Anda di halaman 1dari 21

INTRODUÇÃO À ECONOMIA

Microeconomia e Macroeconomia

I NTRODUÇÃO À E CONOMIA Microeconomia e Macroeconomia MANKIW, N.G., Introdução à Economia: princípios de micro

MANKIW, N.G., Introdução à Economia:

I NTRODUÇÃO À E CONOMIA Microeconomia e Macroeconomia MANKIW, N.G., Introdução à Economia: princípios de micro
  • princípios de micro e macroeconomia. Rio de
    Janeiro: Campus, 2006.

I NTRODUÇÃO À E CONOMIA Microeconomia e Macroeconomia MANKIW, N.G., Introdução à Economia: princípios de micro

CONCEITO DE ECONOMIA

Economia estuda a forma mais eficiente de alocar os recursos escassos. A economia se ocupa das

questões relativas a satisfação das necessidades dos indivíduos e da sociedade.

  • Ciência da escassez.

C ONCEITO DE E CONOMIA  Economia estuda a forma mais eficiente de alocar os recursos

OS PROBLEMAS ECONÔMICOS FUNDAMENTAIS

  • Da escassez dos recursos ou dos fatores de produção, associa-se às necessidades ilimitadas do homem, originando problemas econômicos fundamentais:

  • O quê e quanto produzir: Dada a escassez de recursos de produção, a sociedade terá de escolher, quais produtos serão produzidos e em que quantidades.

  • Como produzir: A sociedade terá de escolher ainda quais recursos de produção serão utilizados para a produção de bens e serviços, dado o nível tecnológico existente.

  • Para quem produzir: A sociedade terá também que decidir

como seus membros participarão da distribuição dos resultados de sua produção (demanda, oferta, determinação de salários, das rendas das terras, dos juros etc).

O S P ROBLEMAS E CONÔMICOS F UNDAMENTAIS  Da escassez dos recursos ou dos fatores

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS TRADE-OFFS

  • As pessoas enfrentam trade-offs (NADA É DE GRAÇA - conflito de escolha).

  • Para obtermos uma coisa que desejamos, temos que abrir mão de outra que gostamos.

  • Ex.: dividir as horas de estudo entre economia e direito. E a cada hora de estudo deixo de fazer outra coisa.

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – T RADE - OFFS  As pessoas enfrentam trade-offs (NADA É

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS CUSTO DE OPORTUNIDADE

  • O custo de alguma coisa é o que você desiste para obtê-la.

  • Ex.: Qual Moradia,

custo de Anuidades,

o

Oportunidade.

se fazer

uma faculdade? Livros,

Alimentação

+

Custo

de

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – C USTO DE O PORTUNIDADE  O custo de alguma coisa

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS RACIONALIDADE

  • As pessoas fazem escolhas racionais.

  • Ao ter que tomar uma decisão as pessoas comparam custos e benefícios.

  • Os empresários tentam sempre maximizar lucros condicionados pelos custos de produção, os consumidores procuram maximizar sua satisfação no consumo de bens e serviços (limitados por sua renda e pelos preços das mercadorias).

  • Homo Oeconomicus

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – R ACIONALIDADE  As pessoas fazem escolhas racionais.  Ao ter

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS INCENTIVOS

  • As pessoas respondem à incentivos.

  • Como as pessoas tomam decisões comparando custos e benefícios, seu comportamento pode mudar quando custos e benefícios se alteram.

  • Ex.: Quando o preço da maça aumenta, as pessoas comem mais peras ou bananas. Já os produtores de maça,

decidem contratar mais pessoas para colhe-las, porque o benefício em vende-las aumentou.

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – I NCENTIVOS  As pessoas respondem à incentivos.  Como as

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS OS MERCADOS

  • Os mercados são, em geral, uma boa forma de organizar a atividade econômica.

