Anda di halaman 1dari 41

Anatomia Humana I

Prof. Gustavo Araújo Rezende


Email: gustavoaraujor@netsite.com.br
www.odontologiainfantil.odo.br
Anatomia: palavra grega que significa cortar em partes
ana: em partes
tomein: cortar

“ É uma ciência que estuda macro e microscopicamente a constituição e o


desenvolvimento dos seres” (Dângelo e Fattini)

“O conhecimento anatômico do corpo humano data


de quinhentos anos antes de Cristo no sul da Itália
com Alcméon de Crotona, que realizou dissecações
em animais” (Aula de Anatomia Web Page)
Citologia
Histórico

O microscópio foi inventado em 1590 pelos irmãos holandeses: Hans e


Zacarias Jensen. Até então a citologia não existia, pois a maioria das
células são microscópicas.

No ano de 1665, o inglês Robert Hooke, utilizando microscópio observou


finos cortes de casca de arvore descobriu que estas estruturas eram
formadas por pequenas unidades semelhantes a favo de mel, as quais
chamou de células, diminutivo da palavra cella que em latim significa
espaço cercado por paredes.
Citologia
Histórico

Em 1870, His inventou o micrótomo, sendo então possível observar as


células através de cortes muito finos. Para que o tecido seja cortado ao
micrótomo, porém, é preciso que esteja fixado e incluído numa substância
que lhe dê resistência; em 1860, Klebs já introduzira o método de inclusão
em parafina.

Em 1922, de posse de instrumentos de micromanipulação, Chambers


inicia os trabalhos de microdissecação

Em 1932, Knoll e Ruska descreveram o primeiro microscópio eletrônico.


Sua aplicação sistemática em Citologia só se deu em 1950, pois nessa
época já haviam sido desenvolvidos métodos de fixação, coloração e
inclusão, especiais para microscopia eletrônica
Citologia
kytos = célula
logos = estudo

Todos os seres vivos (exceto os vírus) tem a sua organização estrutural baseada
na célula.
Alguns são unicelulares, outros multicelulares.
A célula é a unidade biológica de todos os seres vivos.
Citologia

TEORIA CELULAR

a) Todo ser vivo é formado por células.

b) Toda célula origina-se de outra preexistente.

c) Todas as atividades metabólicas ocorrem em nível celular.

d) Toda célula é portadora de material genético.


Classificação quanto ao tipo de célula:

Procariotas – Células muito simples, com: membrana plasmática, citoplasma


pobre em organelas (ribossomos são as únicas presentes), e o material
genético (DNA) encontra-se disperso no hialoplasma. Ex: bactérias e algas
cianofíceas, também conhecidas como algas azuis.
Eucariotas – Estas células apresentam membrana plasmática, citoplasma
rico em organelas e material genético (DNA) delimitada pela membrana
nuclear (carioteca), inexistente nos procariontes. Ex: animais, vegetais,
fungos e protozoários.
Estruturas Celulares

Célula Eucariota

Membrana Plasmática Citoplasma (citossol)


Retículo Endoplasmático Complexo de Golgi
Lisossomo Ribossomos
Mitocôndria Citoesqueleto
Centríolo Peroxissomos
Carioteca Núcleo
Membrana Celular

A teoria mais recente da composição da membrana plasmática ( mosaico


fluído) sugere que a mesma seja formada de uma matriz lipídica, com
dupla camada descontínua, onde se alojam moléculas de proteína
globulares e enzimas, como que mergulhadas nessa matriz.
Especializações da Superfície Celular

Microvilosidades: são “dobras” nas superfícies de algumas células que à


oferecem o recurso de uma extensa zona de absorção, em uma pequena
área de superfície celular.

Desmossomos: são pontos de espessamento na membranas de


células vizinhas, onde estão presentes uma espécie de cimento
destinado a firmar a ligação entre as células

Interdigitações: a membrana descreve um trajeto sinuoso, com


saliências e reentrâncias que se encaixam perfeitamente as da célula
vizinha

Flagelos: são formações que aparecem na superfície de certas células


onde fibrilas ou microtúbulos do centríolo empurram a membrana
plasmática formando uma estrutura que “lembra uma cauda”.
Microvilosidade

Desmossomo

Interdigitações

Flagelo
Transporte através da Membrana

•Passivo
•Ativo
Do que é feito uma célula ?

