade
≥5 m
≤4,80 m ≥5,20 m ≤4,80 m

FIGURA 15 – Distâncias dos rebaixamentos de meio-fio

CaRtiLHa do Código de postuRas

18
18

peRspeCtiVa

g) o respeito às regras de acessibilidade previstas pela ABNT, na NBR 9050/04;

Detalhe do acesso e do rebaixamento do meio-fio Muro Passeio ≤0,50 m ≤1 m ≤0,50
Detalhe do acesso e do
rebaixamento do meio-fio
Muro
Passeio
≤0,50 m
≤1 m
≤0,50 m
Dreno de águas
pluviais sob o passeio
Sarjeta
≤4,80 m

FIGURA 16 – Detalhamento dos rebaixamentos de meio-fio

peRspeCtiVa

h) as águas pluviais, que devem ser canalizadas por baixo do passeio até a sarjeta lindeira à testada do imóvel respectivo, sendo proibido seu lançamento sobre o passeio; i) o meio-fio a 0,20 m (vinte centímetros) de altura em relação à sarjeta; j) a declividade transversal variando de 1% (um por cento) a 3% (três por cento), em direção ao meio-fio;

Via Declividade entre 1% e 3% 20 cm Meio-fio Sarjeta
Via
Declividade entre 1% e 3%
20 cm
Meio-fio
Sarjeta

FIGURA 17 – Declividade transversal

CaRtiLHa do Código de postuRas

19
19

CoRte

k) a declividade longitudinal paralela à da pista de rolamento.

declividade longitudinal paralela à da pista de rolamento. FIGURA 18 – Declividade longitudinal paralela à pista

FIGURA 18 – Declividade longitudinal paralela à pista de rolamento

– Declividade longitudinal paralela à pista de rolamento FIGURA 19 – Declividade longitudinal não paralela à

FIGURA 19 – Declividade longitudinal não paralela à pista de rolamento

A construção de degraus no passeio segue as seguintes regras:

a) pode ocorrer somente na faixa destinada ao trânsito de pedestre, ou seja, junto ao alinhamento ou a faixa gramada;

b) é vedada em passeio com declividade inferior a 14% (catorze por cento);

c) é admitida em passeio com declividade igual ou maior a 14% (catorze por cento) e menor ou igual a 25%;

d) é obrigatória em trechos de passeios com declividade acima de 25% (vinte e cinco por cento);

CaRtiLHa do Código de postuRas

20
20

e) degraus com altura máxima de 0,20 m (vinte centímetros) e piso mínimo de 0,25 m (vinte e cinco centímetros);

≥25 cm ≤20 cm ≤20 cm Patamar
≥25 cm
≤20 cm
≤20 cm
Patamar

FIGURA 20 – Medidas para a construção de degraus

f) uniformidade das dimensões dos degraus;

g) patamares a cada 20 (vinte) degraus, no máximo.

CoRte

Máximo de 20 degraus Patamar Declive superior a 25% A
Máximo de 20 degraus
Patamar
Declive superior a 25%
A

FIGURA 21 – Disposição dos degraus nos passeios

CaRtiLHa do Código de postuRas

21
21

Vista fRoNtaL

eRRado CeRto Porta Porta Degraus no Alinhamento interior da edificação Degraus no exterior da edificação
eRRado
CeRto
Porta
Porta
Degraus no
Alinhamento
interior
da edificação
Degraus no exterior
da edificação
Alinhamento
Passeio
Passeio

CoRte a

da edificação Alinhamento Passeio Passeio CoRte a FIGURA 22 – Cortes mostrando a construção correta e

FIGURA 22 – Cortes mostrando a construção correta e errada do acesso às lojas

2.7 O lote vago

O proprietário de lote vago deverá mantê-lo limpo, roçado ou capinado, drenado e com o passeio

e fechamento construídos adequadamente e em bom estado de conservação, em sua divisa com

o alinhamento.

2.7.1 fechamento de lotes

O fechamento deverá conter o carreamento (saída) de material dos lotes para o logradouro, possuir

altura entre 1,80 m (um metro e oitenta centímetros) e 5,00 m (cinco metros), possuir portão de acesso e conter elementos vazados de forma a permitir a sua completa visualização.

Elemento de permeabilidade visual Portão de acesso Elemento que impede o carreamento Passeio
Elemento de
permeabilidade
visual
Portão
de acesso
Elemento que
impede o
carreamento
Passeio

Vista fRoNtaL

CoRte

FIGURA 23 – Detalhe do fechamento de lotes vagos

CaRtiLHa do Código de postuRas

22
22

Em lotes de esquina, deverá ser construído chanfro (corte) de extensão mínima de 2,50 m (dois metros e cinquenta centímetros), perpendicular à bissetriz do ângulo formado pelo prolongamento do alinhamento, salvo se tal concordância tiver sido fixada de forma diversa pelo órgão competente.

Bissetriz, simplificadamente, é a linha que divide um ângulo em dois ângulos iguais.
Bissetriz, simplificadamente, é a linha que divide um ângulo em dois ângulos iguais.
2,50 m do Medida chanfro Perpendicular Ângulo Bissetriz à Bissetriz α/2 Ângulo α Bissetriz Ângulo
2,50 m do
Medida
chanfro
Perpendicular
Ângulo
Bissetriz
à Bissetriz
α/2
Ângulo α
Bissetriz
Ângulo
Ângulo de 90º
α/2
FIGURA 24 – Como achar a medida do chanfro
Bissetriz 2,50 m Lote 1 Lote 2 Passeio Bissetriz Passeio 2,50 m Passeio
Bissetriz
2,50 m
Lote 1
Lote 2
Passeio
Bissetriz
Passeio
2,50 m
Passeio

FIGURA 25 – Terrenos com chanfros diferentes

CaRtiLHa do Código de postuRas

23
23

3 pRopRiedade pRiVada

3.1 Exercendo sua atividade sem ser penalizado

I. Não inicie a sua atividade sem obter o Alvará de Localização e Funcionamento. As multas variam de acordo com o porte do estabelecimento, sendo de R$ 264,48 a cada 30 m² (trinta metros quadrados) ou fração de área utilizada, exceto se a atividade exercida for considerada perigosa, o que eleva o valor da multa para R$ 423,16 a cada 20 m² (vinte metros quadrados).

II. A licença para a colocação de mesas e cadeiras, toldo e publicidade depende da apresentação do Alvará de Localização e Funcionamento.

III. Se sua atividade for bar, restaurante ou similares, lembre-se de que o Código de Posturas é uma regra de convivência e que sua atividade não pode gerar incômodo, principalmente o sonoro e o ambiental.

IV. Se houver utilização de música, a mesma deverá estar licenciada, sob pena de interdição da fonte poluidora e de multa.

V. O afastamento frontal e o passeio, de qualquer via, não podem ser utilizados para a realização de serviços, colocação de mercadorias e outros objetos, inclusive nos toldos projetados sobre o afastamento ou passeio. Também não é permitido apregoar a venda ou serviço de qualquer natureza em logradouro público. Lembre-se, na maioria dos casos, sua licença é para o exercício da atividade dentro do estabelecimento.

VI. Não coloque qualquer tipo de publicidade no logradouro público. As multas variam em função da dificuldade de removê-las e vão de R$ 2.115,80 a R$ 10.579,00, e seu Alvará ainda pode ser cassado e a atividade interditada.

VII. Antes de colocar a sua publicidade no imóvel, compareça à Regional para licenciá-la. As multas variam de acordo com a área da publicidade e iniciam em R$ 2.115,80 e seu Alvará de Localização e Funcionamento ainda pode ser cassado e a atividade interditada.

VIII. Não utilize mesas e cadeiras no afastamento frontal da via arterial ou de ligação regional, no passeio ou na via pública antes de ter a respectiva licença em mãos. As multas variam em função do local e vão de R$ 423,16 a R$ 3.173,70, e seu Alvará de Localização e Funcionamento ainda pode ser cassado.

IX. Nos casos em que houver notificação prévia, acate as determinações nela contidas. A fiscalização age em conformidade com a legislação em vigor e a notificação prévia serve como aviso de que há alguma irregularidade. O descumprimento sempre acarretará penalidades, que podem chegar à interdição das atividades.

CaRtiLHa do Código de postuRas

24
24

3.2 O Alvará de Localização e Funcionamento

3.2.1 o alvará de Localização e a escolha do imóvel

Antes de iniciar sua atividade não residencial, você precisa saber se esta pode ser exercida no local pretendido. Para isso, com uma cópia do IPTU do local pretendido, faça a consulta prévia, não

se esquecendo de informar a área e a atividade corretas. Se você se enquadra na qualidade de

Empreendedor Individual, faça também a consulta de viabilidade.

A consulta prévia positiva garante que, satisfeitas as condições informadas, você poderá se

estabelecer no local após a emissão do Alvará de Localização e Funcionamento ou do registro de

Empreendedor Individual.

A confecção e o registro de sociedade na Junta Comercial é um serviço prestado pelo profissional

competente, que é o contador.

Não alugue ou compre um imóvel para exercer a sua atividade sem antes certificar-se de
Não alugue ou compre um imóvel para exercer a sua atividade
sem antes certificar-se de que as atividades pretendidas podem
ser exercidas no local. Não exerça a atividade sem estar de posse do
Alvará de Localização e Funcionamento.

3.2.2 o empreendedor individual

O registro do Empreendedor Individual na Jucemg (Junta Comercial do Estado de Minas Gerais)

vale como Alvará de Localização e Funcionamento Provisório pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias e será convertido em Alvará de Localização e Funcionamento caso não ocorra manifestação contrária da PBH. O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) mantém

serviço grátis para auxiliá-lo a se formalizar.

Lembre-se que, caso o fiscal constate divergência entre as informações prestadas e as comprovadas no local, ocorrerá ação fiscal, conforme legislação municipal vigente e prevista na Resolução do CGSIM – Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios nº 16, de 17/12/09.

Para saber a lista de atividades que podem ser enquadradas como Empreendedor Individual e as

condicionantes para o exercício da atividade, consulte o site www.portaldoempreendedor.gov.br

e o anexo X da Lei 7166/96, no site da Prefeitura.

