Anda di halaman 1dari 3

Comunicado 274

Técnico ISSN 0103-9458


Dezembro, 2003
Porto Velho, RO

Avaliação Agronômica sob Pastejo de Panicum maximum


cv. Mombaça em Rondônia
1
Newton de Lucena Costa
2
Claudio Ramalho Townsend
3
João Avelar Magalhães
1
José Ribamar da C. Oliveira

Introdução setembro), precipitação anual entre 2.000 e 2.500


mm, temperatura média anual de 24,5ºC e
Em Rondônia, a exploração pecuária tem nas umidade relativa do ar de 89%. O solo da área
pastagens cultivadas o principal recurso para a experimental é um Podzólico Vermelho-Amarelo,
alimentação dos rebanhos. Entre as espécies mais textura média, com as seguintes características
cultivadas destacam-se as brachiarias (Brachiaria químicas: pH = 5,8; P = 2 mg/kg; Ca + Mg = 4,6
3
brizantha cv. Marandu, B. decumbens, B. humidicola) cmol/dm ; K = 83,5 mg/kg e Matéria Orgânica =
e o capim-colonião (Panicum maximum). No entanto, 4,65%.
a partir da recomendação de novas cultivares de P.
maximum (Tanzânia-1, Aruanã, Massai, Tobiatã, O delineamento experimental foi inteiramente
Mombaça, Vencedor e Centenário), que apresentam casualizado com duas repetições. Os tratamentos
melhor adaptação aos solos de média fertilidade consistiram de duas pressões de pastejo: 6-8 e 10-
natural e maior facilidade de manejo, tem aumentado 12 kg de matéria seca/100 kg de peso vivo. O
consideravelmente sua participação nos sistemas de plantio foi realizado a lanço, utilizando-se 6,0 kg de
produção de carne e leite do estado. Em Rondônia, sementes/ha (Valor cultural = 80%). A adubação
Costa e Oliveira (1994) e Costa et al. (1996) de estabelecimento constou da aplicação de 50
avaliando o desempenho agronômico, em ensaios kg/ha de P2O5 como superfosfato triplo. O sistema
sob corte, de diversos genótipos de Panicum, de pastejo foi rotativo com 7 dias de ocupação por
selecionaram P. maximum cv. Mombaça dentre 21 dias de descanso. Com a finalidade de facilitar
aqueles mais promissores para a formação e/ou a imposição das cargas animal, os piquetes foram
recuperação de pastagens no estado, face suas divididos em duas áreas distintas (0,4 e 0,6 ha).
elevadas produções de forragem, boa palatabilidade, Utilizaram-se novilhos anelorados com 12 a 14
composição química e digestibilidade satisfatórias e meses de idade e peso médio inicial entre 120 e
uma vigorosa rebrota após o corte e/ou pastejo. 150 kg, os quais eram pesados a intervalos de 56
dias, a fim de obter-se uma estimativa do potencial
Deste modo, neste trabalho avaliou-se o efeito da de produção de carne da gramínea. Todos os
pressão de pastejo sobre a produção de forragem e animais receberam os tratos sanitários de rotina,
composição química de P. maximum cv. Mombaça. como vermifugação, mineralização e vacinação
contra febre aftosa. Os parâmetros avaliados
Material e Métodos foram disponibilidade de matéria seca verde
(DMSV), matéria seca de folhas (MSF) e da
resteva (MSR), taxa de expansão foliar (TEF) e
O ensaio foi conduzido no Campo Experimental da
teores de nitrogênio, fósforo, cálcio, magnésio e
Embrapa Rondônia, localizado no município de
potássio.
Presidente Médici, entre fevereiro de 1997 e
setembro de 1998. O clima da região é tropical úmido
do tipo Am, com estação seca bem definida (junho a

1
Eng. Agrôn., M.Sc., Embrapa Rondônia, Caixa Postal 406, CEP 78900-970, Porto Velho, Rondônia
2
Zootec., M.Sc., Embrapa Rondônia.
3
Med. Vet., M.Sc., Embrapa Meio Norte, Caixa Postal 341, CEP 64200-000, Parnaíba, Piauí
2 Avaliação Agronômica sob Pastejo de Panicum maximum cv. Mombaça em Rondônia