  • Adam Smith e

a

mão

invisível:

"O mercador ou

comerciante, movido apenas pelo seu próprio interesse egoísta é levado por uma mão invisível a promover algo

que nunca fez parte do interesse dele: o bem-estar da

sociedade". Como resultado da atuação dessa "mão invisível", o preço das mercadorias deveria descer e os salários deveriam subir.

  • Economia de Mercado: Economia em que aloca recursos

através de decisões descentralizadas de muitas empresas

e famílias quando estas interagem em um mercado de bens e serviços.

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – O S M ERCADOS  Os mercados são, em geral, uma

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS FALHAS DE MERCADO

  • Os Governos podem as vezes melhorar os resultados do mercado.

  • A mão invisível, em geral, orienta os mercados para uma alocação eficiente dos recursos. Contudo, por várias vezes a mão invisível não funciona, acarretando em falhas de mercado.

  • Uma das possíveis causas das falhas de mercado são as externalidades (impacto das ações de alguém sobre o bem-estar dos que estão em torno).

  • Ex.: Emissão de poluentes por parte de uma fábrica. O Governo interfere através de regulação ambiental

  • Outra falha de mercado é o poder de mercado.

  • Ex.: Fabricante de produtos alimentícios que tenha poder de monopólio (ele determina a quantidade produzida e o preço).

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – F ALHAS DE MERCADO  Os Governos podem as vezes melhorar

PRINCÍPIOS ECONÔMICOS INFLAÇÃO

  • Os preços sobem quando o Governo emite moeda demais

  • Inflação

é

a

queda do valor

de mercado ou

poder de

compra do dinheiro. Ou seja, é o aumento no nível geral de preços.

  • O que causa a inflação? Na maioria das vezes o culpado é o aumento na quantidade de moeda. Quando um Governo emite grandes quantidades de moeda, seu valor cai.

  • Ex.: Na década de 1980 a inflação brasileira intensificou-se como nunca ocorreu antes.

P RINCÍPIOS E CONÔMICOS – I NFLAÇÃO  Os preços sobem quando o Governo emite moeda

CONCEITO DE CETERIS PARIBUS

  • Ceteris paribus é uma expressão do Latim que pode ser traduzida por "todo o mais é constante" ou "mantidas inalteradas todas as outras coisas". A condição ceteris paribus, é usada na economia para fazer uma análise de mercado da influência de um fator sobre outro, sem que as demais variáveis sofram alterações.

C ONCEITO DE C ETERIS PARIBUS  Ceteris paribus é uma expressão do Latim que pode

DIVISÃO DO ESTUDO DA ECONOMIA

Microeconomia - estudo do comportamento econômico individual de consumidores e firmas

bem como a distribuição da produção e rendimento entre eles.

Macroeconomia - estudo, medida e observação de uma economia regional ou nacional como um todo.

D IVISÃO DO E STUDO DA E CONOMIA  Microeconomia - estudo do comportamento econômico individual

MICROECONOMIA

  • Teoria do Consumidor: preferências do consumidor analisando o seu comportamento, as suas escolhas, as

restrições quanto a valores e a demanda de mercado. A partir

dessa teoria se determina a curva de demanda.

  • Teoria da Firma: estrutura econômica de organizações cujo objetivo é maximizar lucros. Estuda estruturas de mercado tanto competitivas quanto monopolísticas. A partir dessa teoria se determina a curva de oferta.

  • Teoria da Produção: processo de transformação de fatores adquiridos pela empresa em produtos finais para a venda no mercado. Estuda as relações entre as variações dos fatores de produção e suas conseqüência no produto final. Determina as curvas de custo, que são utilizadas pelas firmas para determinar o volume ótimo de oferta.

M ICROECONOMIA  Teoria do Consumidor: preferências do consumidor analisando o seu comportamento, as suas escolhas,

MICROECONOMIA

  • Análise das estruturas de mercado: A partir da demanda e da oferta de mercado são determinados o preço e a quantidade de um bem ou serviço (concorrência perfeita; monopólio; oligopólio concorrência imperfeita ou monopolista).