A célula animal é composta basicamente por água, proteínas, ácidos


nucléicos (DNA e RNA), polissacarídeos, lipídeos e íons.

As células do corpo vivem imersas num meio líquido que se infiltra


através de espaços diminutos entre elas, que se move para dentro e
para fora dos vasos sanguíneos, e que é transportado pelo sangue
de uma parte para outra. Este líquido é chamado de fluido
extracelular.

Para que as células continuem vivas, a composição do fluido


extracelular deve ser regulada com exatidão a cada minuto. Esta
conservação das condições extracelulares recebe o nome de
homeostase.
Embora a composição do meio extracelular e intracelular seja o mesmo, a
concentração das substâncias é diferente.

Extracelular Intracelular
Na+ + -
K+ - +
Ca++ + -
Mg++ - +
Cl- + -
Glicose + -
Aminoácidos - +
A membrana plasmática é a principal estrutura responsável por
manter essa diferença de concentração entre o meio intra e
extracelular.
Ela consegue este feito em virtude da sua capacidade de permitir que
só entre ou saia da célula as substâncias necessárias.
Este processo de selecionar a entrada e saída de substâncias da
célula recebe o nome de permeabilidade seletiva.
Transporte Passivo

É a passagem de substâncias através da membrana de maneira espontânea,


sem qualquer gasto de energia pela célula

Osmose: passagem de solvente (líquido) do meio menos


concentrado para o mais concentrado, através de uma membrana
semi-permeável.

Difusão Simples: passagem de soluto (sólido) do meio mais


concentrado para o menos concentrado.
Difusão Facilitada:tipo de transporte onde determinadas moléculas
de proteína (permeases) recolhem a substância em transito de um
lado da membrana, realizam um movimento rotatório e liberam a
substância do outro lado, “facilitando” a travessia.
Transporte Ativo

Bomba de Sódio e Potássio

Na+ Na+

Difusão

K+ K+ Gasto de energia

O transporte de moléculas e íons através da membrana se dá contra um


gradiente de concentração, ou seja, do meio menos para o mais concentrado.
Para isso, a célula gasta emergia.
Fagocitose e Pinocitose
A fagocitose é o englobamento de partículas sólidas, através da
formação de pseudópodos , que abraçam a partícula. Esta é envolvida
em uma pequena vesícula chamada fagossomo.

Se a substância englobada pela célula estiver no estado líquido, o


fenômeno recebe o nome de pinocitose.

Clasmocitose

É a eliminação de substancias através da membrana plasmática. Os


produtos residuais do metabolismo celular, no interior de pequenas
vesículas, chegam à periferia da célula junto a membrana e são
eliminados.
Funções da Membrana

• Delimitar o meio externo da célula;

• Promover a permeabilidade seletiva, permitindo passar para o meio


interno apenas elementos necessários para a célula;

• Transportar informações, permitindo que qualquer modificação no


meio externo possa ser sentida e transmitida ao seu interior para que
as modificações necessárias possam ser feitas.
Citoplasma

Também chamado de hialoplasma ou matriz citoplasmática, o


citoplasma é uma rede de substâncias gelatinosas e homogênea que
preenche todo o espaço compreendido entre a membrana plasmática e
a membrana nuclear (citossomo) É nele que ocorre a maioria das
reações químicas da célula.

Pode ser encontrado em dois estados: o citogel – de consistência


gelatinosa, com aspecto claro e encontra-se na região mais periférica
(ectoplasma) – e o citossol – mais fluido,central e forma o endoplasma,
onde encontram-se a maioria das organelas citoplasmáticas.
Célula Animal

Citosol
Citogel
Citoesqueleto
• Formado por filamentos não específicos,
filamentos de actina e microtúbulos de
tubulina.

