Anda di halaman 1dari 16

EM BUSCA DO

DESPERDÍCIO "ZERO"

18/05/2009 – SEMINÁRIO
NORSKE
(Conhecimento – Compatibilidade – Atitude)
DESPERDÍCIO "ZERO"
• Uma empresa que não tem um programa de redução de
custos "permanente" fatalmente será surpreendida em
tempos difíceis, principalmente às que usam o papel como
principal matéria prima.

• Quedas de tiragem e redução de publicidade são desafios


permanentes do setor gráfico brasileiro.

• Investir em treinamentos, controles e metas será


fundamental para garantir qualidade.
DESPERDÍCIO "ZERO"

esafios do momento

quilibrar queda de receitas x custos.


Interligação entre os conceitos
erca de 60% dos custos fixos de um
nal, são representados pelo papel,
pressão e distribuição!

Corte de custos sem critério podem ser


tais para a qualidade e a credibilidade
jornal"
DESPERDÍCIO "ZERO"

 “Enquantoseulobo
maunãovem…”
 ▪Ex’s : O que fazer para
se atingir um ponto
 Praticar diariamente a redução mais baixo de custo ? Ou
de custos e desperdícios, nas
um ponto de superior
nossas operações. De forma:
qualidade ?....etc
• Simples: Sugestões de
redução de custos dos
funcionários.
• Sistemática: Controles dos
nossos processos.
• Organizada: Métodos e
padronizações. Conceito de
cliente interno e
estabelecimento de metas.
FERRAMENTAS
• Indicadores de
performance – Contem
todas as ocorrências da
produção.
• PDCA – Nasceu no escopo
da tecnologia TQC. (Total
Quality Control), como uma
ferramenta que melhor
representava o ciclo de
gerenciamento. É um método
muito utilizado hoje em dia,
cuja principal função é:
Planejar, Executar ,Verificar e
Atuar.
• Gráficos de Pareto –
Medindo números de uma
determinada ocorrência.
• Controles de quebras –
Mensurando e identificando
CONSUMO DE TINTA
Balanço água e tinta: Este é imprescindível para manter
economia de tinta e solução molhadora. Evitando purgas
desnecessárias e inundação do collorflow.

• Identificar os pontos que possam estar atrapalhando este


procedimento durante o processo de impressão. Manter o
controle da densidade durante todo processo.
Controle densidade de tinta no impresso

  densidade % consumo densidade % consumo

Cyan 0.90 padrão 1.00 40% +

Magenta 0.90 padrão 1.00 40% +

Yelow 0.85 padrão 0.95 30% +

Black 1.05 padrão 1.15 45% +

Conclusão: Manter o impresso na densidade padrão, nos garante


qualidade no impresso e redução de consumo de tinta
desnecessários. Outro problema causado pelo excesso de tinta é a
sujeira nas mãos dos clientes e do próprio exemplar (decalque).
GANHO DE PONTO – REFERÊNCIA PARA
JORNAL

Procurar ao menos uma vez por ano efetuar o Test-Form em


todas as torres de
Impressão. Assim fica fácil identificar os pontos da rotativa
que possam estar com diferenças do padrão estabelecido
pelas normas (Gaft - Snap), e evitando má qualidade no
impresso.
DESPERDÍCIO “CHAPA"
• Controlar qualidade das chapas processadas –
Isto provavelmente evitará um grande desperdicio
de papel durante a produção, menos paradas de
acerto de registros , velaturas, ganho de ponto
etc...
• Fazer teste de intensidade do laser de gravação –
Para manter o padrão do acabamento nas chapas
.
• Manter uma comunicação positiva com a
impressão – Isto evitará problemas de perdas de
chapa e paradas de maquina desnecessárias.
• Criar procedimentos e metodos de trabalho –
Manter a eficiência e controle das funções de
processamento de chapas.
DESPERDÍCIO DE PAPEL

Conceitos

• Desperdício <waste> - {a} Refugo de acerto de


impressoras e de
máquinas de acabamento. {b} Quantidade de papel estimada
para o
acerto do trabalho, previsível e inevitável, paga pelo cliente e
aceita
como parte da produção, considerada no cálculo da
programação e da
produtividade.

• Estrago <spoilage> - {a} Cadernos mal impressos,


danificados ou
defeituosos que não podem ser aproveitados. {b} Quantidade
de papel
DESPERDÍCIO DE PAPEL
Fontes principais
• Defeitos de fabricação – Não pode ser evitada por nós, mas
pode e deve ser controlada para futuras reclamações com o
fornecedor.

• Desperdício branco – Manta, tubete, montagem da rodada,


devem ser controladas e mensuradas diariamente no processo
de produção gráfica. Operadores de rtps precisam ter uma
atenção muito especial com a bobina que estão colocando na
rotativa.

• Desperdício no acerto – Inevitável porem deve ser


padronizado para evitar erros de operaçaõ e desperdicios
desnecessários. (Outros como qualidade da chapa, conteudo e
anuncios corretos, evitam paradas para acerto de maquina).

• Desperdício no virando – Manter a rotativa em perfeito estado


DESPERDÍCIO DE PAPEL
• Desperdício no acabamento – Distribuidores devem estar com total
atenção ao produto que está sendo impresso, manter a qualidade
evitará o desperdicio.

• Desperdício por excesso ou falta de cadernos – Controles de


tiragem corretos evitando desperdicios desnecessarios.

Desperdicio em rotativas, principais motivos:

9,7% - Capas e tubetes


21,2% - Preparação / off cuts
69,1% - Cópias estragadas !!!!
1
00%
DESPERDICIO DE PAPEL
DESPERDÍCIO DE PAPEL
DESPERDICIO DE PAPEL
Residual no tubete

•Expessura residual recomendada 10mm.

•Abaixo de 10mm entra em área de risco (defeitos de rebobinamento).

•05 a 10mm de papel no tubete representa 30 a 50 metros de papel.


Valores não significativos quando comparados com a quantidade de
papel que é retirado no início do diâmetro da bobina.

•Uma quebra por estar operando na área de risco, neutraliza os ganhos


esperados (desperdícios e tempo parado).
DESPERDÍCIO DE PAPEL
Conclusão

 ▪“A industria de Jornais não vai desaparecer”

 ▪“Só nos USA somos uma industria de US$ 55 bilhões/ano de


faturamento c/ anunciantes e de 100 milhões de clientes
satisfeitos

 ▪O jornal“on line”é outro produto

 ▪Para continuar existindo como impresso, o jornal vai precisar


se reinventar e ser diferente do que é hoje

 “AS PERDAS SÃO INERENTES AO PROCESSO, A MINIMIZAÇÃO


DELAS É INERENTE AO NOSSO SENSO DE RESPONSABILIDADE,
ALIADO À DISCIPLINA E ÀCONDUÇÃO ADEQUADA DE NOSSAS
DECISÕES”.