Anda di halaman 1dari 35

PROGRAMA – GEOGRAFIA

3°ANO
Elaborado e produzido por:
Prof. Aline Riccioni de Melos
aline.melos@yahoo.com.br
PROGRAMA
1° BIMESTRE 3° BIMESTRE
Geografia Urbana
-Espaço urbano; População
-Urbanização e metropolização; - Estrutura da população;
- Rede Urbana; - Teorias demográficas;
- Organização interna das cidades; - Transição demográfica;
- Problemas Urbanos; - População economicamente ativa e mercado de
- Planejamento Urbano. trabalho;
-Estudos de casos da população.
2° BIMESTRE
Geografia Agrária 4° BIMESTRE
- Espaço rural e modernização da agricultura; Migrações
- Cadeias Produtivas; - Movimentos migratórios no Brasil e no mundo.
- Sistemas e técnicas agrícolas e de pecuária;
- Espaço rural brasileiro;
AVALIAÇÃO

Média = 6,0

Avaliações durante o bimestre (pelo menos 1) – trabalhos em grupo ou individual, avaliações


em sala avisadas/surpresas/individuais/coletivas/com ou sem consulta (Ap – Avaliação
parcial)

Avaliação bimestral – durante a semana de provas – avaliação individual e sem consulta (Ab)

2° chamada – Ap – justificar com professor na aula seguinte/Ab – justificar de acordo com


regras do Cefet

M = (MAp + Ab)/2

MAp = média das avaliações parciais


GEOGRAFIA URBANA
GEOGRAFIA URBANA

A Geografia urbana é um ramo da Geografia que estuda as áreas


urbanas e seus processos de produção do espaço urbano.
O que é o urbano?

X
GEOGRAFIA URBANA

O que é o urbano?
GEOGRAFIA URBANA

O que é o urbano?

A palavra urbano vem do latim “urbs”, que também Área ocupada por uma cidade
significa cidade Edificação contínua e existência de
infraestrutura urbana, que
compreende o conjunto de serviços
públicos que possibilitam a vida da
população.
Abastecimento de água, serviços de
esgoto, fornecimento de energia
elétrica, escolas, hospitais, sistema
viário, policiamento, locais de lazer
etc
GEOGRAFIA URBANA

O que é o urbano?

Critérios variam

Brasil – sedes de município ou de distrito ou demais OCDE (Organização para a Cooperação e


áreas definidas como urbanas pelas legislações Desenvolvimento Econômico)– áreas com densidade
municipais. demográfica superior a 150 hab/km²

OCDE – 60%
GEOGRAFIA URBANA

Origem das cidades

Em seu início, as cidades tinham função administrativa, política e religiosa. A partir da revolução agrícola, e
o consequente surgimento do excedente, as cidades passam a ter função eminentemente comercial.

8000 a.C. – 3500 a.C.


GEOGRAFIA URBANA

Origem das cidades

Evolução constante até a queda do império romano – devido crescimento comercial

Invasões bárbaras = diminuição do comércio – devido falta de segurança = fuga da população para o campo

Feudalismo – autossuficiência e esvaziamento das funções da cidade


Ressurgimento comercial a partir do séc XI (comércio marítimo) - burgos

Revolução Industrial – final séc XVIII

Cercamentos – expulsão da população do campo

Crescimento desordenado das cidades europeias –


problemas sociais e ambientais
GEOGRAFIA URBANA

Cidade x Município
Perímetro urbano divisão legalmente realizada de um território

Área urbana legalmente composto pelo campo (área rural) e pela


estabelecida cidade (área urbana).
Além disso, ele também pode conter outras
cidades menores além de seu distrito-sede que
não possuem autonomia política suficiente
para emanciparem-se.
GEOGRAFIA URBANA

Cidade x Município
URBANIZAÇÃO
GEOGRAFIA URBANA

Urbanização

Fenômeno caracterizado pela concentração cada vez mais densa da população, em aglomeração de caráter
urbano;
Processo no qual se dá quando a população urbana supera a rural.