Resultados e Discussão Referências Bibliográficas

As pressões de pastejo impostas resultaram na ALMEIDA, E.X. de; SETELICH, E.A.; MARASCHIN,
obtenção de cargas animal de 2,44 e 1,57 UA/ha, no G.E. Oferta de forragem e variáveis morfogênicas em
período chuvoso e de 1,5 e 1,17 UA/ha, no período capim-elefante cv. Mott. In: REUNIÃO ANUAL DA
seco, respectivamente para 6 a 8 e 10 a 12 kg de SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 34.,
MS/100 kg peso vivo, as quais estão compatíveis 1997 Juiz de Fora. Anais... Juiz de Fora: SBZ, 1997,
com as taxas de crescimento apresentadas pela p.240-242.
gramínea - 81,3 e 27,1 kg/ha/dia de MS,
respectivamente para os períodos chuvoso e seco BERETTA, L.G.R.; KANNO, T.; MACEDO, C.M.;
(Costa et al., 2003a). A DMSV e a MSF foram SANTOS JÚNIOR, J.D.G.; CORREA, M.R.
significativamente (P < 0,05) reduzidas com o Morfogênese foliar e taxas de crescimento de
aumento da pressão de pastejo. Os decréscimos pastagem de Panicum maximum cv. Tanzânia-1 em
foram de 28 e 43%, para a DMSV e de 34 e 55%, solo dos cerrados. In: REUNIÃO ANUAL DA
para a MSF, respectivamente, para os períodos SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 36.,
chuvoso e seco (Tabela 1). Do mesmo modo, 1999, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: SBZ,
Almeida et al. (1997) e Gomide et al. (1997), 1999, 3p. (CD-ROM).
respectivamente com Pennisetum purpureum cv.
Mott e Brachiaria decumbens, verificaram uma COSTA, N. de L.; TOWNSEND, C. R.; PEREIRA, R.
correlação negativa e significativa entre pressão de G. de A.; MAGALHÃES, J.A.; SILVA NETTO, F. G.
pastejo, disponibilidade de forragem e MSF. A MSR da.; TAVARES, A. C. Tecnologias para a produção
não foi afetada pela carga animal, no entanto, foi animal em Rondônia – 1975/2001. Porto Velho:
significativamente (P < 0,05) reduzida durante o Embrapa Rondônia, 2003a. 26 p. (Embrapa
período seco (Tabela 1). As TEF foram afetadas pela Rondônia. Documentos, 70).
carga animal, apenas durante o período chuvoso,
sendo o maior valor registrado com a utilização da COSTA, N. de L.; PAULINO, V.T.; RODRIGUES,
pressão de pastejo de 10 a 12 kg de MS/100 kg peso A.N.A. Níveis de fósforo em pastagens de
vivo (24,17 mm/dia), superior ao reportado por Panicum maximum cv. Massai. Porto Velho:
Beretta et al. (1999) para P. maximum cv. Tanzânia Embrapa Rondônia, 2003b. 3 p. (Embrapa Rondônia.
cultivado em solo sob cerrado (15,4 mm/dia). Comunicado Técnico, 263).

Os teores de P, Ca, Mg e K não foram afetados COSTA, N. de L.; OLIVEIRA, J. R. da C. Evaluación


pelas pressões de pastejo. Para os de N observou- agronómica de accesiones de Panicum maximum en
se efeito significativo apenas para estação do ano, Rondônia. Pasturas Tropicales, v.16, n.2, p.44-47,
sendo os maiores valores registrados durante o 1994.
período chuvoso (Tabela 2). Em geral, as
concentrações verificadas neste trabalho foram COSTA, N. de L.; PAULINO, V.T.; RODRIGUES,
semelhantes ou superiores às relatadas por Costa & A.N.A. Efeito da adubação fosfatada sobre o
Oliveira (1994) e Costa et al. (1998), avaliando 20 rendimento e composição química da forragem de
genótipos de Panicum em diversas localidades de Panicum maximum cv. Centenário. In: REUNIÃO
Rondônia. Os teores de N, apenas durante o período ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE
chuvoso, ficaram acima das exigências mínimas ZOOTECNIA, 35., 1998, Botucatu. Anais... Botucatu:
requeridas por bovinos de corte em pastejo (11,2 SBZ, 1998, p.611-613.
g/kg). Já, os teores de P, independentemente das
pressões de pastejo e dos períodos de avaliação, COSTA, N. de L.; PEREIRA, R. G. de A.;
foram inferiores aos níveis críticos internos TOWNSEND, C.R. Desempenho produtivo de
estimados por Costa et al. (2003b) para P. maximum gramíneas forrageiras nos cerrados de Rondônia.
cv. Massai (2,27 g/kg). Porto Velho: EMBRAPA-CPAF Rondônia, 1996. 4p.
(Comunicado Técnico, 117).
Os ganhos de peso estimados foram de 0,498 e
0,235 kg/na/dia; 1,36 e 0,47 kg/ha/dia e, 330 e 56,4 COSTA, N. de L.; PEREIRA, R. G. de A.;
kg/ha/período, respectivamente para os períodos TOWNSEND, C.R. Avaliação agronômica sob
chuvoso e seco. Os valores obtidos durante o pastejo de Panicum maximum cv. Tanzânia.In:
período seco foram superiores aos relatados por REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA
Euclides et al. (1999) para pastagens de P. DE ZOOTECNIA, 37., 2000, Viçosa. Anais... Viçosa:
maximum cv. Tanzânia, fertilizadas com 50 ou 100 SBZ, 2000, 3p. (CD-ROM).
kg/ha de N, porém, inferiores aos obtidos durante o
período chuvoso. Já, o desempenho animal COSTA, N de L.; TOWNSEND, C.R.; MAGALHÃES,
registrado durante o período chuvoso foi inferior ao J.A .; OLIVEIRA, J.R. da C. Desempenho
obtido por Costa et al. (2000, 2003), em Rondônia, agronômico sob pastejo de Panicum maxium cv.
para pastagens de P. maximum cvs. Massai e Massai em Rondônia. Porto Velho: Embrapa
Tanzânia-1. Rondônia, 2003. 3p. (Embrapa Rondônia.
Comunicado Técnico, 239).
Avaliação Agronômica sob Pastejo de Panicum maximum cv. Mombaça em Rondônia 3
EUCLIDES, V.P.B.; MACEDO, M.C.; OLIVEIRA, Conclusões
M.P. de. Avaliação de cultivares de Panicum
maximum em pastejo. In: REUNIÃO ANUAL DA - O aumento da pressão de pastejo promoveu
SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 36., decréscimos na disponibilidade MS e taxa de
1999, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: SBZ, expansão foliar, contudo não afetou as
1999, 3p. (CD-ROM). concentrações de P, Ca, Mg e K;