CaRtiLHa do Código de postuRas

25
25

3.2.3

alvará via internet

Existe uma série de atividades para as quais o Alvará via Internet pode ser obtido. As atividades contempladas são aquelas que não geram incômodo, e não precisam adotar medidas que diminuam os impactos causados, como a maioria dos autônomos. Através do site da PBH, você poderá realizar uma consulta prévia e, se sua atividade estiver incluída nesse grupo, poderá retirar o seu Alvará imediatamente. Não se esqueça de pagar a taxa que será emitida. Em caso de não pagamento, o seu Alvará Provisório perde a validade e terá que ser protocolado novo requerimento no BH Resolve.

3.2.4 o exercício de atividade em residências

Poderão se beneficiar da permissão as empresas que possuem até 3 (três) funcionários de presença regular na residência. Entretanto, no caso de empresas situadas em edificações multifamiliares verticais de uso exclusivamente residencial, só se permitirá o exercício das atividades aos sócios- moradores.

A lista das atividades pode ser encontrada na Lei 6.831/95 que está disponível no site da Prefeitura.

3.2.5 Validade do alvará

O Alvará é válido por um período de 5 (cinco) anos contados de sua concessão. Portanto, verifique

periodicamente a validade do mesmo. Antes que ele perca a validade, você deve providenciar novo Alvará de Localização e Funcionamento junto à PBH.

quem exerce atividade com o Alvará vencido está em situação idêntica a quem não tem
quem exerce atividade com o Alvará vencido está em situação
idêntica a quem não tem o Alvará.

3.3 Condições para a instalação do engenho de publicidade em seu estabelecimento

Antes de instalar a sua publicidade, você deve estar de posse da Licença de Publicidade e esta depende do Alvará de Localização e Funcionamento.

Com relação à mensagem que transmitem, os engenhos de publicidade classificam-se em:

a) indicativo: engenho que contém exclusivamente a identificação da atividade exercida no local em que está instalado ou a identificação da propriedade deste;

CaRtiLHa do Código de postuRas

26
26

b) publicitário: engenho que comunica qualquer mensagem de propaganda, sem caráter indicativo; c) cooperativo: engenho indicativo que também contém mensagem publicitária, não superior a 50% (cinquenta por cento) de sua área; d) institucional: engenho que contém mensagem exclusivamente de cunho cívico ou de utilidade pública veiculada por órgão ou entidade do Poder Público.

Será considerada mensagem publicitária aquela que contiver mensagem alusiva a outra empresa que não exerça
Será considerada mensagem publicitária aquela que contiver
mensagem alusiva a outra empresa que não exerça atividade no local.
São considerados engenhos indicativos as marcas das franquias.

Açougue

AurorA

7777-7777

Indicativo

≤ 50%
≤ 50%

Bar

do

Tião

Bar do Tião

Cooperativo

7777-7777 Indicativo ≤ 50% Bar do Tião Cooperativo Publicitário Campanha de Vacinação Vá ao posto mais

Publicitário

Campanha de Vacinação

Campanha de Vacinação Vá ao posto mais próximo

Vá ao posto mais próximo

Institucional

FIGURA 26 – Diferentes tipos de engenhos de publicidade

CaRtiLHa do Código de postuRas

27
27
Na utilização de engenho de publicidade classificado como cooperativo, se a parte publicitária for superior
Na utilização de engenho de publicidade classificado como cooperativo,
se a parte publicitária for superior a 50% (cinquenta por cento) da área total,
a publicidade será considerada irregular e deverá ser retirada.
Açougue
AurorA
7777-7777
Sabão
Lava Bem
r$ 2,50
2,50 m
Engenho Publicitário
0,40 m

2,50 m X 0,40 m = 1,00 m 2 Engenho Indicativo e Simples

Bar do Tião Engenho Cooperativo Irregular
Bar
do
Tião
Engenho Cooperativo Irregular

PAdAriA do Adão

Pão quente de hora em hora

Engenho Indicativo

FIGURA 27 – Engenhos de publicidade

≤ 50%

Indicativo FIGURA 27 – Engenhos de publicidade ≤ 50% Mercearia Jurema Sabão Lava Bem r$ 2,50
Indicativo FIGURA 27 – Engenhos de publicidade ≤ 50% Mercearia Jurema Sabão Lava Bem r$ 2,50

Mercearia

Jurema

Sabão Lava Bem r$ 2,50

Engenho Cooperativo

FIGURA 28 – Engenho de publicidade cooperativo

Os engenhos de publicidade ainda são classificados como simples e complexos. São simples os que, cumulativamente:

a) veiculem mensagem indicativa ou institucional;

b) possuam área igual ou inferior a 1,00 m 2 (um metro quadrado);

c) não possuam dispositivo de iluminação ou animação;

d) não possuam estrutura própria de sustentação.

CaRtiLHa do Código de postuRas

28
28

São complexos os demais engenhos que não se enquadram na descrição de engenho simples e esses engenhos, necessariamente, precisam ser licenciados antes da instalação.

Não se incluem no conceito de estrutura própria de sustentação os elementos de fixação, como pregos, parafusos e similares.

Se em seu estabelecimento houver um engenho de publicidade simples, afixado nos locais

permitidos, não haverá necessidade de que você solicite a licença, mas estará sujeito à taxa de fiscalização, deverá respeitar o local previsto para a instalação e a área máxima permitida para a instalação de engenho de publicidade na fachada frontal da edificação.

Ainda é importante saber que somente é permitida a instalação de engenhos considerados institucionais, indicativos e cooperativos na fachada frontal ou no afastamento frontal da edificação onde a sua atividade é exercida. Portanto, não são permitidos os engenhos de publicidade classificados como publicitários.

O Código de Posturas contém normas rígidas para a colocação das publicidades no

estabelecimento. Ela dispõe a respeito da mensagem que pode ser transmitida pelos engenhos

de

publicidade simples ou complexos e especifica os locais de instalação.

O

licenciamento de engenho de publicidade será requerido junto à Gerência Regional de

Atendimento ao Cidadão da regional competente, mediante apresentação de requerimento próprio, acompanhado da documentação nele relacionada e da comprovação de quitação dos preços públicos de vistoria e de análise e emissão da licença, disponíveis no site da Prefeitura.

Para cada estabelecimento comercial será permitida a instalação de um único engenho de

publicidade, que poderá estar instalado no afastamento frontal ou na fachada do imóvel. Somente

a publicidade em toldo poderá ocorrer em conjunto com as publicidades citadas.

Para a maioria das empresas, as opções existentes para a colocação de publicidade no local onde

é exercida atividade são as descritas a seguir:

3.3.1 engenho de publicidade instalado no afastamento frontal

A instalação de publicidade no afastamento frontal impede a instalação de publicidade na fachada

da edificação. Havendo várias lojas no mesmo imóvel, somente uma publicidade no afastamento

frontal poderá ser licenciada, exceto se o imóvel for de esquina, caso em que poderá ser instalada mais uma publicidade do mesmo tipo na outra via.

CaRtiLHa do Código de postuRas

29
29
Note que, no caso de haver mais de um estabelecimento comercial na mesma edificação, sendo
Note que, no caso de haver mais de um estabelecimento comercial na
mesma edificação, sendo utilizada a publicidade no afastamento frontal,
não poderá haver engenho de publicidade instalado na fachada,
em posição paralela, perpendicular ou oblíqua em relação aos demais
estabelecimentos que estiverem na mesma edificação.
Afastamento Afastamento frontal Via local frontal Via local ou coletora ou coletora Passeio Passeio
Afastamento
Afastamento
frontal
Via local
frontal
Via local
ou coletora
ou coletora
Passeio
Passeio

FIGURA 29 – Engenhos de publicidade alternativos

O engenho de publicidade instalado sobre o solo de forma vertical deverá atender ao seguinte:

a) dimensão vertical máxima de 2,10 m (dois metros e dez centímetros);

b) largura máxima de 0,60 m (sessenta centímetros); e

c) possuir até 3 (três) faces.

≤0,60 m Fachada Rua Passeio Afastamento frontal de via local coletora Vista LateRaL ≤2,10 m
≤0,60 m
Fachada
Rua
Passeio
Afastamento
frontal de via
local coletora
Vista LateRaL
≤2,10 m

FIGURA 30 – Engenho de publicidade vertical

CaRtiLHa do Código de postuRas

30
30

O engenho de publicidade sobre o solo, tanto o vertical quanto o horizontal, poderá ser instalado em

imóveis localizados nas vias arteriais e de ligação regional, desde que estejam fora do afastamento frontal mínimo.

≤0,60 m Não pode ser instalado no afastamento frontal mínimo Fachada Rua Passeio Afastamento frontal
≤0,60 m
Não pode ser
instalado no
afastamento
frontal mínimo
Fachada
Rua
Passeio
Afastamento frontal
mínimo da via arterial
ou de ligação regional
Vista LateRaL
≤2,10 m

FIGURA 31 – Engenho de publicidade vertical instalado fora do afastamento frontal

O engenho de publicidade instalado sobre o solo de forma horizontal deverá atender ao seguinte:

a) dimensão vertical máxima de 1,00 m (um metro);

b) espessura máxima de 0,20 m (vinte centímetros);

c) comprimento máximo de 1,50 m (um metro e cinquenta centímetros);

d) possuir apenas um plano, com utilização opcional de ambas as faces.

≤20 cm Afastamento frontal Via local ou coletora ≤1,00 m Passeio ≤1,50 m
≤20 cm
Afastamento frontal
Via local
ou coletora
≤1,00 m
Passeio
≤1,50 m

FIGURA 32 – Engenho de publicidade horizontal instalado no afastamento frontal

CaRtiLHa do Código de postuRas

31
31

3.3.2 engenho de publicidade instalado na fachada frontal das edificações, em paralelo

A projeção do engenho de publicidade instalado na fachada deve estar contida nos limites da

fachada.

