Anda di halaman 1dari 38

Hemodinâmica

macrocirculatório

Prof. Daniel Luna Lucetti


Objetivos
• Características funcionais
– Sistema arterial
– Sistema venoso
• Fluxo e resistência vascular
• Fatores envolvidos na hemodinâmica
• Controle do débito cardíaco
Funções da circulação
• SUPRIR AS NECESSIDADES DOS TECIDOS
– Nutrientes;
– Eliminação de produtos do metabolismo e
xenobióticos;
– Integração entre os sistemas corporais:
• transporte de hormônios

Manutenção do ambiente apropriado para o perfeito


funcionamento tecidual
Características físicas da
circulação

CIRCULÇÃO PULMONAR

CIRCULÇÃO SISTÊMICA

- Macrocirculação

- Microcirculação (órgãos)
Partes Funcionais da circulação
SISTEMA ARTERIAL (S.A)

• FORTE PAREDE VASCULAR


ARTÉRIAS
•Transporte de sangue sob alta
pressão
• alta velocidade
•ARTERÍOLAS
• Ramos terminais do S.A
•Ductos de controle (altera o fluxo)
• Necessidade tecidual
• Relaxamento e Contração
Partes Funcionais da circulação
Capilares
•Troca entre o sangue o líquido
intersticial
•Água, nutrientes, eletrólitos,
metabólitos, hormônios...
• Paredes finas com poros
capilares
Pressões nas diversas partes da
circulação
• Pressão média na aorta  100mmHg
- Recebe (diretamente) sangue no V.E
- Bombeamento pulsátil:
• Pressão sistólica (contração dos ventrículos)120mmHg
• Pressão diastólicas(relaxamento dos ventrículos)80mmHg
“A medida que o sangue flui pela circulação sistêmica sua pressão cai,
progressivamente até aproximadamente 0 mmHg (final da veia cava)”
• Pressão capilar
- Próximo ao leito arteriolar30-40mmHg
- Próximo ao leito venoso10-15mmHg
- Pressão funcional média ~17mmHg
Pressões nas diversas partes da
circulação
• Pressão média na aorta  100 mmHg
– Recebe (diretamente) sangue no V.E
– Bombeamento pulsátil:
• Pressão sistólica (contração Ventrículos)  120 mmHg
• Pressão diastólicas (relaxamento dos ventrículos)  80mmHg
“A medida que o sangue flui pela circulação sistêmica sua
pressão cai, progressivamente até aproximadamente 0
mmHg (final da veia cava)”
• Pressão capilar
– Próximo ao leito arteriolar  35 mmHg
– Próximo ao leito venoso  10mmHg
– Pressão funcional média  17mmHg
Princípios básico da função circulatória
• 1º: A intensidade do fluxo sanguíneo para cada
tecido corporal é dependente das necessidades
individuais de cada tecido.
• Ex: Circulação do TGI após uma refeição
– Aumento do fluxo sanguíneo em até 15X;
– Duvida????????????????
• Se o fluxo sanguíneo no TGI aumenta nessa proporção, isso
quer dizer que o coração aumentará seu trabalho na mesma
proporção? E se isso ocorrer, outras partes do corpo também
não iriam ter seu fluxo sanguíneo aumentado nesta proporção?
– O coração normal só é capaz de elevar seu débito em até 7x;
– Mecanismo locais de controle das necessidades teciduais
• Disponibilidade de O2 e nutrientes
• Concentração de CO2