“A urbanização é um sinal característico da modernização econômica. A transferência da


população do meio rural para o meio urbano acompanha a transição de um padrão de vida
econômica apoiado na produção agrícola fechada e autossuficiente para outro, baseado na
indústria, no comércio e nos serviços. Atrás do processo de urbanização, encontra-se a
intensificação da divisão social do trabalho e o aprofundamento da produção mercantil”.
URBANIZAÇÃO

Industrialização = principal promotor da urbanização

Oferta de empregos nas cidades + modernização do campo

Países centrais x Países periféricos e semiperiféricos


“Nos países desenvolvidos, o processo de industrialização passou por diferentes etapas (1ª, 2ª e 3ª
Revoluções Industriais), e foi evoluindo gradativamente. Conseqüentemente, o processo de urbanização
acompanhou esse ritmo de desenvolvimento, fazendo com que milhares de pessoas fossem migrando para
as cidades ao longo de todo esse processo. Portanto, podemos concluir que a urbanização nos países
desenvolvidos ocorreu de maneira lenta e gradativa, assim como a industrialização, contribuindo para a
criação de infraestruturas urbanas.
Já nos países subdesenvolvidos, a urbanização também acompanhou o ritmo da industrialização, porém
como esse processo ocorreu em um curto espaço de tempo, foi possível perceber que a urbanização
ocorreu de maneira rápida e desordenada. Sendo assim, as cidades receberam grandes fluxos migratórios
e não se encontravam preparadas para o rápido crescimento urbano[...]”.
(Gobbi, L. D. “Urbanização Mundial”. S/D. Disponível no site Globo Educação.)
URBANIZAÇÃO
URBANIZAÇÃO
HIERARQUIA E REDE URBANA
BRASILEIRA
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Rede urbana: interdependência das cidades, com suas produções diferenciadas


A Rede Urbana é o conjunto
articulado de cidades e grandes
centros urbanos, que se
integram em escalas mundial,
regional e local por meio de
fluxos de serviços, mercadorias,
capitais, informações e recursos
humanos. Essa rede estrutura-
se por meio de uma hierarquia,
em que as cidades menores
costumam ser relativamente
dependentes das cidades
maiores e economicamente mais
desenvolvidas.
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Cidade – centro de decisões políticas e econômicas - centro polarizador das atividades


socioeconômicas espaciais – sede dos movimentos culturais, incluindo a produção de
valores sociais e de ideias – centro de mobilizações de massa sociais e reivindicatórias

Grande conexão – desenvolvimento


tecnológico de meios de transporte e
comunicação

Influência de centros de poder a nível


global – através de empresas, etc
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades:
Categorias dimensionais –
tamanho do contingente
populacional
Função urbana – toda cidade
tem uma função (ou várias) que
lhe dá vida e impulsão para o
crescimento
Origem
Desenvolvimento do setor
terciário – área de influência
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela função urbana:


Função religiosa
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela função urbana:


Função industrial
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela função urbana:


Função turística
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela função urbana:


Função política
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela origem:


Cidades espontâneas ou naturais Londres Cidades planejadas
constituem a maioria das cidades do planeta e foram
formadas, através dos tempos, em locais que
apresentavam algum tipo de vantagem para seu
primitivo grupo populacional

Cidades que se localizam às margens de mares e de rios


- alimentação e facilidade de transporte;
Cidades que surgiram em torno de castelos, nos
entroncamentos de estradas ou em rotas comerciais,
que ofereciam respectivamente garantia de segurança,
facilidade de deslocamento ou oportunidade de negócios

Londres (Reino Unido), Moscou (Rússia), Paris (França), Rio


de Janeiro e São Paulo (Brasil)
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela origem:


Cidades espontâneas ou naturais Cidades planejadas
constituem a maioria das cidades do planeta e foram aquelas que são intencionalmente criadas em locais
formadas, através dos tempos, em locais que previamente escolhidos, implantadas em períodos
apresentavam algum tipo de vantagem para seu temporais relativamente breves, com finalidade de
primitivo grupo populacional caráter geopolítico.

Cidades que se localizam às margens de mares e de rios Planejamento rapidamente atropelado pelo
- alimentação e facilidade de transporte; crescimento populacional, o que faz o traçado original
Cidades que surgiram em torno de castelos, nos sucumbir diante da espontaneidade com que a
entroncamentos de estradas ou em rotas comerciais, população se espalha pelo seu entorno ou por seu
que ofereciam respectivamente garantia de segurança, interior.
facilidade de deslocamento ou oportunidade de negócios

Camberra (Austrália), Islamabad (Paquistão), Belo


Londres (Reino Unido), Moscou (Rússia), Paris (França), Rio
Horizonte, Brasília e Goiânia (Brasil).
de Janeiro e São Paulo (Brasil)
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela origem:


Cidades planejadas
aquelas que são intencionalmente criadas em locais
previamente escolhidos, implantadas em períodos
temporais relativamente breves, com finalidade de
caráter geopolítico.

