Anda di halaman 1dari 19

Ciclos Reais de Negócios

Aula 9 Macro III

Prof. Wilson Curso Macro 3 – UFJF


1

Bibliografia cap. 12 Froyen


• Conceito de Ciclos de Negócios:
Tipo de flutuação encontrado na atividade
econômica agregada das nações que organizam
seu trabalho principalmente em empresas de
negócios.
• Um ciclo consiste em expansões que ocorrem

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
ao mesmo tempo em muitas atividades
econômicas seguidas por recessões, contrações
e recuperações igualmente generalizadas que
se fundem com a fase de expansão do ciclo
seguinte. 2
• Variáveis econômicas podem ser classificadas
como:
1. Procíclicas: Aumentam durante as expansões e
caem nas contrações.
2. Contracíclicas: Aumentam nas recessões e
caem nas expansões.

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
3. Acíclicas: Não se movimentam ao mesmo
tempo que o ciclo de negócios.
• Como estabelecer as datas:
• Começa num fundo
• Pico: ponto mais alto da atividade econômica.
3
• Ciclo completo vai de um fundo (vale) até o
próximo passando por um pico.
• Hipótese inicial é de que a produção e o
emprego tem um padrão de crescimento
básico (tendência) e que os ciclos de negócios
representam as flutuações em torno da
tendência.

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
• Tendência estocástica: Pesquisas recentes
definem uma distinção entre tendência e ciclo
no sentido de que parte significativa das
flutuações na produção originam-se em
choque permanentes e não desvios
4
temporários em torno da tendência constante.
Evolução Consumo Brasil

Macro III Prof. Wilson


5

Bibliografia cap. 12 Froyen


Evolução do PIB no Brasil

Macro III Prof. Wilson


6

Bibliografia cap. 12 Froyen


• No mecanismo que gera os ciclos de
negócios assume-se que existem choques e
formas de propagação destes choques.
• Portanto as teorias que detem atenção aos
ciclos de negócios procuram entender os
mecanismos que determinam os choques e
como se dá a propagação destes.

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
• Pesquisas dão atenção para alguns tipos de
choques que são considerados os principais.
1) Choques de tecnologia:
• Funções de produção no mundo real se
modificam. 7
• A crescente utilização de computadores por
exemplo representou um choque tecnológico
sem precedentes.
• Instalações e métodos de produção no entanto
podem não funcionar tão bem quanto espera-
se levando a interrupções na produção

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
• De uma maneira geral modificações na
tecnologia aparecem na forma de choques na
produção.
2) Choques Climáticos e Desastres Naturais:
• Muitos setores da economia dependem do
clima. 8
• Atividades agrícolas são extremamente
dependentes das condições de chuva-seca
como por exemplo no NE brasileiro.
• El niño é um tipo de choque climático que
provoca alterações na produção em diversos
setores da economia.

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
3) Choques Monetários:
• Variações nas taxas de juros e na inflação
produzem efeitos diversos na economia.
• A política monetária possui efeitos reais no
curto prazo pelo menos que podem produzir 9

variações no produto.
4) Choques Políticos:
• Governo através de mudanças na política
antitruste, legislação tributária, política de
gastos provoca alterações na produção.
5) Mudanças de Hábito
• Mudanças de hábito e preferência dos

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
consumidores provoca o
fechamento/abertura de indústrias numa
cadeia produtiva provocando alterações na
produção.
10
• Individualmente fica improvável atribuirmos
números de crescimento/decréscimo no PIB
aos choques sem considerarmos que existem
mecanismos que possivelmente propaguem os
choques dando a magnitude observada nos
dados.
a) Substituição Intertemporal

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
• Na presença de um choque com um impacto
negativo sobre a produtividade diminui o
retorno marginal do trabalho.
• Se o produto marginal do trabalho cai reduzem-
se os salários reais e os trabalhadores podem 11
optar por reduzir a oferta de trabalho.
• Ao mesmo tempo se os agentes preferem
suavizar o consumo ao longo do tempo eles
podem decidir diminuir as suas poupanças
quando reduzem a oferta de trabalho
diminuindo portanto o estoque de capital no
futuro.

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
• Os mecanismos magnificam e propagam o
efeito do choque.
b) Rigidez de Preços:
• Se o choque reduz a produto marginal do
trabalho os salários reais devem cair para 12
manter o mesmo nível de emprego.
• Caso exista rigidez nos salários nominais o
ajuste se dá via desemprego e redução na
produção magnificando o efeito do
choque.
c) Fricções no Setor Financeiro
• Choques adversos podem levar firmas ou

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
indústrias inteiras à insolvência o que afeta
o setor financeiro e a capacidade de gerar
crédito na economia. Ex: Grande depressão
e a crise na Ásia em 1998-1999.
13
5.1) Ciclos Reais de Negócios
• Choques são propagados nos mercados
perfeitamente competitivos.
• Origem nas variações das oportunidades
reais da economia.
• Erros na previsão de demanda agregada que

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
podem explicar flutuações custosas em
termos de emprego violam o postulado que
os agentes otimizam o seu comportamento.
• Choques monetários ou outros choques
nominais não têm nenhum efeito 14

significativo sobre o produto


• Num ambiente em que os agentes otimizam
suas decisões seria sub-ótimo que os
formuladores de política econômica
eliminassem os ciclos de negócios.
• Papel da política monetária é restrito à
determinação do nível de preços objetivando

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
baixas taxas de inflação.

15
Modelo de Ciclo Reais de Negócios
ctt1  Nasceu em t e está em t+1
 
u ctt , ctt1  ln ctt  ln ctt1
t
ct  kt  wt  consumo + poupança = renda do trabalho
ctt1  1    rt 1  kt  restrição quando me aposento

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
Problema do consumidor:
 
Max ln ctt  ln ctt1 s.a.
ctt  kt  wt
ctt1  1    rt 1  kt 16
Resolvendo o problema do consumidor:
1 1    rt 1 
 0
wt  kt 1    rt 1  kt
wt
kt 
2
Problema da Firma:

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
1 firma competitiva produz produto utilizando
capital kt 1 e trabalho lt
Função de produção:
f  lt , kt 1   At lt kt11
0  1 17
At  Parâmetro de Produtividade
A firma resolve:


Max At lt kt11  wt lt  rt kt 1
C.P.O.: At lt 1kt11  wt  0
At 1    lt kt1  rt  0
assuma que lt  1 para facilitar

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
wt  At kt1 salários pró-cíclico
rt  At 1    kt1
Condição de desobstrução de mercados (market clearing)
ctt  ctt 1  kt  At kt11  1    kt 1
consumo + poupança = produção + sobra de capital após depreciação
18
wt
como: kt  , wt  At kt11
2
1
kt  At kt11
2
• Choques na produtividade tem influência no
capital em t, como existe dinâmica os choques

Macro III Prof. Wilson


Bibliografia cap. 12 Froyen
são propagados.
• Como o consumidor poupa metade do que
ganha o mecanismo se propaga por diversos
períodos pois esta é a formação de capital
nesta economia. Notem que o investimento
depende da variação no estoque de capital!!! 19