A instalação deverá atender ao seguinte:

a) poderá ser instalado um engenho para cada estabelecimento, somente no pavimento térreo

e em galerias superiores recuadas, exceto no caso de shopping centers;

b) deverá estar alinhado com a fachada;

c) apresentar espessura máxima de 0,20 m (vinte centímetros);

d) apresentar altura mínima de 2,30 m (dois metros e trinta centímetros), medida entre o ponto mais baixo do anúncio e o ponto mais alto do passeio e altura máxima de 9,00 m (nove metros), medidos no ponto médio do passeio no alinhamento.

1º 2º 3º 4º ≥0,20 m 0,20 m 0,20 m 0,20 m Passeio Passeio Passeio
≥0,20 m
0,20 m
0,20 m
0,20 m
Passeio
Passeio
Passeio
Passeio
≥2,30 m

FIGURA 33 – Engenho de publicidade instalado na fachada

e) área máxima de 0,45 m² (quarenta e cinco decímetros quadrados) para cada 1,00 m (um metro) de testada medida sobre o alinhamento do lote correspondente;

f) área máxima de 0,50 m² (cinquenta decímetros quadrados) para cada 1,00 m (um metro) de testada medida sobre o alinhamento do lote correspondente, para equipamentos de grande porte; a fachada da edificação não pode apresentar marcações aparentes da estrutura ou de

pavimentos e a altura do imóvel deve ser igual ou superior a 5,00 m (cinco metros), contados

a partir do ponto médio do passeio no alinhamento.

CaRtiLHa do Código de postuRas

32
32
Divisa do lote Área de publicidade 1 Área de publicidade 2 Área de publicidade 3
Divisa do lote
Área de publicidade 1
Área de publicidade 2
Área de publicidade 3
Engenho com dupla face
T = Comprimento da testada do lote
faCHada
≥2,30 m

FIGURA 34 – Engenhos de publicidade de diversas lojas instalados na fachada da edificação

No exemplo acima, tomamos uma fachada em que a área máxima permitida é de 0,45 m² (quarenta

e cinco decímetros quadrados) para cada metro de testada (T). Supondo que o comprimento

da testada (T) seja de 12,00 m (doze metros), teremos que a área máxima de exposição das publicidades instaladas de forma paralela, perpendicular ou oblíqua à fachada será o resultado da multiplicação de 0,45 m (quarenta e cinco centímetros) x 12,00 m (doze metros), que resultará em 5,40 m² (cinco metros e quarenta centímetros quadrados).

A área total de exposição do engenho de publicidade que possuir duas faces será o
A área total de exposição do engenho de publicidade que possuir
duas faces será o somatório das áreas das faces.

O engenho de publicidade instalado na fachada frontal, em paralelo à mesma também poderá

estar afixado em galerias superiores recuadas, observando que a área máxima de exposição de todas as publicidades, as do primeiro pavimento e as do segundo pavimento, seria o resultado da multiplicação de 0,45 m (quarenta e cinco centímetros) ou 0,50 m (cinquenta centímetros) x comprimento da testada (T).

CaRtiLHa do Código de postuRas

33
33
Foto ilustrativa
Foto ilustrativa

FIGURA 35 – Exemplo de instalação de engenho de publicidade em galerias superiores recuadas

de engenho de publicidade em galerias superiores recuadas FIGURA 36 – Exemplo de instalação de engenho

FIGURA 36 – Exemplo de instalação de engenho de publicidade em galerias superiores recuadas

faCHada

3.3.3 engenho de publicidade instalado na fachada, em posição perpendicular ou oblíqua

A instalação deverá atender ao seguinte:

a) somente pode ser instalado um engenho por estabelecimento que esteja no pavimento térreo;

b) ter projeção com comprimento máximo de 2/3 (dois terços) da largura do passeio, limitada a

CaRtiLHa do Código de postuRas

34
34

1,50 m (um metro e cinquenta centímetros);

c) espessura máxima igual a 0,05 m (cinco centímetros) se iluminado e de até 0,15 m (quinze centímetros) se luminoso;

d) apresentar altura mínima de 2,30 m (dois metros e trinta centímetros), medida entre o ponto mais baixo do anúncio e o ponto mais alto do passeio, e altura máxima de 9,00 m (nove metros), medidos no ponto médio do passeio no alinhamento;

e) deixar um espaçamento mínimo de 0,15 m (quinze centímetros) entre as suas extremidades laterais e os alinhamentos da marquise e da fachada, não devendo ultrapassar a área sob a marquise, se for o caso;

f) área máxima de 0,45 m² (quarenta e cinco decímetros quadrados) para cada 1,00 m (um metro) de testada medida sobre o alinhamento do lote correspondente;

g) área máxima de 0,50 m² (cinquenta decímetros quadrados) para cada 1,00 m (um metro) de testada medida sobre o alinhamento do lote correspondente, para equipamentos de grande porte; a fachada da edificação não pode apresentar marcações aparentes da estrutura ou de pavimentos, e a altura do imóvel deve ser igual ou superior a 5,00 m (cinco metros), contados a partir do ponto médio do passeio no alinhamento.

≥15 cm ≤1,50 m Fachada Afastamento Passeio ≤9,00 m ≥2,30 m
≥15 cm
≤1,50 m
Fachada
Afastamento
Passeio
≤9,00 m
≥2,30 m

FIGURA 37 – Engenho de publicidade perpendicular ou oblíquo à fachada

Suporte afixado na fachada Fachada Marquise ≥15 cm ≥15 cm ≥2,30 m 1,50 m e
Suporte afixado
na fachada
Fachada
Marquise
≥15 cm
≥15 cm
≥2,30 m
1,50 m e
2/3 do passeio
Passeio

No caso de edificações de dois pavimentos, é possível a instalação de engenhos publicitários perpendiculares também no segundo pavimento, desde que este abrigue uma única atividade comercial.

CaRtiLHa do Código de postuRas

35
35
No segundo pavimento pode haver publicidade perpendicular, desde que abrigue uma única atividade. Passeio Via
No segundo
pavimento pode
haver publicidade
perpendicular,
desde que abrigue
uma única atividade.
Passeio
Via

faCHada

Vista LateRaL

FIGURA 38 – Engenho de publicidade instalado no segundo pavimento, de forma perpendicular ou oblíqua à fachada

Para que uma empresa que funciona no térreo tenha um engenho de publicidade que atinja
Para que uma empresa que funciona no térreo tenha um engenho de
publicidade que atinja o segundo pavimento, ela deve ocupar, pelo menos,
parte do primeiro pavimento e ocupar totalmente o segundo pavimento.
O Código de Posturas permite apenas o uso de um único engenho de publicidade por
O Código de Posturas permite apenas o uso de um único engenho de publicidade por
atividade comercial, entre os seguintes tipos:
a) paralelo à fachada, incluindo as pinturas murais, adesivos e as letras isoladas;
b) perpendicular ou oblíquo à fachada;
c) no afastamento frontal da edificação.

3.3.4 engenho de publicidade instalado no toldo

O engenho de publicidade instalado no toldo deverá atender aos seguintes requisitos:

a) somente é permitido o engenho de publicidade classificado como indicativo na testeira frontal do toldo e limitado à altura máxima de 0,30 m (trinta centímetros); b) o toldo deverá estar licenciado;

CaRtiLHa do Código de postuRas

36
36
≤30 cm ≥2,30 m
≤30 cm
≥2,30 m

Altura da testeira variável

Vista LateRaL

FIGURA 39 – Engenho de publicidade instalado no toldo

3.4 engenho de publicidade instalado na tela protetora de edificação em obras

instalado na tela protetora de edificação em obras FIGURA 40 – Engenho de publicidade instalado em

FIGURA 40 – Engenho de publicidade instalado em tela protetora

CaRtiLHa do Código de postuRas

37
37

É proibida a instalação em tela de obra paralisada. A obra poderá estar em qualquer via e é

permitida apenas a instalação de engenhos considerados publicitários e institucionais, somente nos seguintes casos:

a) na reforma da fachada, até a conclusão de seu revestimento, limitada a 6 (seis) meses;

b) na obra de edificação pública, mediante realização de licitação pelo Executivo, visando seu financiamento parcial ou integral;

c) na obra de restauração de imóvel tombado.

Na hipótese de obra de restauração de imóvel tombado, fica facultado o uso de tela protetora como engenho de publicidade em outra edificação, situada em área de maior visibilidade, mediante autorização do Executivo, em área equivalente à das fachadas do imóvel tombado.

Havendo iluminação, esta terá que estar direcionada exclusivamente ao engenho de publicidade e o dispositivo de iluminação poderá estar afastado, no máximo, 0,50 m (cinquenta centímetros) da empena.

A tela protetora deverá envolver toda a edificação, e a publicidade deverá ser veiculada na própria tela, sendo vedada a fixação de quaisquer engenhos sobre a mesma ou que avance além dos limites do lote.

É proibida a utilização de engenho de publicidade em telas protetoras em obras de reforma ou modificação internas à edificação.

Dos grandes engenhos de publicidade que são admitidos em Belo Horizonte, este tipo é o único que independe de chamamento público.

ADEs – Áreas de Diretrizes Especiais – são as que, por suas características, exigem a
ADEs – Áreas de Diretrizes Especiais – são as que, por suas características, exigem a
implementação de políticas específicas, permanentes ou não, podendo demandar
parâmetros urbanísticos, fiscais e de funcionamento de atividades diferenciados, que
se sobrepõem aos do zoneamento e sobre eles preponderam.
ZPAMS – Zonas de Preservação Ambiental – são as regiões que, por suas características
e pela tipicidade da vegetação, destinam-se à preservação e à recuperação de
ecossistemas, visando a:
a) garantir espaço para a manutenção da diversidade das espécies e propiciar refúgio à fauna;
b) proteger as nascentes e as cabeceiras de cursos d’água;
c) evitar riscos geológicos.
A aprovação no Conselho Deliberativo do Patrimônio de Belo Horizonte dependerá do
cumprimento das normas publicadas por esse Conselho que versam sobre a instalação
de engenho de publicidade. O processo de requerimento de engenho de publicidade
será remetido pela Gerência de Licenciamento ao Conselho, que verificará se as
normas estão sendo seguidas.