Contraindo e relaxando os vasos locais


Princípios básico da função circulatória
• 2º: O débito cardíaco é controlado,
principalmente, pela soma de todos os fluxos
sanguíneos locais
– O coração responde de forma
imediato a chegada de sangue
tecidual, ejetando - o (sístole);
– Funcionamento “automático”;
– Mas.... ele necessita, com
freqüência, de sinais nervosos
para regular a quantidade de
sangue a ser bombeado.
Princípios básico da função circulatória
• 3º: Em geral, a pressão arterial(sistêmica) é
controlada de forma independente do fluxo
sanguíneo local ou do débito cardíaco
• Ex: Se a pressão cair abaixo da média normal de
100 mmHg:
– Em segundos, diversos mecanismos de controles neurais
(ação rápida) seriam ativados para normalizar a pressão:
• ELEVANDO A FORÇA DO BOMBEAMENTO CARDÍACO;
• CONSTRICÇAO NOS RESERVATÓRIOS VENOSO (LEVANDO
MAIS SANGUE AO CORAÇÃO);
• CONSTRICÇÃO GENERALIZADA NAS ARTERÍOLAS 
ACUMULO DE SANGUE NAS GRANDES ARTÉRIAS 
ELEVANDO A PRESSÃO.

– Em horas ou dias, os rins também exercem importante


papel no controle da pressão (ação lenta)
Partes Funcionais da circulação
SISTEMA VENOSO (S.A)

• PAREDE VASCULAR FINA E


COMPLACENTE (ELÁSTICA)
VÊNULAS
• Coletam sangue dos capilares
•menor pressão do que as arteríolas
VEIAS
• Condutores de sangue das vênulas para
o coração
• reservatório (controlável) de sangue
extra (ex: insuficiência renal)
Relação
Área de secção transversal e Fluxo sanguíneo

Espessura da parede

“Como o mesmo volume de sangue deve fluir por


cada segmento, a cada minuto, a velocidade do
fluxo é inversamente proporcional a área de
secção transversal”
Inter-relações entre Pressão, Fluxo e
Resistência vascular
• “O Fluxo sanguíneo é a quantidade de sangue que passa
por determinado ponto por unidade de tempo.”
• O fluxo sanguíneo (F) em um vaso depende:
– Da diferença de pressões entre as extremidades do vaso (∆P);
• Gradiente de pressão

– Impedimento do fluxo sanguíneo pelo vaso (R)


• Resistência vascular

F= ∆P Lei de Ohm

R
Efeitos da Pressão sobre a Resistência
vascular e Fluxo sanguíneo
• A elevação da pressão arterial provoca a elevação, não
proporcional, do fluxo sanguíneo

– Elevação da pressão

– Distendendo o vaso

– Diminuição da resistência
vascular

- Elevando o Fluxo
• Fluxo de sangue
– Fluxo laminar
• linhas de corrente (B)

• Velocidade das linhas centrais do


vaso é maior do que as da periferia
– Fluxo turbulento
• Intensidade do fluxo sanguíneo é muito alta;
• Obstrução do vaso;
• Fluxo por ângulos fechados;
• Superfícies ásperas.
– formação do fluxo em espiral (redemoinhos)
• Aumento do atrito do fluxo com o vaso
Re: número de Reynolds
• Re = v.d.p v: velocidade do fluxo Tendência de
d: diâmetro dos vasos turbilhonamento
n p: densidade do sangue
n: viscosidade do sangue
Complacência (capacitância) vascular

• Quantidade total de sangue que pode ser


armazenada em uma determina região da
circulação

– Complacência = distensibilidade x volume

– Complacência arterial Vs. Complacência venosa

A complacência de uma veia sistêmica e cerca de 24 vezes


maior do que sua artéria correspondente
Curvas de volume-pressão das
circulações arteriais e venosas

Arterial
-400mL: 0mmHg
-700mL: 100mmHg

Venoso
-2200mL: 0mmHg
-2500mL:5mmHg

Transfusão sanguínea
Não causa mudanças
significativas função
circulatória
Pulsações da pressão arterial
• Cada batimento cardíaco gera uma onda de sangue na árvore
arterial:
– Esta se distende: no recebimento do sangue
– Se contrai gradativamente: “expulsando” o sangue

– Ocorra um fluxo capilar continuo, ou seja, sem pulsos

INSISURA - FECHAMENTO DA BICÚSPIDE

Pressão de pulso
Psistól. – Pdiastól

DEPENDE
(~40mmHg)
– DÉBITO CARDÍACO
– COMPLACÊNCIA DA ÁRVORA ARTERIAL
Transmissão de pulsos de pressão para as artérias
periféricas