• Além da função de esqueleto também


assume funções como dos movimentos
de deslocamento.
Retículo Endoplasmático

Sistema de canalículos, bolsas


achatadas, cisternas e pequenos
vacúolos, formando um verdadeiro
labirinto no citoplasma.
Ocupa de 10 à 15% do volume.

Em algumas regiões do citoplasma as membranas do RE apresentam-se


repletas do grânulos (ribossomos), passando a ser chamados de
Retículo Endoplasmático Granular (REG). Em outras regiões suas
membranas não apresentam ribossomos, caracterizando o Retículo
Endoplasmático Liso (REL).
Funções do RE

• Síntese de lipídeo (esteróides);


•Transportar substâncias no interior da célula;
•Armazenar substâncias;
•Síntese de proteínas ( RER).
Ribossomos

São grãos formados por RNA e proteínas. Podem ser encontrados


dispersos no citoplasma ou ligados ao REG

Função:
Síntese protéica (encadeando os aminoácidos de acordo com a
seqüência contida no RNA mensageiro)
Proteogênese
Aparelho de Golgi

Sistema de bolsas achatadas e empilhadas de maneira bem


organizada, de onde destacam-se as vesículas esféricas e
menores que brotam das primeiras.

Funções:
Armazenamento de proteínas produzidas no RER;
Síntese de mucopolissacarídeos;
Síntese de lipídeos (esteróides, hor. Sexuais, hor. do córtex da supra-renal);
Formação de losossomos.
• A forma do aparelho de Golgi depende do tipo
celular e do ciclo.
• O número e tamanho depende da atividade
celular.
• Geralmente são pericentrossomais.
• Dictiossomo: empilhamento de vários sáculos.
Lisossomo Fagossomo ou
pinossomo

São pequenas
vesículas, que contém
enzimas digestivas de
todos os tipos. Estas
enzimas digerem
material que a célula Vacúolo
engloba e, Digestivo

ocasionalmente, 2ªrio
1ªrio

elementos da própria
célula.
Vacúolo residual

Lisossomo
• São monomembranárias
• Conteúdo ácido (pH – 5)
• Hidrolases ácidas
Mitocôndrias
São organelas ovóides ou em bastonete, formadas por uma dupla
membrana lipoprotéica e uma matriz. O interior da de mitocôndria é
repleto de um material de consistência fluida, chamada matriz
mitocondrial.

Funções:
Produção de energia na célula
Centríolos
Pequenos cilindros formados por uma série de tubos (nove). São
grânulos raros, quando ocorrem apresentasse centríolos em cada
célula.
Funções:
Agem na divisão celular e coordenam os batimentos ciliar e flagelar.
Núcleo Celular
O núcleo é um compartimento essencial da célula eucarionte, pois é
onde se localiza o material genético, responsável pelas características
que o organismo possui.

Ele é delimitado pela carioteca ou envoltório nuclear, que é composto


de uma membrana nuclear externa, que é contínua com a membrana
do retículo endoplasmático

O nucleoplasma é constituído por uma solução aquosa de


proteínas, RNAs e íons, onde se encontram os nucléolos e a
cromatina
Nucléolo

O nucléolo é um corpo esférico de coloração escura que se encontra no


núcleo da célula.
É constituído por ácido ribonucleico (RNAr) e proteínas, não tendo
membrana limitante.
Geralmente há um ou dois nucléolos por célula, mas podem ser mais.
O nucléolos são "máquinas de produzir ribossomas"

Nucléolo Núcleo
Cromatina
Complexo de DNA e proteínas (que juntas denomina-se cromossomo)
que se encontra dentro do núcleo celular nas células eucarióticas.

O termo cromatina (croma, cor) designa porções do núcleo que se


coram, exceto o nucléolo, e que são visíveis ao microscópio óptico.

Nos mamíferos do sexo feminino o o cromossomo X condensado é


observado, no interior do núcleo ou associado ao envoltório nuclear,
como uma partícula esférica que se cora fortemente, à qual se
denomina de cromatina sexual. A presença ou não de cromatina
sexual permite o diagnóstico citológico do sexo genético.

************