CaRtiLHa do Código de postuRas

38
38

3.5 outras publicidades

As publicidades normalmente afixadas pela maioria dos estabelecimentos comerciais e a

instalada na tela protetora do imóvel em obras foram descritas nos itens anteriores. Como existem outros locais que podem receber publicidade, nada impede que o comerciante participe do chamamento público promovido pela Prefeitura para que uma publicidade possa ser instalada em um dos seguintes locais:

a) na empena cega da edificação;

b) no terreno ou lote vago parcelado;

c) no terreno não parcelado;

d) em imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos;

e) na área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais.

O chamamento público destina-se a licitar a instalação de engenho de publicidade em uma determinada
O chamamento público destina-se a licitar a instalação de engenho de publicidade em
uma determinada face de quadra.

A instalação de publicidade nesses locais somente será possível após estar devidamente licenciada.

O licenciamento dessas publicidades ocorre após o chamamento público.

Para concorrer à instalação de publicidade em uma determinada face de quadra, procure a Gerência Regional de Licenciamento de Obras, Eventos, Atividades e Mobiliário Urbano da Regional competente, a fim de obter mais detalhes.

3.5.1 engenho de publicidade na empena cega de edificações

É permitido o uso de engenhos classificados como institucionais, indicativos, cooperativos e

publicitários desde que instalados em edificações situadas em vias arteriais e de ligação regional.

Somente poderá ocorrer a instalação de engenho de publicidade institucional mediante a aprovação no Conselho Deliberativo do Patrimônio de Belo Horizonte, nos imóveis localizados nas Áreas de Diretrizes Especiais (ADEs) da Pampulha, de Santa Tereza, do Mangabeiras, do Belvedere, do Santa Lúcia, do São Bento, da Cidade Jardim, e nos imóveis localizados nas Zonas de Preservação Ambiental (ZPAMs) e nas Zonas de Proteção 1 e 2 (ZP-1 e ZP-2).

É proibida a instalação desses engenhos na ZCBH, ZHIP e de ambos os lados da Av. do Contorno,

em edificação de uso exclusivamente residencial e na parte residencial da edificação de uso misto, exceto se a edificação de uso misto tiver, no mínimo, 5 andares.

CaRtiLHa do Código de postuRas

39
39

A instalação fica limitada a 1 (uma) empena por face de quadra e apenas um engenho publicitário

em uma das empenas da edificação.

O engenho de publicidade poderá ocupar, no máximo, 50% (cinquenta por cento) da área da empena sobre a qual se apoia. A iluminação, se houver, estará direcionada exclusivamente ao engenho de publicidade e o dispositivo de iluminação poderá estar afastado, no máximo, 1,00 m (um metro) da empena.

A instalação de engenho de publicidade na empena cega da edificação impede a instalação de

outro engenho na mesma face de quadra, em:

a) terreno ou lote vago parcelado;

b) terreno não parcelado;

c) em imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos;

d) área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais.

Não podemos confundir empena cega com fachada. Empena cega é fachada que não possui abertura e que, necessariamente, está na divisa do lote. Aquela que está afastada da divisa é fachada e nela não pode haver publicidade.

Fachada (não é empena) Divisa de lote Engenho de publicidade instalado Empena Cega Alinhamento Lote
Fachada
(não é empena)
Divisa de lote
Engenho de
publicidade
instalado
Empena Cega
Alinhamento
Lote 1
Lote 2
FIGURA 41 – Definição de empena cega

CaRtiLHa do Código de postuRas

40
40

3.5.2

engenho de publicidade no terreno ou lote vago parcelado

É proibida a instalação nos terrenos e lotes vagos parcelados localizados na ADE da Pampulha,

na ADE de Santa Tereza, na ADE do Mangabeiras, na ADE do Belvedere, na ADE Santa Lúcia, na ADE São Bento, na ADE Cidade Jardim, nas Zonas de Preservação Ambiental – ZPAMs, nas Zonas de Proteção 1, 2 e 3 – ZP-1, ZP-2 e ZP-3, na Zona Central de Belo Horizonte – ZCBH, na Zona Hipercentral – ZHIP, na Zona Central do Barreiro – ZCBA, na Zona Central de Venda Nova – ZCVN, em ambos os lados da Avenida do Contorno.

É permitida apenas a instalação de engenhos de publicidade classificados como institucionais e

publicitários, localizados nas vias de ligação regional ou arterial, limitados a 2 (dois) engenhos por face de quadra.

Não pode ser exercida atividade ou existir edificação no lote no qual o engenho será instalado, devendo ter a altura máxima de 9,00 m (nove metros), contada do ponto médio do passeio no alinhamento, a área máxima de 27,00 m² (vinte e sete metros quadrados) e a projeção deve estar contida nos limites do lote.

A

colocação de engenho de publicidade depende de chamamento público e não será licenciado

o

engenho que não atender às disposições relativas à construção de passeio e ao fechamento do

terreno ou lote vago, ou seja, o lote deve possuir fechamento e o passeio deve estar construído.

A instalação de engenho de publicidade no lote vago parcelado impede a instalação de outro

engenho na mesma face de quadra, em:

a) empena cega da edificação;

b) terreno não parcelado;

c) imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos;

d) na área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais.

Terrenos ou lotes vagos parcelados são os que foram aprovados pela PBH. Os terrenos não
Terrenos ou lotes vagos parcelados são os que foram aprovados pela PBH.
Os terrenos não parcelados são os que não foram aprovados pela PBH.

3.5.3 engenho de publicidade no terreno não parcelado

É proibida a instalação nos terrenos e lotes vagos não parcelados localizados na ADE da Pampulha, na ADE de Santa Tereza, na ADE do Mangabeiras, na ADE do Belvedere, na ADE Santa Lúcia, na ADE São Bento, na ADE Cidade Jardim, nas Zonas de Preservação Ambiental – ZPAMs, nas Zonas de Proteção 1, 2 e 3 – ZP-1, ZP-2 e ZP-3, na Zona Central de Belo Horizonte – ZCBH, na Zona Hipercentral – ZHIP, na Zona Central do Barreiro – ZCBA, na Zona Central de Venda Nova – ZCVN, em ambos os lados da Avenida do Contorno.

CaRtiLHa do Código de postuRas

41
41

É permitida apenas a instalação de engenhos considerados institucionais e publicitários, e a ocupação máxima será de 1 (um) engenho a cada 100 m (cem metros) de testada de terreno.

Não pode ser exercida atividade ou existir edificação no lote no qual o engenho será instalado, devendo ter a altura máxima de 9,00 m (nove metros), contada do ponto médio do passeio no alinhamento, a área máxima de 27,00 m² (vinte e sete metros quadrados), a projeção deve estar contida nos limites do lote. Havendo iluminação, a mesma deverá estar dirigida ao engenho, e o dispositivo de iluminação não pode avançar mais de 1,00 m (um metro) além do engenho.

A

colocação de engenho de publicidade depende de chamamento público e não será licenciado

o

engenho que não atender às disposições relativas à construção de passeio e ao fechamento do

terreno ou lote vago, ou seja, o lote deve possuir fechamento e o passeio deve estar construído.

A instalação de engenho de publicidade em terreno não parcelado impede a instalação de outro

engenho na mesma face de quadra, em:

a) empena cega da edificação;

b) terreno ou lote vago parcelado;

c) imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos;

d) área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais.

3.5.4 engenho de publicidade no imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos

Não é permitida a instalação em imóveis situados na ZCBH, na ZHIP e de ambos os lados da avenida do Contorno.

Somente poderá ocorrer a instalação de engenho de publicidade classificado como institucional, mediante aprovação no Conselho Deliberativo do Patrimônio de Belo Horizonte, nos imóveis localizados na ADE da Pampulha, na ADE de Santa Tereza, na ADE do Mangabeiras, na ADE do Belvedere, na ADE Santa Lúcia, na ADE São Bento, na ADE Cidade Jardim, nas Zonas de Preservação Ambiental (ZPAMs) e nas Zonas de Proteção 1 e 2 (ZP-1 e ZP-2).

É permitida apenas a instalação de engenhos de publicidade classificados como institucionais e

publicitários e o imóvel deverá estar localizado nas vias classificadas como arteriais e de ligação regional, não sendo permitida a ocupação ou sua projeção sobre o afastamento frontal mínimo.

A altura máxima do engenho de publicidade será de 9,00 m (nove metros), contada do ponto

médio do passeio no alinhamento, a área máxima de 27,00 m² (vinte e sete metros quadrados),

a projeção deve estar contida nos limites do lote. Havendo iluminação, a mesma deverá estar

dirigida ao engenho, e o dispositivo de iluminação não pode avançar mais de 1,00 m (um metro) além do engenho.

CaRtiLHa do Código de postuRas

42
42

A

colocação de engenho de publicidade depende de chamamento público e não será licenciado

o

engenho no imóvel no qual:

a) o terreno tenha área inferior a 360 m² (trezentos e sessenta metros quadrados);

b) a área total construída ultrapasse 20 m² (vinte metros); não sendo considerada área construída as coberturas com até 3,00 m (três metros) de altura e que não possuem fechamento lateral;

c) não se observe o limite de 1 (um) engenho por face de quadra.

A

instalação de engenho de publicidade no imóvel destinado exclusivamente a estacionamento

ou à manobra de veículos impede a instalação de outro engenho na mesma face de quadra, em:

a) empena cega da edificação;

b) terreno ou lote vago parcelado;

c) terreno não parcelado;

d) área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais.

3.5.5 engenho de publicidade na área lateral, não edificada, de imóvel destinado exclusivamente a fins comerciais

Não é permitida a instalação na ZCBH, na ZHIP e de ambos os lados da avenida do Contorno.

Somente poderá ocorrer a instalação de engenho de publicidade classificado como institucional

se houver aprovação no Conselho Deliberativo do Patrimônio de Belo Horizonte, nos imóveis que

estejam localizados na ADE da Pampulha, na ADE de Santa Tereza, na ADE do Mangabeiras, na ADE do Belvedere, na ADE Santa Lúcia, na ADE São Bento, na ADE Cidade Jardim, nas Zonas de Preservação Ambiental (ZPAMs) e nas Zonas de Proteção 1 e 2 (ZP-1 e ZP-2).