Após a ejeção:
-Distensão da porção proximal da
aorta;
- Quando a pressão se eleva
-A distensão é transmitida para
os segmentos distais da aorta
- E para o leito capilar arterial
- Amortecimento
Quanto maior a complacência
menor é a velocidade de
condução!
Veias e suas funções

• O sangue de todas as veias sistêmicas flui para o átrio


direito (AD) 
Pressão venosa central = Pressão do AD
• Depende:
1- capacidade do coração direito expulsar o sangue
- Queda da força  Elevação na pressão AD
- insuficiência cardíaca grave

2- tendência do sangue em fluir das veias para o AD


(Retorno venoso)
- rápido influxo p/ o AD  eleva a pressão do AD
- transfusão volumosa de sangue
Veias e suas funções

• Resistência (RV) e pressão venosa(PV)


• A PV depende da RV
• Dependem:
• Interações anatômicas
com outros órgãos para
que se constitua uma
pressão maior do que a
pressão do AD (0mmHg)
Veias e suas funções

• Efeito da elevada pressão AD sobre a pressão venosa


periférica
• acumulo de sangue nas veias  elevação de pressão venosa
Insuficiência cardíaca
• Efeito da elevada pressão intra-abdominal sobre a pressão
venosa nos membros inferiores (MI)
• acumulo de sangue nas veias dos MI  edema nos MI
Ascite (acumulo de líquido na cavidade abdominal)
Gravidez
Veias e suas funções

Co
• Efeito da Pressão gravitacional sobre a pressão venosa
Veias e suas funções
• Válvulas venosas:
• Dependente da contração muscular (“Bomba Venosa”)
• Permite apenas o fluxo sanguíneo no sentido do AD
• Reduzindo a pressão venosa nos MI: 9030mmHg
Veias e suas funções
• Incompetência das válvulas causam
• Causa distensão das veias por alta pressão venosa (meses ou
semanas)
• Aumento da área de secção transversal da veias sem aumento
dos folhetos das válvulas;
• As válvulas se tornam incapazes de se fecharem
completamente (incompetência);
• Extrema elevação de pressão venosa e capilar
• Desenvolvimento de veias varicosas
• Dificultando a difusão de O2 e nutrientes p/ os tecidos
• Podendo evoluir para úlceras varicosas
Conceitos

Débito cardíaco :
- É a quantidade de sangue bombeado
para
a aorta a cada minuto pelo coração
-Quantidade de sangue que flui pela
circulação
-Retorno venoso:
-É a quantidade sangue que flui das veias
para o átrio direito a cada minuto
Fatores que atuam no débito cardíaco

1. Nível básico do metabolismo corporal


2. Exercício
3. Idade
4. Dimensões do corpo
Valores normais para o débito cardíaco

 Homens saudáveis e jovens: 5,6 L/min


 Mulheres saudáveis e jovens: 4,9 L/min
Efeito da resistência periférica total sobre o DC

 De resistência vascular periférica =  do débito

OBS: são inversamente proporcionais


Fatores que podem causar hipoeficácia do coração

Definição: seria o contrário

Pode ser causada por:


- bloqueio da artéria coronária
- Inibição da excitação nervosa do coração
- Fatores patológicos que causam ritmo cardíaco
anormal
- Freqüência anormal dos batimentos
- Valvulopatia
- Pressão arterial aumentada
- Cardiopatia congênita
- Miocardite
- Hipóxia cardíaca
Diminuição do DC causado por fatores periféricos

-Volume sanguíneo diminuído (hemorragias)


-Dilatação venosa aguda (desmaio)
-Obstrução de veias menores
-Massa tecidual diminuída principalmente do
músculo esquelético (avanço da idade)
Diminuição da resistência com aumento de DC

Beribéri – carência de B1 com conseqüente


vasodilatação periférica;

Hipertireoidismo – aumento do metabolismo dos


tecidos do corpo com conseqüente vasodilatação
periférica;

Anemia – redução da viscosidade do sangue e


diminuição da oxigenação dos tecidos gerando
vasodilatação