  • Teoria do equilíbrio geral: A análise do equilíbrio geral leva em conta as inter-relações entre todos os mercados, procurando analisar se o comportamento independente de cada agente econômico conduz todos a uma posição de equilíbrio global, embora todos sejam, na realidade, interdependente.

M ICROECONOMIA  Análise das estruturas de mercado: A partir da demanda e da oferta de

TRADE-OFFS

  • Os trabalhadores, as empresas e os consumidores têm que escolher, e assim fazem trade-offs:

T RADE - OFFS  Os trabalhadores, as empresas e os consumidores têm que escolher, e
  • Vou trabalhar ou vou de férias?

  • Compro um carro novo ou vou de férias?

  • Contrato mais trabalhadores ou invisto em maquinaria?

  • Vou para a universidade ou vou já trabalhar?

  • Como

é

que estas

melhor maneira?

escolhas

são tomadas da

T RADE - OFFS  Os trabalhadores, as empresas e os consumidores têm que escolher, e

TRADE-OFFS - TRABALHADORES

Indivíduos decidem quando e se entram na força de trabalho.

  • Trade-off entre trabalhar agora ou melhorar a formação profissional ou educação

Que escolhas é que os indivíduos fazem em termos de empregos ou locais de trabalho?

Quantas

horas

de

trabalho

é

que

os

indivíduos escolhem trabalhar?

  • Trade-off entre trabalho e lazer

T RADE - OFFS - T RABALHADORES  Indivíduos decidem quando e se entram na força

TRADE-OFFS - CONSUMIDORES

Orçamentos limitados (Restrições Orçamentais).

Teoria

do

Consumidor: descreve como os

consumidores maximizam o seu bem-estar, usando as suas preferências, para tomar decisões sobre

trade-offs.

Como é que os consumidores tomam decisões sobre consumo e poupança?

T RADE - OFFS - C ONSUMIDORES  Orçamentos limitados (Restrições Orçamentais).  Teoria do Consumidor:

TRADE-OFFS - EMPRESAS

  • Que tipo de produtos produzem as empresas?

    • Restrições na capacidade de produção e recursos

financeiros criam necessidades de trade-offs.

  • Teoria da Empresa: descreve como é que estes trade-offs são feitos da melhor maneira

T RADE - OFFS - E MPRESAS  Que tipo de produtos produzem as empresas? 

MACROECONOMIA

A estrutura macroeconômica se compõe de cinco mercados:

  • Bens e Serviços: determina o nível de produção agregada bem como o nível de preços.

  • Trabalho: admite a existência de um tipo de mão-de-obra independente de características, determinando a taxa de salários e o nível de emprego.

  • Monetário: analisa a demanda da moeda e a oferta da mesma pelo Banco Central que determina a taxa de juros.

  • Títulos: analisa os agentes econômicos superavitários que possuem um nível de gastos inferior a sua renda e deficitárias que possuem gastos superiores ao seu nível de renda.

  • Divisas: depende das exportações e de entradas de capitais

financeiros determinada pelo volume de importações e saída de capital financeiro.

M ACROECONOMIA A estrutura macroeconômica se compõe de cinco mercados:  Bens e Serviços: determina o

METAS DE POLÍTICA MACROECONÔMICA

  • Alto nível de emprego

  • Estabilidade de preços

  • Distribuição de renda socialmente justa

  • Crescimento econômico

M ETAS DE POLÍTICA MACROECONÔMICA  Alto nível de emprego  Estabilidade de preços  Distribuição

INSTRUMENTOS DE POLÍTICA MACROECONÔMICA

A política macroeconômica envolve a atuação do governo sobre a capacidade produtiva e despesas

planejadas, com objetivo de permitir que a economia opere a pleno emprego, com baixas taxas de inflação e uma distribuição justa de renda.

Os

principais

instrumentos

para

atingir

tais

objetivos são as políticas fiscais, monetárias, cambiais e comerciais, e de rendas.

I NSTRUMENTOS DE POLÍTICA MACROECONÔMICA  A política macroeconômica envolve a atuação do governo sobre a