É permitida apenas a instalação de engenhos considerados institucionais e publicitários no imóvel localizado nas vias classificadas como arteriais e de ligação regional.

A altura máxima do engenho de publicidade será de 9,00 m (nove metros), contada do ponto médio

do passeio no alinhamento, a área máxima de 27,00 m² (vinte e sete metros quadrados), a projeção

deve estar contida nos limites do lote. Havendo iluminação, a mesma deverá estar dirigida ao engenho,

e

o dispositivo de iluminação não pode avançar mais de 1,00 m (um metro) além do engenho.

O

engenho de publicidade deverá estar inteiramente instalado na área lateral e não poderá

avançar sobre o afastamento frontal do imóvel.

A

colocação de engenho de publicidade depende de chamamento público e não será licenciado

o

engenho no imóvel no qual:

a) a área lateral, não edificada, não tenha, no mínimo, 150 m 2 (cento e cinquenta metros quadrados), não sendo considerada área construída as coberturas com até 3,00 m (três metros) de altura e que não possuem fechamento lateral;

CaRtiLHa do Código de postuRas

43
43

b) não se observe o limite de 1 (um) engenho por face de quadra.

A instalação de engenho de publicidade na área lateral, não edificada, de imóvel destinado

exclusivamente a fins comerciais impede a instalação de outro engenho na mesma face de quadra, em:

a) empena cega da edificação;

b) terreno ou lote vago parcelado;

c) terreno não parcelado;

d) imóvel destinado exclusivamente a estacionamento ou à manobra de veículos.

Antes de solicitar o licenciamento em um dos locais em que somente poderá haver um
Antes de solicitar o licenciamento em um dos locais em que
somente poderá haver um engenho por face de quadra, devemos
observar o restante das faces da mesma quadra para nos certificarmos
de que não há outro engenho licenciado instalado.
quadra quadra Face de quadra impedida pela publicidade instalada em lote de esquina quadra quadra
quadra
quadra
Face de quadra impedida pela publicidade
instalada em lote de esquina
quadra
quadra
Publicidade
Face
de quadra
impedida em
pela
publicidade
instalada
lote
de esquina

FIGURA 42 – O lote de esquina e sua relação com as faces de quadra

3.6 Instalação de toldo

O toldo deverá ser de um dos seguintes tipos:

a) passarela, aquele que se desenvolve no sentido perpendicular ou oblíquo à fachada, exclusivamente para acesso à edificação, podendo utilizar colunas de sustentação, normalmente em frente aos hotéis;

b) em balanço, aquele apoiado apenas na fachada, que é o tipo mais utilizado nas cidades;

c) cortina, aquele instalado sob marquise ou laje, com planejamento vertical.

CaRtiLHa do Código de postuRas

44
44

Devemos diferenciar um toldo de outros elementos. O toldo é o mobiliário acrescido à fachada da edificação, projetado sobre o afastamento existente ou sobre o passeio, com estrutura leve e cobertura em material flexível ou translúcido, podendo de ser removido sem necessidade de obra de demolição, ainda que parcial.

Elementos que não atendam à definição anterior serão tratados como acréscimo de obras, que dependerão de aprovação de projeto arquitetônico ou, se sobre o passeio, serão considerados invasão de logradouro público e serão demolidos.

Caso o toldo esteja instalado no afastamento frontal, possua mais de 2,00 m (dois metros) de projeção ou elementos de sustentação e tenha a função de cobrir mesas e cadeiras regularmente licenciadas em frente a restaurante, bar, café, lanchonete e similares, não será considerado elemento construtivo.

Poderá ser instalado toldo em balanço sobre o passeio desde que esse toldo atenda ao seguinte:

a) não tenha elemento com altura inferior a 2,30 m (dois metros e trinta centímetros) em relação ao solo;

b) não prejudique a arborização ou a iluminação públicas;

c) não oculte placa de nomenclatura de logradouros e próprios públicos;

d) não prejudique as áreas mínimas de iluminação e ventilação da edificação;

e) não exceda a largura do passeio;

f) não oculte sinalização de trânsito;

g) se possuir mais de 1,20 m (um metro e vinte centímetros), deverá apresentar laudo de responsabilidade técnica.

Se ≥1,20 m Laudo e ATR ≥2,30 m Rua Passeio Alinhamento
Se ≥1,20 m Laudo e ATR
≥2,30 m
Rua
Passeio
Alinhamento

FIGURA 43 – O toldo sobre o passeio

CaRtiLHa do Código de postuRas

45
45

Vista LateRaL

O toldo em balanço sobre o afastamento frontal não será considerado elemento construtivo se:

a) não tiver mais de 2,00 m (dois metros) de projeção horizontal, exceto para cobrir mesas e cadeiras;

b) não ocupar mais da metade do afastamento, exceto para cobrir mesas e cadeiras;

c) não utilizar colunas de sustentação, exceto para cobrir mesas e cadeiras;

d) não descer nenhum de seus elementos a altura inferior a 2,30 m (dois metros e trinta centímetros);

e) não prejudicar as áreas mínimas de iluminação e ventilação da edificação;

f) não prejudicar as áreas mínimas de permeabilidade regularmente licenciadas.

≤2,00 m e a 1/2 do afastamento ≥2,30 m Rua Afastamento frontal Passeio
≤2,00 m e a 1/2 do afastamento
≥2,30 m
Rua
Afastamento frontal
Passeio

FIGURA 44 – O toldo sobre o afastamento frontal

Vista LateRaL

Somente é permitido que os toldos tenham mais de 2,00 m (dois metros) de projeção horizontal, colunas de sustentação e ocupem mais da metade do passeio se estiverem em frente a bares, restaurantes, cafés, lanchonetes e similares, cobrindo mesas e cadeiras devidamente licenciadas. Caso contrário, será elemento construtivo.

≥2,30 m Afastamento frontal Passeio
≥2,30 m
Afastamento frontal
Passeio

Vista LateRaL

FIGURA 45 – O toldo sobre o afastamento frontal, cobrindo mesas e cadeiras

CaRtiLHa do Código de postuRas

46
46

3.7 Instalação de mesas e cadeiras

A colocação de mesas e cadeiras apenas é permitida durante o exercício da atividade de restaurante, bar, lanchonete, café, livraria ou similares.

Conforme as condições locais, o uso poderá ocorrer entre 7h (sete horas) e 23h (vinte e três horas). Após o limite das 23h (vinte e três horas), os estabelecimentos que tiverem a Licença, poderão continuar com o uso, entretanto, ficarão condicionados ao cumprimento dos limites de emissão de ruídos previstos na Lei nº 9.505/08. Não sendo respeitado esse limite, o estabelecimento ficará sujeito à multa, à cassação da Licença de Mesas e Cadeiras e do Alvará de Localização e Funcionamento.

Existem algumas possibilidades para a colocação de mesas e cadeiras:

a) No afastamento frontal dos imóveis, observando que, no caso de imóvel lindeiro a vias locais e coletoras, a área deve ser incluída no Alvará de Localização e Funcionamento, sendo dispensada a licença específica para a colocação de mesas e cadeiras. No caso das vias arteriais e de ligação regional, somente após a emissão do Alvará, a licença de mesas e cadeiras deve ser providenciada junto à Regional, antes da utilização.

Edificação Largura do afastamento frontal a ser utilizado Passeio
Edificação
Largura do
afastamento frontal
a ser utilizado
Passeio

FIGURA 46 – Mesas e cadeiras no afastamento frontal

CaRtiLHa do Código de postuRas

47
47

Vista supeRioR

b) No passeio de qualquer via, desde que o mesmo tenha largura superior a 3,00 m (três metros). Entre 3,00 m (três metros) e 4,00 m (quatro metros), a ocupação não poderá exceder a metade e, nos passeios com largura superior a 4,00 m (quatro metros), deverá ser preservada a faixa para pedestre com, no mínimo, 2,00 m (dois metros) de largura, livre e desimpedida de qualquer obstáculo.

Edificação Faixa de pedestre Passeio entre 3 m e 4 m 1/2 do passeio, no
Edificação
Faixa de pedestre
Passeio entre
3 m e 4 m
1/2 do passeio,
no máximo
Vista supeRioR
Edificação ≥2 m Passeio ≥4 m
Edificação
≥2 m
Passeio ≥4 m

Vista supeRioR

FIGURA 47 – Mesas e cadeiras no passeio

CaRtiLHa do Código de postuRas

48
48

c) No quarteirão fechado, desde que seja preservada faixa de pedestre no eixo da via com, no mínimo, 3,00 m (três metros) de largura, livre de qualquer obstáculo.

Faixa de pedestre ≥3m Afastamento Alinhamento frontal Edificação Edificação
Faixa de pedestre ≥3m
Afastamento
Alinhamento
frontal
Edificação
Edificação

Vista supeRioR

FIGURA 48 – Mesas e cadeiras no quarteirão fechado

d) O Código de Posturas admite a utilização conjunta do afastamento frontal com o passeio, conforme regras anteriores. Entretanto, para imóveis localizados em vias arteriais e de ligação regional, é permitido o uso simultâneo do passeio e do afastamento frontal devidamente licenciados desde que o passeio possua, no mínimo, 2,00 m (dois metros) de largura e a faixa livre e desimpedida de qualquer objeto para pedestre não seja inferior a 1,00 m (um metro). Nesse caso, será obrigatório o uso de barreiras removíveis de acordo com o modelo aprovado pela PBH.