GOMIDE, C.A. de M.; GOMIDE, J.A.; QUEIROZ, - Os teores de N e a MS de resteva não foram
D.S.; PACIULLO, D.S.C. Fluxo de tecidos em afetados pelas pressões de pastejo;
Brachiaria decumbens. In: REUNIÃO ANUAL DA
SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 34., - Considerando-se a disponibilidade e a qualidade da
1997 Juiz de Fora. Anais... Juiz de Fora: SBZ, forragem, recomenda-se a utilização de 2,0 e 1,0
1997a, p.117-119. UA/ha, respectivamente para os períodos chuvoso e
seco.

TABELA 1. Disponibilidade de matéria seca verde seca (DMVS), matéria seca de folhas (MSF), matéria
seca da resteva (MSR) e taxa de expansão foliar (TEF) de Panicum maximum cv. Mombaça, em função
da pressão de pastejo.

Estação Pressão de pastejo DMSV MSF MSR TEF


Kg MS/100 kg PV (t/ha) (t/ha) (t/ha) (mm/dia)
1
Chuvosa 10-12 4,94 a 3,12 a 9,78 a 24,17 a
6-8 3,55 b 2,05 b 7,91 a 20,05 b
2
Seca 10-12 2,55 c 0,92 c 2,11 b 5,10 c
6-8 1,45 d 0,41 d 1,99 b 4,11 c
- Médias seguidas de mesma letra não diferem entre si (P > 0,05) pelo teste de Duncan
1 - Outubro a maio = 1.756 mm 2- Junho a setembro = 215 mm

TABELA 2. Teores de nitrogênio, fósforo, cálcio, magnésio e potássio de Panicum maximum cv.
Mombaça, em função da pressão de pastejo.

Estação Pressão de pastejo Nitrogênio Fósforo Cálcio Magnésio Potássio


Kg MS/100 kg PV ------------------------------------- g/kg ---------------------------------------
Chuvosa 6-8 22,54 a 1,89 a 5,87 a 3,96 a 19,11 a
10-12 20,86 a 1,84 a 6,10 a 4,11 a 18,76 a
Seca 6-8 12,04 b 1,81 a 5,78 a 3,77 a 17,98 a
10-12 10,22 b 1,94 a 6,25 a 4,02 a 18,35 a
- Médias seguidas de mesma letra não diferem entre si (P > 0,05) pelo teste de Duncan

Comunicado Exemplares desta edição podem ser Comitê de Presidente: Newton de Lucena
adquiridos na: Costa
Técnico, 274 Publicações Secretária: Marly Medeiros
Normalização: Alexandre Marinho
Embrapa Rondônia Membros: Marilia Locatelli, Vanda
Endereço: BR 364, km 5,5 G. S. Rodrigues, Maria das Graças
Caixa Postal 406, CEP 78900-970 Rodrigues Ferreira, José Nilton
Porto Velho, RO Medeiros Costa, Flávio França de
Fone: (69) 222-0014 Souza, Luiz Carlos Coelho de
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,
Fax: (69) 222-0409 Menezes, Rogério S. C. Costa
PECUÁRIA E ABASTECIMENTO E-mail: sac@cpafro.embrapa.br
Supervisor Editorial: Newton de
Expediente Lucena Costa
Revisão de texto: Wilma Inês de
1ª Edição França Araújo
1ª Impressão 2003 Editoração Eletrônica: Marly
Tiragem 100 exemplares Medeiros