Anda di halaman 1dari 28

Tecnologia da Informação & apoio

administrativo

Por que a tecnologia


deveria trabalhar conosco...
Qual o investimento
necessário?
Sede do Google Sede REAL do Google
Por onde começar?
No virtual...
 Faixas de parcelamento dos cartões de crédito
Até 100
 Suporte a sistema anti-fraude ClearSale “Sistema muito efeiciente produtos
para análise de venda, com Risc-Scoring.
Muito recomendado para lojistas que trabalham com cartões R$ 65,00 por
direto com as administradoras" mês
 Sistema integrado ao Google Maps
 Suporte a forma de pagamento MOIP
 Recursos de verificação de nomes e força de senha nos cadastros
 Novo sistema de Zoom para produtos , Cupom de desconto
 Cadastro de clientes e vendas na administração da loja, pelo lojista (televendas)
 Suporte ao novo site de busca da Microsoft: BING , Meta Clouds na página de produtos
 Controle de níveis de acesso de usuários administrativos, Impressão de AR
 Sistema B2B/B2C (varejo, atacado e distribuidor) . Módulo de B2B (atacado e distribuidor)
 Suporte ao Tracking de E-commerce do Google Analytics, Sistema de Depoimento de clientes
na Loja
 MultiCategorias - Suporte a cadastro de produtos em várias categorias/sub-categorias
 Loja otimizada para SEO (Search Engine Optimization), Desconto configurável para
pagamento à vista

Fonte: www.lojamestre.com.br
No mundo real...

 Aluguel: R$ 500
 Contador: $ 465
 Registro da Empresa: $ 500 a $1000
 Escritório Virtual: $ 300
 Etc...
Get in Real!
 Não desperdice tempo com problemas que você
ainda não tem. As pessoas costumam gastar tempo
demais logo de cara tentando resolver problemas que
elas ainda nem têm.
 Encontre o nicho de mercado e concentre-se
somente nele. Se você tentar agradar todo mundo,
não agradará ninguém.
 Crie algo que você possa gerenciar : Crie
produtos e ofereça serviços que você possa
gerenciar. É fácil fazer promessas. É bem mais difícil
mantê-las. Tenha certeza de que, seja lá o que você
fizer, seja algo que você possa realmente sustentar –
organizacional, estratégica e financeiramente.

http://gettingreal.37signals.com/GR_por.php
Seja um Executor
É tão engraçado quando ouço sobre pessoas
protegendo tanto suas idéias. (Pessoas que querem
que eu assine um contrato de sigilo antes de me
contar a mais simples das idéias). Para mim, idéias
não valem nada até serem executadas. São apenas
multiplicadores. Execução vale milhões.
Idéia Péssima = -1 Nenhuma execução = $1
Idéia Fraca = 1 Execução Fraca = $1.000
Idéia mais ou menos = 5 Execução mais ou menos =
Boa Idéia = 10 $10.000
Grande Idéia = 15 Boa Execução = $100.000
Brilhante Idéia = 20 Grande Execução =
$1.000.000
Brilhante Execução =
$10.000.000
Seja um Executor
 Para fazer negócios, você precisa multiplicar os
dois. A idéia mais brilhante, sem nenhuma
execução, vale $20. A idéia mais brilhante
necessita de grande execução para valer
$20.000.000.
 Esse é o motivo porque não quero ouvir idéias de
outras pessoas. Não estou interessado até ver suas
execuções.

 —Derek Sivers, presidente e programador,


CD Baby e HostBaby
Redes Sociais...

http://www.rushprnews.com/press/wp-
content/2009/03/socialmedia.jpg
Lojas Virtuais

 E-commerce bate recorde de vendas


em 2009
 Com faturamento de R$ 4,8 bilhões no
primeiro semestre de 2009, aumento de
27% em relação ao mesmo período do
ano passado, o e-commerce foi o
mercado com maior destaque, segundo
pesquisa da consultoria e-bit.
Ranking de produtos +
vendidos - 1° semestre
2009

Fonte: http://www.ebitempresa.com.br/
Start UP

 “Toda startup tem que ser, de saída,


criativa e inovadora” ResultsON #6 -
http://resultson.terra.com.br/revista/006/
O que é?
 Startup é um modelo de empresa jovem, embrionária, recém-criada,
ou ainda em fase de constituição, implementação e organização de
suas operações (o que é mais comum). Podendo até mesmo sequer
ter iniciado a comercialização de seus produtos e serviços. Pode
também ser uma empresa totalmente solidificada no mercado que se
beneficiou de um crescimento rápido.
 Normalmente, as startups são empresas de pequena dimensão, mas
que desenvolvem um interesse cada vez maior das indústrias
tradicionais na criação e desenvolvimento de conceitos. Deste modo,
as startups podem ser pequenos projetos empresariais, ligados à
pesquisa, investigação e desenvolvimento de idéias inovadoras,
freqüentemente de base tecnológica, mas também podem resultar da
iniciativa de grandes grupos empresariais.
 O termo startup possui uma herança de empreendedorismo e
inovação bastante forte, relembra-nos empresas como o Google,
Yahoo, Ebay, Apple e outras, que beneficiaram de crescimentos
explosivos e lideram segmentos de mercado em que atuam.
Mas qual o problema?