Edificação Somente para as vias arteriais e de ligação regional ≥1 m Passeio ≥2 m
Edificação
Somente para as
vias arteriais e de
ligação regional
≥1 m
Passeio ≥2 m

Vista supeRioR

FIGURA 49 – Utilização simultânea de mesas e cadeiras no afastamento frontal e no passeio de via arterial ou de ligação regional

CaRtiLHa do Código de postuRas

49
49

e) Na via pública, nas vias locais não classificadas como VR – Vias Preferencialmente Residenciais, desde que ocupem o espaço destinado a estacionamento de veículo e somente sobre tablado removível com proteção, conforme modelo aprovado pelo poder público municipal e mediante avaliação da PBH, após a avaliação do BHTRANS. Caso o passeio tenha largura igual ou superior a 3,00 m (três metros), as mesas devem ocupar o passeio e não podem ocupar a via pública.

Até o momento, todas as vias locais estão classificadas como VR – Vias Preferencialmente Residenciais,
Até o momento, todas as vias locais estão classificadas como VR – Vias
Preferencialmente Residenciais, Art. 8º, § 1º, I da lei 9.959/10).
Imóvel Imóvel vizinho Seu imóvel vizinho esquerdo direito Alinhamento do imóvel Tablado removível <3 m
Imóvel
Imóvel
vizinho
Seu imóvel
vizinho
esquerdo
direito
Alinhamento do imóvel
Tablado removível
<3 m
Passeio
com proteção
Meio-fio
Rua
Meio-fio
Passeio
Alinhamento do imóvel
Imóvel
em frente
Sinalização
horizontal
que
delimita
a área de
estacionamento
de veículos

Vista supeRioR

FIGURA 50 – Mesas e cadeiras na via pública 1

Tablado removível com proteção
Tablado removível
com proteção

FIGURA 51 – Mesas e cadeiras na via pública 2

CaRtiLHa do Código de postuRas

50
50

3.8 Estacionamento no afastamento frontal

Pode haver a utilização do passeio como estacionamento?

Não. Isso é uma infração de trânsito. Também é uma infração ao Código de Posturas, cometida pelo possuidor do imóvel que se beneficiar com a utilização ou manobra sobre o afastamento frontal mínimo.

A legislação municipal, entretanto, permite o uso do afastamento frontal para o estacionamento de veículos da seguinte forma:

a) o afastamento frontal mínimo das vias locais e coletoras normalmente é de 3,00 m (três metros) e, respeitadas as regras para a construção de passeios, nada impede que os veículos estacionem, independentemente de licença emitida pela Prefeitura;

Edificação 3 m Afastamento Passeio ≤4,80 m ≤4,80 m ≥5,20 m Via local ou coletora
Edificação
3 m
Afastamento
Passeio
≤4,80 m
≤4,80 m
≥5,20 m
Via local ou coletora
≥5,20 m

Vista supeRioR

FIGURA 52 – Formas de utilização do afastamento das vias locais e coletoras como estacionamento

b) os afastamentos frontais mínimos das vias arteriais e de ligação regional normalmente

possuem 4,00 m (quatro metros) e não podem ser utilizados para estacionamento de veículos por serem considerados extensão do passeio. Entretanto, se satisfeitas as condições previstas na Lei 7.166/96, o afastamento dessas vias, das vias localizadas na Zona Hipercentral e nos postos de gasolina, poderão ser utilizados, dependendo dos seguintes requisitos:

– da anuência prévia da BHTRANS, que levará em conta o fluxo de pedestres existente e potencial e a intensidade do tráfego no sistema viário adjacente;

– que o afastamento frontal tenha, no mínimo, 5,00 m (cinco metros);

– da existência de passeio com, no mínimo, 2,40 m (dois metros e quarenta centímetros),

admitindo-se, no caso de ter o passeio dimensão inferior, o estacionamento no afastamento frontal, desde que a soma da largura desse afastamento e a do passeio existente seja de, no mínimo, 7,40 m (sete metros e quarenta centímetros);

CaRtiLHa do Código de postuRas

51
51

– que seja destinada à circulação de pedestres a faixa mínima de 0,90 m (noventa centímetros) nas divisas laterais ou junto ao acesso à garagem, quando este estiver junto às divisas laterais;

– que as áreas de circulação de pedestres e de estacionamento estejam demarcadas;

– que os acessos obedeçam às regulamentações existentes;

– da emissão da autorização de caráter provisório, condicionada à manutenção das condições de trânsito.

Edificação ≥0,90 m ≥5 m ≥0,90 m Passeio ≤4,80 m ≤4,80 m ≥5,20 m ≥5,20
Edificação
≥0,90 m
≥5 m
≥0,90 m
Passeio
≤4,80 m
≤4,80 m
≥5,20 m
≥5,20 m
≥5,20 m
Afastamento
frontal
2,40 m
≥0,90 m

Vista supeRioR

FIGURA 53 – Formas de utilização do afastamento das vias arteriais e de ligação regional

c) o passeio poderá ser transferido para junto do alinhamento da edificação, ficando a área de estacionamento no mesmo plano da via, podendo ser demarcada ou revestida com material diferenciado. Nesse caso, a área poderá ficar desafetada enquanto durar a utilização.

Permissão da lei 9.845/10

Edificação ≥2,40 m ≥5 m Passeio 2,40 m Via arterial ou de ligação regional Afastamento
Edificação
≥2,40 m
≥5 m
Passeio
2,40 m
Via arterial ou de ligação regional
Afastamento
frontal

Vista supeRioR

FIGURA 54 – Utilização do afastamento das vias arteriais e de ligação regional com o deslocamento da faixa de pedestre para o afastamento frontal

CaRtiLHa do Código de postuRas

52
52
Desafetada = a via passa para o domínio do particular, servindo de estacionamento do imóvel,
Desafetada = a via passa para o domínio do particular,
servindo de estacionamento do imóvel, enquanto a faixa destinada
ao pedestre passa para o domínio público.

A possibilidade de uso sempre ficará condicionada ao afastamento existente, que deve ter largura

igual ou superior a 5,00 m (cinco metros) e a largura desse afastamento somado à largura do passeio, deverá ser superior a 7,40 m (sete metros e quarenta centímetros). Não sendo atendidas essas condições, o afastamento não poderá ser utilizado para estacionamento de veículos.

O afastamento das vias locais e coletoras também poderá ser utilizado da mesma forma que
O afastamento das vias locais e coletoras também poderá ser
utilizado da mesma forma que os afastamentos das vias arteriais e
de ligação regional, sempre mediante parecer favorável da
BHTRANS e da Secretaria de Administração Regional competente.

3.9 Elevadores e demais aparelhos de transporte

O Código de Posturas consolidou a Lei 7.647/99, que contém as regras para o funcionamento dos

aparelhos de transporte. Chamamos de aparelhos de transporte os elevadores de passageiros e de carga, monta-cargas, escadas rolantes, planos inclinados, elevadores residenciais, mesmo que em unidades unifamiliares, teleféricos, empilhadeiras fixas e demais aparelhos similares.

O aparelho de transporte somente poderá receber a manutenção ou ser instalado por empresa

especializada e registrada na Prefeitura para a realização desse serviço.

Os síndicos dos prédios que possuem elevadores desempenham uma função importantíssima para a segurança dos condôminos. Ele sempre deverá estar de posse do contrato de manutenção, do Laudo Técnico Anual e da ART – Anotação de Responsabilidade Técnica, emitida por profissional habilitado e do Livro de Registro de Ocorrências.

Os aparelhos de transporte sempre precisam estar em perfeitas condições de segurança e em funcionamento.

Da mesma maneira que a empresa responsável pela manutenção pode denunciar à Prefeitura problemas de
Da mesma maneira que a empresa responsável pela manutenção pode denunciar à
Prefeitura problemas de segurança para os quais o proprietário se recuse a autorizar o
serviço, o síndico também pode acionar a fiscalização para que a empresa seja intimada
a realizar o reparo necessário, sob pena de multa.

CaRtiLHa do Código de postuRas

53
53

3.10 A obra e sua interferência no logradouro público

3.10.1 tapume de obras

O tapume, normalmente instalado no alinhamento do imóvel, terá altura mínima de 1,80 m

(um metro e oitenta centímetros) e poderá ser construído com qualquer material que cumpra finalidade de vedação e garanta a segurança do pedestre. No caso de obra interna à edificação, cujo vulto ou posição não comprometam a segurança de pedestre ou de veículo, é dispensada a instalação de tapume, desde que autorizado pelo poder público municipal e que o imóvel esteja fechado com muro ou gradil.

quando o tapume estiver instalado no alinhamento do imóvel, independe de licenciamento prévio e, quando sobre o passeio, dependerá de licença para a instalação.

O tapume poderá avançar sobre o passeio correspondente à testada do imóvel em que será

executada a obra, desde que o avanço não ultrapasse a metade da largura do passeio e desde que

deixe livre faixa contínua para passagem de pedestre de, no mínimo, 1,20 m (um metro e vinte centímetros) de largura.

Tapume Alinhamento ≥1/2 do passeio ≥1,20 m ≤1/2 do passeio Interior do lote Via CoRte
Tapume
Alinhamento
≥1/2 do passeio
≥1,20 m
≤1/2 do passeio
Interior do lote
Via
CoRte
Passeio

FIGURA 55 - Instalação de tapume

Se as condições técnicas da obra exigirem a ocupação de área maior no passeio, poderá ser tolerado avanço superior, mediante o pagamento do preço público relativo à área excedente, excetuando-se o trecho de logradouro de grande trânsito, a juízo do órgão competente do Executivo.

CaRtiLHa do Código de postuRas

54
54

3.10.2

Barracão de obra

Normalmente, a instalação do barracão de obras ocorre dentro do imóvel. Entretanto, é admitida

a instalação sobre o passeio nas seguintes condições:

a) se a obra for executada em imóvel localizado em logradouro público de intenso trânsito de pedestres;

b) desde que não tenha sido concluído qualquer piso na obra;

c) depende de prévio licenciamento, com prazo máximo de um ano;

d) o licenciamento ficará automaticamente cancelado quando a construção do terceiro piso da obra, acima do nível do passeio, estiver concluída;

e) altura mínima de 2,50 m (dois metros e cinquenta centímetros) em relação ao passeio;

f) desde que a colocação de pontalete de sustentação esteja na faixa de mobiliário urbano.