Planejamento rapidamente atropelado pelo


Brasília – planejada para ter 500 mil crescimento populacional, o que faz o traçado original
hab em 2000 x atuais 2 milhões de sucumbir diante da espontaneidade com que a
habitantes população se espalha pelo seu entorno ou por seu
interior.

Camberra (Austrália), Islamabad (Paquistão), Belo


Horizonte, Brasília e Goiânia (Brasil).
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Classificando as cidades pela hierarquia urbana (IBGE):


Fluxo de passageiros + rede viária convergente + fluxo de bens + setor de serviços

Cidades pequenas Cidades médias Cidades grandes

Bens e serviços de Bens e serviços de Bens e serviços de


consumo muito consumo menos consumo raro
frequentes frequentes
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Hierarquia urbana (IBGE):


HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Hierarquia urbana (IBGE):


Centros sub-regionais – dispõem de bens e serviços tais como revendedoras de
automóveis e máquinas agrícolas, lojas de eletrônicos, escolas de ensino médio e, em
alguns casos, universidades;
possui uma influência restrita em relação a outras cidades, trata-se de cidades médias que são subordinadas às
capitais, mas ao mesmo tempo é um centro para núcleos urbanos menores
Centros regionais – abrigam importantes centros universitários, grandes hospitais,
médicos e dentistas especializados, escritórios de advocacia, escolas de alto padrão,
retransmissores de televisão e shopping centers, que atraem e polarizam um mercado
consumidor relativamente amplo – ex: Londrina, Campo Grande, Porto Velho, Aracaju,
Cuiabá, Natal, Teresina, Boa Vista, Ribeirão Preto, etc;

exerce uma grande influência e abriga vários centros regionais, porém seu domínio se limita à fronteira estadual. Nesse
caso, trata-se de cidade de grande e médio porte, que apesar de não se enquadrar na categoria de metrópole, possui
indústrias e prestação de serviços como hospitais, bancos, centro comercial e muitos outros.
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

Hierarquia urbana (IBGE):


Metrópoles– abrigam complexos hospitalares de alto padrão, centros de pesquisa
científica, aeroportos internacionais, luxuosas redes hoteleiras, comércio atacadista e
varejista, sedes de grandes bancos e empresas transnacionais. Ocupam o topo da
hierarquia urbana e sua influência estende-se, difusamente, por vastas áreas do território
nacional – ex: São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belém, Manaus, etc;
grandes aglomerações urbanas que concentram um enorme contingente populacional, além de abrigarem uma imensa
variedade de indústrias, comércio em geral, universidades, centros de pesquisas, hospitais de referência, bancos e
instituições financeiras, repartições públicas, empresas de comunicação, como rádio, TV, jornais impressos, entre
outros.
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

são cidades que exercem grande influência em seu próprio


Hierarquia urbana (IBGE) - estado, além de avançar a fronteira de outros, essas
metrópoles: correspondem a centros urbanos que concentram um
número superior a um milhão de habitantes e detêm uma
Metrópole regional– Goiânia, economia diversificada
Belém e Manaus;
Metrópole nacional– Porto
Alegre, Curitiba, Belo Horizonte,
Brasília, Salvador, Recife e
Fortaleza;
Metrópole global– São Paulo e
Rio de Janeiro.
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA

são cidades que exercem grande influência em seu próprio


Hierarquia urbana (IBGE) - estado, além de avançar a fronteira de outros, essas
metrópoles: correspondem a centros urbanos que concentram um
número superior a um milhão de habitantes e detêm uma
Metrópole regional– Goiânia, economia diversificada
Belém e Manaus;
graças à sua importância, exerce influência nos centros
Metrópole nacional– Porto regionais, capitais regionais e nas metrópoles regionais, ou
Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, seja, preponderância em diferentes estados.
Brasília, Salvador, Recife e
Fortaleza;
são cidades de grande importância cultural e econômica
Metrópole global– São Paulo e que exercem influência sobre todo o território e são os
Rio de Janeiro. centros urbanos mais conhecidos internacionalmente
HIERARQUIA E REDE URBANA BRASILEIRA