Anda di halaman 1dari 57

EMT 053 – Processos

Metalúrgicos

Assunto: Aciaria Elétrica

Prof. Renato Minelli Figueira


Produção mundial de aço:
Forno
Sinterização Panela
Fundentes

Minério
LD

Carvão
Alto-Forno
Forno
Elétrico a
Coqueria
Arco

Sucata
Reciclada
Forno Elétrico a Arco (EAF)
• Objetivo: fundir sucata metálica,
convertendo-a em aço líquido,
utilizando energia elétrica,
convertida em calor através pela
radiação de arcos elétricos
criados entre o(s) eletrodo(s) e
peças de sucata sólida
(Metalurgia Primária).
• Após a fusão, a composição do
aço é ajustada no processo
subseqüente de “Metalurgia
Secundária” ou “Metalurgia de
Panela” .
Desenvolvimento do Processo
• Século 19: primeiros desenvolvimentos do uso de arcos voltáicos
– 1810: Sir Humphry Davy demonstrou uso do arco elétrico para fundir ferro
– 1815: Pepys usa o arco elétrico para solda
– 1853: primeira tentativa de desenvolvimento de um forno de fusão elétrico
– 1978/9: patente para um forno elétrico a arco por Sir William Siemens
• 1907: é instalado nos EUA o primeiro forno elétrico a arco comercial por Paul Héroult
• Após II Guerra:
– Investimento em uma usina integrada: 1.000 US$/t capacidade
– Investimento em uma mini-steel (EAF): 140 – 200 US$/t cap.
– Alta demanda de aço e grande disponibilidade de sucata no após guerra
– Surgem empresas siderúrgicas na Europa a base de EAF para concorrer com as grandes
usinas integradas americanas(Bethlehem Steel, US Steel) para produção de produtos
longos a menor custo
Forno Elétrico Médio Porte

Capacidade 80 toneladas/corrida

Potência 60 MVA

Voltagem 400 - 900 volts

Tap-to-tap 50 - 60 minutos
Classificação dos FEA quanto à
potencia:

Potencia Específica
Classificação
(KVA/t)

<200 Baixa Potencia

200 - 400 Média Potencia

400 - 700 Alta Potencia


>700 Ultra Alta Potencia (UHP)
Circuito elétrico
Linha de alta tensão

Transformador

Disjuntor

Sub Estação Primário Secundário


bica/canal
de vazamento

vazamento
EBT
Carregamento Fusão Refino Vazamento Aço Vazamento Escória
Comportamento
Grupo Elemento
Termodinâmico

Elementos que são Ca, Mg, Si, Al, Zr,


I
incorporados à escória Ti, B

Elementos que se
II dividem entre aço e Mn, P, S, Cr, Nb, V
escória

Elementos que são Cu, Ni, Sn, Sb, Mo,


III
incorporados ao aço Co, As, W

Elementos que são


IV Zn, Cd, Pb
vaporizados
• Fator custo:
• nível de limpeza
• presença de contaminantes
Densidade da Sucata

• Fator custo: impacto no desempenho do forno


350

300
número de R2 = 0,7515

carregamentos
250
Preço (US$/t)

200

150

100
Pesada

50 Média

Leve
0 Série4
0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00 3,50
Linear
Densidade (t/m3) (Série4)
Efeito da densidade da sucata:
• Carregamento com 2 cestões:
• custo mais elevado (sucata de maior densidade)
• menor tap-to-tap (~ 5 minutos)
• menor perda térmica (~ 10 kWh/t)
• menor oxidação (maior rendimento metálico)

• Carregamento com 2 cestões ou 3 cestões:


• Mercado com alta demanda: produtividade é mais importante
• Mercado sem demanda: custo é mais importante
Preparação dos cestões de sucata

Adição de carburante
(coque ou restos de
eletrodos)

Sucata de chapa leve


para amortecer o
impacto da sucata
pesada e facilitar a
rápida formação do
banho
Preparação dos cestões de sucata

Sucata pesada
colocada abaixo do
nível dos eletrodos
Preparação dos cestões de sucata

Sucata média/pesada
com tamanho limitado
para evitar a quebra
dos eletrodos
Preparação dos cestões de sucata

Sucata leve/média que


permita a penetração
da chama dos
maçaricos + cal
Preparação dos cestões de sucata
Sucata leve para
permitir uma rápida
penetração dos
eletrodos
Restrições no carregamento:
Sucata leve no topo da carga:
• evitar radiação sobre a abóbada
• operação com baixa potência (aumenta tap-to-tap)
• rápida penetração dos eletrodos de modo que a sucata sirva
de barreira à radiação
Restrições no carregamento
Sucata em frente dos queimadores:
• evitar rebote da chama sobre os painéis
• permitir uso de chamas longas
Peças de grande peso(lingotes, restos de distribuidor):
• baixa relação área para transferência de calor/massa
• baixa velocidade de fusão
• conseqüências
• aumentam o tempo de fusão
• aumentam o consumo de energia e eletrodos
• obstrução do vazamento
• limite: 2 a 3% do peso da carga
Restrições no carregamento
Sucata contendo materiais isolantes:
• pneus, borracha
• propiciam a quebra de eletrodos
Sucata contendo elementos não-oxidáveis:
• Cu, Ni, Sn, Sb, Mo, Co, As, W
Pré-reduzido
Característica DRI HDRI HBI
Fe Total (%) 90-94 90-94 90-94
Fe Metálico 83-89 83-89 83-89
Metalização (%) 92-95 92-95 92-95
Carbono (%) 1,0-3,5 1,0-3,5 0,5-2,5