Barracão Suspenso Pontalete Pontalete Alinhamento frontal Tapume do imóvel Via Interior do lote ≥1,20 m
Barracão Suspenso
Pontalete
Pontalete
Alinhamento
frontal
Tapume
do imóvel
Via
Interior do lote
≥1,20 m
1/2 passeio
Faixa para
pedestre
Passeio
≥2,50 m

FIGURA 56 - Instalação de barracão de obra sobre o passeio

3.10.3 tela protetora

CoRte

A instalação da tela protetora destina-se à proteção de pedestres ou de edificações vizinhas.

É obrigatória a instalação e manutenção do bom estado de conservação da tela protetora durante

a execução de obra, reforma, demolição e qualquer outro serviço executado na fachada, mesmo que tal serviço não tenha a natureza de construção ou similar.

3.10.4 descarga de material de construção

A descarga de material de construção será feita no canteiro da respectiva obra, admitindo-se

excepcionalmente o uso do logradouro público, devendo, o responsável pela obra, iniciar imediatamente

a remoção do material descarregado para o respectivo canteiro. Será tolerado o prazo máximo de 24h

(vinte e quatro horas), contadas da finalização da descarga do material, para a sua total remoção.

CaRtiLHa do Código de postuRas

55
55

O responsável pela obra ainda é obrigado a manter o passeio do imóvel em bom estado de

conservação e em condições de ser utilizado para trânsito de pedestre.

quando o fiscal constata a utilização do passeio para depósito de material de construção, ele
quando o fiscal constata a utilização do passeio para depósito de
material de construção, ele emite notificação para que esse material
seja retirado com prazo de 24h.

3.10.5 Movimento de terra e entulho

O movimento de terra e entulho ou terraplenagem somente poderá ser executado após a emissão

da respectiva licença.

O transporte de terra e entulho provenientes de execução de obra, reforma ou demolição, deverá

ser feito em veículo cadastrado e licenciado pelo órgão competente do Executivo.

A terra e o entulho decorrentes de terraplenagem ou de demolição serão levados para local de

bota-fora definido pela Prefeitura ou para outra propriedade privada, que o proprietário respectivo apresente termo escrito de concordância e que a indicação seja aprovada pelo Executivo.

É proibida a utilização de logradouro público, de parque, de margens de curso d’água e de área verde para bota-fora ou empréstimo.

A infração às normas de movimentação de terra e entulho acarretam multas que variam

de R$ 528,95 a R$ 1.904,22.

CaRtiLHa do Código de postuRas

56
56

4 oNde eNCoNtRaR o seRViÇo Que VoCÊ pReCisa e outRas oRieNtaÇÕes

Os principais serviços podem ser encontrados nos locais descritos a seguir.

4.1 onde solicitar alguns serviços seRViÇo / LoCaL Alvará de Localização e Funcionamento do Empreendedor
4.1 onde solicitar alguns serviços
seRViÇo / LoCaL
Alvará de Localização e Funcionamento do Empreendedor Individual
Alvará de Localização e Funcionamento imediato
Alvará de Localização e Funcionamento mediante requerimento
Aprovação de projeto arquitetônico
Baixa de engenho de publicidade
Consulta prévia
Consulta de viabilidade
Denunciar alguma irregularidade
Documentos e formulários diversos
Licença para comércio em veículo automotor
Licença para o comércio em veículo de tração humana
Licença para demolição*
Licença para instalação de Barracão de Obras*
Licença para instalação de engenho de publicidade
Licença para instalação de mesas e cadeiras
Licença para a instalação de toldo
Licença para instalação de tapume*
Licença para movimentação de terra e entulho*
Licença para a realização de evento na propriedade pública ou privada
Pedido de cancelamento ou de prazo para cumprir exigência de docu-
mento fiscal
Poda de árvore
Registro de Empreendedor Individual
Sugestões e reclamações
saC (site da
pBH)
CeNtRaL
RegioNaL de
ateNdiMeNto
BH ResoLVe
site da pBH
site da JuCeMg
teLefoNe 156
site poRtaL do
eMpReeNdedoR

*As licenças de demolição, tapume, barracão de obra, movimentação de terra, quando solicitadas em conjunto com aprovação de projeto de edificação (Alvará Consolidado), devem ser solicitadas na central do BH Resolve.

CaRtiLHa do Código de postuRas

57
57

4.2 saC – serviço de atendimento ao Cidadão das Regionais

RegioNaL

eNdeReÇo

Barreiro

Rua Flavio Marques Lisboa, 345 – Barreiro

Centro-Sul

BH Resolve

Leste

Rua Lauro Jaques, 20 – Floresta

Nordeste

Rua queluzita, 45 – São Paulo

Noroeste

Rua Peçanha, 144 – Carlos Prates

Norte

Rua Pastor Murillo Cassete, 25 – Bairro São Bernardo

Oeste

Avenida Barão Homem de Melo, 282 – Nova Suíça

Pampulha

Avenida Presidente Antônio Carlos, 7.596 – Bairro São Luiz

Venda Nova

Rua Padre Pedro Pinto, 1.055 – Venda Nova

BH Resolve Endereço: Avenida Santos Dumont, 363 – entrada 2 pela Rua dos Caetés, 342 – Centro E-mail: bhresolve@pbh.gov.br Referência: entre as ruas Rio de Janeiro e Espírito Santo Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8 às 19 horas site da pBH – www.pbh.gov.br site da Jucemg – Junta Comercial de Minas Gerais – http://www.jucemg.mg.gov.br

4.3 unidades de Reciclagem de entulho de Construção*

 

eNdeReÇo

BaiRRo

teLefoNe

   

3277-7092

Rua Nilo Antônio Gazire, 147

Estoril

3277-9645

Rua Polycarpo Magalhães Viotti, 450

Pampulha

3277-7912

BR-040, Km 531

Jardim Filadélfia

sem telefone

*Recebe entulhos de construção e reformas não misturados a outros materiais. quando abaixo de 2m³, podem ser entregues nas URPVs – Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes.

CaRtiLHa do Código de postuRas

58
58

4.4 unidades de Recebimento de pequenos Volumes**

 

eNdeReÇo

BaiRRo

teLefoNe

BaRReiRo

Av. Tereza Cristina, 68

Conj. Átila de Paiva

3277- 1537

Rua Itapetinga, 02

Conj. Flávio de Oliveira – Urucuia

3277-1535

Rua Agenor Nonato Souza, 710

Jatobá IV

sem telefone

Av. Antônio de Souza Gomes, 101

Lindéia

3277-5942

Rua José Eduardo Moreira, 181, esquina com Av. Waldyr Soeiro Enrich

Milionários

3277-5886

Rua Marly Passos, 10

Barreiro de Baixo

3277-1536

CeNtRo-suL

 

Av. Arthur Bernardes, 3.951

Barragem Santa Lúcia

3277- 8820

Leste

Av. dos Andradas, 5.965

Boa Vista

3277- 1137

Av. dos Andradas, 7.501

São Geraldo

sem telefone

Av. Mem de Sá, 1.860

Fazendinha

3277-8266

NoRdeste

Rua Dois, sem número, com Praça Santa Rosa Mística

Capitão Eduardo

sem telefone

Rua Elias Miguel Farad, esquina com Anel Rodoviário

Goiânia

sem telefone

Rua Angaturama, esquina com Av. Cristiano Machado

São Paulo

sem telefone

Rua Zumbi, 72

São Gabriel

3277-7977

NoRoeste

Av. Ver. Cícero Idelfonso (Delta), esquina com Via Expressa

João Pinheiro

sem telefone

Av. Dom Pedro II, 5.081

Jardim Montanhês

3277-8430

Av. Amintas Jacques de Moraes (final da avenida)

Pindorama

sem telefone

NoRte

R. Adolfo Bezerra de Menezes, 215

Campo Alegre

3277-9203

Av. Basílio da Gama, 5, esquina com Av. Saramenha

Tupi

3277-6792

Washington Luiz, 945

São Bernardo

3277-6695

oeste

Av. Barão Homem de Melo, 300

Nova Suíça

sem telefone

Av. Tereza Cristina, 8.451

Madre Gertrudes

sem telefone

Rua das Flores, 45

Vista Alegre

sem telefone

Av. Silva Lobo, 1, esquina com Av. Tereza Cristina

Bairro Calafate

sem telefone

paMpuLHa

 

Rua Castelo de Veiros, 315

Castelo

sem telefone

Rua Rita Alves Castanheira, 50

Dona Clara

sem telefone

Rua Renato Fantone, 30

Enseada das Garças

sem telefone

Rua Flor do Índio,105

Liberdade

sem telefone

**Recebe até 2 m³, cerca de 10 tambores de 200 l. Não recebe o lixo doméstico, lixo de estabelecimento de saúde e animais mortos, servindo apenas para entulho, móveis, materiais de poda e demais objetos.

CaRtiLHa do Código de postuRas

59
59

4.4 unidades de Recebimento de pequenos Volumes**

 

eNdeReÇo

BaiRRo

teLefoNe

Av. Deputado Anuar Menhen, 550

Santa Amélia

sem telefone

VeNda NoVa

 

Rua Augusto dos Anjos, 1.983

Visconde do Rio Branco

3277- 5497

Rua Elce Ribeiro, esquina com Rua Bernardino de Oliveira Pena

São João Batista

3277-5452

Av. Vilarinho, 4.441

Madre Gertrudes

3277- 9480

**Recebe até 2 m³, cerca de 10 tambores de 200 l. Não recebe o lixo doméstico, lixo de estabelecimento de saúde e animais mortos, servindo apenas para entulho, móveis, materiais de poda e demais objetos.

Para ter acesso a documentos necessários para o licenciamento e para consultar valores de taxas,
Para ter acesso a documentos necessários para o licenciamento e para consultar
valores de taxas, consulte o portal de serviços da PBH
http://portaldeservicos.pbh.gov.br/portalservicos/view/paginas/escolheHome.jsf

5 peRguNtas e Respostas

eNteNdeNdo a CaRtiLHa

O que preciso saber para entender esta cartilha? Alguns conceitos que aparecerão constantemente nesta cartilha. Leia Considerações iniciais, item 1.

passeio

Preciso construir passeio em frente ao meu imóvel ou lote? Como tenho que construí-lo? Sim. O proprietário dos imóveis construídos e dos lotes vagos, localizados em vias que tenham pavimentação e meio-fio, são obrigados a mantê-los em bom estado de conservação. Leia o pedestre e seu local no passeio, item 2.1; o Mobiliário urbano, item 2.2; Construção do passeio, item 2.6, e o Lote vago, item 2.7.

