Anda di halaman 1dari 50

EDUCAÇÃO ESPECIAL

DIRETORIA DE ENSINO
LESTE 3.
Equipe:
Elaine Cristina Torres
Moneda Catarina Campos
Rosário 1
PARTE I

•TDA/H
• Transtorno do Déficit de Atenção e
Hiperatividade.
O que é TDAH?
• É um transtorno de desenvolvimento
do autocontrole que consiste em
problemas com os períodos de
atenção, com o controle do impulso e
com o nível de atividade” (Russel A.
Barckey).
• “Desatenção, impulsividade e
hiperatividade são os sintomas de
TODA/H”(Vera Joffe).
• Pode ser acompanhada da
hiperatividade ou não.
CONCEITUAÇÃO
• O Distúrbio do Déficit de Atenção
(DDA) é definido por Hallowell (1999,
p. 10). Como uma “síndrome
neurológica caracterizada por certa
facilidade para distração, baixa
tolerância a frustração e ao
aborrecimento e impulsividade e
hiperatividade”.
• CID 10.
MITOS
• É um distúrbio e não falta de
educação, agressividade gratuita ou
grosseria.
• Transtorno do Déficit de Atenção e
Hiperatividade não é doença
inventada!
• TDAH é um transtorno
extremamente bem pesquisado e
com validade reconhecida superior à
da maioria dos transtornos mentais.
CARACTERÍSTICAS
• Desatenção, hiperatividade e
impulsividade aparecem de forma
isolada ou combinadas,
• Os sintomas não aparecem quando
a pessoa está em alta motivação,
• Mais propriamente é um distúrbio
do desenvolvimento da inibição e
auto controle.
NOSSO OLHAR
• Aparece em número cada vez maior
de crianças muito em função do
momento histórico em que vivemos;:
• Alto grau de estimulação pelo
excessivo número de informações
que o desenvolvimento tecnológico
oportuniza,
• Não são as causas do transtorno,
mas facilitam o desencadeamento
dos sintomas.
CARACTERÍSTICAS
• “Até uma mosca tira a atenção
dele...”
– Desatenção

• “Ele parece ligado no 220v...”


– Hiperatividade

• “...não tem paciência para nada...”


– Impulsividade
A nomenclatura diagnóstica, descreve dois subtipos
apenas de TDAH: com hiperatividade e sem
hiperatividade, porém outros subtipos tem sido descritos
na avaliação clínica e educacional.

• Com ansiedade,
• Com depressão (hiperatividade mascara a
depressão)
• Com distúrbios de aprendizagem,
• Com agitação ou mania,
• Com comportamento de alto risco, e com auto
destruição;
• Com estados dissociativos,
• Com distúrbio obsessivo compulsivo,
Evidências da Desatenção
• Comete erros por puro descuido, perde objetos,
• Tem dificuldade em sustentar a atenção,
• Parece não escutar quando lhe falam,
• Deixa de completar tarefas ou seguir instruções
gradativas,
• Não age organizadamente, distrai-se com
facilidade,
• Evita tarefas que exigem esforço mental ou
concentração,
• Esquecimento habitual,
• Confunde matérias, texto de português coloca em
outro caderno... etc,
Sintomas decorrentes

• Baixa auto-estima,
• Fácil desistência frente a dificuldades,
• Aborrecimento e frustração na escola,
• Deterioração do relacionamento com os
pares,
• Intolerância – situações monótonas e
repetitivas,
• Competência comunicativa comprometida,
• Fracasso escolar e rejeição social.
Evidências da
Hiperatividade
• Está sempre se movimentando na
cadeira,
• Não consegue permanecer sentado,
• Está sempre correndo e subindo ,
• Dificuldade de fazer alguma atividade
sossegadamente,
• Sempre muito ocupado ou “elétrico”,
• Fala muito,
• Dificuldades para seguir padrões e
regras de comportamento
Evidências de Impulsividade
• Responde precipitadamente antes do
término da pergunta,

• Dificuldade de esperar sua vez,

• Interrompe ou se intromete em
várias situações relacionais.
• Como se trata de uma síndrome
tridimensional (envolve atenção,
hiperatividade e impulsividade)
requer a avaliação de todas essas
características, para o adequado
tratamento e acompanhamento.

