Anda di halaman 1dari 30

Análise Experimental do Comportamento

Professora: Yara Justino

Relembrando...
 Nas aulas anteriores vimos os tipos de
contingência, e como elas aumentam e diminuem a
frequência das respostas.

 No entanto, os conceitos que estudamos até agora,
não permitem explicar completamente todas as
situações.

Exemplos
Por que será que D. Maria faz apostas no jogo do bicho
todos os dias se ela raramente ganha uma aposta?

O comportamento de Dona Dora ir ao banco é reforçado
pela obtenção de 480 reais de sua aposentadoria. Mas
porque será que ela só vai ao banco uma vez por mês?

Porque será que, quanto mais se aproxima das 20hrs,
mais vezes a Carol vai até a janela do quarto e olha
para o estacionamento onde seu namorado costuma
colocar o carro, mesmo que ele ainda não tenha
estacionado o carro lá?

. Qual o objetivo do estudo de esquemas de reforçamento? Estudar a manutenção dos comportamentos operantes levando em consideração a quantidade ou a distribuição das respostas necessárias para que se produza um determinado evento reforçador.

e a quantidade de reforços produzidos por essas respostas. O que são esquemas de reforçamento? São arranjos de contingências de reforçamento que especificam uma relação entre a quantidade de respostas. ou a sua distribuição temporal. .

Razão Variável.  Esquema de Reforçamento Contínuo  Esquema de Reforçamento Intermitente (Razão Fixa. . Intervalo Fixo e Intervalo Variável)...Os tipos de Esquemas.

.  O esquema de reforçamento contínuo é raro em nossa vida.Reforçamento Contínuo (CRF)  Todas as respostas de uma classe de operante são reforçadas.

outras não. .Reforço Intermitente  Algumas respostas são reforçadas.

Os principais esquemas de reforçamento  A primeira coisa que devemos observar para definir como que tipo de esquemas estamos estudando é:  A distribuição dos reforços. Do que ela depende? Quantidade de Razão respostas Passagem de Intervalo tempo .

Fixa O reforço depende da Razão quantidade de respostas. . o reforçamento depende do número de respostas desde o reforço anterior. e essa Variável quantidade varia de uma vez para outra. O reforço só é liberado após um Razão número fixo de respostas. Razão Fixa e Razão Variável Em ambos os casos.

. uma vez que é variável. . ligação.. pacote de balas na fábrica.. Isso ocorre porque não há como discriminar se o número de respostas para o próximo reforço é grande ou pequeno.). 2x2.. pausa após reforço. uma vez quanto mais ele se comportar.. pedidos do filho.. mais reforço obterá (1x1.. Ex: passar pano. Padrão FR: caracterizado por produzir uma frequência alta de respostas. Ex: série de abdominais.. fazer uma pulseira de miçanga..  Padrão VR: caracterizado por ausência de pausas ou apenas pausas curtas.

Fixo Intervalo O intervalo de tempo necessário para Variável que a resposta seja reforçada é variável.. Intervalo A resposta só é reforçada após uma passagem de tempo fixa. . Intervalo Fixo e Intervalo Variável Em ambos os casos. o reforçamento se torna mais provável à medida que o tempo passa. A quantidade de respostas que o sujeito emite durante o intervalo não altera a probabilidade de reforçamento.

ou seja.. e sim no momento certo. Padrão FI: esquema que produz as menores taxas de respostas para obtenção de reforço. não faz muita diferença responder muito ou responder pouco. com aumento gradual que se eleva próximo ao momento do reforço. Produz as maiores pausas após o reforçamento.  Padrão VI: Apesar de ser um dos esquemas de intervalo. o VI produz um padrão com uma taxa relativamente alta de respostas. pouco intervalo . pois o organismo não tem como prever quando o reforço estará disponível.

ao contrário dos reforçadores intermitentes. os esquemas de reforço intermitente produzem uma frequência de respostas maior que os esquemas de reforço contínuo. Reforçadores incondicionados em CRF podem levar a saciação rapidamente e reduzir respostas.  2.Comparação entre Esquema Intermitente e Contínuo  Em geral.  1. Apenas algumas respostas são reforçadas. . Assim. temos uma relação maior de respostas por reforço.

. correndo o risco das tentativas corretas entrarem em extinção. do que o intermitente. demoraria muito mais tempo para o sujeito discriminar qual resposta levará ao reforço.Aquisição de comportamento  O Esquema de CRF ( Reforço Contínuo) é muito mais eficaz para aquisição de comportamento.  Caso não haja reforço contínuo.