 Segundo o especialista da Teradata, Jay


Ciccarelli as empresas perdem em geral de 3,2
a 4% de seu faturamento devido a problemas
no estoque.
 Em um levantamento realizado pela AMR
Research, quase 70% dos compradores
disseram que comprariam artigos FDE (fora de
estoque) na loja ou em site do concorrente
caso o produto não estivesse disponível.

http://www.ebusinessbrasil.com.br/txt_perfil_pain.php?
id=528
Afinal qual caminho
seguir?
Identifique a sua meta.
 não queremos milhares de funcionalidades”
”Nós

 Financie
Steve Jobs deu umavocê mesmo
pequena apresentação sobre o iTunes
Music Store para um pessoal de uma gravadora independente.
 Fixe
No o Prazo
dia, quando e oinsistiam
as pessoas Orçamento,
em levantar Flexibilize
a mão
perguntando, “Ele faz [x]?”, “Você planeja adicionar
o Escopo
[y]?”. Veio a pérola:
 Faça
“Calma, com
calma paixão
– abaixem seus braços. Ouçam: Eu sei que
vocês tem milhares de idéias de funcionalidades
 Quanto mais enxuto for, mais fácil é
bacanas para o iTunes. Nós também. Mas não queremos
parade
milhares mudar
funcionalidades. Isso seria horrível.
Inovação não é dizer sim para tudo. É dizer NÃO para
 Meio,
tudo exceto asNão Meia-Boca
funcionalidades mais cruciais.”