• Pode ocorrer de a criança não


apresentar uma ou mais das
características descritas.
Reações dos adultos ao
TDAH
• Negação
• Raiva
• Decepção
• Aflição
Com:
Irritabilidade dos pais e professores,
Conflito interfamiliar, na escola e outros
grupos sociais
Sensação de desorganização.
Causas prováveis
• Alterações metabólicas e hormonais
• Hereditariedade
• Intoxicação por chumbo
• Sofrimento fetal
• Complicações no parto
• Abuso de substâncias durante a
gestação.
• “O verdadeiro comportamento
hiperativo interfere na vida familiar,
escolar e social da criança. As
crianças hiperativas têm dificuldade
em prestar atenção e aprender.
Como são incapazes de filtrar
estímulos, são facilmente distraídas.
Essas crianças podem falar muito,
alto demais e em momentos
inoportunos. São impulsivas e não
Créditos
• CAPE – Centro Apoio Pedagógico
Especializado

• Textos de: Nívea Maria de Carvalho


Fabrício
– Julho/2009
• Haverá continuação do tema, pois o
mesmo é muito extenso e seria
improdutivo estudá-lo todo.
• Agradeço seu comparecimento e
espero te contribuído um pouquinho
para a sua formação e conhecimento
deste Transtorno de Desenvolvimento,
que desestrutura toda uma sociedade
(escolar e familiar).
• Grata,
• Profª Moneda .
SOCIABILIZAÇÃO

1 - Toleram pouco as frustrações.


Discutem com os pais,
professores, adultos e amigos.
Fazem birras e seu humor flutua
rapidamente. Têm oscilações
constantes.
2 - A criança hiperativa muitas
vezes se sente isolada e
segregada dos colegas, mas não
entende por que é tão diferente,
fica perturbada com suas próprias
incapacidades. O aluno sofre por
ser diferente.
ESCOLARIZAÇÃO
• Apesar da “dificuldade de
aprendizado” essa criança é
geralmente muito inteligente. Sabe
que determinados comportamentos
não são aceitáveisl apesar do desejo
de agradar e de ser educada e
contida, ela ão consegue desacelerar
o sistema nervoso, a ponto de utilizar
o potencial mental necessário para
concluir uma tarefa.
TRATAMENTO
• Tratamento medicamentoso
acompanhado por um médico –
neuropediatra ou neuropsiquiatra;
• Psicoterapia e/ou Psicopedagogia
com a criança;
• Orientação aos pais e professores.
IMPLICAÇÕES
EDUCACIONAIS
• Como vimos, as alterações
comportamentais da criança com TDAH
interferem diretamente sobre seu
desempenho escolar, por isso o professor
necessita contar com o apoio de toda
equipe pedagógica e interdisciplinar,
assim como manter contato próximo com
os pais, oferecendo e partilhando as
responsabilidades educativas referentes à
criança, resgatando-se assim sua
singularidade e integridade como sujeito.
• O Psicólogo e o Psicopedagogo,
podem ainda auxiliar os pais e
professores encaminhando e
acompanhando o adequado processo
diagnóstico e de conhecimento das
reais dificuldades e necessidades
daquele sujeito.
• O mais importante que o diagnóstico,
é saber o que se precisa trabalhar
com este aluno.
A escola e o TDHA
Dificuldades em tarefas que
envolvem
• Planejamento,

• Organização,

• Priorização de passos das tarefas,

• Memória de Trabalho.
Dificuldades em Sala de Aula
• Atividade excessiva (oferecer atividades curtas),
• Inabilidade para esperar,
• Falhas na sustentação da atenção em tarefas
rotineiras,
• Dificuldades para terminar tarefas,
• Dificuldade para terminar deveres/avaliações
dentro do tempo,
• Planejamento e organização do tempo
deficitários,
• Dificuldades para elaborar textos,
• Baixa auto-estima.
Como consequência, mau desempenho
escolar caracterizado por:

• Alocação em turmas especiais

• Repetência,

• Notas baixas,

• Suspensão.
Como a escola pode ajudar?
• Necessidade de pessoas treinadas,
• Atitudes relativas ao tratamento para o
TDAH,
• Comportamento e terapia (não atribuição
de culpa),
• Cognição (não focar o baixo desempenho,
• Medicação (não considerar milagrosa)
• Ações de controle: combinados de atitudes
e “preço” por não cumprir,
• Comunicação com os pais e profissionais
de saúde,
A importância da
capacitação de professores
• Desenvolvimento saudável da criança,
• O contexto não produz os sintomas, mas
exacerba ou minimiza seus efeitos,

• É importante lembrar que...