. aumentando a resistência a extinção. principalmente os variáveis são ideias para manutenção de respostas. .Manutenção do comportamento  Os esquemas intermitentes..  Ex: birra. tolerância a frustração.

explica em grande parte porque algumas pessoas desistem mais facilmente que outras quando as coisas “dão errado”. . portanto. A história de reforçamento.

Demais efeitos sobre a extinção  A extinção no CRF gera um aumento na frequência de respostas e depois a resposta deixa de ocorrer.  Já a extinção após o reforçamento intermitente produz efeitos mais amenos. não há aumento súbito das respostas e nem respostas emocionais. rapidamente.. gera respostas emocionais. .

Resiliência?? . Esquemas intermitentes. que esquemas de reforçamento contínuo. geram comportamentos mais resistentes a extinção. portanto.

porém.DRH de altas taxas de resposta  DRH é um esquema desenvolvido para produzir um responder rápido. somente taxas altas de respostas serão reforçadas. devem ser emitidas dentro de um tempo pré-determinado. portal.. . em outras palavras..  Ex: jogos que tem ampulheta.  Um mínimo de respostas deve ser emitido para que haja reforçamento. cronometro.

ou seja o organismo deve esperar um tempo desde o último reforço para responder.  Se assemelha ao esquema de FI.. entretanto. . se não além de não ser reforçado no momento. ou seja. jogo de pergunta e resposta..DRL de baixas taxas de respostas  As respostas serão reforçadas apenas se forem espaçadas temporalmente. em FI o organismo não perde o reforço caso responda antes do tempo. perde o próximo reforçador. Ex: combinado com os pais.

Esquema de DRO (Reforçamento Diferencial)  A principal alternativa para reduzir a frequência de um comportamento sem a utilização de punição. consiste em reforçar todos os comportamentos. exceto aquele que se deseja reduzir a frequência. .

assim como também pode atrasar. No entanto. o ônibus de volta. Vamos fazer uns exercícios? O ônibus para a Multivix passa de 20 em 20 minutos. . pode chegar mais rápido.

 Escovar os dentes e vê-los limpos Razão Variável  Apertar o play “no netflix” Razão Fixa  Namorado que responde a namorada ás vezes 10 ás vezes 1 hora depois Razão variável Capítulos de “Malhação” por dia Razão Fixa .

.

por um número de respostas ou por um número de reforçadores obtidos.  Ex: birra infantil e discriminação de contexto  Avó  Alta Frequência (CRF)  Mãe  Baixa Frequência (Razão Variável)  Pai  Frequência Nula (Extinção) .Esquemas compostos  Esquemas Multiplos: ocorre a alternância de mais de um esquema e reforçamento. Cada um dos esquemas permanece em vigor por um período de tempo.

O organismo tem que entrar em contato com a própria contingência. ao contrário do múltiplo. No entanto. no misto não há estímulo discriminativo que sinalize qual esquema está em vigor. cada um dos esquemas está em vigor isoladamente.  No caso da birra. Esquemas Mistos: seguem o mesmo padrão dos esquemas múltiplos. . inicialmente.

 Esquemas concorrentes: esquemas concorrentes são com certeza os mais presentes e importantes em nossa vida. Sair para comer .  Ir a escola versus.  Escolhas e decisões. Falamos de esquemas concorrentes quando temos duas ou mais fontes de reforço disponíveis ao mesmo tempo. Assitir TV  Ir a academia versus.

 Proporcionalidade entre as formas de reforço (frequência de tentativas em A ou B é proporcional a frequência de R+/- vivenciados) .Lei da igualação  Trata-se de como os organismos distribuem seus comportamentos em situações onde há esquemas concorrentes.

ao tempo. . um Rápida Taxa de resp. Pouca ou nenhuma pausa. FR Reforço segue um Demorada Taxas altas de resp.. Proporcional de tempo.. Freq. Frequência estável. Extremamente alta. pós ref. VI Reforço disponível Demorada Freqüência estável. VR Reforço segue um Demorada Freq. Pausas nº fixo de resp. “Tudo ou nada”. nº variável de resp. Esquema Característica Relação c/ Efeitos extinção CRF Para cada resp. reforço. Não há após intervalo pausas. variável de tempo. Trabalhar mais por menos. Recaptulando. alta. FI Reforço disponível Demorada Frequência alta no fim do após intervalo fixo intervalo.