CaRtiLHa do Código de postuRas

60
60

oBRa Na pRopRiedade

Resolvi fazer uma obra no meu lote ou prédio. Preciso de um barracão, de tapume, transporte para o material de desaterro, o entulho, e fazer a descarga do meu material de construção. Meu vizinho me disse que, além de aprovar o projeto da obra, devo seguir outras regras da Prefeitura. quais são essas regras? Veja instalação de caçambas no logradouro público, item 2.3, e a obra e sua interferência no logradouro público, item 3.10.

pedido de pRaZo e CaNCeLaMeNto de doCuMeNto fisCaL

Posso recorrer contra uma multa ou outro documento fiscal? Sim. A legislação prevê recursos em primeira e segunda instância.

Onde faço o recurso? Nas unidades de Serviço de Atendimento ao Cidadão das Regionais e no BH Resolve.

Existe prazo máximo para entrar com recurso contra multa aplicada ou outro documento fiscal? Sim. Conforme normas da legislação, esse prazo é de 15 (quinze) dias corridos.

O que preciso para protocolar um recurso ou pedido de prazo? Cópia do documento fiscal, cópia da carteira de identidade e CPF do autuado ou do seu representante legal, contrato social da empresa no caso de sociedades, requerimento assinado pelo notificado ou seu representante legal.

Onde fico sabendo sobre a resposta do recurso? Todas as decisões são publicadas no Diário Oficial do Município – DOM, que pode ser consultado no site da PBH. O requerente poderá consultar também a tramitação atra- vés do telefone 156 ou pesquisa no sistema SIATU, também no site da Prefeitura.

Não concordando com a primeira decisão da junta de primeira instância, onde posso recorrer? Se a decisão de primeira instância for indeferida, o requerente poderá recorrer à segun- da instância, no mesmo local que protocolizou o recurso inicial.

E se a segunda decisão for negada, posso recorrer novamente? Não. A legislação prevê somente recursos de primeira e segunda instâncias.

Eu não me identifiquei quando a mercadoria foi apreendida no logradouro público. Posso solicitar a devolução? Sim. A devolução será feita mediante comprovação, através de documentos, da propriedade da mercadoria.

Posso entrar com requerimento de cancelamento de multa, devolução de mercadoria ou pedido de prazo de documento fiscal que está em nome de outra pessoa? Sim. Desde que o requerente tenha procuração assinada.

qual o prazo máximo que a Prefeitura concede? A legislação indica critérios para definição desse prazo, com limite máximo de 180 (cento e oitenta) dias corridos.

CaRtiLHa do Código de postuRas

61
61

pedido de pRaZo e CaNCeLaMeNto de doCuMeNto fisCaL

qual o prazo máximo, por lei, para requisitar uma mercadoria apreendida pela PBH? 24h (vinte e quatro horas) para mercadorias perecíveis e 60 (sessenta) dias para mercadorias não perecíveis.

Para reaver a mercadoria apreendida, preciso pagar as multas e preços públicos de armazenagem? Sim.

A Prefeitura é responsável por danos à mercadoria ou ao equipamento apreendido? Não. A Prefeitura procura preservar a integridade dos bens. Entretanto, a lei define que ela não é responsável por eventuais danos ocasionados a esses bens.

puBLiCidade

Posso colocar placas e faixas nos postes de rua ou em outros logradouros públicos? Não. A legislação proíbe a colocação de quaisquer engenhos publicitários no logradou- ro público. Somente são admitidas as faixas de interesse público (campanha de vacina- ção, trânsito, etc.).

Tenho uma empresa e quero anunciá-la na rua. Existe algum jeito e local para fazer isso? Sim, somente nos mobiliários urbanos licenciados e nas propagandas em ônibus. Veja mais em exercendo sua atividade sem ser penalizado, item 3.1, e instalação de fai- xa e demais publicidades no logradouro público, item 2.4.

Como proprietário do imóvel, se eu permitir a instalação de engenho de publicidade sem licença, posso ser multado? Sim. A multa é aplicada a todos os responsáveis pela infração (proprietário do imóvel, empresa de publicidade e anunciante).

Uma empresa pode colocar uma placa com iluminação que afeta minha residência? Não. A instalação de engenho de publicidade que utiliza dispositivo de iluminação, cuja projeção avance além dos limites do lote, depende de anuência do proprietário do lote vizinho.

Posso pintar os muros dos lotes vagos ou edificados com publicidade da minha empresa? Não. O proprietário do engenho, anunciante, possuidor do imóvel e a empresa de pro- paganda ou publicidade serão autuados.

Tenho comércio e preciso colocar uma publicidade no meu estabelecimento. Como e onde posso colocá-la? Veja em exercendo sua atividade sem ser penalizado, item 3.1, e Condições para a instalação do engenho de publicidade em seu estabelecimento, item 3.3.

CaRtiLHa do Código de postuRas

62
62

eXeRCÍCio de atiVidade NÃo ResideNCiaL

Posso exercer atividade comercial na rua? quais são as regras da Prefeitura? A regra geral é que a atividade no logradouro público é proibida, entretanto, existem algumas atividades que são permitidas. Veja mais em o Mobiliário urbano, item 2.2, e em o exercício de atividade no logradouro público, item 2.5.

Um estabelecimento, para funcionar, precisa de licença da Prefeitura? Sim. Necessita do Alvará de Localização e Funcionamento. Veja mais em o alvará de localização e funcionamento, item 3.2, e em exercendo sua atividade sem ser penalizado, item 3.1.

Um bar pode funcionar com música alta, colocando mesas e cadeiras no passeio? Não. Existem regras a serem respeitadas. No caso da música, a fiscalização faz a vistoria e, constando irregularidades, aplica as penalidades cabíveis. quanto às mesas e cadei- ras o uso somente poderá ocorrer após o licenciamento e seguindo algumas regras. Veja mais em exercendo sua atividade sem ser penalizado, item 3.1.

Uma oficina mecânica pode pintar e lanternar veículos na calçada? Não. Nenhuma atividade pode ser desenvolvida no passeio público. A empresa, para executar atividades de pintura e lanternagem, deverá obter Alvará de Localização para prestar esse serviço dentro do seu estabelecimento e, ainda, deverá atender às disposi- ções da lei quanto ao controle ambiental.

Utilizo mesas e cadeiras fora da área construída. Como e onde posso colocá-las? Preciso de alguma licença? Sim. Veja as condições gerais para a instalação de mesas e cadeiras em instalação de mesas e cadeiras, item 3.7.

Estou pensando em utilizar um toldo no meu restaurante. Existem regras para a instalação? Preciso de alguma licença? Sim. Veja mais em instalação de toldo, item 3.6.

A 2ª via do Alvará poderá ser emitida sem ônus? As solicitações de segunda via do Alvará de Localização e Funcionamento, ocorridas entre o 11º dia e o 30º dia (corridos) após a sua emissão pela PBH, serão isentas de cobrança de preço público desde que seja apresentada, pelo proprietário da empresa ou profissional autônomo, uma DECLARAÇÃO com firma reconhecida em Cartório, atestando o não recebimento do respectivo Alvará de Localização e Funcionamento, anteriormente concedido através dos CORREIOS. Transcorrido o período citado, haverá ônus para o requerente.

Posso estacionar veículos no afastamento frontal de minha loja? Existe alguma regra da Prefei- tura?

Sim. Se o afastamento for de via coletora ou local e, sob condições, se o imóvel estiver em via arterial ou de ligação regional.

CaRtiLHa do Código de postuRas

63
63

eLeVadoRes

Um elevador pode funcionar sem ascensorista? A legislação prevê que somente os elevadores com comando manual deverão ter, obrigatoriamente, ascensorista.

Se a empresa de manutenção contatada para o meu condomínio não estiver realizando vis- torias periódicas e emitindo o laudo de segurança obrigatório, o que devo fazer? Denunciar à Prefeitura e adotar outras providências legais cabíveis. A Prefeitura irá vis- toriar o local, emitir as notificações e cobrar a apresentação do laudo específico, que deverá ser emitido pela empresa após a realização da vistoria técnica. Comprovando reiterado descumprimento das normas legais, a Prefeitura poderá cassar o registro dessa empresa.

O elevador do prédio está parado há vários dias, posso reclamar? Sim. A legislação prevê que um elevador ou escada rolante não poderá permanecer paralisado sem motivo que justifique, por mais de 24h (vinte e quatro horas).

Onde solicito vistoria técnica para verificar a segurança do elevador ou escada rolante de um prédio? Conforme legislação em vigor, o condomínio ou responsável pelo edifício em que estão instalados elevadores ou escadas rolantes é obrigado a contratar empre- sa ou profissional de conservação ou manutenção, devidamente registrados na Prefeitura de Belo Horizonte e no CREA-MG. Esses profissionais serão responsáveis pelas vistorias técnicas e inspeções periódicas desses aparelhos e pela entrega do Laudo Técnico de Inspeção Anual ao síndico ou responsável pelo edifício. A Prefei- tura vistoria os aparelhos para verificar o cumprimento da legislação, solicitando ao responsável pelo condomínio ou pelo elevador a apresentação do Laudo Técni- co de Inspeção Anual ou Laudo Técnico de Inspeção Emergencial, expedido pela empresa ou profissional contratado. Constatada a existência de risco iminente, o elevador ou escada rolante poderão ser interditados.

Onde eu cadastro o livro obrigatório de registro de ocorrências dos aparelhos de transporte? Na internet, através do site da Prefeitura (http://portal6.pbh.gov.br/sifat/condominio- man.do?evento=x).

CaRtiLHa do Código de postuRas

64
64