• ...a criança com TDAH precisa de
assistência contínua visando minimizar os
problemas causados pela desatenção,
hiperatividade e impulsividade.
• Professores que lidam com crianças
portadoras de TDAH precisam ter
disposição para mudar seu próprio
comportamento em função delas!
• Os professores são peças fundamental
para o sucesso desses alunos!!!!
• As habilidades a se desenvolver são as
mesmas para todos os alunos; o
diferencial é o constante suporte que
precisa ser dado.
GERENCIAMENTO
AMBIENTAL
GERENCIAMENTO
AMBIENTAL
• Atividades dirigidas pelo professor que
auxiliam ações eficientes dos alunos e
estabelecem as melhores condições para
aprendizagem e disciplina.
• Como a sala está arrumada?
• Qual é a agenda do dia?
• Como os alunos estão agrupados para as
tarefas?
• Como está o “clima” em sala de aula?
• Quais as regras e procedimentos na sala?
• Como o professor gerencia situações de
ARRANJOS INSTITUCIONAIS

• Trata-se das várias questões


relacionadas a:
• O que ensinado (currículo)?
• Como é ensinado (materiais e
processos) e
• De qual forma o aprendizado é
documentado (produto)
• Como se pode perceber a
Psicopedagogia deve promover uma
intervenção educativa ampla e
consistente no processo de
desenvolvimento do sujeito em suas
diversas dimensões: afetiva,
cognitiva, orgânica e psicossocial.
Alem disso, sugerimos...
• Uso de dicas visuais,
• Uso da tecnologia disponível,
• Uso de organizadores: etiquetas
coloridas, por exemplo,
• Agendas escolares (é importante),
• Ponderação entre Criatividade e
Eficácia.
Sugestões para a dinâmica
de aulas
• Introdução
• Faça um resumo das atividades do dia,
• Faça uma revisão das aulas dadas sobre o
assunto abordado,
• Esclareça o que se espera que o aluno alcance
naquela aula,
• Deixe claro quais os materiais necessários para a
aula que você dará (regras especificas),
• Simplifique a agenda, as instruções e as escolhas
do aluno.
Conduzindo as aulas
• Monitore o barulho em sala;
• Seja previsível,com estrutura e
consistência;
• Orientações orais específicas para os
estudantes como TDAH;
• Orientações adicionais por escrito:
ABUSE!!!!
• Cartazes com regras resumidas;
• Mantenha a participação evite
comentários sarcásticos
• Use materiais audio visuais;
• Confira o desempenho do estudante,
• Dê tempo suficiente para o
estudante responder,
• Ajude-o a corrigir os próprios erros...
• Divida o trabalho em pequenas
unidades,
• Exercícios matemáticos,
• Sublinhe informações importantes
nos trabalhos,
• Evite testes com tempo: use outros
métodos de avaliação,
• Estratégias de aprendizado
cooperativo,
• Use tecnologia,
• Forneça informações sobre o término
da aula (vamos terminar em 5
minutos),
• Confira as tarefas que a criança
completou,
• Faça um “cenas do Próximo
capítulo”.
ARRANJOS AMBIENTAIS
• Sentar a criança mais próxima ao
professor,
• Sentar a criança mais próxima a um
estudante com boas habilidades:
trabalho em pares, cooperação e
aprendizado vicário,
• Espaço organizado e com controle de
fatores de distração: barulho,
interrupções etc.
Como ajudar a cumprir
tarefas no tempo?
• Atribuição do tempo para cumprir
tarefa,
• Primeiro as tarefas que exigem mais,
• Pausas,
• Agrupe as tarefas em pequenos
grupos e não individualmente,
• Tarefa de casa, não é
responsabilidade dos pais dos alunos
com TDAH – não funciona
E CUIDADO!!!!!!!!!!!!
• A percepção o desempenho
acadêmico de portadores de TDAH
por parte de pais
• E professores é ruim, mesmo que
estas crianças possuam desempenho
igual aos demais, em função do
custo afetivo na interação relacional.
• Tudo o que acontece na escola é o
aluno com TDAH. Precisa verificar o
que é real!
ESCOLA
• A escola ideal ´não é uma escola
exclusiva para crianças com
características específicas, mas sim
uma escola disposta a fazer de sua
rotina uma grande novidade!
• Não há escola ideal, mas sim
professores determinantes para o
sucesso de nossos alunos.
CRÉDITOS
• CAPE – Centro Apoio Pedagógico
Especializado.

• Profª Nívea Maria de Carvalho


Fabricio,
• (convidada do CAPE para a
Orientação Técnica, devido sua
grande contribuição na pedagogia
para o aluno com TDAH)
Agradeço a presença de todos,

Até o próximo encontro.

PCOP Profª Moneda.