— Derek Sivers, presidente e programador, CD Baby e HostBaby


(from Diga NÃO por padrão)
Afirmações que precisam se afirmar
Alguns motivos “sem
noção”.
 Preciso ter um CNPJ para aceitar
cartões de crédito
 Errado. Basta ter um CPF e você já
pode vender com todos os cartões.
Alguns motivos “sem
noção”.
 E-commerce é coisa pra gente grande
 Errado. Apesar de 65% do e-commerce estar
nas mãos de um só grupo de empresas, e 91%
estar nas mãos das 30 maiores empresas, o
jogo já mudou. A Amazon é uma das maiores
empresas de comércio eletrônico do mundo,
vende de tudo, inclusive serviços, mas tem
apenas 10% do total do e-commerce norte
americano.
Alguns motivos “sem
noção”.
 Como concorrer com os grandes players?
 Tenha um inimigo. Ou você oferece frete zero, parcelamento
sem juros, preço baixo, entrega em um dia útil, ou adota outra
estratégia. Não concorra com gigantes! Oferte itens exclusivos,
de forma diferenciada, de um jeito que só você tem. Não é só
escolher um produto diferente. Customizações, preço, frete,
pacote, promoção, etc. Tenha uma oferta única. Quanto maior a
oferta de determinado item, menor o preço, pois se todo mundo
tem, com a concorrência o preço cai. São as leis da oferta e da
demanda. Mas se sua oferta tem pouca concorrência, você
oferece mais valor, e pode extrair mais valor também. Busque
se diferenciar. Mais de 40% dos compradores que usam
comparadores de preços na Internet NÃO filtram por preço.
Características como confiança, segurança e prazo de entrega
são cada vez mais relevantes no momento da decisão.
Não siga o líder
 Marketeiros (e todos os seres humanos) são bem treinados para
seguir o líder. O instinto natural é descobrir o que funciona para a
concorrência e então tentar superá-los – em ser mais barato que
seu competidor que compete no preço, ou mais rápido que seu
competidor que compete na velocidade. O problema é que uma
vez que o consumidor já comprou a história de alguém e acredita
nessa mentira, persuadi-lo a mudar é a mesma coisa que persuadi-
lo a admitir que estava errado. E as pessoas odeiam admitir que
estão erradas.
 Em vez disso, você deve dizer uma história diferente e persuadir os
ouvintes que sua história é mais importante do que a história que
eles acreditam atualmente. Se sua competição é mais rápida, você
deve ser mais barato. Se eles vendem a história de saúde, você
deve vender a história da conveniência. Não apenas o
posicionamento cartesiano x/y do tipo “Somos mais baratos”, mas
uma história real que é completamente diferente da história que já
foi contada.
 —Seth Godin, autor/empresário (de Seja um Mentiroso Melhor)
Alguns motivos “sem
noção”.
 Vender online? Isso é coisa de sobrinho.com
 Errado. Os top sellers do eBay têm a idade de nossos
avós! No Brasil a "melhor idade" já começa aos
poucos a descobrir a Internet. Gente que desistiu de
procurar emprego, ou simplesmente aguçou sua
curiosidade, investigou, persistiu e teve a coragem
para se dedicar às vendas online. Famílias inteiras
são sustentadas por vendas online. E nem precisa
pegar trânsito para ir ao trabalho!
Alguns motivos “sem
noção”.
 Preciso ter logística própria ou não terei um
bom preço
 Errado. Você precisa escolher fornecedores que
atendam às suas necessidades. Quem paga pela
entrega é o cliente final. Estude e escolha bons
parceiros e tenha bons contratos, repassando o
ganho ao consumidor, ou embutindo no preço, ou
melhor ainda, dando grátis o frete acima de
determinado valor. É mais um incentivo para quem
está na dúvida se compra ou não.
Alguns motivos “sem
noção”.
 Basta ter uma grande bandeira de cartão de
crédito e pronto
 Errado. Você precisa ter todos os meios de
pagamento, quanto mais melhor. Quanto mais
meios de pagamento, mais pessoas poderão
comprar. Parcelar no cartão de crédito? Pagar por
cartão de crédito? Pagar via Saldo PagSeguro?
Pagar por cheque? Pagar em boletos? Pagar via
carnê? 63% das compras no PagSeguro são com
cartão de crédito, e 52% das compras no Brasil
são parceladas. Quem quer ficar fora? O Saldo em
conta PagSeguro já responde por 5% das compras
online. Fique próximo dos mais de 1 milhão de
compradores que já compraram com PagSeguro.
Alguns motivos “sem
noção”.
 Publicidade online é muito cara
 Errado. É cara para quem não se dedica a estudar a
otimizar a campanha. Provar ROI é desafio a ser
perseguido constantemente. Quando um cliente compra,
ele não diz "comprei por causa disso". Ele simplesmente
compra. Mesmo que ele diga a razão, há outros motivos
além desse, e você nunca sabe exatamente o que foi que
gerou aquela venda. Além de pesquisa diretamente com
os seus clientes, você pode usar uma série de
ferramentas acessíveis para gerenciar email marketing,
campanhas de banners e palavras-chave.
 A Internet é um ambiente de pesquisa, e se seu site
estiver otimizado os sites de busca vão lhe encontrar, e
com eles milhares de consumidores específicos e
segmentados, não necessariamente preocupados com o
preço, mas mais preocupados com sua credibilidade
Alguns motivos “sem
noção”.
 Usuário é burro
 Errado. Usuário é desconfiado. Burro é quem
subestima a desconfiança do usuário. Busque o
"one click buy", mas não abra mão de segurança.
Uma oferta relevante, no momento certo, com
atributos honestos, atendimento online, boa
reputação e histórico, elogios em fóruns, todas as
reclamações atendidas em sites de reclamações,
vão ajudar a aumentar a conversão de vendas.
Alguns motivos “sem
noção”.
 Não vendo mais pois não há público interessado
 Errado. Não vende mais pois você não entendeu o
que seu público precisa de verdade. Ninguém quer
comprar e não receber o produto no prazo. Ninguém quer
um atendimento demorado, um site confuso, um monte
de pop ups... Como diz o Gil Giardelli, "a sociedade
imediatista quer tudo rápido e fácil".

 Um vendedor de velas religiosas analisou


cuidadosamente quais palavras-chave geravam
conversão em vendas. Percebeu que tudo que era ligado
a vela romântica, sensual, aromática, convertia muito
mais. Reposicionou seu negócio e hoje é líder em vendas
de velas aromáticas, com um apelo nada religioso.
Obrigado!
www.picti.com.br
mraul@picti.com.br
http://mundovampyr.blogspot.com
@raul_oliveira
www.meadiciona.com/mraul
PPT em: http://www.slideshare.net/mraul/os-percalos-do-ebusiness

Marcos Raul de Oliveira é formado em administração em marketing e


atua na PICTI com soluções de integração entre a comunicação da
tecnologia e do marketing. Nas horas vagas mantém alguns blogs,
colabora com publicações de informática e tenta simplificar o uso da
tecnologia através de informação e desmistificação. Autor de três livros
na área de informática e administração, colocou seu primeiro site no ar
no século passado, em 1997 e desde então mantém uma participação
ativa no mundo virtual-real.

Sobre a PICTI:
A PICTI é uma empresa jovem e dinâmica voltada para o mercado de
suporte tecnológico e apoio adminstrativo; atua na organização das
informações e necessidades que precedem o desenvolvimento de
soluções e produtos específicos criando a interface necessária entre os
profissionais de marketing e de tecnologia. E agregando a especialização
técnica a formação de produtos digitais reais.