P (%)* 0,005-0,09 0,005-0,09 0,005-0,09


S (%)* 0,001-0,003 0,001-0,003 0,001-0,003
Ganga (%) 2,8 - 6,0 2,8 - 6,0 2,8 - 6,0
Densidade (Kg/m3) 1600 -1900 1600 -1900 2400 - 2800
Densidade Aparente (g/cm3) 3,4 - 3,6 3,4 - 3,6 5,0 - 5,5
Temperatura de Descarga (ºC) 40 700 min. 80
*
Dependendo do minério

DRI - Direct Reducted Iron - DRI frio é geralmente estocado na usina para posterior
uso no FEA.
HDRI - Hot Direct Reducted Iron - é descarregado a quente do processo de
redução e carregado no FEA a 650 C.

HBI - Hot Briquetted Iron - é briquetado a quente para transporte a longa distancia.
Gusa
4,2 %C
0,2 -0,6 %Si
0,3 – 0,6% Mn
1280 – 1400 ºC
Economia de Energia
sólido: 1,0 kWh/t gusa carregado
líquido: 3,5 a 4,5 kWh/t gusa carregado
antecipa a oxidação do carbono
maior consumo de oxigênio e cal
maior volume de escória (perda metálica)
O Arco Elétrico

 Arco elétrico como condutor


 flexível
 movimenta-se de acordo com as
forças eletromagnéticas
 a posição do eixo do arco e seu
comprimento determinam a
direção do fluxo de calor
 volume do arco depende:
 tensão (comprimento)
 corrente (diâmetro)
 condições de transferência de
calor dependem da tensão e
corrente
O Arco Elétrico

Tensão constante

corrente
O Arco Elétrico

baixa corrente: alta corrente:


fluxo horizontal fluxo vertical
Tensão constante

direção do fluxo de calor

corrente
ignição do arco penetração eletrodos formação do banho líquido
arco curto arco longo arco longo
baixa tensão alta tensão alta tensão
alta corrente baixa corrente baixa corrente
Queimadores

Zonas Zonas
Quentes Quentes Queimador 3

Eletrodo
Eletrodo

Queimador 1

Queimador 2
Radiação nas paredes
sem formação de escória formação escória
espumante espumante
fusão
arco longo arco longo
arco longo
alta tensão alta tensão
alta tensão
alta corrente alta corrente
alta corrente
Injetores de carbono/oxigênio
Injetor
Injetor de
supersônico de
carbono
oxigênio

Sistema de
refrigeração Linha de escória

Linha de metal
• Refino e Vazamento.

• Objetivo do refino (ou oxidação)


1. Atingir o nível de carbono especificado para o aço a ser
produzido
2. Reduzir o teor de fósforo no aço líquido abaixo da
especificação (usualmente abaixo de 0,015%)
3. Homogeneizar a composição e temperatura do aço
4. Aquecer o aço líquido até a temperatura necessária para o
vazamento.
Injeção de oxigênio: jatos supersônicos & jatos coerentes
Vazamento
Vazamento com EBT
Vazamento com Bica
(Eccentric Bottom Taping)
Restrições no Vazamento

1. Reduzir a passagem de escória para a panela


 escória com altos teores de FeO e P2O5
 eleva consumo de desoxidantes
 provoca o retorno do fósforo
 camada mínima de escória para
 evitar absorção de gases
 reduzir a queda de temperatura

 excesso escória
 perda de tempo para remoção antes do forno panela
 perda metálica durante a remoção
2. Reduzir a absorção de gases
 forma do jato durante vazamento: aberto/fechado
 absorção de nitrogênio durante vazamento é menor
 quando o teor de oxigênio alto
 aços com alto teor de enxofre
 Absorção de hidrogênio é função da pressão parcial do vapor d’água
no ar:
 depende umidade do ar (dias úmidos, maior absorção)
 depende temperatura ambiente (dias quentes, maior absorção)
 varia ao longo do dia

3. Reduzir a temperatura do aço


 queda de temperatura durante vazamento depende das
condições prévias da panela
 jato aberto e jato fechado (condições do furo)
Esquema de potencia no FEA

Injeção de C

Injeção de O2

Queimadores

!00%
Potencia do transformador

Carregamento Cesta 1

Carregamento Cesta 2

75%

Vazamento
50%
Fusão Cesta 1 Fusão Cesta 2

25%
Refino

5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80

Tempo (min)
Cestas para carregamento
Aquecedores de panela
Sistema de limpeza de gases
Sistema de limpeza de gases
Pré-aquecimento de sucata
Cesta de
carga de
sucata

Eletrodos

Pré-
aquecedor de
sucata

Lanças de
carvão e Sistema de
oxigênio injeção de ar
de
combustão

Queimadores

EBT
Forno de carcaça dupla
Injeção de gases pelo fundo
Forno elétrico de corrente contínua

Eletrodo
(catodo)

Eletrodo
(anodo)
Sistema de basculamento
Energia
Química
Energia 35 – 40%
Elétrica
60 – 65%

17% Resfriamento
Aço
53%

20% Gases

10% Escória